Banca de DEFESA: AURÉLIO DE OLIVEIRA BENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AURÉLIO DE OLIVEIRA BENTO
DATA : 26/10/2021
HORA: 14:30
LOCAL: DEFESA REMOTA - https://meet.google.com/mwp-citq-qmz
TÍTULO:

PROPAGAÇÃO DA ESPOROTRICOSE ZOONÓTICA CAUSADA POR SPOROTHRIX BRASILIENSIS EM DIREÇÃO À REGIÃO NORDESTE DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Sporothrix brasiliensis, epidemiologia, tratamento, identificação molecular, esporotricose zoonótica,


PÁGINAS: 20
RESUMO:

A esporotricose é uma micose subcutânea de distribuição mundial causada por Sporothrix spp. No passado, essa infecção estava associada à caçada de tatu, horticultores, garimpeiros e jardineiros, sendo considerada uma micose de implantação adquirida por lesão através de plantas e material vegetal em decomposição. No entanto, desde o final dos anos 90, é considerada uma doença zoonótica no Brasil. No presente estudo, relata-se uma série de casos de 121 pacientes com esporotricose transmitida por gatos no Nordeste do Brasil. Os dados demográficos, clínicos e a duração do tratamento do paciente foram registrados. Além disso, foi realizado um exame micológico com posterior confirmação da identificação das espécies por PCR. Cento e vinte e dois pacientes foram diagnosticados com esporotricose subcutânea de outubro de 2016 a dezembro de 2019, enquanto a PCR revelou que 71 deles eram causados por S. brasiliensis. A maioria dos indivíduos pertencia ao sexo feminino (n = 86; 70,5%). A idade dos pacientes variou de 5 a 87 anos. As formas clínicas encontradas foram: linfocutânea (58,2%) e cutânea fixa (39,4%). Interessantemente, 115 pacientes relataram contato prévio com gatos com diagnóstico de esporotricose. Os pacientes foram tratados com sucesso com itraconazol e iodeto de potássio. Este estudo traz contribuições importantes para a investigação da disseminação da esporotricose subcutânea transmitida por gatos no Brasil, especificamente para a região Nordeste de um país de porte continental. Também ajudará os clínicos a estarem cientes da existência e da importância de diagnosticar com precisão a esporotricose e tratar pacientes com essa doença infecciosa na região de menor renda do Brasil.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - OLIANE MARIA CORREIA MAGALHAES
Presidente - 1715308 - GUILHERME MARANHAO CHAVES
Externa ao Programa - 1801992 - PAULA RENATA LIMA MACHADO
Notícia cadastrada em: 15/10/2021 19:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao