Banca de DEFESA: ALEXANDRE BEZERRA ALVES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALEXANDRE BEZERRA ALVES
DATA: 05/08/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório "B"
TÍTULO:

Poesia submersa: poetas e poemas no Rio Grande do Norte 1900-1990


PALAVRAS-CHAVES:

Poesia brasileira, Rio Grande do Norte, século XX, lírica moderna, contemporaneidade.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada
RESUMO:

O presente trabalho busca situar a produção poética do Estado do Rio Grande do Norte diante do contexto da poesia contemporânea brasileira, apresentando dados sobre a produção potiguar na primeira metade do século XX mais precisamente do período compreendido entre 1900 e 1950. Todavia, o foco mais preciso será sobre o período compreendido entre 1950 e 1990. O intuito aqui é o de apontar nomes e obras que vem em uma publicação contínua desde o advento do Modernismo no estado, cujo marco inicial é o Livro de poemas de Jorge Fernandes, publicado no ano de 1927. Dali em diante, a poesia produzida por norte-rio-grandenses passa por um vácuo criativo entre as décadas de 1930 e 1940, indo ressurgir em uma perspectiva pós-Segunda Guerra Mundial, combinada com uma série de fatores sociais e culturais, sejam eles locais e nacionais (urbanização, conscientização gradativa sobre a literatura nacional, a Geração de 45, entre outras). Serão utilizados os conceitos apresentados por Antonio Candido (2000) em torno da expressão “dialética do local e do cosmopolitismo” na literatura brasileira, além das considerações teóricas de Iumna Maria Simon (1999, 1982), Benedito Nunes (2009), Heloísa Buarque de Hollanda (2006, 1982), Teresa Cabañas (2000) e outros referenciais teóricos essenciais para a leitura do gênero lírico na contemporaneidade. O período assinalado entre 1900 e 1990 compõe uma época de evidente produção poética no estado e ainda pouco estudada no âmbito acadêmico, talvez pelo ainda relativo desconhecimento desta produção no campo da literatura nacional, incluindo representantes de várias correntes da poesia contemporânea (caso do Poema-Processo e da Poesia Marginal). A partir da assertiva da existência de uma considerável quantidade de nomes da poesia norte-rio-grandense a partir de 1950, para delimitar um corpus escolhido como padrão, além de uma introdução para cada década, na maior parte da tese são analisados três poetas que podem ser considerados como exemplares de cada decênio compreendido entre 1950 e 1990, no intuito de ilustrar e aplicar as teorias acerca da poesia brasileira. Quando se fizer necessário, devido à  complexidade de determinados movimentos literários, caso da Geração 61, do Poema-processo e da Poesia Marginal, o foco irá alcançar também questões acerca do poema por conta das peculiaridades de cada uma destas produções literárias. Além de contextualizar a poesia potiguar diante da produção contemporânea e universal, quando isto se fizer possível e necessário, objetiva-se encontrar dados comuns entre a produção poética local e nomes expressivos da poesia nacional do século XX no intuito de legitimar a produção poética norte-rio-grandense em um contexto mais amplo no âmbito da poesia brasileira moderna/contemporânea, e que, evidentemente, ainda carece de estudos para ser melhor compreendida, sendo este um esforço a mais no seu entendimento enquanto forma de expressão cultural.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1299003 - DERIVALDO DOS SANTOS
Externo à Instituição - HILDEBERTO BARBOSA DE ARAÚJO FILHO - UFPB
Presidente - 349739 - HUMBERTO HERMENEGILDO DE ARAUJO
Externo ao Programa - 1675070 - JOSE LUIZ FERREIRA
Externo à Instituição - WELLINGTON MEDEIROS DE ARAUJO - UERN
Notícia cadastrada em: 22/07/2013 15:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao