Banca de QUALIFICAÇÃO: ELZA MARIA SILVA DE ARAÚJO ALVES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ELZA MARIA SILVA DE ARAÚJO ALVES
DATA: 04/07/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório C
TÍTULO:

MODALIZAÇÃO AUTONÍMICA: UMA QUESTÃO DE UTILIZAÇÃO E APROPRIAÇÃO DOS CONCEITOS DE VARIAÇÃO E MUDANÇA NA ESCRITA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO


PALAVRAS-CHAVES:

Escrita acadêmica; Modalização autonímica; Utilização e apropriação de conceitos teóricos.


PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Teoria e Análise Lingüística
RESUMO:

Esta dissertação parte de reflexões desenvolvidas no interior do Grupo de Pesquisa do Texto e do Discurso – GETED do Departamento de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e insere-se no campo teórico das pesquisas em Análise do Discurso (AD) de orientação francesa. Deteremo-nos na reflexão sobre a produção escrita no ensino superior, mais especificamente, tomamos como objeto de análise as formas reflexivas da língua utilizada na escrita de dissertações de mestrado. Tais formas são denominadas por Authier-Revuz (1990, 1998, 2004, 2011) como “modalização autonímica”. Centramos este estudo nas diferentes formas do dizer que fazem parte de dois planos, que se encontram e se entrelaçam entre si: o da heterogeneidade mostrada, marcada e não marcada, e o da heterogeneidade constitutiva. Nesse sentido, a heterogeneidade constitutiva seria o que escapa ao controle do sujeito de linguagem sobre aquilo que ele mesmo está enunciando, e a heterogeneidade mostrada são as formas que o sujeito utiliza para explicitar um discurso anterior. Nesta pesquisa, abordamos os termos: utilização e apropriação com dois sentidos. O primeiro, empregamos com o sentido – de fazer uso de. Está relacionado ao conjunto de formas marcadas, que têm na cadeia discursiva um estatuto outro que justifica a autonímia. O segundo aplicamos com o sentido de tomar como seu, uma vez que no processo de modalização do discurso, o enunciador se vale de palavras porosas, ou seja, palavras que aparecem no discurso do um, carregadas do discurso do outro. Nesse contexto, indagamos: como um pesquisador em formação apresenta, em sua escrita, os diferentes modos de utilização e apropriação do discurso do outro? A hipótese é de que, ao confrontar textos produzidos por diferentes pesquisadores em diferentes décadas, possamos observar, por meio da materialidade linguística, a forma como o pesquisador se utiliza e se apropria dos conceitos de variação e de mudança. Temos como objetivo geral analisar, por meio da utilização e apropriação dos conceitos teóricos, as diferentes formas de modalizar o discurso do outro na escrita de dissertação. Propomos como objetivos específicos: a) verificar se há diferença entre as formas de utilização dos conceitos de variação e mudança na escrita de quatro dissertações; b) analisar como o pesquisador em formação mostra, em sua escrita, os diferentes modos de se apropriar desses conceitos. O corpus inicial desta pesquisa é composto por oito dissertações de mestrado, porém, neste relatório de qualificação, analisaremos excertos de quatro dissertações, defendidas nos anos de 1979, 1989, 2000 e 2011. Essas dissertações foram selecionadas do acervo da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – USP e dos programas de Pós-Graduação, disponíveis no Portal Domínio Público – CAPES. Os resultados apontam para dois tipos de escrita.  Quando há a utilização de conceitos, a escrita se apresenta marcada por estratégias linguísticas que demonstram o discurso do pesquisador se constituindo a partir da teoria e do objeto investigado. Quando há a apropriação de conceito, esse processo se apresenta de três formas: dialógica, reflexiva e como origem de significações. Nos dois primeiros, têm-se a constituição do discurso do pesquisador se realizando, a partir do diálogo entre os interlocutores, de uma reflexão, realizada por meio de um comentário e como origem de significações, o pesquisador transmuda o seu discurso.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Interno - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Externo à Instituição - ERNESTO SÉRGIO BERTOLDO - UFU
Externo à Instituição - SONIA MARIA CORREA PEREIRA MUGSCHL - UFMA
Notícia cadastrada em: 03/06/2013 10:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao