Banca de QUALIFICAÇÃO: NADIA MARIA SILVEIRA COSTA DE MELO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NADIA MARIA SILVEIRA COSTA DE MELO
DATA: 25/06/2013
HORA: 09:00
LOCAL: UFRN, PPGEL
TÍTULO:

A CONSTRUÇÃO MEDIAL NO PORTUGUÊS DO BRASIL: UMA ABORDAGEM CENTRADA NO USO


PALAVRAS-CHAVES:

Construção medial. Linguística Centrada no Uso. Gramática de Construção.


PÁGINAS: 146
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Teoria e Análise Lingüística
RESUMO:

Nesta tese, investigamos uma construção de estrutura argumental que denominamos de medial. Trata-se de um tipo de construção que  possui estrutura transitiva e conteúdo intransitivo.  Assim, do ponto de vista morfossintático, ela se apresenta, geralmente, com um Sujeito e um Verbo (S + V).  Opcionalmente, pode ser acompanhada pela partícula se e/ou um modificador adverbial. Já do ângulo da semântica, compreende um argumento afetado e não humano e um evento de ação-processo. Sua esquematização formal pode ser representada da seguinte forma: S (se) + V (Modificador). Os nossos objetivos  são  investigar, descrever e caracterizar a constituição da construção medial do português, em termos morfossintáticos e semânticos, levando em consideração as condições pragmáticas que motivam seu uso no discurso. Para investigação e análise da construção medial, ancoramo-nos no referencial teórico da Linguística Funcional Centrada no Uso ou Linguística Cognitivo-Funcional (cf. TOMASELLO,  2003; MARTELOTTA, 2008, 2011), de inspiração em Talmy Givón, Paul Hopper, Sandra Thompson, Wallace Chafe, Elizabeth Traugott, George Lakoff, Ronald Langacker, Gilles Fauconnier, Adele Goldberg, entre outros.  A Linguística Funcional Centrada no Uso (LFCU) é uma abordagem formada pela fusão de pressupostos teóricos convergentes da Linguística Funcional norte-americana e da Linguística Cognitiva, tais como os conceitos de língua, linguagem, gramática, prototipicidade, entre outros. Da Linguística Funcional norte-americana, utilizamos a categoria transitividade, os princípios de iconicidade, informatividade e plano discursivo; da Linguística Cognitiva, fazemos uso do modelo da Gramática de Construções (cf. GOLDBERG, 1995; 2006) e da Teoria dos protótipos (TAYLOR, 1995; 2003). A análise dos dados mostra que a construção medial é usada quando o falante quer omitir ou não identificar o responsável pela ação descrita no evento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347607 - MARIA ANGELICA FURTADO DA CUNHA
Interno - 1551756 - EDVALDO BALDUINO BISPO
Interno - 1673239 - JOSE ROMERITO SILVA
Notícia cadastrada em: 21/05/2013 14:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao