Banca de DEFESA: DERLI MACHADO DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DERLI MACHADO DE OLIVEIRA
DATA: 08/04/2013
HORA: 14:00
LOCAL: CCHLA - Auditório "A"
TÍTULO:

 ENTRE A FÉ, A OBRA SOCIAL E A PUBLICIDADE: uma análise crítica do discurso da responsabilidade social da Igreja Universal do Reino de Deus


PALAVRAS-CHAVES:

Análise Crítica do Discurso; Sistema de Avaliatividade; Responsabilidade social; Representação atores sociais


PÁGINAS: 170
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

Situada na Linguística Aplicada (PENNYCOOK, 1998; MOITA LOPES, 2003, 2006, 2008, 2009), esta tese, que se inscreve em uma abordagem qualitativo-interpretativista de perspectiva analista critico, se debruça sobre o discurso da responsabilidade social e a forma como este é empregado na busca por legitimação e prestígio dentro do campo religioso neopentecostal brasileiro, mais especificamente da Igreja Universal do Reino de Deus. O objetivo geral desta pesquisa é refletir sobre os discursos de responsabilidade social e a retórica da auto-promoção da Igreja Universal através do papel dos atores sociais na construção de sua(s) identidade(s), materializados   no jornal Folha Universal. Para isso, conjugamos, nesta pesquisa qualitativa/documental, análises sociais e discursivas. Na faceta linguístico-discursiva, a pesquisa se baseou na Análise Crítica do Discurso (ACD), principalmente em Fairclough (2001, 2003, 2006), uma proposta que fornece ferramentas teórico-metodológicas para investigar a linguagem além das estruturas linguísticas, ou seja, o discurso, as práticas sociais nas quais ele ocorre e as estruturas sociais mais amplas. Também foram utilizados pressupostos teóricos da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF), combinando categorias do Sistema de Transitividade de Halliday (1994, 2004), das formas de representação de atores sociais na perspectiva sócio-semântica de van Leeuwen (1997, 2008) e do Sistema de Avaliatividade de Martin e White (2005). Ao desenvolvermos a argumentação sobre a função social da religião nesta tese, servimo-nos de autores como Freston (1994), Oro (1997, 2003), Campos (1997), Mariano (1999), Meneses (2008), entre outros. A pesquisa também se orientou pelos trabalhos de Hall (2006, 2008) acerca da natureza constitutiva do discurso na construção das identidades; de Thompson (2001) sobre discurso da mídia, modernidade e ideologia; de Carvalho (2002) e Coelho (2007) sobre o jornalismo e a publicidade, de Giddens (1991, 2001) sobre a globalização, e de Bauman (1998, 1999) sobre a religião e a pós-modernidade. Para abordar a noção de religião e mercado/economia, nos apoiamos nas formulações de Berger (2004) e Weber (2004). Utilizaremos também uma série de conceitos e categorias advindas do campo da comunicação e marketing sobre a responsabilidade social empresarial e o marketing social. Nesta área, tomamos como referências as contribuições de Bueno (2003) e Sartoretto e Fossá (2003), que concebem a “responsabilidade social” como um exercício planejado de ações e estratégias de relacionamento entre uma organização e seus públicos de interesse que visa à sobrevivência da empresa. Foi importante também a abordagem de Zenone (2006), que destaca a relação entre ação social empresarial e o retorno financeiro, e ainda das reflexões de Bonotto e Peruzzolo (2003), que propõem uma relação indissociável entre a “responsabilidade social”, a “imagem/identidade” e a “competição”. O corpus do trabalho é constituído por notícias veiculadas no jornal Folha Universal, nas quais são noticiadas as “ações de responsabilidade social” da igreja. O recorte temporal estabelecido ficou sobre as edições dos anos de 2010 a 2012. Os resultados encontrados na análise das notícias sinalizam que os traços semânticos de Avaliatividade do tipo Afeto, Julgamento e Apreciação, muitas vezes acompanhados de Gradação, e a Atribuição, um dos subsistemas do Engajamento, evidenciam avaliações positivas para a Igreja Universal e seus agentes e constituem elementos retóricos estruturadores do discurso da Igreja Universal no jornal Folha Universal constitutivos da sua imagem (estilo) de responsabilidade social. Os resultados mostram que os atores sociais mais frequentes no discurso são, de um lado, a própria Igreja Universal e seus voluntários, os famosos (atores, atrizes, apresentadores, participantes de Reallity Shows da Rede Record), políticos e autoridades, e de outro, a população assistida pelos projetos sociais da Igreja. O primeiro grupo aparece sempre ativado, já esse último, na maioria das vezes, passivado. Estes também são representados por assimilação em boa parte das ocorrências, já aqueles por individualização, com exceção dos voluntários que ora são representados de forma individualizada, ora como grupo (muito mais desse último modo).


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CELIA MARIA MEDEIROS BARBOSA DA SILVA - UnP
Presidente - 1228220 - CLEIDE EMILIA FAYE PEDROSA
Interno - 6350771 - MARCOS ANTONIO COSTA
Externo à Instituição - MARIA LEÔNIA GARCIA COSTA CARVALHO - UFS
Interno - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Notícia cadastrada em: 13/03/2013 15:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao