Banca de DEFESA: JAMES ARAUJO DE VASCONCELOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JAMES ARAUJO DE VASCONCELOS
DATA: 16/05/2013
HORA: 14:30
LOCAL: CCHLA - Auditório "A"
TÍTULO:

As apreciações de alunos de Inglês como Língua Estrangeira sobre sua produção oral: um estudo com base no sistema de avaliatividade


PALAVRAS-CHAVES:

Gramática Sistêmico-Funcional; Sistema de Avaliatividade; Apreciação; Percepções; Produção Oral.


PÁGINAS: 140
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

O vasto número de pesquisas sobre produção oral no ensino de  Inglês como Língua Estrangeira (ILE) ao redor do mundo (p.ex. LITTLEWOOD, 1981; BROWN E YULE, 1983; ALMEIDA FILHO, 1993; BROWN, 1994, UR, 1996, CARTER E MCCARTHY, 1997; BROWN, 1994,2004; ELLIS, 2008), assim como estudos sobre aspectos cognitivos e de aquisição da produção oral (SWAIN, 1985, 1995; LEVELT, 1989; SWAIN E LAPKIN, 1995; SKEHAN E FOSTER 1997, 1999; ROBINSON, 2001; BYGATE, 2001, dentre outros) têm revelado  aspectos para um ensino de ILE mais eficaz e motivador. Com a proposta de contribuir para esse avanço, o presente estudo está inserido no paradigma qualiquantitativo de pesquisa no campo da Linguística Aplicada (LA), primordialmente com base nos estudos de Moita Lopes (1996, 2006), para quem a LA está centrada na resolução de problemas de uso da linguagem, cujo foco está na linguagem de natureza processual. O estudo tem como objetivo verificar as percepções de 34 alunos de quatro turmas distintas de um curso de ILE em uma escola privada de línguas acerca de sua produção oral ao participarem de atividades orais. O corpus da pesquisa foi gerado pelas respostas dos alunos a questionamentos sobre sua produção oral, em duas fases, no início e no meio do curso, além de  uma entrevista semiestruturada  realizada com dez dos alunos, ao final do curso, com o intuito de verificar suas percepções sobre sua produção oral. As discussões relacionadas à produção oral em sala de aula de ILE tem respaldo teórico nos trabalhos de Littlewood (1981), Brown e Yule (1983), Almeida Filho (1993), Brown (1994), Ur (1996), Carter e McCarthy (1997), Nunan (1999), Brown (2004) e Ellis (2008), que explicam fenômenos que exercem influência na produção oral, tais como afeto, interação, características de atividades orais, dentre outras variáveis em relação a aspectos cognitivos da produção oral analisadas pelos estudos de Swain (1985, 1995), Levelt (1989), Swain e Lapkin (1995), Skehan e Foster (1997, 1999), Robinson (2001) e Bygate (2001). A análise e discussão dos dados tem como base a Gramática Sistêmico-Funcional de Halliday (1985, 1994) e posteriormente desenvolvida por Halliday e Hasan (1989), Halliday e Mathiessen (2004) e Eggins (2004), dentre outros. O foco desta pesquisa são os mecanismos de Apreciação, um dos domínios avaliativos do subsistema de Atitude, que por sua vez, é parte integrante do Sistema de Avaliatividade, desenvolvido por Martin (2000), Martin e Rose (2003) e Martin e White (2005). Para análise das  escolhas linguísticas feitas pelos alunos, utilizamos a ferramenta computacional WordSmith Tools 6.0 (SCOTT, 2010), cuja função Wordlist (lista de palavras) foi  utilizada na busca pelos tipos de processos, assim como epítetos entre outras marcas linguísticas mais recorrentes que caracterizassem suas percepções. Os resultados revelam que nas percepções dos alunos acerca de sua produção oral ao longo das três fases da geração dos dados para a pesquisa, eles gradativamente deixaram de mencionar aspectos afetivos quanto ao desenvolvimento de sua produção oral e passaram a perceber aspectos mais estruturais de composição da língua.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANNA ELIZABETH BALOCCO - UERJ
Interno - 1666189 - JANAINA WEISSHEIMER
Presidente - 1555334 - ORLANDO VIAN JUNIOR
Notícia cadastrada em: 12/03/2013 15:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao