Banca de DEFESA: JOSILETE ALVES MOREIRA DE AZEVEDO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSILETE ALVES MOREIRA DE AZEVEDO
DATA: 30/11/2012
HORA: 09:00
LOCAL: CCHLA - Setor II Bloco I Sala 16
TÍTULO:

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR À SALA DE AULA


PALAVRAS-CHAVES:

  Formação de professores.  Ensino de Língua Materna.  Metodologia de ensino.


PÁGINAS: 256
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada
RESUMO:

A reflexão crítica sobre a escola e os fazeres docentes tem favorecido a produção e a sistematização de novos saberes alicerçados em fundamentos científicos, notadamente sobre as práticas pedagógicas. No ensino de Língua Portuguesa, as pesquisas buscam compreender o que e como se ensina e se aprende durante a escolarização. Nessa perspectiva, realizamos um estudo sobre a formação do professor de Língua Portuguesa e suas implicações na sala de aula, procurando observar a atuação dos alunos-mestres no contexto escolar, durante a realização dos Estágios Supervisionados. Para tanto, elegemos como objetivo geral, investigar como o curso de licenciatura em Letras da UFRN / CERES / Campus de Currais promovia a formação de futuros professores para atender às expectativas das políticas públicas para o ensino de Língua Materna. Tomamos como referencial os PCN, o projeto político pedagógico do curso e autores da área de ensino de Língua Portuguesa e de Educação, dentre eles, Geraldi (1996), Travaglia (1996, 2003), Antunes (2003, 2007, 2009 e 2010), Lomas (2003), Figueiredo (2005), Marcuschi (2001, 2008), Riolfi et al. (2008), Possenti (2003), Alarcão (1996, 2001) Imbernón (2011), Pimenta (2010) e Shön (1993). O estudo está situado no âmbito da Linguística Aplicada e caracteriza-se como pesquisa qualitativa de natureza interpretativista, a partir de uma abordagem de inspiração etnográfica do ambiente do estágio supervisionado. Nos resultados constatamos que os alunos-mestres privilegiam o ensino prescritivo, fundamentado numa concepção de língua como sistema, direcionando o ensino de língua na contramão da abordagem funcionalista (língua / uso), distanciando-se consideravelmente da proposta de formar um aluno crítico e agente de transformação. No que diz respeito à visão dos alunos-mestres sobre o curso, foram elencadas algumas questões relevantes, dentre elas, o caráter conteudístico do curso, a distribuição da carga horária dos componentes curriculares, a revisão das ementas, a oferta de disciplinas de inclusão social, a reorganização das atividades de estágio em relação ao acompanhamento e orientação aos alunos-mestres e, especialmente, a desarticulação teoria / prática que foi considerada como responsável por muitas das dificuldades encontradas pelos referidos alunos na fase de regência de classe nos níveis de ensino fundamental e médio. Desse modo, a partir da análise destes significados construídos pelos alunos-mestres sobre o processo de formação nessa licenciatura de Letras, constatamos a necessidade de uma reestruturação do projeto do curso, em virtude do mesmo apresentar estas fragilidades que precisam ser revistas em função da melhoria da qualidade do ensino de graduação.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 337223 - JOAO GOMES DA SILVA NETO
Interno - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Interno - 349685 - MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 16/11/2012 14:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao