Banca de DEFESA: FELIPE MORAIS DE MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FELIPE MORAIS DE MELO
DATA: 17/10/2012
HORA: 14:00
LOCAL: CCHLA - Setor II Bloco A Sala 3
TÍTULO:

Cartas oficiais NORTE-RIO-GRANDENSES dos séculos XVIII, XIX e XX: constituição e caracterização de um corpus diacrônico


PALAVRAS-CHAVES:

Cartas oficiais NORTE-RIO-GRANDENSES. corpus diacrônico. TRADIÇÕES DISCURSIVAS.


PÁGINAS: 250
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

Os estudos diacrônicos marcaram as primeiras décadas do século XX na linguística brasileira, passando por um período de ostracismo após a década de 50. Principalmente a partir da década de 90 – com ênfase na criação, em 1997, do projeto Para a história do português brasileiro (PHPB), que tem sistematizado, em âmbito nacional, os planos de trabalho relacionados à área da diacronia– os estudos históricos da língua retomam força e vêm aumentando paulatinamente desde então. Nosso trabalho situa-se neste novo cenário da linguística histórica brasileira e está relacionado a dois programas de pesquisa: i) a organização de um corpus diacrônico e ii) a diacronia do texto e do discurso. No que respeita ao primeiro programa, empenhamo-nos na constituição de um corpus diacrônico de cartas oficiais relacionadas ao Rio Grande do Norte, a que chamamos cartas oficiais norte-rio-grandenses, escritas nos séculos XVIII, XIX e XX. A escolha por cartas burocráticas se deu por elas serem uma categoria textual bastante produtiva em ambientes históricos, principalmente dos séculos XVIII e XIX, em que o domínio da escrita era mínimo e também por trazerem, quase sempre explicitamente, informações do tipo onde, quando, para quem e por quem, conforme relembra Fonseca (2003). Os critérios para a constituição do corpus tomaram por base, embora não estritamente, as orientações do PHPB. Com relação ao segundo programa, partimos das ideias de base coseriana advindas dos estudos sobre as tradições discursivas (TD) (Koch, 1997; Kabatek, 2006), dentre as quais a de que os textos se configuram de modo a seguirem suas próprias tradições (Coseriu, 2007), e recorremos à Diplomática (Belloto, 2002), a fim de proceder a uma caracterização desse corpus pela aplicação de conceitos tanto da Diplomática quanto das TD e por meio da apresentação das estruturas que conformam essas cartas: seus gêneros textuais, uma modalidade de TD, com suas macroestruturas; e algumas de suas expressões formulaicas (microestruturas), outra modalidade de TD. Essa etapa da caracterização atentará, sempre que possível, para a dinâmica entre conservadorismo e inovação que se processa na atualização dessas estruturas textuais ao largo dos séculos. Este trabalho pretende contribuir com as investigações ligadas à Linguística Histórica no Rio Grande do Norte, de modo mais pontual as atinentes à constituição de corpora diacrônicos e às TD; e com o estudo dos documentos oficiais, categoria de gêneros textuais sobre a qual praticamente inexistem estudos (cf. Silveira, 2007).


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1057540 - CARLA MARIA CUNHA
Interno - 1717429 - MARCO ANTONIO MARTINS
Externo à Instituição - MARIA CRISTINA DE ASSIS - UFPB
Presidente - 2226795 - MARIA HOZANETE ALVES DE LIMA
Notícia cadastrada em: 21/09/2012 15:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao