Banca de DEFESA: MARCOS CESAR TINDO BARBOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCOS CESAR TINDO BARBOSA
DATA: 19/07/2012
HORA: 14:00
LOCAL: CCHLA - Auditório "A"
TÍTULO:

ANÁLISE COMPARATIVA DE TRADUÇÕES DO CANTICO DOS CANTICOS


PALAVRAS-CHAVES:

Tradução e tradição. Erotismo em textos sagrados. Expressão do erotismo em diferentes traduções dos Cânticos dos Cânticos. 


PÁGINAS: 190
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

Esta dissertação estuda duas traduções do Cântico dos Cânticos ( שיר השירים [ˈʃiʁ haʃiˈʁim], conhecido também em português como os Cantares de Salomao), efetuadas em diferentes conjunturas sociais, quais sejam uma de diretriz religiosa (GORODOVITS & FRIDLIN, 2006) e outra de pretensões predominantemente literárias (CAMPOS, 2004). Observam-se especialmente as divergências entre as duas, no que diz respeito ao erotismo presente no poema, e analisando as suas prováveis razões discursivas. Não se visa aqui a produção de uma nova tradução, mas a comparação e o comentário das escolhas tradutórias em determinados excertos das obras selecionadas. A argumentação desenvolve-se através dos seguintes encaminhamentos: após a apresentação do objeto de estudo com o debate que sempre o acompanha acerca das polêmicas de datação e autoria, passa-se à exposição do problema do qual se ocupa a hipótese, assim como os objetivos e os parâmetros metodológicos que regeram a elaboração desta dissertação. Consecutivamente,

elencam-se os pressupostos teóricos que emolduram as análises propostas, aborda-se também a sexualidade segundo a religião contemporânea (por se tratar de um livro ao qual se agregou valor religioso) nas instituições que adotaram o Cântico dos Cânticos, a saber: o judaísmo e o cristianismo católico e protestante, assim como o processo possivelmente efetuado durante essa adoção quanto ao enviesamento interpretativo e à atribuição autoral: visa-se compreender as razões da incongruência causada pelo sexo que permeia o texto em questão em relação à religiosidade contemporânea, e especula-se sobre a sua canonização, considerando como esse desencaixe pode ter mudado o curso da sua exegese tradicional para a alegoria que se tornou a sua leitura majoritária, inclusive engendrando a atribuição tradicional da sua suposta origem. Somente então se dá início à análise comparativa das traduções, a fim de se constatar a provável existência dum viés discursivo transparecente das formas como cada uma destas obras verteu as porções do texto-fonte, para o português, que continham marcas de erotismo, observando se respeitaram ou não as leituras tradicionais que insuflaram no texto o seu pendor alegórico de caráter religioso. O estudo segue um encaminhamento teórico que leva em conta: a) teorias da tradução – ALLOUCH (1995), ANDERMAN (2007), BASSNETT (2001), etc.; b) questões de autoria – apoiando-se nas recentes discussões da Análise do Discurso – (MAINGUENEAU (2008, 2010), POSSENTI (2009), etc.; e, c) problematização do erotismo em textos sagrados – GONÇALVES (2010), GOMES, (2008), SILBERMAN (2006), etc..


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1149404 - MARCIO DE LIMA DANTAS
Presidente - 2226795 - MARIA HOZANETE ALVES DE LIMA
Externo à Instituição - SEVERINO CELESTINO DA SILVA - UFPB
Interno - 1674934 - TANIA MARIA DE ARAUJO LIMA
Notícia cadastrada em: 20/06/2012 15:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao