Banca de DEFESA: MARIA EDILEUDA DO REGO SARMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA EDILEUDA DO REGO SARMENTO
DATA: 06/03/2012
HORA: 14:30
LOCAL: CCHLA
TÍTULO:

ANÁLISE DE NECESSIDADES DE INGLÊS PARA FINS ESPECÍFICOS EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO.


PALAVRAS-CHAVES:

INGLÊS PARA FINS ESPECÍFICOS (IFE), ÁREA DE TURISMO, SITUAÇÃO ATUAL, SITUAÇÃO ALVO.


PÁGINAS: 123
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

Este estudo apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida na área de Inglês para Fins Específicos (IFE) com o objetivo de identificar (1) as necessidades de aprendizagem dos alunos de um  curso de Turismo, seus desejos  e carências,  numa universidade federal, quanto ao uso de inglês; (2) as necessidades da situação atual dos professores e do coordenador do referido curso quanto ao idioma; (3) as  necessidades da situação-alvo dos profissionais (egressos) e  empresas com relação a essa língua. Esta pesquisa é um estudo de caso (STAKE, 1998; YIN, 2009) e foram utilizados, para levantamento dos dados, como instrumentos de coleta: questionários, entrevistas semiestruturadas, além de documento sobre o curso de Turismo. Para tanto, foram adotados como aporte teórico  os construtos do English for Specific Purposes (ESP) – Inglês para Fins Específicos (IFE)—também conhecido no Brasil como Inglês Instrumental, cuja fundamentação baseia-se nos trabalhos de Hutchinson e Waters (1987), Robinson (1991), Dudley-Evans e St. John (1998), Celani, Deyes, Holmes, Scott (2006), dentre outros, visto que este trabalho é voltado para uma área específica, o turismo. Os resultados demonstram que os alunos  opinaram pela habilidade em leitura e  priorizaram a oralidade em sala de aula. Enquanto que os profissionais relataram que esta última é uma ferramenta indispensável para sua entrada no mercado de trabalho; mesmo assim, sentem-se despreparados, necessitando frequentar escolas de língua. O depoimento dos dirigentes de empresas também aponta para essa deficiência. Por último, a situação atual dos professores denota que, embora defendam o uso da língua inglesa em sala de aula, isso não acontece, porque os alunos preferem a língua materna. Também ficou evidenciada a inexistência de análise de necessidades. Por fim, a coordenadora informou que há certa indefinição quanto à metodologia, aos conteúdos e às habilidades lingüísticas trabalhadas, além da falta de interação entre os professores de inglês. Conclui-se, portanto, que é relevante realizar uma análise de necessidades para que se possa redesenhar um curso que atenda  às diferentes necessidades contextuais: de alunos, professores, coordenação, representada pelas necessidades institucionais,  profissionais e  o mercado de trabalho.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JOSE ROBERTO ALVES BARBOSA - UERN
Interno - 1168633 - MARILIA VARELLA BEZERRA DE FARIA
Presidente - 1555334 - ORLANDO VIAN JUNIOR
Notícia cadastrada em: 05/03/2012 16:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao