Banca de DEFESA: EDONIO ALVES DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: EDONIO ALVES DO NASCIMENTO

DATA: 28/03/2011

HORA: 14:00

LOCAL: CCHLA

TÍTULO:

A ESFERA COMO METÁFORA

Representações do futebol no campo da literatura

(leituras do tema no conto de ficção)


PALAVRAS-CHAVES:

Futebol e Literatura. Comunicação estética. Contos ficcionais de futebol. Narrativas e práticas discursivas.


PÁGINAS: 375

GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes

ÁREA: Letras

SUBÁREA: Literatura Comparada

RESUMO:

O futebol, entendido como um fenômeno esportivo de prática e abrangência quase universais, pode também ser visto como um jogo cujo funcionamento contorna o universo cultural dos povos que o praticam. Muito mais do que um simples esporte, portanto, esse jogo é um fenômeno cultural por excelência, portador de uma dimensão comunicacional e estética cuja ocorrência já foi flagrada por vários campos do saber científico e cultural. Sendo assim, é enquanto jogo e enquanto fenômeno de cultura, que pretendemos enfocar o futebol aqui como objeto de estudo. O nosso intuito é investigar esse esporte no Brasil tomando a Literatura e o Jornalismo como instâncias privilegiadas de sua representação no âmbito da Comunicação Social. Sendo assim, a idéia central desta pesquisa é mostrar quando e como o futebol tornou-se tema recorrente na literatura brasileira, partindo inicialmente da sua abordagem jornalística até chegarmos a uma visão geral da representação estética do jogo tendo a Literatura como foco principal de atenção e tomando o gênero do conto de ficção como fato material de sua representação. Com essa abordagem, pretendemos elaborar uma visão de conjunto, panorâmica, da produção literária sobre futebol no nosso País e, ao mesmo tempo, particularizar essa visão em alguns autores representativos dela, a exemplo dos escritores-jornalistas Mário Filho (o historiador, o ensaísta, o modernizador da crônica específica do tema); José Lins do Rego (o literato apaixonado pelo jogo); Nelson Rodrigues (o esteta que elevou esse esporte à condição de arte através da crônica); Lima Barreto (quem ao lado de Antonio de Alcântara Machado pioneiramente o formalizou no âmbito da ficção) e os contistas do tema propriamente ditos. Ao final, pretendemos inferir os resultados das avaliações e análises críticas das obras e autores elencados, que examinamos num sentido panorâmico, mas, também verticalizado (e que foram enfocados sob um prisma sócio-histórico e crítico-estético) dentro da suposição de que parece haver uma homologia entre a maneira como a prática do futebol entre nós vai historicamente ganhando características próprias, a ponto de formarmos uma escola brasileira de jogar futebol, e a maneira como os nossos escritores-jornalistas vão tratando o tema, o que incidiria também na criação de uma “maneira brasileira” de narrar literariamente o futebol. A comprovação dessa hipótese operacional de trabalho junto com a elaboração e a necessidade historiográfica, decorrente dela, da criação de um “Guia de leitura do tema do futebol no conto ficcional brasileiro” encerram a perspectiva focal do presente estudo. 

 

 



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149354 - AFONSO HENRIQUE FAVERO
Externo ao Programa - 350490 - ANTONIO FERNANDES DE MEDEIROS JUNIOR
Externo ao Programa - 41838 - CARLOS EDUARDO GALVAO BRAGA
Notícia cadastrada em: 14/03/2011 11:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao