Banca de QUALIFICAÇÃO: PETERSON MARTINS ALVES ARAUJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: PETERSON MARTINS ALVES ARAUJO

DATA: 29/10/2010

HORA: 14:30

LOCAL: CCHLA

TÍTULO:

Nos Sertões Infinitos do Hiper-regionalismo de Guimarães Rosa e Ariano Suassuna


PALAVRAS-CHAVES:

hiper-regionalismo; romance autodiegético e polifônico; narrador

 


PÁGINAS: 115

GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes

ÁREA: Letras

SUBÁREA: Literatura Comparada

RESUMO:

O espaço liso do Sertão (na perspectiva deleuzeana) condensa a própria construção imagética da identidade nordestina, na perspectiva, principalmente, de boa parte dos habitantes sulistas do Brasil, homogeneizando as diversas referências heterogênicas culturais do Nordeste. Daí, porque ao longo da nossa construção literária, esse espaço será sempre retomado em diversas estéticas com nuances estereotipadas; e, ao longo de cada uma dessas retomadas, tal como aponta Antônio Candido em seu ensaio “Literatura e Subdesenvolvimento”, estarão explícitas (ou implícitas) a desigualdade e as tensões entre o contexto urbano e rural brasileiros. Este trabalho, no entanto, inicia-se procurando reformular a classificação proposta por Candido e dimensionar a reconstrução desse espaço identitário e cultural – o sertão – em uma proposta universalizadora do hiper-regionalismo que entendemos como um esforço estético-literário para dirimir o preconceito em torno do Nordeste que se forma desde a segunda metade do século XIX até os nossos dias. Para tal intento iremos basear nossa análise, essencialmente, em Bakhtin (1998; 2003; 2008; 2009) onde se debruçando sobre a categoria do narrador, construída em uma perspectiva autodiegética e dialógica nos romances polifônicos de Guimarães Rosa em Grande Sertão: Veredas e de Ariano Suassuna no Romance d’ A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta, procuraremos observar as diversas nuances que impregnam o hiper-regionalismo em seus elementos característicos. E dentre esses elementos iremos destacar o neo-barroquismo na perspectiva de Severo Sarduy e a tessitura da voz em suas forças centrífugas e centrípetas entre a oralidade e a escrita através da teoria da performance proposta por Paul Zumthor.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1496892 - MARCIO VENICIO BARBOSA
Presidente - 1199407 - MARCOS FALCHERO FALLEIROS
Interno - 3351552 - ROSANNE BEZERRA DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 11/10/2010 08:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao