Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIO CESAR DE ARAUJO CADÓ

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIO CESAR DE ARAUJO CADÓ
DATA : 11/07/2024
HORA: 14:00
LOCAL: UFRN - Google Meet
TÍTULO:

BESTIÁRIO CABRALINO: FAUNA ENTALHADA NA POESIA DE JOÃO CABRAL DE MELO NETO



PALAVRAS-CHAVES:

Zoopoética; Alteridade animal; Animalidade; Bestiário; João Cabral de Melo Neto.


PÁGINAS: 228
RESUMO:

Nesta dissertação, pretendo alargar as fronteiras do sistema receptivo, poético e imaginário que circunda João Cabral de Melo Neto através da elaboração de uma leitura analítico-interpretativa de sua poesia guiada pela presença dos animais e das formas da animalidade, sob o prisma da Zoopoética. Tal estudo norteia-se pela compreensão da postura criativa de Cabral como uma poética da alteridade na qual é incluído o conjunto de seres que escapam a nosso modelo racionalista e antropocêntrico. Situado na área de Literatura Comparada, considero, do ponto de vista metodológico, o aspecto transitivo do texto poético e a relação valencial entre os estudos literários e os outros campos do saber. Almejo construir um catálogo dos animais escritos pelo autor com o intuito de caracterizar os modos de formalização desses viventes não humanos em sua obra poética. Ao desdobrar esse objetivo, pretendo, especificamente: i) mapear vocábulos e imagens pertencentes ao campo semântico zoológico; ii) traçar o percurso valorativo da animalidade no conjunto das obras; iii) desvelar os mecanismos de engendramento dos animais nos poemas; e iv) examinar os modos de apreensão de alguns desses bichos na tessitura composicional. Em conformidade com este horizonte de investigação, proponho uma bifurcação da leitura de modo a contemplar um movimento extensivo, abarcando a totalidade dos volumes de poesia, e outro intensivo, com o fim de conduzir o esforço interpretativo para uma recolha de poemas. O corpus foi selecionado a partir do reconhecimento da centralidade do animal como elemento de irradiação composicional e da identificação de relações interespecíficas que ganham materialidade nesses poemas. Como resultados preliminares, identifico uma coleção ampla e heterogênea de referências a animais nos poemas do autor – de alusões genéricas a usos de espécies singulares – à qual são atribuídos valores igualmente diversificados. O percurso pela obra de João Cabral abre, para o leitor, a percepção das modalizações pelas quais passa a animalidade: em um primeiro momento, tomada a partir da dimensão instintiva e monstruosa a ser combatida no processo consciente de escrita, até a consideração dos animais como formas de vida com as quais são aprendidos saberes estéticos e éticos acerca do mundo coabitado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3351552 - ROSANNE BEZERRA DE ARAUJO
Externa à Instituição - MARIA ESTER MACIEL DE OLIVEIRA BORGES - UFMG
Externa à Instituição - SOLANGE FIUZA CARDOSO YOKOZAWA - UFG
Notícia cadastrada em: 21/06/2024 08:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao