Banca de QUALIFICAÇÃO: MIZILENE KELLY DE SOUZA BEZERRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MIZILENE KELLY DE SOUZA BEZERRA
DATA : 15/03/2024
HORA: 14:30
LOCAL: google meet
TÍTULO:

A construção de estrutura argumental com verbos de percepção no português brasileiro


PALAVRAS-CHAVES:

Linguística Funcional Centrada no Uso; Construção de estrutura argumental; Verbos de percepção.


PÁGINAS: 98
RESUMO:

Nesta tese, investigamos a construção de estrutura argumental transitiva com os verbos de
percepção no português brasileiro, a fim de: (i) analisar as características morfológicas,
sintáticas e semânticas dos argumentos dos verbos de percepção no português brasileiro;
(ii) apontar a variação dos padrões de estrutura argumental que codificam eventos de
percepção; (iii) identificar o padrão semântico-estrutural mais frequente da construção
transitiva com verbos de percepção; e (iv) discutir aspectos discursivo-pragmáticos e
cognitivos que motivam as ocorrências com esses verbos. Para tanto, o estudo é
fundamentado nos pressupostos teórico-metodológicos da Linguística Funcional Centrada
no Uso (Furtado da Cunha; Bispo; Silva, 2013; Rosário; Oliveira, 2016), de viés
construcionista (Goldberg, 1995; Bybee, 2016; Traugott e Trousdale, 2021). A pesquisa é
de natureza descritiva e interpretativa, sendo realizada por meio de procedimentos
bibliográficos e ancorada no método dedutivo e indutivo. Metodologicamente, a análise
equaciona o tratamento qualitativo e quantitativo dos dados selecionados (Cunha Lacerda,
2016). O material empírico constitui-se de amostras extraídas de blogs disponíveis na
internet, do ano de 2014, perfazendo um total de trezentas mil palavras. Com relação ao
argumento sujeito dos verbos de percepção, os resultados apontam que o pronome é a
configuração morfológica mais frequente, ao passo que, em termos sintáticos, verifica-se,
em maior número, sujeito anafórico recuperado do contexto discursivo; quanto às
propriedades semânticas, a frequência maior é de sujeito agente. No que diz respeito ao
argumento objeto direto, este também apresenta diferentes configurações morfossintáticas,
assumindo a forma de SN, de oração ou não sendo morfologicamente explicitado. Por fim,
aspectos discursivo-pragmáticos, tais como topicidade e status informacional dos
argumentos; e cognitivos, a exemplo de categorização e prototipicidade, motivam a escolha
do padrão de estrutura argumental em que esses verbos são utilizados em usos reais da
língua.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - ***.159.097-** - MARIA ANGELICA FURTADO DA CUNHA - UFRN
Interna - 1393548 - NEDJA LIMA DE LUCENA
Externo à Instituição - EMANUEL CORDEIRO DA SILVA - UFPE
Notícia cadastrada em: 07/03/2024 11:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao