Banca de DEFESA: EMILIANA OLIVEIRA DE LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EMILIANA OLIVEIRA DE LIMA
DATA : 09/12/2022
HORA: 09:00
LOCAL: via Google Meet
TÍTULO:
CONSTITUIÇÃO IDENTITÁRIA DE SUJEITOS APRENDIZES DE LIBRAS NO CAS NATAL 
 

PALAVRAS-CHAVES:

Linguagem. Identidade. CAS Natal. Aprendizes de Libras. Surdos e não surdos.


PÁGINAS: 152
RESUMO:
Esta pesquisa busca investigar como se dá o processo de constituição identitária de sujeitos aprendizes de Libras no Centro Estadual de Capacitação de Educadores e de Atendimento às Pessoas com Surdez – CAS Natal. A interação dialógica é inerente ao ímpeto humano de se relacionar socialmente, acontecendo por meio de diferentes linguagens, sejam orais ou visuais. Nessas relações de alteridade, somos, inevitavelmente, refratados pelos discursos que nos circundam, o que reverbera nossas constituições identitárias. Sendo assim, situamo-nos no grande terreno (in)disciplinar da Linguística Aplicada (FABRÍCIO, 2017; MOITA LOPES, 2006, 2013; PENNYCOOK, 2006; KLEIMAN, 2013), cujos pressupostos dialogam a partir do sujeito em sua singularidade, com o objetivo de criar inteligibilidade sobre problemas sociais em que a língua tem papel central. Para robustecer as discussões desta investigação, recorremos aos estudos do Círculo de Bakhtin (BAKHTIN, 2011, 2015, 2016, 2017a, 2018;  VOLÓCHINOV, 2018, 2019), para nos amparar quanto à questão de linguagem enquanto prática social; para fundamentar as discussões acerca das identidades, nos baseamos nos Estudos Culturais (HALL, 2014, 2020; CANCLINI, 2016, 2019; WOODWARD, 2014); e para as fundamentações relacionadas à Libras e às constituições identitárias dos seus aprendizes surdos e ouvinte, nos ancoramos nos Estudos Surdos (ALBRES, 2016; LODI, 2004, 2006, 2019, 2021; GESSER, 2009a, 2009b; PERLIN e MIRANDA, 2003; PERLIN e REIS, 2012; QUADROS, 2017, 2019; ROSA, 2012; SÁ, 2010; SKLIAR, 1998). A construção dos dados constituiu-se na perspectiva da LA embasada na abordagem qualitativo-interpretativista, realizada por meio da aplicação de questionário e de entrevista com onze sujeitos surdos e ouvintes do referido Centro. A partir das análises, reconhecemos que, por meio de seus discursos, os sujeitos revelam identidades plurais, desde interessadas pelo outro e pela língua, envolvidas nas causas surdas, a orgulhosas dos seus posicionamentos identitários de aprendizes de Libras enquanto pessoa surda, mãe de surdo e professora de surdos. Ou seja, todas elas atravessam a ressignificação da surdez, que se dá por intermédio de diversificadas experiências dialógicas.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1168633 - MARILIA VARELLA BEZERRA DE FARIA
Interna - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Externa à Instituição - RAQUEL ELIZABETH SAES QUILES BENINI - UFMS
Notícia cadastrada em: 03/12/2022 00:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao