Banca de DEFESA: JUCELY REGIS DOS ANJOS SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JUCELY REGIS DOS ANJOS SILVA
DATA : 23/09/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Natal (Virtual)
TÍTULO:

POÉTICA QUEBRADA PELO MEIO: A POESIA CRÍTICA DE ANA CRISTINA CESAR


PALAVRAS-CHAVES:

Ana Cristina Cesar. Poesia. Crítica. Lirismo. Modernidade.


PÁGINAS: 138
RESUMO:

Estudante de Literatura, Comunicação e Tradução, professora, poeta e crítica literária, Ana Cristina Cesar é citada dentre os nomes de destaque da poesia marginal brasileira da década de 70. Muitos dos críticos que se debruçaram sobre sua obra apontaram seu diferencial em relação à poesia de sua época e enxergaram nela um pensamento inquieto e produtivo sobre a literatura. Considerando a posição singular das obras A teus pés (CESAR, 1999) e Crítica e tradução (CESAR, 1998), este trabalho visa investigar a construção de uma poesia crítica na obra de Ana Cristina Cesar, a partir das negociações, deslocamentos e transcriações que realizou em diálogo com a chamada “tradição moderna” (PAZ, 2013) e as propostas da geração mimeógrafo. Essa investigação inclui a identificação de correspondências e contradições entre o discurso geracional, o discurso da crítica e a forma como se apresentam os poemas dos principais autores dessa geração. Também integra o corpo da pesquisa a análise das apropriações conceituais e poéticas realizadas por Ana C. para a construção de textos marcadamente metalinguísticos e o abalo de áreas constituídas do saber, dentre eles a Teoria da Literatura. Por meio da construção de uma poética híbrida, no que diz respeito à sua forma de apresentação, e de um texto fundamentalmente crítico, em forma de poesia e de ensaio, a obra de Cesar lança importantes reflexões a respeito do potencial classificatório dos sistemas discursivos, dos limites entre experiência e linguagem e das restrições do lirismo na contemporaneidade. Observam-se, nas obras em análise: o trabalho com os gêneros considerados não literários, como a carta e o diário, a fim de desconstruir visões limitantes sobre o que se entende ser uma escrita do “eu”; a corrosão do lirismo por meio da metalinguagem, da ironia e do fingimento poético; a transcriação da poesia por meio da composição a partir das vozes de outros poetas e de fragmentos da experiência individual e histórica; a reinvenção do texto crítico a partir de estratégias de ficcionalização, fragmentação e montagem. Todos os procedimentos adotados demonstram uma indissociabilidade entre a poesia, a crítica e a tradução na obra de Ana Cristina Cesar que foi capaz de lançar questões ainda fundamentais a respeito da instituição Literatura e do próprio ato de escrever.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1718581 - EDUARDO ANIBAL PELLEJERO
Interno - 3546280 - SAMUEL ANDERSON DE OLIVEIRA LIMA
Externa ao Programa - 1674934 - TANIA MARIA DE ARAUJO LIMA - UFRNExterna à Instituição - CASSIA DE FATIMA MATOS DOS SANTOS - IFRN
Externo à Instituição - OTÁVIO GUIMARÃES TAVARES - UFPA
Notícia cadastrada em: 05/09/2022 09:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao