Banca de DEFESA: ANTONIO LOUREIRO DA SILVA NETO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANTONIO LOUREIRO DA SILVA NETO
DATA : 26/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: ANÁLISE ARGUMENTATIVA DO DISCURSO ACADÊMICO A PARTIR DE REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS DA LITERATURA DE
TÍTULO:

ANÁLISE ARGUMENTATIVA DO DISCURSO ACADÊMICO A PARTIR DE REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS DA LITERATURA DE CORDEL EM DISSERTAÇÕES DE MESTRADO


PALAVRAS-CHAVES:

Cordel. Representação Discursiva. Pesquisador. Argumentação


PÁGINAS: 183
RESUMO:

A literatura de cordel, também conhecida no Brasil como literatura de folhetos nordestina, dentre outras denominações, com sua função, valores, demandas, características e história vem sendo objeto de estudos publicados em artigos, dissertações de mestrado e teses de doutorado. Em tais estudos são construídas ou renovadas argumentativamente algumas representações discursivas do cordel. Assim, nesta tese de doutorado, queremos analisar essas representações a partir das estratégias argumentativas e mecanismos de persuasão presentes em dissertações de mestrado. Queremos encontrar respostas para as seguintes perguntas: a) Que expressões linguísticas dos textos examinados concorrem para a construção dessas representações discursivas do cordel? b) Que estratégias e mecanismos de persuasão são utilizados na construção dessas representações? c) Que representações discursivas do cordel surgem dos textos examinados e como elas se articulam para revelar a face do cordel no discurso acadêmico? Com base no objetivo geral e nas perguntas elaboradas, temos os seguintes objetivos específicos: i) identificar os elementos linguísticos que concorrem para a formação das representações discursivas do cordel no discurso acadêmico; ii) discorrer sobre os mecanismos de persuasão utilizados pelos pesquisadores nos processos de construção dessas representações e iii) analisar cada uma das representações resultantes do processo de investigação do discurso acerca do cordel. Para tanto, escolhemos um corpus formado por 65 excertos textuais retirados de 24 dissertações de mestrado. Daqui reunimos 12 grupos de representações discursivas para análise. A base teórica inclui autores como Abreu (1993; 1999; 2006); Bakhtin (2017); Compagnon (2014); Eagleton (2006); Certeau (1995); Luciano (2012); Oliveira, (2012); Cascudo (1953) e autores pertencentes ao quadro do discurso retórico como Aristóteles (2005; 2016), Perelman & Tyteca (2005) Reboul (2000), Fiorin (2015) e outros. Ademais, contamos com Bronkart (1999), Silva (2015) e Bezerril at al (2015). Os resultados indicam que o discurso acadêmico descreve o cordel como uma arte poética de cunho popular que se renova e sobre a qual incidem diversos olhares nem sempre favoráveis. Há também inúmeras possibilidades de análise ao tema considerando-o ora como instrumento de reivindicação social e política, ora como veículo de transmissão de valores educativos úteis aos processos pedagógicos, etc... Há quem o defenda por suas qualidades intrínsecas de resistência aos modelos intelectuais em vigor valorizando sua capacidade de influenciar a literatura hegemônica, o teatro, o cinema e a televisão. É, pois, a partir desse caldo de impressões que os pesquisadores universitários contribuem para construir ou renovar as representações discursivas do cordel. Quanto à argumentação no discurso, pudemos perceber certa semelhança nos modos de proceder argumentativamente. Tal fato se verifica na escolha dos acordos com o auditório imaginado, nas estratégias e movimentos argumentativos de concordância com as teses levantadas. Análogo processo se dá quanto aos mecanismos enunciativos pragmáticos. Entretanto, no tocante à defesa de algumas dessas representações discursivas, os pesquisadores parecem menos incisivos naquilo que defendem admitindo olhares mais variados e menos assertivos, como acontece com alguns grupos de representação analisados. Com este estudo tentamos contribuir com aqueles que valorizam os estudos acadêmicos em torno desse objeto e querem tornar mais claro o valor, a função e a importância do cordel no Brasil.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1476540 - CELLINA RODRIGUES MUNIZ
Interna - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Externa à Instituição - CLAUDIA REJANNE PINHEIRO GRANGEIRO - URCA
Externo à Instituição - FRANCISCO AFRANIO CAMARA PEREIRA - UERN
Externa à Instituição - LUCILENE SOARES DA COSTA - UEMS
Notícia cadastrada em: 02/02/2021 11:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao