Banca de DEFESA: LAERTE LIRA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LAERTE LIRA DA SILVA
DATA : 18/02/2021
HORA: 14:30
LOCAL: Sala virtual - Google Meet
TÍTULO:

Da palavra ao traço: a análise dialógica do processo de transposição do cronotopo do sertão, em Grande Sertão: Veredas, para a homônima adaptação em graphic novel


PALAVRAS-CHAVES:

Grande Sertão: Veredas. Graphic Novel. Teoria Dialógica do Romance. Cronotopo do Sertão. Adaptação em quadrinhos.


PÁGINAS: 157
RESUMO:

A produção literária de João Guimarães Rosa foi e é ensejadora de inumeráveis ações e eventos no círculo literário, seja nacional ou internacional: são encontros, seminários, palestras, projetos literários diversos, reportagens, além de uma vasta e relevante produção acadêmica e editorial. Sua obra dá suporte ao desenvolvimento de estudos em diferentes áreas, além do diálogo interdisciplinar entre elas, quais sejam: teoria e crítica literária, estudos culturais, filosofia, psicologia, história e linguística, por exemplo. Aos seus mais conhecidos e apreciados contos, são tributárias, importantes traduções intersemióticas, no universo artístico da música, do cinema e da televisão. Nessa conjuntura, especial atenção é dada a sua mundialmente conhecida obra-prima, traduzida para diversos idiomas: o romance Grande Sertão: Veredas (ROSA, 2001). Tal obra também se tornou objeto de tradução em diferentes adaptações artísticas, tal qual a sua prosa contista. Nesse mote, recebeu lugar nas adaptações do universo dos quadrinhos, com a explosão desses objetos artísticos, no mercado editorial brasileiro, no início do século XXI. Em uma era de enorme exploração dos meios e processos tecnológicos, relativos à esfera comunicativa e informativa, como as mídias sociais, por exemplo, ganha relevo a primazia do enunciado verbo-visual (BRAIT, 2013) como uma nova proposta de letramento e possibilidades artístico-literárias. Nesse diálogo entre o verbal e o visual, formando uma unicidade verbovisualizada nas adaptações quadrinísticas, os estudos teóricos fundamentais de Brait (2009; 2013; 2014), Ramos (2019), McCloud (1993; 2005), Eisner (2010) tornaram-se imprescindíveis para o estabelecimento do diálogo interdiscursivo e intersemiótico entre o texto de Rosa (2001) e da Graphic Novel de Guazzelli Filho (2016). A partir dos estudos teórico-literários e da linguagem calcados nos textos bakhtinianos (BAKHTIN, 2010; 2011; 2016; 2018b), é possível estender toda a compreensão de suas investigações teóricas para diferentes formas de linguagem e expressão artísticas, além da importância do conceito de cronotopo no processo e acabamento destas mesmas formas e expressões. Tudo isso orientou a atividade analítica de nossa pesquisa, com a percepção e desdobramento de categorias cronotópicas no enredo do romance, a saber, o cronotopo do sertão geográfico e o cronotopo do sertão ideológico, e de como se efetiva o processo de suas respectivas transposições do estritamente verbal à interpretação verbo-visual na obra adaptada. Para isso, analisamos como o cronotopo é representado verbo-visualmente naquelas mesmas categorias, ou seja, o sertão cronotopicamente observado no aspecto geográfico, assim como no ideológico. Nesse processo, foram selecionadas passagens da referida graphic novel que apoiem nossa investigação tanto no primeiro quanto no segundo aspecto; contudo, neste último, nossa análise se deu em torno de dois momentos relevantes para o romance, transpostos para a adaptação, pelo valor tenso e criativo que encerram, quais sejam, o pacto demoníaco nas Veredas Mortas e a travessia pelo Liso do Sussuarão. Dessa forma, analisamos os desdobramentos cronotópicos de acordo com a fundamentação teórica, em cada uma das imagens selecionadas e, sempre que possível ou adequado, tanto na presença quanto na ausência, por meio dos seguintes pontos: as sensações cromáticas e acromáticas produzidas, ou seja, o papel das cores; o enquadramento (sarjeta, lacuna, traço e plano de visão); e os elementos verbo-visuais da composição linguística (letreiramento, texto e balões). Com isso, chegamos a compreender as possibilidades, transformações e dificuldades aferidas no resultado da pesquisa, concluindo que a adaptação foi capaz de responder aos projetos arquitetônicos e composicionais (BAKHTIN, 2010) na transposição da obra literária fonte de forma satisfatória.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1000286 - ORISON MARDEN BANDEIRA DE MELO JUNIOR
Interna - 1515458 - MARTA APARECIDA GARCIA GONCALVES
Externa à Instituição - SANDRA MARA MORAES LIMA - UNIFESP
Notícia cadastrada em: 19/01/2021 11:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao