Banca de QUALIFICAÇÃO: JACIARA LIMEIRA DE AQUINO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JACIARA LIMEIRA DE AQUINO
DATA : 16/08/2017
HORA: 17:00
LOCAL: Sala 4 da ECT/UFRN
TÍTULO:

Ressignificação de práticas de leitura, oralidade e escrita de gêneros argumentativos


PALAVRAS-CHAVES:

Estudos de Letramento. Projetos de Letramento. Gêneros Argumentativos. Eventos de letramento. Oralidade-leitura-escrita como práticas sociais.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

O ensino de Língua Portuguesa (LP) no Brasil tem passado por uma série de mudanças. Isso pode ser justificado a partir de diferentes questões teóricas e metodológicas, como, por exemplo, concepções de língua(gem), leitura, escrita, texto, e o que é tomado como objeto de ensino. Essas mudanças estão relacionadas a iniciativas de ressignificação do ensino de LP, uma vez que um ensino-aprendizagem estritamente normativo e impositivo não tem dado conta de compreender aspectos sociais da língua. No intuito de contribuir com esse processo de ressignificação do ensino de LP, mais especificamente do ensino de argumentação, desenvolvemos com uma turma de 9o ano do ensino fundamental da Escola Estadual 29 de Março, localizada na cidade de Portalegre-RN, um projeto de letramento (KLEIMAN, 2000) que partiu do problema da falta de água potável no citado município. Nesse sentido, associando-nos às perspectivas dos estudos de letramento de vertente etnográfica, temos como objetivo geral, nesta pesquisa, ressignificar práticas de escrita, leitura e oralidade de gêneros argumentativos por meio do modelo didático advindo dos projetos de letramento. Para isso, traçamos os seguintes objetivos específicos: (i) mapear práticas de letramento, especialmente aquelas ligadas a gêneros argumentativos, dos alunos do 9o ano do ensino fundamental da Escola Estadual 29 de Março; (ii) vivenciar eventos de letramento em que a argumentação tenha papel central e compreender os seus aspectos delineadores; (iii) analisar de que maneira os projetos de letramento contribuem para o desenvolvimento de competências relacionadas à argumentação e, consequentemente, para a superação de problemas sociais que exigem o raciocínio crítico, ponderado, objetivo; (iv) categorizar princípios de ressignificação do ensino da argumentação via projeto de letramento. Teoricamente, fazemos um percurso pela história da LP enquanto disciplina (SOARES, 2002; CORRÊA e LIRA, 2012); abordamos a argumentação enquanto técnica (PERELMAN e OLBRECHTS-TYTECA, 2005), bem como o ensino de argumentação no Brasil (SILVA, 2015); apresentamos a perspectiva social dos estudos de letramento (KLEIMAN, 1995), os projetos de letramento enquanto modelo didático (TINOCO, 2008), os conceitos de práticas de letramento (STREET [1995] 2014) e de eventos de letramento (HAMILTON, 2000). Além disso, compreendemos os gêneros discursivos como ações sociais (BAZERMAN, 2011); apontamos a escrita como prática social (KLEIMAN, 1995); estabelecemos o contínuo entre leitura-oralidade-escrita (MARCUSCHI, 2005), bem como a relação entre os gêneros argumentativos e a noção de rede de atividades (OLIVEIRA; TINOCO; SANTOS, 2014); e, ainda, o que pode ser entendido por agência social e agentes de letramento (KLEIMAN, 2006). Metodologicamente, este estudo se insere na área da Linguística Aplicada (MOITA-LOPES, 2006), sendo de cunho social e interpretativo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa (ANDRÉ, 1995), alicerçada nos moldes da pesquisa-ação, que contou com uma série de instrumentos de pesquisa: questionários, práticas de escrita, vídeos, fotografias e notas de campo. Da geração de dados, destacaremos dois eventos de letramento: um debate regrado e uma mesa-redonda, cujas ações de leitura, oralidade e escrita analisamos por meio das seguintes categorias de análise: escrita como prática social; rede de atividades e de gêneros discursivos; contínuo entre leitura-oralidade-escrita; e agência social. A análise inicial dos dados nos permite concluir que as atividades de leitura, oralidade e escrita desenvolvidas em decorrência do projeto levaram os sujeitos envolvidos com o processo a desenvolver a argumentação enquanto técnica necessária à resolução de conflitos sociais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2087054 - GLICIA MARILI AZEVEDO DE MEDEIROS TINOCO
Interno - 1674285 - ANA MARIA DE OLIVEIRA PAZ
Externo ao Programa - 1929360 - ANA VIRGINIA LIMA DA SILVA ROCHA
Notícia cadastrada em: 28/07/2017 09:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao