Banca de DEFESA: NEDJA LIMA DE LUCENA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NEDJA LIMA DE LUCENA
DATA: 26/02/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Setor II - Bloco E - Sala 01
TÍTULO:

A CONSTRUÇÃO TRANSITIVA NO PB: UMA ABORDAGEM FUNCIONAL CENTRADA NO USO


PALAVRAS-CHAVES:

construções de estrutura argumental, construção transitiva, protótipo, elos de polissemia.


PÁGINAS: 153
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Teoria e Análise Lingüística
RESUMO:

Esta tese examina um tipo de construção pertencente à subclasse das construções de estrutura argumental: a construção transitiva. O trabalho assume que a construção transitiva - pareamento entre forma e significado - é uma construção do português, de maneira que há aspectos sintáticos-semânticos dessa construção que não podem ser atribuídos a outra. Desse modo, são examinadas as instanciações da construção transitiva, compostas por orações simples formadas sintaticamente por Sujeito – Verbo – Objeto, oriundas das modalidades de fala e de escrita, e coletadas de corpora diversos. A pesquisa é orientada pelo quadro teórico da Linguística Funcional Centrada no Uso, que abriga a concepção de que as línguas são moldadas pela complexa interação de princípios cognitivos e funcionais que desempenham um papel basilar na manifestação dos fenômenos linguísticos. Sendo assim, a tese ancora-se fundamentalmente no modelo da gramática de construção e no modelo dos protótipos para explicar a configuração da construção transitiva. À luz desse quadro, este trabalho parte do princípio de que a manifestação discursiva das diferentes instanciações da construção está diretamente ligada à conceptualização da experiência humana, isto é, ao modo como os seres humanos apreendem o mundo e falam sobre ele. Parte-se da hipótese de que distintos tipos semânticos de verbos e seus papéis participantes interagem com a construção transitiva, de maneira que essa interação pode motivar a emergência de novos sentidos atribuídos às instanciações. Por sua vez, essas instanciações estão ligadas entre si por meio de elos de polissemia, o que pode justificar uma organização hierárquica da construção transitiva em subesquemas e microconstruções. Além disso, processos cognitivos de domínio geral são subjacentes à manifestação discursiva da construção em tela e, por isso, são examinados na pesquisa. O trabalho conclui que a construção transitiva é altamente esquemática e produtiva, tanto em termos de types quanto de tokens, o que justifica o alto número de verbos licenciados por essa construção, bem como atesta que a aproximação e/ou afastamento entre as instanciações são motivados preponderantemente por propriedades semânticas. A proposta de investigar como a construção transitiva se manifesta no uso interativo da língua tem por finalidade contribuir para a descrição das construções do português.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 345.159.097-20 - MARIA ANGELICA FURTADO DA CUNHA - UFRN
Interno - 1673239 - JOSE ROMERITO SILVA
Externo ao Programa - 6350771 - MARCOS ANTONIO COSTA
Externo à Instituição - MARIA MEDIANEIRA DE SOUZA - UFPE
Externo à Instituição - MÁRCIA TEIXEIRA NOGUEIRA - UFC
Notícia cadastrada em: 24/02/2016 14:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao