Banca de DEFESA: TEREZA NEUMA DE SOUZA BRITO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TEREZA NEUMA DE SOUZA BRITO
DATA: 28/11/2011
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de Reuniões do CONSEC-CCS
TÍTULO:

EOSINÓFILOS E PROTEÍNA CATIÔNICA EOSINOFÍLICA NA URINA: UMA NOVA ABORDAGEM PARA O DIAGNÓSTICO DA INFLAMAÇÃO RENAL NO LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO.


PALAVRAS-CHAVES:

Eosinófilos, Proteina catiônica eosinofílica, Lupus Eritematoso Sistêmico


PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

O objetivo desse trabalho foi investigar o eosinófilo e a proteína catiônica eosinofílica (ECP) na urina de pacientes com Lupus Eritematoso Sistêmico (LES), com e sem nefrite lúpica, como possíveis marcadores de inflamação renal. Foram estudados 74 pacientes com LES  20 com evidencia clinica e laboratorial de nefrite lúpica (LN grupo) e 54 sem envolvimento renal (não-LN grupo) quanto à eosinofilúria e ECP urinária (uECP). A eosinofilúria foi observada através da coloração de Hansel e as concentrações de ECP urinária foram obtidas por fluoroenzimaimunoensaio e em seguida corrigidas pela creatinina urinária (uECP/uCr). As variáveis do estudo foram comparadas com a hematúria glomerular, relação proteína/creatinina urinária (uPr/uCr), creatinina sérica, clearance de creatinina estimado, anti-dsDNA, níveis dos complementos C3 e C4 séricos, relação IL-5 urinária/creatinina e com o Índice de atividade da doença LES (Mex-SLEDAI). A avaliação preditiva das eosinofilúria, uECP foi observada através da curva ROC e o nível de significância do estudo foi p valor <0,05. Os resultados mostraram que a eosinofilúria e as concentrações da uECP e uECP/uCr foram mais elevadas nos pacientes do LN grupo em relação ao não-LN grupo (p<0,001 para todos). Essas variáveis mostraram uma correlação estatisticamente significativa com a eritrocitúria, dismorfismo eritrocitário glomerular, cilindrúria, relação uPr/uCr, creatinina sérica, clearance de creatinina estimado, ant-dsDNA, relação IL-5 urinária/creatinina e com o Mex-SLEDAI (p<0,05). Os resultados da curva ROC mostraram uma melhor performance (área sob a curva-AUC) para a uECP/uCr, usando como variável de classificação a uPr/uCr (AUC=0,94) e o clearance de creatinina estimado (AUC=0,84), p<0,0001. Conclui-se que dentre as variáveis do estudo, a uECP/uCr pode servir como um novo marcador de inflamação renal em pacientes com LES. Estudos posteriores em pacientes com outras doenças renais serão de grande interesse.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - AMALIA CINTHIA MENESES DO REGO - UnP
Externo ao Programa - 2171406 - ELAINE LIRA MEDEIROS BEZERRA
Externo ao Programa - 2328810 - MAURICIO GALVAO PEREIRA
Externo à Instituição - MAX VICTOR CARIOCA FREITAS - UFC
Presidente - 350753 - VALERIA SORAYA DE FARIAS SALES
Notícia cadastrada em: 17/11/2011 16:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao