Banca de DEFESA: LUDMILA LUCENA PEREIRA CABRAL

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUDMILA LUCENA PEREIRA CABRAL
DATA : 01/12/2022
HORA: 09:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA
TÍTULO:

ASSOCIAÇÃO ENTRE VOLUME E INTENSIDADE DOS PASSOS DIÁRIOS COM INDICADORES DE SAÚDE CARDIOMETABÓLICA EM IDOSOS


PALAVRAS-CHAVES:

acelerômetro; atividade física; envelhecimento; rigidez vascular; obesidade; síndrome metabólica.


PÁGINAS: 129
RESUMO:

O objetivo desta tese foi investigar a associação entre volume e intensidade de passos diários com indicadores de saúde cardiometabólica em idosos residentes na comunidade. Foram desenvolvidos três estudos de corte transversal, incluindo idosos entre 60-80 anos, sem doença cardiovascular diagnosticada e limitação de mobilidade. No estudo 1 (n=222) foi investigada a associação com rigidez arterial, no estudo 2 (n=248) com um escore contínuo de risco cardiometabólico (eRCM) e no estudo 3 (n=252) com gordura total e abdominal. A quantidade de passos por dia (volume) e a cadência de pico de 30 minutos (intensidade) foi mensurada por acelerômetro durante uma semana. A rigidez arterial foi mensurada pela velocidade de onda de pulso aórtico (aVOP). O eRCM foi calculado considerando pressão arterial, circunferência da cintura, HDL-colesterol, triglicerídeos e glicemia de jejum. A gordura corporal total e abdominal foram mensuradas por absorciometria de raios-X de dupla energia. Os participantes foram categorizados de acordo com o volume de passos diários (inativo <5.000; pouco ativo 5.000–7.499; ativo 7.500–9.999; altamente ativo 10.000+) e cadência de pico de 30 minutos (muito baixa, <40; baixa, 40-59; média, 60–79; alta, 80–99; muito alta, 100+). Modelos lineares generalizados foram usados para análise de dados com ajuste para fatores de confusão. Os grupos ativo e muito ativo apresentaram menor aVOP (β = −0,34 m/s; β = −0,51 m/s; p < 0,05, respectivamente), eRCM (β = –0,29; β = –0,40; p < 0,05; respectivamente), gordura total (β= –2,2%; β= –4,3%; p ˂ 0,05, respectivamente) e abdominal (β= –3,6%; β= –5,4%; p ˂ 0,05, respectivamente) em comparação ao grupo inativo. Cada incremento de 1.000 passos por dia foi associado a uma redução de 0,05 m/s na aVOP (p ˂ 0,001), 0,06 no eRCM (p ˂ 0,001), 0,5% na gordura total (p ˂ 0,001) e 0,7% na gordura abdominal (p = 0,001). Cada incremento de 10 passos por minuto na cadência de pico foi associado a uma redução de 0,05 m/s na aVOP (p = 0,018), 0,07 no eRCM (p = 0,003), 0,8% na gordura total (p ˂ 0,001) e 1,0% gordura abdominal (p ˂ 0,001). Os grupos de cadência média, alta e muito alta apresentaram menor eRCM (β = –0,37; β = –0,42; β = –0,81; p < 0,05, respectivamente) e gordura total (β= –2,4%; β= –4,8%; β= –4,9%; p ˂ 0,05, respectivamente) em comparação ao grupo muito baixa. Os grupos de cadência de pico alta e muito alta apresentaram menor gordura abdominal (β= –5,5%; β= –5,4%; p ˂ 0,05; respectivamente) em relação ao grupo muito baixa. Em conclusão, idosos com maior volume e intensidade de passos diários apresentam melhores indicadores de saúde cardiometabólica. Um volume de 7.500+ passos diários e uma cadência pico de 80+ passos por minuto se associaram de forma consistente com menor aVOP, eRCM, gordura total e abdominal nessa população. Os resultados dessa tese podem ajudar a nortear recomendações sobre volume e intensidade de passos diários para melhorar a saúde cardiometabólica de idosos entre 60-80 anos sem limitação de mobilidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2682821 - EDUARDO CALDAS COSTA
Externo ao Programa - 1989744 - HASSAN MOHAMED ELSANGEDY - nullExterna à Instituição - MARILIA DE ALMEIDA CORREIA - UNINOVE
Externo à Instituição - RAPHAEL MENDES RITTI DIAS - UNINOVE
Interno - 350637 - RICARDO OLIVEIRA GUERRA
Notícia cadastrada em: 11/11/2022 17:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao