Banca de QUALIFICAÇÃO: ALEXANDRE MEDEIROS DE FIGUEIREDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALEXANDRE MEDEIROS DE FIGUEIREDO
DATA : 12/02/2021
HORA: 15:00
LOCAL: DEFESA REMOTA - A DEFINIR
TÍTULO:

POLITICAS DE EXPANSÃO DAS ESCOLAS MÉDICAS: ACESSO À EDUCAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE MÉDICOS


PALAVRAS-CHAVES:

Educação Médica, Recursos humanos, Escolha da Profissão, Política de Saúde, Disparidades em Assistência à Saúde


PÁGINAS: 10
RESUMO:

 

INTRODUÇÃO Muitos países empregam estratégias destinadas a reduzir má distribuição de profissionais de saúde e iniquidades. O objetivo deste estudo foi analisar o impacto das políticas de expansão das escolas médicas na redução das iniquidades no acesso a educação médica e na e na capacidade de atrair e reter médicos e expandir serviços de saúde.

MÉTODOS Realizamos uma análise descritiva para comparar a distribuição de vagas de graduação em 2007 e 2016 para determinar o impacto das políticas de expansão sobre as desigualdades no acesso à educação médica no Brasil. Um grupo de municípios com novas faculdades de medicina (n = 54) e um grupo controle sem faculdades de medicina (n = 408) foram comparados para analisar os impactos da expansão no setor saúde. Comparamos o aumento do número de médicos por 1000 habitantes e estabelecimentos de saúde por habitantes entre 2007 e 2016 com base nesses dois grupos. Analisamos também a relação entre a distância geográfica da capital do estado e a capacidade de atrair médicos.

RESULTADOS Houve diminuição das desigualdades regionais de vagas de graduação em medicina; o maior aumento nas localidades por 1000 habitantes esteve em municípios com populações compreendidas entre 50.000 e 100.000 habitantes. Municípios com novas escolas médicas apresentaram maior aumento na relação médicos por 1000 habitantes e na relação estabelecimentos de saúde por 10.000 habitantes, demonstrando potencial de atração reter médicos, além de fortalecer a infraestrutura de saúde. Municípios mais distante das capitais mostrou maior aumento na relação médico por habitante.

DISCUSSÃO Países com escassez de força de trabalho em saúde e desigualdades em sua distribuição devem considerar financiamento público e políticas de regulação para a expansão de escolas médicas como estratégia para atrair e reter profissionais. Primeiros resultados no Brasil mostraram que tais estratégias poderiam fortalecer as redes de atendimento em áreas carentes, apoiando a implementação da Cobertura Universal de Saúde.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1348383 - GEORGE DANTAS DE AZEVEDO
Externa ao Programa - 2626690 - JANETE LIMA DE CASTRO
Externo ao Programa - 1576805 - THIAGO GOMES DA TRINDADE
Notícia cadastrada em: 03/02/2021 16:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao