Banca de DEFESA: KARINA GOMES TORRES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KARINA GOMES TORRES
DATA : 06/07/2020
HORA: 09:30
LOCAL: a definir
TÍTULO:

EFEITO A LONGO TERMO DO PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR SOBRE O ESTADO NUTRICIONAL ANTROPOMÉTRICO DE TRABALHADORES DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO


PALAVRAS-CHAVES:

Políticas públicas; Estado nutricional; Estudos de coorte; Antropometria; Circunferência da cintura.


PÁGINAS: 62
RESUMO:

O Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), implementado há mais 40 anos no Brasil, consiste em uma política pública de assistência alimentar e nutricional aos trabalhadores de baixa renda, que tem como finalidade melhorar o estado nutricional da sua clientela por meio da oferta de refeições nos ambientes de trabalho. Porém, vários estudos com desenho transversal relataram maior prevalência de sobrepeso e obesidade em grupos populacionais assistidos pelo PAT. O objetivo deste estudo foi avaliar por meio de um estudo longitudinal a variação a longo prazo dos indicadores antropométricos do estado nutricional e do consumo dietético entre trabalhadores de indústrias de transformação vinculadas e não vinculadas ao PAT. Foi realizado um longitudinal, prospectivo, em uma coorte fechada selecionada por amostragem combinada, estratificada proporcional e em multiestágios, avaliada em duas ondas com um intervalo de 4 anos, em 2014 e 2018. As variações no Índice de Massa Corpórea (IMC), perímetro da cintura (PC) e consumo dietético avaliado por recordatório de 24 horas foram comparadas entre os grupos com análise de covariância. Um total 273 trabalhadores em 16 indústrias, de uma coorte inicial de 1069 trabalhadores de 26 indústrias do Estado do Rio Grande do Norte, foram avaliados nas duas ondas. A idade média foi de 37 ± 10 anos e 53,1% eram do sexo masculino, sem diferenças entre os grupos quanto à idade e distribuição por sexo. O IMC aumentou nos dois grupos a longo prazo (0,44 kg/m² no grupo não PAT, p = 0,003 e 0,56 kg/m² no grupo PAT, p = 0,0006) e o PC aumentou no grupo PAT (1,50 cm, p = 0,0006). A mudança no IMC ao longo do tempo não mostrou diferenças estatísticas entre os grupos (p = 0,54), mas a PC teve um aumento maior no grupo PAT (diferença 1,37 cm, p = 0,047). Não houve diferenças estatísticas entre os grupos na variação a longo termo do consumo dietético. Os resultados obtidos demonstram haver ganho de peso com aumento estatisticamente significante do IMC e do PC nos dois grupos, sendo o aumento do PC maior no grupo PAT quando comparado ao grupo não PAT, o que suporta a hipótese de causalidade entre a participação dos trabalhadores no PAT e o aumento da PC e, possivelmente, do IMC. Esses achados sugerem a necessidade de um monitoramento periódico dos indicadores nutricionais nesses trabalhadores. Reconhece-se a relevância do PAT para essa parcela da sociedade e entende-se que os resultados do presente estudo podem servir de base para a formulação e implementação de estratégias para a promoção da saúde dos trabalhadores por meio da oferta de uma alimentação saudável e adequada às demandas energético-nutricionais dessa população, além do desenvolvimento de outras ações de saúde, com repercussões positivas para a produtividade e o bem estar geral da clientela atendida pelo Programa.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ANA CLAUDIA CAVALCANTI PEIXOTO DE VASCONCELOS - UFPB
Presidente - 1048067 - ANTONIO MANUEL GOUVEIA DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2842635 - FABIO RESENDE DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 25/06/2020 22:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao