Banca de DEFESA: DIANA LUZIA ZUZA ALVES SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DIANA LUZIA ZUZA ALVES SILVA
DATA : 31/03/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Sala do CONSEC (2º andar do CCS)
TÍTULO:

IDENTIFICAÇÃO MOLECULAR, GENOTIPAGEM E EXPRESSÃO GÊNICA DE ISOLADOS AMBIENTAIS E CLÍNICOS DE CANDIDA TROPICALIS, COM ÊNFASE EM FATORES DE VIRULÊNCIA E ESTRESSE CELULAR


PALAVRAS-CHAVES:

Candida tropicalis, estresse osmótico, genotipagem, expressão gênica, virulência


PÁGINAS: 31
RESUMO:

Candida tropicalis é uma das principais espécies de Candida, sendo considerada a segunda mais virulenta do gênero. Dentre os fatores de virulência relacionados à essa espécie destaca-se forte produção de biofilme, adesão a células epiteliais bucais humanas, secreção de enzimas líticas, morfogênese e phenotipic switching. Além de todas essas características, C. tropicalis é descrita como um microrganismo osmotolerante e essa capacidade de sobreviver a altas concentrações de sal pode ser importante para a persistência de fungos em ambientes salinos. Essa levedura está intimamente relacionada a C. albicans, e é descrita como o segundo ou terceiro agente etiológico mais comum de candidemia, principalmente na América Latina e na Ásia. Tal fato, aliado à resistência antifúngica crescentemente reportada, demonstra a necessidade de melhor compreensão dos padrões de variabilidade genética desta importante espécie de Candida nos trópicos. Por isso, fizemos uma atualização de C. tropicalis, com foco em todos os assuntos mencionados, bem como avaliamos a variabilidade genotípica e fenotípica de 62 isolados de C. tropicalis obtidos de ambiente costeiro do Nordeste do Brasil, utilizando microssatélite e MALDI-TOF / MS. Houve uma correspondência relativamente baixa entre essas duas técnicas de tipagem, portanto, são necessários mais estudos para consolidar o uso de MALDI-TOF / MS como ferramenta de tipagem de leveduras. No entanto, os dois métodos empregados demonstraram heterogeneidade de C. tropicalis no ambiente costeiro. Também encontramos relativa manutenção da estrutura populacional em uma mesma estação climática, o que pode reforçar a ideia de que essa espécie apresenta potencial de permanecer no ambiente por um longo período de tempo. Além disso, cepas altamente relacionadas foram encontradas em diferentes pontos geográficos de coleta, demonstrando que essa espécie pode se dispersar por longas distâncias, provavelmente influenciada por ações antropogênicas e impulsionada pelas marés e pelo vento.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 346138 - ALDO DA CUNHA MEDEIROS
Interna - 1199080 - ANA KATHERINE DA SILVEIRA GONCALVES DE OLIVEIRA
Presidente - 1715308 - GUILHERME MARANHAO CHAVES
Externa à Instituição - RAQUEL DE MELO BARBOSA - F.M.Nassau
Externo à Instituição - REGINALDO GONÇALVES DE LIMA NETO - UFPE
Notícia cadastrada em: 19/03/2020 13:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao