Banca de QUALIFICAÇÃO: CLAUDIA NUNES OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CLAUDIA NUNES OLIVEIRA
DATA : 28/05/2019
HORA: 09:00
LOCAL: sala do departamento de Cirurgia Experimental
TÍTULO:

Influência do íleo e do cólon na regeneração do fígado. Estudo comparativo


PALAVRAS-CHAVES:
Fígado; Regeneração; Ileum; Colectomia; Hepatectomia; Ratos

PÁGINAS: 18
RESUMO:
Abstrato ALVO O objetivo deste estudo foi investigar e comparar os efeitos da ressecção do íleo e do cólon na regeneração hepática. MÉTODOS Ratos Wistar (Rattus norvegicus) pesando 261 ± 34g foram alocados aleatoriamente em quatro grupos de seis animais cada. No grupo I (sham), apenas a laparotomia foi realizada; no grupo II, hepatectomia a 70%; no grupo III, hepatectomia a 70% + ressecção ileal; e no grupo IV, hepatectomia a 70% + colectomia parcial. No sexto dia de pós-operatório, o sangue foi coletado por punção cardíaca, seguido de eutanásia. Doses séricas de aspartato aminotransferase (AST), alanina aminotransferase (ALT), albumina, fosfatase alcalina (AF), fator de crescimento de hepatócitos (HGF) e fator de crescimento transformador alfa (TGF-α) foram medidas. A taxa de regeneração hepática foi estimada pelo peso do fígado por 100 g de peso corporal na eutanásia / peso de fígado pré-operatório projetado por 100 g de peso corporal × 100. As amostras de fígado foram submetidas à reação imunohistoquímica de Ki-67. RESULTADOS Os níveis de ALT, AST e AF foram significativamente maiores nos ratos do grupo III quando comparados aos grupos I, III e IV (p <0,001). No grupo IV, os níveis foram significativamente menores que nos grupos II e III (p <0,001). A albuminemia apresentou níveis significativamente menores nos ratos do grupo III quando comparados aos grupos I, II e IV. (p <0,001). Não houve diferença na albuminemia entre os grupos I (sham) e IV (70% hepatectomia + colectomia) (p> 0,05). Os níveis de HGF e TGF-α nos ratos do grupo IV foram significativamente maiores do que nos grupos I, II e III (p <0,001). Animais do grupo IV exibiram maior taxa de regeneração hepática do que nos grupos II e III, mas a diferença não foi significativa (p> 0,05). A expressão de células do fígado de Ki-67 foi significativamente maior no fígado remanescente de ratos do grupo IV do que no grupo III (p = 0,002). Não houve diferença na expressão do Ki-67 entre os ratos do grupo II e IV (p> 0,05). CONCLUSÃO A ressecção do íleo e do cólon tem diferentes efeitos na regeneração hepática. A ressecção do cólon influencia positivamente a regeneração hepática, enquanto a ressecção do íleo influencia negativamente o processo regenerativo, em modelo de rato.

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 346138 - ALDO DA CUNHA MEDEIROS
Interna - 1199080 - ANA KATHERINE DA SILVEIRA GONCALVES DE OLIVEIRA
Externa ao Programa - 6349819 - REJANE ANDRADE DE CARVALHO
Notícia cadastrada em: 28/05/2019 08:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao