Banca de DEFESA: SANDRA MARIA DA SOLIDADE GOMES SIMOES DE OLIVEIRA TORRES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SANDRA MARIA DA SOLIDADE GOMES SIMOES DE OLIVEIRA TORRES
DATA : 30/09/2017
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA, UFRN
TÍTULO:

ASSOCIAÇÃO DOS ASPECTOS SOCIODEMOGRÁFICOS, CLÍNICOS E ASSISTENCIAIS NA QUALIDADE DE VIDA DAS PESSOAS COM ÚLCERA VENOSA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA


PALAVRAS-CHAVES:

úlcera varicosa; envelhecimento; saúde do idoso; perfil de saúde; enfermagem. Atenção primária à saúde, Qualidade de vida.


PÁGINAS: 115
RESUMO:

Objetivo: Analisar a associação dos aspectos sociodemográficos, clínicos e assistenciais na qualidade de vida das pessoas com úlcera venosa (UV) na atenção primária. Método: Estudo analítico e transversal conduzido na atenção primária à saúde com 101 pessoas com UV. Os dados foram coletados por formulário estruturado de medidas sociodemográficas e biofisiológicas e o Medical Outcomes Short-Form Health Survey (SF-36).  Aplicados os testes Qui-quadrado, Friedman, U de Mann-Whitney e Regressão Logística Binária. Obteve aprovação por Comitê de Ética em Pesquisa (CAAE nº 07556312.0.0000.5537). Resultados: A população estudada era composta em sua maioria por mulheres, idosos, casados ou com união estável, com baixa renda e nível de escolaridade,. Entre os idosos, predominaram mulheres (p=0,011), com companheiro(a) (p=0,025), escolaridade até ensino fundamental (p=0,016), sem profissão (p<0,001), não etilistas (p=0,029), com diabetes mellitus (p=0,002) e hipertensão arterial sistêmica (p=0,001). Quanto aos aspectos de saúde e assistenciais, houve tendência de piores resultados entre os idosos, com predomínio de indivíduos com assistência inadequada. As variáveis faixa etária, sono, intensidade e presença da dor, tempo de lesão, orientação de exercícios regulares, orientações para terapia compressiva, tempo de tratamento e referência e contrareferência colaboraram para pior QV, juntas, as variáveis sono, presença e intensidade da dor e orientação para exercícios físicos explicam pior qualidade de vida. Conclusão: os pesquisados em sua maioria eram idosas, sem ocupação, com companheiro, baixa renda, comorbidades, tempo de lesão superior a um ano, recidivas e dor presente. Evidenciou-se necessidade de cuidado integral às pessoas com úlcera venosa, em especial aos idosos. Os aspectos sociodemográficos, clínicos e assistenciais, isolados e em conjunto, estiveram associados a pior qualidade de vida, em especial, sono, dor, orientação de exercícios e referência e contrarreferência nos idosos, que devem ser reconsiderados na assistência integral e multidisciplinar.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CRISTINA KATYA TORRES TEIXEIRA MENDES - UFPB
Presidente - 347027 - EULALIA MARIA CHAVES MAIA
Externo ao Programa - 396864 - FRANCISCO ARNOLDO NUNES DE MIRANDA
Externo à Instituição - ROBERTA AZOUBEL - UESB
Externo ao Programa - 2374850 - THAIZA TEIXEIRA XAVIER NOBRE
Notícia cadastrada em: 28/09/2016 07:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao