Banca de DEFESA: MAIRA MORAES CARDOSO LEAL

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MAIRA MORAES CARDOSO LEAL
DATA : 07/12/2022
HORA: 08:30
LOCAL: via google meets
TÍTULO:

Ressemantização e Edição. A Reescrita do Passagen-Werk de Walter Benjamin na tradução brasileira Passagens 


PALAVRAS-CHAVES:

 

Passagens; Benjamin; Transferência Cultural; Tradução; Editoração.


PÁGINAS: 150
RESUMO:

Ressemantização e Edição. A Reescrita do Passagen-Werk de Walter Benjamin na tradução brasileira Passagens tem como objeto de estudo a tradução brasileira da obra Das Passagen-Werk de Walter Benjamin (1892-1940), intitulada Passagens, organizada pelo germanista Willi Bolle e publicada em 2006. O foco do interesse é a análise da relação texto-contexto no aparato tradutório/editorial da tradução e como essas escolhas vão ressemantizar a obra no novo contexto cultural abrindo espaço para novas leituras dessa obra inacabada de Benjamin. A base da tradução brasileira é a edição histórico-crítica do conjunto de textos e dos fragmentos benjaminianos, realizada por Rolf Tiedemann em 1982. A descoberta de novos manuscritos por Giorgio Agamben em 1981, levantaram questões sobre a edição de Tiedemann já desde os meados dos anos 1980. A partir dos questionamentos levantados por ESPAGNE e WERNER (1984,1987,1989) a ressemantização do artefato traduzido se torna uma forma de reescrita da edição do texto-fonte em uma nova edição no texto-alvo (LEFEVERE, 2007). Para mostrar esse diálogo entre ressemantização e edição analisamos os textos e paratextos (GENETTE, 2012) porque em Passagens esses últimos têm a função de reescrita do texto benjaminiano no novo contexto cultural. Utilizamos parcialmente o modelo de tradução descritiva de TOURY(2012), a sistematização de Itens Culturais Específicos de AIXELÁ (2003),  além de levar em conta a visibilidade e invisibilidade do tradutor de VENUTI (2019) e o discurso sobre a edição histórico-crítica de NUTT-KOFOTH (2016), para analisar texto e paratextos da tradução brasileira a partir do víeis do conceito de transferências culturais (ESPAGNE 2012; 2017). Interessam especificamente os processos de ressemantização e metamorfose. Apesar do vínculo evidente entre o Passagen-Werk, obra de saída, e Passagens, obra de chegada, a tradução se distancia dessa ao omitir a uma parte significativa do aparelho editorial e acréscimo de novos paratextos, criando Passagens como um novo original que permite uma leitura diferente desses fragmentos. Entretanto, essa edição impressa também promove um paradoxo na Transferência Cultural (JORGENSEN, LÜSEBRINK, 2021): Passagens oferece duas posições contraditórias da concepção do livro na mesma edição. Por um lado, a edição brasileira tratados fragmentos de Notas e Materiais benjaminianos já como um grande arquivo de fragmentos (BOLLE, 2017). Por outro lado, essa concepção benjaminiana de leitura aberta sugere uma nova forma de ler os fragmentos para a qual o formato livro não é mais um veículo suficiente (BENJAMIN, 2012) e na qual outros métodos de produção do conhecimento como o Zettelkasten [Caixa de anotações], de Niklas Luhmann (1981), devem ser introduzidos. Diante dessa complexidade textual e paratextual benjaminiana oferecemos com a nossa pesquisa também uma nova maneira de leitura aberta da tradução brasileira, levando em consideração o mundo de edições acadêmicas hibridas totalmente transformado pela revolução digital (KRAFT, 2021). É ela abre que abre novos caminhos para a edição e ressemantização de Passagens no meio digital. Por isso, o anexo da presente pesquisa oferece também um modelo inicial de possível editoração e tradução cultural no sentido mais amplo possível, podendo provocar uma maneira de criar um maior engajamento dos leitores contemporâneos de língua portuguesa dessa obra e possivelmente abrir também novas passagens para o uso de Benjamin no contexto brasileiro de sala de aula.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1423480 - WIEBKE ROBEN DE ALENCAR XAVIER
Interna - 3351552 - ROSANNE BEZERRA DE ARAUJO
Externo ao Programa - 1299003 - DERIVALDO DOS SANTOS - UFRNExterno à Instituição - MARLENE HOLZHAUSEN - UFBA
Externo à Instituição - TITO LÍVIO CRUZ ROMÃO - UFC
Notícia cadastrada em: 28/11/2022 12:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao