Banca de DEFESA: JESSICA MARTINS BEZERRA FELIPE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JESSICA MARTINS BEZERRA FELIPE
DATA : 26/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO:

LITERATURA INDÍGENA E RECEPÇÃO: UMA INTERVENÇÃO A PARTIR DO RECONTO DE MITOS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE EXTREMOZ-RN


PALAVRAS-CHAVES:

Literatura indígena. Contação de histórias. Recepção. Ensino de literatura.


PÁGINAS: 125
RESUMO:

A pesquisa objetiva investigar como se deu a recepção da obra As serpentes que roubaram a noite e outros mitos (2011), do escritor indígena Daniel Munduruku, por um grupo de três sujeitos participantes, adolescentes entre 14 e 16 anos, alunos de uma turma de oitavo ano de uma escola pública em Extremoz-RN. A pesquisa-ação de caráter qualitativo teve como etapas o reconto dos mitos lidos e a posterior discussão da obra com os sujeitos numa roda de conversa. A dissertação se baseia principalmente na Lei 11.645/2008 da obrigatoriedade do ensino de história e cultura africana, afro-brasileira e indígena e na Base Nacional Comum Curricular- BNCC (2018), que orienta o desenvolvimento da habilidade de contar e recontar histórias no Ensino Fundamental II. Tivemos como aporte teórico os estudos de pesquisadores da contação de histórias como Cléo Busatto (2006), Eliana Yunes (2012) e Élie Bajárd (2016), o último com o conceito de reconto, que é central à pesquisa e diz respeito a uma metodologia que aponta para a tradição oral e para a reconstrução do texto. Quanto à reflexão sobre a literatura indígena, partimos das pesquisas das autoras Janice Thiél (2012, 2013, 2016) e Maria Inês de Almeida e Sônia Queiroz (2004). A concepção de mito e as mitologias indígenas são abordadas a partir das contribuições do antropólogo Cláude Levi-Strauss (1978) e dos mitólogos Mircea Eliade (1972), Joseph Campbell (1990) e dos pensadores indígenas como Daniel Munduruku (2008, 2015, 2017, 2018, 2019) e Ailton Krenak (2019). Na análise dos recontos, interpretamos os dados a partir da Teoria da Estética da Recepção de Hans Robert Jauss (1994) e Bordini e Aguiar (1993) e obtivemos os seguintes resultados: os sujeitos deram aos mitos sentidos que foram influenciados por seus saberes prévios quanto às culturas indígenas, seus horizontes de expectativas e a distância estética entre os leitores e a obra, provocando estranhamento a alguns aspectos culturais, assim como o não reconhecimento da espiritualidade dos seres sobrenaturais. A roda de conversa, por sua vez, possibilitou aos leitores expressarem suas opiniões e inquietações e construírem conhecimentos acerca dos mitos através da mediação da pesquisadora.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1515458 - MARTA APARECIDA GARCIA GONCALVES
Interno - 1299003 - DERIVALDO DOS SANTOS
Externa à Instituição - RINAH DE ARAÚJO SOUTO - UFPB
Notícia cadastrada em: 10/02/2021 16:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao