Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA CLAUDIANE SILVA DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA CLAUDIANE SILVA DE SOUZA
DATA : 15/08/2017
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO A
TÍTULO:

OS MODOS DE REPRESENTAÇÃO DE LEITURA DO DISCURSO OUTRO NA ESCRITA ACADÊMICA


PALAVRAS-CHAVES:

universidade; escrita acadêmica; representação do discurso outro; heterogeneidade enunciativa.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

Esta pesquisa aborda a temática da escrita acadêmica, busca analisar a representação dada às leituras teóricas dos conceitos de Mikhail Bakhtin utilizados por pesquisadores em formação, em dissertações de mestrado. Propomos as seguintes perguntas: a) quais são os conceitos teóricos mais recorrentes nas dissertações analisadas? b) de qual maneira encontram-se, linguisticamente, representados os conceitos teóricos na escrita de pesquisadores em formação? c) como são construídas as representações discursivas de leituras em relação ao dizer da teoria na prática de escrita em determinadas comunidades leitoras, a saber, a universidade? d) como se dá a recepção dessas teorias nas comunidades analisadas? Temos como objetivo geral analisar a relação entre as maneiras partilhadas de ler e as posições enunciativas assumidas por pesquisadores em formação frente ao dizer de uma teoria.  E objetivos específicos a) levantar o modo como, o dizer da teoria encontra-se linguisticamente representado na escrita dos pesquisadores em formação;  b) identificar por meio de marcas linguísticas, que figuras de respostas metaenunciativas em referência ao discurso da teoria, emergem na escrita; c) examinar pelo modo de dizer, o posicionamento de leitor assumido pelo pesquisador frente aos teóricos mobilizados; e) descrever o modo como as comunidades leitoras, no contexto da universidade, fazem uso de conceitos teóricos mobilizados na escrita das dissertações. Nosso corpus é composto por dez dissertações do Curso de Letras, de uma universidade pública e uma universidade privada de ensino, produzidas no período compreendido entre os anos de 2000 a 2015. Como fundamentação, tomamos as reflexões de Santos (1997; 2008) e Chauí (2001; 2014) que pontuam sobre os diversos desafios e crises vivenciadas pela universidade contemporânea, em decorrência das políticas de transformações estruturais e culturais impostas pelo mundo globalizado aos novos modelos de formação acadêmica e de produção de pesquisas. Os estudos sobre a heterogeneidade enunciativa,  a metaenunciação e representação do discurso outro propostos por Authier-Revuz (1998, 2004) e a representação cultural defendida por Chartier (1998, 2010, 2002, 2003). As análises preliminares apontam que, na escrita da fundamentação teórica das pesquisas analisadas, a forma de representação em referência ao discurso outro constitui-se pela predominância de citações em discurso relatado, no qual o dizer do outro está discursivamente representado pela voz de comentadores do teórico fonte e as representações de leitura se dão, basicamente, pela retomada do teórico fonte.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 349685 - MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
Interno - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Externo à Instituição - MARIANA APARECIDA DE OLIVEIRA RIBEIRO - UFMA
Notícia cadastrada em: 25/07/2017 09:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa19-producao.info.ufrn.br.sigaa19-producao