Banca de DEFESA: DEZWITH ALVES DE BARROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DEZWITH ALVES DE BARROS
DATA: 29/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: CCHLA
TÍTULO:

A identidade (con)fundida: relação entre sujeito e sociedade no romance Lorde, de João Gilberto Noll


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chaveConstituição da Subjetividade. João Gilberto Noll. Literatura e Sociedade.


PÁGINAS: 86
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Brasileira
RESUMO:
A obra de João Gilberto Noll é caracterizada por traços recorrentes bastante singulares. De um lado, as quebras com determinados padrões usuais a formulações retórico-discursivas (pessoa, gênero, número, tempo, modo, grau etc., afora a peculiaridade dos enredos); de outro, o fato de seus personagens-protagonistas não possuírem pontos de fixação ou de referência minimamente precisos (nome, profissão, descrição física, laços familiares e afetivos, residência fixa etc.). Em conjunto, estes fatores geram enorme ambiguidade, a ponto de, não raro, um personagem não só se confundir com outro, mas, literalmente, fundir-se com o outro. Diante destas características, esta pesquisa se apresenta como um estudo dos procedimentos por meio dos quais essa confusão identitária se instaura e se dissemina no romance Lorde (2004), de João Gilberto Noll, analisando seus efeitos sobre a articulação de seu personagem-protagonista. Junto a esta análise, os resultados obtidos são discutidos levando em conta sua possível motivação social, concebendo-a como um processo imanente à composição do texto. Para tanto, a discussão será fomentada teoricamente, principalmente, a partir de conceitos oriundos do que se denominaria aqui como a filosofia da não-identidade – conforme postulada por Theodor Adorno (1982); (1985); (2008); (2009) e desenvolvida por seus interlocutores contemporâneos. Para auxiliar no entendimento da relação entre obra literária e sociedade, são considerados os trabalhos de Antonio Candido (1980) e de Theodor Adorno (2003). Além disso, para melhor compreender os processos repressores da sexualidade sofridos pelo personagem do romance analisado, também são utilizados conceitos oriundos da psicanálise de Sigmund Freud (2010a); (2010b); (2010c). Assim sendo, a escolha de Lorde como objeto de análise deste trabalho justifica-se na medida em que os traços típicos à escrita de Noll, que resvalam em invariável e inevitável confusão identitária, são como que radicalizados no referido romance.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1513790 - ANDREY PEREIRA DE OLIVEIRA
Interno - 1299003 - DERIVALDO DOS SANTOS
Externo à Instituição - MANOEL FREIRE RODRIGUES - UERN
Notícia cadastrada em: 15/02/2016 11:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao