Banca de DEFESA: ERICA POLIANA NUNES DE SOUZA CUNHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ERICA POLIANA NUNES DE SOUZA CUNHA
DATA: 25/02/2016
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO D DO CCHLA
TÍTULO:

PARA TORNAR-SE AUTOR:  PROPOSTAS DE ESCRITA DOS LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO MÉDIO

 


PALAVRAS-CHAVES:

Livro didático. Língua Portuguesa. Produção de texto. Autoria. 


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada
RESUMO:

A ideia já foi inventada. A história já foi contada. As palavras já foram ditas. Na contemporaneidade, tudo, aparentemente, sobre tudo já foi dito, pois nenhum discurso é adâmico. Na era do copiar e colar e em que se tem mais, asseveradamente, embates acerca da ética do não plagiar, discutir o que é produzir enunciados autorais faz-se primordial. Essas inquietações, nesta pesquisa, são levadas para o cronotopo da sala de aula, precisamente para os livros didáticos de Língua Portuguesa, que são vistos como orientadores dos conteúdos e da prática de ensino de Língua Materna (ANTUNES, 2003; BUZEN, 2005; CORACINI, 1999). Diante disso, essa pesquisa visa a analisar como se dá as propostas de escrita do livro didático, a fim de observar a criação de situações/enunciações propícias para a construção de um dizer autoral. Foram selecionadas, para tanto, duas coleções de livros didáticos destinadas aos alunos da 1ª série do Ensino Médio. Os livros adotados estão entre os mais solicitados nacionalmente e receberam críticas positivas do Programa do Livro Didático (Edital 2012). Para atingir tal objetivo, o estudo realizado baseia-se numa perspectiva qualitativo-interpretativista e de orientação metológica advinda da Linguística Aplicada; a base teórico-metodológica da Análise Dialógica dos Discursos (GERALDI, 2012; FARACO, 2009). A perspectiva teórica advém dos postulados do Círculo de Bakhtin no que concerne às concepções de linguagem dialógica, de enunciado concreto e de autoria. Os dados totais construídos se configuram em duas categorias. A primeira com propostas de produção textual que prezam por uma autoria em perspectiva dialógica, as quais buscam criar situações de escrita que atendem a uma necessidade discursiva, são direcionadas e apontam os aspectos de composição do gênero. A segunda, com propostas em que se encena uma autoria em perspectiva monológica, quando não se especifica o gênero textual ou quando não constroem uma enunciação em que o discente não exercita uma relação volitivo-emocional com tal situação. De modo genérico, as duas coleções apresentam zelo em relação a simular situações de escrita reais, que podem propiciar, assim, a produção, pelos discentes, de enunciados concretos, que valorizam a reescrita e o excedente de visão para o acabamento dos enunciados produzidos. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Interno - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Externo à Instituição - MARIA DO SOCORRO MAIA FERNANDES BARBOSA - UERN
Notícia cadastrada em: 04/02/2016 08:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao