Banca de QUALIFICAÇÃO: JANIMA BERNARDES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JANIMA BERNARDES
DATA: 10/12/2015
HORA: 14:00
LOCAL: sala D2, setor II
TÍTULO:

NEGOCIAÇÃO DE VOZES NO (DES) ENVOLVIMENTO DA ESCRITA EM DISSERTAÇÃO DE MESTRADO


PALAVRAS-CHAVES:

Dissertação; Negociação de vozes; (des) envolvimento da escrita acadêmica; efeitos de sentido.


PÁGINAS: 154
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Teoria e Análise Lingüística
RESUMO:

A presente tese investiga a negociação de vozes no (des) envolvimento da escrita em dissertação de mestrado da área de Letras. Privilegia uma abordagem linguística enunciativo-discursiva da linguagem, que toma a enunciação como uma dimensão constitutiva do discurso. São levantadas marcas, especialmente, formas linguísticas e discursivas para verificar quais estratégias são mobilizadas pelos alunos na negociação com a palavra alheia no campo científico. Priorizamos dois blocos: a) modos como os alunos mobilizam o referencial teórico, no capítulo de fundamentação teórica da pesquisa na negociação com os outros discursos em seu dizer; b) modos como interpretam os dados colhidos, frente à teoria, no capítulo de análise dos dados. Esses dois blocos nos possibilitam depreender efeitos de sentido suscitados na escrita dos alunos (enunciadores) a partir das formas de negociação com os outros discursos. Esse trabalho pode se configurar a partir da reprodução imitativa de ideias de autores, ou mesmo, de (re) construção das ideias dos autores, o que reflete a subjetividade. O foco específico consiste em i) descrever as formas linguísticas e discursivas que demonstram no percurso de escrita dos alunos nos modos de dizer, como se dá a relação com as teorias que embasam a pesquisa; ii) identificar as estratégias linguísticas que evidenciam a negociação dialógica dos alunos com os outros discursos e com suas próprias palavras na escrita da dissertação, iii) interpretar a função e os efeitos de sentido advindos do modo como os outros discursos são mobilizados e trazidos pelos alunos na escrita da pesquisa por meio de negociação de vozes. A tese foi, portanto, norteada pela seguinte pergunta de pesquisa: Em que medida, ao mobilizar os outros discursos em seu dizer, os alunos revelam como interpretou conceitos teóricos possibilitando certos efeitos de sentido e não outros, em sua escrita, a fim de selecioná-los e tensioná-los frente à teoria? Temos como hipótese, ultrapassar o limite restrito das formas linguísticas para abordar os efeitos de sentido que se instituem no movimento de escrita dos alunos na negociação com os outros discursos e com suas próprias palavras, na escrita de dissertação de mestrado, em busca de aceitabilidade científica. O quadro teórico principal é a Linguística da Enunciação nos pressupostos teóricos de Authier-Revuz (1990; 1998; 2004); no que se refere à heterogeneidade enunciativa e em seus exteriores teóricos, tem-se (o conceito de dialogismo proposto por Bakhtin, o sujeito clivado pelo inconsciente, construído pela psicanálise lacaniana; o interdiscurso, conceito proposto por Pêcheux). O corpus constitui-se de 20 dissertações de mestrado defendidas em Programas de Pós-Graduação em Letras, disponíveis no do Portal de Domínio Público – CAPES. Para escolha, estabelecemos os seguintes critérios: selecionar as dissertações defendidas em programa de Pós-Graduação em Letras, em Universidades Federais brasileiras, de 2006 a 2014, distribuídas em todas as regiões brasileiras, em diferentes instituições e áreas de concentração. A metodologia utilizada segue os procedimentos da pesquisa qualitativa e de caráter descritivo e interpretativo. Os resultados preliminares da análise evidenciam as funções e os efeitos de sentido das formas linguísticas e discursivas manifestadas no modo (des) envolvimento do aluno em dissertação de mestrado, uma escrita que se configura mais como circulação de textos na universidade do que uma pesquisa, em detrimento de produção de conhecimento, uma vez que, na seção de fundamentação teórica produzida por alunos, constatamos na retomada do texto fonte, que muitas vezes não perpassa o que já foi dito, ou seja, por meio de estratégias de reprodução imitativa e paráfrase, os alunos fazem alteração e substituição de palavras, com o intuito de diferenciar sua escrita do texto fonte, alguns casos de interpretação equivocada da teoria na reformulação construída, supressão de ideias, estratégias de escrita que evidenciam repetição de um já dito; além disso, pelas formas linguísticas que articulam o discurso, nos modos de referir à palavra alheia na seção análise dos dados, que também vai de encontro à validade da teoria abordada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Interno - 349685 - MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
Externo à Instituição - EMERSON DE PIETRI - USP
Externo à Instituição - THOMAS MASSUO FAIRCHILD - UFPA
Notícia cadastrada em: 26/11/2015 15:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao