Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFRN

2016
Dissertações
1
  • MARIA APARECIDA DA COSTA
  • Um Estudo das Práticas de Letramento de Técnicos e Agentes de Pesquisa na PNAD/IBGE

  • Orientador : ANA MARIA DE OLIVEIRA PAZ
  • Data: 29/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • Em Linguística Aplicada (LA), as investigações sobre o uso da linguagem em contextos institucionais, diferentes das do domínio pedagógico, começaram a se delinear, sobretudo nas pesquisas de base etnográfica, em meados dos anos 1990. Segundo Moita Lopes (1998; 2011), constituem exemplos de tais pesquisas aquelas ambientadas em contextos profissionais como o jurídico, o da enfermagem hospitalar e o da segurança pública, assinalando o interesse acadêmico pelo modo como as pessoas agem discursivamente ao se utilizarem da leitura e da escrita em situações de trabalho. Tendo por pano de fundo o campo da LA, na acepção ora elucidada, e sua interface com os estudos de Letramento, a presente investigação se constitui de uma pesquisa descritiva, com abordagem de dados qualitativa e traços de vertente etnográfica (MOREIRA; CALEFFE, 2006; BOGDAN; BIKLEN, 2006; CANÇADO, 1994). Seu objetivo consiste em descrever as práticas de letramento em atividades censitárias desenvolvidas por Técnicos e Agentes de Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na realização da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Especificamente, busca conhecer e caracterizar as rotinas letradas atinentes ao contexto de trabalho dos referidos servidores, no sentido de contribuir para a ampliação do foco das pesquisas sobre o Letramento nesse locus em particular e, consequentemente, favorecer uma melhor compreensão de suas ocorrências linguageiras como meio de legitimação do discurso institucional inerente ao domínio censitário. Em termos de abordagem teórica, a pesquisa se baseia nos postulados dos Estudos de Letramento (STREET, 2014 [1995], 1993, 1984; HAMILTON, 2000; KLEIMAN, 1995; ROJO, 2009; OLIVEIRA, 2008; 2010) com ênfase no Letramento Laboral (PAZ, 2008), sob o viés do Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART, 1999; 2006; 2008; MACHADO, 2005; GUIMARÃES et al., 2007). A partir das categorizações propostas por Hamilton (2000) acerca dos elementos visíveis e não visíveis nos eventos e práticas letradas, as descrições empreendidas têm apontado para a relevância do processo instrucional oferecido pelo IBGE aos seus servidores e também para as recorrentes ações linguageiras orientadas para o convencer, constitutivo ao fazer profissional desses participantes. Essas estratégias discursivas se fazem notar, sobretudo, no trabalho dos Agentes de Pesquisa, cujo grupo está diretamente vinculado ao contexto de vida dos informantes quando das circunstâncias de coleta nos domicílios, figurando, portanto, como porta-vozes institucionais da esfera pesquisada frente à conjuntura social.

     

2
  • FRANCISCO GEONILSON CUNHA FONSECA

  • THE ARGUMENTATIVE OPERATORS AS LINGUISTIC AND DISCURSIVE STRATEGY OF THE ARGUMENT IN THE JUDICIAL SENTENCE


  • Orientador : JOAO GOMES DA SILVA NETO
  • Data: 02/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • In the work, we propose study the reasoning in the court decision.It is our goal to identify, describe and explain the functioning of argumentative operators, modalizers and verbs in the argumentative orientation of text and discourse built through the text of the sentence.We support our research contracts adopted by ATD - Textual Analysis of the Discourses - French linguist Jean-Michel Adam, and studies of Perelman and Olbrechts-Tyteca (1996), Koch (2009; 2011), Rodrigues; Silva Neto and Passeggi (2010), Charaudeau (2012), among others. This work is divided, besides the introduction and conclusion, in four stages, namely: state of the art, theoretical framework, methodology and data analysis.State of the art, we made a review of recent approaches (or analyze) the argument from the linguistic and discursive categories that we propose to study, that is, of argumentative operators, modalizers and verbs.In the theoretical framework, we try to show how the ATD proposes to study the text and the premise, argument and conclusion interrelate to construct the argument.In the methodology, described from the nature and the type of research to the collection and processing of data, as well as the method used and the technical procedures we use to handle the corpus and analyze it.Finally, the analysis of the data shown, based on the theoretical foundation before presented, our interpretation about the argumentative operators as constituents of the argument about the role of modal expressions in the argumentative orientation of text and as the argumentative and declarative role of verbs.Overall, the results show that the argument is constructed from linguistic and discursive brands that show a point of view (PdV) of the enunciator (engagement or detachment of said for the mean) and that PdV supports by arguments the thesis held for a desired completion.

3
  • JOSÉ IRANILSON DA SILVA
  • THE TEXTUAL GENRE COURT SENTENCE: AN EXPLORATORY STUDY OF THE PLAN OF TEXT

  • Orientador : JOAO GOMES DA SILVA NETO
  • Data: 02/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • This dissertation aims to study genericity in judicial decisions phenomenon, text/discourse genre confined to juridical field from its compositional structure and its text plan. The notion of gender in ATD addressing is located at transition between speech and text and we use as one of the levels/dimensions of analysis that permeates text plan notion, based on their compositional structure. Our theoretical anchorage is located in Linguistics Textual general framework, and, more specifically, in addressing Textual Analysis of Discourses (ATD) approach developed by Adam (2011a), the notions of genre/discourse of Marcuschi (2002, 2008), Bazerman (2005) and the proposals to establish genericidde of Adam and Heidmann (2006), Rodrigues, Passeggi e Silva Neto (2010, 2012, 2014), among others. Textual Analysis of Discourses (ATD) is part of the general theoretical framework of text linguistics and aims to study sense co(n)text production, based on analysis of concrete texts through the drafting of certain plans or levels of linguistic analysis. It is a nature documentary research under an inductive-deductive perspective, qualitative and descriptive. We investigated a corpus of four court rulings criminal, collected from the site of Rio Grande do Norte Court of Justice - Judiciary, in First Degree Judged query in the period between 2013 and 2014. We noted in our analysis that court ruling has several generic capabilities that cross in their textual and transtextual levels, establishing a dialogue intergeneric (ADAM; HEIDMANN, 2011b), being a standardized practice and cognitively socially instituted and may contain variations, but with crystallized elements and a functional traditionalism that has not been eliminated through time. Facing social relevance of forensic text and, especially, court judgment on people's life, we hope to contribute to research that addresses the study of legal text, especially in genericity elements of judicial sentence.

4
  • DIEGO MARTIN BRAVO
  • THE ROLE OF TEACHER’S INSTITUTIONAL EVALUATION ON THE CONSTITUTION OF PROFESSIONAL IDENTITY OF THE SPANISH FOREIGN LANGUAGE TEACHER

  • Orientador : RENATA ARCHANJO
  • Data: 16/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • The teaching practice has become lately a posited complex activity due to the multiplicity of elements that intervene in the educational process. To teach seems to be more than the mastering of a specific content related to the discipline of education and several other dimensions comes to play a role into the development of that practice. As an applied linguistic research, this study investigates the constitution of the identity of higher education teachers by means of the institutional evaluation whose aim consist to evaluate the teacher’s practice in a dialogue between the student evaluation for the teacher’s activities and their own self-evaluation. Participants are teachers and students from the Spanish Language and Literature course ate the Federal University of Rio Grande do Norte. The theoretical framework of this research is based on the evaluation concept of Dias Sobrinho (2010); Ristoff (2003); Archanjo (2010); as well as on the identity concept of Hall (2006), Bauman (2205) and Bajoit (2009). Regarding the teacher’s institutional evaluation field, the research encompasses the studies about alterity in Bakhtin (2003) and professional identity in Dubar (2005). The present study aims to analyze how the institutional evaluation as an external regard may contribute to the constitution of the professional identity of the higher education teacher. The study adopts a qualitative approach with mixed methods for data collection and analysis. The corpus of the study is constituted by a documental basis (teacher’s assessments and self evaluation and student evaluation for the teacher’s activity) and semi-structured interviews with Spanish teachers. Results reveal a large acceptance of the dialogical space create by the institutional evaluation in which reflexive attitudes and practices are fostered. The professional identity emerges basically within the permanent dialogue between the two groups of actors (students and teachers) in the pursuit of quality in the educational process.

5
  • MARIA BETANIA PEIXOTO MONTEIRO DA ROCHA
  • Na cantilena do café-com-pão: riso e tradição na obra de Bartolomeu Correia de Melo

  • Orientador : DERIVALDO DOS SANTOS
  • Data: 17/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa analisa a obra fictícia do autor potiguar Bartolomeu Correia de Melo, sobretudo os contos publicados no livro Tempo de estórias (2009), tendo como categorias analíticas a tradição e o riso, discutidos respectivamente por Bornheim (1987) e Bakhtin (1999). A tradição apreendida por Melo se inscreve numa estrutura costurada por paradoxos, a dizer de uma rua feita de mão dupla. Nessa perspectiva, os valores do passado chegam aos olhos do leitor, ora como desejo de permanência, ora como matéria problematizada pelo riso. O risível se interpõe, assim, como categoria discursiva capaz de subverter e desmitificar verdades sagradas, inscrevendo-se no contexto da não oficialidade, da não seriedade e da subversão. A análise busca perceber nos contos o modo como operam o riso e a tradição, considerando suas implicações com a vida sociocultural do estado e do país. Tal investimento nos conduz à compreensão sobre como a obra de Melo integra o sistema literário nacional, conforme Candido (2013) e Chiappini (2014), na medida em que se filia a um conjunto de obras literárias brasileiras cuja dominante temática passa pela valorização de componentes regionais. Discute também a presença da tradição e da modernidade na construção da narrativa, dando destaque à figura do narrador e à aproximação com a tradição oral de contar histórias, momento em que se vale dos estudos realizados por Benjamin (1993), Rosenfeld (2009) e Adorno (2012).

     

     

     

6
  • FRANCIELLY CÂMARA LOPES
  • A CAUSA MATERIAL EM O OLHO DE VIDRO DO MEU AVÔ: A QUADRILOGIA DA MATÉRIA

  • Orientador : TANIA MARIA DE ARAUJO LIMA
  • Data: 19/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • In O olho de vidro do meu avô," Bartolomeu Campos de Queirós shoots his mnesic current from an object that embodies the sense of sight and makes room for a synesthetic perception of the world: the eye. Not keen eye, organ, but the eye objectified, the glass eye. This object is dissected in all its possibilities, from its materiality in search of the heart of copyright reverie. From this, it analyzes the work from the perspective of aesthetic reverie Gaston Bachelard, seeking a depth psychology of the pictures imagined by the writer. Within that depth psychology, we seek the root causes of imagery gathered in the narrative. Is identified, then a formal cause behind certain synesthetic images and their sensations of touch, smell, taste, hearing and vision. Likewise, if it severs the material cause the images encoding a deep psychology of the elements fire, earth, water and air. In this way, we seek to understand how the shape of the eye synthesizes a range of psychological sensitivities that are beyond the writer's own style, finding resonance in all literature. After the discovery of the way eye, it goes in search of something more intimate, matter. Therefore, it is essential to understand how the eye glass contains in itself aesthetic reflections of matter proposed by Bachelard. A series of images and constructions of O olho de vidro do meu avô reflect the forces of hardness of earth, fire sexuality, maternity water and air movement.

7
  • ERICA POLIANA NUNES DE SOUZA CUNHA
  • PARA TORNAR-SE AUTOR:  PROPOSTAS DE ESCRITA DOS LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO MÉDIO

     

  • Orientador : MARIA DA PENHA CASADO ALVES
  • Data: 25/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A ideia já foi inventada. A história já foi contada. As palavras já foram ditas. Na contemporaneidade, tudo, aparentemente, sobre tudo já foi dito, pois nenhum discurso é adâmico. Na era do copiar e colar e em que se tem mais, asseveradamente, embates acerca da ética do não plagiar, discutir o que é produzir enunciados autorais faz-se primordial. Essas inquietações, nesta pesquisa, são levadas para o cronotopo da sala de aula, precisamente para os livros didáticos de Língua Portuguesa, que são vistos como orientadores dos conteúdos e da prática de ensino de Língua Materna (ANTUNES, 2003; BUZEN, 2005; CORACINI, 1999). Diante disso, essa pesquisa visa a analisar como se dá as propostas de escrita do livro didático, a fim de observar a criação de situações/enunciações propícias para a construção de um dizer autoral. Foram selecionadas, para tanto, duas coleções de livros didáticos destinadas aos alunos da 1ª série do Ensino Médio. Os livros adotados estão entre os mais solicitados nacionalmente e receberam críticas positivas do Programa do Livro Didático (Edital 2012). Para atingir tal objetivo, o estudo realizado baseia-se numa perspectiva qualitativo-interpretativista e de orientação metológica advinda da Linguística Aplicada; a base teórico-metodológica da Análise Dialógica dos Discursos (GERALDI, 2012; FARACO, 2009). A perspectiva teórica advém dos postulados do Círculo de Bakhtin no que concerne às concepções de linguagem dialógica, de enunciado concreto e de autoria. Os dados totais construídos se configuram em duas categorias. A primeira com propostas de produção textual que prezam por uma autoria em perspectiva dialógica, as quais buscam criar situações de escrita que atendem a uma necessidade discursiva, são direcionadas e apontam os aspectos de composição do gênero. A segunda, com propostas em que se encena uma autoria em perspectiva monológica, quando não se especifica o gênero textual ou quando não constroem uma enunciação em que o discente não exercita uma relação volitivo-emocional com tal situação. De modo genérico, as duas coleções apresentam zelo em relação a simular situações de escrita reais, que podem propiciar, assim, a produção, pelos discentes, de enunciados concretos, que valorizam a reescrita e o excedente de visão para o acabamento dos enunciados produzidos. 

8
  • FRANCISCO LEILSON DA SILVA
  • ENTRE CALÍOPE E CLIO: OS GÊNEROS DISCURSIVOS ORAIS EM LIVROS DIDÁTICOS DE PORTUGUÊS E DE HISTÓRIA DO NONO ANO

  • Orientador : MARIA DA PENHA CASADO ALVES
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho analisa a presença dos gêneros discursivos orais em quatro livros didáticos do nono ano do Ensino Fundamental, assim subdivididos: dois livros de Língua Portuguesa e dois de História. Realiza a investigação a partir da análise do texto escrito, com o objetivo de identificar como os referidos manuais tratam a oralidade em sua função de indicadora de atividades em sala de aula. Para conduzir a reflexão sobre o trabalho com esses gêneros discursivos orais e como evidenciam a presença da fala como objeto de aprendizagem, fundamentamo-nos nos seguintes autores: Bakhtin (2011), Vieira (2007) e Dolz, Scheneuwly, Pietro, Zahnd,  (2011). Com base nesses estudos, constatamos que a presença da oralidade no livro didático ainda apresenta limitações. Porém, já identificamos avanços em comparação a um passado não muito distante em que a oralidade estava condenada ao ostracismo ou apenas citada como uma possibilidade de realização do texto por meio da fala. Entendemos que passados mais de quinze anos da publicação dos Parâmetros Curriculares de Língua Portuguesa (1998), os livros didáticos de Língua Portuguesa iniciam um trabalho com atividades que estimulam o diálogo e promovem oportunidades de reflexão sobre o uso de estratégias que orientam e potencializam a habilidade oral no ensino dos gêneros (formais e informais), a fim de promover uma interação que passe pela escuta e pela fala do outro. De forma latente, os livros de História apresentam uma leve transformação especificando os gêneros discursivos orais. Em algumas atividades, tenta preparar o aluno e, assim, corrobora para o nosso entendimento de que ensinar a ler, a escrever ea  falar é dever de todas as áreas, tendo como resultado uma aprendizagem mais efetiva da oralidade por meio de uma relação dialógica do processo de organização e produção dos gêneros discursivos orais.


     [MC1]da mesma coleção?

9
  • MICHEL LIMA FONTOURA
  • Práticas de escrita no curso de Ciências e Tecnologia

  • Orientador : GLICIA MARILI AZEVEDO DE MEDEIROS TINOCO
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa de cunho qualitativo e de vertente interpretativista analisa atividades de escrita de textos da ordem do argumentar, desenvolvidas na disciplina “Práticas de Leitura e Escrita II” (PLE-II) por graduandos do Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Sustentada pelo aporte teórico advindo da concepção dialógica de língua(gem) (BAKHTIN [1952-1953] 2011; [1929] 2009); dos estudos de letramento (KLEIMAN, 1995; STREET [1995] 2014); da pedagogia de projetos (KILPATRICK, 1972); e do modo de fazer pesquisa adotado pela Linguística Aplicada (MOITA LOPES, 2006, 2009), esta investigação procura compreender como as atividades de escrita se configuram em um projeto de letramento (KLEIMAN, 2000) bem como as implicações disso para o processo de ensino-aprendizagem da modalidade escrita da língua, especificamente quanto aos gêneros discursivos: debate regrado, carta argumentativa e artigo de opinião. Para tanto, buscou--se mapear uma visão orgânica dos aspectos que compõem o que se denominou “prática de escrita”. Com isso, analisou-se, por exemplo, a ressignificação de saberes e de papéis sociais (professor, monitor, aluno e agentes externos), no ambiente universitário em foco, viabilizada pelo desenvolvimento de um projeto de letramento entendido como modelo didático (TINOCO, 2008). Os dados foram gerados ao longo de segundo semestre de 2014, por meio da escrita de artigos de opinião relacionados à questão do voto consciente; da escrita de cartas argumentativas destinadas aos candidatos à sucessão de reitorado da UFRN, ocorrida naquele semestre; e do registro em fotografias de um debate regrado, realizado na Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) com os candidatos ao referido pleito. Além desses artefatos, também se constituem como corpus desta pesquisa transcrições de entrevistas semiestruturadas com alunos e monitores de PLE II acerca da visão que os entrevistados têm a respeito do ensino da escrita vivenciado na mencionada disciplina. A análise dos eventos de letramento (HEATH, 1999) perceptíveis no contexto em questão e das práticas de letramento (STREET, 1999) deles depreensíveis possibilitou um tratamento mais acurado de algumas peças de escrita, tais como os artigos de opinião e as cartas argumentativas. Por meio dessas peças, os participantes do projeto de letramento realizaram tarefas específicas para a consecução de um propósito que desencadeou ações de cidadania, mediadas pela escrita e relacionadas ao ato de votar. A análise dos dados gerados aponta para o caráter socialmente relevante que perpassa as atividades de escrita em PLE-II, dadas as suas implicações que vão além da obtenção de nota e possível aprovação na disciplina, pois são potencialmente modificadoras da postura dos participantes frente ao exercício da escrita, tendo em vista ações de cidadania tanto dentro quanto fora da universidade.

Teses
1
  • SILVIO LUIS DA SILVA
  • Escravo moderno em discurso: figuras de ação e ação em (dis)curso nas representações do agir humano

  • Orientador : CLEMILTON LOPES PINHEIRO
  • Data: 04/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho toma como objeto de estudo uma prática social: a escravidão moderna dos trabalhadores da cana de açúcar, e busca apresentar uma reflexão a respeito da manutenção, extirpação ou modificação dessa prática. Essa reflexão parte das concepções de discurso e proposta analítica da Análise Crítica do Discurso (FAIRCLOUGH, 2001, 2003, 2006 e CHOULIARAKI; FAIRCLOUGH, 1999) associadas às propostas do Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART, 1999, 2006, 2008), e à noção de Figuras de Ação, proposta por Bulea (2010). Seguem-se, portanto, os cinco passos descritos em Chouliaraki e Fairclough (1999): a) ênfase em um problema social, b) apresentação e discussão a respeito dos obstáculos vinculados ao problema, c) considerações a respeito da rede de práticas e sua necessidade do problema, d) identificação das possibilidades se suplantar o problema, e) reflexão sobre o papel do analista em relação ao problema social que aborda. Para atender ao passo (b) no que diz respeito especificamente à análise material do discurso, foram identificados o conteúdo temático, os tipos de discurso, os mecanismos enunciativos e as figuras de ação de depoimentos de trabalhadores da cana de açúcar e de outros sujeitos envolvidos com o problema dos documentários Bagaço (2006) e Tabuleiro de Cana, Xadrez de Cativeiro (2006). Esses documentários trazem para as telas um pouco da realidade dos cortadores de cana, dentro de um universo de superexploração, desrespeito aos direitos humanos e trabalho forçado. A análise de aspectos textuais-discursivos dos depoimentos mostrou como a (des)construção das representações do agir dos trabalhadores da cana escravizados permitem entender como o problema surge e como se encontra enraizado na organização da vida social. Os resultados gerais da reflexão apontam para a internalização de práticas sociais e discursivas sedimentados a partir de avaliações do mundo subjetivo do trabalhador da cana e de valores, opiniões e regras do mundo social. Identificou-se que, em seus discursos, os trabalhadores assumem a sua escravidão ora consciente, ora inconscientemente, mas apenas enunciam uma reação à opressão que lhes impõe porque a sua escravização foi internalizada e naturalizada.

2
  • GIANKA SALUSTIANO BEZERRIL
  • ANÚNCIO PUBLICITÁRIO DIRECIONADO AO PÚBLICO MASCULINO: uma abordagem dialógica 


  • Orientador : MARIA DA PENHA CASADO ALVES
  • Data: 15/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Nesta trabalho, pretendemos focalizar o gênero anúncio publicitário impresso naquilo que ele revela da sua condição de gênero discursivo que circula na esfera midiática impressa, especificamente, em quatro revistas: Playboy, Placar, GQ e Men’s Health. O objetivo geral do presente trabalho é analisar as regularidades enunciativas (verbo-visuais) do funcionamento do gênero anúncio publicitário direcionado ao público masculino na mídia impressa, problematizando como os anúncios publicitários atuam na sociedade de consumo buscando satisfazer a um grupo determinado, o leitor/consumidor masculino, com costumes e condutas modernos. Para tanto, foram reunidos anúncios das quatro revistas dos meses de janeiro, abril, julho e outubro, totalizando dezesseis revistas e vinte e sete peças do gênero durante um período de um ano: de janeiro a dezembro de 2012. O nosso trabalho se insere numa abordagem qualitativa-interpretativista, como forma de investigar a realidade social, paradigma defendido por linguistas aplicados. Assim, o nosso estudo volta-se para uma atividade relacionada com as questões de linguagem, presente na esfera da mídia impressa. O anúncio é compreendido enquanto unidade real da comunicação, portanto, discursivo e intersubjetivo, mantendo relações com outros enunciados já ditos e prefigurados e convocando outros a se estabelecerem. Partindo dessas conjecturas, apresentamos uma análise do gênero anúncio publicitário impresso em revistas masculinas fundamentando-nos nas pesquisas contemporâneas em Análise Dialógica do Discurso, nos estudos do Círculo de Mikhail Bakhtin, revisitando seus aspectos teórico-metodológicos e nas concepções de identidade e de cultura assim como em autores da esfera da publicidade. A pesquisa apresenta-se relevante à medida que contribui para uma análise da dimensão verbo-visual do anúncio direcionado ao público masculino, considerado como um gênero discursivo que circula na mídia impressa e publicitária, impregnado de relações dialógicas e, também colabora para a consolidação de uma ‘Teoria dos Gêneros do Discurso’ (no âmbito científico da Linguística Aplicada) e para a construção e desenvolvimento de referenciais teóricos, metodológicos e aplicados para professores e profissionais interessados na temática. Os resultados apontam dados que demonstram que a busca por uma completude jamais chegará, o homem se autoconstrói pela procura do corpo perfeito, pela busca do estereótipo primoroso, pela busca pelos produtos que contribuam para essa sua autoafirmação sempre transitória e em construção. Conclui-se que a temática do corpo é recorrente nas quatro revistas. Temos em média 27 peças em que os anunciantes trataram de expor o corpo no espaço dos anúncios, tendo como consequência uma valorização exacerbada da aparência física. Assim dividimos nosso corpus em uma categoria, corpo adiáforo, e quatro subcategorias:, O body building; o corpo tatuado; o corpo consumo e o corpo negro. O corpo sob medida é sempre apresentado como o ideal a que todo homem deve alcançar.

3
  • PEDRO FERNANDES DE OLIVEIRA NETO
  • FIGURAÇÕES DO SUJEITO NO ROMANCE DE JOSÉ SARAMAGO E ANTÓNIO LOBO ANTUNES

  • Orientador : DERIVALDO DOS SANTOS
  • Data: 15/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Entre as diversas questões sobre o sujeito e suas incidências no texto literário, este estudo prefere a de perscrutar acerca de como o tema é figurado no romance; isto é, como se constitui e se apresenta entre as aporias do romanesco, que relação mantém com o externo ao texto (a história, a sociedade), no que interfere na construção da narrativa e na forma do romance, quais questões suscitam, são algumas proposições envolvidas numa leitura que compreende Todos os nomes, de José Saramago e Não entres tão depressa nessa noite escura, de António Lobo Antunes. Esses romances foram elegidos porque se relacionam, respectivamente, a duas das principais correntes da forma romanesca: um mais integrado ao viés objetivo e outro à tradição subjetiva. Sem abolir especificidades, mas ciente que essa não é uma relação dicotômica por compreender que o hiato entre as duas formas se resume basicamente a uma maneira de percepção diversa do romancista sobre a realidade, este estudo se alimenta das duas posições no intuito de lidar com especificidades igualmente diversas de figuração do sujeito no romance. Assim, este estudo dividiu-se nos três momentos ora designados: (1) revisar sobre como o romance tem construído uma concepção de sujeito desde a ruptura mantida com a epopeia. Essa revisão privilegia três momentos da história do romance: a epopeia, a verve realista do século XIX e o romance impulsionado pelas novas formas dos anos 1920. Esse exercício é intermediado pelas leituras de Krysinski (2007), Lucáks (2009), Zéraffa (2010), Candido (2007), Rosenfeld (1996), Adorno (2003), Benjamin (2012) entre outros; (2) ler Todos os nomes e perscrutar o exercício das personagens centrais do romance – o Sr. José, a mulher desconhecida, o conservador, a senhora do rés-do-chão direito e o espaço da Conservatória por compreendê-la coadjuvante nesse universo; (3) a partir desse mesmo exercício, a leitura de Não entres tão depressa nessa noite escura perscruta as figuras de Luís Filipe, Margarida, Amélia, Ana Maria e Maria Clara. Entre as interseções alcançadas na relação entre as duas obras está a compreensão de que o romance se exercita como artefato de conhecimento sobre sujeito e usa a personagem como figuração sobre suas posições ocupadas na contemporaneidade; são obras que compreendem a iminência do fim de uma civilização pela forma avariada de coletividade e vida tornada repetição invariável. E expõe ao menos duas formas de ruptura dessa condição catastrófica: o sujeito é ação e deve sair para o mundo (José Saramago); a desordem não apenas social é individual e o sujeito é espera enquanto remenda situações possíveis de compreender o estágio de degradação do homem (António Lobo Antunes). São obras responsáveis por reafirmar o interesse do romance nas existências mais arredias e silenciosas por entenderem que nelas esconde-se uma capacidade de reanimação da existência e é tarefa do romancista revelá-la.  

4
  • MARIA GUADALUPE SEGUNDA
  • SER-TÃO DE BURITI: “o corpo de noturno rumor”

    (A poética de Guimarães Rosa e o pensamento literário contemporâneo)

  • Data: 19/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • This thesis is to analyze the fictional texture of Buriti, novella by Guimarães Rosa, which makes part of Corpo do Baile. Gilles Deleuze’s philosophical background as well as similar theorists such as Mircea Eliade, Derrida, Bataille, Foucault, Blanchot and Nietzsche constitute the main reference, as example of Guimarães Rosa’s problematizing  writing, since they present as basic element of thought the desterritorialization of concepts, standards and institutionalized knowledge by the dominant literary language. Along with the theoretical perspective of current alterity on these authors, Buriti is crossed by one aesthetics substantiated with a multiplicity of narrative points of view, opening gaps to other non-sacralized, nomadic voices, using polyphony as a way of breaking and destabilizing crystallized truths related to the canons of mother tongue. Interwoven by a poetic side of transgression, the narrative of Buriti finds especially marked by the signs of the backlands and of the night, which rhizomatically point to a sense of infinity, eternity, loneliness, vertigo before the abyssal, evoking the singularity of a ser-tão before the night, "the body of nocturnal rumor." The nights in the backlands in Buriti give rise to the emergence of a state of subjectivity, the ser-tão, whose nature is shown as a space of communion of the various beings that humans put on the same level of other living beings, setting up a sharing cosmic territory, enjoyment between pain and pleasure, between death and life. It is the night in the darkness, the shadows, the ser-tão is exposed, the being in his depth, facing himself with his internal rumors, which project themselves through the noise, the sound amplified by the vastness of the night at the desert backlands. "The backlands is the night." (ROSA, 1988, p.92).

5
  • ARMANDO SÉRGIO DOS PRAZERES
  • HAROLDO DE CAMPOS E O BARROCO: A CRIATURA DE OU(T)RO – ENSAIOS PARA UM GUIA DAS GALÁXIAS

  • Orientador : FRANCISCO IVAN DA SILVA
  • Data: 25/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa consiste na realização de um roteiro de leitura do livro Galáxias, de autoria do poeta, crítico e tradutor brasileiro Haroldo de Campos, com base nos pressupostos conceituais do Barroco histórico e trans-histórico. Propõe-se, deste modo, um mapeamento das possíveis vértebras semânticas que engendram pequenas estórias em rotação pelas páginas galáticas, com vistas a fornecer ao leitor um conjunto de referências que possa contribuir para uma leitura ainda mais fecunda da referida obra. Para tal empresa, buscou-se mapear primeiramente as marcas expressivas que definem a poética haroldiana como singular prática barroca na modernidade, investigando em sua obra as conexões tecidas com o barroco histórico dos séculos XVII e XVIII, a fim de verificar os modos operacionais empregados pelo Poeta no exercício da tradução da tradição literária. Galáxias, a nosso ver, constitui este projeto poético de alta voltagem barroca, amálgama de recursos criativos e conceituais içados da mais rica tradição literária, nacional e estrangeira, e processados antropofagicamente nas sendas da produção artístico-literária contemporânea. Publicado pela primeira vez em 1984, contendo cinquenta páginas-fragmentos, este livro de Haroldo de Campos surge para, dentre outros fins, suscitar o entrecruzar de gêneros literários, como a prosa e a poesia; dissolver as fronteiras entre a cor local e a dicção alheia; transfundir tradição e modernidade; fundir arte e ideologia; mixar fato e fantasia; remixar forma e conteúdo. Todos estes procedimentos literários, intersemiotizados, promovem uma caleidoscópica tessitura verbal que empreende, nas palavras do autor, “a viagem como livro e o livro como viagem” (Campos, 2004, p. 119). Viagem esta, urdida por uma rede intertextual e paródica, dada a ver através de inventivos recursos fono-prosódicos, donde sobressaltam aliterações, anagramas, paronomásias e trocadilhos, desenhando no curso galático sibilantes e sinuosas metáforas que reivindicam a lúdica co-participação do leitor para a fruição da leitura. Isto posto, nosso roteiro de leitura empenha-se sobretudo na tentativa de amplificar os ecos das construções imagéticas que transitam pelas cinquenta páginas da obra, que ora velam ora revelam partículas de estórias que, por um instante apreendidas, podem descortinar outras tantas estórias e, com isso, tornar a leitura tanto mais prazerosa e, como dissemos, fecunda. O fim primeiro das Galáxias, assim entendemos, não terá sido outro senão o da fecundação do gosto pela leitura, daí, nosso roteiro de leitura: para fecundar no leitor o gosto pelas leituras galáticas, tal qual a leitura das Galáxias de Haroldo de Campos.

6
  • GILVANDO ALVES DE OLIVEIRA
  • A construção do discurso paródico na pornochanchada: uma cosmovisão carnavalesca

  • Orientador : MARIA DA PENHA CASADO ALVES
  • Data: 26/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Nos anos 1970, no Brasil, houve uma efervescência na produção cinematográfica e, nesse período, realizaram-se comédias eróticas, que foram rotuladas de pornochanchadas. Esses filmes fizeram um grande sucesso frente ao público brasileiro, mas sempre eram ridicularizados pela crítica que os julgava como cinema mal realizado. Nesse contexto, parte dessa produção cinematográfica pode ser classificada como paródia. Considerando isso, este trabalho, cujo tema é linguagem e cinema, tem como objeto de investigação a construção do discurso paródico e a cosmovisão carnavalesca na pornochanchada e se insere na área da Linguística Aplicada de perspectiva sócio-histórica. Para realizamos a análise, detemo-nos na investigação dos elementos verbo-visuais presentes na forma composicional de três comédias eróticas produzidas na década de 70 como também analisamos o projeto de dizer constituidor/constituinte da forma arquitetônica. Como fundamento teórico-metodológico prioritário, baseamo-nos nas formulações sobre linguagem advindas do Círculo de Bakhtin (2006, 2010), tais como a concepção dialógica de linguagem e as reflexões atinentes à analise dialógica do discurso. A principal referência é a obra de Bakhtin (2010b, 2010d) sobre a cosmovisão carnavalesca, a paródia, a estilização e o riso carnavalesco.

7
  • MARÍLIA GONÇALVES BORGES SILVEIRA
  • ROSEIRA BRAVA: PÓS-ROMANTISMO E MODERNIDADENA POÉTICA DE PALMYRA WANDERLEY

  • Orientador : DERIVALDO DOS SANTOS
  • Data: 26/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • O livro Roseira brava, de Palmyra Wanderley, foi publicado pela primeira vez em 1929. Em seus versos, a autora apresenta tendências nas quais se destacam características tardias do Romantismo, mas também deixa antever traços da estética modernista. Para analisar seus versos, primeiramente, buscou-se contextualizar o espaço social e biográfico da escritora, visto que são elementos necessários à compreensão dos significados evocados no texto literário. Além disso, buscou-se pesquisar as tendências românticas e modernas a fim de analisara obra da poetisa em questão sob a ótica da teoria do pós-romantismo, segundo Antônio Cândido, em contraponto com os aspectos presentes no movimento modernista. O roteiro metodológico deste estudo, cujo objetivo maior é analisar a obra da escritora inserida na historiografia literária do Rio Grande do Norte, privilegia os poemas a partir das principais temáticas sugeridas no texto: a religiosidade presente em seus versos, que, muitas vezes, dialoga com o profano; o sentimentalismo presente no amor romântico; a visibilidade luzidia de Natal, “cidade cheia de panoramas”, revelada em mais de 15 poemas; e a leitura da paisagem natural do Rio Grande do Norte revestida de cores sensuais e elementos afetivos. Com base nesses roteiros temáticos e metodológicos, empreende-se uma leitura desta poética sincrética que se situa numa espécie de entre lugar – entre a tradição e a modernidade – e sugere a confluência de diferentes estéticas como Classicismo, Romantismo, Parnasianismo e Modernismo.

8
  • HÉLIO JUNIOR ROCHA DE LIMA
  • O político nas imagens de A missão de Heiner Müller e O homem que era uma fábrica de Augusto Boal

  • Data: 04/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • Augusto Boal (Brasil) e Heine Müller (Alemanha) são teatrólogos do século XX que viveram em países e contextos evidentemente distintos. Contudo, com a crise do teatro burguês e das condições de legitimidade do regime de produção deste teatro, ambos apresentam pontos de contato em suas linhas e vetores teatrais que, diante da questionável universalidade da dramatização, levam à concepção de um teatro múltiplo e perturbador da ordem do sensível. Os processos de encenação contemporânea exigem uma ultrapassagem do sentido do político, desviando do jogo de representações sociais, para dar lugar ao trabalho desconstrutor de imagens como cisão entre a palavra e o representado, entre o legível e o visível. Em face do exposto, as escritas cênicas e, por isso mesmo, literárias desses autores, lugares de singularização – não sem paradoxos – capazes de mobilizar manifestações e impasses quanto às imagens que organizam ou desorganizam os textos dramáticos, trazem para a contemporaneidade tensões que levam o próprio teatro tanto a se interpelar, quanto, em sua força plural, a encontrar passagens para o novo. Trazer à superfície aspectos políticos nas imagens dos textos dramáticos, considerando-os na sua inscrição literária: “A missão: lembranças de uma revolução”, de Heiner Müller, e “O homem que era uma fábrica”, de Augusto Boal, faz-se um desafio, uma vez que as imagens pretendidas são aquelas com formas ou materialidades ainda não visíveis na cena, poderíamos dizer, em estado virtual. Como imagens pensantes, elas acontecem no plano de imanência da linguagem (Deleuze e Guattari). Sendo o “político” uma perturbação no sensível, contrário à política (Rancière), a dramaturgia se abala em multiplicidades, deslocando e desnaturalizando as funções de autor/dramaturgo e leitor/ator, teatro/literatura. Dramaturgia simultânea, imagem, fragmento e colagem mostram-se como procedimentos artísticos e literários criativos que se encontram apropriados seja na teoria do teatro do oprimido (Boal), seja no teatro pós-dramático (Hans-ThiesLehmann), embora, ao confrontá-las, elas sobressaiam em desentendimentos: a primeira coincide com a lógica da identidade e a segunda, esta se desarticule, movida pela diáfora, contestação, ou desacordo. Tais relações - não apriorísticas-  sucedem-se enquanto acontecimento da leitura ou da leitura como acontecimento em que o político nas imagens dá-se, antes, nas lacunas e obscuridades, acenando para o que está além do sentido, da cena do gesto e da palavra. O leitor não para para atribuir sentido, interroga-se diante das metamorfoses e formas obliquas de acontecimentos insuspeitos que compõem o político estabelecendo o agenciamento coletivo da enunciação. Neste caso, o texto de Boal e o texto de Müller inscrevem-se na produção de uma literatura menor, ou de um teatro menor, o que os qualifica como agentes de devires revolucionários, agitando, através da política nas imagens, e irrompendo contra o problema do poder nas artes.

2015
Dissertações
1
  • MICHELLE PATRÍCIA PAULISTA DA ROCHA
  • MEMÓRIAS DE INFÂNCIA E LEITURAS: LETRAMENTOS E AUTOBIOGRAFIA NO PROJETO DE ESCRITA LITERÁRIA DE BARTOLOMEU CAMPOS QUEIRÓS

  • Data: 02/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como objetivo estudar a obra de Bartolomeu Campos Queirós, especialmente as narrativas que tratam de uma infância que pode ser a do escritor Bartolomeu, a saber: Indez; Por parte de pai; e Ler, escrever e fazer conta de cabeça, as quais relatam fatos significativos que, de igual maneira, podem ser da vida do autor — sob a ótica dele próprio. A “trilogia”, como escolhemos chamar, expõe a infância como um tempo de alegria, mas também como uma fase da vida intensamente permeada de dúvidas, temores e inquietações. Partimos da leitura da “trilogia” para comprovarmos o caráter autonarrativo da escrita queirosiana, exemplificada nos três títulos referidos. Ancorados nos pressupostos teóricos de Lejeune (1975), Brandão (2008), Amorim (2012), Izquierdo (2004), Paulino (2010) et al., encontramos, na obra de Queirós, vestígios de uma escrita memorialística, mas que cumpre uma rota particular de recuperação de lembranças, deixando à vista um pacto autobiográfico, que dá ao conjunto dos três livros vieses de escrita autobiográfica. Identificada a perspectiva memorialista e autobiográfica do conjunto das três narrativas mencionadas, consideramos ainda o papel do tempo — ora como kronos, ora como fator meteorológico, climático —, possível de ser “lido”, e da relevância que ocupa nas narrativas. Paralelamente às questões de memória, abordaremos ainda a temática do letramento, procurando chegar a uma descrição de como se deu tal processo em Bartolomeu, destacando as muitas particularidades neste percurso. Pretendemos identificar marcas em sua literatura decorrentes desse trajeto, como sendo a produção literária do autor fruto de experiências vividas, sobretudo no convívio junto ao avô Joaquim, retratado em Por parte de pai, bem como de sua sensibilidade e vocação poética. Algumas dessas experiências encontram lugar em Ler, escrever e fazer conta de cabeça. Observamos o percurso de alfabetização do menino das histórias, bem como os caminhos que conduzem aos processos de letramentos literário e familiar, destacando a figura fundamental do avô paterno Joaquim Queirós, como um dos principais atores pedagógicos (AMORIM 2012) na formação do menino Antônio, protagonista de Indez.

2
  • GIBSON NASCIMENTO DE AZEVEDO
  • O DESENVOLVIMENTO DA COMPETÊNCIA LEITORA E AS CONCEPÇÕES DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA LEITURA: UM ESTUDO COM CRIANÇAS DO PROJETO ACERTA NA REDE PÚBLICA DE NATAL - RN

  • Orientador : JANAINA WEISSHEIMER
  • Data: 04/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Aprender a ler pode ser considerado o maior passo no desenvolvimento cognitivo de uma criança, tendo em vista que o aprendizado desta habilidade não é natural como aprender a andar e a falar. Sob o ponto de vista neurobiológico, a leitura corresponde a um processo de complexas adaptações do sistema nervoso que necessita de estímulo e orientação externa. O ambiente e o estímulo ambiental são responsáveis pelo desenvolvimento do cérebro, que permite desenvolver diversas habilidades e adquirir conhecimento. (AMARO JR., CASELLA, COSTA, 2011; DEHAENE, 2009; OLIVEIRA, 2010; 2011; SCLIAR-CABRAL, 2009). Buscamos com este estudo investigar o desenvolvimento da competência leitora em alunos do segundo ano do ensino fundamental da rede pública da cidade de Natal – RN e levantar informações a partir da Provinha Brasil, de dados gerados a partir de entrevistas com coordenadores pedagógicos e análise do livro didático utilizado nas aulas. Com base neste objetivo principal, procuramos responder às seguintes perguntas de pesquisa: (a) Qual competência leitora o método de alfabetização das escolas pretende desenvolver nos alunos?; (b) Qual é a competência leitora desenvolvida a partir dos critérios de medição estabelecidos pela Provinha Brasil?; (c) Qual a relação entre o resultado da Provinha Brasil e a competência leitora desenvolvida com o método de alfabetização por meio do livro didático? Seguindo a metodologia de pesquisa quali-quantitativa (DÖRNEY, 2007), as Provinhas Brasil dos alunos do segundo ano do ensino fundamental de cinco escolas pertencentes ao Projeto ACERTA - Avaliação de Crianças em Risco de Transtornos de Aprendizagem (CAPES/OBEDUC)- foram analisadas e comparadas às percepções dos representantes das escolas sobre o ensino/aprendizagem da leitura e com o livro didático adotado. Os resultados indicam que a competência desenvolvida pelos alunos na alfabetização parece ir de encontro ao que é proposto pela escola. Contudo, os resultados também apontam para uma possível adaptação no método adotado pela escola, por parte dos professores alfabetizadores, o que pode explicar o desempenho dos alunos na Provinha Brasil. Pretendemos assim, contribuir com desenvolvimento da alfabetização a partir de dois vieses: ampliando o escopo teórico, no sentido de gerar maior inteligibilidade acerca das bases neurais da aprendizagem da leitura; e propondo uma nova possibilidade metodológica, utilizando os resultados da Provinha Brasil como instrumento de diagnóstico da habilidade de leitura e de possíveis transtornos de aprendizagem que acompanham este processo.

3
  • EWERTON MENDONÇA DE OLIVEIRA
  • Representações de professores em formação inicial sobre o “bom professor”: um estudo sistêmico-funcional longitudinal

  • Data: 09/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Com o foco nas representações que circunscrevem a formação inicial de professores de Língua Inglesa, este trabalho propõe-se a analisar o que os participantes da pesquisa concebem como “bom professor” no contexto do Instituto Ágora, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Nossa proposta visa reconhecer como são concebidas linguisticamente tais representações através das marcas lexicogramaticais, mais precisamente pelos processos, segundo os pressupostos da Gramática Sistêmico-Funcional (HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004; EGGINS, 2004; THOMPSON, 2004). Entrevistas foram elaboradas, aplicadas e analisadas com seis participantes ao iniciarem o semestre letivo das turmas de inglês do referido curso, bem como ao final do semestre, constituindo assim dois pontos distintos que oferecem uma perspectiva longitudinal. A primeira etapa compreendeu seis entrevistas gravadas em áudio e posteriormente transcritas, assim como aplicação de questionários relacionados aos dados demográficos para traçar o perfil dos informantes. Selecionamos as marcas lexicogramaticais por meio do programa computacional WordSmith Tools (SCOTT, 2010) a fim de localizar as ocorrências e entender a maneira como eram construídas por meio dos processos. Partiu-se do pressuposto de que, ao reconstruir suas experiências nas entrevistas, os participantes poderiam se tornar mais críticos e conscientes de suas práticas. Os resultados analisados mostram que, ao primeiro momento de entrevistas, os professores expressam-se com mais cuidado quando delineiam suas opiniões e exprimem suas representações, fato este sugerido pelo uso de (1) processos mentais cognitivos do tipo acho, (2) metáforas modais de obrigação do tipo tem que, e por último (3) o processo relacional atributivo é. No segundo momento, percebeu-se que as marcas presentes em seu discurso passam a indicar mais assertividade, sem a presença de modalizações ou processos mentais que expressam incerteza, passando assim a expressar sentidos orientados apenas pelo processo atributivo relacional é. A pesquisa mostra, em sua etapa final, a mudança das representações  em sua forma e também em seu conteúdo, dando assim margem para aspectos não expressados no primeiro momento, bem como o apagamento de alguns relatos presentes na primeira etapa de entrevistas, mas não na segunda. Os resultados aqui expressos são relevantes na discussão e entendimento das  representações e suas implicações nos dizeres e fazeres dos profissionais docentes, podendo este estudo fornecer dados para discussões sobre formação inicial e continuada, assim como em investigações voltadas para os mecanismos linguísticos no discurso de professores de Inglês e suas práticas. Com o foco nas representações que circunscrevem a formação inicial de professores de Língua Inglesa, este trabalho propõe-se a analisar o que os participantes da pesquisa concebem como “bom professor” no contexto do Instituto Ágora, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Nossa proposta visa reconhecer como são concebidas linguisticamente tais representações através das marcas lexicogramaticais, mais precisamente pelos processos, segundo os pressupostos da Gramática Sistêmico-Funcional (HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004; EGGINS, 2004; THOMPSON, 2004). Entrevistas foram elaboradas, aplicadas e analisadas com seis participantes ao iniciarem o semestre letivo das turmas de inglês do referido curso, bem como ao final do semestre, constituindo assim dois pontos distintos que oferecem uma perspectiva longitudinal. A primeira etapa compreendeu seis entrevistas gravadas em áudio e posteriormente transcritas, assim como aplicação de questionários relacionados aos dados demográficos para traçar o perfil dos informantes. Selecionamos as marcas lexicogramaticais por meio do programa computacional WordSmith Tools (SCOTT, 2010) a fim de localizar as ocorrências e entender a maneira como eram construídas por meio dos processos. Partiu-se do pressuposto de que, ao reconstruir suas experiências nas entrevistas, os participantes poderiam se tornar mais críticos e conscientes de suas práticas. Os resultados analisados mostram que, ao primeiro momento de entrevistas, os professores expressam-se com mais cuidado quando delineiam suas opiniões e exprimem suas representações, fato este sugerido pelo uso de (1) processos mentais cognitivos do tipo acho, (2) metáforas modais de obrigação do tipo tem que, e por último (3) o processo relacional atributivo é. No segundo momento, percebeu-se que as marcas presentes em seu discurso passam a indicar mais assertividade, sem a presença de modalizações ou processos mentais que expressam incerteza, passando assim a expressar sentidos orientados apenas pelo processo atributivo relacional é. A pesquisa mostra, em sua etapa final, a mudança das representações  em sua forma e também em seu conteúdo, dando assim margem para aspectos não expressados no primeiro momento, bem como o apagamento de alguns relatos presentes na primeira etapa de entrevistas, mas não na segunda. Os resultados aqui expressos são relevantes na discussão e entendimento das  representações e suas implicações nos dizeres e fazeres dos profissionais docentes, podendo este estudo fornecer dados para discussões sobre formação inicial e continuada, assim como em investigações voltadas para os mecanismos linguísticos no discurso de professores de Inglês e suas práticas.

4
  • FRANCISCO GEOCI DA SILVA
  • For The Win (FTW)! Contribuições de um serious game para o ensino-aprendizagem de argumentação.

  • Data: 20/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Pesquisa qualitativa de vertente etnográfica que focaliza o letramento digital. Dentre as mídias digitais que poderiam subsidiar o ensino de argumentação nos cursos de Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT) e de Bacharelado em Tecnologia da Informação (BTI), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), escolhemos um serious game como objeto de pesquisa. Tendo em vista o objeto de estudo do componente de Práticas de Leitura e Escrita – II (PLE-II) – argumentação e gêneros da ordem do argumentar –, comum aos cursos de graduação mencionados, investimos no desenvolvimento de um serious game, intitulado ArgumentAÇÃO, por considerarmos que ele pode, de fato, constituir-se como instrumento didático promissor. Assim, buscamos compreender se e como esse game pode ajudar o aluno a desenvolver mais autonomamente suas competências de leitor e de escrevente, especificamente diante de um gênero discursivo da ordem do argumentar: o artigo de opinião. Com essa pesquisa, tencionamos contribuir com o ensino de Língua Portuguesa a partir de três vieses: ampliando escopo teórico, no sentido de gerar maior inteligibilidade acerca do processo de ensino-aprendizagem de argumentação; propondo uma nova possibilidade metodológica, com a incorporação de um serious games ao ensino; aperfeiçoando o jogo com o qual estamos trabalhando, a fim de construirmos e disponibilizarmos uma ferramenta digital mais bem acabada para subsidiar o ensino-aprendizagem de leitura e escrita de artigos de opinião. Para tanto, assumimos como referencial teórico-metodológico os Estudos de Letramento (KLEIMAN, 2012b; TINOCO, 2008; GEE, 2009; 2010; ROJO, 2012), a Linguística Aplicada (KLEIMAN, 1998; MOITA-LOPES, 2009), a filosofia da linguagem (BAKHTIN e VOLOSHINOV, 2012) e a Pedagogia Crítica (DEWEY, 2010). Colaboraram com esta pesquisa um grupo de alunos do BCT e do BTI, que jogaram o game, analisaram-no e nos concederam entrevistas a respeito dessa experiência. A partir dos dados gerados, estabelecemos as categorias de análise: descoleção, interesse, agente de letramento, multimodalidade/multissemiose e interatividade. Os resultados alcançados revelam que o investimento em softwares, especificamente games, pode trazer reais benefícios ao ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa, além disso, revelam que o trabalho com a argumentação realizado nas disciplinas de PLE tem muito a ganhar com a incorporação de serious games; todavia, os possíveis ganhos dependem de uma prática de ensino situada e de constante aprimoramento e atualização desse tipo de ferramenta interativa, bem como da própria prática pedagógica daqueles que a utilizam e a desenvolvem.

5
  • KARINA DANTAS VILLAR RAMALHO
  • O ETHOS NO DISCURSO LITERÁRIO: A IMAGEM DO LOUCO EM “CRÔNICA DA BANALIDADE”, DE CARLOS DE SOUZA

     

  • Data: 23/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Crônica da Banalidade é um romance do autor norte-rio-grandense Carlos de Souza, cuja publicação, em 1988, aborda o tema da loucura, assim como outros romances o fizeram naquele período (“Recomendações a todos”, de Alex Nascimento e “Dotô, casa comigo?”, de Ruben G. Nunes). Neste estudo, analisamos a construção do ethos de louco na obra de Carlos de Souza. O ethos, segundo a Análise do Discurso (MAINGUNEAU, 2008, 2010 e 2012), implica um trabalho de interpretação de marcas de caráter, que correspondem a uma gama de traços psicológicos, e de corporalidade, que correspondem a uma constituição corporal, maneiras de se vestir e de se movimentar no ambiente social, mostradas por um enunciador, sugerindo uma imagem de si. Assim, a noção de ethos compreende um conjunto de determinações físicas e psíquicas ligadas pelas representações coletivas ao personagem do enunciador. A imagem que o leitor constrói do enunciador emerge a partir de indícios textuais de diversas ordens, dessa forma, com base na seleção lexical operada em “Crônica da Banalidade”, mostramos como a imagem do narrador-personagem “louco” se assenta na oposição loucura versus razão, reproduzindo o procedimento de segregação, típico das sociedades disciplinares (FOUCAULT, 2012), sociedades estas que selecionam, excluem e rejeitam os sujeitos que apresentam comportamentos ou discursos afastados da norma, exercendo, assim, um controle social e moral, simultaneamente. Para tanto, analisamos a emergência desse ethos de “louco” a partir das "cenas de enunciação" (MAINGUENEAU, 2012) da referida obra de Carlos de Souza, observando os "procedimentos discursivos de exclusão" que a cenografia do romance representa. Consideramos esse trabalho relevante para a consolidação de pesquisas em Análise do Discurso (AD), especialmente por trabalhar na interface entre a Linguística Aplicada e a Literatura, tendo em vista que o objeto teórico não é a língua, mas o discurso, sendo este último um lugar que articula língua, visões de mundo e subjetividade.

     

     


6
  • LEONARDO MEDEIROS DA SILVA
  • The argument structure of verbs dicendi in conversation

     

  • Data: 25/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • This dissertation is a study of the behavior of verbs of utterance (VU) in natural conversation. The goal is to analyze the configuration of these verbs to investigate how this type of verb and its arguments are manifested in real language usage. The research focuses the morphosyntactic, semantic and pragmatic characteristics of the external and internal arguments of VU. Therefore, I examine i) the syntactic-semantic relationship of these arguments with the VU, ii) the level of integration between the matrix sentence and the reported speech (introduced by a VU), iii) the factors that determine the selection and arrangement of the internal argument, iv) if there is a preference for certain types of argument structure over others, v) if the direct object is new or old information, and vi) if the object occurs on the figure or background portion of the text. The VU are considered by Munro (1982, apud FURTADO DA CUNHA, 2006) unique in syntax as they differ from typical transitive verbs as well as typical intransitive verbs. This feature alone has motivated several studies about the behavior of this verb; however, much of the knowledge produced is not based on spontaneous speech data. Hence, the justification for the development of this study, which aims to analyze the configuration of VU  based on utterances produced in spontaneous situations of language usage. This work is grounded on theoretical and methodological principles of Linguística Funcional Centrada no Uso – Usage-based Theory, in English – (FURTADO DA CUNHA et al., 2013; MARTELOTTA, 2011; BYBEE, 2010), which argues for the analysis of language in use, that is, in spontaneous communicative situations. Therefore, this approach takes into account that the communicative situation directly affects the language. The database is Banco Conversacional de Natal (FURTADO DA CUNHA, 2011), which is a sample of natural speech. Since it examines actual data of spontaneous speech, this research allows  observe how speech verbs and their arguments are used by speakers engaged in communicative interactions.

7
  • VANESSA GUEDES DE CARVALHO
  • Motivações semântico-cognitivas e discursivo-pragmáticas no uso de sufixos graduadores nominais

  • Data: 25/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, focalizamos o uso de sufixos graduadores nominais, particularmente processos de atribuição de valor por meio do emprego desses elementos. Objetivamos identificar e discutir motivações semântico-cognitivas e discursivo-pragmáticas implicadas no uso desses sufixos. Adotamos como referencial teórico a Linguística Funcional Centrada no Uso, que reúne contribuições dos estudos da Linguística funcional representada por autores como Heine (1997), Givón (1998, 2001), Hopper (2003), Furtado da Cunha (2001, 2007) e os estudos da Linguística Cognitiva, tal como sustentada por Lakoff e Johnson (1980, 1987, 1999), Taylor (1992), Tomasello (1998, 2003). A metodologia de nossa pesquisa é eminentemente qualitativa com suporte quantitativo e consistirá basicamente dos seguintes procedimentos: revisão bibliográfica, coleta, organização, tabulação e quantificação dos dados, além da análise dos dados para fins de identificação de fatores semânticos, cognitivos, discursivos e pragmáticos implicados no emprego de sufixos graduadores nominais. No que diz respeito ao Corpus, consiste ele de textos representativos dos gêneros Carta do Leitor e Coluna Social, publicados na revista Veja no primeiro semestre de 2011.

8
  • KEYNESIANA MACÊDO SOUZA
  •  

    BELMIRO BORBA, UM HOMEM DE ABISMOS: um personagem em conflito sob o prisma da melancolia na obra O amanuense Belmiro, de Cyro dos Anjos

  • Data: 27/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação apresenta uma leitura analítica do romance O amanuense Belmiro (1937), de Cyro dos Anjos (1906-1994), tendo como objetivo principal analisar como alguns aspectos da melancolia, conjuntamente com a noção de memória, tempo e escritura diarística perpassam toda a narrativa desse livro ímpar no panorama literário brasileiro. Trata-se de uma obra atípica dentro da ficção da década de 1930 por ser uma voz dissonante comparada às produções regionais e sociais da época. Sua temática aborda a relação do homem com a vida; o presente e o passado; o amor e as frustrações e o herói em busca de si. Belmiro Borba, narrador-personagem, é um homem sentimental e tolhido pelo excesso de vida interior, que resolve escrever um livro e assim registrar no papel suas histórias, lembranças, sentimentos, meditações e ilusões. Nessa perspectiva, esta pesquisa visa trazer à tona questões relacionadas à estética da melancolia, principalmente, sua relação com o processo criativo existente na escritura belmiriana em seu fazer literário. Ao longo de nossa abordagem, recorreremos aos estudos realizados por Aristóteles (1998), Lambotte (2000), Benjamin (2011) e Kristeva (1989) para articular pontos pertinentes à melancolia; Halbwachs (2006) quanto ao conceito de memória, entre outros teóricos que foram imprescindíveis para a finalização deste estudo.

9
  • SERGIO AUGUSTO DE LIMA E SILVA
  • The argumentative discourse in court rulings

  • Orientador : JOAO GOMES DA SILVA NETO
  • Data: 27/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • This work is the investigation of the argumentative discourse in sentencing judicial sentences. To identify, describe, analyze and interpret the textual and argumentative aspects, we turn to studies on Textual Linguistics (LT) and the categories of analysis of Textual Analysis of Discourse (ATD) (see Adam, 2011; Soares, Silva Neto, Passeggi, 2010), and the text of the study (Maingueneau, 2001 Marcuschi, 2008), and studies on argumentation (cf. Koch, 2009; Breton, 1996; Reboul, 2004; Perelman and Tyteca, 2005). It is proposed therefore to analyze how the argumentative aspects are constructed discursively, by judicial decisions through analysis of categories such as the assumption, argumentative operators, modalizing expressions and, finally, the textual configuration of argumentative sequence. The analysis, methodologically, followed the qualitative approach paradigm (Chizzotti, 1991; Nelson et al, 1992), nature documentary (Severino, 2007) in order to interpret the set of empirical data presented in the analyzed texts. In this research, we analyze a corpus formed by a copy of the court judgment genre published in 2012, given by the judge or judge and collected directly from the home page, in the query field judged 1st degree, site of the State Court of São Paulo (TJSP). It appears, therefore, that are built in the analyzed corpus, various language marks of argument as resources for textualisation and construction of argumentative setting in the genre court judgment. These categories allow to reconstruct verbatim the arguments in these texts. Thus, the analysis points to an argumentative discourse consisting of different and varied brands and argumentative language settings that support the final decision of the judging merit.


10
  • FABIO RODRIGO BARBOSA DA SILVA
  • A INVENÇÃO BARROCA DE JORGE DE LIMA: uma leitura da obra Invenção de Orfeu

  • Data: 10/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Nesta dissertação, examinamos algumas das questões fundamentais para a compreensão da obra Invenção de Orfeu do poeta alagoano Jorge de Lima. Para isso, optamos por analisar a natureza barroca do poema, evidenciando algumas das suas principais características: a estética do paradoxo; o gênero híbrido (épico-lírico); a síntese entre o mito antigo de Orfeu e o mito cristão da Queda em alegorias aproximadas; e a poesia como realização de uma utopia. Para realizar os diálogos propostos com o objeto de estudo, lançamos mão dos instrumentais teóricos de Walter Benjamim (1984), Eugênio D’Ors (s.d), Severo Sarduy (1989[?]), Oswald de Andrade (2011).

11
  • LARISSA KAREN RIBEIRO GOMES
  • NOS CAMINHOS DE BRANCA DE NEVE:

    UM ESTUDO SOBRE MEMÓRIA CULTURAL E SIMBOLOGIA NOS CONTOS DE FADAS

  • Data: 10/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem por objetivo compreender a formação do gênero conto de fadas literário, observando as questões sociais e culturais intrínsecas ao literário. A compreensão do processo de consolidação e institucionalização do gênero é interligada com a análise de contos que apresentam elementos de semelhança com a história “Branca de Neve e os Sete Anões”, publicada em 1812 pelos irmãos Jacob e Wilhelm Grimm. A partir deste conto é feito um trabalho de ‘rastreamento’, seguindo a pesquisa de Carlo Ginzburg (1989,1993), de demais contos que possuam elementos narrativos e símbolos semelhantes, dentre os quais foram selecionados contos de Giambattista Basile (1634), Laura Gozenbach (1870), Thomas F. Crane (1885) e Joseph Jacobs (1892), para compor o corpus desta dissertação. A partir da análise dos contos, buscou-se uma compreensão de como esse gênero consegue permanecer como um dos mais importantes do mundo, conforme o pensamento de Jack Zipes (2006).  A análise também abrange a simbologia de Carl Jung (2013) presente em todos os contos selecionados, baseando-se na ideia de que os símbolos cumprem papéis essenciais na permanência do gênero conto de fadas nas sociedades. A utilização dos contos para fins de legitimação de identidade de um determinado povo também é bastante relevante. Assim, os trabalhos de Benedict Anderson (2006), Michael Pollak (1989, 1992) e Pierre Nora (1993) foram decisivos para o desenvolvimento de nossa análise. Por fim, esta pesquisa instiga um olhar diferente sobre o significado cultura, para que seja possível compreender o lugar dos contos de fadas nas sociedades atuais. 

12
  • ALOMA DAIANY SARAIVA VARELA DE FARIAS
  •  




    A RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA EM RESENHAS PRODUZIDAS POR ALUNOS DO 2º ANO DO ENSINO MÉDIO


  • Data: 19/03/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta investigação tem sua origem ligada à dificuldade que o aluno do Ensino Médio sente para ler uma obra literária e, também, para escrever opinando sobre o objeto de leitura, ou seja, assumindo ou não a responsabilidade enunciativa em relação ao que seu dizer. Outro fator decisivo para o escopo dessa pesquisa foi nossa atuação como professora de Língua Portuguesa, no Ensino Médio, em escola pública da cidade de Ipanguaçu – RN. Para compreender melhor esse contexto, nosso estudo responde à seguinte questão: como se materializa a RE em resenhas escritas por alunos de Ensino Médio de escola pública? Para tanto, estabelecemos como objetivos identificar, descrever, analisar e interpretar a Responsabilidade Enunciativa (RE), a partir de marcas linguísticas de (não) assunção e de engajamento, bem como as adequações e inadequações ao gênero discursivo/textual resenha. O trabalho se insere nos postulados da Análise Textual dos Discursos (doravante ATD), proposta por Jean-Michel Adam (2008, 2010, 2011), bem como em estudos da Linguística Enunciativa, entre os autores, acompanhamos Rabatel (2009), Guentchéva (1994), Authier–Revuz (2004). O corpus se constitui de 15 textos/resenhas de alunos do 2º ano do Ensino Médio de uma escola pública de Ipanguaçu – RN. Para o desenvolvimento da pesquisa, seguimos princípios da abordagem qualitativa e documental. Por fim, ressaltamos que os dados revelaram que 80% dos alunos fizeram uso de formas verbais na 1ª. pessoa do singular, de verbos e advérbios com valor apreciativo ou opinativo, materializando, assim, a assunção da  RE e o engajamento enunciativo, no gênero discursivo/textual resenha.

     

13
  • FRANCISCO LEANDRO TORRES
  • ESCRITURA NÔMADE E TÉDIO EM HARMADA, DE JOÃO GILBERTO NOLL

  • Data: 20/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • No contexto das produções poéticas da modernidade e da pós-modernidade (HUTCHEON, 1999), este trabalho, a partir da noção de nomadismo (DELEUZE, 2012), conjuntamente com a noção de escritura do filósofo Derrida (2009), tem como escopo estudar no romance Harmada (1993), do artista João Gilberto Noll, o aspecto da escritura nômade nolliana e do tédio no sentido da desconstrução do modelo romanesco. A narrativa em foco instaura uma ficção em trânsito, promovidos pelos nomadismos da escritura do narrador errante que, na constituição da obra, vai se destecendo ao desenrolar da linguagem, numa trama que invade o corpo dos personagens repletos de tédio e estrangeiros de si mesmos, moventes nas espacialidades fragmentadas e fluídas do narrar. Nessa perspectiva, a pesquisa circunscreve-se com fundamentação teórico-metodológica no horizonte das discussões pós-estruturalistas, concernentes aos pensadores-teóricos- críticos: Derrida (2009), Deleuze (1995), Foucault (1996; 2001), Barthes (1977), Svendsen (2006). Neste horizonte de compreensão crítica, a escritura nomádica de Harmada entrelaça-se em três movimentos: primeiro, na linguagem do autor; segundo, nos personagens, levando o narrador-protagonista, sem nome, a viver contundentes crises e dolorosas ambiguidades existenciais, colocadas através da metáfora do artista fracassado sob o signo da “falta”, enquanto busca de outros modos artísticos possíveis de ser e estar no mundo; e, por último, a instância de leitura nômade como efeito de presentificação (GUMBRECHT, 2010) para uma experimentação do leitor. Por fim, nosso trabalho aborda a relação entre a escritura nomádica e a experiência do tédio como potência estratégica do fazer literatura nas artes de Noll.

     

     

     

     

14
  • FRANCIELLY COELHO DA SILVA
  • VARIATION BETWEEN PRONOUNS TU AND VOCÊ IN SUBJECT FUNCTION IN THE SPEECH OF NATAL (RN): A SOCIO-FUNCTIONALIST APPROACH

  • Data: 23/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • In this dissertation, under the light of a sociofunctionalist approach (TAVARES, 2003; 2013; GORSKI; TAVARES, 2013), I have the following objectives: (i) mapping linguistic and extra-linguistic specialization trends of second person singular subject pronouns tu and você in the speech of Natal (RN); (ii) assessing the role of the principle of persistence (HOPPER, 1991) as a possible motivating factor of specialization trends of pronouns tu and você; (iii) identify in which of the six pronouns subsystems proposed by Scherre et al. (2009) is situated the speech community of Natal. To this end, I make use of data extracted from Natal Conversational Data Base (CUNHA, 2010), which I submitted to multivariate statistical analysis for obtaining frequencies and relative weights. The factors groups indicated as relevant in the statistical analysis were: nature of the relationship between the interlocutors, degree of formality of the environment in which the conversation takes place, and type of discourse (reported / not reported). Based on results regarding to these factors groups, I organized a panorama of specializations of pronouns tu and você, noting that tu seems specialized for more informal contexts of use than those for which você seems specialized. The motivation underlying these trends of specialization may be the principle of persistence, since along its historical development, você carries a trace of greater formality or, at least, less intimacy, when contrasted to tu. As regards the pronoun subsystem in which the speech community of Natal seems to fit in of the six proposed by Scherre et al. (2009), the results indicate that it could be the fifth subsystem, characterized by variable use of subject pronouns tu and você, with higher frequency of você and rare agreement of tu with second-person singular verb.

15
  • JULIANA FERNANDES RIBEIRO DANTAS
  • A LÍRICA DO MORIBUNDO

    MANUEL BANDEIRA - POESIA DE VIDA E MORTE

  • Data: 23/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como proposta geral analisar a poesia do poeta Manuel Bandeira (1886-1968), do período modernista brasileiro (iniciado em 1922, no Brasil, cujo marco foi a Semana de Arte Moderna). Conhecido por seus poemas possuidores de um caráter bastante autobiográfico, principalmente no que tange à temática da morte, oferece-nos, sobretudo, uma poesia de vida, que trata dos aspectos cotidianos com certa acuidade e, ao mesmo tempo, com tanta delicadeza e simplicidade. Do livro extraímos nossos subsídios através da seleção de alguns dos poemas. Estudamos a representação da morte na sociedade ocidental, fazendo uma comparação de como se figurava esse tema desde a Idade Média até a contemporaneidade, utilizando conceitos e explanações de Philippe Ariès (1914-1984) em História da morte no Ocidente (2012). Analisamos os sentimentos do homem, do poeta, do eu lírico, e da poesia inundada de existência do “Flag”, como o chamava carinhosamente o amigo Mário de Andrade. Este trabalho procura expor o traço da morte na poesia bandeiriana, assim como ressaltar aspectos de sua vida e também de uma poesia inundada pela essência de um moribundo, por meio do obra Estrela da vida inteira (2007), a coletânea extensiva do poeta, que reuniu toda a sua produção lírica.

16
  • MIDIÃ ELLEN WHITE AQUINO
  • RELAÇÕES FAMILIARES E FORMAÇÃO INDIVIDUAL: dilemas e aprendizagens das heroínas de Ciranda de Pedra e Verão no Aquário.

  • Data: 23/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação apresenta um estudo comparativo entre os romances Ciranda de Pedra (1954) e Verão no Aquário (1963), de Lygia Fagundes Telles (1923 -), com o objetivo de analisar a representação da família e a formação individual das protagonistas ante as tensões familiares e afetivas. Esses primeiros romances da escritora paulista têm em comum o fato de trazerem como heroínas duas jovens mulheres, Virgínia e Raíza, respectivamente, que sofrem violentas crises de identidade ocasionadas, sobretudo, pelos conflitos provenientes das relações familiares. Em ambas as obras, a família é marcada pela ausência de afetos e pela desordem em sua estrutura: os laços parentais são frágeis e o amor é quase inexistente. Nesses lares, em que reina a hipocrisia, o modelo de família nuclear burguesa é desconstruído e as consequências dessa desestruturação é o surgimento de filhos perturbados emocionalmente e carentes de referências para formarem-se como indivíduos autônomos. Sendo assim, sob a perspectiva do Bildungsroman, foi realizada a análise da construção das personagens Virgínia e Raíza com a intenção de verificar como se estabelece o aperfeiçoamento individual dessas heroínas ante o desajustado ambiente familiar. Nas duas narrativas, a trajetória de aprendizagem das personagens principais é complexa, contudo, mesmo com as adversidades em decorrência da família, a bildung/formação das protagonistas culmina em desfechos positivos. Como suporte para análise e desenvolvimento desta pesquisa, o trabalho teve como orientação os estudos de Antonio Candido (2004, 2008), Luiz Costa Lima (2000) e José Guilherme Merquior (1997), quanto aos pontos referentes à representação social da literatura, e ainda Mikhail Bakhtin (1997), Marcus Vinicius Mazzari (2010) e Cristina Ferreira Pinto (1990) sobre as definições e estrutura do Bildungsroman.

17
  • BIBIANA JOST PERINAZZO
  • “SAIBAM QUANTOS ESTE VIREM...”: DESENVOLVIMENTO LINGUÍSTICO-TEXTUAL DE TESTAMENTOS NORTE-RIO-GRANDENSES DOS SÉCULOS XVIII A XX

  • Orientador : ALESSANDRA CASTILHO FERREIRA DA COSTA
  • Data: 26/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo analisar transformações e conservações  linguísticas e textuais no gênero discursivo testamento. O corpus é constituído por 47 testamentos produzidos em Natal e São José do Mipibu nos séculos XVIII a XX. A pesquisa apóia-se nos pressupostos teóricos do Modelo de Tradições Discursivas (TD), proposto por Koch (1997) e Kabatek (2006). Conforme Kabatek, entende-se “por tradição discursiva (TD) a repetição de um texto ou de uma forma textual ou de uma maneira particular de escrever ou falar que adquire valor de signo próprio (portanto é significável)” (2006, p. 512). Essa perspectiva teórica traz subsídios para a identificação e a compreensão dos modelos discursivos disponíveis nas comunidades linguísticas (religiosas, jurídicas, administrativas, literárias, científicas, profissionais), os quais são transportados e podem ser repetidos, evocados, substituídos e/ou inovados. Um dos pontos de vista defendidos é que os textos atualizam não só uma língua histórica, mas também tradições textuais. A partir desses pressupostos teórico-metodológicos, verifica-se que o gênero testamento possui macroestrutura composicional relativamente estável, seguindo modelos textuais já dados e trazendo fórmulas fixas que se repetem. A análise dos elementos macroestruturais fundamenta-se em subsídios da Diplomática a respeito da estrutura formal dos documentos públicos e privados, isto é dos atos de origem governamental e notarial (SPINA, 1997) e (BELLOTO, 2002). Entre os fatores determinantes do desenvolvimento linguístico-textual dos testamentos norte-rio-grandenses analisados são apresentados os modelos de testamentos disponíveis em textos reguladores, tais como os manuais de bem morrer e os tratados jurídicos laicos, que, comprovadamente, desempenham, nesses dados, um papel relevante nas normatizações linguísticas e textuais identificadas. Os dados preliminares da análise dos testamentos demonstram, de um lado, que este gênero passa por transformações não apenas em sua macroestrutura, mas também nas formulações típicas empregadas para a elaboração dos elementos diplomáticos constitutivos do gênero, mantendo, de outro, alguns elementos macro e micro-estruturais que permitem o reconhecimento da identidade diacrônica do gênero. 

18
  • JOSE WILSON PEREIRA DE AZEVEDO
  • A FLAUTA E O TRAPÉZIO: Um desconcerto político-literário na vida de José Gonçalves de Medeiros


  • Orientador : DERIVALDO DOS SANTOS
  • Data: 30/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Estudo sobre o escritor norte-rio-grandense José Gonçalves de Medeiros (1919-1951), que fez incursões pela literatura fantástica na década de 1940 e início dos anos de 1950, publicando textos na imprensa potiguar e na pernambucana, quando o gênero fantástico ainda não dispunha de tradição em solo brasileiro. Visa fazer a apresentação do autor: a trajetória política, iniciada em Recife, no combate ao Estado Novo, a eleição de deputado estadual e as divergências com a UDN, até o seu fim trágico no acidente aéreo de Aracaju; a historiografia literária: registro dos primeiros passos, com publicações em Natal, até os novos voos na imprensa pernambucana; inserção no contexto histórico-literário em que o autor surgiu; inventário de publicações (em vida e póstumas) de seus textos: contos, crônicas, poemas e crítica literária; registro de cartas publicadas e inéditas, e sua contribuição para o estudo da história do autor e de seus textos literários; e recensão de textos publicados sobre o autor. Visa, ainda, analisar criticamente os contos do autor, inserindo-os no contexto histórico-literário em que foram produzidos. Para tanto, recorremos aos estudos críticos de CANDIDO (2010; 2011), ARRIGUCCI Jr. (1974), e GOULART (1995), que situam o surgimento do fantástico na literatura brasileira na década de 1940; MORAES (2007), sobre correspondência; BENJAMIN (1996), sobre cultura e modernidade; BORDIEU (2012), com ênfase no poder simbólico; ADORNO (2008), a arte e a percepção da ideologia; e SELIGMAN-SILVA (2013), os traumas causados pela guerra.

19
  • RAFAEL AGUIAR MOURA
  • Padrões de ordenação de constituintes das construções V2/V3 superficiais em cartas pessoais brasileiras dos séculos 19 e 20

  • Data: 30/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Em consonância com o modelo de competição de gramáticas (KROCH, 1989; 2001), segundo o qual a mudança nos domínios sintáticos constitui um processo que se desenvolve via competição entre diferentes gramáticas, descrevemos e analisamos as construções V2/V3 superficiais em orações matrizes/raízes de cartas pessoais brasileiras dos séculos 19 e 20. O corpus, composto 154 por cartas pessoais do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte, está dividido em três metades de século: (i) segunda metade do século 19; (ii) primeira metade do século 20; e (iii) segunda metade do século 20. O nosso foco foi a observação da natureza dos constituintes pré-verbais em construções V2 (verbo em segunda posição na sentença) e V3 (verbo em terceira posição na sentença) superficiais (com um ou mais constituintes em posição pré-verbal), com uma atenção especial sobre o posicionamento do sujeito. Embasados nos diversos estudos diacrônicos acerca dos padrões de ordenação do Português (Ambar (1992); Ribeiro (1995, 2001); Paixão de Sousa (2004); Paiva (2011); Coelho e Martins (2009, 2012), nosso estudo procurou constatar quais são os padrões empíricos da ordenação que envolvem as construções V2/V3 superficiais e como esses padrões se estruturam sintaticamente dentro de uma perspectiva teórica formal (CHOMSKY, 1981; 1986), mais especificamente, em conformidade com os estudos de Antonelli (2011) e de Costa e Galves (2001). Os resultados da pesquisa mostram que os dados da segunda metade do século 19, – diferentemente dos dados da primeira e da segunda metade do século 20 – apresentam um maior equilíbrio em relação à natureza sintática do constituinte pré-verbal (contíguo ou não), de forma que, nesse período, a ocorrência de ordens com o sujeito em posição pré-verbal chega a, no máximo, 52% (231/444 dados); enquanto que, nos 48% (213/444 dados) restantes, os constituintes pré-verbais são representados por um constituinte não sujeito, quase sempre um adjunto adverbial. Diante dos resultados, advogamos que as cartas pessoais brasileiras do século 19 apresentam padrões de ordenação associados a um sistema V2 e a um sistema SV, configurando, portanto, um possível processo de competição entre diferentes gramáticas que instanciam ou um sistema V2 ou um sistema SV. Ou seja, as cartas brasileiras do século 19 instanciam uma competição entre a gramática do Português Clássico (um sistema V2) e as gramáticas do Português Brasileiro e do Português Europeu (um sistema SV). Logo, esse período está sujeito à realização de duas marcações paramétricas distintas: (i) verbo movido até o núcleo Fin (gramática do Português Clássico) e (ii) verbo movido até o núcleo T (cf. gramática do Português Brasileiro/Português Euripe). Por outro lado, nas cartas pessoais do século 20 (primeira e segunda metades), há um notório aumento dos padrões de ordenação associados ao sistema SV, que se mostra mais estável.


20
  • MARIA APARECIDA DE ALMEIDA REGO
  • Entre salinas e maledicências: uma leitura do romance Macau e sua aplicabilidade ao ensino de literatura

  • Data: 31/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa é apresentar uma leitura do romance Macau (1934), do escritor Aurélio Pinheiro, situado no contexto da literatura brasileira produzida na década de 30 do século passado e analisar as configurações da linguagem que revelam conflitos individuais e sociais relacionados às tensões decorrentes dos processos de modernização de uma cidade do interior do Rio Grande do Norte, tendo em vista a aplicabilidade desses conhecimentos no contexto educacional. As discussões acerca do ensino de literatura levaram a uma experiência de estágio no ensino superior, tendo como leitura literária norteadora esse romance. Neste sentido, esta pesquisa, de caráter bibliográfico, analítico e empírico, se encontra nas discussões entre literatura e ensino que nos permitem, além de uma leitura crítica acerca do romance Macau, um olhar tanto na educação básica quanto na formação de professores, o que justifica a vinculação desta dissertação na linha de pesquisa “Leitura do texto literário e ensino”. Os objetivos foram atendidos a partir de leituras do texto literário, breve estudo sobre o autor, análise das tensões expressas pela linguagem, defesa da literatura como um direito universal, revisão panorâmica de pesquisas relacionadas ao ensino de literatura, leitura de documentos oficiais que regulamentam a educação brasileira, discussão sobre formação de professores, estágio no ensino superior com aplicação de uma sequência didática, recepção do referido romance por professores em formação voltada para a aplicabilidade na educação básica. Para isso, a pesquisa teve como orientação teórica, prioritariamente, os estudos de Antonio Candido (1976; 1995), Luís Bueno (2006), Walter Benjamin (1985), Mikhail Bakhtin (2010), Hans Robert Jauss (1994), Theodor Adorno (2006), Antonie Compagnon (2009) e Rildo Cosson (2009). 

     

21
  • MARIA VALESKA ROCHA DA SILVA
  • A tradição do humor inglês em Memórias póstumas de Brás Cubas

  • Data: 31/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo identificar o conceito estético de humor subjacente às discussões travadas pela crítica literária brasileira do século XIX em torno de Memórias póstumas (GUIMARÃES, 2004), (ROMERO, 1897). No intento de atingi-lo, fez-se necessário percorrer dois caminhos: o primeiro deles, acompanhando o processo de estruturação do conceito de humor inglês até sua manifestação em Tristram Shandy (KLIBANSKY, 1979); (WATT, 2010); o segundo, identificando as particularidades da manifestação do humor inglês em Memórias póstumas e a dinâmica alimentada pela crítica brasileira com a questão da identidade nacional (CANDIDO, .2012), (MAGALHÃES JÚNIOR, 2008).

22
  • RODRIGO SANTOS MAGALHÃES
  • A relação forma e significado em versões da Bíblia

  • Data: 01/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho analisa textos de duas versões distintas da Bíblia da vertente protestante, a saber: a Almeida, Revista e Corrigida (ARC) e a Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH). Nesse sentido, investiga as configurações linguístico-textuais dessas versões, com o objetivo de identificar diferenças consideráveis entre elas e implicações na atribuição de sentido de uma e de outra. A Bíblia é um livro com influência histórica e sua importância não se limita somente à esfera religiosa, sendo também considerada, por muitos, como uma obra de alto valor literário. Ela continua em plena e ampla circulação no contexto histórico-religioso-cultural do mundo de hoje. Além disso, esse livro reúne aspectos discursivos e linguístico-textuais importantes a serem investigados, especialmente, se considerado o fato de podermos confrontar suas diferentes traduções. Das duas versões bíblicas (ARC e NTLH), interessam-nos particularmente três gêneros discursivos distintos (poema, parábola e epístola), sendo cinco textos de cada versão, o que resulta num total de dez textos. A esse respeito, consideramos, ainda, as variadas sequências tipológicas envolvidas na organização dos gêneros discursivos selecionados, observando se a predominância de uma dessas sequências implica maior ou menor facilidade/dificuldade de compreensão. Utilizamos, também, como suporte de análise, protocolos de leitura de informantes diversificados, levando em consideração o credo religioso, o grau de escolaridade e a faixa etária, a fim de verificar se as diferenças formais dos textos escolhidos e o perfil social dos leitores motivam possíveis alterações no processo de compreensão textual. Para a realização da análise, tomamos como suporte teórico-metodológico a Linguística Funcional Centrada no Uso (ou Linguística Cognitivo-Funcional), a qual aglutina contribuições da tradição funcionalista norte-americana e da Linguística Cognitiva.

23
  • MARCIA REJANE BRILHANTE CAMPELO
  • The textual-interactive analisys of the Sertões do Seridó letters

  • Data: 07/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho toma como objeto de estudo um conjunto específico de textos, designados como cartas dos Sertões do Seridó (região interestadual localizada no sertão nordestino brasileiro), de autoria do seridoense Paulo Bezerra, as quais apresentam como principal tema o universo sertanejo. Por seu caráter singular, sobretudo por causa de um forte apelo poético, inferimos que essas cartas podem conter fenômenos também singulares relativos à estruturação discursivo-composicional, que podem ser responsáveis pela criação de efeitos específicos, sobretudo estéticos. Para problematizar e desenvolver a questão, partimos dos pressupostos teóricos da Perspectiva Textual-Interativa cuja base é o conceito de linguagem como interação, como atividade verbal impregnada pelo contexto espaço-temporal e sócio histórico em que os interlocutores se relacionam, elegemos a categoria analítica do tópico discursivo e analisamos os mecanismos de introudção, sequenciação e mudança de tópico. O objetivo é, portanto, verificar a funcionalidade desses mecanismos, observando como se correlacionam os aspectos estruturais e interacionais, e como esse movimento pode ser usado para explicar alguns dos efeitos estéticos e estilísticos das cartas. O resultado da análise mostra que são usados diferentes mecanismos de organização  tópica de acordo com a natureza do tópico central, e que é possível associar a esses mecanismos diversos alinhamentos que expressam uma intenção estética e caracterizam um estilo.  Esse resultado pode suscitar uma conclusão mais geral em relação aos textos: a sua estruturação discursivo-composicional está relacionada à criação de efeitos estéticos e de estilo.

24
  • ALESSANDRA SANTA ROSA DA SILVA
  • PRODUÇÃO DE NARRATIVAS ESCRITAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: ESTUDO DE CASOS

  • Orientador : JOSE ROMERITO SILVA
  • Data: 23/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho focaliza a construção da narratividade por alunos do ensino fundamental, buscando identificar estratégias por eles empregadas na produção de textos narrativos representativos do gênero miniconto. Trata-se de uma investigação de natureza quanti-qualitativa, com viés descritivo e analítico-interpretativista, para a qual tomamos material de análise 40 textos produzidos por alunos do 6º e 9º anos do ensino fundamental, sendo vinte de alunos do 6º ano (dez de escola pública e dez de escola particular) e vinte de alunos do 9º ano (distribuídos do mesmo modo entre o ensino público e o privado). Em linhas gerais, objetivamos compreender os mecanismos através dos quais os produtores constroem suas narrativas, bem como fornecer subsídios para análise da produção desse tipo textual. Esta pesquisa assenta-se nos pressupostos da linguística funcional de vertente norte-americana, inspirada em Talmy Givón, Sandra Thompson, Paul Hopper, Joan Bybee, Elizabeth Traugott, Mário Martelotta, Angélica Furtado da Cunha, entre outros. Além disso, a partir do aporte teórico apresentado por William Labov a respeito da narrativa, observamos os elementos recorrentes na estrutura das narrativas em estudo: resumo, orientação, complicação, resolução, avaliação e coda.  Também abordamos, embora que de forma complementar, a noção de gênero apresentada por Luiz Antônio Marcuschi. Na análise do corpus, consideramos as seguintes categorias: gênero discursivo miniconto; estrutura composicional da narrativa; informatividade (progressão discursiva; coerência temática e narrativa; distribuição tópico-referencial); relevo informativo (figura/fundo). 

25
  • GEISON LUCA DE SENA PEREIRA
  • A colocação de pronomes clíticos em sentenças infinitivas preposicionadas no Português Brasileiro


  • Data: 24/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, apresentaremos a descrição e a análise dos padrões de colocação de clíticos em sentenças infinitivas preposicionadas na diacronia do português brasileiro. O corpus em análise se constitui de cartas de leitores, cartas de redatores e anúncios de jornais brasileiros dos séculos XIX e XX de diferentes regiões/estados – Rio de Janeiro, Bahia, Ceará e Pernambuco – e pertencem ao corpus mínimo comum do Projeto para a História do Português Brasileiro (PHPB). A análise está fundamentada em pressupostos teórico-metodológicos da teoria da Variação e Mudança (WEINREICH; LABOV; HERZOG, 1968[2006]; LABOV, 1972[2008]), da teoria de Princípios e Parâmetros (CHOMSKY, 1981; 1986) e do modelo de competição de gramáticas (KROCH, 1989; 2001). Os resultados mostram que o contexto das sentenças infinitivas preposicionadas apresenta, de um modo geral, uma forte variação clV/Vcl durante os séculos XIX e XX. Considerando o tipo de preposição, identificamos que, em todas as preposições, exceto nas sentenças com a e em, há uma queda significativa das taxas de próclise na segunda metade do século XIX. Na primeira metade do século XX, evidenciamos um leve aumento das taxas de próclise nas sentenças com verbos precedidos pelas preposições sem, de, para e a. Por fim, na segunda metade do século XX, apesar do aumento da ocorrência de próclise em sentenças com verbos precedidos pelas preposições por, a e de, as taxas de frequência de próclise nesses contextos não ultrapassam 50%. De um modo geral, os resultados referentes às orações completivas preposicionadas mostram um período de forte instabilidade ao longo dos séculos XIX e XX, ou melhor, uma forte variação entre anteposição e posposição do clítico ao verbo no infinitivo. Apesar de os resultados apontarem para uma diminuição das ocorrências de próclise no período que vai dos séculos XIX ao XX, vemos que a probabilidade de ocorrência de próclise em sentenças com verbos regidos pelas preposições de, para, por e sem é alta e significativa.

26
  • RAIMUNDA VALQUÍRIA DE CARVALHO SANTOS
  • UM ESTUDO DO GÊNERO ATA DE AUDIÊNCIA NA ESFERA JURÍDICO-TRABALHISTA

  • Data: 28/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • As atividades da esfera jurídico trabalhista são permeadas pelo uso de diversos gêneros textuais, os quais são instrumentos indispensáveis à consumação das ações que envolvem o campo jurisdicional. Dentre os gêneros que circulam no domínio em foco, elegemos o gênero ata de audiência como objeto de estudo desta investigação por se tratar de documento comprobatório das ações, procedimentos e deliberações acordadas, em audiência, por membros envolvidos em litígio do trabalho. Assim sendo, objetivamos nesta pesquisa descrever os elementos que constituem o referido gênero no que compete às dimensões pragmática, organizacional e linguística. Para tanto, utilizamos como aportes teóricos as postulações do interacionismo sociodiscursivo, por meio dos escritos de Bronckart (2006; 2007; 2012), subsidiadas pelos estudos de Marcuschi (2008; 2010; 2011), Koch e Fávero (1987) Koch e Elias (2011; 2012) e Zanotto (2012).  Em termos metodológicos, configura-se como pesquisa de abordagem qualitativa (BOGDAN; BIKLEN, 1994; CHIZZOTTI, 2000; MOREIRA; CALEFFE, 2006) com características de trabalho etnográfico (ANDRÉ, 1995; CANÇADO, 1994).  A discussão proposta se insere no âmbito da Linguística Aplicada por focalizar “questões sociais e criar inteligibilidades sobre as práticas sociais em que a linguagem desempenha papel central” (v. MOITA LOPES, 2006). O corpus da investigação é constituído por trinta atas de audiências de primeira instância assim como por textos gerados em entrevistas e questionários aplicados. As análises indicam que apesar do gênero em escopo apresentar proposta de escrita padronizada, os exemplares estudados contemplam variações e flexibilidade principalmente no que diz respeito ao desenvolvimento e ao desfecho do texto. Quanto aos aspectos linguísticos, é visível a presença de escolhas lexicais inerentes à linguagem utilizada pela comunidade discursiva jurídico trabalhista. A relevância da investigação situa-se no fato de abordar, sob a perspectiva da Linguística Aplicada, uma escrita da área forense e, consequentemente, oferecer contribuições para a compreensão do gênero em estudo.

     

     

27
  • DANIELLE BRITO DA CUNHA
  • ANÁLISE CRÍTICA DA (DES)(RE)CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA  EM PRODUÇÕES DE NARRATIVAS DE MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DE GÊNERO

  • Data: 14/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • A violência tem sido utilizada como instrumento de manutenção do regime Patriarcal que ainda assombra nossa sociedade. Inserido e legitimado em/por nossa cultura, o regime patriarcal considera a mulher como um ser inferior que deve ser subjugado e dominado, inclusive, pela força. Neste contexto, O objetivo dessa pesquisa é investigar, no âmbito das práticas discursivas e sociais, os processos de (des)(re)construção identitária  em produções de narrativas de mulheres vítimas de violência de gênero, contra a mulher. Para tanto, buscaremos verificar estudos de outras áreas, tais como, Estudos Culturais, Sociologia, Feminismo, dentre outros. Por isso, entendemos que essa dissertação está situada nos estudos de Linguística Aplicada e apresenta uma perspectiva indisciplinar (MOITA-LOPES, 2006). Além das áreas já mencionadas, dialogaremos com a Análise Crítica do Discurso, a Sociologia para Mudança Social, e a Linguística Sistêmico-Funcional. Para análise em torno de a postura indisciplinar em Linguística Aplicada, utiliza-se a metodologia qualitativa/interpretativa (MAGALHÃES, 2001). A fim de examinar narrativas do “eu” de mulheres vítimas de violência, recorremos à narrativas expostas na internet, por serem de domínio público. Dessa forma, pesquisamos apenas os relatos presentes nessa ferramenta (comentário) locada em reportagens do site do G1, mais especificamente, as reportagens sobre violência de gênero feitas no ano de 2014, em duas capitais do Nordeste, Piauí e Rio Grande do Norte, e em uma reportagem feita no programa “Profissão Repórter”, em 2011. Para fundamentação da pesquisa, enquanto método de estudo e teoria social, utilizamos a Abordagem Sociológica e Comunicacional do Discurso, corrente vinculada aos pressupostos da Análise Crítica do Discurso (PEDROSA, 2012a).   Os dados evidenciam que as narrativas do “eu” na ferramenta “comentário” dividem-se em dois grandes grupos: narrativas de desistência e narrativas de persistência. Percebemos também os sujeitos se movimentando nas Esferas identitárias de acordo com os contextos da narrativa. A pesquisa nos permitiu ainda inferir que existe uma possibilidade de mudança social a partir da narrativização das tensões identitárias e reconhecimento das desigualdades nas relações de poder.

     

28
  • FRANCISCO FREIRE DE AMORIM SEGUNDO
  • O Tempo no haicai da rã, de Matsuo Bashô, e em suas traduções

  • Data: 25/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • Partindo de um cotejo entre o haicai de rã, de Matsuo Basho, e quatro traduções para o português do mesmo poema, analisa-se as formas como o tempo se manifesta em cada poética. Da presentificação do texto original às nuance espaço-temporais das traduções, desenvolve-se uma reflexão sobre as influências cognitivas e sociais da produção literária, pensando a língua como reflexo de uma sensibilidade estética intrínseca a cada cultura. O haicai torna-se, assim, a poética por excelência para esse tipo de análise, já que se origina de um contexto linguístico e perceptivo diverso daquele para o qual é traduzido. O trabalho procura traçar as pontes que ligam os universos orientais e ocidentais para, então, localizar as diferenças e ressaltar como a poesia pode manter-se presa ou suplantar seu contexto histórico e social.  

29
  • FRANCISLÍ COSTA GALDINO
  • Um olhar sobre o feminino nos poemas eróticos de John Donne.

  • Orientador : MARCIO DE LIMA DANTAS
  • Data: 25/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa é apresentar um estudo crítico sobre como se dão as representações do feminino nos poemas eróticos de John Donne (1572-1631), acreditando assim possibilitar uma melhor visão de como o feminino era visto pela sociedade Inglesa dos séculos XV e XVI por meio das análises dos poemas e de suas representações. Os objetivos estão reunidos a partir da leitura crítica e análise interpretativa dos poemas, tanto no que diz respeito a compreensão dos aspectos histórico-sociais, quanto a identificação dos lugares do feminino bem como acontecem as suas manifestações na poesia Donneana. Neste sentido, essa pesquisa, de caráter bibliográfico, analítico e interpretativo, se encontra justificada na relevância que se dá a contextualização do lugar e do espaço do feminino em uma sociedade de uma época de transformações e turbulências sociais (fim do Renascimento e da Idade Média e contra reforma religiosa), tendo como cerne os estudos sobre no lugar do feminino na sociedade ocidental além de direcionar suas análises ao estudo dos poemas eróticos, uma vez que as representações do feminino possuem traços mais marcantes nesse espaço, tendo em vista toda a obra poética de Donne. Para isso, a pesquisa teve como orientação teórica, prioritariamente, os estudos críticos de Campus (1988), Eliot (1941), Erickson (2010), Fiorussi (2008), sobre questões que envolvem a poética Donneana; Bataille (1988) e Beauvoir (1980), nos questionamentos a respeito do erotismo e sexualidade; Grolli (2004) e Macedo (2002), quanto ao feminino e seu lugar no espaço. 

30
  • ALEXSANDRO LINO DA COSTA
  • Não identidade em As Meninas, de  Lygia Fagundes Telles

  • Orientador : TANIA MARIA DE ARAUJO LIMA
  • Data: 29/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação toma como corpus o romance As meninas, publicado em 1973, da escritora paulista Lygia Fagundes Telles. O elemento primordial de análise são as personagens principais, Ana Clara, Lia e Lorena, cujas identidades revelam-se em formação, portanto indefinidas e mutáveis. Ao partirmos da hipótese de que a identidade das personagens pode ser fragmentada, nosso objetivo é verificar como essa possível fragmentação ocorre. Stuart Hall (2005) discorre sobre essa fragmentação identitária, a qual, na obra em estudo de Lygia, se expande e fragmenta a estrutura narrativa, concretizada em quatro focos narrativos: os de cada uma das protagonistas e de um quarto narrador, heterodiegético. Esse modo múltiplo de narrar possibilita visualizar as diferentes identidades que cada personagem comporta, visto que há um aumento de pontos de vista. Zygmunt Bauman, com seu conceito de liquidez (2005), corrobora com nossa pesquisa sobre as movências identitárias. Autores como Zilá Bernd (2011), Tomaz Tadeu da Silva (2012) e Kathryn Woodward (2012), com seus respectivos estudos sobre identidade, também adensam nossa dissertação. Nossa pesquisa se constitui metodologicamente como bibliográfica e analítica.

     

31
  • WAGNER GUEDES KERLLER
  • ELIAS CANETTI: UMA DRAMATURGIA EM VIAS COM A PÓS-MODERNIDADE

  • Orientador : ALEX BEIGUI DE PAIVA CAVALCANTE
  • Data: 29/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • The purpose of this dissertation is to analyse the dramaturgic work of the Bulgarian author Elias Canetti, composed by the plays The Wedding, Comedy of Vanity and Their days are numbered, seeking to comprehend how the contemporary critic theories act on his trilogy, making a dialogue with theoretical references which may justify its approaching to the postmodernism. Undertaking Canetti’s notes and theatre with the philosophical concepts of Adorno’s negative aesthetics, we realise there is a space to reflect upon the theories which befell, like Foucault’s power relations in Micro-physics of power and the discourses of resistance and deterritorialisation developed by Deleuze and Guattari in A Thousand Plateau and Anti-Oedipus. Even though Canetti’s plays were written between 1932 and 1956, all of them show a strong critic against modernism, and their characteristics did not help their recognition by the critics, which resulted in a rediscovery of Canetti’s plays after the author won the Nobel Prize in 1981.

32
  • LAÍS ROCHA DE LIMA
  • Entre história, boatos e Vendéiasa descoberta do homem sertanejo em Os Sertões

     

  • Data: 10/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, estudam-se Os Sertões, obra maior de Euclides da Cunha. O objetivo é traçar as influências históricas, políticas e ideológicas sobre a concepção da personagem sertaneja, essa composta pelo escritor a fim de livrá-la das acusações públicas pela sua provável conspiração para restaurar a Monarquia na recente República Federativa do Brasil. A discussão do capítulo um se delimita ao panorama histórico, determinando o espaço e a cultura do período de produção do livro. O segundo capítulo abrange a aplicabilidade da doutrina Positivista no Brasil e como se formou o perfil acadêmico do autor baseado nela. Ao terceiro ficaram as discussões sobre as alianças políticas feitas para a construção de boatos sobre o arraial de Belo Monte a fim de alcançar aprovação da opinião pública para o avanço militar sobre ele. Ao capítulo seguinte, a maturação da concepção de realidade do autor sobre o crime em Canudos, lugar antes denominado de A Nossa Vendéia, e a análise objetiva proposta. No derradeiro capítulo, a criação do imaginário sertanejo e do estereótipo remanescente na atualidade. Verifica-se que a luta pelo progresso no poder instituído durante a primeira República foi capaz de promover tanto guerras quanto buscas por ascensão social, incitando esse desejo nas instituições governamentais e em homens triviais à época, assim como a permanência da resistência política das elites contra a sociocracia.

33
  • ANA CAROLINA MOURA MENDONÇA
  • O CHEIRO DO CARNAVAL: SANGUE DE COCA-COLA E A DITADURA MILITAR BRASILEIRA


  • Orientador : ANDREY PEREIRA DE OLIVEIRA
  • Data: 16/06/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta pesquisa visa analisar o romance Sangue de Coca-Cola (1980), de Roberto Drummond, a partir de alguns questionamentos pertinentes para a compreensão de seu caráter inovador, considerando o contexto repressivo da época em que foi escrita e publicada. Dentro das questões que orientam a investigação, consideramos, sobretudo, a estrutura formal da obra. Essa estrutura se apresenta de modo experimentalista quando se compara à estrutura comum à maioria das produções literárias do mesmo período e, sem dúvida, é constituinte de um diferencial estético. O romance apresenta-se como uma composição estética dialógica por trazer os discursos sociais em dissonância na narrativa. Além desse aspecto dialógico, a carnavalização é um conceito imprescindível ao analisar Sangue de Coca-Cola, já que este romance elabora uma sátira do contexto sócio-político ditatorial brasileiro. Elementos da carnavalização e do fantástico fazem da obra uma literatura que se preocupa em engajar-se na discussão política da ditadura militar. A partir do estudo da formalização estética do romance, buscamos entender de que modo a sociedade vem participar de sua composição. Nosso estudo, no entanto, não pretende esgotar as possibilidades interpretativas da obra, nem pretende debruçar-se sobre a situação sócio-político de uma época, mas observar o diálogo entre a obra e o contexto, ressaltando de que modo a sociedade participa e é relevante para a configuração do romance.


34
  • MARCELA RIBEIRO
  • QUE DIFERENÇA DA MULHER O HOMEM TEM? Erotismo e Pornografia em Maria Teresa Horta

    e Carlos Drummond de Andrade

  • Data: 17/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como proposta geral a delimitação do espaço erótico no papel impresso, em meio ao texto poético. Para tanto, propõe-se comparar duas escritas de caráter transgressor, fazendo a união da portuguesa Maria Teresa Horta e do brasileiro Carlos Drummond de Andrade pela trama erótica, pelo discurso atópico e marginal do erotismo para o qual os dois produziram livros, que são, respectivamente, Educação sentimental (1975) e O amor natural (1992). Tem-se o erotismo como a soma das vozes masculina e feminina na relação heterossexual e pretende-se esquadrinhar como o universo da literatura representa o homem e a mulher e se essa representação na verdade é imposta socialmente ou se traz à luz algo de novo. Se cada ponto de vista é a vista de um ponto, cada autor falará do alto de seu ponto de observação e experimentação, o mais confortável para si. Para tanto, busca-se investigar o erotismo em si e sua relação com a vida cotidiana, delimitando também o que o afasta – ou aproxima – da pornografia e da obscenidade.

35
  • WILLIAM BRENNO DOS SANTOS OLIVEIRA
  • UM CORAÇÃO QUE PULSA FORA DO CORPO: imagens passionais nas cartas de Frida Kahlo

     

     

  • Data: 18/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • UM CORAÇÃO QUE PULSA FORA DO CORPO: imagens passionais nas cartas de Frida Kahlo

     

     Entre os anos 30 e 40 do século passado, o México viu surgir, das cinzas da revolução mexicana, uma figura singular. Frida Kahlo é descrita, até hoje, pelo imaginário social –  em seus quadros, em suas fotografias – como uma mulher que marcou uma época e que se tornou símbolo de lutas, e isso se estende até a contemporaneidade. Criou-se, em volta da pintora mexicana, várias imagens sociais que eram delineadas no jogo dialógico entre suas obras e seus interlocutores. Tomando como referência essas assertivas, a pesquisa ora apresentada tomou como procedimento realizar uma análise de seis cartas escritas por Frida para os seus interlocutores amados/amantes – três homens com os quais ela se envolveu, afetivamente, durante períodos diferentes de sua vida –, e, como objetivo, mapear os ethé construídos por ela em enunciados nos quais ela “pinta” verbalmente uma imagem de si que se revela nas escolhas lexicais eleitas para falar de amor, de traição, de amizade, de dor e de seu estar no mundo. Diante disso, refinamos uma imagem estética e ideológica de Frida Kahlo que se recobre de passionalidades distintas e de graus dialógicos diversos. Há, no recorte temporal e axiológico que fizemos para esta pesquisa, uma mulher de natureza amante e que transformou esse amor em mote para seus embates com interlocutores com quem se envolveu afetivamente. A nossa análise encontra-se ancorada nas postulações teóricas da Análise Dialógica do Discurso (ADD), que tem como teórico-base o filósofo russo Mikhail Bakhtin (2003, 2009, 2013) – no que se refere ao estilo, principalmente –, e na teoria enunciativa de Maingueneau (2008, 2005) e Charraudeau (2006) – no que se refere ao ethos discursivo. Esta pesquisa insere-se na área da Linguística Aplicada e possui um enfoque qualitativo-interpretativista.

36
  • LARALIS NUNES DE SOUSA OLIVEIRA
  • O SER PROFESSOR NOS COMPLEXOS BILÍNGUES DE REFERÊNCIA PARA SURDOS DE NATAL: VOZES EM DIÁLOGO

  • Orientador : MARILIA VARELLA BEZERRA DE FARIA
  • Data: 30/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • No ano de 2010 na cidade de Natal, Rio Grande do Norte, realizou-se a implementação de um novo conceito institucional voltado para a educação de surdos, materializado nos Complexos Bilíngues de Referência para Surdos (CBRS), dez grupos de duas ou três escolas municipais, responsáveis pela Educação Infantil e Ensino Fundamental I e II, passíveis de terem até 50% de seu alunado constituído por alunos surdos. Dada a alcunha “bilíngue” do projeto, têm grande importância para sua realização não apenas os profissionais especializados na educação de surdos (como instrutores e intérpretes de Libras), mas os professores de Língua Portuguesa dessas instituições. Nesta pesquisa, o objeto são as vozes sobre o ser professor nos Complexos Bilíngues de Referência para Surdos de Natal. Situados na área da Linguística Aplicada, temos por objetivo criar inteligibilidade sobre um problema social que tem a linguagem ocupando papel central, qual seja o ser professor nas instituições em questão. O corpus da pesquisa se constitui de onze textos redigidos por esses profissionais sobre sua atuação nas referidas instituições. A análise que realizamos se constrói sobre os quatro tópicos mais recorrentemente encontrados nos relatos, quais sejam a formação inicial e continuada, as experiências docentes, os aspectos institucionais e as sensações que permeiam sua atuação. Sob uma perspectiva qualitativo-interpretativista, realizamos a leitura e a discussão dos dados tomando por base as concepções de linguagem e sujeito elaboradas pelo Círculo de Bakhtin (BAKHTIN, 2011; VOLOSHÍNOV/BAKHTIN, 2012); a noção de diferença dos Estudos Culturais, com maior representação de Woodward (2012) e Silva (2012); e as discussões sobre educação de surdos dos Estudos Surdos, com maior presença de Skliar (1997, 2010), Sánchez (1990) e Lane (1992, 2006). Nas falas dos professores, é possível identificar a fluidez e multiplicidade de vozes que os atravessam. Em suas vozes se revelam as tensões existentes entre o discurso governamental da inclusão como perspectiva da Educação Especial e a realidade enfrentada pelos docentes. A despeito das diferenças que os constituem, seus discursos se tocam sobretudo no que diz respeito às insuficientes oportunidades de formação e às precárias condições de atuação, que têm repercussões diretas no processo de ensino-aprendizagem do aluno surdo.

37
  • MARÍLIA CAMPOS SABINO
  • O slogan empresarial como padrão discursivo: uma abordagem cognitivo-funcional.

  • Data: 21/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, analisamos slogans empresariais coletados na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, compreendendo-os como um padrão discursivo, isto é, como um pareamento de forma e função capaz de aglutinar as noções de tipo textual e gênero textual. Os trabalhos encontrados até o momento indicam que a Análise do Discurso é a área que mais tem se pronunciado a respeito dos slogans (slogans de produtos, e não de empresas, vale salientar), considerando-os, por meio de análises apenas formais ou funcionais, como um gênero textual intrínseco à ideologia e à subjetividade. Pretendemos extrapolar o âmbito da análise de um ou outro nível, abordando tais textos, simultaneamente, em seus aspectos formais e funcionais. Desenvolvemos, dessa maneira, uma análise quali-quantitativa, objetivando, especificamente, analisar as propriedades formais (fonéticas, morfológicas e sintáticas) e funcionais (semânticas, pragmáticas e discursivas) dos slogans, bem como verificar e quantificar aspectos recorrentes envolvidos em sua construção, com vistas a captar padrões configuracionais subjacentes à sua formação. Tomamos como base a Linguística Funcional Centrada no Uso, que conjuga a tradição funcionalista norte-americana, representada por pesquisadores como Bybee (2010) e Traugott (2010), com a Linguística Cognitiva, em especial, a corrente vinculada à Gramática de Construções, conforme postula Östman (2005), dentre outros. Por meio dos resultados obtidos, ratificamos a relevância da interface entre os aspectos formais e funcionais na análise dos usos linguísticos.

38
  • MIRLENE COUTINHO DE MELO
  • Canto de muro: A construção de um mundo de papel

  • Data: 30/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • CANTO DE MURO: A CONSTRUÇÃO DE UM MUNDO DE PAPEL

    corpus desta pesquisa é a obra Canto de Muro (1959), do escritor potiguar Luís da Câmara Cascudo. Trata-se de um romance de costumes que apresenta, em sua temática e estrutura composicional, nitidez científica associada à poeticidade. A obra é a narração da vida, das aventuras e da morte de animais que vivem no quintal de uma chácara urbana, no Tirol, lugar que Cascudo investiga as atitudes e os comportamentos diários dos bichos sob a ótica naturalista (científico), social (cotidiano) e poética (linguagem). Nessa perspectiva, este estudo tem como objetivo compreender e analisar a presença da intertextualidade para a construção da narrativa cascudiana, em que evidenciamos a existência de outros textos tanto de estudos divulgados da História Natural, quanto da cultura popular, que contribuem para a formação do texto literário e para a cultura e a memória coletiva. Sendo assim, a fim de embasar a nossa reflexão sobre a intertextualidade, estamos fundamentados nas teorias dos seguintes estudiosos: Compagnon (1996) e Kristeva (2005), que nos subsidiam acerca da presença de epígrafes, de citações e de notas de rodapé. Além disso, refletimos sobre a tradição popular que caracterizam as personagens animalescas e percebemos como a memória faz parte da obra. Para isso, contemplamos as principais contribuições teóricas de Bornheim (1987), Candido (2000, 2004), Brandão (2008) e Bosi (2006) que discutem com propriedade essas reflexões. Logo, a nossa pesquisa também compreende uma análise  das personagens, no tocante às atitudes e às vidas que habitam e visitam o cotidiano no canto do muro, e a figura do narrador pesquisador.

39
  • IURY MAZZILI GOMES DANTAS
  • A correlação locução adjetiva/ adjetivo: uma análise funcional

  • Data: 18/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, investiga-se a (cor)relação da locução adjetiva com o adjetivo virtualmente correspondente em perspectiva funcional. Objetiva-se identificar fatores de natureza estrutural, semântica e discursivo-pragmática para o emprego de uma ou de outra forma de codificação do modificador nominal. O aparato teórico é o da Linguística Funcional Centrada no Uso, conforme caracterizado por Furtado da Cunha, Bispo e Silva (2013). A pesquisa contempla tanto aspectos quantitativos, em termos da mensuração dos dados empíricos com que se trabalha, como questões de natureza qualitativa no tocante à explicação e à interpretação do fenômeno sob estudo. O banco de dados do qual foram extraídas as ocorrências compõe-se de textos provenientes de edições da revista Veja, de janeiro a março de 2013. Esses textos são representativos de três gêneros textuais, a saber: editorial, coluna social e guia. Os achados deste trabalho, assim como do de Dantas e Silva (2012), revelam que a existência de formas intercambiáveis de locução adjetiva e adjetivo parece não sustentar-se quando se considera a língua em uso.  A análise dos dados permitiu verificar que fatores de ordem diversa (semântica, estrutural, cognitiva e pragmática) estão envolvidos na opção pela locução adjetiva em vez do adjetivo supostamente correlato.

40
  • JOILZA XAVIER CORTEZ
  •  

    ARGUMENTAÇÃO EM FOCO: a perspectiva de avaliação do ENEM

  • Data: 21/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • O ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) é, atualmente, um dos principais instrumentos de avaliação em larga escala da educação brasileira. É também bastante utilizado pelas universidades para selecionar os estudantes às vagas de cursos superiores. A prova de redação do ENEM tem como objetivo avaliar a capacidade do estudante de produzir um texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo sobre um tema de natureza social, científica, cultural ou política. Este trabalho se situa nesse contexto: queremos discutir a avaliação da argumentação na prova de redação do ENEM. Partimos do pressupondo de que a avaliação da capacidade de desenvolver um texto bem argumentado passa por uma série de habilidades específicas que recobrem diferentes aspectos do que se entende por processo de argumentação. Considerando, portanto, que a argumentação é objeto de diferentes abordagens teóricas e pode recobrir diferentes conceitos, nosso objetivo é verificar quais são as abordagens e os conceitos subjacentes e como são mobilizados nas competências e habilidades da matriz de correção da prova de redação do ENEM. Quanto a sua natureza, trata-se um trabalho teórico, ou seja, pretendemos oferecer apenas uma discussão acerca do tema, sem necessariamente oferecer aplicação prática. Quanto aos objetivos, o trabalho tem caráter exploratório já que pretendemos oferecer um tratamento do problema, com vistas a torná-lo mais explícito e assim construir algumas hipóteses. Nesse sentido, realizamos um levantamento de algumas abordagens teóricas sobre a argumentação e constamos três concepções: argumentação retórica, argumentação textual, argumentação linguística. Em seguida, analisamos no Guia do Participante (A redação do ENEM-2013) como cada uma dessas concepções é mobilizada na avaliação da redação a partir da forma como são consideradas na descrição das competências e habilidades a serem corrigidas. Essa análise nos mostrou que não se assume nessas competências e habilidades um viés teórico balizador bem situado, o que pode contribuir para uma certa fragilidade do processo de avaliação da redação.

41
  • MARIA CAROLINA LÚGARO IZUIBEJERES
  •  

     

     A Intercompreensão em Linguas Românicas nas aulas de Espanhol: O que querem e o que podem essas línguas?

  • Data: 26/08/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Os Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Estrangeira orientam para um ensino de línguas que tenha como objetivo a comunicação linguística e intercultural de modo a contribuir com a formação reflexiva dos alunos. Com esse fim foi realizado um Intercâmbio Virtual unindo lugares tão distantes como Córdoba, na Argentina, e Natal no Brasil, entre alunos de Ensino Médio de dois colégios de Córdoba e um de Natal, através da plataforma Moodle e do Facebook. O intercâmbio teve sua origem nas diretrizes da Intercompreensão em Línguas Românicas (IC), no caso entre o português e o espanhol, no qual cada aluno se comunica na sua própria língua e faz um esforço para entender a do outro em um processo colaborativo que transcende os limites do puramente linguístico, fazendo com que o aluno perceba a sua realidade perante a diferença. Este estudo qualitativo de cunho etnográfico busca conhecer em que medida a aplicação de projetos diferenciados aumenta o interesse dos alunos pela língua estudada. Procuramos, também, desenvolver a competência intercultural de nossos jovens e promover o respeito por culturas diferentes. Em se tratando de alunos argentinos e brasileiros, tentamos promover uma reflexão sobre as representações sociais e procurando destruir estereótipos existentes entre as duas sociedades. Como recursos metodológicos, utilizamos entrevistas, questionários e atividades de intercompreensão durante o projeto, além da observação participante das interações entre os alunos de ambos os países. Acreditamos estar contribuindo para a formação integral do aluno como cidadão crítico e reflexivo da sua postura perante o mundo, o que deve ser um dos objetivos da educação formal segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais. Nossa fundamentação teórica baseia-se na Intercompreensão de Línguas Românicas (IC) como didática do plurilinguismo, (JAMET E SPIŢĂ 2010; ARAÚJO E SÁ et al., 2003; CAPUCHO, 2010; ANDRADE et al., 2003), em algumas teorias sobre interculturalidae e identidade (Vallespir, 1999; DUARTE & SANCHES, 2004; REVUZ, 1998; SILVA, 2000; CHAUÍ 2006; SERRANI-INFANTE 1998), de motivação e aprendizagem de L2 (DECI & RYAN, 1985; DÖRNYEI e OTTÓ, 1998; DÖRNYEI, 2000, 2001; 2011) e na Teoria da Aprendizagem Significativa (AUSUBEL, 1968). Nossos resultados mostram um aumento na motivação dos alunos nas aulas de espanhol quando em contato com a língua alvo através de atividades dinâmicas em um contexto de IC. Além disso, percebemos que a reflexão sobre a cultura dos argentinos auxiliou na desconstrução de representações culturais pré- existentes. 

    Palavras-chave: Intercâmbio virtual. Intercompreensão de línguas românicas. Interculturalidade. Motivação. Português. Espanhol.

     

42
  • ALAN MARINHO CÉSAR
  • The constructional network of transitive verbs of movement

  • Data: 31/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • The purpose of this research is to investigate the construction of verbs of movement followed by direct object (VMTD). Our analysis aimed to reveal the differences in meaning of these verbs, proposing a syntactic-semantic classification, which is based on the relationship between the verb and its arguments. The Corpus Discurso & Gramática: a língua falada e escrita na cidade do Natal (FURTADO DA CUNHA, 1998) was used as the database which allowed us to capture the subject of study as it is manifested in social communicative interactions. The theoretical framework combines the principles of Linguística Funcional Centrada no Uso (LFCU) and Cognitive Linguistics, especially the Construction Grammar. The analysis showed that the VMTD may have different semantic framings, if we consider the participant which moves or the type of influence it can undergo as a consequence of the verbal action. The results indicated that these framings are part of two basic schemes, movement and displacement, which license three types of subschemas, manipulation, traversing and bringing, which, in turn, license micro-constructions defined according to the semantic roles played by its arguments. This paper proposes a classification for transitive verbs of movement arranged in a constructional network which hierarchically organize the relatively distinct cognitive schemes relatively distinct which these verbs conceptualize. 

43
  • GERCLEIDE GOMES DA SILVA FERREIRA DO NASCIMENTO
  • The Autibiographical and Memorialistic Construction in Oiteiro: Memórias de uma Sinhá-Moça

  • Data: 31/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • In this research, we intend to deliver a possible reading of the narrative Oiteiro: memórias de uma Sinhá-Moça (1958), by the writer Magdalena Antunes, placing it within the context of the Brazilian Literature of Rio Grande do Norte. The author’s personal and social relations described in her book as well as the outcomes within an autobiographical, memorialistic and fictional approach will be under inquiry here. Our intent is to reach an understanding of the autobiographical aspects in Antunes’ work that reveal the “writing of the self” and its probable fictional traits, by means of the tensions identified in the narrative. For this reason, we rely on contributions by Lejeune (2008); Amorim (2007; 2012); Walty (1985) and Iser (2002), among others. Aditionally, Antunes’ work is also constituted of a memorialistic nature, which emerges in the book through the reinterpretation of memories based on the author’s childhood and adolescence. For a theoretical description of those moments, we will utilize some conceptions on individual and collective memory and the thoughts of Henri Bergson (1999) and Le Goff (1984), as opposed to the contributions brought by Maurice Halbwachs (2006) and other authors.

44
  • CARMELIA PEREIRA DE LIMA
  •   

    INTERCOMPREENSÃO DE LÍNGUAS ROMÂNICAS: uma proposta para a leitura literária plurilíngue no Ensino Fundamental. 

  • Orientador : SELMA ALAS MARTINS
  • Data: 02/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa desenvolvida consistiu em investigar como os alunos do Ensino Fundamental se comportam diante de uma proposta plurilíngue, baseada na intercompreensão de línguas românicas com textos literários em sala de aula. A fundamentação teórica prioriza autores que consideram a leitura do texto literário como uma ferramenta essencial para a formação das habilidades de leitura e escrita dos alunos, tais como: Amarilha (1997; 2003; 2007), Resende (1993), Kleiman, (1999), Villardi (1997), Aguiar (1991), Perrone-Moisés (2000), Lajolo (1993), Zilberman (1991), Cosson (2006), além de Andrade, Melo-Pfeifer, Santos, (2009), Sá; De Carlo; Antoine (2011), Alas Martins (2014), Doyé (2005), Gomes-Sousa, (2013), entre outros no âmbito da Intercompreensão de línguas e do plurilinguísmo. Como recursos metodológicos para a pesquisa, utilizamos questionários e o desenvolvimento e aplicação de atividades de intercompreensão de textos literários representativos de três línguas românicas (Espanhol, Francês e Italiano), além da observação participante das aulas com alunos do 8º ano do Ensino Fundamental de uma escola da rede pública da cidade do Natal (RN). Os alunos puderam ler e (inter)compreender alguns textos da literatura clássica nas referidas línguas latinas e em Português, cujos títulos abrangeram “D. Quixote de la mancha” de Miguel de Cervantes; “O pequeno príncipe” de Antoine de Saint-Exupéry; e “Pinóquio” de Carlo Collodi. A análise dos dados obtidos mostra que os alunos compreenderam as aulas com textos plurilíngues como algo além do ensino da estrutura da língua, despertando para o conhecimento de novas línguas e culturas, tendo a diversidade linguística como motivação no momento da compreensão e a literatura como elemento transformador para a formação cidadã dos alunos.

     

     

     

     

45
  • JOÃO MARIA FREIRE ALVES
  • “O homem porno-gráfico: identidade inacabada em Glauco Mattoso”

  • Data: 08/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa analisa a produção de Pedro José Ferreira da Silva (paulistano, 1951) -  Glauco Mattoso. Poeta, cronista, ensaísta, tradutor, letrista, Mattoso integra uma geração de escritores que inova a produção literária no Brasil. A análise centra-se no inusitado romance, escrito em forma de 200 sonetos, “Raymundo Curupyra, o Caypora”, e aborda a relação da obra, seus personagens, enredo, temáticas e estilo formal com a tese da fragmentação identitária, tendo-se como referenciais teóricos Baumam (1998), Hall (2005) e Bernd (2011). A nova configuração do Masculino é também objeto da análise, partindo-se de autores como Badinter (1986), Hamburger (2007), Sontag (2008) e Campos (2012). Também abordar-se-á a temática da Descolonização, tal como proposta por Fanon (1979) e Memmi (1997). A partir da desconstrução dos estereótipos de homens, do multi-facetamento do machismo na sociedade atual, que Identidade Masculina permeia a escrita de Mattoso? Em que medida a teoria da Descolonização se aproxima da sua poética? Que noções e conceitos, formas e conteúdos podem-se apreender de sua temática? Que mecanismos culturais justificam a subversão da poesia marginal em Glauco Mattoso? Pretende-se analisar, também, a compreensão da “imagem de macho”, na constituição da voz narrativa; reconhecer os mecanismos culturais de subversão da poesia marginal em Mattoso; pesquisar que referenciais de “macho”, “homem” “virilidade social” permeiam sua poética; evidenciar a postura de revolução cultural desencadeada na forma de sua produção poética. E ainda: verificar o diálogo do poeta com outras temáticas relacionadas à Identidade Masculina e até que ponto o seu “porno-grafismo” deixa de ser apelativo para apresentar rigor formal e qualidade estética, ao ponto de fazer do escritor um dos ícones da escrita marginal brasileira.

     

46
  • KEFORA JANAINA DE MEDEIROS
  • QUERIDO DIÁRIO: A CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA DE ALUNOS DA EJA EM DIÁRIOS PESSOAIS

  • Orientador : MARILIA VARELLA BEZERRA DE FARIA
  • Data: 14/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetiva apresentar as análises de nossa pesquisa, do tipo documental, que investiga a construção de identidades culturais de alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), nível III, de uma escola municipal de Natal – RN, por meio de diários pessoais produzidos em ambiente escolar. Numa abordagem qualitativo-interpretativista, ancoramo-nos nos estudos identitários que nos trazem a ideia de que as identidades são construídas e reconstruídas pelas relações sociais que realizamos. Para tanto, partirmos de uma concepção de linguagem que não pressupõe categorias pré-estabelecidas, pois essas partem do próprio enunciado.  Assim sendo, vamos analisar os enunciados produzidos por esses alunos sob a perspectiva do Círculo de Bakhtin, que trata a construção discursiva emergindo de processos intersubjetivos de interação verbal, numa relação dialógica do eu com o outro, pela alteridade e pela heteroglossia. Ademais, ainda norteiam nosso estudo as orientações sobre gênero do discurso e diário pessoal. Filiamo-nos à Linguística Aplicada indisciplinar por entendermos que essa pesquisa se debruça sobre uma prática social em que a linguagem desempenha papel central e procura demonstrar como os discursos dos sujeitos alunos da EJA, em diários pessoais, são instrumentos de construção não só de suas identidades, mas também do conhecimento e da vida social, da posição que esse sujeito aluno ocupa. Concluimos esse trabalho numa percepção primária das identidades culturais que são construídas pelo sujeito aluno da EJA, pois os resultados sugerem que as identidades desses alunos são fluidamente construídas através da representação que o aluno faz da escola, do que é ser estudante da EJA e de como ele é estudante da modalidade.  Com isso, através de nosso trabalho, pretendemos apresentar mais um olhar sobre a(s) identidade(s) do aluno da EJA, apontando uma visão sobre esse sujeito.

47
  • RENATA CALLIPO FUJII
  • A RELAÇÃO ENTRE MEMÓRIA DE TRABALHO E COMPETÊNCIA LEITORA EM CRIANÇAS EM RISCO DE TRANSTORNO DE APRENDIZAGEM DO PROJETO ACERTA:

    Um estudo exploratório

  • Orientador : JANAINA WEISSHEIMER
  • Data: 19/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • Ler e escrever é um direito essencial, que envolve dimensões individuais e coletivas; além de ser importante para o desenvolvimento socioeconômico e político, e para o aprimoramento do pensamento crítico e da participação ativa na sociedade (UNESCO 2005). Sob o ponto de vista neurobiológico, o cérebro não está pronto para a leitura, e esta prática deve ser adquirida deliberadamente através da instrução (DEHAENE 2009). No entanto, os transtornos de leitura e déficits em funções executivas, como, por exemplo, na capacidade de memória de trabalho, podem tornar essa atividade árdua e dificultosa. Buscamos com este estudo investigar o desenvolvimento da competência leitora de 45 alunos do terceiro ano do ensino fundamental da rede pública da cidade de Natal – RN e sua relação com a capacidade de memória de trabalho, através de informações da Provinha Brasil, de dados gerados a partir de testes de memória de trabalho (versão em português do AWMA – Automated Working Memory Assessment) e de medidas no teste de inteligência fluida RAVEN. Com base neste objetivo principal, procuramos responder às seguintes perguntas de pesquisa: (a) Quais as correlações existentes entre a memória de trabalho e os transtornos de leitura?; (b) O que caracteriza a relação entre baixa capacidade de memória de trabalho e risco de transtorno de leitura entre os participantes deste estudo?; (c) De que forma a memória de trabalho se relaciona ao construto de inteligência fluida aplicado neste estudo? Seguindo a metodologia de pesquisa quali-quantitativa (DÖRNEY, 2007), as Provinhas Brasil dos alunos do terceiro ano do ensino fundamental de seis escolas pertencentes ao Projeto ACERTA - Avaliação de Crianças em Risco de Transtornos de Aprendizagem (CAPES/OBEDUC)- foram analisadas e comparadas aos escores dos testes de memória de trabalho e inteligência fluida. Os resultados indicam que a competência leitora dos alunos em risco de transtorno de leitura está diretamente ligada à capacidade de memória de trabalho dos mesmos, principalmente no que diz respeito ao componente fonológico. Também se observa que os participantes com menos capacidade de memória operacional demonstram maiores dificuldades nas habilidades de leitura que demandam decodificação. Ainda, quanto à relação entre memória de trabalho e inteligência fluida, as correlações entre os dois construtos sugerem uma ligação estreita entre os mesmos. Pretendemos assim, contribuir para o diagnóstico dos transtornos de leitura e possíveis estratégias de intervenção.

48
  • LUANA VITAL DOS SANTOS
  • TIPOS DE DISCURSO E RECURSOS LINGUÍSTICOS: análise comparativa entre português e espanhol

  • Data: 23/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho toma como objeto de estudo os tipos de discurso, umas das noções centrais do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD). Segundo o ISD, a linguagem assume um ponto central no desenvolvimento do ser humano e o texto é concebido como uma unidade comunicativa global que movimenta recursos linguísticos de determinada língua natural, adotando e adaptando determinado modelo textual (os gêneros textuais). Os tipos de discurso são definidos como segmentos, em número finito, que entram necessariamente na composição dos gêneros, e, consequentemente, de cada texto empírico, nos quais semiotizam diferentes mundos discursivos particulares ou diferentes atitudes de locução. A identificação dos tipos de discurso é possível a partir das unidades linguísticas que neles ocorrem. Considerando essas noções, partimos da hipótese formulada por Miranda (2008) segunda a qual, de acordo com os gêneros, os tipos de discurso apresentam especificidades no plano da configuração do tipo linguístico, que, por sua vez, podem variar nas diferentes línguas naturais. Nosso objetivo é, portanto, descrever o tipo de discurso que predomina no gênero painel do leitor e depreender as unidades e mecanismos linguísticos que se associam ao tipo de discurso ou tipos de discurso predominantes, comparativamente em relação ao português e ao espanhol. O trabalho se caracteriza por sua natureza exploratória e pretende tratar a questão com vistas a torná-la mais explícita para a discussão de hipóteses. Para atingir esse objetivo, analisamos um corpus composto por 30 painéis de leitores, 15 extraídos do jornal El periódico de Catalunya, em língua espanhola, e 15 do jornal Folha de São Paulo, em língua portuguesa.

49
  • MARIA LUÍZA ASSUNÇÃO CHACON
  • A PERSONAGEM ENSIMESMADA EM TU NÃO TE MOVES DE TI

  • Orientador : ROSANNE BEZERRA DE ARAUJO
  • Data: 26/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa pretende analisar a obra Tu não te moves de ti (1980), de Hilda Hilst (1930-2004). Em nossa investigação, observaremos primordialmente a complexidade do comportamento das personagens. É importante destacar, no entanto, que o fato de a personagem ser a categoria principal de nossa análise não implica na exclusão de outros elementos da narrativa. Detectamos que a personagem, elemento mais atuante da ficção, encontra-se radicalmente ensimesmada no texto hilstiano, e é sobre esse aspecto que pretendemos nos deter. Sendo assim, investigaremos a relação estabelecida entre a subjetividade exacerbada das personagens e a linguagem utilizada pela autora. Para tanto, observaremos o recurso discursivo que é bastante recorrente em seus textos: o fluxo da consciência. Refletir acerca desse recurso é de fundamental importância para a nossa pesquisa, pois a problematização do indivíduo, na escrita de Hilst, passa também pelo desordenamento da linguagem. É válido ressaltar, ainda, que consideraremos o contexto social no qual a obra se insere, promovendo diálogos entre ambos a fim de evidenciar de que forma a sociedade se configura no romance. Em função disso, não entenderemos o isolamento das personagens somente em sua dimensão ontológica, mas também em sua dimensão histórica e social.

     

     

50
  • DEBORA MARIA DA SILVA OLIVEIRA
  • BLOG PROERD NO SERTÃO:

    LETRAMENTO E AÇÃO SOCIAL

  • Orientador : ANA MARIA DE OLIVEIRA PAZ
  • Data: 03/11/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho contempla eventos e práticas de letramento em contexto de políticas públicas antidrogas, mais precisamente, na atuação de policiais militares do Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD). Esses formadores desenvolvem ações voltadas para a prevenção ao abuso de drogas lícitas e ao uso de drogas ilícitas, bem como divulgam, através de relatos, suas ações, iniciativas e campanhas de prevenção em uma rede operativa virtual. Assim sendo, a pesquisa proposta tem como objeto de estudo os posts do blog PROERD no Sertão, publicados por policiais militares da região do Seridó/RN. Sua configuração em domínio virtual contempla posts de ações desenvolvidas junto a alunos de escolas públicas do Ensino Fundamental e comunidade, na perspectiva de chamar a atenção para a prevenção quanto ao uso e abuso de drogas lícitas e ilícitas. Nesse sentido, a pesquisa objetiva analisar eventos e práticas de letramento implementados por policiais proerdianos  no que se refere à produção e à publicação de posts no referido blog. Em termos teóricos, apoia-se nos pressupostos dos Estudos de Letramento como prática social (BARTON; HAMILTON, 1993, 1998, 2000; KLEIMAN, 1995, 2008; STREET, 1984; OLIVEIRA, 2008, 2010; ROJO, 2009), na teoria dos gêneros (OLIVEIRA, 2010; BRONCKART, 2004, 2006), nos estudos dos elementos de dimensão pragmática, esquemática e linguística (KOCH; FÁVERO, 1987), nos estudos da multimodalidade (KRESS; VAN LEEUWEN, 2006 [1996]; DIONÍSIO, 2006; SANTAELLA, 2012; ALMEIDA, 2011), nos conceitos de agenciamento (BANDURA, 2001), hipertexto e hipermídia (NOJOSA, 2007; KOMESU, 2004; GOMES, 2010; KARWOSKY, 2012; FERRARI, 2007), bem como nos fundamentos que tematizam linguagem e trabalho (SOUZA-E-SILVA, 2002; DUARTE; FEITOSA, 1998; PAZ, 2008, 2010). Metodologicamente, a investigação se insere no campo da Linguística Aplicada (MOITA-LOPES, 1996, 2006; PENNYCOOK, 2006), segue abordagem de natureza qualitativa e assume características da pesquisa explicativa (MOREIRA; CALEFFE, 2006; BOGDAN; BIKLEN, 1994; MINAYO, 2010; CHIZZOTTI, 2005). A geração de dados se desenvolve por meio de técnicas padronizadas (GIL, 1994) que compreendem entrevistas e questionários, as quais possibilitam o “cruzamento” ou a triangulação de informações (COX; ASSIS-PETERSON, 2001). As discussões dos dados convergem para a revisitação das categorias (elementos e componentes) propostas por Hamilton (2000), ao analisar eventos e práticas de letramento, assim como para a focalização dos movimentos verticais (telerrealidade, cibercultura) e horizontais (convivência/televivência; local/global; espaço geográfico/eletrônico) que se presentificam no hiperdomínio (ciberespaço, blogosfera). A relevância da pesquisa situa-se no fato de trazer para o âmbito acadêmico tópicos específicos do domínio do trabalho, mais precisamente do âmbito da política de segurança pública, com vistas a contribuir para a ampliação dos Estudos de Letramento. Igualmente, a importância social da pesquisa constitui-se significativa pelo fato de trazer visibilidade acadêmica para os colaboradores, vislumbrando-os como agentes potenciais da segurança pública, capazes de realizar mudanças sociais em termos de ação instrumental e de ação simbólica ou comunicativa (MAGALHÃES, 1994), tornando a prática de produção de posts uma ação autoconsciente e reflexiva, mesmo em meio às contradições dos processos sociais que dificultam a plena efetivação das Políticas Públicas Antidrogas no Brasil.

51
  • PATRICIA SAYONARA LIMA DE ARAUJO PEREIRA
  •  A PRODUÇÃO ORAL DE INGLÊS COMO LE EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE NATAL: UMA EXPERIÊNCIA COM A ABORDAGEM BASEADA EM TAREFAS

  • Orientador : JANAINA WEISSHEIMER
  • Data: 19/11/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa-ação, realizada através de métodos mistos, foi investigar o papel de tarefas propostas pela Aprendizagem Baseada em Tarefas (WILLIS, 1996) no processo de desenvolvimento da produção oral em inglês como LE na escola pública. Vinte e três alunos de uma turma do 9º ano do Ensino Fundamental II de uma escola estadual norteriograndense foram expostos sistematicamente à realização de tarefas de aprendizagem com foco na produção oral em inglês como LE durante dois meses. Os instrumentos utilizados nesta coleta - pré e pós-questionários; notas de observação; grupo focal; e pré e pós-testes – geraram dois tipos de dados: a) qualitativos (as percepções dos alunos sobre a sua produção oral e o ensino desta habilidade na escola pública; e, o uso de estratégias de comunicação pelos aprendizes frente à ABT); e, b) quantitativos (o desenvolvimento da pronúncia; do rendimento em testes de proficiência (teste KET – Cambridge, adaptado); e, da Proficiência Oral Global (POG) dos aprendizes após a realização das tarefas de aprendizagem). Os resultados quantitativos deste estudo apontam que houve desenvolvimento estatisticamente significativo das medidas de pronúncia e rendimento nos testes de proficiência, após a experiência com as tarefas. Os achados qualitativos, por sua vez, representados pelos relatos dos aprendizes e da professora-pesquisadora, demonstram ter havido um maior foco no uso de estratégias comunicativas durante a produção oral pelos aprendizes ao longo da intervenção com as tarefas.

     

52
  • LÍGIA MARIA DA SILVA
  • Orações relativas no português brasileiro em perspectiva histórica

  • Data: 20/11/2015
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, focalizamos as estratégias de relativização, em corpus diacrônico do Português Brasileiro (PB). Em linhas gerais, objetivamos investigar o uso das relativas em perspectiva histórica no PB, focalizando motivações cognitivas e interacionais implicadas e a correlação com as tradições discursivas. A perspectiva teórica que fundamenta o nosso estudo é a da Linguística Funcional de vertente norte-americana, inspirada em Talmy Givón, Sandra Thompson, Paul Hopper, Joan Bybee, Elizabeth Traugott, Mário Martelotta, Angélica Furtado da Cunha, entre outros, conjugada a contribuições das Tradições Discursivas, com base em autores como Kabatek, Koch e Oesterreicher. Quanto à metodologia, a nossa pesquisa é eminentemente qualitativa, no sentido de que busca elucidar motivações discursivo-pragmáticas e cognitivas relacionadas ao uso das estratégias de relativização no PB; e tem suporte quantitativo, no que se refere ao aspecto mensurável dos dados e caracterização do objeto de estudo e sua frequência de uso. Para esta investigação, utilizamo-nos dos corpora do projeto Para a História do Português Brasileiro (PHPB), de modo mais específico, das cartas particulares, oficiais, de leitor e de redator escritas entre os séculos XVIII e XX, de quatro estados: Minas Gerais, Paraná, Pernambuco e Rio de Janeiro.  Os resultados desta pesquisa revelam a variação no domínio da relativização, tendo em vista o aumento do percentual de relativas cortadoras no corpus desta investigação, ainda que a ocorrência dessa estratégia esteja mais restrita às cartas particulares. Além disso, verificamos fatores de natureza cognitiva como redução do custo cognitivo e economia relacionados à ocorrência da relativa cortadora, principalmente, nas cartas particulares; aspectos como a necessidade de expressividade e clareza relacionados ao uso, mesmo que pouco frequente, da copiadora, principalmente nas cartas oficiais; e fatores de ordem comunicativa como a esfera pública de circulação de parte das cartas da amostra, como nas cartas de redator e do leitor, e o distanciamento entre os interlocutores implicados mais diretamente no uso das relativas padrão da nossa amostra.

53
  • ROGÉRIO DO ESPIRITO SANTO LEÃO
  • PROPAGANDA DE GUERRA: ASPECTOS DISCURSIVOS

     

  • Orientador : CELLINA RODRIGUES MUNIZ
  • Data: 10/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este ano, comemoram-se os 70 anos do final da Segunda Guerra Mundial e, buscando relembrar um pouco do que este acontecimento representou para a história da humanidade, este trabalho aborda, numa perspectiva interdisciplinar, um dos aspectos mais significativos dos esforços desprendidos durante esse período: a propaganda de guerra. Reconhecendo a propaganda como uma das mais importantes ferramentas de alavanca, manutenção e controle dos conflitos que marcaram a Segunda Guerra Mundial, este trabalho tem por objetivo analisar aspectos discursivos da propaganda política de guerra, trazendo-a para o âmbito da Análise do Discurso e utilizando referenciais como Michel Foucault, Dominique Maingueneau, Patrick Charaudeau e Stewart Hall. Dentro dos possíveis suportes publicitários cabíveis à constituição do corpus de análise deste trabalho, foi no pôster de guerra onde encontramos a possibilidade de explorar as categorias de análise predefinidas para esta pesquisa. Através de uma abordagem documental, explorando aspectos pertinentes à área da análise do discurso, elucidar-se-ão questões como: é possível que a propaganda de guerra, por meio de um suporte tão simples quanto o pôster, atinja seu objetivo quanto à manipulação dos valores ideológicos, morais e sociais de uma população? Como se dá esse processo de manipulação ideológica dos indivíduos direta e indiretamente afetados no contexto da guerra? O gênero discursivo pôster de guerra seria, ainda nos dias de hoje, uma tecnologia de publicidade suficientemente persuasiva? Analisando os mecanismos de comunicação dos pôsteres de guerra, especificamente os produzidos pelos Estados Unidos da América e Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, observar-se-á o potencial dessa ferramenta, em sua função de envolver a opinião pública no contexto da guerra em busca de seus objetivos.

54
  • ALANA DRIZIÊ GONZATTI DOS SANTOS
  • Family literacy at school: strategies, possibilities and challenges

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO OLIVEIRA
  • Data: 15/12/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Education, society and community are currently intertwined, so that the expansion of studies focusing on family literacy becomes necessary for the mobilization of alternatives and actions in this area. Considering this object, this dissertation is guided according to the following research questions: What resources can support the development of a family literacy program that will allow interaction between members of the school and family communities? What actions can be implemented to integrate families to curricular activities? What engagement strategies can we use to promote closer ties between the family and school? Therefore, we try to discuss actions implemented in a family literacy program, with specific reference to: create devices or literacy resources to register, discuss material, events, texts, actions and promote forms of interaction by the family in the school environment; develop approach strategies between school and family; point impact of such experiences of family literacy. To achieve these objectives, we base the discussion on this action with theoretical contributions of New Literacy Studies (HEATH, 1983; STREET, 1984; PRINSLOO & BREIER, 1996; BARTON & HAMILTON, 1993; KLEIMAN, 1995, 2000, 2005, 2006, 2007 ; McLAREN, 1988; OLIVEIRA, 2008, 2010; OLIVEIRA, TINOCO & SANTOS, 2011), deepening us in Family Literacy issues (HEATH, 1982; ANDERSON, 1994; PUCHNER, 1997; LITERACY BC, 2000; RASMUSSEN, 2000; WASIK et al, 2000; GADSEN, 2002; PADAK et al, 2002; CASPE, 2003; CAIRNEY, 2005; Gregory, 2005; KENDRICK et al, 2005). Regarding to the research paradigm, we fit it in Applied Linguistics field of study (CELANI, 2000; Leffa, 2001; MOITA LOPES, 2009; MENEZES et al, 2009). We take the qualitative model (ERICKSON, 1990; BORTONI-RICARDO, 2008), with ethnographic critical approach (MOITA LOPES, 1993; THOMAS, 1993; & HEATH STREET, 2008). We understand that families have much to contribute to the reality of school, and they are, at the same time, evaluators of the process of a program like this. Having seen relevance and value, these collaborators participate and act in support of the actions and student’s education, even in the midst of complex routine situations. The dissertation forms part of the project "The habitus of study: builder of a new reality in metropolitan Natal" (OBEDUC/UFRN), the program "Literacies and public policies: the family at school" (MEC/PROEXT/UFRN) and it is funded by the CNPq scholarship program.


55
  • LAYANA DE FATIMA BRASIL DE FREITAS CUNHA
  • UMA PAUSA ANTES DO FIM: aspectos do tempo em “A visit from the goon squad”

     

  • Orientador : EDNA MARIA RANGEL DE SA
  • Data: 15/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa estuda o tempo como categoria literária na obra A visit from the goon squad, da escritora norte americana Jennifer Egan. A referida obra tornou-se objeto de pesquisa por trazer em sua prosa características modernas ao mesmo tempo em que dialoga com a tradição, focalizando o tempo como elemento de destaque e usando esta categoria para retratar o indivíduo e a sociedade que o cerca. Para nosso enfoque, utiliza-se principalmente a teorização sobre o tempo feita por Ricoeur (2010) e Meyerhoff (1976) para as análises literário-temporais e Bauman (2001) para pensar sobre os efeitos do tempo na vida dos personagens. Para falar sobre o objeto de estudo elencaram-se quatro temas (A narrativa entrecortada e seus saltos no tempo; Chronos e o leão; Pausas e música na narrativa e O tempo visto como entidade cruel e como redentora.) nos quais os treze capítulos da obra estão representados. O referencial teórico possibilitou perceber como a autora traz para sua obra a ideia de que o homem considera o tempo, por si só, responsável por agir de forma intimidadora ou benéfica para cada indivíduo. Também foram levadas em conta as correlações que Egan estabelece com a tradição literária ocidental através do uso da categoria tempo em sua obra e para interface entre sociedade e literatura.

Teses
1
  • JORGE NORMANDO DOS SANTOS FILGUEIRA
  • Isso é o Nome das Coisas?
    A Palavra-Canção em Arnaldo Antunes
  • Data: 27/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

    Esta tese pretende analisar um corpus contendo alguns poemas híbridos e algumas imagens relacionadas a esses poemas, devido à onipresença de alguns deles em sistemas semióticos diferentes e até em livros diferentes de Arnaldo Antunes. Os poemas em análise serão retirados de dois de seus livros: As coisas e Nome. Analisaremos também alguns trechos de canções, que estão presentes nos discos de carreira do mesmo autor; além de observarmos a corporificação do vídeo-poema que sai do suporte do papel e adentra na tela da TV através do VHS/DVD do projeto Nome. Nosso trabalho se debruça sobre esse corpus, observando principalmente um aspecto recorrente já observado em nível de mestrado, que é a marca da primeiridade, categoria teórica desenvolvida por Charles Sanders Peirce. Além de observamos o aspecto semiótico, também faremos uma discussão sobre a relação dos textos verbais com os visuais e suas nuances com a mudança de suportes. A teoria semiótica será ancorada basicamente na visão peirceana estudada por Lúcia Santaella sobre as matrizes da linguagem e do pensamento (a sonora, a verbal e a visual). E no que se refere ao estudo das canções, utilizaremos a teoria de Luiz Tatit, que discute a entoação verbal e índices musicais como parte responsável pela compreensão global da Canção. 

2
  • EDGLEY FREIRE TAVARES
  • ANÁLISE DO DISCURSO DA RESISTÊNCIA MOSSOROENSE AO ATAQUE DE LAMPIÃO

  • Orientador : MARLUCE PEREIRA DA SILVA
  • Data: 05/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Na cidade de Mossoró, diversas práticas sustentam um discurso memorialista em torno da resistência desta cidade ao ataque do cangaceiro Lampião, no ano de 1927. Nossa pesquisa objetivou descrever e interpretar o funcionamento dessa discursividade, problematizando seus mecanismos, estratégias e efeitos na dispersão dos enunciados na cultura local. A Resistência, tomada como acontecimento discursivo, foi então investigada do lugar teórico-metodológico da análise do discurso francesa, na articulação dos postulados de Michel Pêcheux com a arqueogenealogia formulada por Michel Foucault. A análise do corpus constituído de materialidades discursivas acadêmicas, midiáticas, do teatro, de inscrições urbanas e da literatura de cordel, apontou uma série de regularidades discursivas, interdiscursividades e efeitos de sentido que marcam o funcionamento histórico e semiológico do discurso da Resistência como prática atravessada por diversas relações de saber e de poder. Além disso, a análise discursiva dessa reminiscência da passagem de Lampião em Mossoró possibilitou compreender essa narrativa em sua gênese e nas repetições e transformações da memória, evidenciando como este discurso tem organizado diversas instituições, grupos e lugares enunciativos, marcando a centralidade dessa memória na política, cultura e economia locais. 

3
  • ADRIANA MORAIS JALES
  • A (não) assunção da responsabilidade enunciativa em livros didáticos de língua portuguesa do 4º e 5º. anos

  • Data: 20/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • O livro didático de Língua Portuguesa vem sendo o foco de muitas investigações, apesar disso, o tema ainda tem muito a ser discutido, refletido e ampliado. Essa convicção nos mobilizou a realizar essa investigação, buscando responder três perguntas: (1) Como o autor do livro didático induz o aluno a se posicionar em questões de compreensão de texto do livro didático de Língua Portuguesa? (2) Que elos enunciativos são usados pelo autor do livro didático em questões de compreensão do texto no que diz respeito à assunção da responsabilidade enunciativa? e (3) Que elos enunciativos são usados pelo autor do livro didático em questões de compreensão do texto no que diz respeito à não assunção da responsabilidade enunciativa? Nessa direção, estabelecemos como objetivos identificar, descrever, analisar e interpretar como se materializa em livros didáticos de Língua Portuguesa a (não) assunção da responsabilidade enunciativa. A temática encontra eco nas orientações dos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN (1998; 2001), que assumem que “toda educação comprometida com o exercício da cidadania precisa criar condições para que o aluno possa desenvolver sua competência discursiva” (BRASIL, 1998, p. 23). Essa assertiva dos PCN (1998; 2001) tem estreita relação com nosso objeto de pesquisa, tendo, pois, corroborado para a realização do estudo. Assim, analisamos questões de compreensão de texto elaboradas por autores dos livros didáticos de Língua Portuguesa do 4º e do 5º ano, trabalhados nas escolas públicas do município de Natal – RN, em 2010. Nossa ancoragem teórica circunscreve-se nos postulados da Análise Textual dos Discursos – ATD e da Linguística Enunciativa. Subsidiamo-nos, principalmente, em estudos de Adam (2011), Nølke (1994; 2001; 2006; 2009; 2012), Nølke, Fløttum e Norén (2004), Rabatel (2004; 2005; 2008; 2009), Guentchéva (1994; 1996). A análise dos dados revelou que autores de livros didáticos de Língua Portuguesa exploram a compreensão de texto, induzindo os alunos a responderem questões que podem ser, assim, categorizadas: (1) indução para a assunção da responsabilidade enunciativa, (2) indução para a não assunção da responsabilidade enunciativa, (3) orientação para o estudo do léxico e da gramática e (4) orientação de temas extras. Pelos resultados decorrentes da comparação entre os livros de 4º. e 5º. anos das duas coleções analisadas, observamos, através dos elos de (não) responsabilidade Nølke (1994; 2001; 2006; 2009; 2012), Nølke, Fløttum e Norén (2004), que em 79% das questões, os autores induzem a decodificação de um conteúdo objetivamente inscrito no texto. Nesse sentido, a noção de compreender um texto fica comprometida, uma vez que se limita à cópia de conteúdos ou exercícios de transcrição, deixando de contemplar o uso interativo da língua, ou melhor, deixando de ampliar o conhecimento do aluno na (re)construção dos sentidos do texto. Isso evidencia que ainda falta um trabalho com o texto que contemple os recursos textual-discursivos nas atividades de leitura nos livros didáticos de Língua Portuguesa. Evocamos, nessa direção, os trabalhos de Marcuschi (2005), Antunes (2003, 2005), Bunzen e Rojo (2008), entre outros autores que muito contribuíram para orientar a escolha de livros didáticos de Língua Portuguesa. Por fim, entendemos que o estudo sobre o fenômeno da responsabilidade enunciativa em livros didáticos de Língua Portguesa oferece, sobretudo, ferramentas para que os interlocutores identifiquem os elementos presentes na enunciação e os efeitos que esses elementos trazem para a (re)construção dos sentidos nos textos que eles leem e escrevem na sala de aula.

4
  • MARIZE LIMA DE CASTRO
  • AREIA SOB OS PÉS DA ALMA: UMA LEITURA DA VIDA E DA OBRA DE OSWALDO LAMARTINE DE FARIA.

  • Data: 23/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa acompanhou o processo de construção de Oswaldo Lamartine de Faria como intelectual, objetivando constatar que sob a égide do sertão do Nordeste brasileiro ergueu-se a obra oswaldiana. Acompanhou o surgimento do pesquisador, observando como ele descobre a sua missão de estudar o sertão do Seridó e como sua relação com Luís da Câmara Cascudo foi primordial, pois mesmo sendo um observador nato, Oswaldo Lamartine iniciou sua construção como pesquisador a partir do incentivo de Cascudo. Na primeira parte desta Areia sob os pés da alma: uma leitura da vida e obra de Oswaldo Lamartine de Fariapesquisa, no primeiro capítulo, nominado de Porteiras ao tempo, configura-se o país à época da seca de 1919, ano de nascimento de Lamartine. Nesse capítulo, foi mostrada a infância do menino Oswaldo e seus primeiros encontros com Câmara Cascudo; seu exílio urbano no Rio de Janeiro; os livros escritos pelo ainda jovem Oswaldo; os livros que vieram depois e o seu definitivo retorno ao Rio Grande do Norte. Nos capítulos seguintes: Areia sob os pés da alma e Imagens de um nobre do sertão, apresenta-se uma síntese dos livros do escritor, é realizada a narração da sua entrada no cânone da cultura potiguar e ganha destaque a sua entrevista para o documentário “Oswaldo Lamartine: um príncipe do sertão”, ressaltando sua tentativa (através de sua escrita) de salvar da morte a própria existência. Na segunda parte, no capítulo Versal, negrito, entrelinhas, são apresentadas leituras de textos dedicados a Oswaldo Lamartine, a exemplo dos textos de autoria de Zila Mamede, Maria Lúcia Dal Farra e Paulo de Tarso Correia de Melo. No capítulo que se segue, batizado de Cinzas vivas e mornas, ganha relevo a correspondência de Lamartine com Luís da Câmara Cascudo e dos vestígios inimagináveis da amizade entre esses dois pesquisadores. As cartas de Cascudo são lidas através do livro De Cascudo para Oswaldo. Elas são um testemunho vigoroso da permanente conexão de Oswaldo Lamartine com o Rio Grande do Norte. E, finalizando, no capítulo Terçar, tatuar, imprimir é feita a leitura da coletânea Sertões do Seridó, na qual estão compilados cinco livros do escritor. Através da leitura de cada um, percebe-se como a observação da realidade foi essencial para o escritor construir sua obra. Esta é uma das primeiras pesquisas que se realiza na Universidade Federal do Rio Grande do Norte sobre Oswaldo Lamartine de Faria e as suas principais referências teóricas são reflexões dos autores Jacques Le Goff (2003), Lejeune (1994; 2008), Maurice Blanchot (1987; 2005), Alfredo Bosi (1987) e Gaston Bachelard (s/d).

5
  • CLAUDIA SIMONE SILVA DE SOUSA
  • Fragmentos e abismos discursivos do Livro do desasocego

  • Data: 27/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • A presente tese de doutorado buscou, pelas linhas do Livro do desasocego, de Fernando Pessoa, sob a égide do semi-heterónimo Bernardo Soares, trazer à luz modos como a escritura fragmentária pode ser reveladora do poder da linguagem. O corpus literário foi abordado com o olhar voltado para a estrutura simbólica de representação da linguagem como inventiva da vida de um sujeito enunciador de máximas e reflexões contidas em textos, de variados temas, presentes no Livro do desasocego, os quais permanecem efervescentes ao longo do tempo, desde a sua primeira edição em 1982. O Livro do desasocego não parou de ser reeditado sob diversas concepções e organizações.  Para tanto, aporte teórico central para a consecução da tese foi a vertente da Análise Textual do Discurso, norteada Dominique Maingueneau (2006). Todavia, a abordagem trazida para tese buscou estar para além dessa fronteira teórica. Dado se justifica pelo motivo de que o estudo versa sobre um livro fragmentado que favorece múltiplas abordagens. 

6
  • NADIA MARIA SILVEIRA COSTA DE MELO
  • The medial construction in Brazilian Portuguese

  • Data: 27/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • This thesis examines the medial construction of the Portuguese of Brazil (PB) in real contexts of use. It is a construction which describes a causative event in which a nonhuman participant (Subject) is affected by an action that does not originate from itself. Thus, we are interested in investigating this type of construction, its specific characteristics, motivations and discursive context from its semantic- cognitive and discursive - pragmatic functions. The research questions are: what is the prototypical structural configuration of the medial construction (MC) in the Portuguese of Brazil? What are its specific discursive functions? What is the degree of MC transitivity based on the properties of transitivity proposed by Hopper and Thompson (1980)? We assume that the medial construction has its own structure which particularizes its significant dimension, thus ensuring a certain distance between the one in charge of the event and the affected entity. The theoretical and methodological assumptions is founded on Usage-based Functional Linguistics (FURTADO DA CUNHA, BISPO e SILVA, 2013). It is a research of qualitative- interpretative nature that has prioritized the analysis of occurrences arising from texts produced by users of the Brazilian Portuguese language in effective communicative situation. The database for this study is electronic texts available on the website www.reclameaqui.com.br. The results revealed the existence of different configurations of the medial construction in the Brazilian Portuguese, having as prototypical the one formed by SN + V (58% of the samples). From the morphosyntactic and semantic point of view, the construction expresses a subject affected by an action that does not part from itself. As for the pragmatic aspect, the construction expresses an event that seems to have the purpose to emphasize the affected argument and to ignore, intentionally or not, the agent or the causative, since it is irrelevant to the speaker/ listener in the contextual situation. Keywords: Medial Construction. Transitivity. Portuguese of Brazil. Functional

7
  • ZELIA XAVIER DOS SANTOS PEGADO
  • ESTRUTURAS COGNITIVAS: UMA ANÁLISE NA ORGANIZAÇÃO FORMAL E SIGNIFICATIVA DA NARRATIVA 

  • Data: 27/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho insere-se no âmbito da Linguística Cognitiva, teoria que surgiu em oposição à abordagem modular gerativista e que postula que a linguagem não é autônoma, mas faz parte da cognição humana manifesta de processamento mental, de experiências socioculturais e corpóreas. Nele verificamos o processamento mental nos eventos narrativos por meio das estruturas cognitivas. Nosso objetivo é descrever e analisar alguns mecanismos cognitivos de compreensão que atuam na organização formal e significativa da narrativa. Para estudo e verificação desse fenômeno, subsidiamo-nos no referencial teórico de Rapaport et al (1994) com o tratamento do centro dêitico, Zwann (1999) e Zwaan e Radvansky (1998) com modelo de situação; Minsky (1974) com o conceito de frame, Johnson (1987) e Duque e Costa (2012) com esquemas imagéticos. Com esse propósito, enfocamos a perspectiva dêitica (ONDE, QUANDO, QUEM), as estruturas cognitivas sociais e corporais (frames e esquemas imagéticos) e os modelos de situação construídos pelo compreendedor a partir dessas estruturas cognitivas. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, pautada na introspecção.  O corpus selecionado foi uma amostragem de doze textos escritos por alunos do 8º ano, cuja produção consiste em narrativa ficcional, a produção de páginas de diário. As análises foram conduzidas por estruturas cognitivas destacadas em Blocos Construcionais (BCs), que nortearam a discussão acerca de como construímos o entendimento e a criação dos significados nas narrativas. O resultado depreendido aponta-nos que os eventos narrativos são representados mentalmente pelo compreendedor que concebe um centro dêitico e, guiado por esse centro dêitico, tem acesso à compreensão e à construção de sentido da narrativa pelos domínios cognitivos estabelecidos pelas experiências corpóreas e socioculturais.

8
  • JANILSON SALES DE CARVALHO
  • A MICROPOLÍTICA DA TRANSGRESSÃO NOS CONTOS DE JOÃO ANTÔNIO

  • Orientador : ILZA MATIAS DE SOUSA
  • Data: 30/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa de Doutorado intitulada A micropolítica da transgressão nos contos de João Antônio tem por objetivo estudar a transgressão como elemento motivador na vida deste escritor, resultando na feitura dos contos e na construção dos personagens. Desde o primeiro livro, Malagueta, Perus e Bacanaço, de 1963, até Dama do Encantado, de 1996, ano de sua morte, a obra ficcional apresenta um rico elenco de personagens transgressores movimentando-se em ambientes sempre hostis e marcados por interdições fincadas em leis ou regras. A inaceitação desses controles é o fator desencadeador de transgressões provocadoras de conflitos que resultam na elaboração dos contos mais conhecidos e elogiados deste escritor. O percurso na ficção acontece na obra com a adoção de uma escrita regida pela micropolítica da transgressão, termo elaborado a partir da micropolítica observada como proposta de atuação social pelos filósofos Gilles Deleuze e Félix Guattari e pela questão da transgressão, a própria atitude em ação, observada pelo escritor francês Georges Bataille. Além desses autores, a pesquisa será norteada por estudos de Michel Foucault, Maurice Blanchot, Jacques Rancière, Michel de Certeau, Friedrich Nietzsche e Jacques Derrida.

9
  • MARIA DA CONCEIÇÃO SILVA DANTAS MONTEIRO
  • LUÍS DA CÂMARA CASCUDO PREFACIADOR

  • Data: 30/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Apresentar uma leitura de prefácios escritos por Luís da Câmara Cascudo, a obras literárias e não literárias, a partir da década de 20 do século XX, é o objetivo desta tese, considerando o vocábulo no seu significado: “Latim praefatio, ação de falar no princípio. Sinônimo de ‘prólogo’, no sentido de texto que precede ou introduz uma obra” (MOISÉS, 1999, p. 416). Nesta pesquisa, entende-se como prefácio o texto escrito e publicado com o intuito de fornecer informações que facilitem a leitura e/ou o entendimento da obra à qual ele faz referência, independentemente de vir nas páginas iniciais, quando recebe o nome de prólogo, carta ao leitor, proêmio, introito, preâmbulo, introdução, etc., ou quando aparece apenas nas últimas páginas do livro e passa a intitular-se posfácio. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de caráter biobibliográfico e interpretativo, tendo em vista que parte da análise de textos e utiliza-se do método indutivo, foca na profundidade do entendimento que o pesquisador tem sobre o objeto pesquisado, no caso específico desta tese os prólogos cascudianos. Objetiva-se, ainda, buscar entender, por meio desses documentos/monumentos (LE GOFF, 2012), de que modo o autor lê a sua obra e a dos demais autores que recorreram a ele em busca de um texto introdutório. O legado deixado pelos prefácios cascudianos pode permitir uma melhor compreensão da produção literária norte-rio-grandense no século XX, observar de que modo essa produção contribuiu para o fortalecimento do sistema literário brasileiro (CANDIDO, 1997) e para a formação de uma tradição literária no Rio Grande do Norte. Para o estudo desse gênero recorremos a SALES (2003), TELES (1986/1989/2010), CLEMENTE (1986) e CANDIDO (2005); quanto à noção de tradição, nos reportamos a ELIOT (1997) e CANDIDO (1997/1980). O conjunto de prefácios constitui um vasto material de pesquisa que permitirá aos estudiosos das culturas norte-rio-grandense e brasileira darem continuidade ao trabalho iniciado por Luís da Câmara Cascudo, ainda em 1921, quando iniciou sua trajetória como prefaciador.

10
  • LENISE DOS SANTOS SANTIAGO
  • Dar a ver Sertão e Sevilha: matizes hispânicas na poética cabralina

  • Data: 31/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Dar a ver Sertão e Sevilha: matizes hispânicas na poética cabralina é um estudo sobre a obra do poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto  a partir da sua composição poética, que evidencia o diálogo intercultural e a vertente poética espanhola absorvida em sua convivência andaluza. As interfaces hispânicas assimiladas pela poesia cabralina por meio da literatura ou pelo contato direto com a cultura estão registradas nos 129 poemas que têm a Espanha como tema, nos quais podemos observar que a matriz da tradição hispânica, rica na sua diversidade, foi elemento preponderante para o poeta João Cabral descobrir o cerne da sua lírica às avessas. A partir do corpus hispânico, será explorada a assimilação estética da poesia espanhola na obra de João Cabral de Melo Neto, com o objetivo de desmistificar as questões da aridez lírica e da antimusicalidade na poética cabralina em que, a partir da apropriação dos elementos hispânicos investigados como signo de lírica e musicalidade, concebe-se uma leitura desvinculada do signo construtivista, tessitura evidenciada pelo crítico Antonio Candido desde o surgimento da poesia de João Cabral com o poema Pedra do sono (1942). A referida estética foi adotada posteriormente pela crítica literária que a denominou  “poesia cerebral” por sua configuração hermética, tessitura do rigor, concretude da linguagem e métrica retesada. Os resultados obtidos a partir deste estudo visam provocar uma leitura que favoreça a acústica lírica da poesia cabralina no sentido de amenizar os aspectos da construção árida.

11
  • RENY GOMES MALDONADO
  • A GERAÇÃO DE 27 E O BARROCO: LA MIRADA EXUBERANTE

  • Data: 27/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • Do contexto de criação da licenciatura do Curso de Letras-Espanhol na UFRN, veio a motivação para esta pesquisa, que apresenta um estudo literário do grupo de poetas conhecidos como Generación del 27, surgido na Espanha dos anos de 1920. Muitos aspectos deste estudo são temas das diversas disciplinas da licenciatura (Literatura Espanhola II, Literatura Ibero-americana, Cultura Espanhola, Tradução em Língua Espanhola) etc. Também servirá como inspiração para novas reflexões e propostas de tradução como travessia entre a língua de partida e de chegada, é a tradução como negociação da compreensão entre as línguas, é o decir casi lo mismo aqui em forma de poema (ECO, 2007), na tentativa de perfazer novas aprendizagens, que serão compartilhadas com alunos da graduação e da pós-graduação, seja na modalidade de ensino, extensão ou de novas pesquisas. Para contextualizar o estudo dessa geração, elegeram-se as antologias organizadas por Gerardo Diego, sob o título Poesía Española (Antologías), publicada em 2007, pelas Ediciones Cátedras, e a Antología comentada de La Generación del 27, de Víctor García de la Concha, publicada em 2006, pela Editorial Espasa Calpe. A pesquisa fez da Geração de 27 seu objeto de estudo, e a partir de diversas leituras críticas sobre a poesia feita por esses jovens poetas, sua vocação criativa de estética e vanguarda, buscou-se compreender o contexto da criação literária desses poetas del 27. Construímos o nosso alicerce nas contribuições de Antonio Maravall (2009), Eugenio D’ors (s.d.), Severo Sarduy (1999), Lezama Lima (2011), Alfonso Reyes (1958), Deleuze (2005), dentre outros, que aportaram a compreensão da linguagem barroca, dando ênfase ao movimento pluridirecional, desconstruindo sua linearidade, criando outras novas formas, como voltas, círculos, espirais favorecendo encontros, distanciamentos ou iguais pontos de partida e chegada. Assim, os poetas del 27 aproximaram o barroco do seiscentos numa releitura, e fizeram da celebração do terceiro centenário da morte de Góngora a mirada exuberante para a volta do espírito barroco. Alfonso Reyes e Rubén Darío disseram que verdadeiros faróis iluminaram os rumos dessa geração de poetas: a luz que desdobra cintila em García Lorca, Jorge Guillén, Dámaso Alonso, Gerardo Diego e o toureiro Ignacio Sánchez Mejías, poetas que manifestaram homenagens em grande estilo ao autor das Soledades, nos cafés de Madrid e de toda a Espanha.

12
  • SOLIANA DE ARAUJO SILVA
  • BORGES: alegoria, metáfora e morte

  • Data: 27/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho, com vista à defesa de tese, consiste numa discussão, análise e leitura de contos borgeanos, em que a problemática de interesse articula-se à linguagem, ao discurso e à escritura, remetendo-os tanto à Literatura quanto à Filosofia, tanto ao estatuto do ficcional, quanto ao do ontológico. Nessa ótica, pretende-se mostrar a escritura borgeana como urdidura da morte, do alegórico e do metafórico, no sentido de trazer para o ficcional traços distintos do real, elaborando o discurso para além do dito, atingindo os interstícios, o silêncio, as interrupções e a suspensão da representação. Nessa elaboração discursiva, aponta-se uma travessia na letra, afetada por sensações indizíveis, entrecruzando os processos de memória, imaginário e real, nos quais a temporalização faz emergir a diferença e a repetição. Nestas se constituindo agenciamentos territoriais que conduzem os personagens a espaços imaginários como possibilidades do real, permitindo-lhes efetiva mobilidade para     desterritorializar-se e reterritorializar-se, conforme as forças de mudança que se manifestam nos seus trilhamentos. Para tanto, coloca-se como escopo uma pesquisa bibliográfica norteada por autores como Maurice Blanchot (2008), Kátia Muricy (1998), João Adolfo Hansen (2006), Susan Sontag (2007), Mário Bruno (2004), Juan Manuel García Ramos (2003), Beatriz Sarlo (2008), Walter Benjamin (1984), Gilles Deleuze (1997; 2006; 2009), Gilles Deleuze e Félix Guattari (1995; 1996; 1997). O corpus teórico e de discussão constitui-se a partir desses autores, atendendo ao caráter qualitativo implícito na construção desta tese. Quanto ao corpus literário, este é composto pelos contos A escrita do Deus, Os dois reis e os dois labirintos, A loteria em Babilônia, A metáfora, A biblioteca de Babel, O espelho e a máscara, Um teólogo na morte e O morto.

13
  • ADY CANARIO DE SOUZA ESTEVAO
  • CONEXÕES DE SABERES NA UNIVERSIDADE: UMA ANÁLISE DAS PRÁTICAS DISCURSIVAS INCLUSIVAS DE ESTUDANTES

  • Data: 29/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem por objetivo investigar as práticas discursivas inclusivas dos estudantes habitantes do Programa Conexões de Saberes em uma universidade pública. A pesquisa situa-se no âmbito da Linguística Aplicada, área do conhecimento que toma como foco a linguagem sob o olhar interdisciplinar e constitui-se por um corpus composto pelo perfil, memoriais e entrevista coletiva. Essa investigação, no campo das humanidades, tomou a perspectiva teórica da análise do discurso francesa, a partir dos postulados de Michel Pêcheux sobre discurso, interdiscurso, memória discursiva e produção de sentido, entrecruzando com os estudos educacionais e sociais sobre as políticas públicas de ações afirmativas. Compreendendo a linguagem como uma prática discursiva, a análise do discurso revelou efeitos de sentido na construção de saberes e fazeres dos estudantes oriundos de espaços populares impactados pelo programa. Conclui-se que o discurso dos estudantes produz uma discursividade inscrita em enunciados sobre as vivências, trajetórias e experiências quanto ao acesso e permanência na universidade.

14
  • RILDECI MEDEIROS
  • Summary of dissertations and theses: the compositional structure based on Textual Analysis of Speeches

  • Data: 25/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • This doctoral dissertationproposes the description, interpretation and analysis of the compositional structure of thesis and dissertation abstracts, with regard to the linguistic mechanisms that evidence text zones of different typological sequences, such as those of the text plan. Along these lines, the research problem was developed from the notion of compositional structure (sequences and text plans), as one of the levels or plans of text analysis, according to the theoretical framework proposed by Jean-Michel Adam (2011a). The main objective of this study was to recognize how the compositional structure, of thesis and dissertation abstracts, is achieved, with respect to text units and the global organization of this text category. The hypothesis posed in this research posits that specific informational text composition categories of abstracts are necessary to process the representation of the original text and the way in which it makes its meaning. Subsequently, this study is based on the theoretical and methodological framework of Text Linguistics (TL) and, above all, Textual Discourse Analysis (TDA), as we endeavor to understand the organizational structure of abstracts from both a linguistic and textual perspective. This structure involves the text plan of abstracts, with respect to their communicative purpose, i.e, the sharing of scientific information in its standard textual form. Thus, the development of this study, from a theoretical and methodological perspective, is based on the theoretical and descriptive premises from TDA (ADAM, 2011a, 2012; PASSEGGI et al., 2010), and also from TL (BEAUGRANDE; DRESSLER, (2012 [1981]); COSERIU; LAMAS (2010); MARCUSCHI, 2009 [1983]; FÁVERO; KOCH, 1994;KOCH, 2006; BENTES, 2004; BENTES; LEITE, 2010), within the field of text studies. The methodology of this study relies on empirical, documental research, which is qualitative, and adopts a descriptive and interpretive approach. From the empirical perspective, our objective is to understand the problems pertaining to the textual composition of abstracts, aiming to elucidate them in light of the theoretical and methodological framework previously mentioned. The corpus of the analysis is comprised of seven abstracts designated for systematic data collection. These texts, written between 2004 and 2011,were selected from Master’s theses and Doctoral dissertations in their electronic version, from the graduate program at the Federal University of Rio Grande do Norte. A thorough review of the literature reveals a clear fluctuation in the terminology of the concept, ‘abstract’. The results of the analysis revealed that the abstracts, which comprise the corpus of analysis in this study, in general, present typological heterogeneity, while the text plan remains fixed. Finally, the new knowledge gained in this research contributes both to the understanding of the compositional structure of abstracts as well as their production.


15
  • LUCELIO DANTAS DE AQUINO
  • REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS DE LULA NAS CAPAS DAS REVISTAS
    ÉPOCA E VEJA

  • Data: 05/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Esta tese se propõe a analisar as representações discursivas de Lula nas capas das revistas Época e Veja, considerando os elementos verbovisuais que constituem o gênero de discurso capa de revista. Nesse sentido, buscamos descrever e interpretar as representações discursivas (Rds), tomando como fundamentação teórica a Análise Textual dos Discursos – ATD, elaborada por Jean-Michel Adam (2011a), concentrando nossa atenção no nível semântico do texto, isto é, na dimensão que nos permite compreender as Rds vigentes em um texto. Para a discussão sobre as Rds e suas categorias de análise – referenciação, predicação, modificação, relação e localização espacial e temporal –, partimos dos estudos de Grize sobre as operações lógico-discursivas (1990, 1996), até chegarmos aos estudos que discutem questões linguísticas, textuais e discursivas em enunciados concretos, tais como Castilho (2010), Rodrigues; Passeggi; Silva Neto (2010), Neves (2011), Rodrigues et al. (2012), Passeggi (2001; 2012), Queiroz (2013), entre outros. Além desses, amparamo-nos na Multimodalidade Discursiva para darmos conta da verbovisualidade presente na capa de revista (KRESS; van LEEUWEN, 2006; DIONISIO, 2011; DIONISIO; VASCONCELOS, 2013). Através de uma pesquisa de abordagem qualitativa com apoio quantitativo, de tipo documental, realizamos com base no método dedutivo-indutivo a descrição e interpretação do corpus (SEVERINO, 2007; CHIZZOTTI, 2010; OLIVEIRA, M., 2013), a fim de reconstruirmos as Rds de Lula. O corpus é constituído por quarenta e uma capas de revistas, sendo dezessete da revista Época e vinte e quatro da revista Veja. As capas datam da candidatura em que Lula foi eleito o Presidente do Brasil, no ano de 2002, ao último ano de mandato após a reeleição em 2006, no ano de 2010, ou seja, um período de nove anos. Com base na análise realizada podemos afirmar que as revistas Época e Veja constroem diversas Rds de Lula, tais como: candidato; candidato eleito; presidente; presidente eleito; presidente reeleito; governante e membro de partido político; político; petista/sigla do PT; aliado de governos internacionais; cúmplice e participante em escândalos de corrupção; amigo, irmão, primo, sobrinho, pai, parente e homem; além de outras que se desdobram a partir destas por intermédio dos modificadores dos referentes e processos, pelos próprios processos e conexões e analogias realizadas sobre o objeto de discurso Lula. Não obstante, a reconstrução dessas Rds se deram pela descrição e interpretação das escolhas linguístico-textuais e discursivas que as revistas fazem para produzir as proposições-enunciados, bem como pelas escolhas das imagens e demais recursos visuais, todas elas operando co(n)textualmente articuladas para produzir efeitos de sentido desejados pelas revistas. Em conclusão, as Rds verificadas exigem uma reflexão, descrição e interpretação acerca da referenciação, da predicação, da relação e da localização espaciotemporal que só foram possíveis pela análise textual-discursiva do arranjo verbovisual que compõe o texto do gênero de discurso capa de revista.

16
  • HUBEÔNIA MORAIS DE ALENCAR
  • A MEDIAÇÃO DO PROFESSOR NA CONSTITUIÇÃO DA AUTORIA EM TEXTOS DE ALUNOS DE LETRAS

  • Data: 26/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • A produção textual em sala de aula tem sido objeto de diversas pesquisas na área da linguagem, há mais de três décadas, no Brasil. A recorrência da temática acontece geralmente no sentido de se apresentar o grande distanciamento existente entre o ensino de habilidades de escrita e o desempenho dos aprendizes ao escreverem. Nesta pesquisa, defendemos a tese de que, no processo de escrita em sala de aula, as ações mediadoras do professor no sentido de levar o aluno ao exercício da exotopia sobre os seus textos, encarando-a como uma etapa fundamental da sua produção, tem efeito significativo para o desenvolvimento da autoria desses textos. Nesse sentido, elegemos como foco de investigação a produção textual de alunos, no curso de Letras da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte-UERN, com o propósito de estudar o caráter processual da escrita, a partir da mediação da professora. O objetivo maior desta pesquisa é analisar a (re)escrita de alunos do curso de graduação em Letras, a fim de compreender o processo de construção da autoria em seus textos e o efeito provocado pela mediação da professora  nesse processo. Mais especificamente: a) analisar a mediação da professora como mecanismo para o desenvolvimento da autoria nos textos produzidos por alunos de Letras; b) depreender, a partir das diferentes versões do texto produzido, os efeitos da mediação da professora sobre a escrita dos alunos; e c) descrever as atividades de produção textual em sala de aula, identificando as atitudes/posturas dos alunos ao assumirem uma tarefa de escrita. Dentre as vozes que trouxemos para dialogar conosco, destacamos as provenientes dos estudos bakhtinianos. Recorreremos às obras dos autores do denominado Círculo de Bakhtin, seja por eles mesmos (BAKHTIN/VOLOCHINOV, [1929] 2006; [1929] 2010; BAKHTIN, [1979] 2003; [1963] 2008; [1975] 2010a; [1965] 2010b; [1986] 2010c), seja através de seus debatedores (FARACO, 2009; PONZIO, 2010, 2012; GERALDI, 2010; OLIVEIRA, 2006, 2008a, 2008b, 2010, dentre outros), norteando-nos, principalmente, nas suas orientações sobre dialogismo, autor e autoria, e suas implicações conceituais: exotopia, acabamento, atividade estética, ato ético. Os dados foram constituídos em situação de ensino, envolvendo professora/pesquisadora e alunos do 5º Período de Letras/UERN. Para tanto, houve a aplicação de um Questionário Aberto-QA, discussão de textos, (re)escrita de um artigo. A leitura dos dados revelou pouca vivência dos sujeitos com a produção textual no curso, enquanto prática sistemática, rotineira, dialogada, cuja função social seja explorada. Geralmente, os textos são escritos em única versão e servem como avaliação para a aferição de notas. A análise dos dados nos coloca diante de alunos inseguros em relação ao que escrever, e com dificuldades de fazê-lo. Por outo lado, os movimentos de reescrita sobre os artigos analisados revelaram que os sujeitos manifestam atitude responsiva em relação às atividades de mediação, no sentido de atender à proposta de refacção. Apesar de alguns problemas permanecerem irresolutos e outros surgirem a cada versão do artigo, de um modo geral, consideramos que a mediação da professora teve efeito positivo sobre a escrita dos alunos, pois impulsionou o movimento exotópico do autor, algo imprescindível à produção de um texto. Todas as três formas de intervenção realizadas, em maior ou menor proporção, fizeram com que os sujeitos promovessem alterações nos seus artigos. 

17
  • TEREZINHA MARTA DE PAULA PERES
  • CRISES DO COTIDIANO EM MACHADO DE ASSIS E LUIGI PIRANDELLO:

     UM ESTUDO COMPARADO

  • Data: 29/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • A presente tese se propõe a identificar possíveis aproximações e diferenças entre os romances Memórias póstumas de Brás Cubas (1881), do escritor brasileiro Machado de Assis, e Uno, nessuno e centomila (1926), do escritor italiano Luigi Pirandello. Considerando que os dois autores ocupam lugar de destaque nas literaturas brasileira e italiana, respectivamente, e que ambos observaram e vivenciaram transformações marcantes em suas respectivas sociedades, o Brasil do período imperial, e a Itália pós risorgimentale, verificaremos como os dois, a seu modo, compõem uma arte literária na qual é possível alcançar a consciência social e moral de cada um. Procuramos alcançar, ainda, o sentimento de inquietação, de ansiedade, de medo, de dúvida, de interesse, de vaidade, de ambição, enfim, o desejo de ser das personagens, as quais representam o homem de final do século XIX e início do século XX, com características que apontam para o sujeito de identidade fragmentada, em busca de um lugar no mundo, mesmo que para conseguir tal lugar renuncie sua essência e adote uma aparência correspondente a todas as imagens que a sociedade lhe atribui. Os protagonistas Brás Cubas e Vitangelo Moscarda nos conduzirão pelas trilhas da consciência de cada um, as quais demarcam a fronteira da essência em desarmonia com a aparência. Críticos como Roberto Schwarz, Alfredo Bosi, Leone de Castris, entre outros, nos deram o amparo teórico necessário para um estudo comparado entre dois autores que, como poucos, souberam expressar, por meio de suas personagens, a difícil relação do homem consigo mesmo e com o universo que o circunda.

     

18
  • ANANIAS AGOSTINHO DA SILVA
  • REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS SOBRE LAMPIÃO E SEU BANDO: “O mais audaz e miserável de todos os bandidos” e o seu “grupo de asseclas”.

  • Orientador : LUIS ALVARO SGADARI PASSEGGI
  • Data: 26/11/2015
  • Mostrar Resumo
  • Nesta tese de doutoramento analisamos as representações discursivas do cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, e seu bando de cangaceiros em notícias de jornais potiguares publicados na década de vinte do século passado (1927), de quando da invasão do bando à cidade de Mossoró, no estado do Rio Grande do Norte, em treze de junho daquele ano. Para tanto, tomamos por fundamentação os pressupostos teóricos da Linguística Textual, especialmente do quadro mais restrito do que se designa hoje como Análise Textual dos Discursos (ADT), abordagem teórica e descritiva de estudos linguísticos do texto proposta pelo linguista francês Jean-Michel Adam. Desta abordagem, interessa-nos, de modo específico, o nível semântico do texto, com destaque para a noção de representação discursiva, estudada com base nas operações de referenciação, predicação, modificação, localização espacial e temporal, conexão e analogia (ADAM, 2011; CASTILHO, 2010; KOCH, 2002, 2006; MARCUSCHI, 1998, 2008; NEVES, 2007; RODRIGUES, PASSEGGI, SILVA NETO, 2010). O corpus desta pesquisa é composto por três notícias publicadas na década de vinte do século passado nos jornais O Mossoroense, Correio do Povo e O Nordeste, e reconstituídas por meio de coleta realizada nos arquivos do Museu Municipal Lauro da Escócia, do Memorial da Resistência de Mossoró, ambos localizados em Mossoró, e na coletânea de notícias de jornais Lampião em Mossoró, do historiador norte-rio-grandense Raimundo Nonato.

     

19
  • ELIS BETANIA GUEDES DA COSTA
  • O PLANO DE TEXTO E AS MARCAS LINGUÍSTICAS DA RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA NO ARTIGO DE OPINIÃO DO VESTIBULAR 2010 DA UFRN

  • Orientador : MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
  • Data: 01/12/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Com esta tese investigamos em redações produzidas pelo candidato ao vestibular 2010 da UFRN a (não) assunção de diferentes pontos de vista em zona textual de argumentação e de contra argumentação. Aos candidatos foi solicitada a produção de um Artigo de Opinião, abordando a polêmica em torno do uso das câmeras de segurança. O corpus desta pesquisa se constitui, pois, de 100 redações produzidas pelos candidatos ao vestibular 2010 da UFRN das diferentes áreas (humanística I, humanística II, tecnológica I, tecnológica II e biomédica). Para realizar nosso estudo, subsidiamo-nos em perspectivas teóricas postuladas por autores de diferentes teorias e correntes linguísticas que dialogam entre si. Nessa direção, acompanhamos Bakhtin (1995), Rabatel (2008 a, 2008 b), Guentchéva (1994, 1996, 2011) e Rodrigues, Passeggi e Silva Neto (2010), entre outros que se inscrevem no dialogismo, em teorias enunciativas, na análise do discurso e na linguística do texto. Esse conjunto de abordagens linguísticas orienta a Análise Textual dos Discursos (ADAM, 2011), que subsidia a análise dos dados, desta investigação.   No que diz respeito à metodologia, seguimos a abordagem qualitativa de natureza interpretativista.  Investigamos como o vestibulando, enquanto articulista, assume as informações veiculadas no seu artigo. Para tanto, nossa pesquisa buscou responder às seguintes questões: (1) Como o vestibulando organiza o discurso no que diz respeito à responsabilidade enunciativa? (2) Que marcas linguísticas nos levam a identificar as diferentes vozes presentes nos textos? (3) Como se apresenta o plano textual do gênero Artigo de Opinião? (4) Em que parte do plano textual se materializa a responsabilidade enunciativa? Nesse sentido, estabelecemos como objetivos identificar, descrever, analisar e interpretar as diferentes vozes presentes no texto e a forma como o aluno assume (ou não) os diferentes pontos de vista manifestados nas redações no momento da argumentação e da contra argumentação. De forma geral, os resultados revelam que a presença de marcas linguísticas (conectores, índices de pessoas, entre outras) constrói o grau de responsabilidade enunciativa do articulista, favorecendo o envolvimento e a assunção da responsabilidade enunciativa. 


20
  • ROSANGELA ALVES DOS SANTOS BERNARDINO
  • A responsabilidade enunciativa em artigos científicos de pesquisadores iniciantes e contribuições para o ensino da produção textual na graduação

  • Orientador : MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
  • Data: 01/12/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A tese investiga as estratégias de materialização da (não) assunção da responsabilidade enunciativa e de inscrição de uma voz autoral em artigos científicos produzidos por pesquisadores iniciantes da área de Letras. O foco específico consiste em identificar, descrever e interpretar: i) as marcas linguísticas que assinalam a responsabilidade enunciativa; ii) os posicionamentos assumidos pelo primeiro locutor-enunciador (L1/E1) em relação a pontos de vista (PdV) imputados a enunciadores segundos (e2); e iii) as marcas linguísticas que assinalam a formulação de PdV próprios. Como desdobramento prático, propõe-se discutir sobre possibilidades de ensino do manejo de estratégias textual-discursivas referentes à responsabilidade enunciativa e à autoria em textos acadêmico-científicos. O corpus constitui-se de 08 artigos científicos selecionados em um periódico especializados da área de Letras, avaliado pelo Qualis/CAPES. A metodologia utilizada segue os procedimentos da pesquisa qualitativa, de base interpretativa, com apoio na abordagem quantitativa. Teoricamente, fundamenta-se nos postulados da Análise textual dos discursos (ATD), em diálogo com estudos do campo enunciativo. Os resultados da análise evidenciam dois movimentos na gestão dos PdV: a imputação e a responsabilização. Nos contextos de imputação, os mecanismos linguísticos mais mobilizados foram o discurso direto, o discurso indireto, o discurso direto com “que”, a modalização em discurso segundo (em enunciados com “conforme”, “de acordo com”, “para”), além de certos pontos de não-coincidências do dizer, especificamente a não-coincidência do discurso consigo mesmo. O funcionamento dessas marcas linguísticas nos textos aponta para três posicionamentos enunciativos assumidos por L1/E1 em relação aos PdV de e2: o acordo, o desacordo e uma pseudoneutralidade. Foi recorrente a imputação seguida de acordo (explícito ou não), o que coloca as vozes alheias na defesa de um dizer assumido como próprio. Nos contextos de responsabilização, observamos indícios da formulação de PdV próprios, resultantes de constatações teóricas assumidas pelo pesquisador iniciante (revelando o como ele interpretou conceitos da teoria) ou advindos dos dados de sua pesquisa, permitindo-lhe expressar-se com mais autonomia, sem a recorrência de palavras de um segundo locutor-enunciador. Com base nestes dados, podemos dizer que os textos dos pesquisadores iniciantes configuram uma autoria fortemente dependente de PdV e de palavras do outro (a teoria e os autores citados), tendo em vista os muitos contextos de imputação com acordo, os PdV formulados com palavras tomadas de e2 e assumidos como próprios por integração sintática, as poucas constatações e comentários críticos particulares sobre o que esse outro diz, a ausência de explicações e acréscimos, além de uma análise de dados que também vai ao encontro da validade da teoria adotada. Esses resultados permitem visualizar o modo como o pesquisador iniciante dialoga com as fontes enunciativas mobilizadas como apoio teórico e como, no olhar sobre os dados, exibe a condição de um sujeito fazendo-se pesquisador/autor no campo científico. Ao assumir a citação como um recurso que permite assinalar a responsabilidade enunciativa e evidenciar os posicionamentos do locutor-enunciador em relação aos PdV reportados, a pesquisa aponta sugestões para um tratamento textual-discursivo das operações de citação no texto acadêmico-científico, em um contexto de ensino que dê atenção ao desenvolvimento de habilidades comunicativas do pesquisador iniciante e melhor contribua para este se inserir e interagir no campo científico.


21
  • ALYERE SILVA FARIAS
  • A METAMORFOSE EM “MEU TIO O IAUARETÊ”: UM ESTUDO SOBRE AS RECONFIGURAÇÕES DO SER POR MEIO DA PALAVRA

  • Orientador : MARCIO VENICIO BARBOSA
  • Data: 04/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho pretende analisar as metamorfoses na narrativa “Meu tio o Iauaretê”, de João Guimarães Rosa, com o objetivo de investigar a instabilidade da transformação e seus efeitos, tanto no texto, quanto no discurso dos personagens. Publicada em 1961, na revista Senhor, a narrativa foi reescrita por João Guimarães Rosa, e a nova versão do texto passou a fazer parte da coletânea póstuma Estas Estórias em 1969. A primeira metamorfose analisada ocorre nas palavras que compõem esses textos. Para analisar as transformações de ordem linguageira e discursiva, utilizamos como método a Comparação Diferencial (HEIDMANN, 2003, 2010, 2012) para averiguar as alterações propostas em rascunho por Guimarães Rosa, antes de sua morte, que foram adotadas para a edição do livro.  A segunda transformação se dá com o personagem principal da narrativa, que se apresenta como homem e onça a um homem perdido que chega à sua casa no meio do sertão. Com o objetivo de analisar a perspectiva do ser em transformação e do seu interlocutor sobre a metamorfose, evocamos aspectos filosóficos distintos. Utilizamos o levantamento histórico-filosófico sobre o homem, feito pelo filósofo neokantiano Ernst Cassirer (2012), para refletir sobre o personagem interlocutor, que se define como homem. Tecemos aproximações com o Dasein heideggeriano (2008) e conceitos como impessoalidade e falação (HEIDEGGER, 2003, 2010, 2013), para analisar o processo de metamorfose experimentado pelo personagem principal. Além disso, buscamos refletir também sobre a sua compreensão de si, como ser em metamorfose, aproximando-o do processo de construção do Corpo sem Órgãos (DELEUZE E GUATTARI, 1997b). Reservamos a última seção de nosso trabalho para realizar um estudo comparativo diferencial entre obras que também apresentam personagens que se metamorfoseiam. Selecionamos quatro textos para dialogar com a narrativa rosiana: o episódio de Aracne e Minerva, de Ovídio (MET VI 1-145), a novela kafkiana A metamorfose (KAFKA, 1986), o folheto A moça que virou cadela, de Antonio Lucena (2004) e o episódio “Red-Handed” (2011) da série para televisão Once upon a time, de Edward Kitsis e Adam Horowitz. A escolha de narrativas que se inserem em contextos diferentes evidencia o caráter não-hierárquico da Comparação Diferencial e possibilita a reflexão sobre os seres em transformação a partir dos traços contextuais identificados no discurso dos personagens metamorfoseados. O diálogo entre as narrativas citadas e “Meu tio o Iauaretê” ressalta a perspectiva de que a transformação física do personagem não estabelece, por si só, o abandono do modo impessoal, e nem sempre dissolve as fronteiras entre as espécies. A metamorfose rosiana, por outro lado, é instável, apresenta um personagem que não sofre uma transformação, mas a desfruta conscientemente e consegue, pouco a pouco, apagar os limites estabelecidos entre homem e onça, a ponto de compor um ser que utiliza, de maneira premeditada, o seu devir-animal (DELEUZE e GUATTARI, 2003) nos momentos de interação humana. Assim, consideramos que a narrativa rosiana ultrapassa a transformação que é identificável aos olhos do homem comum, abandona os estados definitivos e explora o estar-sendo (HEIDEGGER, 2008), sob a ótica exclusiva do ser em metamorfose.

22
  • GUIANEZZA MESCHERICHIA DE GOIS SARAIVA MEIRA
  • PERMANÊNCIAS E RUPTURAS NOS DISCURSOS FEMININOS: ESTUDO CRÍTICO NA FANPAGE CLAUDIA ONLINE

  • Orientador : CLEIDE EMILIA FAYE PEDROSA
  • Data: 07/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os papéis assumidos pelas mulheres na modernidade recente (MOITA LOPES, 2013) despertaram o interesse de inúmeros pesquisadores nacionais e internacionais. O termo emancipação tem sido gerador de discordâncias e polêmicas, tendo-se em conta o fato de que a mulher, mesmo havendo ingressado no mercado de trabalho, continua a exercer os papéis socialmente impostos ─ o de mãe, esposa e dona de casa. Em paralelo, as revistas femininas, em especial a revista Claudia, assumiram o propósito de orientar as mulheres no desempenho de suas muitas funções: como educar os filhos, como cuidar do lar, como agradar o cônjuge, e até como ter sucesso na carreira profissional. Circunscrita nesse contexto, esta tese visa revelar as permanências e as rupturas que se manifestam nos discursos femininos registrados na fanpage Claudia online, testemunhando como os papéis sociais e as relações de poder influenciam na (trans)formação das identidades femininas. Em função desse alcance, buscou-se uma sustentação teórica nos postulados da Análise Crítica do Discurso (ACD); mais especificamente, na Abordagem Sociológica e Comunicacional do Discurso (ASCD) ─, que, por sua vez, está sendo desenvolvida na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em concomitância com a Universidade Federal de Sergipe, sob a coordenação da professora Dr.ª Cleide Emília Faye Pedrosa (PEDROSA, 2012). Também se fez ancoragem, neste percurso investigativo, em saberes da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF); especialmente, no que concerne ao Sistema de Avaliatividade; na Sociologia para Mudança Social e nos Estudos Culturais. A ancoragem metodológica firma-se no paradigma qualitativo-interpretativista (MOITA LOPES, 2006), circunscrito às Ciências Humanas e Sociais, com foco na Linguística Aplicada (LA). O corpus compõe-se de vinte e quatro postagens, divididas em seis temáticas recorrentes na fanpage Claudia online. Os resultados indicam que a fanpage Claudia online discute, de fato, os papéis que as mulheres exercem em nosso meio social. Observa-se, ainda, que alguns desses papéis foram solidificados devido aos parâmetros conservadores da sociedade, perpetuando-se por muitas gerações e sendo naturalizados ao sexo feminino. A constatação é, pois, a de que há permanência dos papéis impostos, e de que, na modernidade recente, as mulheres passaram a exercer outros tantos papéis, merecendo destacar o fato de que, hoje, a mulher trabalha fora, investe na formação acadêmica, frequenta academia diariamente, dirige automóvel, participa das reuniões escolares dos filhos, vai ao salão de beleza, administra o próprio salário, delega funções à secretária doméstica; enfim, executa muitas tarefas concomitantemente, configurando-se, assim, o acúmulo de funções exercidas pelas mulheres, o que justifica a atribuição do rótulo de “mulher maravilha”, e leva à ruptura nos padrões e na execução dos papéis femininos.

23
  • FLAVIO CESAR OLIVEIRA DA ROSA

  • A RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

  • Orientador : MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
  • Data: 08/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho investiga se a Responsabilidade Enunciativa é abordada nas atividades propostas em livros didáticos a alunos de 5º ano do ensino fundamental. Não esperávamos que o uso da expressão como objeto de estudo fosse comum às obras didáticas, visto a terminologia ser ainda pouco conhecida, no entanto, esse fato não impediria que o aluno fosse estimulado a identificar as vozes que constituem um texto, da parte de quem o escreve/profere, em identificá-las ou não, uma vez que a heterogeneidade é constituinte da linguagem. Para a realização da investigação, analisamos um corpus constituído por cinco livros didáticos dos quais foram selecionados unidades de trabalho que tratam da compreensão e interpretação textual. O livro didático é objeto de estudo para alguns pesquisadores,  como Cavalcante e Marcuschi (2008), Bunzem (2005), Clare (2002), Choppin (1992), D’Avila (2008), Marcuschi (2003), Rojo (2005,2008), Rojo e Bunzem (2008). Quanto à teoria que trata da linguagem em sentido mais amplo, buscamos suporte em Bakhtin (1988, 1992,1997), Authier-Revuz (2004), Marcuschi (2001, 2003, 2008), Koch (1996,1997) e, mais especificamente, em teóricos da Análise Textual dos Discursos (ADAM, 2011) e da Linguística Enunciativa, na perspectiva de autores como Coltier, Dendale e De Brabanter (2009), Culioli (1971), Nølke; Fløttum e Norén (2004)  e Rabatel (2003, 2004, 2005, 2008, 2009, 2015). A análise dos dados aponta que grande parte das questões direcionadas ao aluno são estruturadas a partir de pontos de vista de atores/personagens dos textos que constituem as unidades de análise, bem como de pontos de vista do senso comum, relacionados ao tema em estudo. Esse aspecto, certamente, é muito importante, pois evidencia a heterogeneidade constitutiva da linguagem.  Quanto à Responsabilidade Enunciativa,  não foi constatada qualquer menção ao tema ou a possibilidade de identificação de diferentes pontos de vista constituintes dos textos em geral e a finalidade pela qual são utilizados por seus produtores, relacionadas à intencionalidade comunicativa. Dentre as possibilidades de análise textual, reconhecer o responsável por uma enunciação é mais um critério para a interpretação de um texto.

     


24
  • MARIA ELIANE SOUZA DA SILVA
  • CRÔNICAS CLARICIANAS, POIÉSIS E ROSTIDADE

  • Orientador : MARCIO VENICIO BARBOSA
  • Data: 14/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • O texto estabelece um debate entre a obra de Clarice Lispector e as teorias do pensamento filosófico de Gilles Deleuze e Felix Guattari, observando, a partir do encontro dos autores, o agenciamento de uma “escritura do deslize” no tocante às diversas interpenetrações discursivas da crônica clariciana. Desse modo, o conceito de “rosto” dos filósofos franceses enquanto “máquina, abstrata” subsidiará nossa discussão diante da expectativa das “combinações deformáveis das engrenagens” do gênero. Observa-se, ainda, nesse âmbito, a configuração de uma cartografia literária na qual se rascunha uma “poiésis cotidiana” nos movimentos de desterritorialização e ressignificação das múltiplas imagens estabelecidas pela autora.

25
  • VANESSA FABÍOLA SILVA DE FARIA
  • MINHA VOZ, TUA VOZ, NOSSAS VOZES: A RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA EM ARTIGOS ACADÊMICOS/CIENTÍFICOS


  • Orientador : MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
  • Data: 14/12/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    “Minha voz, tua voz, nossas vozes: a responsabilidade enunciativa em artigos acadêmicos/científicos” apresenta os resultados da pesquisa cujo objetivo é investigar como se materializa a Responsabilidade Enunciativa (RE) em textos do gênero discursivo/textual acadêmico artigo científico, compreendendo as etapas de descrição, análise e interpretação de um conjunto de sessenta textos de autores de variados níveis de experiência, na esfera acadêmica, para responder à seguinte pergunta de pesquisa: quais as características da RE que diferenciaria a escrita de autores variados níveis de experiência na escrita acadêmica? O estudo da RE, nesses textos, restringiu-se à seção normalmente designada como Referencial Teórico (ou suas variantes “Quadro Teórico” e “Marco Teórico”) por se considerar que é nesta seção em que mais facilmente se detecta o diálogo com outras vozes. A mobilização do discurso outro, evidenciada, sobretudo, na não assunção da RE, é uma das características do artigo científico e desperta interesse por causa de sua inserção num campo mais amplo, o da polifonia, levantando questões muito pertinentes tanto para a análise de textos acadêmicos quanto para a didática da escrita desses textos descrevendo, por exemplo, como a voz autoral se posiciona perante outras vozes mobilizadas em seus textos, ou ainda sobre como  a RE pode evidenciar o posicionamento desses autores enquanto autores científicos. Trata-se de um estudo bibliográfico documental, de cunho interpretativista e qualitativo que elegeu três categorias de análise: as diferentes representações da fala, os indicadores de quadro mediador e as indicações de um suporte de percepção e pensamentos relatados. A perspectiva teórica deste trabalho se ancora, principalmente, nos postulados teóricos da ATD (Análise Textual dos Discursos), mas também mobiliza aportes teóricos de considerável importância advindos dos estudos dos gêneros discursivos/textuais bem como dos estudos enunciativo-discursivos, especialmente as considerações rabatelianas acerca das noções locutor/ enunciador, ponto de vista, PEC e imputação, apagamento enunciativo, posicionamentos e posturas enunciativas. Os resultados demonstram que a ocorrência de zonas textuais atribuídas a um outro enunciador (e2) não é exclusiva em textos de autores iniciantes, ocorrendo, também, em textos de autores experientes, embora a distribuição das ocorrências seja desigual nos textos estudados. Neste aspecto, contribuiu, efetivamente, a noção rabateliana de sobrenunciação, subenunciação e co-enunciação como aspectos de diferenciação na escrita de autores de diferentes níveis de experiência: a construção do PDV baseada na sobrenunciação parece predominar na escrita dos autores de reconhecida expertise, em que a voz autoral se sobrepõe às demais e domina o jogo enunciativo, a despeito do recurso a outras vozes, inclusive, por meio de indicadores de quadros mediadores. Tomando-se a responsabilidade enunciativa como decorrência de um fenômeno localizado num nível mais abrangente que o do enunciado, que engloba o texto como um todo e suas diversas operações enunciativas, admite-se, por conseguinte, a possibilidade de haver responsabilidade enunciativa mesmo diante de recursos às vozes alheias e o apoio em indicadores de quadro mediativo. A RE seria redimensionada para um comportamento discursivo ligado à ética e à moral que parece transcender a dimensão do enunciado e afeta o posicionamento do autor no nível discursivo, resultando em um texto mais engajado do que outros pareceriam, por meio de mecanismos de construção do PDV.


2014
Dissertações
1
  • ELOISA ELENA PRATES BOEIRA
  • PELO ESCURO: a poesia afro-brasileira de Oliveira Silveira


  • Data: 10/01/2014
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    O presente estudo traz uma reflexão sobre os discursos culturais afro-brasileiros e o lugar ocupado pela poesia em meio a uma sociedade racista. A pesquisa tem como propósito fazer uma análise dentro das teorias culturalistas da poesia de Oliveira Silveira. Leva-se em consideração a relação do poema de Oliveira com as propostas do movimento da Negritude e o diálogo lúcido que o mesmo estabelece com poetas vinculados ao referido movimento. Analisa-se como Silveira sugere dentro da literatura a negritude como uma forma de interseção na poesia brasileira. A proposta aqui apresentada observa também a hibridez na poética de Oliveira Silveira ao se enfatizar um olhar sobre uma escrita comovida pelo traço do entre-lugar do discurso, destacando-se, sobretudo, na produção literária brasileira em seus recortes às condições sociais e culturais do lugar. Analisa-se a caracterização de uma literatura gerada pelo tom de denúncia ao desconstruir historicamente o que há muito se estabelece como “democracia racial”. Em cumplicidade com a poesia regional do Rio Grande do Sul, a poesia de Oliveira é como um tambor, pois vem permeada pela diversidade de ritmos que traduzem o legado da cultura negra mundo afora. Essa pesquisa sustenta-se nos estudos da Negritude e da Identidade na literatura afro-brasileira, que se caracteriza como um movimento de consciência pela reconstrução ou mesmo revisão histórica do que foi apagada no calabouço dos navios negreiros. As leituras de Eduardo de Assis Duarte fomentam novos questionamentos, põe em dúvidas a existência de uma identidade essencialista. Aponta-se nessa travessia para uma pluralidade de identidades, construídas por grupos culturais na encruzilhada dos diversos momentos históricos. Analisam-se, portanto, a crítica que Stuart Hall ao considerar as ideias diaspóricas, as fronteiras das margens no universo da pós-colonização. Por fim, uma encruzilhada de caminhos ao se pensar a partir de Kabengelê Munanga o discurso da negritude e da identidade negra nas relações sociais e culturais afrodescendentes.

     

     

     

     

     

     

     

2
  • RODRIGO SLAMA RIBAS
  • OS ROSTOS DA POBREZA BRASILEIRA:

    Análise crítica dos discursos do governo federal, da Veja e da CUFA

  • Data: 22/01/2014
  • Mostrar Resumo
  • A nossa constituição prega que todo brasileiro tem direitos básicos à sua sobrevivência, como educação, saneamento básico e comida, no entanto, este direito é um luxo para alguns. Pensando nisso, este trabalho se propõe a desenvolver uma análise crítica a respeito da (re)produção do discurso sobre a pobreza, e, consequentemente, sobre o pobre, proferido pelo governo federal, através do site oficial do plano Brasil Sem Miséria; pela mídia, representada pela revista Veja; e pelos que se afirmam os representantes do pobres; como a Central Única das Favelas – CUFA. Nosso objetivo é apresentar uma reflexão crítica acerca dos discursos sobre a pobreza na voz do governo, da Veja (representante da mídia) e do CUFA (representante do pobre) e suas contribuições para a construção das significações do tema na sociedade brasileira, para tanto, identificamos categorias, baseados em Bajoit (2006a), para classificar o que o autor chama de “rostos da pobreza”. Utilizamos, desta maneira, a Abordagem Sociológica e Comunicacional do Discurso, ASCD, de acordo com Pedrosa (2012a, 2012b, 2012c), dentro do quadro da Análise Crítica do Discurso como aparato teórico, além dos estudos que fundamentam a ASCD como corrente da ACD, tal qual a Sociologia para a Mudança Social (BAJOIT, 2006b), os estudos culturais (HALL, 2005), e a Linguística Sistêmico-Funcional, sobretudo o Sistema de Avaliatividade (MARTIN & WHITE, 2005; VIAN JR et al, 2011). Deste modo, o discurso sobre a pobreza ou de combate à miséria, extraído de notícias, crônicas e demais gêneros dos referidos veículos, serve de objeto para a compreensão das identidades que se criaram e se renovam sobre a pobreza e sobre os pobres brasileiros, como a sua dependência do governo e da sociedade civil, da sua exploração pela economia, e, inclusive, pela mídia que o caracteriza, algumas vezes, como delinquente.

3
  • VALDIR MOREIRA DA SILVA
  • No céu da boca das gentes, tem estrela e maravilhas: atualização e permanência das narrativas populares nos Contos de enganar a morte

  • Data: 28/01/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    O presente estudo consiste em análise comparativa – objetivando ressaltar a atualização e a permanência – entre narrativas populares tradicionais, próprias da tradição oral, em especial as coligidas por Luís da Câmara Cascudo, em Literatura oral no Brasil (1984), vinculadas à categoria dos Contos de Demônio Logrado e do Ciclo da Morte, e os Contos de enganar a morte (2004), do ficcionista, ilustrador e pesquisador de cultura popular Ricardo Azevedo. Nesta obra, traços e motivos recorrentes nas narrativas orais estão vivos e duradouros, evidenciando a permanência das narrativas tradicionais, difundidas na Idade Média (SARAIVA, 1996; DUBY, 1988; 1990), atualizadas na contemporaneidade especialmente pelo gênero literário conto. Defende-se que o caráter simbólico, lúdico e o humor inerentes a essas narrativas orais (ZUMTHOR, 1993; BURKE, 2010) são bens culturais próprios de uma tradição popular que se difunde, se atualiza e se mantém pela memória (BOSI, 2006; BRANDAO, 2008) de narradores artesanais anônimos (BENJAMIN, 1994), poetas e cantores de cordel (FERREIRA, 1979) ainda existentes nos recônditos dos sertões brasileiros, detentores de um saber tradicional não instituído, mas polifônico, dialógico e democrático em essência (COELHO, 1991, 2003; TURCHI, 2004; BAKHTIN, 1996). Boa parte dessas narrativas que têm se tornado clássicos catalogados como “Literatura Infantil” são maravilhas nascidas na boca do povo e muito após é que se popularizaram em adaptações do mercado literário (COELHO, 1991; BENJAMIN, 1994). Além disso, ao lado do povo que sabe e ainda conta estórias de Trancoso e de Fadas, o gênero literário conto tem podido manter em circulação os mesmos assuntos sucessivamente renovados (CASCUDO, 1984), possibilitando o resgate da narrativa oral tradicional, bem como a compreensão e valorização tanto da tradição popular oral quanto da renovação imposta por nosso tempo, perenizando-se a concepção estética filtrada por elementos sociais sincrônicos e diacrônicos (CÂNDIDO, 1976), sem perder de vista a singularidade e a autonomia da obra literária.

     

4
  • JANEIDE MAIA CAMPELO
  • ESPERANDO ULISSES: O MITO DE PENÉLOPE À LUZ DA COMPARAÇÃO DIFERENCIAL E DISCURSIVA

  • Data: 31/01/2014
  • Mostrar Resumo
  • Das inúmeras tecelãs de que se tem notícia, a rainha de Ítaca está, certamente, entre as mais célebres. Muitos escritores ao longo dos séculos dedicaram-se a retomar o mito de Penélope em suas obras e recontá-lo a sua maneira.De acordo com Ute Heidmann, “a recorrência de escritores modernos aos mitos gregos para produzirem seus textos é uma prática discursiva ‘renovadora’, que dá ao mito ‘novas escritas e pertinência’(2003, p.47). Esse trabalho faz uma análise comparativo-diferencial e discursiva do mito de Penélope relacionando-o com dois contos de autores brasileiros: Penélope de João do Rio (1919) e Penélope de Dalton Trevisan (1959). Para tal, temos como embasamento teórico: obras de Ute Heidmann (2003, 2006, 2008) e de Dominique Maingueneau (2006). Debruçamo-nos ainda sobre o aspecto temporal presente tanto no mito clássico de Penélope como em suas reescritas modernas de forma a identificar como cada reconfiguração desenvolve um dos atos mais célebres desse mito: a espera. Para tal, nos baseamos nos estudos de Paul Ricoeur (2006), Hans Meyerhoff (1976) e Benedito Nunes (1988).

5
  • NARA JUSCELY MINERVINO DE CARVALHO MARCELINO
  • AS SENTENCAS COM "É RUIM QUE" NO PORTUGUÊS BRASILEIRO

  • Data: 31/01/2014
  • Mostrar Resumo
  • Ancorados em trabalhos sobre a estrutura das sentenças copulares no Português Brasileiro (PB), no quadro da teoria da gramática, analisamos nesta dissertação as sentenças copulares complexas encabeçadas pela estrutura “é ruim que” no PB, defendendo a hipótese de que elas podem ter uma leitura predicacional – PRED – ou especificacional – ESP. Nas estruturas com “é ruim que” PRED, o constituinte “ruim”, como em qualquer sentença copular comum, é o predicador de uma Small Clause e insere ampla predicação sobre todo o sujeito, que se realiza no CP encaixado; nas com “é ruim que” ESP há uma expressão cristalizada. Revela-se que, apesar de serem superficialmente idênticas, a estrutura dessas sentenças, para que as distintas leituras sejam acionadas, é distinta: nas PRED, o “ruim” nasce como predicador da Small Clause, sem passar por qualquer tipo de movimento; nas ESP, a expressão cristalizada é fruto do movimento sofrido de uma posição interna ao IP pleno da sentença neutra, que deu origem à versão copular, para a posição SpecCP. Além da forma como o constituinte “ruim” ou a expressão cristalizada “é ruim” são realizados nas diferentes estruturas com “é ruim que”, mostraremos que a relação interna entre os verbos cópula e principal também é fundamental para distinguir um e outro tipo de estrutura. Quando a estrutura é uma sentença copular comum, o modo da cópula deve ser o indicativo, enquanto o do verbo principal, o subjuntivo, impreterivelmente; o tempo de um e de outro pode, de acordo com a estrutura, ser variável. Sendo a sentença copular de negação, a exigência é de que ambos os verbos apareçam no modo indicativo, podendo o verbo principal ser flexionado em tempo, mas devendo a cópula ser realizada, unicamente, na terceira pessoa do presente do indicativo, o que confirma nossa análise de que “é ruim” dessa estrutura configura uma expressão cristalizada, e não dois constituintes distintos. Defendemos, portanto, que as sentenças com “é ruim que” no PB podem ser: (i) sentenças copulares comuns, de leitura PRED, quando o “ruim” estabelece predicação ampla sobre o CP sujeito e é concatenado à Small Clause; e (ii) sentenças copulares de negação, de leitura ESP, nas quais a expressão cristalizada “é ruim” tem escopo estreito sobre um vestígio que recai na semântica do IP. 

6
  • NARA JAQUELINE AVELAR BRITO
  • A expressão do condicionado contrafactual em construções ‘Se P, então Q’

  • Data: 03/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, tomamos como objeto de estudo a expressão da função contrafactual presente em construções do tipo ‘se p, então q’, com foco no uso alternado de formas verbais na estruturação da apódose/condicionado, cujo valor é canonicamente designado pelo futuro do pretérito. Trabalhamos com amostras de fala extraídas de reportagens televisivas veiculadas na televisão brasileira entre os anos de 2010 e 2013. A base teórico-metodológica para nossa discussão advém dos princípios do Sociofuncionalismo (cf. TAVARES, 2003, 2011, 2013; GORSKI; TAVARES, 2013; entre outros) que, por sua vez, trabalha na interface entre os pressupostos do Funcionalismo linguístico (cf. GIVÓN, 2001; BYBEE, 2010; entre outros) e da Sociolinguística (cf. WEINRICH; LABOV; HERZOG, 1968; LABOV, 2008 [1972], 2001, 2010; entre outros). Averiguamos contextos linguísticos e extralinguísticos passíveis de influenciar a escolha do falante pelo futuro do pretérito ou pelo pretérito imperfeito, tanto em suas formas simples quanto em locuções ou formas perifrásticas. Para tanto, partimos da hipótese de que fatores linguísticos como a ordem da sentença e o paralelismo, e de que fatores sociais como o sexo e o nível de escolaridade sejam relevantes para a explicação do uso alternado de formas verbais na codificação da indicação contrafactual. Os resultados obtidos em nossa análise (qualitativa e quantitativa) apontam a relevância de alguns desses fatores no uso efetivo das formas verbais futuro do pretérito e do pretérito imperfeito do indicativo nas apódoses contrafactuais, e ressaltam o papel de princípios funcionalistas (a exemplo do princípio da marcação e do princípio da iconicidade) sobre o uso variável das formas verbais sob enfoque.  

7
  • CAETANA ARAUJO CARDOSO
  • NARRATIVAS HUMORÍSTICAS: O PAPEL DE ESQUEMAS E FRAMES NA COMPREENSÃO DO RISÍVEL

  • Data: 07/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A Linguística Cognitiva tem como um de seus principais objetivos descrever e analisar os processos de construção de sentido. Para isso, suas pesquisas pressupõem a existência de estruturas cognitivas oriundas das experiências sensório-motoras e socioculturais dos usuários da língua, que são acessadas pelo sujeito durante a compreensão textual. Fundamentada teoricamente nesta abordagem cognitiva da linguagem, esta dissertação tem como objetivo nuclear descrever e analisar como os domínios cognitivos - representados pelos esquemas imagéticos e frames - permitem ao leitor depreende o risível em textos humorísticos. Entende-se por esquemas imagéticos os domínios das informações construídas e armazenadas na mente do sujeito, oriundas de sua experiência corporal, por exemplo, ao movimentar-se ou manipular objetos; os frames, por sua vez, são os constructos que emergem a partir da interação, estabelecida de forma dinâmica e consensual, entre os sujeitos em contextos socioculturais específicos. Percorremos este caminho, pois acreditamos que o efeito de humor decorrente de um texto está subordinado à ativação e ao acionamento dos esquemas imagéticos e frames armazenados na mente no leitor, existindo, desta forma, níveis de compreensão, o que explica a recuperação ou não de trechos humorísticos em um texto. Para confirmar a nossa hipótese, utilizamo-nos da aplicação de um experimento (uma atividade, com textos humorísticos, para alunos do Ensino Fundamental e Médio registrarem sua compreensão) e, para a análise dos resultados dessa atividade, apropriamo-nos, metodologicamente, do processo da introspecção (entendida como a intuição do pesquisador, responsável pela produção de ideias e raciocínios ao manipular os dados). Durante a observação minuciosa do nosso experimento, chegamos à conclusão de que o humor é apreendido intelectualmente quando os esquemas imagéticos e frames são confrontados.

8
  • SAMARA FREITAS OLIVEIRA
  • O Impacto das tarefas de aprendizagem mediadas pela lousa digital interativa na motivação situacional de aprendizes de inglês

  • Data: 13/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Alguns autores já sugeriram que as tarefas de aprendizagem conduzidas em salas de aula de L2 podem motivar os aprendizes de diferentes maneiras. Da mesma forma, as Lousas Digitais Interativas (LDI) já foram relacionadas como propulsoras de engajamento e entusiasmo em aulas de L2, podendo assim impactar variáveis afetivas que influenciam a aprendizagem, como a motivação, por exemplo. Este estudo transversal, de métodos mistos, objetiva compreender de que forma a motivação situacional ocasionada por tarefas de aprendizagem mediadas pela LDI impacta os participantes. Buscamos responder as seguintes perguntas de pesquisa: (1) como a motivação, vista como um traço da personalidade do aprendiz, se relaciona ao seu desempenho de aprendizagem da L2?, (2) de que maneira o tipo de tarefa de aprendizagem impacta na motivação do aprendiz?, (3) de que forma a motivação varia ao longo da tarefa de aprendizagem? e (4) qual a relação entre a motivação proveniente da tarefa de aprendizagem e a percepção do aprendiz sobre a tarefa mediada pela LDI? A coleta de dados durou quatro meses em um instituto privado de idiomas com 29 aprendizes de inglês e foi realizada por meio dos seguintes instrumentos: (a) um questionário inicial (adaptado da Attitudes/Motivation Test Battery de GARDNER, 2004); (b) escalas situacionais on-line para conhecermos a motivação dos aprendizes em três momentos: antes, durante e após a tarefa e analisarmos como a motivação varia ao longo da tarefa; (c) observações de aulas e as resultantes notas de campo dessas observações; (d) as notas globais dos participantes no semestre para entendermos a relação entre o desempenho acadêmico e o perfil motivacional deles e (e) um questionário final com o fim qualitativo de conhecer as percepções dos aprendizes sobre as tarefas mediadas pela LDI. Nossa fundamentação teórica baseia-se na Aprendizagem Baseada em Tarefas e nos aspectos cognitivos presentes nas tarefas (WILLIS, 1996; SKEHAN, 1996), em algumas teorias de motivação e aprendizagem de L2 (GARDNER, 2001; DÖRNYEI e OTTÓ, 1998; DÖRNYEI, 2000; 2002) e em concepções sobre a aprendizagem de L2 mediada por tecnologias (GIBSON, 2001; OLIVEIRA, 2001; MILLER et al, 2005). Nossos resultados não apontam uma correlação significativa entre as notas globais dos aprendizes e o seu perfil motivacional. Entretanto, indicam que há uma variabilidade da motivação situacional ao longo das tarefas, mesmo dentro de tarefas de aprendizagem do mesmo tipo. Além disso, mostram que os aprendizes relatam diferentes percepções para cada tarefa de aprendizagem e que o impacto da LDI na motivação dos participantes foi de pequena proporção.

9
  • LORENA AZEVEDO DE SOUSA
  • A ferramenta VoiceThread em uma abordagem híbrida: o desenvolvimento da produção oral e da habilidade de noticing na aprendizagem de inglês como L2

  • Data: 17/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • O VoiceThread é uma ferramenta da web 2.0, colaborativa e assíncrona, que permite a criação de apresentações orais com auxílio de imagens, documentos, textos e voz, possibilitando que grupos de pessoas naveguem e contribuam com comentários de várias maneiras: utilizando a voz (com microfone ou telefone), texto e arquivo de áudio ou vídeo (webcam) (BOTTENTUIT JUNIOR, LISBÔA E COUTINHO, 2009). A experiência híbrida com o VoiceThread permite que o aprendiz planeje sua fala antes de gravá-la, sem a pressão geralmente existente em sala de aula. Além disso, as apresentações podem ser gravadas e regravadas várias vezes, possibilitando que ele se ouça, perceba as lacunas em sua produção oral (noticing) e a edite inúmeras vezes antes de publicá-la online. Nesta perspectiva, a produção oral é vista como um processo de aquisição de L2, e não apenas como prática do conhecimento já existente, por estimular o aprendiz a processar a língua sintaticamente (SWAIN, 1985; 1995). Neste contexto, o presente estudo visa verificar se existe uma relação entre as medidas de produção oral dos aprendizes - mais especificamente a acurácia gramatical e a nota global - e sua habilidade de noticing, de que forma a prática sistemática com a ferramenta VoiceThread, em uma abordagem híbrida, impacta o desenvolvimento oral global dos aprendizes, sua produção oral em termos de fluência (número de palavras por minuto), acurácia (quantidade de erros gramaticais a cada 100 palavras) e complexidade (número de orações subordinadas por minuto), e a sua habilidade de noticing (SCHMIDT, 1990; 1995; 2001), ou seja, a capacidade de o aprendiz perceber as lacunas existentes na sua produção oral. A fim de responder a essas questões, 49 aprendizes de inglês como L2 participaram da pesquisa, divididos em grupo experimental (25 alunos) e grupo controle (24 alunos). O grupo experimental foi exposto a uma experiência híbrida com o VT durante dois meses e, por meio de um pré e um pós-teste, verificamos se essa prática sistemática influenciaria positivamente a produção oral e a habilidade de noticing destes participantes. Esses resultados foram comparados aos escores do pré e do pós-teste de um grupo controle, que não foi exposto ao VT. Por fim, as impressões dos aprendizes a respeito da experiência com a ferramenta foram analisadas por meio de questionários aplicados após o pós-teste. Os resultados apontam que há uma correlação estatisticamente significativa entre as medidas de produção oral dos aprendizes (acurácia gramatical e a nota global) e sua habilidade de noticing. Além disso, verificou-se que há um impacto positivo da ferramenta VoiceThread sobre as variáveis da produção oral dos aprendizes e sua habilidade de noticing. Por fim, a parte qualitativa desse estudo revela uma reação positiva dos aprendizes em relação à experiência híbrida com esta ferramenta.

10
  • HUDSON LIMA BEZERRA ROCHA
  • Matizes da Cultura de Massa na Obra de Caio Fernando Abreu

  • Data: 21/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • O escritor gaúcho Caio Fernando Abreu foi fortemente influenciado por um período de mudanças de valores e perspectivas. Ao ingressar no cenário literário brasileiro com uma escrita livre tanto em forma como no conteúdo, ele emprega em sua obra toda a angústia da busca de novos valores e sentidos na modernidade e incorpora o espírito de uma geração que, apesar do anseio pela liberdade, ainda vivia sufocada pela ditadura militar. Sua narrativa também revela um autor com extrema habilidade de transitar entre o erudito e o popular. Em seus contos e crônicas, ele emprega uma linguagem performática intercalada por referências que transformam seu texto em uma espécie de iconografia da Pop Art. Assim como os quadros da Pop Art, repletos de imagens da Coca-Cola, cigarro, pasta de dente ou latas de conserva, o discurso literário em Caio é pincelado por várias referências simbólicas ao consumismo moderno, bem como ao cinema, à música e ao culto das stars. Este traço do escritor exerce uma grande força atrativa sobre o leitor contemporâneo. Em nosso trabalho, buscamos analisar este recurso na obra de Caio sob a ótica dos estudos culturais, vislumbrando desta maneira, uma análise das diversas formas de expressão da cultura de massa em Caio, reconhecendo estas referências enquanto recurso estilístico de seus textos e ressaltando suas relevâncias no estudo da obra do autor. Para tanto, nos apoiamos basicamente nas reflexões críticas dos teóricos: Lipovetsky (1996) e Adorno (2011), que discutem cultura e formação social na modernidade. 

11
  • FRANCISCO JOSÉ COSTA DOS SANTOS
  • PROCEDIMENTOS DE ABERTURA E FECHAMENTO DE TÓPICOS NA INTERAÇÃOEM SALA DE AULA

  • Data: 24/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho se insere em perspectivas interacionais, com  base nos pressupostos da Análise da Conversação, da Perspectiva Textual Interativa e da Linguística de Texto. A partir da questão norteadora que busca uma compreensão acerca da interação entre professor e alunos, no processo de construção do conhecimento, temos como objetivos: descrever, analisar e interpretar aspectos da organização tópica em sala de aula no Ensino Fundamental, observando os procedimentos de abertura e fechamento dos tópicos nesse espaço específico. Partindo da expectativa de que os procedimentos de abertura e fechamento dos tópicos discursivos ocorrem por meio de marcas linguísticas, buscamos identificar que marcas são usadas nas aberturas e fechamentos dos tópicos na sala de aula investigada, no transcurso das interações durante o processo colaborativo do discurso instaurado entre professora e alunos. Assim sendo, embasamo-nos em autores que analisam questões específicas do texto em situação concreta de uso da linguagem, entre estes, Koch (1993, 1999), Jubran et al (1991), Jubran (2006), Pinheiro (2005), Penhavel (2010), Galembeck (2012), Barros (1991), Marcuschi (1986, 1990, 1991, 1998, 1999, 2003, 2004a), Kerbrat-Orecchioni (2006), Fávero (1999, 2002) e Galvão (2004, 2010). Metodologicamente, orientamo-nos nos postulados da  pesquisa etnográfica, a fim de  realizar  a coleta dos dados, através de gravações em áudio e vídeo, os quais foram transcritos, em seguida, conforme a proposta do projeto NURC, com algumas adaptações. A análisedos dados revelou que os procedimentos de abertura e de fechamento dos tópicos ocorreram pelo uso de marcadores discursivos, em especial o marcador “então”, propiciando-nos à compreensão de que esses elementos são importantes na organização tópica, contribuindo para assegurar a coerência e a coesão textual. Concluímos que a organização do tópico discursivo em sala de aula ocorre mediante ocorrências que auxiliam a explicitação do conteúdo de ensino e aprendizagem , tendo em vista às diversas necessidades de um plano acadêmico institucional,  cujo objetivo principal é a construção do conhecimento.

12
  • NADIER PEREIRA DOS SANTOS
  • MODOS DE LER, FORMAS DE ESCREVER.  A LITERATURA ENQUANTO OBJETO DA FICÇÃO DE ENRIQUE VILA-MATAS

  • Data: 27/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho busca analisar como alguns aspectos presentes na obra ficcional do escritor catalão Enrique Vila-Matas permitem pensar as práticas da escrita literária contemporânea. A partir de uma forma híbrida que reconsidera as relações tanto entre os gêneros quanto entre os discursos crítico e ficcional, a obra do autor propõe-se a refletir a respeito de suas próprias possibilidades no contexto sociocultural contemporâneo. Assim, por meio de uma ficção que em muitos momentos adquire os atributos do ensaio, Vila-Matas traz para o centro de seus enredos a discussão de questões relacionadas aos impasses de uma escrita que volta sua atenção para o destino de uma tradição literária desvinculada dos preceitos meramente mercadológicos contemporâneos. Sua maneira crítica de abordar a literatura e a experimentação em busca de novas possibilidades permitem associá-lo tanto a Laurence Sterne quanto ao projeto literário de Jorge Luis Borges. Esses autores possuem propostas que tentam ultrapassar os limites do texto, uma vez que nelas encontra-se o desejo de valer-se da ficção para demonstrar a instabilidade dos elementos de uma cultura, apropriando-se e desestabilizando os discursos e as claras distinções entre os saberes. Nesse sentido, as diversas maneiras por meio das quais Vila-Matas apropria-se do texto alheio e constrói uma obra de caráter fortemente intertextual denunciam hierarquizações e modos de circulação de textos que permitem aproximar-se da tensão existente entre temas como, influência, citação, práticas de leitura e de escrita.    

13
  • FELIPE GARCIA DE MEDEIROS
  • O SER ELÁSTICO, MOLA, AGULHA, TREPIDAÇÃO: EXPRESSÕES DO HOMOEROTISMO EM FERNANDO PESSOA

  • Data: 07/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação investiga e analisa as expressões do homoerotismo na poesia Fernando Pessoa e de seus principais heterônimos: Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e Ricardo Reis. Elaborando estratégias de fingimento como uma forma de escapar às injúrias e interdições, o poeta – através de linhas de fuga criadoras – constitui uma poética homoerótica, diferente dos padrões estabelecidos e dos modelos representacionais da literatura. Nós podemos encontrar, tendo em vista uma sexualidade problematizada, que transborda na multiplicidade dos eus, das identidades fluidas e de fronteiras móveis, intensos jogos de máscaras. Estas se corporificam nos poemas, sobretudo, por meio das sensações, dando lugar à possibilidade do discurso queer e homoerótico emergir. O homoerotismo pessoano é, assim, descortinado em meio às relações estéticas da amizade, dos espaços lisos, das heterotopias da cidade, ou espaços do outro, e da estética do armário. Partindo disso, percebemos as articulações de um gênero de performance como escritura e inscrição do corpo, estabelecendo uma escrita-física, que pontua uma sexualidade transgressora, com múltiplas entradas e saídas, afirmações e negações, instauradoras de paradoxos. Neste âmbito, desenvolvemos correlações entre concepções de Foucault (2010a, 2010b, 2011) sobre a história da sexualidade, amizade e relações de “poder-saber”, com traços de significância e de subjetivação, em processos de rostidade e CsO (Corpo-sem-Órgãos), em Deleuze e Guattari (1996). Consideramos, ainda, os questionamentos ontológicos, voltados para a dimensão “Gay”, em Eribon (2008) e levantamos aspectos a respeito da construção da ideia de masculinidade em Bourdieu (2010). Finalmente, apoiamo-nos na abordagem da epistemologia do armário, de Sedgwick (1993), como na teoria de gênero e performance de Butler (2012), encaminhando, além disso passagens pelo erotismo, de Bataille (1987), redimensionadoras das imagens homoafetivas do poeta português. 

14
  • CAMYLLA LIMA DE MEDEIROS
  • UNE HISTOIRE AMÉRICAINE: A CONSTRUÇÃO DE UMA PERSONAGEM EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO

  • Data: 12/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • A arte da linguagem possui um discurso legítimo e revelador de sua sociedade. Ela dá forma artística àquilo que nós compreendemos de nosso mundo. Partindo dessas ideias, nosso estudo pretende analisar como o fenômeno social da globalização e a identidade do homem moderno foram configurados à estrutura do romance Une Histoire Américaine (1986). Obra escrita pelo autor quebequense Jacques Godbout após o fracasso do famoso referendo da década de oitenta que pretendia a independência da província quebequense. Para tanto, nos valeremos da Critica Integrativa como suporte metodológico desenvolvido por Antônio Candido (1976) que busca aliar os elementos estéticos e sociais na compreensão da obra. Como suporte teórico utilizamos os estudos do sociólogo britânico Anthony Giddens (1991; 2002; 2005) para melhor compreendermos a globalização e seus efeitos transformadores sobre a identidade do homem moderno conforme configura a obra estudada. Igualmente, nos apropriaremos dos apontamentos de Yvon Bellemare (1984), Gaston Miron (1989), Louis Robitaille (2011) e Marc Durand (2011) para esclarecimentos acerca da dualidade cultural quebequense e dos aspectos específicos concernentes à literatura da província.  

15
  • VALESKA LIMEIRA AZEVEDO GOMES
  • Expressões risíveis na obra de Graciliano Ramos: uma leitura de Angústia

  • Data: 17/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação propõe a análise do romance Angústia (1936), de Graciliano Ramos (1892-1953), a partir da temática do riso. Estudos diversos evidenciam o caráter psicológico, social, filosófico e autobiográfico dessa obra, encaminhando-se para o pessimismo, para as desigualdades promovidas pela hierarquia social, para a crise, para a fragmentação do sujeito que atravessa tempos múltiplos ao tratar da narrativa do “eu” na Modernidade. Como explicar, então, a presença do riso em/na angústia? Como ele se caracteriza e como atua na construção do sentido dessa obra? Escolhemos essa abordagem teórica pelo fato de presenciarmos trechos com termos e situações denotativas do riso ao longo da narrativa. Para tanto, extraímos esses mesmos para compor a análise, respaldando-os em conceptualizações sobre os chistes, o grotesco, as leis gerais e a mecânica do riso, a mudança histórica e/ou evolução do riso, dos pensadores George Minois (2003), Henri Bergson (2001), Sigmund Freud (1905) e Mikhail Bakhtin (1987). Tratamos do sentido do romance, das associações entre os termos angústia e riso, de como o narrador protagonista Luís da Silva constrói a imagem do outro e de si mesmo, considerando o contexto nos qual a obra foi produzida, o autor em seu tempo, os dados biográficos relacionados à produção literária de Graciliano Ramos e o entrelaçamento das demais narrativas do autor com o tema do riso, a fim de deslindar o porquê do riso, de qual modo se dá o seu efeito, como ele coaduna e reforça a significação, desse romance, já contemplada pela crítica graciliânica.

16
  • CYRO ROBERTO DE MELO NASCIMENTO
  • Homoafetividade e abertura política em contos de Caio Fernando Abreu

  • Data: 21/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação busca estudar a representação literária da homoafetividade em contos de Caio Fernando Abreu no contexto de abertura política brasileira, especificamente nas narrativas publicadas entre 1982 e 1988. Para compreender como se dá a relação entre literatura e contexto histórico em seus contos, recorremos, principalmente, a uma noção de Literatura e Sociedade, conforme proposta por Antonio Candido. Relacionando as narrativas de Caio Fernando Abreu com a ditadura militar e o processo de abertura política, concomitante com o projeto de geração representado pela contracultura, buscamos verificar como a busca de afeto por homens que desejam outros homens pode estar condicionada por condições sócio-históricas específicas, compreendendo a obra literária como um espaço privilegiado de representação e compreensão da realidade. 

17
  • MARIA HELISSA DE MEDEIROS
  • CARTILHA DO SILÊNCIO: SOB O SIGNO DA MODERNIDADE E DA MEMÓRIA

  • Data: 26/03/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta pesquisa parte do pressuposto de que o romance Cartilha do silêncio, de Francisco Dantas, constitui-se de um duplo movimento, articulado um ao outro. Um voltado para a experiência moderna com a ideia de que a modernidade está impregnada de contrários, como nos lembra Nietzsche; outro vinculado a modos de vida baseados na experiência tradicional, que engloba a noção de memória como propriedade individual e coletiva. Interessa-nos, pois, analisar questões voltadas para o campo crítico-social que permeiam a vida e a história das personagens do romance, no que se refere à evocação do passado como instância de permanência da tradição em relação ao que apresenta como elementos constituintes da vida social moderna, o que dá à narrativa seu caráter paradoxal. Para subsidiar nossa análise, teremos como principal fundamentação teórica as reflexões de Marshall Berman constantes no livro Tudo que é sólido desmancha no ar e na obra Os cinco paradoxos da modernidade, de Antoine Compagnon. Tendo em vista que o romance de Francisco Dantas se configura como uma narrativa fragmentada decorrente da representação da memória social que remonta o tempo e as experiências individuais à margem de um processo social e de uma família patriarcal, a pesquisa se desenvolve à luz do conceito de memória de Jacques Le Goff, presente em História e Memória, e das reflexões de Ecléa Bosi, em Memória e Sociedade: lembranças de velhos. O método adotado em nossa investigação articula texto e contexto, o literário e a vida social, conforme a perspectiva de Antonio Candido, em Literatura e Sociedade, a fim de verificar como em Cartilha do silêncio  modos da vida social moderna se conjugam à ordem estética. Nesse sentido, ao ler o romance foi possível perceber como a identidade das personagens se constrói durante a narrativa e se mantém resistente à acomodação no seu contexto social na transição da tradição patriarcal para a modernidade, criando uma atmosfera de tensão entre os dois registros.

18
  • MARLY ROCHA MEDEIROS DE VARGAS
  • OS POSSESSIVOS DE SEGUNDA PESSOA EM CARTAS DE LEITORES DE JORNAIS BRASILEIROS DOS SÉCULOS XIX E XX

  • Orientador : MARCO ANTONIO MARTINS
  • Data: 31/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • Com base nos pressupostos teórico-metodológicos da teoria da variação e da mudança linguística (cf. WEINREICH; LABOV; HERZOG, 2006 [1968]), segundo os quais a heterogeneidade na/da língua lhe imprime um caráter intrínseca e eminentemente variável, nesta dissertação, descreve-se e analisa-se o processo de variação/mudança envolvendo o quadro dos pronomes possessivos de segunda pessoa em cartas de leitores de jornais brasileiros dos séculos XIX e XX. Essas cartas apresentam um retrato da impressa brasileira das regiões sul (Santa Catarina), sudeste (Rio de Janeiro) e nordeste (Bahia e Rio Grande do Norte) nos diferentes séculos e fazem parte do corpus mínimo comum impresso do Projeto para a História do Português Brasileiro (PHPB). Parte-se do pressuposto de que o uso das formas variantes para a expressão dos pronomes possessivos de segunda pessoa – teu/vosso/seu – resultam da interação que caracterizam os papéis sociais vários exercidos pelos interlocutores nas cartas. Configurando unidades comunicativas que reúnem elementos/traços denotadores de espaço e tempo condicionados e determinados por aspectos sócio-históricos e culturais, as cartas de leitores mostraram-se como universo promissor de pesquisa na perspectiva aqui eleita para estudo. Mais especificamente, na esteira de resultados apresentados em estudos sobre o sistema pronominal na diacronia do/no Português Brasileiro (PB), nos quais se inserem aqueles referentes aos possessivos (FARACO, 2002; LORENGIAN-PENKAL, 2007; CALLOU; LOPES, 2003; LOPES; DUARTE, 2003; MENON, 2005; ARDUIN; COELHO, 2005; LOPES, 2009; MARCOTULIO, 2010), os resultados obtidos na análise apontam para diferentes usos dos possessivos, registrando-se a coexistência das formas teu/tua, seu/sua e vosso/vossa fortemente condicionadas pela natureza sócio-discursiva das cartas de leitores no curso dos séculos e pela diferentes regiões.

     

19
  • DANIEL DE HOLLANDA CAVALCANTI PIÑEIRO
  • Multiplicando Veredas entre Guimarães Rosa e Oswaldo Lamartine

  • Data: 01/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação se propõe a estudar os elos entre a linha sertaneja rosiana, representada por Grande sertão: veredas (2011), e a seridoense do interior do estado do Rio Grande do Norte, nos ensaios de  Sertões do Seridó (1980) de Oswaldo Lamartine de Faria, como uma continuação da tradição iniciada por Guimarães Rosa. Para isso, consideramos as definições sobre regionalismo desde Antonio Candido (2000) até Chiappini (1995), que nos permitem ampliar a visão da tendência no Brasil, e mostramos as ligações iniciais entre as duas obras citadas. Dessa forma, ao conceito de regionalismo unimos o de tradição (CANDIDO, 2001) e nossa leitura de Lamartine é guiada para o ensaísmo como a fronteira entre escrita ideológica-literária (HARO, 2005), que se aproxima da ficção rosiana. É por esse caminho que analisamos os cinco ensaios de Sertões do Seridó,  e aproximamos as criações do escritor mineiro e do potiguar pelo que se evidencia na construção de seus sertões: a ficcionalidade no ato narrativo aproximado a Walter Benjamin (1987), pautado em “gatilhos da memória” (BOSI, 1979) e que nos leva às reconstruções da história, especialmente pela presença de narradores idosos. Com tais projetos, concluímos que o lastro entre Rosa e Lamartine nos leva para um regionalismo cuja força não se encontra no choque do exotismo, mas em sua aproximação aos leitores. Ambos os autores tornam os sertões universais pela apresentação do fator regional.

     

     

     

     

20
  • ALAN EUGÊNIO DANTAS FREIRE
  • O CANTO DOS VESTIBULANDOS EM 140 CARACTERES: linguagem e construção de identidades no Twitter

  • Data: 16/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • A revolução causada pela internet e suas diversas redes sociais acabaram por trazer à tona fecundas reflexões sobre a Cibercultura e o seu poder de construção identitária. O que parecia puramente moda tornou-se modo de ser, representação do eu, criação de realidade (LÉVY, 1996). Considerando a linguagem enquanto um fenômeno social, que se processa por meio da interação, conforme nos explicita Bakhtin (2010a), o discurso veiculado nas redes sociais molda o perfil dos seus usuários, construindo identidades que, no dizer de Hall (2006), são múltiplas e não-permanentes. A presente pesquisa busca analisar o uso do Twitter, por vestibulandos, elaborando uma reflexão acerca da construção das suas próprias identidades no ciberespaço. Os sujeitos da pesquisa são alunos do Educandário Nossa Senhora das Vitórias, escola da rede privada do município de Assú/RN, todos eles concluintes do Ensino Médio. Entendendo o ano de vestibular como decisivo e motor de uma reflexão sempre presente acerca de sua condição de estudantes, os sujeitos acabam por externar suas angústias, medos e perspectivas no ambiente virtual, proporcionando-nos material suficiente para análise de como eles se constituem vestibulandos, suas expectativas para os devidos processos seletivos, além de diversas representações pertencentes ao âmbito escolar. A partir do discurso veiculado no Twitter, expresso nas postagens selecionadas, o presente estudo revela as identidades de vestibulandos que dele emergem, o que propiciou o elenco de algumas evidências. A análise das postagens nos possibilita conhecer as impressões dos estudantes quanto à escola, às disciplinas, o ritmo de estudos, o interesse com as práticas escolares e, a partir de tais indícios, a percepção de como o vestibular modifica o seu cotidiano e afeiçoa suas identidades enquanto vestibulandos.

21
  • RENATO KLEDSON FERREIRA
    1. Construções com Tópico Marcado em cartas pessoais brasileiras dos séculos XVIII, XIX e XX
  • Data: 16/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação consiste em um estudo sobre as construções de tópico marcado (CT) em cartas pessoais brasileiras dos séculos XVIII, XIX e XX. O objetivo de nossa pesquisa é verificar que CT estão presentes na escrita de brasileiros nascidos nos séculos em questão. O nosso foco de investigação se fundamenta nos pressupostos da teoria gerativa (CHOMSKY 1981; 1986), a qual afirma que a gramática se encontra internalizada na mente/cérebro dos missivistas, tendo como ênfase os estudos acerca da mudança gramatical, conforme apontam os textos de Paixão de Sousa (2004); Carneiro (2005); Galves, Namiuti e Paixão de Sousa (2006); e Martins (2009). O nosso córpus foi extraído do Projeto Para a História do Português Brasileiro (PHPB) e de Cartas Brasileiras – coletânea de fontes para o estudo do português. Selecionamos quarenta e seis missivistas que deveriam estar inseridos nos dois critérios estipulados nesta pesquisa: ser brasileiro e ter nascido nos séculos mencionados, a fim de que pudéssemos encontrar as CT legítimas do PB. Este trabalho está ancorado nas pesquisas de Pontes (1987), Mateus et al. (2003), Araújo (2006; 2009), Berlinck, Duarte e Oliveira (2009), as quais nos respaldarão no estudo desse fenômeno linguístico na língua portuguesa. Os resultados mostram que as construções típicas do Português Brasileiro – tópico sujeito, tópico locativo e tópico cópia – aparecem na escrita de brasileiros desde a segunda metade do século XVIII, enquanto que a construção de tópico sujeito já se encontra refletida na língua-I dos missivistas nascidos na segunda metade do século XIX.

22
  • ANTÔNIO LÁZARO VIEIRA BARBOSA JUNIOR
  • ENTRE MILLÔR E DERRIDA: O HUMOR ENQUANTO EXPERIÊNCIA DA ALTERIDADE E DO IMPOSSÍVEL

  • Data: 14/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • O humorista brasileiro Millôr Fernandes teve uma produção distribuída em vários campos, desde a literatura até as artes visuais e o jornalismo. Em qualquer delas, no entanto, havia a marca indelével do humor. Nesta dissertação, proponho uma leitura de sua obra a partir de Jacques Derrida, enfatizando como se dá a construção do outro. O foco recairá sobre Millôr Definitivo:A Bíblia do Caos, mas outros textos também serão contemplados. Para empreender a análise, farei uma exposição geral da obra milloriana (especialmente Millôr Definitivo:A Bíblia do Caos) e esboçarei, em linhas gerais, a filosofia derridiana, centrando-me em sua discussão sobre a filosofia ocidental, a literatura e a alteridade. No momento da análise propriamente dita, situarei o eixo metodológico no quase-conceito de invenção. A análise deverá fazer emergir a hipótese do humor enquanto experiência da alteridade e do impossível, situando o humorista enquanto totalmente outro. No texto milloriano, essa experiência é marcada pelo conflito, sem possibilidade de resolução.

23
  • CAMILA MARIA GOMES
  • Modelos de realizações discursivas nos benditos populares

  • Data: 16/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • Com o intuito de contribuir para o entendimento dos processos constitutivos dos textos orais, buscamos, com este trabalho, estabelecer como se estabelece os processos de formulaicidade no patrimônio imaterial religioso dos quais temos contato: os benditos populares e as novenas. Para isso, fizemos um apanhado geral sobre a realização das repetições que se estabelecem no corpus recolhido para o estudo, levando em consideração o processo das Tradições Discursivas nos textos a serem analisados. Vale salientar que o corpus é composto por benditos e novenas recolhidos no município de Lajes, no Rio Grande do Norte. Em relação ao arcabouço teórico utilizado para orientar a pesquisa, versamos nossas análises pelos pressupostos teóricos das Tradições Discursivas (TDs), com as ideias defendidas por Johannes Kabatek, além de levar em consideração os pressupostos de Paul Zumthor sobre a oralidade nos textos religiosos populares, entre outros autores citados ao longo do texto. Assim sendo, podemos dizer que, no âmbito das culturas populares, a existência dos textos orais serve para diversos objetivos interativos e isso não é diferente nos Benditos populares e nas novenas. Ainda nesse sentido, focalizando o olhar para a teoria das Tradições Discursivas (TDs), podemos verificar que os textos/discursos portam algumas tradições, o que significa que eles apresentam regularidades discursivas ou formas textuais já produzidas pela sociedade, em momentos anteriores, que permanecem ou se modifica ao longo de sua existência, assim como nos mostra Johannes Kabatek (2001, 2003, 2005 e 2006). Ainda nesse mesmo sentido, Paul Zumthor (1993) nos apresenta a ideia de que falar em “palavra”, no seu real sentido, implica em admiti-la como algo que possui um poder imensurável, que é capaz de decidir rumos no mundo e é daí que se estabelece a “riqueza das tradições orais”.

24
  • PAULINE CHAMPAGNAT
  • A identidade crioula em Texaco de Patrick Chamoiseau

  • Data: 23/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho propõe pesquisar a identidade crioula em Texaco (1992) do autor martinicano Patrick Chamoiseau. A obra faz uma retrospectiva da história martinicana, trazendo um olhar novo, influenciado pela cultura popular, ao invés de representações tradicionais moldadas nos modelos metropolitanos. A teoria principal usada na dissertação será a de Edouard Glissant, quando utilizou a noção do rizoma de Deleuze para adaptá-la à questão da cultura crioula. Nessa perspectiva, a raiz única, que simbolicamente representaria uma cultura única, mata as outras raízes ao seu redor, enquanto o rizoma, ou seja, a raiz múltipla vai ao encontro das outras raízes para formar um todo junto com elas, e estender-se ao infinito. A teoria presente no livro do autor, Escrever em país dominado (1997), terá uma importância fundamental na nossa dissertação, no que diz respeito ao questionamento sobre o uso da língua da antiga potência colonizadora numa antiga colônia. Essa reflexão permitirá abrir uma discussão sobre a influência da cultura metropolitana na cultura da antiga colônia, que se vê oprimida. Logo, veremos na primeira parte os mecanismos de opressão usados na negação da identidade crioula, através de sistemas de dominação linguísticos e literários. Na segunda parte, iremos analisar a emergência da identidade crioula em Texaco, graças a uma tentativa de reescrita de uma das possíveis histórias da Martinica.

25
  • ANDREW YAN SOLANO MARINHO
  • DO CIENTISTA AO ATIVISTAOS PROBLEMAS DA CIÊNCIA DO TEXTO E UMA SOLUÇÃO REVOLUCIONÁRIA NA OBRA DE TERRY EAGLETON

  • Data: 28/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • O crítico literário Terry Eagleton obteve notoriedade no meio acadêmico ao ser reconhecido intelectualmente com seu livro best-seller Teoria da Literatura: uma introdução. Nesse livro, o autor inglês propõe, ousadamente, o fim da literatura e da crítica literária. Contudo, anos antes, Eagleton propôs um sistema científico de análise do texto literário, que parecia menos radical, tanto em teoria quanto no método, do que em sua proposta teórica posterior. Com base nisso, o objetivo dessa dissertação é apresentar o método inicial do crítico literário inglês, explicitar os motivos que o levaram a abandonar seu projeto inicial – de elaborar um método de análise do texto literário sobre uma ótica científica marxista – e a propor, nos anos seguintes, em seu livro mais famoso e em outros, uma visão revolucionária, que iria muito além de análises textuais e faria os textos literários terem uma intervenção prática na sociedade.  Por fim, explicitaremos qual seria sua ideia de crítica revolucionária.

26
  • LIDEMBERG ROCHA DE OLIVEIRA
  • A INJUNÇÃO EM LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA DO 4º E 5º ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

  • Data: 30/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • Com esta investigação, objetivamos identificar, descrever, analisar e interpretar como livros didáticos de Língua Portuguesa abordam, a partir da materialidade linguística, efeitos de sentido veiculados em textos predominantemente injuntivos. O corpus deste estudo é constituído por seis coleções de livros didáticos de Língua Portuguesa inscritas no PNLD 2010, adotadas por escolas públicas do município de Natal e objeto de estudo no âmbito do Projeto Ler/Contar do Observatório de Educação da UFRN. Foram analisados os livros dos 4º e 5º anos do Ensino Fundamental, totalizando 12 exemplares, foram selecionadas vinte atividades para análise. Para fundamentar nosso estudo recorremos à discussão teórica de Adam (2001a, 2001b) no que diz respeito aos gêneros discursivos da incitação à ação. Ainda, acompanhamos Koch e Fávero (1987), Koch e Elias (2009), Marcuschi (2002, 2008), Pery-Woodly (2001), Rodrigues (2013), Travaglia (1991, 2007) e Rosa (2007), no que concerne à organização material dos textos injuntivos.  Referente às discussões sobre o livro didático amparamo-nos em Choppin (2004, 2009), Batista (2003, 2009), Rojo e Batista (2005), e quanto aos livros didático de Língua Portuguesa adotamos Soares (1998, 2001, 2004) e Buzen e Rojo (2005). Os dados mostram que o imperativo afirmativo é a categoria linguística mais explorada nas atividades de leitura, produção escrita e análise linguística, inexistindo, assim, um trabalho que explore outras formas linguísticas que veiculem o efeito de sentido da injunção. 

27
  • TITO MATIAS FERREIRA JÚNIOR
  • ENTRE FRONTEIRAS: A ESCRITA IMIGRANTE DE JULIA ALVAREZ EM HOW THE GARCÍA GIRLS LOST THEIR ACCENTS

  • Data: 02/06/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    A presente dissertação objetiva investigar a maneira em que sujeitos diaspóricos ficcionais da obra How the García Girls Lost their Accents (1992), de Julia Alvarez (1950 – ), negociam o embate entre duas culturas – a caribenha, oriunda da República Dominicana, no Caribe, e a estadunidense, proveniente dos Estados Unidos da América, já que aparentemente espelha “a dor daqueles que se encontram divididos entre terras natais e línguas maternas” (IYER, 1993, p. 46). As implicações desta negociação na vida do imigrante são questões relevantes na escrita de Alvarez. A autora leva em consideração o uso das memórias da esfera familiar como uma das estratégias essenciais empregadas por escritores imigrantes para rememorar sua(s) identidade(s). A significância da escrita das reminiscências do âmbito familiar é observada como um meio de apresentar a coletividade da escrita imigrante e, mais importante, como um meio que escritores imigrantes de diferentes lugares usam para se sentirem conectados uns com os outros. Do mesmo modo, leva-se também em consideração a questão da língua na construção da identidade imigrante para buscar entender onde as irmãs García se posicionam no mundo contemporâneo, visto que o bilinguismo é um fator chave na negociação que agencia entre suas porções caribenha e estadunidense. Dentre os autores estudados, citamos Homi K. Bhabha (1990, 1996, 2003, 2005), Stuart Hall (2001, 2003), Julia Kristeva (1994), Salman Rushdie (1990, 1994), Sonia Torres (2001, 2003) e outras contribuições que foram imprescindíveis para a finalização desta pesquisa.


28
  • LUIZ ALBERTO CELESTINO PESSOA PIMENTEL
  • O GAUCHE: POÉTICA DA TRAVESSIA ENTRE RENATO RUSSO E CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

  • Data: 17/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação, intitulada “O gauche: poética da travessia entre Renato Russo e Carlos Drummond de Andrade”, discute a individuação problemática do gauche que traz a poesia drummondiana para o meio da singularização de Renato Russo, acentuando tal individuação e buscando nela encontrar a tensão que se inscreve entre ambos, localizando no poeta e no compositor musical os deslocamentos, as desterritorializações e a repetição da diferença. Assim, mobilizar-se-á o ato, a estética e a política da escrita, transpondo do caráter textual, intertextual, para um feixe de referências, percepções, deslocamentos, estabelecendo nestes espaços, elementos presentes em cartografias poéticas que relacionam os dois autores nesta travessia rizomática, pois a escrita destes é movida pelo desejo e pelas minorias. Para tanto, coloca-se como escopo uma pesquisa norteada por autores como Gilles Deleuze, Jacques Derrida, Félix Guattari, Jacques Ranciére, Michel Foucault, Maurice Blanchot, Julia Kristeva, Linda Hutcheon, dentre outros que possam transitar pelas relações, neste estudo, estabelecidas, constituindo o corpus teórico e de discussão, atendendo ao caráter qualitativo implícito no desenvolvimento desta dissertação. Quanto ao corpus literário, este é composto pela seleção de letras de Renato Russo e poemas de Carlos Drummond, de maneira a constituírem corpos-subjetividade, envolvendo ideias, afectos, perceptos e imagens.

29
  • WILLAME SANTOS DE SALES
  •  

      DIALOGIZAÇÃO DE VOZES: o fio construtor do estilo de José Bezerra Gomes no romance A porta e o vento 

  • Data: 28/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

    A presente pesquisa tem por objetivo investigar o processo de construção estilística na prosa romanesca do escritor norte-rio-grandense José Bezerra Gomes, tomando, como corpus, o romance A porta e o vento. Os fundamentos teóricos sobre os quais se assenta esta empresa estão relacionados às ideias difundidas pelo chamado Círculo de Bakhtin, especialmente, as noções de linguagem dialógica, palavra literária, enunciado concreto, vozes sociais e estilo/estilística sociológica. Quanto à orientação metodológica, o trabalho caracteriza-se por adotar o paradigma interpretativista de base sócio-histórica, situando-se, ainda, no grande campo da Linguística Aplicada, área de investigação indisciplinar e fronteiriça cujo foco primordial é a linguagem concretamente situada. A análise dos discursos presentes na obra A porta e o vento possibilitou-me escutar diversas vozes sociais ali encarnadas, enxergar diversas formas de diálogo, inúmeras visões de mundo em embate constante que, em razão do gerenciamento e do acabamento dados pelo autor, acabam por conferir-lhe um tom, um estilo peculiar frente aos demais discursos e estilos circulantes em seu meio. Os embates ideológicos são evidentes: voz da tradição versus voz particular do personagem Santos, no que respeita à instituição do casamento; confronto entre imagens de sertão antagônicas – um sertão vivo (rico e diverso) em contraposição à noção estereotipada de sertão (pobre e estéril); e A porta e o vento como metáfora de uma arena de combate e indício de uma poetização da linguagem da prosa. A característica principal do estilo bezerriano, em A porta e o vento, está relacionada aos modos de dialogização das aludidas vozes presentes no romance. Nesse sentido, tem-se, com frequência, o uso de polêmicas veladas, réplicas dialógicas e diálogos velados, que são categorias já discutidas na teoria bakhtiniana, mas também outros modos de dialogização novos, alicerçados na dinâmica da linguagem viva e concreta.

30
  • GEISE KELLY TEIXEIRA DA SILVA
  • Nostalgia do Espaço e do Tempo: uma leitura da obra memorialística de Câmara Cascudo

  • Data: 29/07/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta dissertação aborda a obra memorialística do escritor potiguar Luís da Câmara Cascudo (1898 - 1986) a partir de uma leitura integrada das quatro obras que a compõe: O Tempo e Eu (1968), Pequeno Manual do Doente Aprendiz (1969), Na Ronda do Tempo (1971) e Ontem (1972). Produzidas sob a contingência do moderno, do movimento e da reforma urbana, as memórias de Câmara Cascudo evocam as velhas paisagens de outrora, povoadas por aqueles que pertenceram à velha Natal romântica e provinciana que já não existe, mas que ainda sobrevive idealizada na memória do autor e que é (re)construída por ele a partir de uma escrita permeada de toques de imaginação e por um sentimento de nostalgia. Buscando analisar como se dá o processo de construção memorialista de Cascudo, bem como refletir sobre o papel que a memória exerce na (re)construção de um tempo e de um espaço perdidos, recorremos aos estudos de Maurice Halbwachs (2006) e Ecléa Bosi (1994). Dentro desse quadro teórico, buscamos, sobretudo, compreender não apenas o modo como as experiências vividas por Cascudo no presente irão trabalhar a matéria de sua memória, mas também como esta irá nortear uma escrita que toca na história e nos quadros sociais do passado.

     

     

     

31
  • JOAO PAULO LIMA CUNHA
  • IDENTIDADES COLETIVAS DE ESTUDIOSOS DA LINGUAGEM EM CURRÍCULOS LATTES: DOCÊNCIA, PERTENÇA SOCIAL E CAPITAL CULTURAL-ACADÊMICO

     


  • Data: 04/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • A discussão envolvendo identidade de atores sociais ocorre já alguns anos, entretanto, ela se tornou significativa para os estudos discursivos nos últimos anos, devido à fragmentação dos atores pós-modernos. Entendendo as identidades como um conceito simbólico capaz de auxiliar na observação de realidades determinadas – uma espécie de mecanismo/uma lente (MERLUCCI, 1985) – é possível verificar a materialidade linguística do texto introdutório do currículo lattes como um espaço propício para constituição de identidades coletivas. O objetivo desta dissertação é refletir, como em tempos de pós-modernidade, através de textos introdutórios dos currículos lattes, as identidades coletivas de pesquisadores da linguagem são constituídas e retratadas em práticas discursivas e sociais, baseadas na acumulação de capital cultural-acadêmico. Para análise, em torno da postura indisciplinar em Linguística Aplicada (MOITA-LOPES, 2006), utiliza-se a metodologia descritiva/interpretativa (MAGALHÃES, 2001). Enquanto método de estudo e teoria social, para fundamentação da pesquisa, faz-se uso da Abordagem Sociológica e Comunicacional do Discurso, corrente vinculada aos pressupostos da Análise Crítica do Discurso (PEDROSA, 2012a).   O corpus se constitui de vinte e sete textos introdutórios de currículos lattes de pesquisadores da linguagem, vinculados a três instituições de ensino superior em Sergipe. Após coleta, na Plataforma Lattes, e numeração dos currículos, a fim de alcançar o objetivo da pesquisa, realizou-se a análise em torno de três temáticas identitárias: docência, pertença social (BAJOIT, 2006; DESCHAMPS; MOLINER, 2009) e acumulação de capital cultural-acadêmico (BOURDIEU, 2004; HEY, 2008). Os dados evidenciam que os textos dos currículos lattes são baseadas em princípios hegemônicos-ideológicos, referentes à acumulação de bens acadêmicos, à valorização de atores e às posições hierárquicas, reconhecidos e ratificados pelos pares que se socializam entre eles. Nesse momento, a pesquisa nos permite inferir que, na pós-modernidade, alguns pressupostos identitários coletivos, contribuem para o entendimento da realidade acadêmica, em torno do currículo lattes.

32
  • TACICLEIDE DANTAS VIEIRA
  • CONSUMO C(L)IENTE : ABORDAGEM DO GÊNERO ANÚNCIO PUBLICITÁRIO EM LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO MÉDIO

     

  • Data: 11/08/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Os livros didáticos de Língua Portuguesa, em audiência ao que se preconiza nos documentos oficiais para a educação, têm se configurado por gêneros discursivos importados de diversas esferas da atividade humana. O anúncio publicitário, gênero de ampla circulação social, espraiou-se da esfera publicitária para a escolar e passou a ser abordado por essas coletâneas como objeto e instrumento de ensino. Diante disso, esta pesquisa versa sobre a abordagem do anúncio em livros didáticos de português, com o objetivo de analisar como um gênero para anunciar se torna matéria para ensinar e aprender. Interessam essas práticas discursivas pelo impacto ou apelo que elas exercem sobre os (novos) consumidores, dentre os quais os alunos do Ensino Médio, pela sua representatividade no sistema capitalista, aquele que orienta nossas relações e práticas sociais, e pela combinação de linguagens que se encerram em sua composição, uma vez que condensa o “espírito” de nossa época, por excelência, a dos gêneros verbo-visuais. Para compreender o tratamento dado a essas peças publicitárias, a partir das questões/dos comentários a elas relacionados, bem como as suas atribuições para os multiletramentos (ROJO, 2012) do aluno cidadão, foram selecionadas duas coleções aprovadas pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD 2012) dentre as mais adotadas pelas escolas públicas de Natal/RN para o Ensino Médio. Da Linguística Aplicada, de identidade mestiça, nômade e in/transdisciplinar (MOITA LOPES, 2009), esse estudo se insere na cadeia discursiva da tradição interpretativista de abordagem histórico-cultural (FREITAS, 2010) e nomeia o Círculo de Bakhtin e sua concepção dialógica da linguagem como interlocutores indeclináveis. Os dados totais das coletâneas mostram que a abordagem do gênero pode se dá como enunciado concreto, como artefato linguístico e como híbrido, no trabalho com questões e sem questões, havendo a predominância de sua ocorrência na porção dos volumes dedicada ao estudo da gramática. Nos capítulos de literatura e de produção/interpretação de textos, a sua entrada é tímida ou não acontece nos volumes. Tal disposição tem implicações no letramento dos alunos, uma vez que a carência ou a abundância de propostas de leitura crítica para esse gênero, que solicitem do aluno o exercício de saberes necessários à construção de sentidos linguísticos e sociais, é reponsável por orientar um consumo (material e cultural) mais consciente pelos sumos clientes das obras em análise. A abordagem do gênero parece representar uma gradativa transição por que esses materiais vêm passando, ou seja, do polo da oração para o polo do enunciado, ou ainda, da abordagem do artefato linguístico para a híbrida e a do enunciado concreto, na busca por superar a tradicional tendência de se privilegiar os aspectos formais da língua, em detrimento dos enunciativos, e por entrar em harmonia com as diretrizes e os parâmetros do ensino na contemporaneidade, aproximando os deveres da escola dos direitos na vida. 

33
  • VERÔNICA FALCÃO DE OLIVEIRA VINAGRE
  • O SERTANEJO E O SEVILHANO NOS POEMAS DE JOÃO CABRAL DE MELO NETO: O LUSCO-FUSCO BARROCO 

  • Data: 11/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem o objetivo de, a partir de uma leitura barroca, desdobrar a compreensão dos poemas de João Cabral de Melo Neto no eixo Pernambuco – Espanha. Nessa perspectiva, a leitura da Obra Completa do poeta permite a aparição de dois sujeitos, o sevilhano e o sertanejo, que, curiosamente, pulsam e revelam-se desde seus locais de origem, Sertão e Sevilha, a um encontro labiríntico estabelecendo uma estreita e instigante relação de cidades alijadas, mas que assinalam um diálogo contíguo entre suas culturas. O esforço teórico desta investigação perpassa, aproxima ou contrapõe as orientações, entre outras, de Severo Sarduy (1999), Gilles Deleuze (2012) e Eugenio D’Ors (s.d). Não percorrendo um viés antropológico, este estudo observa o espaço espanhol e o espaço pernambucano congregando o regional ao universal e analisa o jogo Barroco na (re) construção da cultura do homem sertanejo e sevilhano. Esses elementos que se fundem, se aproximam e se distanciam provocam um jogo de alusões a Pernambuco e à Espanha que se mostram pelo viés cultural parecidos e ao mesmo tempo diferentes. Dessa apreensão, é possível compreender a síntese do sertanejo-sevilhano como uma atualização do Barroco do seiscentos a partir de índices que são evidenciados na escrita peculiar de João Cabral de Melo Neto, do cenário do Barroco ibérico e do Barroco americano.

     

34
  • ANGÉLICA FERREIRA DA FONSECA
  • A RELAÇÃO RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA / EMOÇÃO NOS DISCURSOS POLÍTICOS DE POSSE DE LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA E DILMA ROUSSEFF


  • Data: 15/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação insere-se nos estudos da Análise Textual dos Discursos, elaborada por Adam (2011) e desenvolvida no Brasil por estudiosos da Linguística do Texto, entre eles, Rodrigues (2010); Rodrigues; Passeggi; Silva Neto; Fernandes de Sousa; Soares (2010); Rodrigues; Fernandes (2013). Interessa-nos identificar, descrever, analisar e interpretar a responsabilidade enunciativa (RE) e a sua articulação com as emoções. Neste sentido, a partir da discussão sobre as modalidades linguísticas, dispomo-nos a compreender e relacionar esses fenômenos materializados nos discursos políticos de posse do ex-presidente Lula (2003, 2007) e da presidente Dilma Rousseff (2011). Para tanto, realizamos uma pesquisa qualitativa, de natureza interpretativista e utilizamos o método indutivo, bem como, subsidiamo-nos em noções advindas da Análise do Discurso de linha francesa, da Linguística Textual e da Linguística da Enunciação. Neste sentido, além de Adam (2011), nossa pesquisa é orientada pelos estudos de Rabatel (2006, 2008, 2009, 2010), Guentchéva (1994), Authier-Revuz (2004), Charaudeau (2007, 2011), Plantin (2010, 2012) e Micheli (2008, 2010). No que diz respeito à modalidade linguística, pontuamos as discussões propostas por Bessa Neves (2012) acerca dos valores modais. Os resultados caracterizam os discursos políticos de posse de presidentes do Partido dos Trabalhadores e apontam para a assunção da responsabilidade enunciativa, evidenciada pelos três valores modais, epistêmico, deôntico e apreciativo. As emoções são instauradas por unidades lexicais avaliativas e apreciativas. Por fim, a análise nos constatar que os enunciados marcados pela emoção são determinantes para assunção da RE.

35
  • GERLANNE DA CUNHA TAVARES
  • PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO DO SENTIDO POR PORTADORES DA SÍNDROME DE ASPERGER

  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • Para a Linguística Cognitiva, a construção do sentido se dá através do acionamento de processos mentais específicos que estão diretamente ligados às experiências socioculturais, sensório-motoras e perceptuais. Em portadores da Síndrome de Asperger, o comprometimento desses processos, devido a características específicas da própria síndrome, pode estar diretamente relacionado a problemas de construção de sentido por estes indivíduos. Nesse sentido, o objetivo deste projeto é investigar os processos cognitivos que direcionam a construção do sentido nestes portadores de transtornos neurais. A pesquisa é realizada com alunos da APAARN (Associação de pais e amigos dos autistas do Rio Grande do Norte), tendo como grupo de controle alunos neurotípicos de outras instituições, sendo os portadores da síndrome praticantes da língua materna o grupo experimental da pesquisa. Para elucidar o processo de construção do sentido por estes alunos, foram desenvolvidos testes contendo pistas linguísticas norteadoras responsáveis pelo  acionamento de alguns processos cognitivos como os esquemas (JOHNSON, 1987), frames (MINSKY, 1974), affordances (GIBSON,1979) e simulação mental (BARSALOU,1999). Os testes foram baseados nos pressupostos teóricos da Linguística Cognitiva, mais precisamente, da Teoria Neural da Linguagem. Os resultados apontam para uma possível justificativa para o comprometimento da construção do sentido, que compreende diretamente a relevância intersubjetiva das inferências recebidas e construídas socialmente pelos participantes especificamente desta análise.

36
  • SHEILA DA SILVA MONTE
  • A CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA EM UM FÓRUM DE DISCUSSÃO: UM ESTUDO COM ALUNOS DA EAD

  • Data: 18/09/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo é o de evidenciar as identidades culturais dos alunos da Licenciatura em Letras-Espanhol, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), em integração com a Universidade Aberta do Brasil (UAB), na modalidade a distância, construídas a partir dos enunciados produzidos por eles em um fórum de discussão on-line. Para tanto, elegemos para análise o fórum temático “Usar fragmentos da internet é um ato ético?”, gerado no primeiro semestre de 2011, veiculado na disciplina Leitura e Produção de Texto. O interesse desta pesquisadora em evidenciar as identidades culturais desses sujeitos, no ambiente virtual de aprendizagem, surgiu a partir do contato com essa realidade, na qual foi constatado que os enunciados construídos pelos alunos eram ricos em posicionamentos, significações e interações. Ao produzir seus discursos, tais sujeitos oportunizam uma reflexão sobre como podemos estabelecer sentido na interação criada no ensino on-line bem como sobre a construção das identidades culturais dos sujeitos dentro desse espaço virtual. A forma como os alunos participam do fórum de discussão representa experiências de aprendizagem que levam à construção das identidades culturais, o que determina a trajetória dos sujeitos, o que faz da identidade um constante processo de vir a ser, um contínuo transformar-se. Na perspectiva da Linguística Aplicada de enfoque interdisciplinar, nossa referência teórica baseia-se no modelo sócio-histórico da linguagem, entendendo-a como prática social. Ainda no campo teórico, este estudo estabeleceu uma interconexão com os estudos culturais à medida que utiliza o conceito de identidade cultural na pós-modernidade. A análise dos discursos revelou-se plural, com uma multiplicidade de identidades culturais que, evidenciadas a partir dos posicionamentos dos sujeitos, centraram-se na concordância, outras na discordância, ou mesmo na ousadia. Constatou-se, ainda, no referido percurso investigativo, que essas identidades podem ser construídas e reconstruídas se estiverem imersas em outro conjunto de práticas sociais determinadas historicamente.

37
  • SHANNYA LUCIA DE LACERDA FILGUEIRA
  • O QUE SE QUER IMAGEM, O QUE SE QUER DESEJO?:  ENTRE O FABULAR DE DESEJOS E AS CONSTRUÇÕES IMAGÉTICAS NA PROSA DE FIAMA HASSE PAIS BRANDÃO.

  • Data: 22/09/2014
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresentado, com vistas à defesa da dissertação de mestrado, intitulado O que se quer imagem, o que se quer desejo?: Entre o fabular de desejos e as construções imagéticas na prosa de Fiama Hasse Pais Brandão, discute até onde o desejo impulsiona a imagem e até onde essa imagem é tocada por esse desejo, visualizando dentro de um sistema literário poético e singular, as construções da imagem junto às fabulações de desejo, o que nos expõe diante de processos de semiotização por meio da escrita, de subjetivação, de vertigem, de sensibilização para os afetos e desejos enquanto produção de sentido e multiplicidades estéticas em cuja letra transgressiva se aventura. Nesse sentido, a análise transitará entre o discurso erótico e os problemas fundamentais que este coloca, bem como o processo de construção de imagem, recortado via discursos problematizados pela linguagem apresentada pela autora Fiama Hasse Pais Brandão. Para tanto, coloca-se como escopo uma pesquisa norteada por autores como George Bataille, Roland Barthes, Luiz Roberto Monzani, Suely Rolnik, Walter Benjamin, Georges Didi-Huberman, Maurice Blanchot, Félix Guattari, Gilles Deleuze, dentre outros que possam transitar pelas relações, neste estudo, estabelecidas, constituindo o corpus teórico e de discussão, atendendo ao caráter qualitativo implícito no desenvolvimento desta dissertação. Quanto ao corpus literário, este é composto pelos contos trazidos em Contos da Imagem (2005), de maneira a constituírem corpos-subjetividade, envolvendo ideias, afectos, perceptos e imagens.

38
  • CRISTIANE PEIXOTO ANDRADE
  • O PATRIARCADO NA COMPOSIÇÃO DE CRÓNICA DE UNA MUERTE ANUNCIADA DE GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ

  • Data: 29/09/2014
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho analisa o patriarcado na composição da obra Crónica de una muerte anunciada, escrita por Gabriel García Márquez, cujo enredo gira em torno de um crime em defesa da honra patriarcal. Para isso, foi feito um estudo sobre a própria lógica patriarcal, assim como dos elementos narrativos que ajudam a estruturar esse componente cultural na obra, pois entendemos que o enredo, as personagens, o espaço físico, o tempo e a linguagem abordam essa grande temática. De forma paralela, observamos que o texto, mesmo estando sob a forma de romance, tem uma linguagem jornalística própria da crônica policial, que mantém a tensão do leitor em torno de um assassinato. Por meio da voz do narrador, é possível perceber a rigidez nos valores morais das personagens, que estão fundamentados nos princípios da religião católica que influencia o sistema político e judiciário de uma pequena cidade do caribe colombiano. Para fundamentar a análise literária, recorremos a uma crítica sociológica com autores como Bakhtin e Candido; no entendimento crítico sobre América Latina e sua literatura, lemos autores como Rama e Galeano; para entender e discutir do patriarcado, estudamos autores como Bourdieu e Lerner; e, por último, trabalhamos a fortuna crítica com críticos como Martín e Vargas Llosa, no sentido de aprimorar a análise da obra em foco e o perfil do seu grande autor.

39
  • ARTHUR VINÍCIUS DANTAS DA SILVA
  • Mel no asfalto: percepções do Neutro nos contos de Caio Fernando Abreu

  • Data: 06/10/2014
  • Mostrar Resumo
  • A uma leitura mais atenta, o texto de Caio Fernando Abreu se apresenta múltiplo. Seja por uma indistinção genérica que problematiza a categorização de sua obra em uma instância de gênero apenas, seja por operações que suspendem alguns outros sentidos temporariamente. Dessa forma, este trabalho se propõe a encontrar esses espaços de suspensão, em consonância com o curso ministrado no Collège de France pelo escritor francês Roland Barthes em 1977-1978, intitulado O Neutro. Além disso, a análise comparativa teorizada por Ute Heidmann ajudará a entender como a suspensão da configuração do gênero textual propicia as zonas neutras que Barthes identificou. A análise se propõe a entender a estruturação do texto em uma perspectiva intrincada que leve em consideração tanto aspectos temáticos, quanto discursivos e estruturais.

40
  • ALBA VALÉRIA SABOIA TEIXEIRA LOPES
  • THE DISCURSIVE REPRESENTATION OF VICTIM AND AGGRESSOR IN JUDICIAL SENTENCING GENRE

  • Data: 27/11/2014
  • Mostrar Resumo
  • This thesis aims to identify and describe the phenomenon of discursive representation of victim and aggressor in court judgment genre. Research is part of general theoretical framework of text linguistics and more specifically in textual discourse analysis (ATD) theory developed by Jean-Michel Adam ([2008] 2011). Discursive representation notion proposed by ATD is one of the most important aspects of semantic dimension of the text, being complemented in the work of Grize (1990, 1996) from schematization notion. In this perspective, this work is guided by studies of text linguistics with Koch (2012, 2005, 2004), Marcuschi (2012, 2008, 2005), Rodrigues, Passeggi and Silva Neto (2010, 2012, 2014), with genre Bazerman (2005), Bakhtin (1992) and the juridical discourse with Capez (2012), Pimenta (2007) and Lourenço (2013). Methodologically, is a documentary research, presenting qualitative and descriptive characters and is guided by the inductive-deductive method. Corpus consists of a judicial sentence, criminal, collected electronically from Court of Justice of São Paulo - Judiciary website in consultation Judged 1st Degree, with the theme of violence against women. Analysis procedures use semantic categories of discursive representation, such as referencing, predication, modification and the spatial and temporal location. Results are focused on the construction of discursive representation of (victim and aggressor) from PdV distinct enunciators, which may approach or distance themselves according to argumentative text orientation. Thus, considering social importance of forensic text and, in particular, court judgment in the lives of citizens, it was possible to realize the importance of developing research that addresses the study of text semantic dimension, especially in construction of representations of discourse objects.

41
  • ODARA RAQUEL KUNKLER
  • O ciclo indiano de Marguerite Duras à luz da comparação diferencial: a reconfiguração de um personagem.

  • Data: 27/11/2014
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem por objetivo analisar a reconfiguração de um personagem em dois romances e em um texto dramático da escritora francesa Marguerite Duras, que fazem parte do conhecido ciclo indiano. São eles: Le Ravissement de Lol V. Stein (1964), Le vice-consul (1965) e India Song (1975). Adotando a perspectiva da comparação diferencial como abordagem literária, proposta por Ute Heidmann (2008, 2010, 2013), este trabalho busca estudar o personagem Anne-Marie Stretter presente nestas três obras. Procura compreender de que modo se produz a reescrita do personagem a partir de três eixos de análise: as modalidades de enunciação, considerando a análise e a comparação da obra literária como evento enunciativo, partindo do conceito de cena de enunciação proposto por Dominique Maingueneau (2010); as modalidades de inscrição genérica, estreitamente ligadas às modalidades enunciativas, com fundamentação teórica em Todorov (1980) e Heidmann (2013); e as modalidades de dialogismo intertextual e interdiscursivo, enxergando na relação dialógica novos e diferentes efeitos de sentido. Para a compreensão destas partimos de Bakhtin (2010), Kristeva (1974), Todorov (1981) e a ideia de dialogismo e intertextualidade, para chegarmos à ideia de interdiscurso proposta por Heidmann (2010 e 2013). Através deste estudo podemos observar em uma mesma autora diferentes maneiras de se construir um personagem, cada qual com suas especificidades e complexidades, diversificados em seus gêneros e espaços discursivos. O interesse da comparação diferencial neste estudo, ao identificar um traço comum entre as três obras, é trazer à tona suas diferenças epistemológicas e suas novas propostas de sentido.

42
  • DIÊGO CESAR LEANDRO
  • Escrita colaborativa com Google Docs: flash fiction, noticing e aprendizagem de inglês como L2

  • Data: 04/12/2014
  • Mostrar Resumo
  • O Google Docs é um editor online de textos por meio do qual múltiplos autores podem trabalhar síncrona ou assincronamente em um mesmo documento, o que pode auxiliar no desenvolvimento da habilidade de escrita em inglês (WEISSHEIMER; SOARES, 2012). Ao escrever colaborativamente, os aprendizes têm mais oportunidades para perceber as lacunas na sua produção escrita, visto que são expostos a mais insumo linguístico (input) dos colegas coautores (WEISSHEIMER; BERGSLEITHNER; LEANDRO, 2012), e priorizam o processo de (re)construção textual, deixando a preocupação com o produto final (i.e., o texto pronto) em segundo plano (LEANDRO; WEISSHEIMER; COOPER, 2013). Ademais, dentro do processo de aprendizagem de uma segunda língua (L2), a produção de linguagem propicia a consolidação de conhecimentos existentes e a criação de novos conhecimentos (SWAIN, 1985; 1993). Levando isto em consideração, o presente estudo, de natureza quasi-experimental (NUNAN, 1992) e abordagem mista (DÖRNYEI, 2007), objetiva investigar o impacto da escrita colaborativa mediada pela ferramenta Google Docs no desenvolvimento da habilidade de escrita em inglês e na percepção de erros sintáticos ou noticing (SCHMIDT, 1990). Um total de 34 aprendizes universitários de inglês integrou o estudo: 25 foram alocados no grupo experimental e nove foram alocados no grupo controle. Ambos os grupos passaram por um pré-teste e por um pós-teste para que pudéssemos medir o noticing de estruturas sintáticas. Os participantes do grupo experimental foram expostos a uma experiência híbrida de aprendizagem, a qual consistiu na escrita colaborativa de três narrativas flash fiction (uma narrativa completa contada em 100 palavras), fora de sala de aula, online por meio do Google Docs, durante 11 semanas. Analisamos a primeira e a última narrativa de cada grupo a fim de medir a acurácia gramatical, operacionalizada como a quantidade de erros gramaticais a cada 100 palavras (SOUSA, 2014) e a densidade lexical, operacionalizada como a relação entre o número de palavras produzidas com propriedades lexicais e o número de palavras produzidas com propriedades gramaticais (WEISSHEIMER, 2007; MEHNERT, 1998). Adicionalmente, os participantes do grupo experimental responderam a um questionário online sobre a experiência híbrida a qual foram expostos. Os resultados quantitativos mostram que os aprendizes passaram a produzir textos com mais densidade lexical. Os resultados qualitativos evidenciam a utilidade da escrita colaborativa mediada por tecnologia no processo de aprendizagem de L2.
     

43
  • ORLANDO BRANDÃO MEZA UCELLA
  • A POÉTICA DA CRIOULIZAÇÃO EM CHICO SCIENCE & NAÇÃO ZUMBI: análise de três canções do álbum Afrociberdelia

  • Data: 05/12/2014
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho está inserido na discussão sobre as relações entre literatura e canção. Pertencentes à cena musical pernambucana, as canções de Chico Science & Nação Zumbi sugerem uma libertação estética, aproximando a canção da literatura oral. Em sintonia com isso, o objetivo desta pesquisa é analisar três canções do álbum Afrociberdelia (1996), de Chico Science & Nação Zumbi, são elas: “Mateus Enter”, “O Cidadão do Mundo” e “Etnia” (as três primeiras canções do disco). A análise busca evidenciar como essas três canções desarticulam ou afrouxam os nós da diferença colonial (MIGNOLO, 2003). Para isso, dialoga-se sobretudo com a compreensão de crioulização de Glissant (2005 e 2011), a qual trata do hibridismo a partir de uma perspectiva pós-colonial.

Teses
1
  • JOSÉ MAURO SOUZA UCHÔA
  • Narrativas de professores em formação sobre a didatização de podcasts para o ensino de inglês na floresta

  • Data: 03/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Em consonância com (1) as demandas de fluência dos participantes de um curso de Letras/Inglês da Amazônia; (2) com as necessidades da compreensão e da produção oral em língua inglesa dos professores de Inglês como Língua Estrangeira (ILE) em formação inicial (CONSOLO, 2002, PAIVA, 2006) e (3) com a minha formação continuada e o meu letramento acadêmico na condição de professor-pesquisador e formador de professores de ILE, neste estudo, com base na Pesquisa Narrativa (CLANDININ; CONNELLY, 1990, 2004; MELLO, 2005, 2013; CLANDININ, 2013), relato os procedimentos adotados durante a vivência em um processo de didatização de gêneros discursivos orais difundidos pela prática de podcasting, atividade oriunda do advento das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs). Neste processo, dialogo com teóricos que advogam o ensino de ILE norteado por abordagem que preceitue uma visão de linguagem como prática social, compreendendo o ensino também como uma atividade construída na interação e mediada pela linguagem. Para isso, lanço mão das noções de contexto de cultura e de contexto de situação da Linguística Sistêmico-Funcional (HALLIDAY, 1978, HALLIDAY; HASAN, 1989), contemplando o conceito de gênero e de registro (EGGINS, 2004, MARTIN; ROSE, 2008). Como princípio e crença que defendo, os registros dos gêneros utilizados neste estudo possuem temáticas voltadas para o contexto da floresta Amazônica, oportunizando a construção de estratégias de ensino apropriadas ao contexto local (HOLLIDAY, [1994]2001; COYLE; HOOD; MARSH, 2010) para ensino da compreensão e da produção oral (NUNAN, 1999; RICHARDSON, 2008) pela elaboração de tarefas (NUNAN, 1999; FIELD, 2008). Durante a vivência, com base no paradigma reflexivo de formação de professores (SCHÖN, 1984, 1992; MAGALHÂES; 2004, 2011; CELANI, 2010, 2011), os participantes produziram narrativas sobre o processo. Analisei as narrativas conforme Ely, Vinz, Downing e Anzul (2001), que defendem a composição de sentidos na Pesquisa Narrativa. Ao reler e reescrever sobre as experiências vividas, elegi discutir sobre os seguintes temas revelados com maior ênfase pela escrita dos participantes: a pouca vivência em processos de didatização de gêneros orais; a relevância dos temas sobre o contexto para a formação do professor de ILE local; o trabalho colaborativo como estratégia para superar a deficiência de letramento digital, conhecimentos linguísticos e pedagógicos. Os sentidos que componho dessa vivência apontam para a mudança de paradigma que precisa ser estabelecida no ensino de ILE deste contexto e para o fazer pedagógico engajado com as questões histórico-sócio-culturais e o desenvolvimento das habilidades linguísticas de produção e de compreensão oral, sugerindo que as TICs devem ser implementadas progressivamente no contexto em questão durante a formação inicial do professor de ILE por meio de estratégias condizentes com as demandas de fluência e as deficiências ocasionadas pelo isolamento geográfico.

2
  • MARIA KASSIMATI MILANEZ
  • Histórias de professores universitários sobre ensinar Inglês para Fins Específicos

  • Data: 04/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa qualiquantitativa tem como pressupostos teórico-metodológicos (1) a Pesquisa Narrativa (PN – CLANDININ; CONNELY, 2000; CLANDININ, 2011), (2) a Gramática Sistêmico-Funcional (GSF – HALLIDAY, 1994; THOMPSON, 2002; EGGINS, 2003; HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004) e (3) a abordagem de ensino de Inglês para Fins Específicos (IFE – HUTCHINSON; WATERS, 1987; JORDAN, 1997; DUDLEY-EVANS; ST JOHN, 1998), com o objetivo geral de fazer um levantamento dos sentidos construídos pelos professores participantes sobre o IFE, a formação específica que receberam para ministrá-lo e a sua experiência em ensiná-lo no nível superior. Os textos de campo e, por conseguinte, as análises, foram organizados em dois grupos distintos: o primeiro com dados gerados a partir de um questionário aplicado a nove professores de uma instituição pública no nordeste brasileiro, contendo perguntas abertas e fechadas a respeito de sua formação e de suas experiências em ministrar a disciplina de Inglês Instrumental e o segundo grupo, a partir do enfoque nas experiências de três professoras do primeiro grupo que continuavam ensinando IFE, com dados gerados por entrevistas com essas participantes e suas autobiografias, além dos dados gerados pela autobiografia da própria pesquisadora, também participante da pesquisa. Foi usada a ferramenta computacional WordSmith Tools 5.0 (SCOTT, 2010) para selecionar, organizar e quantificar os dados a serem analisados no primeiro grupo de textos, identificando-se os tipos de processos e os participantes, pelo Sistema de Transitividade (HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004), sendo que os processos mais usados pelos professores no questionário foram os materiais, seguidos dos relacionais e em terceiro lugar os mentais, indicando que a maioria relatou mais suas ações com relação ao ensino de IFE, classificou ou definiu a abordagem, sua formação e suas experiências do que demonstrou seus pensamentos e emoções a respeito de ensinar IFE. A maioria dos nove professores afirma fazer análise de necessidades, mas nem todos a fazem de acordo com o que estabelecem os autores por eles citados ou outros autores considerados referência nessa área, tais como Hutchinson e Waters (1987), Robinson (1991) e Dudley-Evans e St John (1998). Do mesmo modo, suas definições e concepções sobre IFE, na maioria das vezes, diferem das desses autores. Todos os professores participantes alegam não ter tido formação específica para ensinar IFE na licenciatura. Ao analisar os relatos das quatro professoras do segundo grupo, com base na composição de sentidos segundo Ely, Vinz, Downing e Anzul (2001), percebeu-se que o tipo de conhecimento que estas referem usar para ministrar IFE está relacionado ao conhecimento prático pessoal e ao conhecimento profissional (ELBAZ, 1983; CLANDININ, 1988). Em seus relatos, foram identificadas também imagens e metáforas (LAKOFF; JOHNSON, 1980) que representam suas concepções a respeito de aprender, ensinar e ser professor. Esperamos, com os resultados desta pesquisa, contribuir tanto para a compreensão do que pode significar ensinar IFE para os professores do contexto pesquisado, como para a formação continuada de professores de IFE, assim como para uma revisão nos currículos de Letras e do papel do IFE na formação do professor de língua inglesa.

3
  • MARIA APARECIDA DA COSTA
  • A PAZ TENSA DA CHAMA FUGAZ: A CONFIGURAÇÃO DO AMOR NO ROMANCE CONTEMPORÂNEO, LYGIA FAGUNDES TELLES E LÍDIA JORGE

     

  • Data: 24/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A tese A paz tensa da chama fugaz: a configuração do amor no romance contemporâneo, Lygia Fagundes Telles e Lídia Jorge tem por objetivo estudar a configuração do amor em romances contemporâneos. Como corpus de estudo selecionaram-se os romances As horas nuas (1989), da escritora brasileira Lygia Fagundes Telles; e O vento assobiando nas gruas (2002), da escritora portuguesa Lídia Jorge. O estudo busca entender como as personagens destes textos lidam com as questões amorosas no contexto da narrativa contemporânea, bem como compreender a expressão do amor que se constitui enquanto sentimento contraditoriamente fluido e insistentemente buscado, questões caras ao discurso amoroso da contemporaneidade. De cunho crítico-comparativo, esta pesquisa priorizará as problemáticas relativas ao amor como sinônimo de Eros, ou seja, a relação amorosa entre amantes, analisados por um viés social e filosófico. Objetiva-se, pois, com isso, ampliar os estudos de duas obras literárias atuais, assim como estabelecer relações entre as personagens dos textos estudados com o universo que os cercam, focalizando o contexto humano e social em que as histórias são representadas. Finaliza-se por observar nos textos das escritoras analisadas a dicotomia amor e morte, a imagem do amor que se alimenta da ausência, e do desejo de completude do homem, defendendo a hipótese de que as escritoras Lygia Fagundes Telles e Lídia Jorge atualizam e materializam em seus textos a pluralidade do conceito de amor contemporâneo, que continua contraditório, fragmentado e problemático.

     

4
  • EDIVANIA DUARTE RODRIGUES
  • OS DISCURSOS SOBRE A EDUCOMUNICAÇÃO NA RÁDIO ESCOLAR:

    UM ESTUDO ETNOGRÁFICO EM UMA ESCOLA PÚBLICA

  • Data: 27/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa faz uma análise da construção discursiva sobre a Educomunicação, a partir

    de um curso de formação de educomunicadores, com professores e alunos de uma

    escola da Rede Pública Estadual, situada geograficamente na cidade do Natal(RN),

    estudando a constituição dos sentidos que a prática educomunicativa na Rádio Escolar

    adquire para formadores e cursistas (docentes e discentes). O contexto sócio-histórico

    que envolve essa investigação corresponde à nova realidade social, mediada pelas

    tecnologias da informação e da comunicação que, por sua vez, impulsionam a instituição

    escolar a capacitar os alunos na utilização de diferentes linguagens que permeiam a

    sociedade. Mas, para tanto, é necessário ter professores também habilitados para

    trabalharem as tecnologias da comunicação de forma a atenderem os anseios dos jovens e

    adultos que fazem parte da comunidade educativa. Assim, a investigação problematiza

    o contexto de produção discursiva sobre a Educomunicação na Rádio Escolar a partir do

    processo de formação de educomunicadores na instituição escolar focalizada, tendo

    como objetivos identificar as condições de produção discursiva em torno da prática

    educomunicativa na Rádio Escolar, analisar a construção discursiva que formadores e

    cursistas fazem sobre a Educomunicação e suas marcas dialógicas, além de verificar

    como os cursistas relacionam a prática educomunicativa aos seus contextos educativos,

    atribuindo sentido aos lugares de professores e alunos. Assim sendo, a pesquisa recorre

    à Etnografia aplicada ao contexto escolar como opção metodológica, à Análise do

    Discurso, de vertente pecheutiana, bem como aos princípios da Educomunicação, às

    reflexões de Paulo Freire e às concepções de Dialogismo em Bakhtin, como aportes

    teóricos. Enveredamos por três áreas do conhecimento: Linguística, Comunicação e

    Educação, como forma de produzirmos uma leitura comprometida com os aspectos que

    envolvem o uso do rádio no ambiente escolar para a promoção de uma prática que seja

    educomunicativa. Com esta pesquisa, pudemos construir uma teia de sentidos sobre a escola

    que estamos formando ou que queremos formar no século XXI, pois recorremos aos

    discursos de formadores e cursistas imersos em novos saberes e práticas na perspectiva de

    impulsioná-los a se assumirem enquanto sujeitos de comunicação no ambiente

    educativo em busca de uma transformação qualitativa do ser e do fazer no espaço

    escolar.

5
  • AYRES CHARLES DE OLIVEIRA NOGUEIRA
  • MANUAL DO PROFESSOR, MUITO PRAZER EM (RE)CONHECÊ-LO!

    Uma análise sociorretórica do gênero

  • Data: 14/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa de natureza documental e etnográfica se insere no campo da Linguística Aplicada, tendo por objeto de estudo o Manual do Professor, que acompanha o livro didático de Língua Portuguesa, e por objetivo geral (re)conhecer os aspectos sociorretóricos do gênero Manual do Professor. O interesse desta tese está concentrado no uso situado desse gênero, a partir do qual se observam seus aspectos sociorretóricos, a saber: o que está posto no produto, o ambiente de interação onde é encontrado e como é visto por seus usuários em potencial. Em um primeiro momento, produzimos um quadro epistemológico que nos permitiu, dentre outros reparos, (i) compreender gênero textual como ação retórica tipificada baseada numa situação retórica recorrente e (ii) obter um panorama dos programas de governo voltados para a avaliação de coletâneas didáticas, nos quais encontramos aspectos indispensáveis a um Manual do Professor. Os aportes teóricos adotados neste estudo referem-se à concepção sociorretórica dos estudos de gênero textual à luz, sobretudo, de Johns et al. (2006), Bazerman (2011) e Miller (2011). Em um segundo momento, sob o viés da abordagem sociorretórica, procuramos definir o Manual do Professor como gênero textual e apresentamos os aspectos retóricos encontrados nas amostras que analisamos, considerando a organização constitutiva, o contexto de uso desse gênero e as percepções de seus usuários – autores e professores. A geração de dados deu-se inicialmente a partir da seleção de três exemplares de Manuais de coletâneas didáticas adotadas no IFRN; em seguida, no sentido de reconhecer as percepções dos usuários desse gênero, realizamos grupo focal com professores e entrevistamos o coautor de uma das coletâneas. Para análise dos dados, elegemos o método etnográfico de análise de gêneros postulado por Reiff (apud JOHNS et al, 2006), que nos permitiu analisar o objeto de estudo em contextos autênticos de uso do gênero. Nossos resultados mostram que o Manual do Professor está inserido num sistema de gêneros e no sistema de atividades profissionais de domínio do professor e não se limita apenas a explicar como está organizado o livro didático do aluno. Outros sete propósitos foram observados, dentre os quais se encontram: possibilitar ao docente uma reflexão sobre a sua prática de ensino e sugerir caminhos para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem. Acreditamos que esta pesquisa poderá estimular professores, em relação à importância (e não obrigatoriedade) de consultas periódicas aos Manuais; autores, no que se refere a estabelecer uma interlocução mais pessoalizada com seus leitores em potencial e no sentido de esclarecer ainda mais as facetas do livro didático; e editoras, sobretudo no que tange a recursos de editoração, para que o Manual do Professor se torne mais atrativo. 

6
  • JANAINA TOMAZ CAPISTRANO
  • O jogo das identidades como fator de mobilização político-eleitoral nas campanhas de Dilma Rousseff para Presidente da República e Rosalba Ciarline para Governadora do Rio Grande do Norte em 2010

  • Data: 23/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • Partimos da premissa de que se vive na sociedade do espetáculo, tal como proclamou Guy Debbord, e, nesse contexto, a mídia alimenta-se dessa espetacularização e constrói a cultura de imagens e produção de mercadorias, fornecendo modelos a partir dos quais o sujeito pode se identificar como sendo homem ou mulher, bem-sucedido ou fracassado, poderoso ou impotente. Em outras palavras, a cultura veiculada pela mídia produz material para a criação de identidades através das quais os indivíduos se inserem e se reconhecem na sociedade contemporânea. Ao observarmos as campanhas eleitorais, podemos perceber nitidamente que essa profusão de identidades é bastante explorada na propaganda publicitária dos candidatos, em especial na propaganda veiculada pela TV no Horário Eleitoral Gratuito. Instigados pela explícita relação entre mídia e política no âmbito da sociedade do espetáculo, este estudo tem por objetivo principal investigar as identidades que emergem nas práticas discursivas midiáticas das campanhas eleitorais de 2010 para presidente da República e governadora do estado do Rio Grande do Norte protagonizadas pelas então candidatas Dilma Rousseff (PT) para presidente e Rosalba Ciarline (DEM) para governadora. Para tanto, nos fundamentamos na teoria do Círculo de Bakhtin, que considera o enunciado como unidade da comunicação verbal e concebe a linguagem como fenômeno dialógico e prática discursiva e, ainda, nas concepções de relações dialógicas, vozes sociais e cronotopo formuladas pela referida teoria. Ainda do campo teórico, estabelecemos uma interconexão com as teorias advindas dos Estudos Culturais (Hall, Woodward) acerca da identidade, que a concebe como sendo múltipla, fragmentada, não-fixa, ou seja, o sujeito assume identidades diferentes, nem sempre coerentes, em diferentes momentos, conforme o contexto em que é interpelado. A pesquisa situa-se nos quadros da Linguística Aplicada (LA), a qual considera a linguagem como centro de seus estudos e se instala na fronteira de um número aberto de áreas de conhecimento, ampliando suas possibilidades de investigação por meio da indisciplinaridade. Nosso corpus constitui-se de 20 vídeos de propaganda eleitoral veiculados pela TV no Horário Eleitoral Gratuito da campanha de 2010; dentre estes, 14 vídeos são da propaganda da candidata Dilma Rousseff e 06 são da candidata Rosalba Ciarline. Buscamos para fins de análise identificar as identidades que emergem dos discursos sobre as candidatas nos vídeos de propaganda veiculados na referida campanha, bem como perceber as relações dialógicas que se estabelecem nesses discursos e ainda se a construção identitária desses sujeitos situa-se no mesmo eixo axiológico. A análise do corpus revelou que múltiplas identidades culturais das candidatas em campanha se constituem nos discursos que circulam na propaganda eleitoral veiculada pela TV durante a campanha e elas são cambiantes à medida que as demandas eleitorais, ou seja, a necessidade de se obter apoios e votos, esboçam um construto identitário a respeito do candidato ao cargo em questão. 

7
  • JOSENILDO SOARES BEZERRA
  • EXPERIÊNCIAS SUBJETIVADORAS NO LIMITE DA PELE: UMA ANÁLISE DE PRÁTICAS DISCURSIVAS INSCRITAS EM TATUAGENS

  • Data: 06/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objeto o estudo da constituição de subjetividades em práticas discursivas inscritas em textos imagéticos e verbais de tatuagens. Busca-se apreender efeitos de sentidos que traduzem emoções, experiências e desafetos que marcaram e/ou transformaram a vida de sujeitos tatuados. Esta tese foi ancorada em teorizações foucaultianas (1990, 2010, 2012) que abordam modos de subjetivação a partir das tecnologias da escrita de si, transgressão como ultrapassagem dos limites, abrindo novas possibilidades para o sujeito discursivo produzir o cuidado de si. Ainda se utilizam noções advindas da análise de discurso francesa (AD), como interdiscurso e memória discursiva. A pesquisa de natureza qualitativa tenciona contribuir para a compreensão do discurso enquanto prática social, constituidor de sentidos de maneiras de ser do sujeito, bem como produção de discursividades acerca de normas sociais. O corpus se constitui de depoimentos e textos imagéticos e verbais de cinco sujeitos, entre os dez entrevistados, que tatuaram experiências vivenciadas na pele. Os resultados apontam dados que demonstram a constituição de si por meio de experiências vividas e impressas na pele. Os sentidos gerados na pele constituem tipos de subjetividades que refletem felicidade, superação, proteção e imortalidade. Conclui-se que os sujeitos se posicionam discursivamente de forma a reconstruírem seus corpos e experiências o quanto for necessário e que as imagens e os enunciados registrados nos corpos produzem efeitos de sentidos em torno da reflexão sobre os modos de vida e sobre as escolhas de existência de cada um/a dos/ tatuados/as.

8
  • SILVANA MOURA DA COSTA
  • CARTÕES DE SAUDAÇÃO EM LÍNGUA INGLESA: UMA PRÁTICA DE LETRAMENTO EM ANÁLISE

  • Data: 06/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objeto de estudo os cartões de saudação, aqui entendidos como uma prática de letramento largamente utilizada na sociedade americana dos Estados Unidos. Esses cartões configuram-se, na cultura americana, como fontes de informação e de memória sobre os ciclos de vida das pessoas, suas experiências e seus laços de sociabilidade, ativadas por meio dos sentidos que a imagem e a palavra comportam. O principal propósito deste trabalho é descrever como essa prática de letramento se efetiva na cultura americana. Teoricamente, esta pesquisa se fundamenta nos estudos de letramento (BARTON; HAMILTON, 1998; BAYHAM, 1995; HAMILTON, 2000; STREET, 1984, 1985, 1993, 2003), nas contribuições da semiótica social, associadas à gramática sistêmico-funcional (HALLIDAY; HASAN, 1978, 1985; HALLIDAY, 1994; HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004), e na gramática do design visual (KRESS; LEITE-GARCIA; VAN LEEUWEN, 1997, 2000; KRESS; van LEEUWEN, 2006; HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004). Metodologicamente, trata-se de um estudo que se insere no paradigma qualitativo de caráter interpretativista, que adota instrumentos de natureza etnográfica na geração dos dados. Nessa perspectiva, lança mão das “técnicas do olhar e do perguntar” (ERICKSON, 1981 apud CANÇADO, 1994, p. 56), complementadas pela técnica do “registrar”, proposta por Paz (2008). O corpus compreende um contingente de 104 cartões impressos, fornecidos por usuários desse artefato, dos quais selecionamos 24, de 11 cartões eletrônicos, extraídos da internet, assim como de verbalizações obtidas mediante a aplicação de questionário elaborado com perguntas abertas, feitas no intuito de reunir informações acerca das percepções e ações dos usuários desses cartões. A análise dos dados revela aspectos culturais, econômicos e sociais dessa prática e a convicção de que a prática de letramento dos cartões de saudação impressos, a despeito dos virtuais, ainda é muito profícua na sociedade americana. O estudo permite também compreender que os usuários dos cartões se posicionam e constroem identidades que são manifestadas na interação verbo-visual, com vistas a alcançar o efeito pretendido. Em razão disso, entende-se que os cartões de saudação não são despretensiosos, mas carregados de ideologia e de relações de poder, dentre outros aspectos que lhes são constitutivos.

9
  • TANIA MARIA AIRES DA COSTA
  • A ESCRITA DOS PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA: desvelando dizeres e saberes

  • Data: 12/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa documental, de natureza qualitativa e interpretativista, se insere no campo da Linguística Aplicada e tem por objeto de estudo a escrita de professores em um evento de letramento (concurso público) realizado para professores de Português pela Prefeitura Municipal de Natal – RN, em 2008. De modo geral, objetivamos, nesta pesquisa, investigar a produção textual desses professores, considerando seus saberes sobre a escrita, seus dizeres em relação a si mesmos e suas visões sobre as novas tecnologias e o trabalho docente. De maneira específica, elegemos como objetivos: a) identificar que saberes sobre a escrita emergem do texto escrito dos professores; b) analisar a produção textual escrita dos professores, considerando os saberes que eles revelam sobre si mesmos; c) mapear os dizeres dos professores sobre o trabalho docente e as novas tecnologias. A nossa discussão está ancorada, teoricamente, nos estudos bakhtinianos da linguagem (BAKHTIN [1934], 1990; [1952-1953], 2000; BAKHTIN; VOLOSHINOV [1929], 1999); nos estudos de letramento crítico, tal como formulados por STREET (1984; 1995; 2006; 2010; 2014); KLEIMAN (1995; 2005; 2006; 2008); (BARTON; HAMILTON, 1998; BARTON; IVANIC, 1991); nos estudos sobre formação de professores na perspectiva educacional crítica (GIROUX, 1986; 1987; 1997; 1999) FREIRE, 1999; 2001). O corpus desta pesquisa constitui-se de textos escritos por participantes do referido concurso na Prova de Redação, situação em que lhes foi solicitada a produção de um artigo de opinião. A pesquisa nos permitiu depreender que, em relação à escrita, a despeito do recorrente discurso negativo sobre o letramento dos professores, especialmente os de Língua Portuguesa, estes, na tessitura de seus textos, revelaram ter domínio tanto sobre a estrutura formal, particularmente, no que diz respeito ao esquema prototípico da sequência argumentativa, conforme propõe Adam (1992; 2008) e aos mecanismos de textualização postulados por Bronckart (2007), quanto sobre as estratégias enunciativo-discursivas atinentes ao gênero artigo de opinião. A relevância desta pesquisa justifica-se por buscar compreender a escrita do professor para além do sistema da língua, isto é, a escrita como discurso, assumindo-o como uma contrapalavra (BAKHTIN, [1934], 1990) àquelas vozes que insistem em subestimar o letramento dos professores e que fazem tanto mal à sociedade, na medida em que fomentam um sentimento de descrença na qualificação do trabalho do professor e de desconfiança em relação ao papel social desse profissional na preparação das futuras gerações.

     

     

     

     

     

10
  • ALEXANDRO TEIXEIRA GOMES
  • A responsabilidade enunciativa na sentença judicial condenatória

  • Data: 15/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • A Análise Textual dos Discursos tem sua origem no âmbito da Linguística Textual e se propõe a estudar a produção co(n)textual de sentido fundamentada na análise de textos concretos, oferecendo elementos para o entendimento do texto como uma prática discursiva analisado à luz de determinados planos ou níveis de análise linguística. Nesse sentido, é nosso propósito, nesta investigação, estudar o fenômeno da responsabilidade enunciativa na sentença judicial condenatória. Para tanto, seguimos os aportes teóricos da Análise Textual dos Discursos (ADAM, 2011) e da Linguística Enunciativa, a partir de vários autores, entre eles, Rabatel (2003, 2004, 2005, 2008, 2009, 2010), Nølke (2001, 2005, 2009, 2013), Nølke, Fløttum e Norén (2004), Guentchéva (1994, 1996, 2011) e Guentchéva et al. (1994). Nessa direção, investigamos a responsabilidade enunciativa, através de uma escala que compreende o fenômeno a partir de quatro gradações, cada uma com um tipo de ponto de vista (PdV) e com elos que podem marcar a assunção ou o distanciamento do ponto de vista. No que concerne à abordagem jurídica da tese, nossa ancoragem teórica segue vários autores, entre eles, Petri (1994), Soto (2001), Álvarez (2002), Alves (2003), Cornu (2005), Albi (2007), Bittar (2010), Asensio e Polanco (2011), López Samaniego (2006), Montolío e López Samaniego (2008), Montolío (2002, 2010, 2011, 2012, 2013), Colares (2010), Prieto (2013), Lourenço e Rodrigues (2013) e Rodrigues, Passeggi e Silva Neto (2014). Nosso corpus se constitui de 13 sentenças condenatórias provenientes de processos criminais oriundos da comarca de Currais Novos-RN, concluídos no ano de 2012. Os resultados revelam como o juiz, a partir de várias instâncias enunciativas, constrói a sentença judicial, o que nos permitiu compreender a configuração da (não) assunção da responsabilidade enunciativa no gênero discursivo / textual sentença judicial condenatória. Como conclusões, percebemos que as unidades discursivas são perspectivadas ora, a partir da assunção, ora, a partir da não assunção dos PdV pelas instâncias enunciativas, o que orienta a organização argumentativa do produtor do texto e seus propósitos comunicativos. Com isso, o juiz cria e/ou modifica valores e crenças, induz e/ou orienta seu interlocutor podendo demonstrar objetividade e/ou preservar sua face através de construções mediatizadas ou podendo engajar-se pelo dito através da assunção da responsabilidade enunciativa do conteúdo proposicional do enunciado.  Pelo exposto, reafirmamos nosso entendimento de que a (não) assunção da responsabilidade enunciativa se configura como mecanismo argumentativo fortemente marcado pelo produtor do texto com vistas a seus propósitos comunicativos. A sentença, portanto, constrói-se nesse jogo de assunção e/ou não assunção dos enunciados de acordo com a orientação argumentativa e com os objetivos do produtor do texto.

11
  • RICARDO YAMASHITA SANTOS
  • A conceptuação da RAIVA na perspectiva da teoria cognitiva da Metáfora: uma análise da construção de sentido

  • Data: 12/09/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa é descrever e analisar, em corpus literário, o modo como conceptualizamos as emoções, em especial, a raiva. Utilizando os pressupostos da chamada Teoria Cognitiva da Metáfora, apresentaremos um panorama geral acerca da cognição da metáfora sob a base da Linguística Cognitiva e, de uma maneira mais aprofundada, analisaremos a conceptualização metafórica da raiva. A proposta de mente corporificada, predominante nas ciências cognitivas atuais, é basilar para estudos envolvendo a simulação mental. Pesquisas recentes demonstram que a metáfora é resultado de processamentos cognitivos que envolvem nossa percepção sensório-motora aliada a experiências socioculturais. A capacidade de construirmos, via frequência, padrões para nossas experiências é determinante para a nossa linguagem, inclusive para as construções metafóricas. Tais construções são resultantes de processamentos cognitivos que envolvem a articulação entre esquemas imagéticos e frames. Os esquemas imagéticos advêm de nossa experiência sensório-motora, que relaciona os limites de nosso corpo aos limites de nosso entorno, e os frames, por sua vez, advêm de nossa capacidade de armazenarmos eventos socioculturais. A construção metafórica é fruto dessa relação constante entre corpo, mente e cultura, situando-nos em experiências corpóreas e culturais. Ao analisarmos cinco obras literárias nacionais, criamos um quadro analítico sobre como a raiva é compreendida, especificamente, na língua portuguesa. Os resultados são importantes para entendermos, através da linguagem, o quanto a cultura faz parte de nossa cognição, conjuntamente com os aspectos sensório-motores.

     

12
  • LEILA MARIA DE ARAUJO TABOSA
  • BARROCO, EMBLEMÁTICA E MATEMÁTICA: SOR JUANA INÉS DE LA CRUZ E NEPTUNO ALEGÓRICO

  • Data: 03/11/2014
  • Mostrar Resumo
  • A realidade científica do século XVII, na Nueva España, é uma seta que aponta para o vislumbre da obra de arte barroca produzida no México dos seiscentos. Nessa cena cultural, circulam livros não religiosos, ideias, teses, tratados e estudos de homens de ciência como Nicolau Copérnico (1473-1543), Johannes Kepler (1574-1630), Atanasius Kircher (1601-1680), Juan Caramuel (1606-1682) e Sebastián Izquierdo (1601-1681). O barroco seiscentista, na América, assimila essa realidade científica e reverbera suas variadas formas de expressão artística por meio de monumentos luxuosos em forma de poesia experimental. A poética de Sor Juana Inés de la Cruz (1648-1695) é realizada dentro desse contexto festivo de descobertas, expansões e experimentações científicas. Neptuno Alegórico – o arco laudatório arquitetônico, a prosa, a descrição emblemática, a poética, o espelho de príncipe – é afinado com esse discurso científico-cultural novohispano que ultrapassa fronteiras utilitárias, geográficas e temporais. Para uma leitura da obra Neptuno Alegórico, esta pesquisa funda-se em três linhas teóricas de investigação que observam a obra em suas variadas formas de escrita e de estética. A primeira linha investigativa aborda o barroco e suas teorias desde as mais antigas, como a de Heinrich Wölfflin (1888), às mais contemporâneas, como as de José Antonio Maravall (1997), Severo Sarduy (1989), Eugênio d’Ors (1990), Gilles Deleuze (1991), Lezama Lima (1988), Walter Benjamin (1984) e Fernando Rodríguez de la Flor (2002), para aproximá-las do fazer poético barroco experimental-científico da monja erudita na América do Século de Ouro. A segunda linha teórica de estudo visa a perceber a emblemática em Neptuno Alegórico a partir das ideias teóricas de Andrea Alciato (1531) e de sua revisitação teórica na contemporaneidade por meio dos estudos de Mário Praz (1963) e Fernando Rodríguez de la Flor (1995), buscando, com essa proposta analítica, uma leitura emblemática das descrições artísticas para telas-quadros-lienzos elaborados por Sor Juana Inés de la Cruz. Por fim, um terceiro caminho de investigação aponta para a busca do entendimento da obra Neptuno Alegórico em aproximação com a análise combinatória matemática de Sebastián Izquierdo (1659), relacionando-a com outros estudos contemporâneos dedicados a aproximar arte e ciência.

     


13
  • ANA SHIRLEY DE VASCONCELOS OLIVEIRA EVANGELISTA
  • DO DISCURSO DA RESISTÊNCIA À RESISTÊNCIA DO DISCURSO: as construções identitárias de Mossoró nos enunciados da literatura de cordel

  • Data: 12/11/2014
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem por objetivo investigar as construções identitárias de Mossoró, nos enunciados da literatura de cordel. Tendo como fio condutor o episódio da resistência citadina ao bando de Lampião no dia treze de junho de mil novecentos e vinte e sete, a nossa empiria constituiu-se dos enunciados presentes em nove cordéis, produzidos entre o espaço-tempo de 1927 e 2007, ano em que a cidade comemorou oitenta anos do episódio. Ciente de que o tema extrapolou os limites dos meios comunicacionais da época e passou a integrar o cotidiano dos mossoroenses, produzindo na memória coletiva a imagem de uma cidade da resistência em nomes de ruas, nomes de empresas, nas rádios com a “FM resistência”, nos discursos políticos, na sede da prefeitura cujo nome é “Palácio da Resistência”, a questão central que orienta nossa investigação congrega a discussão em torno das relações dialógicas travadas nos enunciados sobre o tema em tela. Em assim sendo, estabelecemos como objetivos, primeiro, investigar as vozes sociais que ecoam no discurso cordelístico sobre o acontecimento de vinte e sete na cidade de Mossoró; em segundo lugar, procuramos identificar os posicionamentos assumidos sobre o episódio e, finalmente, nos preocupamos em discutir, a partir das posições presentes nos enunciados analisados como é ressignificada a identidade da cidade. Nesse viés, a pesquisa elegeu como categorias de análise o conceito de vozes sociais e cronotopia, considerando que as diferentes identidades são produzidas em função dos posicionamentos tomados pelos sujeitos, bem como, pelos contextos de produção. Inscrita na área da Linguística Aplicada (LA), a pesquisa articula as teorizações provindas da área dos Estudos Culturais (sobretudo no que se refere à identidade) com os referenciais teóricos do Círculo bakhtiniano (no tocante a concepção sócio-histórica da linguagem e em seu caráter dialógico). Os resultados indicam que, apesar de haver uma movência axiológica em torno das representações de Mossoró e do episódio de vinte e sete, os enunciados dos cordéis convergem para o discurso hegemônico, corroborando com o perfil identitário da resistência veiculado ao longo de oito décadas.

14
  • ADA LIMA FERREIRA DE SOUSA
  • Figurativity in comics: a analysis of metaphors and metonymies in V de vingança

  • Data: 13/11/2014
  • Mostrar Resumo
  • The object of this study is the construction of metaphor and metonymy in comics. This work is inserted in the field of Embodied Cognitive Linguistics, specifically based on the Neural Theory of Language (FELDMAN, 2006) and, consistent with this theoretical and methodological framework, the notions of categorization (LAKOFF & JOHNSON, 1999), embodiment (GIBBS, 2005), figurativity (GIBBS, 1994; BERGEN, 2005), and mental simulation (BARSALOU, 1999; FELDMAN, 2006) have also been used. The hypothesis defended is that the construction of figurativity in texts consisting of verbal and nonverbal mechanisms is linked to the activation of neural structures related to our actions and perceptions. Thus, language is considered a cognitive faculty connected to the brain apparatus and to  bodily experiences, in such a way that it provides samples of the continuous process of meaning (re)construction performed by the reader, whom (re)defines his or her views about the world as certain neural networks are (or stop being) activated during linguistic processing. The data obtained during the analysys shows that, as regards comics, the act of reading together the graphics and verbal language seems to have an important role in the construction of figurativity, including cases of metaphors which are metonymically motivated. These preliminary conclusions were drawn from the data analysis taken from V de Vingança (MOORE; LLOYD, 2006). The corpus study was guided by the methodology of introspection, i.e., the individual analysis of linguistic aspects as manifested in one's own cognition (TALMY, 2005).

15
  • MARIA DO PERPETUO SOCORRO GUTERRES DE SOUZA
  •  

     

    Guimarães Rosa: Travessia

  • Data: 18/11/2014
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho desenvolve uma leitura por cinco contos de Guimarães Rosa: “A hora e vez de Augusto Matraga”, “Campo Geral”, “A Benfazeja”, “Esses Lopes” e “Meu tio o Iauaretê”, inclusos respectivamente em Sagarana, Corpo de Baile, Primeiras Estórias, Tutaméia e Estas Estórias. Assim, empreende-se um breve percurso no intuito de observar na gênese criativa do autor uma temática maniqueísta, em cuja concepção do mundo, com intensividade poética, opõe-se o bem e o mal. Para tanto, a pesquisa respalda-se na Simbologia Mítica, na Crítica Literária e em Aspectos da Metafisica, além da análise de clássicos ensaios literários, na abordagem da estrutura dessas histórias. Busca-se demonstrar que no sertão rosiano, o contraditório contribui para especulação sobre o homem humano, na aprendizagem contínua de sua travessia.

16
  • BENEDITA VIEIRA DE ANDRADE
  • DISCURSIVE REPRESENTATIONS OF CÂMARA CASCUDO BY MÁRIO OF ANDRADE

  • Data: 28/11/2014
  • Mostrar Resumo
  • This piece of research aims to address the issue on the construction and reconstruction of Câmara Cascudo´s discursive representations in Mário de Andrade´s discourse. In order to describe, analyze and interpret these representations, we recur to some semantic categories from the Discourse Textual Analysis (DTA) by articulating them with other categories, notably, Grize´s Logic (1996,1997), Text Linguistics and Semantics. Therefore, the purpose is to analyze how these representations are constructed discursively, in written letters, by means of semantic categories such as referentiation, predication, modification, connection and spatial and temporal locations. In the theoretical foundation, proposals of Textual Analysis of Discourses, conceived by the linguist Jean-Michel Adam (1990, 2008a, 2011a), Text Linguistics, Semantics and Logic, focusing, especially, on the phenomenon of discursive representations, are articulated. The research approach is of qualitative nature supported by some quantitative data (OLIVEIRA, 2012); option which makes the analysis richer and comprehensive. As a hypothesis, it is presented the fact that these categories used by Mário de Andrade, in his discourse, do not only enable the (re)construction of the interlocutor´s images, discursively constructed, but they also provide a multiplicity of information and viewpoints about the RN writer´s personality. The study corpus is constituted of 20 texts written by Mário de Andrade and sent to Câmara Cascudo between 1924 and 1944, of which 35 fragments were selected and analyzed. However, it can be verified that, in the analyzed corpus, a set of discursive representations is constructed for Câmara Cascudo, from semantic categories proposed for analysis and used in Mário de Andrade´s discourse. These categories enable to construct and reconstruct the representations that emerge in the texts. Therefore, the analysis points out the construction of a set of different representations, highlighting the representation of the writer, the intellectual and the friend.

17
  • ANAHY SAMARA ZAMBLANO DE OLIVEIRA
  • ANÁLISE TEXTUAL DAS REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS NO DISCURSO POLÍTICO BRASILEIRO

    O DISCURSO DA PRIMEIRA POSSE DA PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF (1/1/2011)


  • Data: 08/12/2014
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa descreve a representação discursiva que a presidenta Dilma Rousseff faz de si mesma, no seu discurso de posse de 1/1/2011. Situamos nosso trabalho no campo da linguística de texto e, nesse campo, na Análise Textual dos Discursos - ATD (ADAM, 2011), que pode ser caracterizada como “uma teoria da produção co(n)textual de sentido que deve fundar-se na análise de textos concretos”. Ela nos fornece a noção, teórica e analítica, de representação discursiva, central para o estudo da dimensão semântica do texto. Baseamo-nos, ainda, em trabalhos recentes sobre as representações discursivas, realizados no âmbito da ATD (RODRIGUES, PASSEGGI, SILVA NETO, 2010, 2012; RAMOS, 2011; OLIVEIRA, 2013; QUEIROZ, 2013; ZAMBLANO, PASSEGGI, 2013). Para as categorias semânticas de construção da representação discursiva retomamos a noção de operação, presente em Adam, 2011, entendendo-as como operações semânticas de construção do enunciado, ou seja operações semânticas de textualização, destacando seu caráter processual e textual. Focalizamos as operações de Referenciação e Predicação, e seus correspondentes Modificadores, assim como a Localização espacial e temporal.

    O enfoque metodológico é de cunho qualitativo, com algumas indicações quantitativas da frequência das ocorrências, de maneira a depreender padrões. De fato, nossa metodologia é a mesma que vem sendo consistentemente utilizada nos trabalhos recentes sobre as representações discursivas realizadas no âmbito da ATD, enfatizando levantamentos -- se possível, exaustivos -- e descrições detalhadas das formas linguísticas, nas suas dimensões semântica e textual.   

    Os resultados indicam que a representação discursiva de Dilma Rousseff é configurada por meio de diferentes domínios, explicitados pelas referenciações e suas modificações, com destaque para as designações de mulher e presidenta, remetendo, respectivamente, aos domínios de gênero e de papel político-institucional. Nesse processo, ela se representa, explícita e enfaticamente, como agente responsável pelas ações expressas pelas predicações verbais (verbos de ação), consciente da importância do seu papel político e social como governante do Brasil. As predicações nominais e verbo-nominais explicitam -- ou permitem inferir com bastante clareza -- uma representação discursiva da presidente que abrange diversos domínios: político, moral, ético, comportamental, emocional (forte, receptiva, desbravadora, consolidadora, incansável, humilde, comprometida, democrata, vitoriosa e corajosa). Assim, a representação qua a presidente constrói de si mesma agrega diferentes termos que indicam domínios de uma mesma representação. As expressões se organizam em, pelo menos, dois domínios principais: (a) um domínio político: democrata, consolidadora; (b) um domínio moral, de caráter ou temperamento pessoal: forte, receptiva, comprometida, incansável, corajosa, vitoriosa.

    Os localizadores temporais (hoje, a partir deste momento) marcam o tempo presente (tempo com maior número de ocorrências), explicitando o momento em que Dilma Rousseff se torna, de fato a presidenta do Brasil, momento a partir do qual as mudanças serão consolidadas, com referências, ainda, ao passado e, sobretudo, ao futuro.

    Quanto aos localizadores espaciais, três se destacam em ordem decrescente de ocorrências: País, Brasil e Nação.

    O discurso de posse explicita, assim, designações positivas da presidente, num tempo presente e prospectivo – com perspectivas de futuro – como líder do Brasil, com ativa participação na ação de transformar o país. 

    Além da descrição empírica desse discurso específico, que contribui para o estudo da análise textual das representações discursivas presentes no discurso político brasileiro contemporâneo, o trabalho levanta algumas questões teóricas e, sobretudo descritivas e metodológicas, assinalando a necessidade de maior especificação e detalhamento das operações consideradas: Referenciação, Predicação, Modalização e Localização. A própria noção de representação discursiva pode ser aprofundada e enriquecida, para dar conta dos sentidos presentes / construídos nos textos. Assim, a noção de domínios de uma representação -- que utilizamos em nosso trabalho - indica as diferentes dimensões segundo as quais se agrupam os elementos dessa representação, sendo um critério de interpretação dessa representação.

18
  • ROMUALDO DOS SANTOS CORREIA
  • Desejo, estilo de vida e transgressão da identidade em Dancer from the dance de Andrew Holleran e Pela noite de Caio F.

  • Data: 17/12/2014
  • Mostrar Resumo
  • A partir da investigação e percepção do trabalho literário, esta tese discute aspectos relacionados aos estudos sobre o homoerotismo e estilos de vida nas obras Dancer from the dance (2001) de Andrew Holleran e Pela noite (2010) do autor brasileiro Caio Fernando Abreu. Considerando que as questões sobre beleza, desejo e estilo de vida configuram recortes importantes para as narrativas, propomos uma discussão através da análise das obras que marcam desde os primeiros momentos de liberação sexual nas festas de Nova Iorque com as peculiaridades de estilos próprios que caracterizaram as personagens de Andrew Holleran rostificadas por um ethos que compôs durante aquele momento a abertura para a liberdade sexual de sexualidades desviantes. Em Pela noite, reiteramos uma continuação do momento de abertura no Brasil para as personagens gays de Caio, levando em consideração que o início da década de 1980 constitui para aquelas personagens as primeiras “sombras" da aids e o conhecimento de si, no qual suas personagens convivem com o medo, anonimato e reminiscências da homofobia como pano de fundo para as discussões pontuais que são desencadeadas pelo autor. Para compor um recorte teórico que subsidie este trabalho, elencamos os trabalhos de Michel Foucault (2007, 2010a, 2010b), Eve Kosofsky Sedgwick (2008), Didier Eribon (2008), David Cartier (2004), David Eisenbach (2006) e outras contribuições que foram, sem dúvida, imprescindíveis a este empreendimento.

2013
Dissertações
1
  • JANIMA BERNARDES
  • PROPOSTAS DE ESCRITA DOS LIVROS DIDÁTICOS DE PORTUGUÊS: MECANISMOS DE CONTROLE

     

  • Data: 25/01/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta dissertação tem como objeto de investigação as propostas de escrita dos Livros Didáticos de Português (LDP) do Ensino Fundamental (EF), do (6 ̊ ao 9 ̊ ano), da década de 1970 até o ano de 2009. Tem o intuito de verificar pelo discurso relatado no Livro Didático de Português o controle direcionado à prática do professor e ao fazer do aluno em situações de ensino. Teoricamente, buscamos contribuições que advém da Análise do Discurso de filiação francesa, para que possamos analisar as construções ideológicas presentes no discurso dos LDP, mais especificamente, o controle direcionado ao professor e ao aluno, usuários do livro, nas atividades de escrita. Compartilhamos da proposta de Althusser (1918-1985), autor que considera a escola como parte dos Aparelhos Ideológicos do Estado (AIE) que busca assegurar, por meio do ensino, uma submissão à ideologia dominante ou ao domínio de sua prática. Tendo em vista que o livro didático (LD) se insere em um contexto mais amplo que transcende o sistema educacional - o mercado ao qual serve e seus usuários, professores e alunos – confirma-se que uma análise crítica do Livro Didático não pode ser feita de forma isolada. Para entender o LD e seu funcionamento, é necessário um mapeamento sobre o seu contexto. O foco de nossa análise são as propostas de escrita apresentadas nos referidos LDP publicados nas respectivas décadas, tendo como referência as modificações nas políticas educacionais do Brasil feitas a partir da década de 1970, devido à presença cada vez mais constante do Livro Didático na organização dos saberes e das práticas de sala de aula. Por meio das análises, foi possível demonstrar que, na Escola Básica, no geral, a prática de escrita concentra-se, prioritariamente, em atividades de cópia, reprodução, reescritura e, em estágios mais avançados, em atividades que partem de modelos preestabelecidos, solicitando aos alunos que produzam textos com temas similares, seguindo a estrutura sugerida. Trata-se de supostos ideais a serem seguidos e imitados pelos alunos, privando-os de assumir sua autoria. Dessa forma, acreditamos que, para inserir o aluno no mundo da escrita, é preciso ir além de modelos canônicos de texto, prática que distancia os alunos da possibilidade de serem “autores”. Em contrapartida a essa tendência, nos deparamos, na contemporaneidade, com propostas que priorizam a autoria, a criação de um estilo. Desse modo, partimos da premissa de que escrever implica em um trabalho específico que se realiza com a linguagem (RIOLFI, 2003). Assim sendo, o trabalho de escrita vai além da mera tarefa escolar, como a solicitada pela grande maioria dos LDP, por meio de modelos canônicos de textos, mas pode permitir um trabalho específico com a linguagem que se realiza por aqueles que se dispõem a criar e sustentar uma discursividade, por meio da qual possa se instalar um estilo de escrever.

2
  • MARIA DA GUIA SILVA
  • O LEITOR UNIVERSITÁRIO E A CONSTRUÇÃO DAS PRÁTICAS DE LER E ESCREVER TEXTOS IMPRESSOS E DIGITAIS

  • Data: 29/01/2013
  • Mostrar Resumo
  • A construção de um mapeamento das práticas de ler e escrever textos impressos e digitais, declaradas por graduandos do Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT), propiciou-nos a análise do percurso que eles estão fazendo em um momento sócio-histórico caracterizado pela revolução do pós-papel. Nesse sentido, o objetivo geral desta pesquisa é compreender como se dá essa construção sob o ponto de vista desses graduandos. Para tanto, norteou nossa reflexão a busca por respostas a algumas questões que se nos apresentaram: quais as concepções de leitura e escrita dos graduandos do BCT; quais as práticas de leitura e escrita que esses colaboradores desenvolvem; quais os acervos a que eles declaram ter acesso; que diferenças eles declaram existir entre a leitura e a escrita impressa e a digital no exercício dos diferentes papéis sociais que desenvolvem; quais as relações identitárias de leitor/escrevente desses colaboradores. Para chegarmos a respostas plausíveis, reunimos um corpus constituído de textos de três gêneros da ordem do argumentar: perfis acadêmicos (ou autorretratos), artigos  de opinião e cartas argumentativas. Além disso, realizamos entrevista semiestruturada e questionário na ferramenta online do Google Docs. A metodologia que sustenta este trabalho acadêmico é a de pesquisa qualitativa (SIGNORINI; CAVALCANTI, 1998) de vertente etnográfica (THOMAS, 1993; ANDRÉ, 1995) em Linguística Aplicada (CELANI, 2000; MOITA-LOPES, 2006) e o aporte teórico vem da concepção de língua(gem) de perspectiva bakhtiniana (BAKHTIN [1929] 1981); da construção sócio-histórica da escrita (LÉVY, 1996; CHARTIER, R., 1998, 2002, 2007; COSCARELLI, 2006; CHARTIER, A., 2007; ARAÚJO, 2007; COSCARELLI; RIBEIRO, 2007; XAVIER, 2009; MARCUSCHI; XAVIER, 2010); dos estudos da pedagogia da escrita (GIROUX, 1997); dos estudos do letramento entendido como prática sociocultural, plural e situada (TFOUNI, 1988; KLEIMAN, 1995; TINOCO, 2003, 2008; OLIVEIRA; KLEIMAN, 2008), dos estudos sobre identidade na pós-modernidade (HALL, 2003; BAUMAN, 2005). Os resultados da análise empreendida apontam-nos para uma multiplicidade de práticas de leitura/escrita de textos impressos e digitais devido à coexistência da modalidade impressa e da que decorre dos novos dispositivos móveis. Nessa multiplicidade, a ideia que prevalece é a de um continuum entre textos impressos e textos digitais (não uma dicotomia), uma vez que a opção por ler/escrever textos impressos ou textos digitais está sempre atrelada a situações de comunicação específicas, que envolvem participantes, objetivos, estratégias, valores, (des)vantagens, além da (re)criação de gêneros discursivos em função dos dispositivos móveis a que esses colaboradores têm acesso nas diferentes esferas de atividade de que participam. Tudo isso tem ocasionado uma profunda intersecção nos traços de identidade de leitores/escreventes universitários do século XXI que não pode ser ignorada pela formação acadêmica.

3
  • TAYNA CAVALCANTI DE PAIVA MONTE
  • Práticas de Leitura e Escrita na Formação em Ciências e Tecnologia

  • Data: 30/01/2013
  • Mostrar Resumo
  • O debate em torno da necessidade de aprimoramento das práticas de leitura e escrita de profissionais das mais diferentes áreas do conhecimento vem ocasionando, em instituições brasileiras e estrangeiras de ensino superior, um movimento de inserção de componentes curriculares cujo foco é a leitura e a escrita na formação acadêmica. Para contribuir com a reflexão em torno desse debate esta dissertação tem como objeto de estudo a formação linguística situada. O nosso objetivo geral é analisar uma proposta de formação linguística voltada para graduandos do Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Para construir essa análise, estabelecemos quatro objetivos específicos: a) verificar se as dez Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras que oferecem o BCT contam com componentes curriculares de leitura e escrita voltados para essa formação; b) descrever como se apresentam os componentes curriculares de leitura e escrita desses bacharelados; c) examinar diferenças e semelhanças que, no geral, existem entre os componentes curriculares voltados para a leitura e a escrita em cada uma das instituições pesquisadas; d) explicitar que categorias delineiam a formação linguística desenvolvida no BCT da UFRN. A fim de alcançarmos os nossos objetivos, fundamentamo-nos na concepção dialógica da linguagem (BAKHTIN [1952-1953] 2010), nos estudos de letramento (KLEIMAN [1995] 2008; TINOCO, 2008) e na pedagogia crítica (FREIRE, 1980; 2007). Metodologicamente, esta pesquisa qualitativa de vertente etnográfica crítica (THOMAS, 1993) ancora-se na Linguística Aplicada (PEREIRA; ROCA, 2009; PASCHOAL; CELANI (Orgs.), 1992). Colaboram nesta pesquisa professores, bolsistas e monitores da área de Práticas de Leitura e Escrita (PLE) e também graduandos do BCT da UFRN que já cursaram PLE-I e/ou PLE-II. Os instrumentos utilizados para a coleta/geração de dados foram: programas dos componentes curriculares voltados para a leitura e a escrita nos BCT nas IES pesquisadas, questionários, entrevistas semi-estruturadas e perfis. Os dados gerados nos permitiram estabelecer as seguintes categorias de análise: situacionalidade (situação real, contemporaneidade temática e focalização temática) e projetos de letramento (comunidade de aprendizagem). Os resultados alcançados salientam que a maioria das IES que oferece o BCT já se preocupa em aprimorar as competências de leitura e escrita de seus graduandos; entretanto, ainda há muito a ser feito (ampliação de carga horária, revisão de conteúdos e de aspectos metodológicos, refinamento de referencial teórico) para que os componentes curriculares venham a se configurar como uma formação linguística situada e significativa. Por fim, tecemos algumas sugestões para o aprimoramento do trabalho que já vem se desenvolvendo no BCT da UFRN, fortalecendo assim o ensino de língua materna em cursos da área de ciências exatas e tecnológicas.

4
  • LOUIZE LIDIANE LIMA DE MOURA CÂMARA
  • Práticas de letramento digital de professores em formação: demandas, saberes e impactos

  • Data: 31/01/2013
  • Mostrar Resumo
  • 1.      Nas últimas décadas, as políticas públicas de inclusão digital têm investido significativamente na aquisição de hardwares e softwares com o intuito de oferecer tecnologia às instituições públicas de ensino brasileiras, especificamente, computadores e internet banda larga. A formação dos professores para lidar com esses artefatos, todavia, é posta em segundo plano, apesar de se mostrar uma exigência da sociedade da informação. Tendo isso em vista, esta dissertação elege como objeto de estudo as práticas de letramento digital efetivadas por 38 (trinta e oito) professores em formação inicial e continuada, por meio do curso de extensão Letramentos e tecnologias: ensino de língua portuguesa e demandas da cibercultura. Nessa direção, objetivamos investigar as práticas de letramento digital dos professores em formação, em três momentos específicos: antes, durante a após a realização desta ação de extensão, com o propósito de (i) delinear as práticas de letramento digital efetivadas pelos colaboradores antes da ação formativa; (ii) narrar os eventos de letramento viabilizados pelo curso de extensão; e (iii) investigar as contribuições do curso de formação para a prática docente dos colaboradores. Teoricamente, buscamos contribuições nos estudos do letramento (BAYNHAM, 1995; KLEIMAN, 1995; HAMILTON; BARTON; IVANIC, 2000), especificamente, no que diz respeito ao conceito de letramento digital (COPE, KALANTZIS, 2000; BUZATO, 2001, 2007, 2009; SNYDER, 2002, 2008; LANKSHEAR E KNOBEL, 2002, 2008) e à formação de professores (PERRENOUD, 2000; SILVA, 2001). Metodologicamente, este estudo etnográfico-virtual (KOZINETS, 1997; HINE, 2000), se insere no campo da Linguística Aplicada e adota a abordagem quali-quantitativa da pesquisa (NUNAN, 1992; DÖRNYEI, 2006). A análise dos dados permitiu evidenciar que (i) antes do curso, as práticas de letramento digital dos professores concentravam-se nas dimensões pessoal e acadêmica de suas realidades, em detrimento da dimensão profissional; (ii) durante a ação de extensão, os professores participaram, de modo colaborativo, das sessões de estudo semipresenciais com foco no uso pedagógico das TIC, efetivando práticas de letramento digital até então desconhecidas; (iii) após o curso, a postura dos professores colaboradores diante da utilização das TIC no seu cotidiano profissional sofreu modificações, uma vez que esses docentes passaram a utilizá-las efetivamente, dando visibilidade social ao que é produzido na escola. Observamos, ainda, que os professores em formação inicial atuaram como pares mais experientes no processo de aprendizagem colaborativa, oferecendo apoio – scaffolding (VYGOTSKY, 1978; BRUNER, 1985) – aos professores em formação continuada. Isso ocorreu em razão de os graduandos efetivarem práticas de letramento digital mais sofisticadas, por integrarem a chamada geração Y (PRENSKY, 2001).

5
  • WILKA CATARINA DA SILVA SOARES
  • A aprendizagem de inglês como língua adicional mediada por jogos eletrônicos do tipo MMORPG

  • Data: 01/02/2013
  • Mostrar Resumo
  •    Os Massively Multiplayer Online Role-Playing Games (MMORPGs) são jogos de interpretação de personagem que, através da Internet, podem integrar milhares de jogadores interagindo ao mesmo tempo em pelo menos um mundo virtual. Desta forma, esses jogos podem proporcionar, além de diversão, um maior convívio com a língua adicional e a oportunidade de aprimorar a proficiência linguística dentro de um contexto real. Por isso, o que se propõe neste estudo é um maior conhecimento sobre a aprendizagem de língua adicional mediada por MMORPGs para que os professores saibam como, se relevante, apresentar, utilizar ou incentivar essa prática junto a seus alunos. Com base neste objetivo principal, procuramos responder às seguintes perguntas de perquisa: (a) o que distingue o perfil de aprendizagem de língua inglesa dos gamers e non-gamers; (b) se os MMORPGs podem, por meio de uma prática híbrida e sistemática, auxiliar no desenvolvimento da proficiência na língua adicional e (c) o que os protocolos think-aloud evidenciam acerca da aprendizagem mediada pelo MMORPG Allods Online. Seguindo o método experimental (NUNAN, 1997), 16 alunos do componente curricular Práticas de Leitura e Produção Escrita em Língua Inglesa fizeram parte do grupo controle e 17 alunos da mesma turma compuseram o grupo experimental e foram submetidos a um pré e pós-teste adaptados do Key English Test (KET) da Universidade de Cambridge (2008). Os testes foram administrados antes e depois de um período de 3 horas por semana durante 5 semanas de experimento com o game Allods Online (grupo experimental), e de aulas do componente curricular (ambos os grupos). Uma análise quantitativa dos questionários sobre os perfis de aprendizagem de língua inglesa dos participantes, uma análise quantitativa das notas dos testes e uma análise qualitativa de protocolos think-aloud coletados durante o experimento foram feitas com base nas teorias de (a) motivação (GARDNER, 1985, WILLIAMS & BURDEN, 1997, BROWN, 2007, HERCULANO-HOUZEL, 2005); (b) aprendizagem ativa (GASS, 1997, GEE, 2008, MATTAR, 2010); (c) interação e aprendizagem colaborativa (KRASHEN, 1991, GASS, 1997, VYGOTSKY, 1978); (d) aprendizagem situada (DAMASIO, 1994; 1999; 2003, BROWN, 2007, GEE, 2003) e (e), aprendizagem tangencial (PORTNOW, 2008 E MATTAR, 2010). Os resultados indicam que os participantes do grupo experimental (gamers) são mais engajados em atividades tangenciais de aprendizagem de língua inglesa, como jogar games, ouvir música em inglês, comunicar-se com estrangeiros e ler em inglês. Também concluímos que o período de experimento pode ter gerado resultados positivos nas notas dos testes dos gamers, principalmente nas partes relacionadas ao desenvolvimento ortográfico, leitura e interpretação, escrita com foco no conteúdo, e acurácia ortográfica. Por fim, os protocolos think-aloud apresentam evidências de que os gamers engajaram-se na aprendizagem ativa de língua inglesa, interagiram em inglês com outros jogadores e aprenderam aspectos linguísticos através da experiência com o MMORPG Allods Online.

6
  • LIGIA DE SOUZA LEITE
  •  O Desenvolvimento da Interlíngua na Aprendizagem da Escrita em Inglês em uma Escola Bilíngue: um estudo exploratório

  • Data: 05/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo visa a investigar o desenvolvimento da Interlíngua na escrita em Inglês como Língua Adicional (LA) por alunos do 2º Ano do Ensino Fundamental I em uma Escola Bilíngue da cidade de Natal-RN. Para tanto, duas perguntas de pesquisa nortearam este trabalho: (a) quais hipóteses podem ser inferidas no desenvolvimento da escrita dos aprendizes bilíngues de Inglês como LA? e, (b) qual o impacto do tipo de input - monomodal e multimodal - no desenvolvimento da Interlíngua na LA por aprendizes bilíngues? Sendo assim, os participantes foram divididos em grupo controle (exposto ao input monomodal) e em grupo experimental (exposto ao input multimodal),e foram aplicados pré e pós-testes em ambos os grupos. Realizamos uma pesquisa de métodos mistos para envolver a coleta e análise tanto de dados qualitativos quanto quantitativos. O aspecto qualitativo incluiu características essencialmente descritivas que buscaram interpretar as etapas do processo de escrita em LA dos aprendizes. Através dessas interpretações foi possível compreender a constituição da Interlíngua na escrita de acordo com as hipóteses geradas pelos aprendizes. Os dados quantitativos foram apresentados como os resultados gerados a partir do design experimental. Deste modo, eles estreitaram as relações entre a variável dependente (o desenvolvimento da escrita, ou seja, o quanto ela se aproxima da forma alvo) que foi modificada ao longo do processo pela variável independente (a qualidade do input), que sendo mono ou multimodal, sua função consistia em possivelmente alterar o curso da aquisição. Os resultados quantitativos apontaram para ganhos mais significativos no grupo em que a multimodalidade esteve presente.

     

     

     

7
  • KARLA GEANE DE OLIVEIRA
  • A representação discursiva da figura feminina no jornal O PORVIR (Currais Novos/Rio Grande do Norte - 1926/1929): um sexo que ironicamente se intitula de frágil

  • Data: 08/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • A representação discursiva da figura feminina no jornal O PORVIR (Currais Novos/Rio Grande do Norte - 1926/1929)

8
  • ANA CRISTINA PINTO BEZERRA
  • A tessitura da memória em O vendedor de passados de José Eduardo Agualusa

  • Data: 11/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • No estudo das literaturas africanas de língua portuguesa, a importância da temática memorial se faz pelo contato que aquelas escrituras literárias possuem com o contexto no qual se inserem. Neste estudo, pretende-se refletir como a memória, enquanto elemento social, torna-se um agente de composição da estrutura literária em O vendedor de passados (2004), de José Eduardo Agualusa. Para tanto, tem-se como referencial o método crítico desenvolvido por Antonio Candido (1976), no tocante à crítica dialética, a fim de se perceber de que maneira tal reminiscência atua na estruturação do romance em uma relação com elementos tanto estruturais quanto temáticos. Em um primeiro momento, apresenta-se uma leitura panorâmica do cenário literário angolano no pós-independência, relacionando esse contexto com o percurso da escrita de José Eduardo Agualusa. Em seguida, realiza-se a análise das relações tecidas entre as categorias narrativas – narrador, personagens, espaço, tempo – e o elemento memorial com o qual aquelas interagem. Tendo em vista que, as referidas categorias seriam construídas no diálogo com a memória. Por fim, destaca-se a reflexão sobre a dinâmica entre a ficção e a realidade apreendida no discurso romanesco no qual figura um vendedor de passados. Uma análise que se realiza a partir de um olhar cético presente na obra. Como aporte teórico utilizado, destacam-se, principalmente, as leituras de: Hampaté-Bâ (1970), Laura Padilha (2007), Tania Macêdo (2008) para a observação das especificidades do contexto africano vivificado no romance; Tedesco (2004), Halbwachs (2006), Le Goff (2003) no tocante à conceptualização da memória; além de Landesman (2006), Krause (2004), Gai (1997) no recorte do panorama cético com o qual o romance dialoga.

9
  • KASSIA KAMILLA DE MOURA
  • A IMPLEMENTAÇÃO DO VOCÊ EM CARTAS PESSOAIS NORTE-RIOGRANDENSES DO SÉCULO XX

  • Data: 14/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • Tendo em vista os pressupostos teóricos metodológicos da Sociolinguística Variacionista (cf. WEINREICH; LABOV; HERZOG, 2006; LABOV, [1972] 2008), nesta dissertação, descrevemos e analisamos o processo de variação/mudança envolvendo os pronomes pessoais tu e você, e sua extensão no paradigma pronominal no Português Brasileiro (PB), em três conjuntos de cartas pessoais escritas por norte-riograndenses no curso do século XX. O universo discursivo dessas cartas é basicamente notícias da cidade em que viviam os informantes e assuntos do cotidiano (comércio, trabalho, viagens, família e política). Parte das cartas analisadas integram o córpus mínimo manuscrito do Projeto de História do Português Brasileiro no Rio Grande do Norte (PHPB-RN). Tomamos por base estudos anteriores sobre o sistema pronominal no PB – Menon (1995), Faraco (1996), Lopes e Machado (2005), Rumeu (2008), Lopes (2009), Lopes, Rumeu e Marcotulio (2011), Lopes e Marcotulio (2011) e Martins e Moura (2012), os quais registram que a forma você suplanta o tu a partir do fim da primeira metade do século XX e atestam o seguinte quadro: enquanto (a) as formas verbais imperativas, (b) os sujeitos plenos e (c) os pronomes complementos preposicionados são contextos favorecedores do você, as (d) formas verbais não imperativas (com sujeito nulo), (e) os pronomes complementos não preposicionados e (f) os pronomes possessivos são contextos de resistência do tu. Os resultados obtidos nesta dissertação confirmam, em parte, as asserções defendidas pelos estudos anteriores sobre os contextos favoráveis à implementação do você no PB: (i) há nas cartas das duas primeiras décadas do século XX (1916 a 1925) alta frequência de uso de formas do você (98%); (ii) Nas cartas pessoais do RN, especialmente nas cartas de amor em que há maior recorrência de assuntos íntimos, o universo discursivo mostrou-se bastante relevante no condicionamento das formas de tu; (iii) a única informante do sexo feminino da nossa amostra faz uso, quase categórico, das formas de tu – em cartas do período que corresponde aos anos de 1946 a 1972; (iv) as cartas correspondentes ao período de 1992 a 1994 apresentam um uso significativo das formas associadas ao inovador você, deixando transparecer que a mudança já está implementada no sistema do PB e há, nesse conjunto de cartas, fortes evidências que nos possibilitam afirmar que as formas pronominais de complemento não preposicionadas (acusativo/dativo) associadas ao tu estão implementadas em um sistema com uso quase categórico de você.

10
  • ELISABETH SILVA DE VIEIRA MOURA
  • SE INICIA ORAÇÃO COM PRONOME CLÍTICO? ATITUDES LINGUÍSTICAS, NA ESCOLA, EM RELAÇÃO AOS PADRÕES BRASILEIROS DE COLOCAÇÃO PRONOMINAL

  • Data: 15/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • Com foco no problema empírico de avaliação, proposto pela teoria da Variação e Mudança (cf. cf. WEINREICH; LABOV; HERZOG, 2006; LABOV, [1972] 2008), esta pesquisa contribui para o esclarecimento das atitudes do professor de Língua Portuguesa, em Natal – RN, em relação (a) à próclise em três contextos específicos: em início de oração/período (V1), depois de sujeitos (SV) e a próclise ao segundo verbo dos complexos verbais (V1V2); (b) aos alunos que usam tais padrões de colocações. Os contextos em tela foram selecionados porque, como muitos estudos têm evidenciado (MARTINS, 2012; SCHEI, 2003; BIAZZOLI, 2010, 2012), constituem a norma culta do Português Brasileiro. A pesquisa teve por objetivos: (i) verificar, por meio de um teste de correção de sala de aula, se professores de Português corrigem a próclise nos referidos contextos; (ii) identificar, por meio de um teste de atitude, que atitudes os professores têm em relação aos padrões de colocação citados, assim como aos alunos que utilizam tais padrões. Vinte professores de Língua Portuguesa, escolhidos aleatoriamente em escolas públicas diversas de Natal-RN, responderam a um teste de correção de sala de aula e a dois testes de atitude. Os resultados obtidos mostram que o índice de correção da próclise em início de oração/período ainda é alto (50%), embora essa variante linguística esteja implementada na gramática do Português Brasileiro. Esse contexto de colocação foi avaliado, em geral, de forma negativa, porém não houve correspondência entre essa avaliação e a avaliação – neutra – do aluno que a utiliza. Diferentemente do contexto anterior, a próclise depois de sujeito não recebeu nenhuma correção por parte dos vinte professores, o que foi coerente com a avaliação positiva que a variante e os estudantes que a utilizam obtiveram. A correção da próclise ao segundo verbo dos complexos verbais não apresentou resultados únicos, porém foram muito próximos, com índices de correção de 20% (complexo de infinitivo), 10% (complexo de gerúndio) e 25% (complexo de particípio). A avaliação desses contextos de próclise oscilou entre positiva e neutra, assim como a avaliação dos estudantes que a utilizam. Isso significa que a próclise em início de oração/período parecer ser ainda marcada no contexto escolar escrito, provavelmente, devido à avaliação negativa dos professores, que não coincide com a avaliação dos estudantes que a utilizam. Depois de sujeitos e antes do segundo verbo dos complexos, a próclise parecer ser aceita em textos escolares escritos, o que se reflete na avaliação dos professores em relação aos estudantes que usam a próclise nesses contextos; avaliação essa que foi, em geral, positiva ou neutra.

11
  • FERNANDA DE MOURA FERREIRA
  • A CONSTRUÇÃO AXIOLÓGICA DO RISO NA CHARGE: UMA PERSPECTIVA BARKHTINIANA

  • Data: 03/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objeto de investigação a construção axiológica do riso na charge. Para tanto, abordamos a construção do riso nesse gênero discursivo, partindo da hipótese de que o riso constitutivo das relações dialógicas na charge é construído axiologicamente, ou seja,  é por meio dele que são construídos os posicionamentos e a visão ideológica.  Para tanto, nos detemos na investigação dos elementos verbo-visuais presentes na forma composicional, como também,  analisamos o projeto de dizer constituidor/constituinte da forma arquitetônica. Tomamos como fundamento teórico-metodológico as formulações sobre linguagem advindas do Círculo de Bakhtin (2010, 2011, 1998) e outras contribuições advindas de Faraco (2009), Brait (2009, 2006), Ponzio (2009) que comungam da concepção dialógica de linguagem e de reflexões atinentes à analise dialógica do discurso. Especificamente sobre o gênero discursivo charge, nos reportamos a Ramos (2009, 2010, 2011) e Vergueiro (2009, 2010). Quanto ao riso, apoiamo-nos em autores como Possenti (2010), Minois (2003), Propp (1992), Bergson (2001), Skinner (2002), no entanto, a principal referência é a obra de Bakhtin (1997, 2010) sobre a cosmovisão carnavalesca e o riso. Este trabalho se insere na área da Linguística Aplicada de perspectiva sócio-histórica e tem como tema linguagem, axiologia e riso. 

12
  • RHENA RAIZE PEIXOTO DE LIMA
  • VOZES SOCIAIS EM DIÁLOGO: UMA ANÁLISE BAKHTINIANA DOS POSICIONAMENTOS DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DO IFRN

  • Data: 17/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho tem como objetivo principal analisar enunciados produzidos por alunos do Ensino Médio, no gênero discursivo diário de leituras, partindo da concepção de linguagem proposta pelo Círculo de Bakhtin. O gênero em questão possui características peculiares que justificam sua escolha para este trabalho. Primeiramente, trata-se de um gênero advindo da esfera privada, íntima, e que passa a ser utilizado na esfera escolar. Por isso, podemos encontrar nos textos nele produzidos consideráveis marcas de subjetividade. Para Machado (1998), essa característica proporciona “uma presença forte do diálogo interior” que marca exatamente “a emergência de diferentes vozes, de diferentes representações internalizadas” (MACHADO, 1998, p. 29). Em segundo lugar, apontamos a priorização dessa atividade didática pelo processo de interpretação (dúvidas, questionamentos, passos para a compreensão) e não com o acabamento. Esse aspecto nos proporciona o contato com os embates ideológicos ocorrentes nos processos de interpretação, compreensão e avaliação que, neste caso, consistem no confronto entre posicionamentos do enunciador e os posicionamentos presentes nos textos com os quais os alunos têm contato durante a produção do diário. A partir dessas características, consideramos para essa análise os conceitos bakhtinianos de enunciado ― sobretudo sua essência responsiva-ativa (Bakhtin, 2010) ―, de gênero discursivo, de dialogismo e de vozes sociais. O trabalho se enquadra na pesquisa qualitativa de cunho interpretativista, pois visa a conhecer a perspectiva dos participantes da situação estudada e se apoiar na riqueza e no detalhamento das amostras (FREITAS, 2007). Além disso, durante a análise dos enunciados que compõem o corpus da pesquisa, utilizamos os conceitos de “polêmicas discursivas” (BAKHTIN, 2010a) e enquadramento (BAKHTIN, 2010c) para embasar nossa análise.

13
  • PAULO RODRIGO PINHEIRO DE CAMPOS
  • O gênero joke em atividades de inglês: uma proposta intercultural de ensino-aprendizagem no ensino médio.

  • Data: 18/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    Nossa pesquisa surgiu do interesse de alinhar a prática de sala de aula de Inglês como Língua Estrangeira (ILE) a discussões atuais no âmbito do processo de ensino-aprendizagem de Línguas Estrangeiras (LEs). Tendo em vista a necessidade de integrar o desenvolvimento linguístico ao desenvolvimento de noções atreladas à prática da cidadania, adotamos uma perspectiva cultural. Percebemos as jokes como um solo fértil para a discussão de aspectos culturais em sala de aula. Com base nesses fatores, nosso problema de pesquisa é como explorar os aspectos culturais desse gênero textual com vistas à elaboração de atividades em ILE numa turma com, em média, 30 (trinta) alunos em que o professor é o pesquisador. Portanto, nosso objetivo geral é explorar os aspectos culturais no uso de jokes em atividades de ensino-aprendizagem de ILE e nossos objetivos específicos são: (I) selecionar e analisar 05 (cinco) desses textos enfocando seus aspectos culturais, (II) identificar e descrever possíveis interpretações das jokes e, com base nesses dados, (III) elaborar atividades que privilegiam os referidos aspectos culturais. Esta investigação é descritiva e documental e apoia-se no paradigma qualitativo (CHIZZOTTI, 2010; FLICK, 2009; CHAROUX, 2006; BOGDAN; BIKLEN, 1994; 1992), em que o corpus, a partir de procedimentos indutivos, informou a teoria adotada. O corpus é constituído por jokes provenientes de sítios da Internet e por documentos oficiais (LDB, 1996; PCNEM, 1998; PCN+EM, 2000; OCEM, 2006), que sugerem direcionamentos aos professores de LE quanto à dimensão cultural. Para a elaboração das atividades, privilegiamos a abordagem por conteúdos (Content-based approach – CBI), em uma versão mais fraca, em que os conteúdos são aspectos culturais nas jokes e empreendemos uma reflexão mais geral sobre métodos, abordagens e perspectivas, em que se incluem noções sobre o pós-método e sobre o CBI, que falam ao ensino-aprendizagem de ILE. Temos por aporte teórico discussões sobre alguns métodos e abordagens de ensino-aprendizagem de LE (BELL, 2003; KUMARAVADIVELU, 2003; WESCHE; SKEHAN, 2002; PRABHU, 1990), a perspectiva cultural (KRAMSCH, 1998, 1996, 1991; BYRAM; FENG, 2004), alguns trabalhos em Linguística sobre piadas (CHIARO, 1992; POSSENTI, 1998, 2010); noções sobre implícitos (MAINGUENEAU, 1996, 2004; CHARAUDEAU; MAINGUENEAU, 2012) e sobre ambiguidade (KEMPSON, 1977; TRASK, 2011; CHARAUDEAU; MAINGUENEAU, 2012), tendo a adoção de tais categorias em emergido da análise de algumas jokes.

     

     

14
  • ELIANE CRISTINA ALVES DE SOUZA
  • O GÊNERO REQUERIMENTO NA PERSPECTIVA SOCIORRETÓRICA: análise da produção de graduandos no ambiente acadêmico-administrativo da UFRN

     

  • Data: 22/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • No ambiente administrativo das instituições públicas, muitas atividades são realizadas através de práticas de escrita. Nesse domínio, a escrita está sempre ligada a uma atividade que se deseja realizar. Dentre essas práticas, o gênero requerimento consiste em um instrumento através do qual o requerente se dirige a uma instituição, a fim de solicitar algo sob o amparo de uma legislação. Considerando nossa experiência de trabalho em uma instituição pública de ensino superior, elegemos como objeto de nossa pesquisa o gênero requerimento produzido por graduandos no domínio administrativo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte devido à sua importância nesse contexto. Para tanto, os aportes teóricos adotados referem-se à concepção sociorretórica dos estudos de gênero textual, que compreende o gênero textual como forma de ação retoricamente tipificada (MILLER, 2009a; BAZERMAN 2009). Quanto à metodologia, trata-se de uma pesquisa associada à abordagem qualitativa (BODGAN; BIKLEN, 1994; CHIZZOTTI, 2010) cuja discussão se insere no campo da Linguística Aplicada. A geração dos dados deu-se a partir de exemplares de requerimentos e dos dizeres dos usuários do gênero em questionários, entrevistas e protocolos verbais de escrita. A análise dos dados se apoia nos métodos etnográficos de análise de gênero postulados por Devitt, Reiff e Bawarshi (apud JOHNS et al., 2006) e indicou que os requerimentos nem sempre se realizam plenamente devido à falta de compreensão do gênero e de sua situação retórica por parte dos produtores. Provavelmente, entre outras razões, isso deve acontecer porque esses alunos não internalizaram a consciência de que vários fatores afetam a produção de textos, como o contexto, a audiência e o propósito. Acreditamos que uma possibilidade de tornar a prática desse gênero textual mais eficiente seja desenvolver um modo de elaboração dos requerimentos mais prático e simples, tomando como base as necessidades impostas pela situação retórica.

15
  • ALBÉRIS ERON FLÁVIO DE OLIVEIRA
  •  

    A Letra Escarlate como Romance Histórico:

    uma história de fragilidade humana e tristeza.

     


  • Data: 07/05/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

    O objetivo deste trabalho é analisar a obra do escritor americano Nathaniel Hawthorne (1804 – 1864), A Letra Escarlate (1850), à luz das contribuições da Literatura e da História do povo americano no contexto da Nova Inglaterra – dos primeiros séculos de sua existência até o período em que viveu o seu autor. Nesse sentido, buscaremos evidenciar aspectos que justificam a inserção da obra como um romance histórico, especialmente a partir da leitura de O Romance Histórico (1936-37) de Georg Lukács. A diversidade das vozes sociais e os inter-relacionamentos que se depreenderam dos personagens principais do enredo do romance, assim como as suas construções contextuais, se constituíram como elementos importantes para a compreensão do romance como sendo de valor Histórico. Durante o nosso estudo, verificamos que é nos enredos dos romances que as personagens refletem, ao mesmo tempo, as condições específicas de suas singularidades, as tendências gerais do processo histórico e as condições sociais das quais eles surgem. Pudemos verificar também que é em suas singularidades que se concentram tendências próprias do ser humano. Para fundamentar este estudo buscamos referências em teóricos da literatura mundial como Howard (1964), Bakhtin (1998), Eagleton (2006), Todorov (2009), em historiadores como Zabel (1947), Sellers (1985) e Cunlife (1986), bem como nas repercussões da obra no Brasil, notadamente a partir de leituras realizadas por Candido (1993) e Schwarz (1981).

     

16
  • JAMES ARAUJO DE VASCONCELOS
  • As apreciações de alunos de Inglês como Língua Estrangeira sobre sua produção oral: um estudo com base no sistema de avaliatividade

  • Data: 16/05/2013
  • Mostrar Resumo
  • O vasto número de pesquisas sobre produção oral no ensino de  Inglês como Língua Estrangeira (ILE) ao redor do mundo (p.ex. LITTLEWOOD, 1981; BROWN E YULE, 1983; ALMEIDA FILHO, 1993; BROWN, 1994, UR, 1996, CARTER E MCCARTHY, 1997; BROWN, 1994,2004; ELLIS, 2008), assim como estudos sobre aspectos cognitivos e de aquisição da produção oral (SWAIN, 1985, 1995; LEVELT, 1989; SWAIN E LAPKIN, 1995; SKEHAN E FOSTER 1997, 1999; ROBINSON, 2001; BYGATE, 2001, dentre outros) têm revelado  aspectos para um ensino de ILE mais eficaz e motivador. Com a proposta de contribuir para esse avanço, o presente estudo está inserido no paradigma qualiquantitativo de pesquisa no campo da Linguística Aplicada (LA), primordialmente com base nos estudos de Moita Lopes (1996, 2006), para quem a LA está centrada na resolução de problemas de uso da linguagem, cujo foco está na linguagem de natureza processual. O estudo tem como objetivo verificar as percepções de 34 alunos de quatro turmas distintas de um curso de ILE em uma escola privada de línguas acerca de sua produção oral ao participarem de atividades orais. O corpus da pesquisa foi gerado pelas respostas dos alunos a questionamentos sobre sua produção oral, em duas fases, no início e no meio do curso, além de  uma entrevista semiestruturada  realizada com dez dos alunos, ao final do curso, com o intuito de verificar suas percepções sobre sua produção oral. As discussões relacionadas à produção oral em sala de aula de ILE tem respaldo teórico nos trabalhos de Littlewood (1981), Brown e Yule (1983), Almeida Filho (1993), Brown (1994), Ur (1996), Carter e McCarthy (1997), Nunan (1999), Brown (2004) e Ellis (2008), que explicam fenômenos que exercem influência na produção oral, tais como afeto, interação, características de atividades orais, dentre outras variáveis em relação a aspectos cognitivos da produção oral analisadas pelos estudos de Swain (1985, 1995), Levelt (1989), Swain e Lapkin (1995), Skehan e Foster (1997, 1999), Robinson (2001) e Bygate (2001). A análise e discussão dos dados tem como base a Gramática Sistêmico-Funcional de Halliday (1985, 1994) e posteriormente desenvolvida por Halliday e Hasan (1989), Halliday e Mathiessen (2004) e Eggins (2004), dentre outros. O foco desta pesquisa são os mecanismos de Apreciação, um dos domínios avaliativos do subsistema de Atitude, que por sua vez, é parte integrante do Sistema de Avaliatividade, desenvolvido por Martin (2000), Martin e Rose (2003) e Martin e White (2005). Para análise das  escolhas linguísticas feitas pelos alunos, utilizamos a ferramenta computacional WordSmith Tools 6.0 (SCOTT, 2010), cuja função Wordlist (lista de palavras) foi  utilizada na busca pelos tipos de processos, assim como epítetos entre outras marcas linguísticas mais recorrentes que caracterizassem suas percepções. Os resultados revelam que nas percepções dos alunos acerca de sua produção oral ao longo das três fases da geração dos dados para a pesquisa, eles gradativamente deixaram de mencionar aspectos afetivos quanto ao desenvolvimento de sua produção oral e passaram a perceber aspectos mais estruturais de composição da língua.

17
  • ARETHUSA ANDREA FERNANDES DE OLIVEIRA
  • ACIONAMENTO DE FRAMES E ESQUEMAS NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS NO PADRÃO DISCURSIVO CHARGE POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

  • Data: 17/05/2013
  • Mostrar Resumo
  • Nossa pesquisa tem por meta principal descrever e analisar os processos relacionados ao acionamento de domínios conceptuais subjacentes à compreensão do Padrão Discursivo charge por parte dos alunos da terceira série do Ensino Médio, na Escola Estadual Professor Antônio Basílio Filho, em Parnamirim. Teoricamente, estamos ancorados nos pressupostos da Linguística Cognitiva, cujo interesse está em analisar nosso aparato cognitivo em correlação com as nossas experiências socioculturais e corporais. Pretendemos verificar como ocorre o processo de construção de sentidos e a integração dos diversos domínios conceptuais que são acionados durante a atividade de leitura. Para isso, tomamos o conceito de domínios conceptuais como equivalente às estruturas que são armazenadas em nossa memória a partir de nossas experiências socioculturais e corpóreas e se estabilizam, respectivamente, a partir dos frames e esquemas. O acionamento desses domínios conceptuais, evidenciado nos dados sob análise, corrobora o pressuposto de que os conhecimentos prévios oriundos de nossa inserção em contextos socioculturais específicos, concomitantemente com o funcionamento de nosso sistema sensório-motor, são determinantes durante a atividade de construção de sentido. Com esta pesquisa, intentamos ainda confrontar as expectativas de respostas produzidas pelos alunos, a partir do acionamento dos frames e esquemas, com as nossas predições.

18
  • JOAQUIM ADELINO DANTAS DE OLIVEIRA
  • O império do desentendimento humano: representações da realidade em textos de Dalton Trevisan

  • Data: 07/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como proposta geral estudar a composição do universo ficcional trevisaniano, a expressão estética engendrada para formular esse universo, e, em última instância, as representações da realidade que emanam dessa construção estético-narrativa. Pareceu-nos, no entanto, que seria impossível dar conta, mesmo que superficialmente, de tão vasto e volumoso conjunto de textos como o é o trevisaniano. Portanto, para que pudéssemos realizar tal tarefa, e ainda fazê-lo de um modo que fosse, a um só tempo, plausível e mais aprofundado, fez-se necessário um recorte objetivo dentro dessa biblioteca. Selecionamos então um livro, representativo de toda a obra trevisaniana, que nos serviu como objeto de estudo: Cemitério de elefantes, de 1964, um dos primeiros livros de contos desse autor. Dentro desse, ainda focalizamos mais o nosso olhar, voltando-nos então para o que denominamos de uma realidade bifurcada em “mundo paralítico” e “mundo em violência”. Amparados pelas teorias e metodologias de Auerbach (2011), Candido (2002, 2006), Adorno (2003), Gennete (1995), Friedman (2002), e ainda movidos pelo espírito do Formalismo russo (1973), construímos nossa crítica. Nossa abordagem fundamentou-se, então, em três passos: primeiramente nos dedicamos a comentar o contexto geral da obra trevisaniana, suportados fortemente pela leitura de dois dos maiores críticos da literatura desse autor, Miguel Sanches Neto e Berta Waldman; em segundo lugar, voltamo-nos ao comentário minucioso sobre a construção formal da linguagem e dos elementos narrativos da prosa trevisaniana; por fim, alçamos nossa crítica ao nível da leitura das representações da realidade, e passamos a comentar a construção do universo ficcional trevisaniano, focando na bipartição desse universo em “mundo paralítico” e “mundo em violência”.

19
  • ELISÂNGELA TAVARES DIAS
  • EM CANTOS DE REIS: A TRADIÇÃO DISCURSIVA NOS AUTOS DE NATAL

  • Data: 10/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo incorpora diversas áreas do conhecimento ao campo da linguística, uma vez que centra a historicidade social dos autos brasileiros e potiguares, a partir de duas propostas analíticas: a presença das fórmulas linguísticas, em sua macroestrutura, dentro do paradigma das tradições discursivas, seguindo Kabatek (2006), Koch e Oesterreicher (2007), e a teoria dos atos de fala, em sua microestrutura, propostos por Austin (1990) e Searle (1995). Com Zumthor (1993; 1997; 2000; 2005; 2010), aludimos a ideia de movência textual, evidenciando que o texto sempre sofre mudanças considerando a performance e recepção nos usos da linguagem. A partir desse arcabouço teórico, centramo-nos no trinômio fórmulas linguísticas, oralidade e performance a fim de descrever as dinâmicas de permanência, variação e mudança que se estabelecem nesses textos e evidenciamos ainda como as relações extralinguísticas socio-históricas e culturais influenciam em sua composição. Tal discussão, mais precisamente, instala-se na Análise do Texto, ao realçarmos a tradição da oralidade como suporte linguístico. O texto, por sua vez, efetiva-se como evocação, motivados pela transmissão, recepção, e movência, a partir de sua conservação e reiteração. Naturalmente, optamos por um suporte metodológico baseado na pesquisa quali-quantitativa, evidenciado por Flick (2009), que respalda o corpus composto por cantos de Folias de Reis brasileiras e de Bois de Reis potiguares. Desse modo, observamos as dinâmicas da linguagem subjacente à tradicionalidade que se efetiva pelo uso de uma memória social partilhada. Na cosmovisão da religiosidade popular, em que as atividades mnêmicas têm um caráter didático, a memória é “partilhada, reelaborada, e, ressignificada em um constante processo de movência e nomadismo” (SÁ JÚNIOR, 2009) a partir de duas dimensões: na primeira, evoca a sacralização (religiosa), em que erige a devoção à histórica bíblica; na segunda, a dessacralização com valores identitários e ideológicos, constituintes culturais de um povo. O canto demonstra, nesse impulso lúdico, uma atividade contextualizada, que resulta na seguinte conclusão: os processos de mudança e permanência nas macro e microestruturas textuais dos cantos ocorrem, ao mesmo tempo, pelo ajustamento ao uso do texto cumprindo uma função político-social e outra ético-pedagógica; em tese, são as relações sociais que avivam a tradicionalidade e esta, por sua vez, evoca a movência e o nomadismo no texto.

20
  • LUÍS FERDINANDO DA SILVA PATRIOTA
  • O PAPEL DA ATIVIDADE LÚDICA COMO MOTIVADORA DA APRENDIZAGEM DA LÍNGUA INGLESA: ANÁLISE DE UM LIVRO DIDÁTICO 

  • Data: 20/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objetivo analisar as atividades propostas pelo livro On Stage selecionado pelo IFRN, como também verificar o interesse dos alunos por atividades lúdicas. Partimos da premissa que as atividades lúdicas podem contribuir para o aumento da motivação pelo ensino da língua inglesa (BROUGERE, 1999; WRIGHT et al, 2006; LANGRAN e PURCELL, 1994). Nossa pesquisa se caracteriza em um primeiro momento por uma análise documental e em outro por uma pesquisa-ação. Propusemos dois questionários aos participantes da pesquisa, alunos do ensino médio do IFRN- Campus Zona Norte, a fim de verificar o interesse  e o grau de motivação pela aprendizagem da língua inglesa, antes e depois da realização de atividades lúdicas. A análise dos questionário mostrou que os alunos ficaram mais motivados e interessados nas aulas depois da realização de atividades lúdicas. Os dados apontam também que a  maioria dos alunos foi favorável à inclusão desse tipo de atividade no livro didático selecionado pela escola.. O resultado da nossa pesquisa comprovou o uso benéfico dessas atividades, dados corroborados por outros estudos (NOGUEIRA,2007;, SILVEIRA,2007; SILVA,2003; OLIVEIRA ,2008 e 2009; VALÉRIO et al. (2012), COSTA (2008), RODRIGUES (2007), , YOLAGELDILI e ARIKAN (2011). Os dados conclusivos deste estudo, nos levam a sugerir a inclusão de  atividades lúdicas nos livros didáticos, mesmo nos direcionados ao ensino médio, a fim de ajudar no aumento da motivação pela aprendizagem de língua estrangeira

21
  • WASHINTIANE PATRÍCIA BARBOSA DA SILVA
  • Conectores sequenciadores E e em contos e narrativas de experiência pessoal escritos por alunos de ensino fundamental: uma abordagem sociofuncionalista

  • Data: 02/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Nesta dissertação, apoiando-me em dois referenciais teóricos, o do funcionalismo linguístico de vertente norte-americana e o da sociolinguística variacionista, tomo como objeto de estudo os conectores sequenciadores E e AÍ, que atuam na função gramatical de indicação de sequenciação retroativo-propulsora de informações. Analiso o uso variável desses conectores em textos escritos produzidos por alunos de duas escolas da rede pública da cidade de Natal-RN, que cursavam, à época da coleta de dados (o ano de 2012), duas séries distintas do ensino fundamental: o sexto e o nono ano. Os alunos que contribuíram para a realização desta pesquisa escreveram, como parte de suas atividades em sala de aula, textos de dois gêneros da esfera narrativa: narrativa de experiência pessoal (de caráter não ficcional) e conto (de caráter ficcional). Além disso, esses alunos e seus professores de língua portuguesa responderam a um teste de atitude linguística em que opinaram sobre a adequação do uso dos conectores sob enfoque em contextos de fala e de escrita mais e menos formais. Os resultados, obtidos por meio de análise quantitativa, revelaram padrões de distribuição linguística, social e estilística dos conectores E e AÍ nos textos narrativos produzidos pelos alunos. Relacionei tais resultados à ação de dois princípios: o princípio da persistência, vinculado ao processo de mudança por gramaticalização, e o princípio da marcação estilística. Além disso, levei em conta as respostas fornecidas ao teste de atitude linguística para o refinamento da interpretação dos resultados. Por fim, apresentei sugestões para a abordagem a conectores sequenciadores nos níveis fundamental e médio de ensino, visando tecer contribuições para um ensino de língua portuguesa produtivo, que busque o aprimoramento da competência comunicativa dos alunos.

22
  • DAVI TINTINO FILHO
  •  Cartografias do desejo em Asfalto selvagem: Engraçadinha, seus pecados e seus amores: humor, erotismo e o pornógrafo no romance rodrigueano

  • Data: 16/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Trata-se nesta dissertação de estabelecer, partindo do pensamento contemporâneo francês da linha deleuziana e guattariana, sobretudo, uma analítica do desejo capaz de reconfigurar o romance de Nelson Rodrigues, Asfalto selvagem: Engraçadinha, seus amores e seus pecados, desterritorializá-lo em relação à tradição crítica e estética, fundada no paradigma realista-naturalista enraizado no pensamento literário brasileiro, especificamente no século XX.  Movemo-nos por discussões sobre o autor e sobre o romance, empreendidas por Rolnik, interlocutora de Guattari, o qual está ligado aos novos paradigmas estéticos, à questão da produção de subjetividades, à micropolítica, às multiplicidades e às minorias. Buscamos contribuir para esse redimensionamento, colocando-nos na perspectiva cartográfica e rizomática para surpreender, em Asfalto, seus processos de subjetivação, incidindo sobre as singularidades selvagens, considerando os conceitos de Foucault, aplicados à construção literária enquanto espaço heterotópico, configurando a experiência do fora, como princípios estéticos. Veremos que as personagens, com foco em Engraçadinha, funcionam, como pequenas máquinas desejantes, Corpos sem Órgãos, moléculas desestabilizando as formações molares. Destarte, Nelson Rodrigues, na perspectiva da produção autoral, torna-se o pornógrafo, o literato iterador, como agenciador de uma palavra perversa, para além dos dogmas, da cena romantizada, originando, em sua poética, a revelação da obs-cena, a obscenidade, como crítica às instituições falidas. Trazemos, nesse sentido, referências de Bataille, quanto ao que na atividade estética se relaciona com o excedente da visão, relacionados ao espaço tático-ótico, concepção deleuziana referentes ao corpo-linguagem, pornografia, pornógrafo, narrativas abomináveis. Acompanhamo-nos, pois, dos conceitos da problemática da diferença e da alteridade, repercutindo na larvaridade, nas afecções, que abrem vias comunicantes com fenômenos extremos, atuantes em torno do mesmo e do outro, trazendo a rizomaticidade do mal e da monstruosidade para a construção estética de Asfalto selvagem, vistos sob a ótica de Bataille, Deleuze, Baudrillard, em ensaios que rompem o olhar estrutural em torno da obra e oferecem subsídios para a construção de uma cartografia outra, o território do imaginário, habitado por um povo por vir, na perspectiva de Blanchot e de Deleuze.

     

23
  • ANA PRISCILA GRINER
  • A LINGUAGEM DO BLOG ESCOLAR EM UM TRABALHO COM MULTILETRAMENTOS:COMPARTILHANDO SENTIDOS

  • Data: 23/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa, inserida no campo da Linguística Aplicada, tem por objetivo analisar a linguagem de um blog escolar, desenvolvido com a participação de alunos, resultante de um trabalho ancorado na concepção dos multiletramentos, com foco na construção de sentidos. A pesquisa se desenvolve a partir da confecção e manutenção de um blog escolar, o Ieceblog, com alunos do Ensino Fundamental II, desde 2008, em uma escola da rede privada de Natal. Justifica-se a investigação das manifestações de linguagem produzidas em um blog escolar mediante a demanda das concepções interativas de leitura e escrita no meio digital. Dada a constatação de que as novas tecnologias são uma realidade dentro das escolas que se abrem para as práticas dos multiletramentos, pressupõe-se que texto, imagem, vídeo, áudio, signos não gráficos e hipertexto potencializam a interação produzida, em que alunos se tornam autores reais. Nessa perspectiva, destacam-se as vozes pertencentes aos enunciados que se formam através das postagens e dos comentários escolhidos para análise e reflexão sobre o espaço do blog como locus de produção de sentidos, inserido no ambiente escolar e no mundo, assim como para a identificação dos recursos de linguagem usados para potencializar os sentidos que emergem. A partir da visão de dialogismo conceitualizada pelo Círculo de Bakhtin, a pesquisa de cunho qualitativo-interpretativista se aprofunda na experiência de um blog escolar com foco na linguagem digital em sintonia com a visão de letramento digital. A partir das postagens do blog, elege-se um corpus que favoreça a exposição das diferentes manifestações de linguagem na concepção dos multiletramentos digitais. O estudo aponta para a tensão existente entre as vozes atuantes em várias direções, revelando a unidade falseada das postagens, que, sob o olhar analítico, faz surgir múltiplos significados de maneira responsiva. A análise do diálogo que entremeia a interação no meio digital torna mais visível que os eventos dos multiletramentos mediados pela linguagem estão para além da estrutura da língua e faz repensar as práticas escolares.

24
  • ESTER CAVALCANTI DA SILVA ARAUJO
  • A CONSTRUÇÃO DA IMAGEM DE LEITOR EM MEMÓRIAS DE LEITURA

  • Data: 23/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Nesse trabalho, analisamos o gênero discursivo “memórias de leitura” de alunos que participaram de um curso de formação continuada na UFRN. Temos como objetivo compreender a construção da imagem de si no discurso desses alunos no entrecruzamento do olhar exotópico (de si e do outro). Para realizar a análise, adotamos como pressuposto teórico base os estudos de Bakhtin (1997, 2003, 2010) sobre gêneros discursivos, enunciado, vozes sociais e exotopia. Para compreender a noção de ethos discursivo nos ancoramos nos estudos realizados por Maingueneau (2008) e Charaudeau (2005). No que concerne à concepção de leitura, adotamos os referenciais teóricos de Garcez (2002), Freire (2008) os quais compartilham da mesma visão de que a leitura é um processo interacional/dialógico que ocorre entre as subjetividades dos participantes da atividade leitora; Silva Neto (2007) faz uma reflexão sobre a leitura literária na escola; e Rojo (2009) que trata a leitura como um processo de inclusão social. Pelo fato do gênero discursivo “memórias de leitura” fazer remissão à temática “memória” e estar relacionada ao contexto de formação de professores, nos respaldamos teoricamente em Nóvoa (2005), que trata dos dispositivos que procuram favorecer a rememoração das práticas dos professores.  Situada na área da Linguística Aplicada, a pesquisa se alinha à abordagem qualitativo-interpretativista de base sócio-histórica. A partir da análise dos dados, concluímos que, em conjunto, os aspectos composicionais, temáticos e estilísticos do gênero em questão e as vozes sociais que emergiram do enunciado foram fundamentais para a categorização das imagens de leitor que os alunos construíram no discurso. 

25
  • MAGDA RENATA MARQUES DINIZ
  • (SANTA) RITA DE CÁSSIA NA BOCA DO POVO DE SANTA CRUZ/RN: identidades culturais em construção

  • Data: 30/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Objetiva investigar as identidades culturais de Santa Rita de Cássia construídas a partir das representações contidas no discurso dos moradores da área urbana do município de Santa Cruz, localizado na Mesorregião Agreste do Estado do Rio Grande do Norte. Esses moradores tornam a história da Santa plena de significação tanto para eles mesmos, em suas vidas diariamente, quanto para a sociedade. Isso é percebido pela narração da história da vida de Rita de Cássia que é contada há mais de cento e oitenta anos na cidade, aliada à quantidade de nomes de mulheres e de estabelecimentos comerciais de nome fantasia com o qualificador “Santa Rita”. No ano de 2010, com a inauguração do Alto de Santa Rita – um espaço destinado ao culto ritiano –, cresceu a quantidade de visitantes nesse município, em virtude da construção e inauguração de um monumento colossal representando a imagem de Rita de Cássia. A partir disso, novos aspectos sociais, culturais, religiosos e políticos passaram a fazer parte da realidade santa-cruzense, fazendo com que os moradores tivessem um assunto em comum para conversar na cidade. Na perspectiva da Linguística Aplicada de enfoque interdisciplinar, nossa referência teórica baseia-se no modelo sócio-histórico da linguagem, entendendo-a como prática discursiva. Ainda no campo teórico, estabelece-se uma interconexão com os estudos culturais, utilizando o conceito de identidade cultural na pós-modernidade. A análise dos discursos revelou-se plural, com uma multiplicidade de identidades culturais que vão de filha muito obediente à esposa que sofria por causa do marido, de mulher muito religiosa à viúva que entrou para o convento, passando pela Santa dos milagres e das curas que intercede hoje na vida de quem pede seu auxílio. Também se constatou no referido percurso investigativo que essas identidades podem ser construídas e reconstruídas se estiverem imersas em outro conjunto de práticas sociais determinadas historicamente.

26
  • MARIA BETANIA DANTAS DE SOUZA
  • A ORGANIZAÇÃO DA INTERAÇÃO PROFESSOR-ALUNO EM SALA DE AULA: TURNOS E O PAR PERGUNTA RESPOSTA

  • Data: 02/09/2013
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho se insere em um quadro de pesquisas no âmbito dos estudos interacionais (Análise da Conversação, Perspectiva Textual-Interativa e Etnografia) e tem como foco principal a interação em sala de aula, especificando aspectos de organização linguístico-discursiva partilhada entre professora e alunos, materializada em turnos, ressaltando o par pergunta-resposta na aula de língua portuguesa. Nessa direção, inspiramo-nos em alguns trabalhos acerca da organização da interação, que adotaram a perspectiva dos estudos interacionais e a abordagem etnográfica para explicitar o conhecimento real nos locais de ensino e de aprendizagem. Entre eles, citamos Galvão (1996 e 2004),  cujas discussões focalizam, respectivamente, a organização tópica em sala de aula de Língua Inglesa no ensino universitário e as digressões observadas no discurso de professor e alunos em aulas na pós-graduação. Descrevemos o processo de interação em sala de aula de Língua Portuguesa em escola pública, analisamos e interpretamos as ações do professor e do aluno, do ponto de vista linguístico-discursivo. Teoricamente, embasamo-nos na Análise da Conversação, ancorada nos postulados de Marcuschi, ([1986] 2007), Kerbrat-Orecchioni (2006), além dos estudos pioneiros de Sacks, Schegloff e Jefferson ([1974]2003); analisamos a organização da tomada de turno, seguida de uma investigação mais detalhada sobre perguntas e respostas, no discurso desenvolvido face a face. Na tentativa de compreendermos o cotidiano dos envolvidos no cenário de sala de aula, adotamos a abordagem etnográfica e o método indutivo interpretativista, na perspectiva de André (2010) e Chizzotti (2006), uma vez que utilizamos com um modelo de investigação adequado às nossas pretensões de pesquisa. A coleta dos dados se deu através de pesquisa de campo, por meio das gravações, em áudio, de aulas de Língua Portuguesa, posteriormente transcritas e transformadas em dados de pesquisa. As análises demonstram que a interação professor-aluno se organiza em trocas de turnos, concretizados, geralmente, no par adjacente pergunta- resposta. Dessa forma, os dados nos possibilitaram descrever uma tipologia de perguntas e respostas quanto à sua forma e função,  conforme os postulados teóricos de Stubbs (1983), Fávero, Andrade e Aquino (2006), além de Silva, 2006.

27
  • JOSÉ ANTÔNIO VIEIRA
  • A ESCRITA DO TEXTO ACADÊMICO NA GRADUAÇÃO: MODOS DE UTILIZAÇÃO DE CONCEITOS TEÓRICOS DE UMA ÁREA DE CONHECIMENTO

  • Data: 27/09/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

    Neste trabalho realizamos uma discussão sobre a produção de textos acadêmicos de alunos do curso de Letras. Especificamente, analisaremos a escrita do texto monográfico, com o intuito de verificar os efeitos de sentido criados a partir das formas de marcação de outros discursos que constituem uma produção escrita. Para tanto, buscamos responder o seguinte questionamento: Como um jovem pesquisador utiliza uma teoria para se inserir em uma dada comunidade científica? Temos como objetivos: 1) analisar os recursos linguísticos, como citações, ilhas textuais e conectivos que marcam a presença da voz do outro na escrita acadêmica; e 2) observar os efeitos de sentido produzidos pelos modos que aquele que escreve marca a voz do outro na escrita. Selecionamos, inicialmente, 23 (vinte e três) monografias produzidas nos últimos cinco anos por alunos de um curso de Letras de uma dada universidade pública, mas, neste trabalho, analisamos 02 (dois) diferentes textos monográficos. Para o desenvolvimento desta investigação, nos valemos do conceito de ciência de Kuhn (2011), que aponta a existência de diferentes significados da produção de ciência no decorrer dos séculos, o que permite definir a escrita acadêmica como produção científica que desenvolve e contribui com a produção de conhecimento. Com o intuito de delimitar uma concepção de escrita que possibilite nossa investigação, nos baseamos em Coracini (2010), que apresenta a ideia de que toda escrita é a inscrição do si, ou seja, a produção escrita parte de uma intervenção do sujeito que escreve, sendo que, apenas uma imposição do “eu” o garante como autor do que escreve. Utilizamos como fundamentação teórica os seguintes conceitos: 1-) de heterogeneidade enunciativa de Authier-Revuz (2004), que nos possibilitou analisar as marcações do outro na escrita monográfica; 2-) reformulação-paráfrase de Pêcheux (1997) e polissemia e paráfrase de Orlandi (2007), conceitos que apresentam as noções de produtividade e criatividade como formas de produção de sentidos, e nos permite observar como se estabelece o processo de produção da linguagem na escrita acadêmica; 3-) conceito de valor de troca e valor de uso de Rossi-Landi (1985) que considera a linguagem como trabalho linguístico, nos possibilitando verificar as diferenças de uso e a funcionalidade social de uma teoria; e 4-) a noção de indícios de autoria apresentada por Possenti (2002), com a qual identificamos atitudes que fazem com que quem escreva se assuma como autor do seu próprio texto. Verificamos que a escrita caracterizada pela repetição e reprodução pode desenvolver um efeito de sentido que constrói a ideia de que a produção da escrita promove um autor, um conceito ou uma teoria. Também percebemos que, mesmo a escrita limitando-se a reproduzir os discursos de outros autores e não articulando uma teoria com uma análise de dados ou com a metodologia do trabalho, quando avaliada, obtém aprovação e legitima-se como produção científica. Isso demonstra a existência de produções acadêmicas que não desenvolvem uma funcionalidade da teoria empregada. O texto funciona como meio de promover sua fundamentação teórica, e esta, que normalmente configura-se como forma de argumentação e sustentação da produção científica, não exerce função no trabalho realizado. Assim, consideramos que as marcações do outro na escrita acadêmica podem funcionar de modo a destacar aquilo que o outro afirma em detrimento do dizer do pesquisador. O que nos permitiu compreender, que um modo de escrita pode evidenciar um efeito de sentido de promoção de um autor, de uma teoria ou de conceitos teóricos.

28
  • CARLOS HENRIQUE DA SILVA
  • Ô DE CASA, COM LICENÇA, POSSO ENTRAR? SÃO OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE E SUAS PRÁTICAS DE LETRAMENTO NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Data: 30/09/2013
  • Mostrar Resumo
  • Os estudos sobre as atividades de linguagem no âmbito do trabalho têm despertado o interesse da academia no sentido de compreender sua importância na vida dos sujeitos e do mundo que o cerca, assim, não é exagero caracterizar a relação entre linguagem e trabalho como “visceral” (DUARTE; FEITOSA, 1998). Nesse sentido, este trabalho objetiva descrever práticas de letramentos efetivadas por Agentes Comunitários de Saúde (ACS) em serviço no Programa Saúde da Família (PSF) no intuito de compreender como se desenvolve a escrita nessa área. Para tanto, utilizaremos algumas categorias basilares dos estudos de letramento propostas por Hamilton (2000), as quais compreendem elementos como participantes, domínio, artefatos e atividades. Como pressupostos complementares, lançaremos mão de aspectos da teoria das representações sociais (MOSCOVICI, 1984; 2003; JODELET,1994;2001), dos estudos que versam sobre linguagem e trabalho (DUARTE; FEITOSA, 1998; NOUROUDINE, 2002), assim como da teoria dos gêneros (BAKHTIN, 2011; BRAKLING, 2012), dentre outras. Trata-se de pesquisa de caráter qualitativo na medida em que resulta da interação entre pesquisador e colaboradores (STAKE, 2011), por meio da utilização de técnicas do perguntar e do registrar com vista a depreender melhor as práticas de letramento em estudo. As descrições realizadas revelam que as práticas de escritas implementadas pelos ACS constituem-se registros que atendem ao cumprimento dos objetivos estabelecidos pelo PSF no tocante à assistência básica de saúde. A relevância da pesquisa situa-se na observância de uso de práticas de letramentos que ultrapassam as já propostas pelo Ministério da Saúde, que é o caso dos relatórios de monitoramento. Outro aspecto importante diz respeito à possibilidade deste trabalho expandir as discussões sobre letramentos, direcionando o foco para as atividades laborais, mais especificamente para a esfera das políticas públicas em saúde, já que o foco nos trabalhos sobre letramento ainda está direcionado ao domínio escolar.

29
  • LUCIA CHAVES DE OLIVEIRA LIMA
  •  A transitividade na conversação: uma abordagem funcional centrada no uso

  • Data: 30/09/2013
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação toma como objeto de estudo o fenômeno da transitividade na conversação. O objetivo é examinar como os predicados se comportam no discurso do português brasileiro e, em seguida, comparar com as pesquisas realizadas na língua inglesa por Thompson e Hopper (2001) e na língua espanhola por Vázques (2004). No Brasil, não há pesquisas que contemplem esse fenômeno no padrão discursivo conversação, o que justifica e revela a necessidade desta pesquisa direcionada a elucidar questões que envolvem a transitividade em conversas espontâneas do dia-a-dia. Isso posto, este trabalho busca descrever, explicar e compreender a transitividade com base em dados linguísticos concretos, produzidos por falantes nativos da língua portuguesa.  Utilizamos os pressupostos teóricos da Linguística Funcional Centrada no Uso, inspirada em Hopper e Thompson (1980), Thompson e Hopper (2001), Givón (2001), Chafe (1979), Bybee (2010), . O material de análise foi constituído por conversas extraídas do corpus Banco Conversacional de Natal. (FURTADO DA CUNHA, 2011). Esperamos, através deste trabalho, contribuir de algum modo para compreensão do fenômeno linguístico pesquisado, bem como para a constituição de um quadro mais refinado acerca do fenômeno da transitividade no português contemporâneo.

30
  • REGINA LÚCIA DE MEDEIROS
  • Entre mortos e vivos: a escrita ensaística de Prelúdio e fuga do real

  • Data: 30/10/2013
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho consiste numa análise integrativa do Prelúdio e fuga do real, do norte-rio-grandense Luís da Câmara Cascudo. Editado pela primeira vez em 1974, esse livro é fruto da maturidade do escritor, e sua escrita revela, como procuramos demonstrar, traços recorrentes na produção cascudiana, apresentando diálogos entre um “eu-ficcionalizado” do próprio autor, que atende ao vocativo de “professor”, e escritores e personagens da literatura ocidental, figuras religiosas e míticas, assim como personalidades políticas. Tendo em vista a própria natureza do seu texto, nossa pesquisa tem como objetivo principal analisar as relações dialógicas que caracterizam a tessitura do livro, a fim de compreender em que medida elas contribuem para definir o posicionamento de seu autor frente à tradição ocidental e sua reflexão sobre a experiência do homem na modernidade. Entre essas relações, ressalta, no Prelúdio, o diálogo literário que a escrita cascudiana trava com a escrita ensaística do pensador francês Michel de Montaigne. Embora o corpus desta dissertação seja composto pelo Prelúdio e fuga do real, acrescentamos a ele dados secundários coletados em outros lugares da obra cascudiana, necessários para o cruzamento de informações e para o esclarecimento de alguns pontos obscuros. No tocante à fundamentação teórico-metodológica desta pesquisa, recorremos à análise integrativa (CANDIDO, 1971; 2002), à concepção bakhtiniana da linguagem (BAKHTIN, 1988, 1992, 2002) e às contribuições de Gómez-Martínez (1992) acerca do gênero “ensaio”. 

     

     

31
  • ROBSON TEOTÔNIO DA SILVA
  • A prisão sem muros da Queer Theory nos contos Dama da noite e O rapaz mais triste do mundo de Caio F. Abreu

  • Data: 31/10/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    RESUMO
     
    Nesta dissertação, analisa-se, sob uma perspectiva comparatista, a relação entre os contos: ‘A Dama da noite’ e ‘O rapaz mais triste do mundo’, de Caio Fernando Abreu. Com intuito de revelar, analisar, estabelecer diálogos sígnicos com a Queer Theory, busca-se, acima de tudo, fazer uma desleitura pautada na contextualidade discursiva da literatura contemporânea. Objetivando, assim, justificar e esclarecer às inúmeras questões que surgem nas relações emblemáticas de personagens que estão presentes no texto e contexto cultural, histórico e social. Destaca-se, ainda, que os enunciados de valor comparativo identificados nas obras, dadas às singularidades de cada uma delas, não possibilitam classificá-las apenas como ‘figuras de retórica’ das quais a comparação pode ser citada como exemplo. Neste caso, elas servem para nortear os caminhos que possam nos levar a compreender melhor o paralelismo criado entre o mundo de valores e adjetivos binários sugeridos pela sociedade e tão bem retratados nas ideias e textos de Caio Fernando Abreu.
32
  • AUCINEIDE MARQUES DE OLIVEIRA
  • VESTÍGIOS DE PERMANÊNCIA E MUDANÇA DOS CLASSIFICADOS DO JORNAL TRIBUNA DO NORTE ( 1951-2010)

  • Data: 14/11/2013
  • Mostrar Resumo
  • O texto, ao se realizar em diferentes esferas linguísticas, em muitos aspectos absorve os processos mutáveis pelos quais a língua passa em decorrência das mudanças sócio-históricas. Nesse sentido, esta pesquisa propõe um estudo sobre o gênero classificados, motivada pelo desejo de compreender como o texto incorpora os vestígios de mudança e como mantém os seus elementos constitutivos ao longo do tempo, a fim de apontar quais são os seus traços característicos. Nossa análise está centrada nos classificados do Jornal Tribuna do Norte, do estado do Rio Grande do Norte, entre os séculos XX e XXI. A partir do levantamento dos dados foi realizada uma análise descritiva e analítica com um corpus constituído de 200 classificados, divididos entre os anos de 1951 a 2010. Baseando-nos em uma análise diacrônica, também buscamos investigar os aspectos macroestruturais do gênero e os elementos microestruturais composicionais da seção Oportunidades que originou o Caderno dos Classificados. Para isso, esta abordagem centrou-se especialmente na Filologia Românica alemã, principalmente nos trabalhos de Coseriu (1980) e Kabatek (2006). A análise revelou que desde o seu surgimento no Brasil, os classificados apresentam elementos constitutivos fixos, como o uso do “vende-se” e “aluga-se” no título ou na introdução do texto, mas também apresenta vestígios de mudança no fechamento do texto, e, especialmente com relação à divisão dos classificados por área de interesse, que no jornal Tribuna do Norte iniciou na seção Oportunidades.

33
  • MARLYTON DA SILVA PEREIRA
  • OS YOUTUBERS E A REPRESENTAÇÃO DO CERTO, ERRADO, ADEQUADO E INADEQUADO NO TRABALHO COM A VARIAÇÃO LINGUÍSTICA EM SALA DE AULA

  • Orientador : MARIA HOZANETE ALVES DE LIMA
  • Data: 02/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • Algumas das atuais discussões no ensino de Língua Portuguesa (LP) dizem respeito a como se deve lidar na escola com o fenômeno da variação linguística em sala de aula. No ano de 2010, por exemplo, houve uma explosão de falares fora dos círculos acadêmicos que envolveu a população no que respeita à viabilidade e as consequências no trato com a variação linguística no espaço escolar. O estopim dessa explosão foi o fato de que se considerava que o MEC (Ministério da Educação e Cultura) adotara um livro didático destinado à EJA (Educação de Jovens e Adultos) que parecia – aos  olhos de muitos, acadêmicos e leigos – anunciar ser “certo” ensinar “errado”, bastando o “erro” ser recorrente e estar sedimento em alguma comunidade linguística. O livro, titulado “Por uma vida melhor”, 2º volume da coleção “Viver, Aprender”, dos autores Heloísa Ramos et. al., reservou um capítulo específico para problematizar a questão da variação linguística e das relações entre a oralidade e escrita. Para tanto, concentrou as discussões em torno das  noções de variedade culta, padrão popular mensurando-as à possibilidades de adequabilidade linguística.  Neste sentido, um falante da língua, de acordo com o LD, poderia fazer certas “escolhas linguísticas” para fazer uso delas em contextos interacionais diferentes: assim, eleger entre “os menino bonito” ou “os meninos bonitos” dependeria da necessidade contextual em que o sujeito estaria inserido. A comunidade surpreendeu-se com a defesa do “poder” usar, uma vez que seria a escola o espaço de ensinar uma norma “padrão”, e não legitimar a possibilidade de uso de padrões gramaticais que destoavam daquelas preconizados nas gramáticas tradicionais. A imprensa televisiva foi uma das grandes responsáveis em alardear que o MEC havia endossado a utilização, nas escolas, de um livro que legitimava tais padrões linguísticos – mesmo que fosse recorrente na “boca” do povo. A querela foi lançada no Youtube e, nesse espaço, internautas  manifestavam-se a favor ou contra a proposta do LD, muitas vezes direcionando as discussões para questões de ordem exclusivamente políticas. Observamos que, de um lado, erguiam-se argumentos relacionados à Sociolinguística (BAGNO, 2003, 2005, 2007; BAGNO, M.; STUBBS, M.; GAGNÉ, G., 2006; BORTONI-RICARDO, S. M., 2008; TARALLO, F., 1982; WEINREICH U., MARVIN I. HERZOG, LABOV, W., 1968; LABOV, 1972; etc); de outro, argumentos concentravam-se em defender que a escola é o espaço de ensino de língua padrão e não caberia trazer determinadas discussões no interior de um LD. Foi, a partir dessas falas, que nasceu esta pesquisa. Interessou-nos o modo particular como a comunidade midiática, que parecia não ter formação em Linguística, entendia as noções de certo, erradas, adequadas e inadequadas, tão íntimas nos círculos acadêmicos. Nossas reflexões tomam como referência teórica os estudos sociolinguísticos sobre a questão da variação e ensino, documentos oficiais que orientam o “trabalho” com a língua portuguesa em sala de aula, a exemplo dos PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) e da Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos (PCEJA). Em nossa análise, observamos que o LD “Por uma vida melhor” não faz apologia ao ensino do “erro”, mas levanta discussões sobre a possibilidade da “variação”, ligada a fatores e ordem diversa. Anda assim, não pudemos deixar de lado um fato significativo: o LD “cria” dados de “fala”, quando seria mais interessante fazer uso de dados “reais” – no Brasil, é possível encontrar projetos que têm como objetivo a coleta de dados de fala, a exemplo do Projeto NURC (Projeto de Estudo da Norma Linguística Urbana Culta no Brasil) e do Projeto  “A língua falada e escrita na cidade do Natal”, corpus organizado pelo Grupo de Pesquisa “Discurso & Gramática” (UFRN). Percebemos o quão significativo é observar como falantes de uma língua se posicionam em relação ao ensino da língua da qual são eles falantes e não estudiosos. Nosso estudo mostrou, ainda, que certas questões no tocante ao ensino da língua portuguesa, como é o caso da variação linguística, estão longe de ser pontos resolvidos, seja para linguistas, seja para falantes da língua.

34
  • ELZA MARIA SILVA DE ARAÚJO ALVES
  • MODALIZAÇÃO AUTONÍMICA: UM ESTUDO DE UTILIZAÇÃO E APROPRIAÇÃO DO DISCURSO SOBRE OS CONCEITOS DE VARIAÇÃO E DE MUDANÇA NA ESCRITA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DE 1970 - 2011

  • Data: 05/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa parte de reflexões desenvolvidas no interior do Grupo de Pesquisa do Texto e do Discurso – GETED do Departamento de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e insere-se no campo da Teoria da Enunciação. Refletimos sobre a produção escrita no ensino superior, mais especificamente, tomando como objeto de análise as formas reflexivas da língua utilizadas na escrita de dissertações de mestrado. Centramos este estudo nos pressupostos teóricos de Authier-Revuz (1998, 2004), no que se refere à heterogeneidade enunciativa e nos seus exteriores teóricos. Nesse sentido, fizemos um recorte no corpus, inicialmente constituído por 8 (oito) dissertações de mestrado e selecionamos 4 (quatro) defendidas nos anos de 1979, 1989, 2000 e 2011, para representar o que pretendemos analisar. Essas dissertações foram selecionadas do acervo da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – USP e dos programas de Pós-Graduação, disponíveis no Portal Domínio Público – CAPES. Nosso intuito é analisar marcas da “modalização autonímica” na utilização e apropriação do discurso outro sobre os conceitos de variação e de mudança na escrita dos pesquisadores em formação. Para tanto, empregamos o termo “utilização” com o sentido de fazer uso do discurso do outro na escrita do trabalho de pesquisa e relacionamos ao conjunto de formas marcadas, que tem na cadeia discursiva um estatuto outro que justifica a autonímia. Já o termo “apropriação”, usamos com o sentido de tomar como seu, uma vez que no processo de modalização do discurso, o enunciador se vale de palavras porosas, ou seja, palavras que aparecem no discurso de um, carregadas do discurso do outro. Buscamos responder à seguinte questão: quais as marcas de ‘utilização’ e de ‘apropriação’ do discurso do outro na escrita do pesquisador em formação? Dessa forma, temos como objetivos: a) verificar, no corpus selecionado, como o discurso sobre os conceitos de variação e de mudança são utilizados na escrita das quatro dissertações já mencionadas; b) analisar como o pesquisador em formação mostra, em sua escrita, os diferentes modos de se apropriar desses conceitos. Por meio da análise, foi possível observar que quando o pesquisador se utiliza dos conceitos, a escrita se apresenta marcada por estratégias linguísticas que demonstram o discurso do pesquisador se constituindo a partir da teoria e do objeto investigado. E, na apropriação, esse processo se apresenta de duas formas: como processo dialógico e como processo reflexivo. No primeiro, tem-se a constituição do discurso do pesquisador se realizando, como forma de diálogo entre os interlocutores, e no segundo como forma de reflexão, realizada por meio de um comentário, de uma “metaenunciação”. Nessa última, o pesquisador pode ou não transmudar seu discurso.  Acreditamos, portanto, haver três processos de escrita: aquela traduz algo já dito, aquela que experimenta algo já dito e aquela que transmuda - que produz um novo, que cria, que inventaria - .

35
  • YANE DE ANDRADE RAMALHO
  • O EXÍLIO NO ROMANCE PRIMAVERA COM UNA ESQUINA ROTA DE MARIO BENEDETTI

  • Data: 12/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação analisa as vozes discursivas e as representações do exílio no romance Primavera con una esquina rota (1983) do escritor uruguaio Mario Benedetti (1920-2009). Pretendemos mostrar que a obra estudada traz uma reflexão histórica sobre a sociedade uruguaia da época da ditadura militar do início dos anos 70. Observamos que esse contexto histórico, presente no enredo, fortalece a sua verossimilhança, o que contribui para localizar o tempo e o espaço da obra, possibilitando-nos verificar a predominância da temática do exílio e seu impacto na vida das personagens. Buscando estabelecer um eixo condutor da obra de Mario Benedetti, tratamos inicialmente das considerações biográficas e observamos que o tema do exílio é reiterado em outras obras do autor. Por fim, analisamos a obra sob um aspecto histórico, no sentido de observar as relações entre literatura e sociedade junto às teses de Candido (2000), trabalhando a temática do exílio com ajuda de Said (2005a; 2005b), verificando as estruturas discursivas com Bakhtin (1988) e estabelecendo os vínculos com as conjunturas literárias que Benedetti viveu participando da geração de 45 da literatura uruguaia (MONEGAL, 1966; RAMA, 1972; 2008).

36
  • ADRIANO CÉSAR LIMA DE CARVALHO
  • O DISCURSO DO GROTESCO NA MÍDIA DIGITAL

  • Data: 16/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • Apresentamos, nesta dissertação, um estudo sobre o discurso do grotesco na mídia digital, especificamente em dois blogs. Apoiamo-nos sobre a base teórico-conceitual e metodológica da Análise do Discurso de Escola Francesa na leitura e interpretação de um conjunto de postagens dos blogs "Eu Sou Ryca" e "Cleycianne", partindo das proposições sobre o grotesco segundo Mikhail Bakhtin (1999a), Muniz Sodré e Raquel Paiva (2002), Wolfgang Kayser (2003) e Mary Russo (2000). O grotesco surge, inicialmente, como uma característica expressiva das pinturas ornamentais encontradas nas grutas romanas, no final do século XV, e hoje pode ser visto permeando desde esculturas, quadros, obras literárias, programas de auditório para a televisão, a vídeos hospedados no ciberespaço, no coletivo domínio dos weblogs. As expressões discursivas do grotesco analisadas nos blogs em questão resultam, predominantemente, em efeito humorístico, obtido, sobretudo, por meio de ironias e parodização, em que se apela para a ridicularização e para o rebaixamento, através de uma forte tensão entre o "belo" e o "feio", o socialmente aceitável e a aberração, o gosto pelo estranho e pelo esteticamente chocante. Este trabalho busca analisar como o discurso do grotesco constitui o processo humorístico, a partir da sua inserção no ciberespaço.

37
  • MARIA APARECIDA DA SILVA MIRANDA
  • “Efeitos de sentidos das não-coincidências do dizer na escrita acadêmica”

  • Data: 16/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação, cujo título é “Efeitos de sentidos das não-coincidências do dizer na escrita acadêmica”, originou-se de estudos e reflexões desenvolvidos no interior do Grupo de Pesquisa em Estudos do Texto e do Discurso – GETED - Departamento de Letras da UFRN. A temática da pesquisa surgiu a partir de trabalhos desenvolvidos pelo grupo, motivados por estudos realizados por Fabiano (2004; 2007). Tais pesquisas problematizam questões relativas à escrita como produção de conhecimento na Universidade e tem como base teórica a Análise do Discurso de linha francesa. Nesta pesquisa, partimos dos conceitos de heterogeneidade de Authier-Revuz (1998, 2004; 2000; 2011) no que concerne a heterogeneidade constitutiva e a heterogeneidade mostrada, marcada e não marcada na materialidade linguística do enunciado, representada linguisticamente por expressões em que o enunciador se desdobra em dois, um que diz e o outro que se pronuncia de algum modo sobre esse dizer, produzindo formas linguísticas “inventariáveis”, reveladoras da refletividade em torno da própria enunciação. Trata-se de momentos pontuais do enunciado, nos quais, normalmente, uma comunicação transparente dá lugar ao outro na materialidade do texto, faz revelar a não-coincidência do dizer, princípio constitutivo de todo discurso. A escrita acadêmica tomada como produção de conhecimento coloca naquele que escreve a necessidade de encontrar formas de se relacionar com o conhecimento culturalmente produzido. Nesse contexto, nos interrogamos: Como um pesquisador em formação se relaciona com a teoria ao mobilizar um conceito de área e colocá-lo em funcionamento?  Para tanto, propomos como objetivo geral, analisar marcas linguísticas que indiciem como um sujeito em formação se relaciona com a(s) teoria(s). Como objetivos específicos, propomos: a) verificar, por meio da análise de expressões linguísticas, o modo como o pesquisador interpreta conceitos bakhtinianos, organizando e reformulando-os em seu texto e, b) analisar como um conceito de área é mobilizado na análise dos dados.  O corpus é constituído por um conjunto de dez dissertações de mestrado da área de linguística que abordam conceitos bakhtinianos, defendidas no período de 2001 a 2009 em diferentes universidades do país, disponíveis no Portal de Domínio Público - CAPES. Para compor um recorte metodológico, selecionamos três dissertações entre as dez que denominamos por: D1 /2001; D2 /2006; D3/ 2008. Para a análise, os excertos foram transcritos das dissertações tendo como referência a comparação entre o texto fonte (textos de autores citados pelo pesquisador) e textos produzidos por estes. A hipótese é a de que, ao mobilizar um conceito teórico o pesquisador se utiliza de procedimentos linguísticos, nos quais, é possível identificar marcas linguísticas que podem demonstrar a relação que estabelece com as leituras realizadas ao longo de sua formação. Nos excertos analisados, observamos formas linguísticas (discurso direto e indireto, verbos, pronomes, conectores, nomes de autores, discurso segundo) que produzem diferentes efeitos no modo como o pesquisador se relaciona com a teoria. Essas expressões linguísticas “inventariáveis” revelam no fio do dizer a lida do sujeito com o legado cultural que o precedeu.

38
  • JOCIANE DA SILVA LUCIANO
  • O DISCURSO HUMORÍSTICO NAS CHARGES DA TRIBUNA DO NORTE

  • Data: 17/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • Nesta dissertação, ocupamo-nos em analisar a constituição e o funcionamento do discurso humorístico no gênero discursivo charge a partir do reconhecimento e análise das técnicas de humor utilizadas para se chegar aos efeitos de sentido pretendidos. Para tanto, utilizamos os pressupostos teórico-metodológicos da Análise do Discurso Francesa, doravante (AD), para a realização da pesquisa. Especificamente sobre as técnicas de humor, apoiamo-nos em autores como Possenti (1998, 2010) e Propp (1992) para ver como esses procedimentos estão presentes nas charges e formam o discurso do humor. Com base nesse objetivo, 10 (dez) charges, que tratam de episódios referentes à gestão da prefeita Micarla de Souza na cidade do Natal-RN, publicadas no jornal Tribuna do Norte, durante o ano de 2012, foram analisadas. A pesquisa se inscreve na área de estudos da Linguística Aplicada e é qualitativa, de natureza interpretativa. Na primeira parte do trabalho, fizemos um resgate das fundamentações da Análise do Discurso, discutindo o conceito de interdiscurso; em seguida, discorremos sobre a noção de gênero do discurso na perspectiva da AD, e sobre o próprio gênero charge, uma vez que trabalhamos com a charge como sendo um gênero discursivo; por último, tratamos do discurso humorístico presentes nas charges. Posteriormente, desenvolvemos as análises, procurando ilustrar o postulado de que todo texto se constitui a partir de determinadas condições de enunciação; que a relação existente entre as charges e o interdiscurso é uma relação constitutiva, que faz emergir determinadas charges/discursos e não outros e, principalmente, que técnicas de humor são utilizadas estrategicamente pelo chargista orientando o discurso para possíveis efeitos de sentido. Os resultados desta dissertação constatam que as relações discursivas são relações de sujeitos e de sentidos, que o discurso chargístico é construído a partir de dizeres e discursos outros, e que determinados procedimentos/técnicas textuais e discursivas, como a paródia, a ironia, o rebaixamento do outro, a ambiguidade e o deslocamento são mobilizados no texto para gerar o possível efeito da comicidade, construindo assim o discurso humorístico das charges analisadas.  

Teses
1
  • LAIS KARLA DA SILVA BARRETO
  • MICROFILME: LITERATURA E MÍDIA NO CORREIO FEMININO DE CLARICE LISPECTOR

  • Data: 19/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • No contexto da modernidade brasileira, surge a obra de Clarice Lispector, revelando a mulher que opta conscientemente pelo labor intelectual, pela especulação jornalística e pelo ato de escrever. Ao analisarmos a relação existente entre literatura e mídia disseminada pela autora, é possível estabelecer a construção de um espaço da escrita voltado para a mulher. Nas colunas escritas para tablóides e jornais, situados na coletânea Correio Feminino, percebemos a contribuição da mulher literata, utilizando da correspondência para se comunicar. Deste modo, averiguamos as particularidades que o tecido da linguagem clariciana trouxe para a obra literária e para os meios de comunicação, desenhando um modo de criação, de estética e de estilo no fazer do gênero que se desenvolveu com base no estreitamento entre jornalista e leitor. A pesquisa compreende a análise dos textos e as relações geradoras da abertura para a mudança do discurso da mulher a partir da década de 50. Destacamos também os conflitos das leitoras para com o convívio com o jornalismo e sua linguagem e as correlações do trabalho midiático para a atividade literária. Visualizamos na linguagem da autora um texto inconformado com modelos culturais preestabelecidos que encarceram um padrão de feminilidade proposto para a época. Desmistifica padrões de total subserviência, com a essência inclinada para a dependência. Faz florescer a divulgação da cultura dos países em que viveu. Produz e germina no espaço do jornal uma crônica que relaciona conteúdos considerados subsidiários como essenciais.

2
  • LIDIANE DE MORAIS DIÓGENES BEZERRA
  • O uso de operações linguístico-discursivas da Crítica Genética na reescritura de textos.

  • Data: 15/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • Enquanto professora do Curso de Licenciatura em Letras, do Campus Avançado “Profª. Maria Elisa de Albuquerque Maia” (CAMEAM), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), na cidade de Pau dos Ferros, RN, tivemos a oportunidade de encaminhar diversas atividades de produção de texto, bem como orientar atividades de reescritura para os textos produzidos. A partir dessa experiência, despertamos para a necessidade de refletir sobre a produção de texto no ensino superior. Assim, pretendemos analisar, nesta pesquisa, a metodologia adotada na orientação de atividades de produção de texto no ensino superior, buscando investigar, particularmente, o trabalho com a reescritura, no que se refere às operações utilizadas para a realização dessa atividade, bem como aos sentidos produzidos a partir das alterações executadas nos textos. Nossa discussão teórica está fundamentada em uma concepção de produção de texto enquanto “atividade verbal”, o que revela uma visão sociointeracional da linguagem (MARCUSCHI, 2008; SAUTCHUK, 2003). Quanto à produção de textos escritos, nosso foco de pesquisa, partimos do pressuposto de que, para esta atividade, lidamos com duas figuras distintas (Escritor Ativo e Leitor Interno), para que possamos, além de escrever, refletir sobre nossa escrita e, assim, decidir sobre as operações que serão realizadas para promover as alterações necessárias à reescritura de nossos textos (SAUTCHUK, 2003). Ainda no que diz respeito aos conceitos teóricos abordados nesta pesquisa, recorremos aos postulados da Análise Textual dos Discursos (ATD) que discute a crença na evidência da existência dos textos, sendo, pois, contra a visão fixista da textualidade que acredita que o texto existe em si mesmo (ADAM, 2008; [2005]2010). Nesta perspectiva, adotamos, também, os conceitos advindos da Crítica Genética que se ocupa da relação entre texto e gênese, tomando por objeto os documentos que trazem o traço do texto em progresso, uma vez que considera o texto como resultado de um trabalho de elaboração progressiva, e a escrita, por sua vez, como uma atividade em constante movimento (HAY, [1975]2002; DE BIASI, [2000]2010; GRÉSILLON, 1989; [1990]2008; [1992]2002; SALLES, 2008a). A metodologia desta pesquisa é de natureza etnográfica, uma abordagem que enfatiza o processo, como também se preocupa com o significado. Para atender aos objetivos propostos por nossa pesquisa, fizemos uso de diferentes procedimentos de coleta de dados que contemplam um estudo de tipo etnográfico, tais como: observação, anotações de campo e análise de documentos. Os dados analisados foram coletados no decorrer do semestre 2008.2, em uma sala de aula do 1º período do curso Letras, do CAMEAM/UERN, oportunidade na qual pudemos coletar vinte e um textos escritos, sendo que todos foram reelaborados a partir
    de atividades de reescritura, o que constitui um corpus de quarenta e dois textos que serão analisados a partir das operações linguísticas identificadas pela gramática gerativa e retomadas por Lebrave e Grésillon (2009). A partir da análise, podemos confirmar que a escrita é um processo, e a reescritura vem mostrar-se como uma atividade de extrema importância para esse processo. Ainda em decorrência da análise, observamos que a substituição foi a operação mais utilizada pelos autores dos textos. Acreditamos que esse resultado justifica-se pelo fato de a substituição, de acordo com o que propõe a Crítica Genética, constituir a origem de toda rasura, a partir da qual se pode facilmente efetuar uma mudança na escrita. Quanto às operações de acréscimo e supressão, verificamos que foram empregadas, em termos quantitativos, quase de forma equivalente, o que pode ser explicado quando verificamos que as duas operações exigem, por parte do autor do texto, estratégias distintas daquelas usadas para a substituição, pois implicam, respectivamente, a inclusão ou eliminação de um segmento. Por fim, constatamos que a operação de deslocamento foi a menos utilizada, uma vez que trabalha com um segmento que não será substituído, acrescido nem eliminado, mas transferido para outro lugar do texto, o que requer uma maior habilidade do autor em realizar essa operação e não comprometer o sentido de sua escrita. Com isso, esperamos contribuir para a reflexão sobre o ensino da escrita, considerando-se, de maneira particular, a formação do licenciado em Letras. Nossa análise trará contribuições ao ensino de Língua Portuguesa, especificamente, para as atividades que encaminham a produção textual, no sentido de explorar, junto aos alunos, a capacidade de reescrever seus próprios textos.

3
  • SAMUEL ANDERSON DE OLIVEIRA LIMA
  • GREGÓRIO DE MATOS: DO BARROCO À ANTROPOFAGIA

  • Data: 05/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • A figura exponencial de Gregório de Matos e Guerra tem sido motivo de muitas discussões teóricas ao longo dos anos, desde o seu aparecimento em praça pública, no século XIX, e ainda mais, no século XX, quando foi resgatado pela vanguarda modernista. Resultado disso, ainda existem dois lados antagônicos quando se trata de Gregório de Matos, os que o defendem e os que o acusam. Os primeiros defendem a posição de que o poeta baiano foi a primeira voz literária no Brasil, alçada sob as bases do Barroco, e os outros o acusam de ser ele um mero imitador dos poetas espanhóis do século XVII, sem, portanto, ter contribuído significativamente para a formação da Literatura Brasileira. Esta tese, por sua vez, segue o pensamento daqueles que defendem o poeta como barroco-antropofágico, devorador de culturas, com participação ativa no processo de formação da nossa identidade cultural e literária. Para esse fim, foi feito um rastreamento das biografias do poeta a fim de que muitas das descrições românticas ali presentes fossem desromantizadas dando ênfase aos aspectos biográficos mais científicos que contribuíssem para compor o perfil do poeta barroco. Nesse mesmo sentido, foi discutido o olhar da História da Literatura sobre o poeta mazombo, especificamente observando a posição dos historiadores sobre a poesia gregoriana no cenário da formação da Literatura Brasileira. A fim de defender a hipótese de que Gregório de Matos foi nosso primeiro antropófago, este trabalho procurou observar como seus poemas revelam as características intrínsecas do Barroco e da Antropofagia, com evidência na sua vertente carnavalizante, expondo ao mundo, satiricamente, os interstícios da vida humana. E nesse percurso, a análise do corpus em espanhol é um dos pontos altos da tese porque, além de ser inédita, contribui para a compreensão da antropofagia como mecanismo teórico que explica a formação da nossa identidade literário-cultural. Assim, são convidados para compor a cena teórica Augusto de Campos (1968; 1978; 1984; 1986; 1988), Haroldo de Campos (1976; 2010a; 2010b; 2011), Severo Sarduy ([1988?]), Oswald de Andrade (1945; 1978; 2006), Mikhail Bakhtin (2010), Octavio Paz (1979), Segismundo Spina (1980; 1995; 2008), Afrânio Coutinho (1986a; 1986b; 1994), Affonso Ávila (1994; 1997; 2004; 2008), entre outros.  A poesia gregoriana, sob esse aspecto, contribuiu para a composição do cenário barroco-antropofágico em solo brasileiro, com sentido especial para o caráter transtemporal que lhe é dado, uma vez que não está só no Seiscentos, nas amarras da historiografia, mas também está presente hoje na atualidade de seus temas, ancorados pela eterna dúvida do homem barroco.

4
  • DERLI MACHADO DE OLIVEIRA
  •  ENTRE A FÉ, A OBRA SOCIAL E A PUBLICIDADE: uma análise crítica do discurso da responsabilidade social da Igreja Universal do Reino de Deus

  • Data: 08/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • Situada na Linguística Aplicada (PENNYCOOK, 1998; MOITA LOPES, 2003, 2006, 2008, 2009), esta tese, que se inscreve em uma abordagem qualitativo-interpretativista de perspectiva analista critico, se debruça sobre o discurso da responsabilidade social e a forma como este é empregado na busca por legitimação e prestígio dentro do campo religioso neopentecostal brasileiro, mais especificamente da Igreja Universal do Reino de Deus. O objetivo geral desta pesquisa é refletir sobre os discursos de responsabilidade social e a retórica da auto-promoção da Igreja Universal através do papel dos atores sociais na construção de sua(s) identidade(s), materializados   no jornal Folha Universal. Para isso, conjugamos, nesta pesquisa qualitativa/documental, análises sociais e discursivas. Na faceta linguístico-discursiva, a pesquisa se baseou na Análise Crítica do Discurso (ACD), principalmente em Fairclough (2001, 2003, 2006), uma proposta que fornece ferramentas teórico-metodológicas para investigar a linguagem além das estruturas linguísticas, ou seja, o discurso, as práticas sociais nas quais ele ocorre e as estruturas sociais mais amplas. Também foram utilizados pressupostos teóricos da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF), combinando categorias do Sistema de Transitividade de Halliday (1994, 2004), das formas de representação de atores sociais na perspectiva sócio-semântica de van Leeuwen (1997, 2008) e do Sistema de Avaliatividade de Martin e White (2005). Ao desenvolvermos a argumentação sobre a função social da religião nesta tese, servimo-nos de autores como Freston (1994), Oro (1997, 2003), Campos (1997), Mariano (1999), Meneses (2008), entre outros. A pesquisa também se orientou pelos trabalhos de Hall (2006, 2008) acerca da natureza constitutiva do discurso na construção das identidades; de Thompson (2001) sobre discurso da mídia, modernidade e ideologia; de Carvalho (2002) e Coelho (2007) sobre o jornalismo e a publicidade, de Giddens (1991, 2001) sobre a globalização, e de Bauman (1998, 1999) sobre a religião e a pós-modernidade. Para abordar a noção de religião e mercado/economia, nos apoiamos nas formulações de Berger (2004) e Weber (2004). Utilizaremos também uma série de conceitos e categorias advindas do campo da comunicação e marketing sobre a responsabilidade social empresarial e o marketing social. Nesta área, tomamos como referências as contribuições de Bueno (2003) e Sartoretto e Fossá (2003), que concebem a “responsabilidade social” como um exercício planejado de ações e estratégias de relacionamento entre uma organização e seus públicos de interesse que visa à sobrevivência da empresa. Foi importante também a abordagem de Zenone (2006), que destaca a relação entre ação social empresarial e o retorno financeiro, e ainda das reflexões de Bonotto e Peruzzolo (2003), que propõem uma relação indissociável entre a “responsabilidade social”, a “imagem/identidade” e a “competição”. O corpus do trabalho é constituído por notícias veiculadas no jornal Folha Universal, nas quais são noticiadas as “ações de responsabilidade social” da igreja. O recorte temporal estabelecido ficou sobre as edições dos anos de 2010 a 2012. Os resultados encontrados na análise das notícias sinalizam que os traços semânticos de Avaliatividade do tipo Afeto, Julgamento e Apreciação, muitas vezes acompanhados de Gradação, e a Atribuição, um dos subsistemas do Engajamento, evidenciam avaliações positivas para a Igreja Universal e seus agentes e constituem elementos retóricos estruturadores do discurso da Igreja Universal no jornal Folha Universal constitutivos da sua imagem (estilo) de responsabilidade social. Os resultados mostram que os atores sociais mais frequentes no discurso são, de um lado, a própria Igreja Universal e seus voluntários, os famosos (atores, atrizes, apresentadores, participantes de Reallity Shows da Rede Record), políticos e autoridades, e de outro, a população assistida pelos projetos sociais da Igreja. O primeiro grupo aparece sempre ativado, já esse último, na maioria das vezes, passivado. Estes também são representados por assimilação em boa parte das ocorrências, já aqueles por individualização, com exceção dos voluntários que ora são representados de forma individualizada, ora como grupo (muito mais desse último modo).

5
  • MARIA LÚCIA BARBOSA ALVES
  • Ana Cristina Cesar: um corpo de crítica

  • Data: 15/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • A presente tese consiste numa abordagem crítica acerca da produção literária da escritora carioca Ana Cristina Cesar. Tanto na poesia quanto na obra crítica, Ana Cristina Cesar evidenciou a questão do escrever como o principal dilema do seu projeto como escritora. Diante de tantos registros, seja em forma de poema, texto crítico ou carta, a questão do escrever é, no conjunto de sua obra, formulada a partir de uma interpenetração entre a literatura e a vida. Considerado o problema do escrever como parte de um projeto do ser escritora para Ana Cristina Cesar, afirmamos que o nosso interesse de pesquisa se pauta em analisar os modos como esse problema percorre sua escrita e torna-se uma questão metalinguística dentro da sua criação. Partimos da reflexão sobre o escrever em sua obra para levantar a questão principal da nossa proposta de trabalho com o seu texto: o que é, afinal, escrever para Ana Cristina Cesar e como isso se formula na produção dos papéis que exerce como poeta, crítica e professora? Entre os principais objetivos que norteiam esta pesquisa estão: promover um diálogo com os textos da autora, no qual se apresente o problema do escrever, através de uma reflexão sobre o percurso da sua atividade intelectual, para ela permeada por indagações quanto à escrita feminina e à produção marginal; e investigar os modos como essa reflexão se articula nas funções que ela desenvolve como poeta, crítica e professora e as relações que estabelece com a literatura da sua geração. Além disso, discutiremos a importância da sua obra dentro da literatura marginal, o que possibilita também uma avaliação dessa produção no âmbito da literatura brasileira. 

6
  • TAYSA MÉRCIA DOS SANTOS SOUZA DAMACENO
  • SUJEITOS E ATORES SOCIAIS NAS REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS DE DOCENTES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO EM SERGIPE: uma análise crítica em tempos de Ideb

  • Data: 29/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • Situada nos estudos de Linguística Aplicada (MOITA LOPES, 2002, 2006; CELANI, 2000,2005; PENYCOOK, 2006; RAJAGOPALAN, 2006), esta tese se apresenta numa perspectiva interdisciplinar (Análise Crítica do Discurso, Sociologia para Mudança Social, Estudos Culturais e Linguística Sistêmico-Funcional). O objetivo geral da pesquisa foi analisar os discursos de professores do Ensino Fundamental em Sergipe, a partir das representações discursivas dos atores sociais, os processos de subjetivações e suas identidades fragmentadas, no contexto de avaliações estandardizadas, ante os requerimentos de práticas pedagógicas globalistas, pautadas pela gestão de resultados.  A análise crítica desses discursos foi motivada pela rapidez com que as exigências da inovação adentram na sala de aula, visando ao alcance de metas nos índices dos rankings que configuram o discurso globalista da gestão nacional da educação, a exemplo do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), fazendo com que os docentes modifiquem seus discursos, silenciem ou resistam. O trabalho foi endossado inicialmente pelas linhas teóricas da Análise Crítica do Discurso (FAIRCLOUGH, 2001, 2006) e traz uma proposta para esse fim: a ASCD – Abordagem Sociológica e Comunicacional do Discurso (PEDROSA, 2012, 2013). O estudo é de cunho qualitativo-interpretativo da Análise Crítica do Discurso (FAIRCLOUGH, 2001, 2003; RAMALHO E RESENDE, 2011), e para tal, foram utilizadas entrevistas semiabertas como instrumento de geração dos dados (BAUER e GASKELL, 2011; GILL, 2011). O corpus compõe-se de treze relatos de docentes de Língua Portuguesa no Ensino Fundamental, que atuam nas quinze escolas elencadas como recorte para a pesquisa na Diretoria Regional de Ensino (02) - estado de Sergipe. As narrativas desses professores tratam das impressões, expectativas e ações destes em prol da gestão de resultados que os mesmos estão submetidos. O panorama analítico de linha sociológica e discursiva parte das categorias pan-semióticas (Inclusão e Exclusão) constantes teoria da Representação dos Atores Sociais (VAN LEEUWEN, 1997). Para apresentação dos processos de subjetivação desses professores, o trabalho se vale da proposta socioanalítica de classificação dos sujeitos, fruto do trabalho do indivíduo na “Gestão Relacional de Si”, oriunda da Sociologia para Mudança Social (BAJOIT, 2006, 2009). As análises discursivas foram textualmente orientadas, em sua maioria, pelo aporte da Gramática Sistêmico Funcional, especificamente pelos processos do Sistema de Transitividade postulado por Halliday, (1985); Halliday e Mathiessen, (2004); Eggins (2004); Cunha e Souza (2011). O trabalho trouxe o campo dos Estudos Culturais para o diálogo e apresentação das identidades fragmentadas dos docentes no contexto da modernidade tardia (GIDDENS, 2002; HALL, 2011). A tese proporcionou uma reflexão sobre a condição do docente, imerso nesse contexto de construção de saberes do atual sistema educacional brasileiro, as avaliações estandardizadas, os índices de desenvolvimento, as metas e os rankings. As considerações e desdobramentos desta pesquisa versaram sobre as emergentes práticas sociais dos professores e a necessidade de formação docente inicial e continuada planejadas para o novo momento que se delineia.

     

7
  • ALYANNE DE FREITAS CHACON
  • A RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA EM ITINÉRAIRE D´UN VOYAGE EN ALLEMAGNE

     

  • Data: 19/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • Nossa pesquisa se circunscreve nos estudos da Análise Textual dos Discursos, proposta pelo linguista Jean-Michel Adam. Nosso foco principal está voltado para o fenômeno da Responsabilidade Enunciativa (doravante RE). Além das categorias de análise para se estudar a RE, conforme Adam (2008, 2010, 2011), também seguiremos outros estudiosos no assunto, como Oswald Ducrot (1984), os teóricos Teoria Escandinava da Polifonia Linguística, (2004), Zlatka Guentchéva (1994), Jean-Pierre Desclés (2009) e Jacqueline Authier-Revuz (1998, 2004).  Utilizaremos os pressupostos apresentados por Alain Rabatel (2004, 2008, 2009, 2010), sobretudo, no que concerne às noções de locutor/enunciador, ponto de vista ou vozes que podem ser encontradas em um texto. Para tanto, analisaremos um relato de viagem, Itinéraire d’un Voyage en Allemagne (doravante Itinéraire), escrito no século XIX por Nísia Floresta, uma norte-rio-grandense que fez residência na França e ficou conhecida como uma das primeiras feministas do Brasil. O relato de viagem é um gênero diferenciado para se analisar a RE, sobretudo o Itinéraire, pois nele também podemos encontrar a presença de outros gêneros, quais sejam: epistolar e autobiográfico. Assim, percorreremos, primeiramente, algumas abordagens sobre gêneros de discurso, utilizando-nos, principalmente, dos pressupostos de Mikhail Bakhtin (1992, 2003), Geneviève Bordet (2011), Jean Michel Adam (2011) e Luiz Antônio Marcuschi (2008) e, posteriormente, apresentaremos algumas características que envolvem os gêneros citados. Por fim, para análise dos dados, estamos seguindo a abordagem qualitativa de natureza interpretativista.

8
  • LEONOR DE ARAUJO BEZERRA OLIVEIRA
  • Marcadores da organização do padrão discursivo narrativo: uma abordagem funcional centrada no uso

  • Data: 21/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • Marcadores da organização do padrão discursivo narrativo: uma abordagem funcional centrada no uso

9
  • MARIA DAS VITORIAS NUNES SILVA LOURENCO
  • ANÁLISE TEXTUAL DOS DISCURSOS: A RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA NO TEXTO JURÍDICO

  • Data: 21/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • Esta investigação objetiva descrever, analisar, e interpretar a Responsabilidade Enunciativa (RE) em petições iniciais, gênero discursivo circunscrito ao domínio jurídico.  Para tanto, elegemos como objeto o estudo das seções “Dos fatos” e da “Fundamentação jurídica”, da petição, compreendendo, assim, respectivamente, a narração dos eventos que deu margem à propositura da ação judicial e à exposição do direito que ampara a pretensão da parte autora. Ancoramos a discussão no campo da Linguística, mais precisamente, na Análise Textual dos Discursos (ATD), cujas bases teóricas decorrem da Linguística Textual (LT) e da Linguística Enunciativa.  Colocamos em relevo, particularmente, o modo como o autor dos textos, objeto de análise, faz uso das estratégias discursivas que indicam a RE.  Dessa forma, a relevância deste estudo reside na construção da crítica ao texto jurídico, pois empreende uma abordagem dialógica do ponto de vista, suscitando, não apenas, questionamentos sobre a maneira como uma instância linguística concebe um objeto de discurso, mas também discutindo as questões de linguagem inerentes à escrita especializada, e nesse aspecto, contribuindo com o trabalho dos operadores do Direito, acerca das várias maneiras de construção da RE no corpo do texto peticional. Selecionamos duas categorias de análise que, segundo Adam (2011), caracterizam na materialidade textual o grau de RE dos enunciados proposicionais: os diferentes tipos de representação da fala e as indicações de quadros mediadores. Nesse sentido, objetivando tal tarefa, baseamo-nos nos estudos acerca do ponto de vista realizados por Rabatel (2003, 2009a, 2010) no que concerne à abordagem enunciativa, inserindo o estudo do PDV no arcabouço das teorias polifônicas e dialógicas para estudar a RE, a partir dos diferentes tipos de representação da fala que compreendem as formas de transmissão do discurso e o papel do sujeito enunciador no tocante à responsabilidade e à imputação pelos conteúdos proposicionais. Da mesma forma, tencionando estudar as indicações de quadros mediadores, observamos os postulados de Guentchéva (1994, 1996) que desenvolve a noção de categoria gramatical do mediativo (MED), que permite marcar linguisticamente o distanciamento ou engajamento do enunciador diante das informações expressas. No que concerne à Metodologia, adotamos a pesquisa de base qualitativa, de natureza interpretativista e introspectiva, haja vista que este estudo focaliza processos e estratégias subjacentes ao uso da linguagem.  O corpus da pesquisa é constituído por Petições Iniciais, que ensejaram ações oriundas na Vara Cível da Comarca de Currais Novos (RN). A análise dos dados mostra que um objeto de discurso é sempre perspectivado e manifesta o ponto de vista de um ou mais enunciadores. Como consequência, o produtor do texto ao utilizar-se dos PDV de outros enunciadores, influencia e estabelece a orientação argumentativa do texto. Da mesma forma, evidencia a relevância do uso das construções mediatizadas no texto jurídico, pois funcionam como estratégia atenuante da responsabilidade do produtor do texto com o que é dito e ao mesmo tempo visa um discurso de autoridade pela entrada das fontes do direito. Ainda, revela a importância documental e interacional dessa prática, ao mesmo tempo que expõe dificuldades de natureza composicional e normativa no que concerne aos aspectos legais e linguísticos.  

     

10
  • DENY DE SOUZA GANDOUR
  • ENTRE SABERES E PRÁTICAS: A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DE PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA NA FORMAÇÃO INICIAL

  • Data: 09/07/2013
  • Mostrar Resumo
  • 1.      Esta pesquisa se insere no âmbito dos estudos que abordam questões relacionadas aos saberes docentes e a construção da identidade profissional no contexto da formação inicial de professores de língua inglesa. Tem como sujeitos investigados os alunos-professores concluintes do curso de Letras com habilitação em língua inglesa, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, do campus da cidade de Assu. Tomaram-se como referencial teórico os conceitos de Identidades Sociais propostos por S. Hall e A. Giddens, os conceitos de Identidade Profissional de C. Dubar, assim como os estudos sobre a formação do profissional reflexivo, conforme proposto por D. Schön, enveredando pala perspectiva crítica de reflexão e atuação profissional, a partir dos estudos de P. Freire, H. Giroux, S Kemmis, entre outros. O objetivo geral consiste em investigar o processo de construção da identidade profissional nos alunos-professores, buscando compreender o modo como esse processo se relaciona com a construção dos saberes e competências necessários à formação do profissional crítico-reflexivo. Optou-se por uma abordagem qualitativa-interpretativista para a análise de um corpus empírico construído por meio de entrevistas semiestruturadas realizadas em meio virtual on line com os sujeitos-informantes. A análise dos dados mostrou que as marcas identitárias profissionais, embora possam ter sua origem em vivências anteriores ao processo de formação inicial, elas são predominantemente constituídas e expressas a partir de experiências vividas nos espaços de socialização relativos tanto aos processos construção dos saberes da profissão quanto aos processos de reflexão sobre o ensino. Aponta-se a existência de uma relação tridimensional entre a reflexão sobre o ensino, a construção da identidade profissional e a construção dos saberes docentes, e que essa relação é indissociável, já que esses processos se apoiam e se impulsionam mutuamente na formação inicial dos professores de línguas.

11
  • ALEXANDRE BEZERRA ALVES
  • Poesia submersa: poetas e poemas no Rio Grande do Norte 1900-1990

  • Data: 05/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho busca situar a produção poética do Estado do Rio Grande do Norte diante do contexto da poesia contemporânea brasileira, apresentando dados sobre a produção potiguar na primeira metade do século XX mais precisamente do período compreendido entre 1900 e 1950. Todavia, o foco mais preciso será sobre o período compreendido entre 1950 e 1990. O intuito aqui é o de apontar nomes e obras que vem em uma publicação contínua desde o advento do Modernismo no estado, cujo marco inicial é o Livro de poemas de Jorge Fernandes, publicado no ano de 1927. Dali em diante, a poesia produzida por norte-rio-grandenses passa por um vácuo criativo entre as décadas de 1930 e 1940, indo ressurgir em uma perspectiva pós-Segunda Guerra Mundial, combinada com uma série de fatores sociais e culturais, sejam eles locais e nacionais (urbanização, conscientização gradativa sobre a literatura nacional, a Geração de 45, entre outras). Serão utilizados os conceitos apresentados por Antonio Candido (2000) em torno da expressão “dialética do local e do cosmopolitismo” na literatura brasileira, além das considerações teóricas de Iumna Maria Simon (1999, 1982), Benedito Nunes (2009), Heloísa Buarque de Hollanda (2006, 1982), Teresa Cabañas (2000) e outros referenciais teóricos essenciais para a leitura do gênero lírico na contemporaneidade. O período assinalado entre 1900 e 1990 compõe uma época de evidente produção poética no estado e ainda pouco estudada no âmbito acadêmico, talvez pelo ainda relativo desconhecimento desta produção no campo da literatura nacional, incluindo representantes de várias correntes da poesia contemporânea (caso do Poema-Processo e da Poesia Marginal). A partir da assertiva da existência de uma considerável quantidade de nomes da poesia norte-rio-grandense a partir de 1950, para delimitar um corpus escolhido como padrão, além de uma introdução para cada década, na maior parte da tese são analisados três poetas que podem ser considerados como exemplares de cada decênio compreendido entre 1950 e 1990, no intuito de ilustrar e aplicar as teorias acerca da poesia brasileira. Quando se fizer necessário, devido à  complexidade de determinados movimentos literários, caso da Geração 61, do Poema-processo e da Poesia Marginal, o foco irá alcançar também questões acerca do poema por conta das peculiaridades de cada uma destas produções literárias. Além de contextualizar a poesia potiguar diante da produção contemporânea e universal, quando isto se fizer possível e necessário, objetiva-se encontrar dados comuns entre a produção poética local e nomes expressivos da poesia nacional do século XX no intuito de legitimar a produção poética norte-rio-grandense em um contexto mais amplo no âmbito da poesia brasileira moderna/contemporânea, e que, evidentemente, ainda carece de estudos para ser melhor compreendida, sendo este um esforço a mais no seu entendimento enquanto forma de expressão cultural.

     

12
  • HENRIQUE EDUARDO DE SOUSA
  • Letramento literário na escola: o poema na aula de Língua Portuguesa no Ensino Médio

  • Data: 26/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa se insere na discussão sobre as relações entre literatura e ensino,

    recortando o lugar das escritas poéticas na aula de Língua Portuguesa no Ensino Médio.

    Em termos epistemológicos, o percurso da nossa reflexão problematiza, dentre outras questões,

    o deslocamento que ocorre quando as manifestações literárias se apartam de seus suportes originais e adentram as cenas de aula de língua materna, transformando-se em objeto de ensino e conteúdo didático. Em relação ao modelo consagrado do ensino de literatura no Ensino Médio,

    apoiado na descrição da história da literatura brasileira através de esquemas cronológicos de movimentos estético-culturais, pretendemos operacionalizar um deslocamento relativo a essa abordagem e situar o letramento literário a partir das formas líricas recorrentes na produção literária no Brasil, na perspectiva do ensino da língua mediado pelo estudo do texto. Para tanto,

    utilizaremos como fundamentação teórica as seguintes áreas do conhecimento: a teoria literária, a linguística aplicada e a didática do ensino de língua materna.

13
  • MARIA ELIETE DE QUEIROZ
  • REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS NO DISCURSO POLÍTICO. “Não me fiz sigla e legenda por acaso”: o discurso de renúncia do senador Antonio Carlos Magalhães (30/05/2001)

  • Data: 28/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho é investigar como as representações discursivas do locutor e dos alocutários são construídas no discurso de renúncia ao mandato de senador, proferido por Antonio Carlos Magalhães (ACM), na 62ª sessão deliberativa ordinária, em 30/5/2001. A perspectiva teórica que adotamos situa-se no campo da Linguística do Texto, com foco na abordagem da Análise Textual dos Discursos – ATD (Adam, 2011). A noção de representação discursiva apresentada pela ATD constitui um dos aspectos da dimensão semântica do texto e baseia-se parcialmente nos trabalhos de Grize sobre a esquematização (1990, 1996). Complementamos as categorias de análise com contribuições que nos permitem detalhar a expressão linguística, textual, e discursiva das representações discursivas (Neves, 2006; Castilho 2010; Rodrigues, Passeggi, Silva Neto, 2010; Rodrigues et al. 2012; Passeggi, 2012). O enfoque metodológico é qualitativo, descritivo e interpretativista (Minayo, 1994; Trivinõs; 1987; Gil, 2002).

    Os procedimentos de análise utilizam as categorias semânticas de referenciação, predicação, modificação (de referentes e predicações), localização espacial e temporal, conexão e comparação. A representação discursiva do locutor (ACM) é constituída pelo conjunto de representações mais específicas, expressas nas referenciações e nas suas modificações: vítima; político; sigla; baiano, nordestino; presidente do senado; senador confiante; condenado. ACM, como protagonista, assume sempre a sua voz no discurso, manifesta seus pontos de vista e posiciona-se como sujeito ativo, consciente da importância do seu papel político e social, que o torna alvo e vítima das ações dos adversários. Complementando essa referenciação, as predicações e suas modificações se expressam através de verbos de ação, em especial, verbos na 1ª pessoa do singular que marcam o tempo presente, real e conclusivo de ações que constroem um cenário positivo para si mesmo. A localização temporal e espacial, indica as ações realizadas pelos participantes nas diversas etapas temporais selecionadas pelo texto, articuladas a três espaços principais: o Senado Federal, o Brasil e, naturalmente, a Bahia. Por sua vez, conectores adversativos (sobretudo, “mas”), explicativos e condicionais acompanham e estruturam o ritmo argumentativo do discurso de renúncia de ACM.

14
  • ELDIO PINTO DA SILVA
  • Experiência, Memória e Humor: Representações Sociais em As Filhas do Arco-íris e em Primeiras Estórias 

  • Data: 14/10/2013
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho analisa As Filhas do Arco-Íris, de Eulício Farias de Lacerda, destacando relações entre personagens como o padre, o coronel, o cego, o louco, o bêbado, o menino, o velho. Verificou-se a configuração de problemas, conflitos, condições de vida e transformações da sociedade. A preocupação desta pesquisa deriva do tratamento narrativo em torno dessas personagens de representação social na literatura. Assim, as condições sociais são interpretadas para evidenciar e confrontar: discriminação, amizade, conflito, respeito, marginalização, memória social. Também são estabelecidas comparações entre personagens de Guimarães Rosa em Primeiras Estórias com As Filhas do Arco-Íris, enfatizando considerações sobre o narrador, as inter-relações, organização da sociedade, regionalismo e relações entre literatura e processo social. Esta pesquisa tem por base o conceito de sistema literário consolidado idealizado por Antonio Candido e os postulados de estudiosos e teóricos da literatura e da representação social, entre eles: Walter Benjamin, Jacqueline Held, Mikhail Bakhtin, Roland Barthes, Ana Paula Pacheco, Serge Moscovici, François Laplantine, Liane Trindade.  

15
  • FRANCISCO WILDSON CONFESSOR
  • , , ALI e AQUI: gramaticalização de um paradigma emergente no domínio funcional da especificação nominal

  • Data: 25/10/2013
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo geral mostrar, com base em propriedades morfossintáticas e semântico-pragmáticas, que AQUI, AÍ, ALI e LÁ integram, no português brasileiro contemporâneo, um paradigma emergente – de constituição recente e ainda em andamento – de formas indicadoras de especificidade em sintagmas nominais indefinidos. Os dados que constituem o corpus desta pesquisa foram coletados em grandes corpora orais brasileiros, a saber: o Corpus Discurso & Gramática: a língua falada e escrita na cidade de Natal (FURTADO DA CUNHA, 1998), o Banco Conversacional de Natal (FURTADO DA CUNHA, 2011), o Projeto Variação Linguística no Estado da Paraíba – VALPB (HORA, 2005) e o Projeto Variação Linguística Urbana na Região Sul do Brasil – VARSUL (VANDRESEN, 2002). Sob a perspectiva teórica da Linguística Funcional, em sua vertente norte-americana (HOPPER, 1987, 1991, 1998, 2008, 2010; GIVÓN, 2001; LEHMANN, 2002; HOPPER; TRAUGOTT, 2003; FURTADO DA CUNHA; OLIVEIRA; MARTELOTTA, 2003, dentre outros), descreveu-se o comportamento de AQUI, AÍ, ALI e LÁ marcadores de especificidade no que diz respeito a fatores de natureza morfossintática e semântico-pragmática. Os fatores considerados foram os seguintes: tipo de construção em que os marcadores apareceram; existência ou não de material interveniente entre o item marcador de especificidade e o nome nuclear do SN; natureza do substantivo ao qual AQUI, AÍ, ALI e LÁ se cliticizam; função sintática  do SN especificado e status informacional do SN adjungido a AQUI, AÍ, ALI e LÁ marcadores de especificidade. Buscou-se, ainda, verificar a ocorrência de implicaturas conversacionais (GRICE, 1982) nos contextos de uso de AQUI, AÍ, ALI e LÁ marcadores de especificidade. Em seguida, procurou-se esboçar uma possível trajetória de gramaticalização por que AQUI, AÍ, ALI e LÁ marcadores de especificidade passaram, a partir de sua função fonte de dêiticos espaciais, até virem a integrar o SN indefinido.

16
  • RUDSON EDSON GOMES DE SOUZA
  • Didática do Plurilinguismo: efeitos da intercompreensão de línguas românicas na compreensão de textos escritos em português

  • Data: 04/11/2013
  • Mostrar Resumo
  • Neste estudo exploratório, apresentamos algumas leituras como em Doyé (2003), Carrasco Perea (2003), Melo, Araújo e Sá (2004), Chavagne (2009) e Alas-Martins (2010; 2011) com o objetivo de verificarmos alguns traços de como a abordagem plurilíngue pode constituir-se em uma tendência na melhoria da compreensão da escrita de textos em língua materna, e quanto pode colaborar para uma melhor percepção do sujeito quanto ao mundo ao seu redor com todas as suas diferentes nuances. Consiste em descrever a metodologia e alguns resultados de pesquisa que proporcionaram a inserção experimental da disciplina denominada de Intercompreensão de Línguas Românicas (ILR) na matriz curricular no município de Natal/RN/Brasil tendo como justificativa o elevado grau de analfabetismo funcional observado entre jovens de até 15 anos, segundo dados do IBGE de 2010. Os resultados foram verificados por meio de pesquisa-ação experimental mista caracterizada por Lewin (1946), Nunan (1992), Thiollent (1994) e Trip (2005) na Escola Municipal Professora Terezinha Paulino de Lima e Escola Estadual Professora Ana Julia de Carvalho Mousinho, com 95 alunos dos anos finais do ensino fundamental. O corpus decorrente desta investigação foi submetido a uma série de técnicas condensadas, como o teste não paramétrico de Kruskal e Wallis (1952) e o teste paramétrico ANOVA, em esforço para conferir um maior rigor à análise dos resultados apontados pelo caderno de atividades de ILR. O estudo possibilitou a investigação de estratégias de compreensão de línguas sob a perspectiva de autores como Ringbow (1987), Giacobbe (1990), Alarcão (1991; 2009a e 2009b), Corder (1992), Castellotti (2001) e Degache (2005), além da transferência dessas competências para a aprendizagem do português como apontado por Meissner, Klein e Stegmann (2004).

17
  • IVONE RODRIGUES DINIZ MONTEIRO
  • AS PRÁTICAS EXITOSAS DE LEITURA NO ENSINO FUNDAMENTAL: VOZES SOCIAIS DE PROFESSORES E DE ESTUDANTES.

  • Data: 19/12/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

    A escola é o lugar social o qual deve propiciar a formação de leitores críticos. Nesse contexto, o papel do professor é fundamental no que se refere ao ensino de leitura. Assim sendo, esta pesquisa de doutorado visa explicitar as práticas de leitura a partir das vozes sociais de professores e de estudantes do Ensino Fundamental das escolas públicas estaduais do RN que apresentam resultados exitosos, conforme o IDEB 2009. Ademais, busca-se explicitar, por meio dos posicionamentos dos professores, as concepções de leitura subjacentes às suas atividades de leitura, bem como elucidar as vozes sociais sobre o ensino da leitura presentes nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 anos e nos Projetos Político-Pedagógicos das instituições educacionais investigadas. Para tanto, foram realizadas: observação em sala de aula, aplicação de questionários com professores e estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental, nas turmas de Língua Portuguesa, como também encontros dialógicos com as equipes de direção e pedagógicas das escolas. O aporte teórico que orienta a pesquisa advém do pensamento bakhtiniano (2009, 2010), que trata da perspectiva dialógica da linguagem e da compreensão responsiva ativa. Além disso, este trabalho ancora-se nas reflexões teóricas de Antunes (2005, 2009) e Geraldi (2003, 2006, 2010) acerca da leitura e da escrita no país, as quais contribuem para o redimensionamento do processo de ensino‑aprendizagem de Língua Portuguesa. Este estudo se insere no campo da Linguística Aplicada, a qual investiga a linguagem como prática social no contexto de aprendizagem de língua materna ou em contextos onde se evidenciem questões relevantes sobre o uso da linguagem. São adotados os parâmetros da pesquisa qualitativa de cunho sócio-histórico procurando compreender o contexto escolar por meio dos sujeitos envolvidos na investigação. O corpus da pesquisa é constituído por: (i) informações construídas por meio da aplicação de questionários com os professores e os estudantes; (ii) informações construídas a partir da aula observada e do diálogo com as equipes de direção e pedagógicas; (iii) um conjunto de informações selecionadas, ou seja, de empiria construída por meio da análise documental das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de nove anos (CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2010) e dos Projetos Político‑Pedagógicos das escolas investigadas. A análise dos dizeres de professores e de estudantes apontam práticas de leitura a partir de textos diversos, em especial, os da esfera literária, em atividades envolvendo discussões, leitura e exercícios de compreensão textual, entrevistas, canções, organização de seminários, recitais, dramatizações, semanas literárias, dentre outras práticas. Ademais, tais análises revelam que ensinar Língua Portuguesa requer compromisso, responsabilidade e satisfação, além de princípios teóricos mais fundamentados, os quais tornam a prática pedagógica cada vez mais eficiente. A pesquisa revela, ainda, que o êxito do processo de ensino-aprendizagem ocorre em virtude do envolvimento dos segmentos da escola no processo educativo, criando-se, pois, uma rede de responsabilidades. Nesse sentido, esta pesquisa poderá contribuir para a produção de conhecimentos que possam orientar e enriquecer o processo de ensino-aprendizagem de leitura, vislumbrando um fazer pedagógico construído a partir da relação com o outro, ou seja, do dialogismo que proporcione a formação de jovens que exerçam sua cidadania.

2012
Dissertações
1
  • MARIA DE LOURDES DE AQUINO
  • A linguagem da reflexão de uma professora de língua inglesa: um estudo de caso sob a perspectiva do Sistema de Avaliatividade

  • Data: 06/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A linguagem da reflexão de uma professora de língua inglesa: um estudo de caso sob a perspectiva do Sistema de Avaliatividade

2
  • PAULO HENRIQUE DA SILVA GREGORIO

  • DO TEATRO ELISABETANO AO SERTÃO DO SÉCULO XIX: A PRESENÇA DE
    SHAKESPEARE EM INOCÊNCIA

  • Data: 24/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A produção teatral shakespeariana é resultado do talento do dramaturgo, somado ao material fornecido pela época em que despontou – a Era Elisabetana. A maioria de suas obras traz à tona temas e elementos que as têm tornado sempre atuais, despertando, de modo contínuo, o interesse de leitores e espectadores, e também servindo de inspiração para outros escritores criarem suas próprias obras. Partindo dessas ideias, neste trabalho, pretende-se trazer à tona questões referentes à presença de Shakespeare em um romance brasileiro do século XIX, Inocência, de Visconde de Taunay. Nessa obra, Taunay faz referência ao dramaturgo por meio de epígrafes extraídas de Romeu e Julieta, Rei Lear e Henrique V, a partir das quais buscamos observar como o romance dialoga com os referidos dramas shakespearianos. Para realizar tal estudo, recorremos aos pressupostos teóricos da intertextualidade, principalmente aqueles desenvolvidos por estudiosos como Mikhail Bakhtin, Gerard Genette e Antoine Compagnon, cujas ideias sobre o diálogo entre obras servem de respaldo para a análise das relações entre o romance de Taunay e as peças de Shakespeare.


3
  • JOÃO BATISTA DA COSTA JÚNIOR
  • A INTERFACE ENTRE EDUCAÇÃO E MERCADO: UMA ANÁLISE CRÍTICA DAS MUDANÇAS SOCIOCULTURAIS NO CONTEXTO EDUCACIONAL

  • Data: 27/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • No contexto atual da modernidade tardia, as mudanças socioculturais instauram novas práticas sociais que corroboram mudanças discursivas em movimentos dialéticos, contribuindo para que a ordem de discursos educacionais seja cada vez mais “contaminada” pelos discursos e valores típicos de mercado revestido por ideologias, lutas hegemônicas e relações de poder. Nesse sentido, esta pesquisa, ancorada no aporte teórico-analítico da Análise Crítica do Discurso (ACD), em sua vertente transdisciplinar (FAIRCLOUGH, 2006; ORMUNDO, 2010; PEDROSA, 2010; RAMALHO E RESENDE, 2011), tem como objetivo discutir como as mudanças socioculturais, via o momento discursivo, no contexto da educação privada, dialogam com a proposta mercadológica da política econômica neoliberal. A pesquisa se constituiu metodologicamente numa abordagem de natureza qualitativo-interpretativista (CHIZZOTTI, 1991; BOGDAN e BIKLEN, 1994; MINAYO, 1994), assentando-se nos pressupostos da Linguística Aplicada contemporânea (SIGNORINI, 1998; MOITA-LOPES, 2006; MENEZES, SILVA, GOMES, 2009). O corpus analisado concentrou-se numa compilação de anúncios publicitários usados nas campanhas publicitárias de instituições privadas de ensino bem como de agência de fomento ao crédito estudantil em Natal/RN, desde a educação básica a cursos de idiomas, no período de outubro a dezembro de 2010. Os dados evidenciam que a educação, no contexto da globalização da modernidade tardia, configura-se como uma agência mercadológica e que a nova face do discurso educacional das instituições privadas de ensino está imbricada a uma representação social de educação associada a campo de luta e disputa hegemônica. Portanto, a pesquisa autoriza a inferir que, com a propagação de políticas públicas educacionais referendadas no ideário hegemônico da economia neoliberal e nos pressupostos ideológicos dos agentes financeiros internacionais (Banco Mundial, FMI dentre outros), a educação tornou-se arena de disputa, um poderoso produto rentável para o mercado da indústria cultural, midiática e mercantilista, intensificando a constituição de uma sociedade na qual tudo é medido economicamente.


4
  • GUIANEZZA MESCHERICHIA DE GOIS SARAIVA MEIRA
  • DISCURSO DE MUDANÇA E FEMINISMO: ESTUDO CRÍTICO DA CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA FEMININA NAS CARTAS DO LEITOR DA REVISTA CLAUDIA

  • Data: 28/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A discussão envolvendo identidade tornou-se significativa nos últimos anos, devido, em especial, à fragmentação do indivíduo moderno, não mais percebido como uma unidade. Entendida como um conjunto de características próprias de um sujeito, a identidade sofre forte abalo em suas bases e uma vez que o sujeito se torna problemático, a identidade não é mais um elemento fixo e estável. Baseada nessa premissa, o objetivo desta dissertação é analisar as mudanças sociais e culturais no cenário do feminismo brasileiro, usando cartas do leitor publicadas na revista brasileira Claudia, considerando a construção de uma identidade feminina, e sua relação com as diversas práticas sociais no contexto da globalização e, também, a influência do processo da modernidade tardia, apontada por Giddens (2002). A abordagem teórica da investigação é orientada pelos pressupostos da Análise Crítica do Discurso (FAIRCLOUGH, 2006), especificamente a perspectiva transdisciplinar. Metodologicamente, o trabalho contempla o paradigma qualitativo-interpretativista, inscrito na Linguística Aplicada contemporânea (MOITA-LOPES, 2006). O corpus constitui-se de quinze cartas do leitor veiculadas na revista em questão. Para alcançarmos nosso objetivo, foram selecionadas três cartas para representar cada década, de 1960 até 2010.  Os dados evidenciam que as mudanças sociais, políticas e econômicas, permitiram às mulheres assumirem papéis diferentes aos impostos pela sociedade patriarcal, rompendo assim com as velhas certezas e produzindo novas formas de posicionamento. Nessa instância, a pesquisa nos permite inferir que, na modernidade tardia, a mulher constrói sua identidade pessoal relacionando-a a vida em sociedade, que por sua vez, envolve crenças, normas, valores, imagens e representações em sua relação com diferentes grupos de identificação e/ou pertencimento.



5
  • MARIA EDILEUDA DO REGO SARMENTO
  • ANÁLISE DE NECESSIDADES DE INGLÊS PARA FINS ESPECÍFICOS EM UM CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO.

  • Data: 06/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida na área de Inglês para Fins Específicos (IFE) com o objetivo de identificar (1) as necessidades de aprendizagem dos alunos de um  curso de Turismo, seus desejos  e carências,  numa universidade federal, quanto ao uso de inglês; (2) as necessidades da situação atual dos professores e do coordenador do referido curso quanto ao idioma; (3) as  necessidades da situação-alvo dos profissionais (egressos) e  empresas com relação a essa língua. Esta pesquisa é um estudo de caso (STAKE, 1998; YIN, 2009) e foram utilizados, para levantamento dos dados, como instrumentos de coleta: questionários, entrevistas semiestruturadas, além de documento sobre o curso de Turismo. Para tanto, foram adotados como aporte teórico  os construtos do English for Specific Purposes (ESP) – Inglês para Fins Específicos (IFE)—também conhecido no Brasil como Inglês Instrumental, cuja fundamentação baseia-se nos trabalhos de Hutchinson e Waters (1987), Robinson (1991), Dudley-Evans e St. John (1998), Celani, Deyes, Holmes, Scott (2006), dentre outros, visto que este trabalho é voltado para uma área específica, o turismo. Os resultados demonstram que os alunos  opinaram pela habilidade em leitura e  priorizaram a oralidade em sala de aula. Enquanto que os profissionais relataram que esta última é uma ferramenta indispensável para sua entrada no mercado de trabalho; mesmo assim, sentem-se despreparados, necessitando frequentar escolas de língua. O depoimento dos dirigentes de empresas também aponta para essa deficiência. Por último, a situação atual dos professores denota que, embora defendam o uso da língua inglesa em sala de aula, isso não acontece, porque os alunos preferem a língua materna. Também ficou evidenciada a inexistência de análise de necessidades. Por fim, a coordenadora informou que há certa indefinição quanto à metodologia, aos conteúdos e às habilidades lingüísticas trabalhadas, além da falta de interação entre os professores de inglês. Conclui-se, portanto, que é relevante realizar uma análise de necessidades para que se possa redesenhar um curso que atenda  às diferentes necessidades contextuais: de alunos, professores, coordenação, representada pelas necessidades institucionais,  profissionais e  o mercado de trabalho.

6
  • EMILIANA SOUZA SOARES
  • A (NÃO) ASSUNÇÃO DA RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA NO GÊNERO ACADÊMICO ARTIGO CIENTÍFICO PRODUZIDO POR ALUNOS DO CURSO DE LETRAS

  • Data: 08/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa insere-se nos estudos da Análise Textual dos Discursos (doravante ATD), elaborada pelo linguista J-M Adam e desenvolvida, atualmente, por estudiosos no contexto da Linguística do Texto brasileira. A ATD constitui uma perspectiva teórica e descritiva do campo da Linguística Textual que se preocupa com um posicionamento teórico e metodológico situado no quadro mais amplo da Análise do Discurso. Neste estudo, investigamos no nível enunciativo do texto: a responsabilidade enunciativa em 14 exemplares do gênero acadêmico artigo científico, publicados na Revista Ao Pé da Letra e escritos por estudantes universitários do curso de Letras. A pesquisa é orientada a partir dos estudos sobre responsabilidade enunciativa de Adam (2008, 2010), de Rabatel (2009), de Rodrigues (2010), de Guentchéva (1994), perspectiva da heterogeneidade discursiva de Authier-Revuz (2004), das abordagens de gêneros desenvolvidas por Bakhtin (1992), por Bazerman (2005), por Marcuschi (2005). Foi estabelecido como objetivo geral: (1) Analisar a ocorrência da (não) assunção da responsabilidade enunciativa no gênero acadêmico artigo científico. A análise seguiu o paradigma qualitativo de base interpretativista. As conclusões revelam, portanto, que os excertos do gênero discursivo usado para apresentar a análise têm uma natureza própria de utilização de recurso ao discurso de diversas fontes do saber que muitas vezes podem ser (não) assumidas pelo enunciador.

     


7
  • CORINA DE SA LEITAO AMORIM
  • O RITUAL SIMBÓLICO DO “Ctrl+C” (COPIAR) E “Ctrl+V” (COLAR) NO ENSINO MÉDIO

  • Data: 16/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • Na contemporaneidade, a tecnologia mantém influência direta na relação que aluno e o professor mantêm com a linguagem. A internet é uma ferramenta poderosa no auxílio do trabalho com a linguagem e, através dela, o conhecimento chega ao aluno de forma fácil e intensa. Por outro lado, essa facilidade potencializou e deixou à vista o que se tem chamado, na Universidade, de a “geração do plágio”.  Esse trabalho parte do princípio de que essa geração apresenta, em seus textos escritos, movimentos simbólicos similares àqueles de “copiar e colar” recorrentes em trabalhos de pesquisa desenvolvidos por alunos do ensino médio.  Tomando essa questão como inicial, esta dissertação tem como objetivo analisar como alunos do 1º ano de uma escola do ensino médio da cidade de Natal (RN) enlaçam, em seus textos, o texto do “outro”, “copiado e colado” da internet. Nesse sentido, busca responder às seguintes questões: de que modo o aluno se apropria do texto-fonte quando copia e cola? Como esses alunos, mesmo se apropriando dos textos-fonte, deixam suas marcas, subjetivando o texto? Quais operações simbólicas e linguísticas podem ser identificadas no processo de apropriação e subjetivação? Que categorias de análise nos permitem olhar analítico e teoricamente para o ritual simbólico do “ctrl+c” (copiar) e “ctrl+v” (colar) no ensino médio?  As investigações mostraram que o texto do aluno é um “corpo híbrido”, cuja escritura é um desenho fiado pela presença do texto alheio, ipsis litteris, e pela presença de elementos linguísticos que parafraseiam o texto de origem. Essa corporeidade textual tem, subjacente a ela, certas operações, a saber: substituição, deslocamento, adição e exclusão de enunciados. Dada a especificidade dos dados e os objetivos do trabalho, esse estudo se alinha aos métodos da pesquisa qualitativa (SILVERMAN, 2009) e se insere na área de conhecimento da Linguística Aplicada que se caracteriza especialmente por investigar problemas, fenômenos em que a linguagem em uma situação real é tomada como central (BRUMFIT, 1995). Teoricamente, nosso trabalho segue a perspectiva dos estudos sobre a paráfrase (FUCHS, 1982, 1994a, 1994b; DAUNAY, 1997, 1999, 2002a, 2002b), dos estudos desenvolvidos no campo da Crítica Genética (GRÉSILLON, 1987, 1994, 1992, 2008) e aqueles desenvolvidos por Eduardo Calil (2004) sobre os “manuscritos escolares”.

8
  • EMANUELLE PEREIRA DE LIMA DINIZ
  • PROCESSOS COGNITIVOS QUE OPERAM NA CONSTRUÇÃO DA REFERÊNCIA: uma análise das produções textuais elaboradas na EaD/UFRN

  • Data: 16/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • Sob os pressupostos teóricos da Linguística Cognitiva contemporânea, mais especificamente, da Teoria da Integração Conceptual, analisamos os processos cognitivos que operam na construção da referência no texto. Para tanto, escolhemos como corpus as produções textuais escritas de graduandos da Secretaria de Educação a Distância/UFRN dispostas nas seções de respostas das atividades avaliativas presenciais e em atividades desenvolvidas no ambiente virtual moodle. Essas atividades e textos foram produzidos na disciplina de Leitura, Interpretação e Produção Textual, ministrada nos cursos de Química, Física, Matemática, Biologia e Geografia, que monitoramos durante o período de 2008.1 a 2010.1. Através das produções discursivas, ratificamos o pressuposto cognitivista de que as expressões relacionadas às referências indicadas funcionam como guias de sentido, pois no momento em que os alunos constroem uma compreensão a partir da leitura dos textos, eles ativam, acionam vários domínios de conhecimento. Desse modo, os processos cognitivos têm um papel fundamental na construção da referência, pois ela se estabelece por meio da interação entre práticas socioculturais, esquemas cognitivos, capacidades corporais e linguagem.
9
  • NATALIA DE LIMA NOBRE
  • O processamento discursivo e suas bases corpóreas: as estratégias cognitivas de alunos da Educação de Jovens e Adultos na compreensão de narrativas

  • Data: 16/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos, as pesquisas em Linguística Cognitiva (LC) têm se debruçado sobre a atividade de compreensão discursiva e postulam que nesse processo ocorre a ativação e integração de estruturas cognitivas estáveis, os esquemas e frames, a cada processamento cognitivo on-line. No entanto o que se percebe nos encaminhamentos pedagógicos e metodológicos da Educação de jovens e Adultos (EJA) é uma negação do desenvolvimento cognitivo de seu alunado. Em outras palavras, nega-se implicitamente que os jovens e adultos com um processo de escolarização tardio e ou defasado utilizem estratégias complexas de construção de sentido (inferências, mesclagens conceptuais etc.). Destarte, a presente pesquisa busca mapear as estratégias cognitivas que alunos da EJA ativam na compreensão/processamento textual de narrativas, sob a perspectiva da LC. Configurando-se como uma pesquisa qualitativa de cunho semi-experimetal, para a geração de dados foram desenvolvidos e aplicados dois protocolos verbais, ou protocolos de leitura, testes que buscam dar uma clara e mensurável percepção da complexidade do processamento cognitivo do discurso. Por meio da descrição e analise do corpus, composto das respostas dos alunos da EJA aos protocolos, foi possível ratificar a hipótese de que o alunado utiliza estratégias cognitivas de construção de sentido complexas, uma vez que o processamento cognitivo do discurso tem base corporificada.

10
  • ALUÍSIO BARROS DE OLIVEIRA
  • ÁFRICA(S), MOÇAMBICANIDADE, MIA COUTO: uma varanda para o Índico

  • Data: 03/04/2012
  • Mostrar Resumo
  • Sempre vista pelos olhos de fora, desconhecedores das línguas e outras “realidades” que a constitui, a África, notadamente Moçambique, agora se (re) inventa, palimpsesticamente, nas narrativas de seus griots, narradores e/ou contadeiros de estórias. Nossa dissertação pretende, pela análise crítica do romance A varanda do frangipani, demonstrar que o escritor moçambicano Mia Couto tenciona participar do processo de (re) construção de uma nação devastada por guerras e conflitos, baseado na crença de que o papel do escritor “é o de criar os pressupostos de um pensamento mais africano, para que a avaliação do seu lugar e do seu tempo deixe de ser feita a partir de categorias criadas pelos outros” (COUTO, 2005). Inicialmente, demonstraremos como o sistema literário moçambicano se constituiu; em seguida, a inserção da narrativa coutiana ante a tradição imperante e, por fim, pela análise dos elementos constituintes do romance escolhido, o modo como – feitopeça de resistência à reificação, à coisificação do indivíduo no mundo contemporâneo –, a sua escritura se fará presente nesta partilha. Além de Mia Couto, contaremos em nossa empreitada com as lições de Candido, Noa, Hernandez, Adorno, Paz, Fonseca, Secco, dentre outros estudiosos da narrativa e da narrativa africana de língua portuguesa, notadamente a moçambicana.

11
  • ANTONIO PETERSON NOGUEIRA DO VALE
  • Política, Canção e Teatro: o conto “Aqueles Dois” de Caio Fernando Abreu reverberando no cotidiano brasileiro

  • Data: 04/04/2012
  • Mostrar Resumo
  • Os mergulhos na obra de Caio Fernando Abreu estão predestinados a ter uma profunda análise social e resultar numa luta agônica entre amor, sociedade e política. Esta dissertação, Política, Canção e Teatro: o conto “Aqueles Dois” de Caio Fernando Abreu reverberando no cotidiano brasileiro, mostra que o mergulho dado aqui busca analisar, a partir de uma perspectiva comparativista, os ângulos observados pelo autor ao escrever durante os anos de chumbo no Brasil, a época da Ditadura Militar, a influência dos Beatles e a do músico/poeta Caetano Veloso com o movimento Tropicalismo. Neste trabalho, analisa-se o papel do narrador no desenvolvimento do conto como uma representação de uma sociedade irremediável e de como essa narrativa se acomoda em um fazer teatral. A leitura deste trabalho dissertativo se apóia na análise do conto “Aqueles Dois”, do livro Morangos Mofados, e a influência da música Strawberry Fields Forever, dos Beatles, e as discussões acerca das imagens que se fazem presentes na narrativa como estrutura essencial para o processo da montagem do espetáculo homônimo pela Cia. Luna Lunera, MG, através do mecanismo de tradução, do literário ao cênico, apoiado nas ideias de Patrice Pavis.

12
  • ARIVALDO LEANDRO DA SILVA MONTE
  • MEMÓRIA E ORALIDADE NA FICÇÃO DE MIA COUTO: CADA HOMEM É UMA RAÇA

  • Data: 13/04/2012
  • Mostrar Resumo
  • Nesse trabalho será realizada uma análise de quatro contos de Mia Couto (2005) do livro Cada homem é uma raça: “O embondeiro que sonhava pássaros”; “A princesa russa”; “O pescador cego” e “A lenda da noiva e do forasteiro”. O Estudo, sob a perspectiva da memória e da oralidade, terá como foco a observação da transformação dos componentes da realidade sociocultural e histórica, de Moçambique, em elementos de ficção literária.  Esse percurso elucidará, em parte, a unidade orgânica que constitui a obra e que gira em torno dos elementos da tradição, da memória e da oralidade. Nosso estudo verificou a importância desses componentes culturais para a harmonia institucional da sociedade, e o quanto velam pela tradição, pelo conhecimento transmitido de geração a geração através da oralidade. Este ponto é um importante marcador de diferenças. Pois as sociedades escritas dão menos importância ao que é transmitido oralmente, deixando o que é tradição para segundo plano. Trata-se de uma compreensão que acabou por provocar o pensamento distorcido a respeito do que é tradição oral, a qual não se resume a lendas, contos de fadas, danças e folclores. Há de se considerar sua memória inscrita em cada símbolo, algo que justifica o ser como indivíduo possuidor de uma história coletiva.

13
  • BRUNO FERREIRA DE LIMA
  • Título: O ENSINO DE INGLÊS NO IFRN: Entre as recomendações do currículo proposto e as ações do currículo ensinado

     

     

     

     

  • Data: 16/04/2012
  • Mostrar Resumo
  •  

    RESUMO

     

    Este trabalho tem como objetivo compreender o ensino de Inglês no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN) considerando as recomendações dos documentos oficiais e técnicos para o Ensino Médio Integrado e a perspectiva dos professores da disciplina lotados em um dos campi do referido Instituto. Também constitui objetivo desta pesquisa depreender até que ponto a perspectiva dos professores se articula com as recomendações documentais. Para isso, realizamos um levantamento de vários documentos oficiais e técnicos (LÜDKE; ANDRÉ, 1986), tais como os PCNEMs (BRASIL, 2000), as OCNEMs (BRASIL, 2006) e o Projeto Político-Pedagógico do IFRN (IFRN, no prelo), e aplicamos um questionário por via eletrônica a seis professores de Inglês de um dos campi da instituição. O referencial teórico da pesquisa apoia-se, entre outros, em Bakhtin (1997; 1999), Widdowson (1978), Almeida Filho (2011; 2004), Celani (1988; 2009), Hutchinson e Waters (1987) e Dudley-Evans e St. John (1998). Os resultados mostram que o ensino de Inglês segundo os documentos prevê o uso instrumental da língua estrangeira, mas preconiza o desenvolvimento de competências e habilidades como práticas sociais contextualizadas, visando à formação integral do aluno como um profissional-cidadão. A perspectiva dos professores, por sua vez, aponta para uma preocupação que o ensino de Inglês sirva como ferramenta de melhoria de vida do aluno a partir do uso instrumental da língua como forma de acesso a informações e qualificação profissional. Tal constatação releva que a articulação entre as recomendações documentais e a perspectiva dos professores não vai além do que se refere ao ensino instrumental de língua, já que os docentes não evidenciam, no relato de suas práticas, o ensino de língua como prática social, conforme inscrito nos textos legais.

     

     

     

14
  • MAYARA COSTA PINHEIRO
  • TERRA NATAL, DE FERREIRA ITAJUBÁ, E A PERMANÊNCIA DO ROMANTISMO

  • Data: 23/04/2012
  • Mostrar Resumo
  • Nesta dissertação, desenvolvemos a tese de que a obra Terra Natal, produzida pelo poeta norte-rio-grandense Ferreira Itajubá, apresenta, predominantemente, temas e formas do Romantismo, mesmo tendo sido publicada em 1914, ano em que a estética romântica não estava mais em alta voga na Literatura Brasileira. Inicialmente, traçamos considerações sobre Ferreira Itajubá, incluído a sua biografia, sua produção bibliográfica e a fortuna de crítica acerca da sua obra. Em seguida, delineamos o percurso do Romantismo desde seu surgimento na Europa, passando por sua difusão no Brasil, até chegar à sua repercussão no Rio Grande do Norte. Por fim, desenvolvemos uma análise de Terra Natal, na qual tanto ressaltamos aspectos contextuais e estruturais, como temáticos. Elegemos para uma leitura mais detalhada os cantos VIII, IX, XVIII, XXI, bem como a canção “Viola”, presente no canto VIII. Durante a análise, destacamos os seguintes temas românticos: o exílio, a evasão para ao passado, a exaltação do solo natal, a visão romântica da figura feminina, projeção do estado d’alma na natureza e a religiosidade; sempre tentando estabelecer diálogos entre Terra Natal e a obra de autores consagrados do romantismo brasileiro, a exemplo de Gonçalves Dias, Casimiro de Abreu, José de Alencar, Visconde de Taunay e Castro Alves, com o fim de mostrar a filiação de Terra Natal aos ideais de uma tradição romântica.

15
  • KASSIOS CLEY COSTA DE ARAÚJO
  • Práticas discursivas e relações afetivas na contemporaneidade: o caso dos verbos ficar e namorar

  • Data: 26/04/2012
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho insere-se na área de investigação da Linguística Aplicada, circunscrevendo-se na compreensão da linguagem e sua constituição nas práticas sociais e configura-se como uma pesquisa qualitativa, a qual privilegia aspectos essenciais que envolvem o sujeito em sua prática discursiva, o sentido e valor, numa abordagem da teoria dialógica dos autores do Círculo de Bakhtin. Em face disso, tem-se como objeto de estudo os sentidos e valores atribuídos aos verbos ficar e namorar, partindo da questão da redação do Processo Seletivo Vestibular 2005 da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), cuja instrução é a seguinte: “Em um relacionamento a dois, qual a melhor opção a ser feita? Deve-se apenas ‘ficar’, somente namorar, ou, alternadamente, ‘ficar’ e namorar?”. As redações elaboradas pelos candidatos permitem questionar que sentidos e valores ficar e namorar assumem hoje, enquanto expressão de relações afetivas e como essas relações podem interferir na tomada de posição dos sujeitos (VOLOSHINOV, 1995) em uma situação formal como é o vestibular, bem como verificar as diversas formas de apropriação do discurso alheio presente nesses textos. As produções textuais refletem sobre as relações afetivas na contemporaneidade, assumindo um posicionamento contrário às relações de natureza temporária, o que margeia todos os textos analisados e ratificam não só a fluidez dos relacionamentos afetivos (BAUMAN, 2009), mas ainda a multiplicidade do sujeito contemporâneo (HALL, 1997).

16
  • LANAIZA DO NASCIMENTO SILVA ARAÚJO
  • A complexidade do ser fictício: a construção da personagem Marcela no romance A Ostra e o Vento.

  • Data: 04/05/2012
  • Mostrar Resumo
  • Observa-se na narrativa moderna uma busca cada vez mais frequente por atribuir aos personagens uma natureza ampla, complexa, distanciada dos seres definidos e bem delimitados da narrativa tradicional. Com este trabalho, objetivamos desenvolver um estudo em torno da personagem Marcela no romance A Ostra e o Vento (1964), do escritor Moacir Costa Lopes, considerando a constituição da complexidade do ser fictício por meio da análise de elementos estruturais, semânticos e temáticos. Em um primeiro momento, apresentamos uma breve discussão teórica em torno da categoria personagem romanesca, partindo, em seguida, para uma análise detida do universo diegético da obra, apresentando a trajetória complicada de Marcela. Posteriormente, concentramos nosso olhar no exame da estruturação da narrativa que edifica a imagem complexa da personagem, por meio da técnica dos pontos de vista cruzados e da fragmentação temporal. Por fim, analisamos as relações sociais conflitantes que caracterizam o interior conturbado de Marcela e a linguagem simbólica e metafórica que oferecem um grande número de representações distintas da personagem, impossibilitando a construção de uma imagem coerente e bem estruturada. Para tanto, partimos de estudos de teóricos como Antonio Candido, Anatol Rosenfeld, Vitor Manuel de Aguiar e Silva, Fernando Segolin, Gérard Genette, Michel Zéraffa, entre outros autores pertinentes.

17
  • MARCOS CÉSAR TINDO BARBOSA
  • ANÁLISE COMPARATIVA DE TRADUÇÕES DO CANTICO DOS CANTICOS

  • Data: 19/07/2012
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação estuda duas traduções do Cântico dos Cânticos ( שיר השירים [ˈʃiʁ haʃiˈʁim], conhecido também em português como os Cantares de Salomao), efetuadas em diferentes conjunturas sociais, quais sejam uma de diretriz religiosa (GORODOVITS & FRIDLIN, 2006) e outra de pretensões predominantemente literárias (CAMPOS, 2004). Observam-se especialmente as divergências entre as duas, no que diz respeito ao erotismo presente no poema, e analisando as suas prováveis razões discursivas. Não se visa aqui a produção de uma nova tradução, mas a comparação e o comentário das escolhas tradutórias em determinados excertos das obras selecionadas. A argumentação desenvolve-se através dos seguintes encaminhamentos: após a apresentação do objeto de estudo com o debate que sempre o acompanha acerca das polêmicas de datação e autoria, passa-se à exposição do problema do qual se ocupa a hipótese, assim como os objetivos e os parâmetros metodológicos que regeram a elaboração desta dissertação. Consecutivamente,

    elencam-se os pressupostos teóricos que emolduram as análises propostas, aborda-se também a sexualidade segundo a religião contemporânea (por se tratar de um livro ao qual se agregou valor religioso) nas instituições que adotaram o Cântico dos Cânticos, a saber: o judaísmo e o cristianismo católico e protestante, assim como o processo possivelmente efetuado durante essa adoção quanto ao enviesamento interpretativo e à atribuição autoral: visa-se compreender as razões da incongruência causada pelo sexo que permeia o texto em questão em relação à religiosidade contemporânea, e especula-se sobre a sua canonização, considerando como esse desencaixe pode ter mudado o curso da sua exegese tradicional para a alegoria que se tornou a sua leitura majoritária, inclusive engendrando a atribuição tradicional da sua suposta origem. Somente então se dá início à análise comparativa das traduções, a fim de se constatar a provável existência dum viés discursivo transparecente das formas como cada uma destas obras verteu as porções do texto-fonte, para o português, que continham marcas de erotismo, observando se respeitaram ou não as leituras tradicionais que insuflaram no texto o seu pendor alegórico de caráter religioso. O estudo segue um encaminhamento teórico que leva em conta: a) teorias da tradução – ALLOUCH (1995), ANDERMAN (2007), BASSNETT (2001), etc.; b) questões de autoria – apoiando-se nas recentes discussões da Análise do Discurso – (MAINGUENEAU (2008, 2010), POSSENTI (2009), etc.; e, c) problematização do erotismo em textos sagrados – GONÇALVES (2010), GOMES, (2008), SILBERMAN (2006), etc..

18
  • JANAINA MORENO MATIAS
  • Um ser (tão) de vozes: o estilo e o acabamento estético na poesia de Patativa do Assaré

  • Data: 30/07/2012
  • Mostrar Resumo
  • A produção artística Cante lá que eu canto cá (2004) do poeta cearense Patativa do Assaré se constitui em corpus de nossa pesquisa, que tem como objeto de estudo o estilo na lira patativiana. Enveredar pelo caminho do estilo e nos lançarmos nesse sertão da escritura patativiana, deve-se ao fato de a obra do poeta de Assaré estar prenhe de sentidos de identidades próprias de sua região como também das diferentes vozes constituidoras de sua vocalidade poética. Pretendemos investigar, em sua materialidade linguístico-discursiva, como o poeta constrói o seu estilo. Em outras palavras, verificar de que forma ele dá acabamento estético ao seu dizer poético (sua voz e a voz alheia), ao seu canto patativiano. Nossa análise será alicerçada pela concepção de sujeito e de relações dialógicas entre textos, conforme concebe Bakhtin (1992, 2003, 1995). Para esse teórico, o reconhecimento do sujeito e do sentido é imprescindível para a constituição de ambos. Com o intento de discorrer sobre as diferentes vozes constituidoras da linguagem do poeta, teremos como paradigma a LA e a perspectiva dialógica da linguagem segundo Bakhtin (2003), pois acreditamos que, por meio dessas abordagens, seja possível relacionar o mundo da ciência ao mundo da vida. Elegemos, para análise, as concepções de estilo, de vozes e de relações dialógicas. Devido à pesquisa apresentar interface entre a LA e a Literatura, adotamos como abordagem metodológica a pesquisa documental tendo como base o modelo sócio-histórico da linguagem, entendendo esta compreendida como uma prática discursiva. Nesse tipo de investigação, o conhecimento é reconhecido como algo construído na interpretação da linguagem. Dessa forma, o procedimento não poderá excluir nem as relações sociais nas quais a linguagem é produzida, nem o mundo social que (in) determina, interfere, representa, interpenetra, ou até reformula essa linguagem, nem tampouco o caráter indisciplinar que a pesquisa exige. 

19
  • VITORIA MARIA AVELINO DA SILVA PAIVA
  • AVALIANDO A APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA EM UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO A PARTIR DE CONTRIBUIÇÕES DISCENTES. 

  • Data: 31/07/2012
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho é fruto de uma pesquisa ação qualitativa de base etnográfica (NUNAN, 2007; BOGDAN; BIKLEN, 1994)  desenvolvida em uma escola pública de ensino médio da rede estadual de ensino na cidade de Lajes, RN, em 2011. Constituiu-se como objetivo principal da pesquisa oportunizar a contribuição dos educandos no seu processo de avaliação de língua inglesa, a partir de uma análise das representações (SANTAELLA; NÖTH, 2008; PROSSER,1998) que esses estudantes constroem sobre os instrumentos avaliativos (SANT’ANNA, 2002). Ao discorrer sobre a avaliação da aprendizagem de língua inglesa (SCARAMUCCI, 2009; DEMO, 2008; CANAN, 1996) praticada antes e depois das contribuições feitas pelos estudantes da segunda série do ensino médio da referida escola, o estudo apresenta possibilidades para a realização do ato avaliativo que considerem a participação dos estudantes nas decisões que concernem a este processo, por entender que, ao dividir as responsabilidades inerentes aos resultados advindos do ato de avaliar, o professor não mais será tido como o único responsável pela aprovação ou reprovação de seus educandos. 

20
  • ADA LIMA FERREIRA DE SOUSA
  • A construção de modelos situacionais no padrão discursivo narrativa em quadrinhos

  • Data: 06/09/2012
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objeto de estudo a construção dos modelos situacionais no padrão discursivo narrativa em quadrinhos e insere-se no campo da Linguística Cognitiva, tomando por base, principalmente, as noções de mente corporificada (LAKOFF; JOHNSON, 1999), simulação mental (BARSALOU, 1999), padrão discursivo (DUQUE; COSTA, 2012) e modelos situacionais (ZWAAN, 1999). Parto da hipótese de que o processo de construção de sentidos para as narrativas está atrelado à simulação do espaço, do tempo, dos objetivos e das ações dos personagens do mundo da história, dimensões essas que constituem os modelos situacionais elaborados pelo leitor. A simulação dessas experiências durante o processamento discursivo advém do fato de este ter base corporificada e cultural, ou seja, diante das pistas apresentadas na narrativa, as estruturas cognitivas que compõem as memórias pessoal e social do leitor são ativadas e permitem o acionamento de informações que remetem às suas experiências físicas e sociais, construídas no ambiente em que ele vive. No tocante às narrativas em quadrinhos, a construção dos modelos situacionais está intimamente ligada à ativação recorrente de certas estruturas cognitivas a partir de recursos gráficos típicos daquele padrão discursivo. Essas conclusões foram obtidas a partir da análise de dados retirados da obra Palestina (SACCO, 2003; 2004; 2011).  

21
  • RODOLFO LUIZ BRITO TORRES
  • A Doença que não Ousa Dizer o Nome: Metáfora da AIDS na Obra Caio Fernando Abreu

  • Data: 20/09/2012
  • Mostrar Resumo
  • Um dos elementos constituintes da obra do escrito brasileiro Caio Fernando Abreu é a problematização da temática da AIDS. A partir da publicação do conto “Pela Noite”, presente no volume Triângulo das Águas (1983), a abordagem da questão da doença passa a ser recorrente na obra do autor, podendo ser destacados diversos exemplos de seus livros seguintes. Guiado por uma poética do silêncio que oculta na narrativa as referências à doença por trás de imagens, principalmente metáforas, Caio constrói seu discurso sobre a AIDS, que apesar do silêncio aparente possui uma reverberação que perpassa com maior ou menos intensidade os textos do autor. A leitura dessas metáforas da AIDS revela um discurso crítico do autor que constrói uma nova perspectiva de leitura sobre a doença. Partindo das perspectivas teóricas de Eve Kosofsky Sedgwick em seu Epistemologia do Armário (1990), em que trata da metáfora do armário como um lugar de ocultação sistemática da identidade homoerótica, e de Susan Sontag em seus ensaios A Doença como Metáfora (1977) e AIDS e suas Metáforas (1988) em que a autora analisa os processos de formação de metáforas em torno de certas doenças, problematizaremos como se dá a criação de imagens sobre a doença na narrativa abreana, mostrando que ela se torna um componente fundamental para a compreensão dessas.

22
  • CÉLIA MARÍLIA SILVA
  • O riso irônico na obra poética de Cruz e Sousa.

  • Data: 25/09/2012
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho apresenta uma discussão sobre a poesia de Cruz e Sousa, poeta brasileiro do século XIX. Para este fim, toma-se o riso como categoria analítica por se tratar de um tema pertinente que possibilita uma melhor compreensão do teor lírico de sua obra poética. O riso nos versos de Cruz e Sousa é visto como mecanismo de contrapeso à normatividade e ao princípio de seriedade estabelecidos, além de colocar pelo avesso o que a sociedade institui como sendo verdade natural ou absoluta. No conjunto poético, interessa-nos analisar os poemas que expressam o teor lírico na dupla vertente do riso e da ironia, visto que são usados como meios de crítica à sociedade, em especial à sociedade brasileira do final do século XIX e início do século XX. Para tanto, utilizamos como suporte teórico as teorias sobre o riso elaboradas por Minois (2003), Bakhtin (1993) e Bergson (2007), bem como as teorias referentes à lírica e à sociedade de Adorno (2003), e Antonio Candido (2010).

23
  • ALISSON DIEGO DIAS DE MEDEIROS
  • O IMAGINÁRIO DO DISCURSO DA MEDIUNIDADE NO PROCESSO DE ESCRITURA EM FERNANDO PESSOA

  • Data: 27/09/2012
  • Mostrar Resumo
  • A que responde a criação de um mundo fictício? Repulsa ou forma de reação a um mundo exterior? Doença psíquica, cuja marca simbólica pode ser a simulação ou a despersonalização? Difícil assumir uma posição quando é a escritura de um poeta como Fernando Pessoa que está em jogo. Anota Léo Schlafman (1998) que, na idade de 20 anos, Fernando Pessoa escrevera em inglês, no seu diário, “Uma de minhas complicações mentais é o medo da loucura, que em si próprio já é loucura." O que o livrou da loucura, constata Robert Bréchon (1986), era o gosto do jogo e jogo era para ele a sua escrita. Mesmo que isto o tenha livrado da loucura, o poeta não deixou de buscar explicações – ou de fornecê-las – para os fenômenos que tanto o incomodavam, ou o definiam. É aí que vamos nos deparar com o alinhamento de Fernando Pessoa no seio de  correntes filosóficas como o ocultismo e na leitura sobre tratados psicológicos e distúrbios mentais. Eram caminhos buscados por ele para explicar a existência de seus heterônimos e de seu processo escritural. Este trabalho apresenta, assim, como objetivo principal: analisar docum