Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFRN

2017
Dissertações
1
  • PEDRO HENRIQUE CESAR
  • PESQUISA-AÇÃO: GESTÃO SUSTENTÁVEL EM MEIOS DE HOSPEDAGEM SITUADOS NO LITORAL NORTE DA PARAÍBA

  • Orientador : DANIEL DURANTE PEREIRA ALVES
  • Data: 06/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O litoral norte da Paraíba é um local de grande peculiaridade onde se inserem aspectos históricos, arquitetônicos, étnicos e naturais diferenciados e de certa forma preservado. A região conta com oito unidades de conservação onde suas gestões são dividas entre as esferas municipal, estadual e federal. A região é território da etnia potiguara que a ocupa desde os tempos da colonização sendo os únicos indígenas a permanecerem no mesmo local desde então, no Brasil. Com tantos aspectos singulares a região resulta por recebe visitantes que buscam desde lazer a pesquisadores. No entanto, essa busca, felizmente, ainda não é feita de forma intensificada. Com isso, é de extrema importância que se desenvolva um planejamento turístico que vise à sustentabilidade da região. Nesse sentindo é necessário também que os meios de hospedagens que se inserem dentro desse contexto adotem métodos que anseiem a mitigação dos seus impactos para com o meio ambiente. Com isso, é importante conhecer os limites e anseios dos gestores que trabalham com a hospitalidade na região, na perspectiva de uma gestão sustentável.  É nesse contexto que essa pesquisa se insere buscando observar esses aspectos, ou seja, analisar se os meios de hospedagem do litoral norte da Paraíba internalizam na sua cultura organizacional o paradigma de uma gestão que busque o equilíbrio entre a operação dos serviços e a manutenção da natureza e propor uma aproximação entre os gestores e os conceitos de uma gestão sustentável. Ao revelar os aspectos socioambientais da hotelaria dessa área pretendemos conhecer melhor os ônus e bônus desse ramo e contribuir na efetivação de um planejamento turístico sustentável, ou seja, socialmente justo, ecologicamente consciente e economicamente equitativo para o estado da Paraíba. Para isso foi utilizado o método de pesquisa qualitativa de forma que buscamos aprofundar os anseios dos administradores desses empreendimentos para com a gestão ambiental e responsabilidade socioambiental. Para tal nos utilizamos de dois métodos, no primeiro momento a pesquisa se apresenta como descritiva-exploratória e como técnica de coleta de dados foi o roteiro de entrevista semi-estruturada. As entrevistas foram feitas junto aos proprietários ou gerentes responsáveis pelo planejamento e execução dos serviços. No segundo momento partimos para uma pesquisa-ação, onde desenvolvemos ações juntos aos gestores na intenção de uma aproximação desses com os conceitos de uma gestão sustentável. Foram alcançados 75% do total de meios de hospedagens de acordo com números da Associação Brasileira das indústrias de Hotéis – ABIH/PB. No entanto, o número que se disponibilizaram a participar da pesquisa ou que estavam operando durante o período do campo foram 51% dos empreendimentos. Observamos que os meios de hospedagens da região do litoral norte da Paraíba não internalizam no âmago da sua estrutura organizacional o conceito de uma gestão sustentável. Porém se mostraram muito abertos a intervenções que os auxiliem na otimização de suas gestões, os entrevistados mostram o respeito e o desejo pela adequação de suas práticas a métodos sustentáveis.

2
  • PAULA DORTI PEIXE
  • DIVERSIDADE MICROBIANA EM AÇUDES DE UMA REGIÃO SEMIÁRIDA DO NORDESTE BRASILEIRO: UMA PERSPECTIVA DE INTEGRAÇÃO ENTRE A CIÊNCIA DO LABORATÓRIO E A CIÊNCIA DA SALA DE AULA

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 08/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O uso sustentável de recursos naturais tem sido uma preocupação do século XXI. Dentre eles a água se destaca uma vez que garante a permanência da vida no planeta, com destaque para as comunidades de microrganismos, responsáveis por exercerem importante papel ecológico, o que é motivo para seu estudo. É importante destacar que o conhecimento acumulado sobre esse tema precisa se refletir como um desdobramento na área de ensino de ciências. Assim, este estudo pretendeu identificar a biodiversidade microbiana, especialmente a bacterioplanctônica, de um reservatório do semiárido nordestino, colaborando assim para o entendimento da composição e dinâmica ecológica desempenhada pela microbiota. Além disso, foram analisados livros didáticos de biologia sobre os temas DNA e Biotecnologia, a fim de identificar se abordam esses conteúdos numa perspectiva que relacione a teoria conceitual ao contexto social e ambiental, ou seja, se há uma perspectiva de ensino baseada nas relações entre Ciências, Tecnologia e Sociedade (CTS), bem como identificar as estratégias didáticas de professores de Biologia para o ensino desses temas em escolas públicas dosemiárido do Rio Grande do Norte. Com o intuito de promover a facilitação do conhecimento e do ensino da genética (DNA e Biotecnologia) foi oferecido um curso de capacitação de professores sobre a tecnologia do DNA recombinante utilizando, para isso, diversificadas estratégias de ensino. Os resultados obtidos demonstraram, por meio de técnicas moleculares, que o açude teve a predominância do Domínio Bacteria - Filos Cyanobacteria, Proteobacteria, Actinobacteria. Virus e Archaea também foram constatados. Apesar da importância da abordagem CTS para o Ensino de Biologia, boa parte dos livros didáticos não demonstraram relação do conhecimento científico e tecnológico com uma implicação direta para a sociedade e o ambiente. Constatou-se que também que 73% dos professores apresentam dificuldades em lecionar temas relacionados ao DNA e à Biotecnologia e 100% deles afirmaram que os alunos também apresentam dificuldade de compreensão desse conteúdo. Além disso, 58% dos integrantes do curso de formação para professores entendem sua importância, uma vez que perceberam diversas possibilidades para o enriquecimento das aulas de ciências e biologia, evidenciando a sua importância para a contribuição da prática docente e aproximadamente 33% dos docentes relatou que o tema desenvolvido apresenta constante inovação, o que implica a necessidade de eles terem um maior contato com o desenvolvimento científico para manterem-se informados e, consequentemente, aptos para lecioná-lo em sala de aula. Conclui-se que da microbiota analisada, a predominância do filoCyanobacteria, pode ser indicativo de ambiente eutrofizado, como mencionado por trabalhos anteriores realizados na mesma área de estudo. Além disso, somente com o advento das técnicas moleculares é que foi possível a identificação de alguns filos bacterianos, como Actinobacteria, comum em habitats de água doce. Concluiu-se que à abordagem CTS no livro didático ainda é frágil nos livros didáticos avaliados neste estudo, o pode gerar consequente desestímulo, por não estar vinculados do contexto social do aluno. Com relação aos cursos de formação, conclui-se que são de extrema importância porque possibilitam aos docentes a oportunidade de manterem-se atualizados, tanto no que diz respeito ao conteúdo específico quanto às estratégias pedagógicas para facilitação do ensino e aprendizagem.  De forma geral, esta pesquisa integrou o conhecimento empírico da utilização de técnicas moleculares para identificação de microbiota com o desdobramento na área de ensino de ciências, partindo do pressuposto de que uma educação científica robusta contribui para a preservação ambiental, neste caso em particular, de ambientes aquáticos. Uma vez que se constata que o modelo dominante de ensino ainda continua sendo o tradicional, destaca-se, neste estudo, a importância de cursos de formação continuada.

3
  • ANA ALICE LIMA DOS SANTOS
  • MULTIPLICIDADE LABORAL EM PARELHAS/RN: UMA ANÁLISE DOS TRABALHADORES EM ATIVIDADES DE BASE MINERAL

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 10/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O homem do semiárido precisa estar preparado para suportar os períodos de estiagem. Neste sentido, associa diferentes atividades para viabilizar a multiplicidade de fontes de renda, evitando assim a dependência das condições climáticas, sendo a mineração uma atividade alternativa para os trabalhadores rurais. O objetivo deste estudo é analisar a relação existente entre a mineração e a agricultura, traçar um perfil dos trabalhadores que desempenham atividade de mineração no município de Parelhas/RN para avaliar suas características laborais, assim como verificar quais atividades são desempenhadas por esses indivíduos associando os mais vulneráveis às políticas públicas existentes. Pesquisa bibliográfica, documental e formulário aplicados pelo Programa Saúde da Família (PSF) em 2007, foram utilizados para o alcance desses objetivos. Os resultados apontaram que existe uma relação intrínseca entre mineração e agricultura no Rio Grande do Norte e, mais especificamente, na microrregião do Seridó Oriental. Em Parelhas foi possível perceber que os trabalhadores que exercem atividades de base mineral são também agricultores, mas não em sua maioria, comprovando que a pluriatividade é uma realidade em Parelhas/RN, mesmo não sendo predominante entre os trabalhadores de mineração. O grupo estudado se mostrou extremamente frágil devido às suas condições laborais, principalmente os que associam a mineração com a agricultura. Não há nada encaminhado ou em vigor, no que se refere às leis ou políticas públicas que contemplem os indivíduos que possuem essa dualidade ocupacional. As pessoas que exercem a agricultura e mineração se abrigam na condição de segurado especial dos agricultores familiares para amenizar o desgaste dessas árduas atividades quando chegam à velhice.

4
  • EDNA GUILHERME DOS SANTOS
  • A INCLUSÃO PRODUTIVA DO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA: ANÁLISE DOS ASPECTOS SOCIAIS, ECONÔMICOS E AMBIENTAIS NO TERRITÓRIO DO MATO GRANDE/RN

  • Orientador : FRANCISCA DE SOUZA MILLER
  • Data: 17/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Considerada um fenômeno de inúmeras características e de complexa resolução, a pobreza tem feito com que inúmeros indivíduos conviva em condições inadequadas, necessitando de serviços básicos como saúde, educação, saneamento ambiental, ou seja, a pobreza os priva de direitos essenciais, onde sua oferta é um dever do poder público, cabendo a sociedade o poder de reivindicação. No Brasil, os índices de pobreza ainda são altos e preocupantes, a desigualdade na distribuição de renda é discrepante, e como medidas de enfrentamento a situação de pobreza, as ações dos governos encaminham para formulações de políticas públicas que proporcionem a autonomia econômica dos indivíduos, apostando principalmente em programas de transferência de renda. Assim, em 02 de junho de 2011 por meio do Decreto nº 7.492, criou-se o Plano Brasil Sem Miséria (PBSM) com o objetivo desafiador de superar a extrema pobreza até o final de 2014. Dessa forma, o PBSM passa a atuar no Território do Mato Grande/RN, cuja realidade de pobreza, principalmente no meio rural, é tangível e carente de alternativas de resolução. Logo, a pesquisa objetiva identificar, a partir da percepção dos beneficiários do PBSM no Território do Mato Grande se realmente houve mudança nas vidas dessas pessoas, especialmente no que se refere ao eixo de Inclusão Produtiva, analisando assim, sua direta intervenção nas dimensões social, econômica e ambiental. Para isso, foram realizadas 38 entrevistas com as famílias beneficiárias do PBSM das comunidades de Serrote de São Bento/João Câmara, Baixos de São Miguel/Poço Branco e Ingá/Taipu, primeiramente para o reconhecimento do perfil socioeconômico dessas famílias, por fim, para uma análise etnográfica da percepção que os mesmo têm a respeito das ações do PBSM, sendo assim um mecanismo de avaliação do referido Plano, visto que são impressões de indivíduos que vivenciaram cada uma das ações. Dentre os resultados, observou-se que as famílias beneficiárias do PBSM atendem a grande parte dos requisitos para inserção nessa política pública, são famílias com baixos níveis de renda e escolaridade, precário acesso aos serviços de saúde e educação, e no tocante a Inclusão Produtiva pode-se então dizer que o recebimento do fomento e inicial investimento numa atividade produtiva, atingiu o objetivo de amenizar a pobreza, porém esses mesmos beneficiários deixaram claro em seus depoimentos que essas ações foram apenas paleativas. Portanto, as políticas públicas de enfrentamento à situação de pobreza existem, mas é necessário ampliá-las, assim como é necessário que os beneficiários empoderem-se, dessa forma serão indivíduos cientes de suas atitudes em prol da manutenção de seus direitos.

5
  • LIDIANE GOMES PINHEIRO
  • DIVERSIDADE DE ENTEROBACTERIACEAE E DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA: PERCEPÇÃO AMBIENTAL E AÇÕES DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA EM REGIÃO SEMIÁRIDA DO RN - BRASIL

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 17/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O semiárido brasileiro, situado em sua maior parte na região Nordeste, representa um território vulnerável e em decorrência das características morfoclimáticas, a população enfrenta problemas relacionados à qualidade e disponibilidade hídricas por vários meses ao longo do ano. A construção de reservatórios representa uma infraestrutura que surgiu como alternativa para suprir a carência hídrica. Porém, são relatados graves problemas de qualidade, os quais interferem diretamente na vida da população. O presente estudo tem como objetivo identificar a diversidade de Enterobacteriaceae em reservatório utilizado para abastecimento público no semiárido do Rio Grande do Norte; identificar a percepção de professores e agentes de saúde sobre a qualidade da água dos açudes e doenças de veiculação hídrica; caracterizar a ocorrência de doenças diarreicas de veiculação hídrica na região; além de desenvolver ações de educação em saúde. A coleta de amostras de água foi realizada no reservatório Armando Ribeiro Gonçalves. Em escolas e postos de saúde da região foram aplicados questionários com professores e agentes de saúde para investigar suas concepções a respeito da qualidade da água, doenças de veiculação hídrica e analisar também as atividades desenvolvidas pelos mesmos. O levantamento de dados a respeito das doenças diarreicas de veiculação hídrica na região entre os anos de 2005 e 2015 foi feito por meio do banco de dados DATASUS. Ações educativas foram realizadas com agentes de saúde e professores da região. Foram identificados 14 gêneros e 27 espécies de Enterobacteriaceae, dentre os quais, importantes representantes patogênicos responsáveis por provocar doenças infecciosas. O estudo de percepção revelou que os profissionais reconhecem a importância dos reservatórios, porém muitos não têm conhecimento sobre os organismos presentes em suas águas; parte dos profissionais não possui conhecimento a respeito das doenças de veiculação hídrica, enterobactérias e patogenicidade das bactérias; quanto às atividades desempenhadas, a maioria afirma desenvolver ações para minimizar os problemas relacionados à contaminação das águas, bem como atividades de vigilância das doenças de veiculação hídrica. Números consideráveis de casos de doenças diarreicas foram verificados nos municípios estudados, o que representa um fator preocupante. As ações de educação em saúde desenvolvidas permitiram a discussão a respeito da problemática hídrica do semiárido, promovendo a sensibilização dos envolvidos. Destaca-se a importância do monitoramento de microrganismos presentes nas águas de reservatórios utilizados para abastecimento público, bem como sua relação com a ocorrência de enfermidades e a troca de experiências entre a universidade e a comunidade, de forma sensibilizar a população local.

6
  • IÁSKARA MICHELLY DE MEDEIROS SILVEIRA
  • LICENCIAMENTO AMBIENTAL E BOAS PRÁTICAS DE MANEJO NA CARCINICULTURA: ESTUDO DE CASO NOS ESTADOS RIO GRANDE DO NORTE E CEARÁ

  • Orientador : CIBELE SOARES PONTES
  • Data: 23/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • A carcinicultura é a atividade de aquicultura que mais se expandiu nos últimos anos a nível mundial e tem gerado emprego e renda a muitas famílias que sofrem com a diminuição da oferta de peixes e crustáceos nos bancos naturais, porém, para a manutenção da prática econômica é preciso que a mesma se desenvolva dentro de alguns padrões de sustentabilidade, alguns previstos em lei e outros apenas orientações para um melhor manejo e consequentemente, uma maior proteção para a perpetuação da atividade. Dessa forma, essa dissertação tem como objetivo em seu primeiro capítulo: realizar uma avaliação da situação do licenciamento ambiental da carcinicultura do RN ao longo dos anos 2005-2015 com relação ao número de empreendimentos licenciados por ano, porte dos empreendimentos por tipos de licenças e as regiões com maior densidade de fazendas de carcinicultura. Para tanto, a metodologia utilizada foi a investigação documental de todos os dados referentes ao licenciamento ambiental que foram obtidos junto ao Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA-RN). Foram identificadas 698 licenças no total, sendo a maioria das fazendas de porte médio e com licenças de operação, concentrando a maior densidade de empreendimentos de todos os portes no litoral sul. Evidenciou-se uma grande quantidade de fazendas com licenças atrasadas, além da constatação de que o maior número de licenças foi expedido no período em que mais ocorreram problemas de ordem econômica e ambiental na atividade. Já o segundo capítulo tem por objetivo comparar as práticas adotadas pelos micros produtores do Ceará e do Rio Grande do Norte, tomando como referência às normas de boas práticas de manejo recomendadas pela Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC), utilizado para tanto, a aplicação de questionários na localidade de Parajuru para o levantamento dos dados no Ceará e as informações referentes ao RN foram retirados da pesquisa de Costa (2005). Foi identificado que os produtores cearenses adotam práticas de manejo em maior quantidade que os potiguares, dessa forma, as enfermidades no Ceará causaram menores danos aos carcinicultores que obtiveram maior produtividade do que o observado no Rio Grande do Norte.

7
  • LUANA CARLOS FERREIRA
  • DESERTO NA COMUNICAÇÃO: AS RELAÇÕES ENTRE CIÊNCIA, MÍDIA E PODER E SEUS REFLEXOS NA PERCEPÇÃO SOBRE DESERTIFICAÇÃO NO BRASIL

  • Orientador : ELIZA MARIA XAVIER FREIRE
  • Data: 06/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • A desertificação é um problema ambiental grave cujo enfrentamento depende da compreensão de suas complexas relações ecológicas, sociais e climáticas pela ciência. No Brasil, ela atinge o Semiárido, ameaçando a fertilidade dos solos e a biodiversidade da Caatinga, bioma que só existe no país e ainda não é completamente conhecido pela ciência. A continuação do processo pode ainda por em risco a segurança alimentar e hídrica e provocar a migração de milhares de pessoas. As iniciativas governamentais de combate ao problema, no entanto, não passaram do âmbito da formulação de políticas à ação, e a sociedade também parece não perceber a urgência da questão. Uma das formas de promover o engajamento social é a divulgação de informações, cientificas ou não, pelos meios de comunicação de massa, mas suas narrativas podem estar marcadas por interesses políticos e econômicos. Assim sendo, o objetivo geral deste trabalho é analisar a produção científica e a narrativa da mídia impressa brasileira sobre desertificação, inclusive do ponto de vista da divulgação. Nessa perspectiva, inicialmente foi realizado um panorama da produção científica sobre o tema através de análise cienciométrica dos artigos científicos publicados entre 2005 e 2014. Em seguida, notícias e reportagens publicadas pelo jornal impresso Folha de São Paulo entre 1994 e 2015 foram submetidas à análise de conteúdo. A produção científica aumentou ao longo do tempo, mas a maior parte não é acessível nas principais bases de dados internacional e nacional, possui caráter disciplinar e não vem sendo continuada ao longo do tempo. Já o jornal impresso raramente fala sobre desertificação, e quando o faz é de maneira descontextualizada ou catastrófica, sem espaço para o contraditório, dando pouca voz aos cientistas e quase nenhuma à sociedade.  É necessário, portanto, investir mais em pesquisas multidisciplinares e de longo prazo que compreendam o problema e busquem soluções na sua integralidade; ao mesmo tempo incentivar a participação social nas discussões científicas, na formulação de políticas e na gestão de estratégias de combate à desertificação através da divulgação de informação contextualizada, crítica e continuada.

8
  • HUGO YURI ELIAS GOMES DE ASSIS
  • Análise da Paisagem e Dinâmica Socioeconômica e Ambiental na Área de Proteção Ambiental da Barra do Rio Mamanguape – PB

  • Orientador : DANIEL DURANTE PEREIRA ALVES
  • Data: 10/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho teve como foco identificar e espacializar a área de influência hidrológica direta dos manguezais, sua dinâmica de paisagem e os aspectos socioeconômicos da Área de Proteção Ambiental da Barra do Rio Mamanguape no período de quinze anos (2001 – 2016). Com este objetivo este trabalho identificou a área de influência hidrológica (AIH) direta nos manguezais desta APA, assim como as principais linhas de drenagem que formam a rede de escoamento de seu manguezal; analisou alguns parâmetros morfométricos e conceitos de Ecologia da Paisagem das fragilidades ambientais das bacias identificadas; analisou a dinâmica de uso e ocupação da terra em escala temporal por meio de técnicas e métricas de análise da paisagem; e analisou a dinâmica socioeconômica em escala temporal de 10 anos (censos 2000 e 2010). Após a realização da pesquisa, constatou-se que, dentre as bacias analisadas, a bacia do Mamanguape possui parâmetros morfométricos e usos da terra que ameaçam a homeorrese dos ecossistemas naturais. Também foi observada uma redução significativa (7.529 ha) dos Ecossistemas Naturais durante o período. A falta de planejamento, fiscalização, oportunidades de auferir renda pelas comunidades, além das situações de risco sociais contribuíram neste sentido. Também houve forte dinâmica nos parâmetros socioeconômicos analisados em todos os seis municípios inseridos na AIH. O corte de verbas do Governo Federal junto ao ICMBio que administra a UC influencia nas ações preventivas e de educação ambiental. Há falhas na elaboração e implementação de políticas públicas voltadas a conservação ambiental e melhoria da qualidade de vida dos habitantes pelos órgãos responsáveis. A falta de comunicação entre as diferentes esferas da administração pública compromete as ações de fiscalização, prevenção e punição das infrações ambientais. A privação de liberdades substantivas influencia negativamente nas relações socioambientais por meio do uso extrativista dos recursos naturais não planejados. Faz-se necessário ações conjuntas entre sociedade civil organizada e o poder público em todas as esferas a fim de fortalecer o desenvolvimento local sustentável com gestão participativa. A região possui riquezas naturais e culturais que devem ser conservadas, incluindo a cultura indígena. O uso de diferentes técnicas geotecnológicas, somados aos conhecimentos da Ecologia de Paisagem, mostrou-se relevante para um melhor entendimento acerca da dinâmica desta paisagem. Foram geradas informações sólidas para o planejamento de ações de mitigação de impactos negativos e para conservação dos recursos naturais e fiscalização pelos órgãos responsáveis. Levando em consideração a dinâmica socioeconômica por meio da avaliação de dados dos censos realizados pelo IBGE é conclusivo que foram identificadas as fragilidades nas diferentes comunidades. Assim, foram gerados dados importantes para o Estado e outras instituições na busca de soluções para problemas socioeconômicos que interferem diretamente na conservação dos recursos naturais. 

9
  • CAMILA KAYSSA TARGINO DUTRA
  • O papel da Articulação Brasileira do Semiárido (ASA) e o Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) no semiárido Potiguar

  • Orientador : CIMONE ROZENDO DE SOUZA
  • Data: 11/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • A região semiárida brasileira é uma das mais populosas do mundo. Todavia, grande parte da população ainda não possui o devido acesso à água. As políticas públicas e programas governamentais voltados para essa região, ainda estão distantes de promover a descentralização para a democratização do acesso à água. Historicamente, a ação estatal, quando presente, tratou de priorizar a construção de grandes obras de reservatórios de água, que acabaram fortalecendo a chamada “indústria da seca”. No final da década de 1990, em meio a um grande período de estiagem na região semiárida brasileira, diversas entidades da sociedade civil se juntam para criar a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA), instituição cujo objetivo era coordenar ações de convivência com o semiárido, dentre elas, o de democratizar o acesso à água, que se fez principalmente por meio da implantação do Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC). A proposta previa a construção de cisternas para captação e armazenamento de águas pluviais, com o objetivo de abastecimento humano. Essa ação tem sido objeto de inúmeros debates acadêmicos e políticos que buscam destacar os limites e as possibilidades dessa política. Assim, objetivou-se com esta pesquisa realizar uma análise da política pública P1MC já implantada e, outras em fase de implantação, com o propósito de compreender sua capacidade enquanto estratégias de convivência com o semiárido para os agricultores, agricultoras e moradores da zona rural de Apodi-RN. A pesquisa possui natureza qualitativa, com realização de entrevistas semiestruturadas, feitas com os técnicos ligados à Coordenação da ASA Potiguar, bem como, com os beneficiados da política pública P1MC. Os resultados encontrados informam que há necessidade de complementariedade ao Programa, isto é, o funcionamento do P1MC está vinculado a existências de chuvas na região em que estiver implantado, não havendo chuvas e/ou se estas forem em menor quantidade, será necessário promover o acesso à água para as famílias beneficiadas de outras maneiras. Verificou-se também que o Programa P1MC contribui na diminuição da penosidade do trabalho das mulheres, tendo em vista que não é mais necessário ir para outras localidades conseguir água para consumo da família; o Programa P1+2 contribui também para manter pequenos cultivos na residência dos beneficiados; a implantação dos Programas propiciou maior organização, pois promoveu a criação de Associações Comunitárias em comunidades que não possuíam. 

10
  • ALEXANDRE HENRIQUE GARCIA REGO
  •  

    DIVERSIDADE METAGENÔMICA E TRADICIONAL DE CIANOBACTÉRIAS EM AÇUDES EUTROFIZADOS DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO: CONTRIBUIÇÕES PARA O LETRAMENTO CIENTÍFICO 

  • Orientador : IVANEIDE ALVES SOARES DA COSTA
  • Data: 18/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desse estudo foi caracterizar o cenário limnológico e comunidade fitoplanctônica de reservatórios potiguares eutróficos em instante de  extrema estiagem e redução de volume  de água, identificar as cianobactérias, potencialmente tóxicas, bem como a presença de genes produtores de cianotoxinas através de técnicas tradicionais e moleculares.  Além disso, investigar a contribuição da abordagem  investigativa e  CTSA para o letramento científico de alunos de ensino básico da rede pública da região onde um dos reservatórios está localizado. Amostras de água foram coletadas em cinco açudes na região do semiárido do RN para análise de parâmetros físico-químicos, identificação e quantificação do fitoplâncton, detecção de microcistina através de métodos tradicionais (ELISA). Além de técnicas tradicionais, a diversidade de cianobactérias em um dos reservatórios foi analisada por métodos moleculares, onde uma amostra teve seu DNA extraído, sequenciado e o metagenoma foi obtido e comparado com genes de bibliotecas genômicas. A presença de genes que podem expressar a produção de microcistina também foi analisada nesse mesmo metagenoma. Uma oficina com o tema eutrofização foi aplicada em uma escola pública de Acari, local onde um dos reservatórios está localizado. A ação foi baseada na  abordagem investigativa de acordo com o  modelo educativo BSCS 5E, contemplando etapas de Envolvimento, Exploração, Explanação, Elaboração e Avaliação. Os reservatórios apresentavam aumento  do estado de eutrofia para hipereutrofia, biovolume total do fitoplâncton e densidade de cianobactérias elevados, configurando um aumento médio da  relação com outros estudos anteriores de 350% e 150%, respectivamente. A concentração de microcistina apresentaram valores acima dos níveis aceitáveis para água potável de acordo com a legislação brasileira. Evidenciamos a presença de Cylindrospermopsis raciborskii, Anabaena variabilis, Nodularia spumigema, Planktothrix agardhii e Microcystis aeruginosa, as quais são também relatadas em estudos realizado por métodos tradicionais. Não foram encontrado genes para  expressão da  produção de cianotoxinas no metagenoma desse reservatório. Os alunos da escola obtiveram aproveitamento de 80% na atividade inicial quando comparada com a final e atingiram niveis de entendimento, comprovando a eficácia dessa abordagem para o letramento científico. Portanto, a estiagem severa que acometeu a região do semiárido brasileiro nos últimos anos impactou esses reservatórios de forma negativa, alterando o nível trófico de eutrófico para hipereutrófico, o que ocasionou um aumento no biovolume do fitoplâncton. Técnicas moleculares são bastante eficazes no levantamento da diversidade de microrganismos em reservatórios e complementam os estudos de técnicas tradicionais. Os reservatórios do semiárido brasileiro sofrem com a eutrofização desde muito tempo e ações de educação devem ser sempre implementadas para que o cidadão possa pensar de forma crítica e agir de acordo com a realidade em que vivem.

11
  • FERNANDA LOURENÇO DA SILVA
  • EXTRAÇÃO DO CAULIM NO MUNICÍPIO DE EQUADOR-RN: IMPLICAÇÕES AMBIENTAIS E SOCIAIS

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 23/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • A problemática que envolve o Semiárido brasileiro vai muito além das questões climáticas e ambientais da região, abrange as esferas econômicas e sociais também. No entanto, essa região é a que apresenta maior vulnerabilidade aos efeitos da desertificação no Brasil, agravadas pelas diversas formas de uso e ocupação do solo. A mineração é uma delas, pois desencadeia uma gama de impactos negativos ao meio ambiente e à sociedade, dentre esses impactos ambientais destaca-se a alteração da vegetação, a intensificação de processos erosivos, contaminação do solo, da água e do ar; na esfera social, atenta-se para insalubridade das atividades, tanto dos envolvidos diretamente, como da população de entorno das áreas de mineração. No Rio Grande do Norte, o Seridó é a região mais susceptível aos efeitos da desertificação por fatores climáticos, que tem sido agravado pela presença de mineradoras de diversos segmentos. O município de Equador/RN possui o maior polo produtor de Caulim do RN. Esse minério é extremamente versátil na indústria, podendo ser utilizado desde a fabricação de cerâmica branca a tintas. Entretanto, a extração nesse município ocorre de forma desordenada, sem atender aos preceitos do desenvolvimento sustentável. Uma releitura da situação a partir do emprego de tecnologias mais modernas de estudo do ambiente, como o sensoriamento remoto, motivou o presente estudo e, para isto, elegeu-se como objetivos da pesquisa: i) avaliar o comportamento do dossel da vegetação de caatinga em dois anos distintos, considerando o estresse hídrico para cada período analisado, ii) verificar a extensão do desmatamento provocado pela extração mineral do caulim nas encostas e topos das elevações locais e a  degradação decorrente da atividade extrativista; e, iii) considerando a insalubridade da atividade, analisar se o padrão de dispersão do material particulado fino proveniente dos processos de extração até o beneficiamento tem afetado a saúde da população urbana. Para atingir os objetivos propostos, foram aplicadas transformações Tasseled Cap (TC) para duas cenas da órbita 215.065, sendo uma de 21/09/2001 (ETM+/LANDSAT 7) e a outra de 13/09/2016 (OLI/LANDSAT 8) a fim de analisar os componentes verdor e brilho da TC e assim verificar as áreas de vegetação fotossinteticamente ativa, as suas extensões em épocas distintas, as áreas de extração e concentração de material particulado proveniente do caulim e os problemas advindos da extração do minério. A TC verdor para o ano de 2001 variou de -0.168 a 0.178, quanto mais próximo de 0,5 indica maior atividade fotossintética da vegetação. Para a cena OLI/LANDSAT 8, de 2016, os valores variam de -0.178 a 0.280, denotando atividade fotossintética maior, embora em termos de extensão areal sua ocorrência seja muito menor. Quanto à TC brilho, os resultados obtidos demonstram a variação de concentração desse tipo de material particulado no solo. No ano de 2001, os valores obtidos variam de 0.113 a 0.867, e quanto mais próximo de 1, maior a presença de material particulado no solo proveniente da atividade mineira e de solo exposto. Na imagem de 2016, o valor varia de 0.052 a 1.391, demonstrando um aumento percentual do material particulado no terreno. Posteriormente, foram selecionados os casos de doenças respiratórias (Broncopneumonia, Bronquite, Asma, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, Insuficiência Respiratória Aguda, Pneumonia, Pneumoconiose, Silicose, Tumor Pulmonar, Edema Pulmonar e Neoplasia Pulmonar) registrados na Unidade Materno Infantil Integrada de Equador (UMIIE) no período de 2001 a 2015 para verificar quais dessas doenças são mais frequentes no município. Os dados associados a essas enfermidades foram: Idade do Paciente, bairro que reside e mês que deu entrada no hospital. Esses dados foram organizados em planilhas e passaram por análises descritivas. A pneumonia foi o diagnóstico mais registrado (134 casos), seguido pela broncopneumonia (107) e asma (59). A silicose apresentou apenas dois casos registrados no período em estudo e o diagnóstico pneumoconiose apresentou três casos. As crianças entre 0 e 5 anos são as mais acometidas pelos diagnósticos verificados, uma vez que fatores como o baixo peso ao nascer, a desnutrição, a falta ou curta duração do aleitamento materno, a ausência de imunização, a contaminação do ar doméstico e a baixa renda familiar, à qual está associada a aglomeração de pessoas, torna a criança ainda mais susceptível a essas doenças. Por fim, foi utilizada a análise geoestatística para predizer quais bairros do município de Equador-RN apresentam maior probabilidade de desenvolvimento de doenças respiratória com base nos dados de vento e de saúde do município entre os anos de 2001 e 2016. A análise geoestatística seguiu os seguintes passos: análise primária dos dados, geração de semivariograma experimental, seleção e ajuste do modelo apropriado, geração da superfície e validação cruzada. Os resultados obtidos para a análise geoestatística permitiu inferir que existe maior probabilidade de ocorrência de doenças respiratórias nos bairros "Alto da Bela Vista" e "Prefeito José Marcelino de Oliveira", áreas ao norte e centro da sede municipal de Equador, em contrapartida à porção periférica desta sede municipal, onde a probabilidade de ocorrência é substancialmente menor. Infere-se que a probabilidade de ocorrência de doenças respiratórias nesses bairros foram maiores devido às acelerações orográficas e interações entre o deslocamento atmosférico e as formações montanhosas sofridas pelos ventos provenientes do Leste e a sua proximidade com município de Junco do Seridó-PB, que apresenta uma atividade extrativista de Caulim ainda maior que Equador.

12
  • JULIANA GARCIA VIDAL RODRIGUES
  • ANÁLISES PARA A VIABILIZAÇÃO DE CORREDORES ECOLÓGICOS E CUMPRIMENTO DE REQUISITOS LEGAIS: SUBSÍDIOS À EFETIVIDADE DE ÁREA PROTEGIDA E CONSERVAÇÃO DE MATA ATLÂNTICA SETENTRIONAL

  • Orientador : ELIZA MARIA XAVIER FREIRE
  • Data: 25/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • A Mata Atlântica brasileira, atualmente com apenas 7,5% de sua área original, é um dos principais hotspots mundiais de biodiversidade, abrigando a maior parte dos animais e plantas ameaçados de extinção, grande riqueza e endemismo de espécies. A situação de fragmentação em que se encontra é ainda mais crítica em sua porção setentrional. Áreas Protegidas, em especial Unidades de Conservação (UC’s), são as principais formas de conservação da biodiversidade, por meio de esforços nacionais e internacionais. Além da criação de UC’s, é imprescindível a efetividade dessas áreas e, em caso de extensa fragmentação, a criação de corredores ecológicos interligando áreas protegidas para possibilitar o fluxo gênico entre espécies, é relevante. A maior parte das UC’s criadas no Brasil não é efetiva, e a dificuldade em gerenciar UC’s constitui um entrave sério à Conservação. Nesse cenário e na perspectiva de colaborar para o alcance das metas 11 e 12 de Aichi, bem como dar suporte a um dos objetivos do Plano de Ação Nacional (PAN) para a Conservação da Herpetofauna Ameaçada da Mata Atlântica nordestina, este estudo teve como objetivos, analisar estratégias de implementação de instrumentos e políticas públicas viáveis à criação de corredores ecológicos em área protegida de Mata Atlântica setentrional; analisar o cumprimento dos requisitos legais em prol da criação e implementação de Unidade de Conservação em Mata Atlântica nordestina; avaliar os entraves à efetivação de UC, utilizando o Parque Estadual Mata da Pipa (PEMP) como estudo de caso por constituir-se em um dos maiores remanescentes de Mata Atlântica do RN, cujo Plano de Manejo prevê área com corredor ecológico e que, apesar de criado há mais de 10 anos, ainda não foi implementado. Trata-se de estudo de natureza qualitativa, cuja abordagem de dados foi dividida em duas etapas complementares. Em um primeiro momento realizou-se análise documental conceitual e de observação do PEMP como situação emblema. Para a interpretação dos dados foi utilizada a técnica da análise argumentativa. Na categorização dos dados utilizou-se de argumentos construídos a partir de fundamentos socioambientais, desenvolvimento sustentável e princípios jurídico-ambientais. Para a análise das estratégias à implementação de corredores, foi utilizada a ideia de proposição, sendo as leis empregadas como dados e os princípios jurídico-ambientais como garantia. Também como garantia foi adotada a exemplificação dos corredores previstos para o PEMP. Em um segundo momento, estudou-se o caso emblema, através da análise documental, realização de entrevistas semiestruturadas individuais, grupo focal e observação participante durante reuniões do Conselho Gestor nos anos 2016 e 2017.1. Constatou-se que a promoção do desenvolvimento sustentável como modo de conservar a Mata Atlântica é a essência da lei que rege o bioma – única com regime jurídico específico. É fundamental a instituição de políticas públicas que proporcionem efetividade aos comandos legais de modo a impedir a sucessão do panorama de degradação deste bioma, e possibilitar o aumento do percentual existente interconectando seus remanescentes. Quanto aos fundos de recursos, seus gestores devem atentar para a Mata Atlântica setentrional, diminuindo as assimetrias regionais em investimentos; os órgãos ambientais devem elaborar projetos para beneficiamento. Constatou-se que o órgão ambiental cumpriu os requisitos para a instituição do PEMP, mas a celeridade comprometeu o resultado; o cumprimento das obrigações legais com garantia de sua eficácia, reduz os possíveis entraves à implantação desta UC; a ocorrência de avanços na implantação da UC por força de decisão judicial e por compromisso ético do Conselho Gestor e da Gestora da UC. A implantação de UC criada é um dever legal fundamentado no art. 2° da Lei n° 6938/81 no art. 225 da Constituição Federal - CF, no art. 4° da Lei n° 9985/2000 e no princípio da prevenção (implicitamente consagrado no art. 225, caput da CF). Constatou-se ainda que o maior problema para a falta de eficiência é estrutural, organizacional da Administração Pública e do Judiciário, e a falta de priorização na vontade política.  Os obstáculos encontrados são comuns às UC’s estaduais do RN. É imprescindível, urgente e fundamental que a questão ambiental seja vista e tratada como um investimento e não como gasto adicional. Atitudes antropocêntrica e excludente apresentam um sério risco à sobrevivência da própria humanidade.

13
  • LARISA MARIA DA SILVA LIMA
  • Produção de mudas de Aroeira (Myracrodruon urundeuva Fr. Allemão) visando sua conservação e percepção das comunidades num município do semiárido sobre seu uso sustentável

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 28/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • A aroeira (Myracrodruon urundeuva Fr. All.), pertencente à família Anacardiaceae, ocorre nos biomas da caatinga e do cerrado. Amplamente explorada devido a sua madeira pesada e praticamente imputrescível, e por causa das suas propriedades medicinais. Por esses motivos, a aroeira está na lista oficial de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção, na classe vulnerável. Portanto, é uma espécie que deve-se dar ênfase a estudos sobre a percepção ambiental das pessoas em relação a espécie e a definição dos protocolos e estratégias que favoreçam a produção de mudas com qualidade. Este trabalho teve três capítulos, nos quais os objetivos foram: testar a germinação da aroeira em diferentes substratos comuns, testar a produção de calos de aroeira em diferentes concentrações do hormônio fitoregulador 2,4D afim de criar uma protocolo para a produção em grande escala de mudas e avaliar a a percepção ambiental dos moradores do município de Baraúna, bem como captar os seus conhecimentos tradicionais sobre a Myracrodruon urundeuva. No primeiro capítulo as sementes foram cultivadas nos substratos areia; argila; areia misturada com argila, 50% de cada; areia com húmus, 50% de cada; argila com húmus, 50% de cada; e argila com areia e húmus, 25% de areia, 25% de argila e 50% de húmus, foram feitas observações e regas diárias durante 15 dias, para calcular a porcentagem, o tempo médio e a velocidade média de germinação. A espécie apresentou os piores resultados em todos os parâmetros com os substratos que possuíam húmus, os substratos areia+argila e areia apresentaram os melhores resultados. No segundo capítulo foram usados segmentos foliares de 1cm ² e quatro concentrações diferentes do hormônio 2,4D, que foram: 2,32 µM, 4,64 µM, 6,96 µM e 9,28 µM. Os resultados mostraram que a melhor concentração para o desenvolvimento dos calos foi de  4,64 µM e que quase todas os explantes oxidaram, confirmando a necessidade de um meio com agentes antioxidantes. No terceiro capítulo foram realizados 101 entrevistas semi estruturadas de 25 a 28 de fevereiro de 2017, através de questionários abordando os seguintes aspectos: a) dados pessoais, b) Dados socioeconômicos, c) informações sobre o conhecimento, d) sobre o uso medicinal e e)  sobre uso da madeira. Constatou-se que grande parte dos entrevistados acham a Caatinga importante em algum nível; mais da metade dos entrevistados notaram que a aroeira está diminuindo em algum grau; as propriedades medicinais da aroeira são conhecidas pelos entrevistados, principalmente pela sua ação anti-inflamatória; muitos ainda usam a aroeira para tratar doenças com extratos feitos da casca; e pouco se registrou de uso madeireiro. Os resultados gerados por essa pesquisa definiu protocolos de cultivo tanto ex vitro quanto in vitro, além de confirmar a grande popularidade da aroeira, o que a torna ainda mais vulnerável. Nesse sentido, estudos sobre o cultivo e percepção ambiental de espécies florestais ameaçadas podem ser precursores de modelos e mecanismos, seja para o manejo, bem como para a recuperação de suas populações naturais.

2016
Dissertações
1
  • VANESSA RAPHAELA AMORIM DE ARAÚJO
  • Tolerância de Anomalocardia brasiliana a diferentes salinidades em laboratório e relações com percepções de marisqueiras de Senador Georgino Avelino/RN

  • Orientador : CIBELE SOARES PONTES
  • Data: 26/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, diversas espécies de bivalves presentes em áreas intermareais com níveis diferentes salinidades têm sido amplamente coletadas por comunidades costeiras. Considerando esse contexto, no capítulo 1, foi realizado um levantamento de aspectos da atividade de extração artesanal do molusco Anomalocardia brasiliana (GMELIN, 1791), assinalaram-se aspectos relativos à percepção socioambiental das marisqueiras associadas à colônia de pescadores Z-13 no município Senador Georgino Avelino/RN, Brasil. A metodologia utilizada foi pautada em entrevistas com o uso de questionário estruturado, aplicadas a 41 marisqueiras. Nos resultados, evidenciou-se a atividade de extração como fonte de renda e o uso do molusco como complemento na alimentação familiar desse grupo. No capítulo 2, foi investigado se a redução de A. brasiliana nos estoques naturais nos períodos chuvosos, relatada pelas marisqueiras durante as entrevistas, poderia estar relacionada com a salinidade da água do ambiente. Para isso, foi realizado um experimento em laboratório, onde os moluscos foram submetidos às salinidades de: 5 ppt, 15 ppt, 25 ppt, 35 ppt, 45 ppt, 55 ppt e 65 ppt, com delineamento experimental composto por 7 tratamentos com 7 repetições, distribuídos em 49 unidades experimentais com 12 indivíduos em cada unidade experimental (RODRIGUES, 2015, adaptado). Os animais foram alimentados com microalga desidrata (Spirulina spp). Dentre os resultados obtidos, verificou-se uma maior sobrevivência desses animais nas salinidades 25 ppt e 35 ppt, constatando-se que a oscilação na abundância desses animais ao longo do ano pode estar diretamente relacionada à salinidade encontrada no ambiente. O presente estudo demonstrou a relevância da extração de A. brasiliana para as marisqueiras do município e também da sobrevivência desse molusco a diferentes salinidades, em especial nas salinidades 25 ppt e 35 ppt.

2
  • ALINE HORÁCIO DA COSTA AQUINO
  • USO DE PROBIÓTICOS NO CULTIVO DE Litopenaeus vannamei E ASPECTOS SOCIAIS E AMBIENTAIS DA CARCINICULTURA DO LITORAL SUL DO RIO GRANDE NO NORTE, BRASIL

  • Orientador : CIBELE SOARES PONTES
  • Data: 27/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A principal característica de uma produção sustentável é que se assume que a natureza é finita, descartando o crescimento sem limites. A busca da sustentabilidade na carcinicultura tem sido uma preocupação constante e minimizar a renovação de água nos cultivos é requisito fundamental para a carcinicultura moderna e ambientalmente responsável. Os probióticos são apontados como a forma moderna para o tratamento da matéria orgânica na coluna d’água e no solo dos viveiros e como produto natural na profilaxia das enfermidades, além de promover melhor crescimento dos organismos aquáticos cultiváveis. Dessa forma, a primeira parte da pesquisa teve como objetivo avaliar os efeitos de dois probióticos comerciais de diferentes composições sobre o potencial zootécnico e resistência a estresse de larvas e pós-larvas da espécie Litopenaeus vannamei cultivadas em escala comercial. A segunda parte investigou o uso de novas tecnologias de produção, como os probióticos, e as práticas de manejo adotadas pelos micro produtores de camarão do litoral Sul do Rio Grande do Norte e, em paralelo, caracterizou os aspectos sociais e ambientais da carcinicultura percebidos por esses produtores, além de correlacionar algumas variáveis do estudo. Na primeira fase, os cultivos da espécie Litopenaeus vannamei tiveram início na fase larval (náuplio V), com duração de 18 dias e foram submetidos a dois tratamentos: P1 - probiótico um; P2 - probiótico dois. As unidades experimentais consistiram em seis tanques de 15.000 L, e cada tratamento contou com três repetições. Os probióticos foram aplicados diariamente conforme recomendação dos fabricantes. Os parâmetros salinidade, temperatura, pH e oxigênio dissolvido foram monitorados diariamente. As pós-larvas submetidas ao P2 apresentaram valores médios maiores (p < 0,05) para comprimento (em PL 1 e PL 5), pesos úmido e seco (em PL 5) e percentual de metamorfose (90%) em relação ao outro tratamento, mas as demais variáveis não diferiram. A sobrevivência final foi de 56,4% e 64,9% para pós-larvas submetidas ao P1 e ao P2, respectivamente. O probiótico 2 foi mais efetivo na melhoria dos parâmetros bióticos. Na segunda fase, foram realizadas 27 entrevistas, constatando-se que 85,2% dos produtores são homens, com baixa taxa de analfabetismo (3,7%), com renda de 2 a 5 salários mínimos (44,4%) e que 22,2% têm a carcinicultura como principal fonte de renda. Verificou-se que menos de 50% receberam assistência técnica no último ano e poucas são as medidas de biossegurança adotadas pelos mesmos. Apenas 11,1% dos carcinicultores fazem uso de probióticos e essa variável não possui correlação com a renda mensal familiar ou com as taxas de sobrevivência obtidas nos cultivos. Práticas de manejo, como fertilização da água e calagem do solo, e perguntas sobre a questão ambiental também não apresentaram correlação com a escolaridade, resultando no manejo homogêneo entre os entrevistados.

3
  • FELIPHE LACERDA SOUZA DE ALENCAR
  • ATIVIDADE BIORREMEDIADORA DE Chromobacterium violaceum A METAIS PESADOS EM AMBIENTES AQUÁTICOS NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO: AÇÕES PARA VIGILÂNCIA AMBIENTAL E EDUCAÇÃO EM SAÚDE

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 28/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A baixa qualidade hídrica no semiárido brasileiro, em grande parte associa-se a ação antrópica, tal como o lançamento de resíduos metálicos oriundos da indústria minerada.  O presente estudo objetiva comparar e discutir a evolução das pesquisas realizadas em âmbito mundial, as quais fizeram uso do potencial biorremediador da Chromobacterium violaceum a metais pesados; compreender a capacidade biorremediadora e avaliar os padrões fenotípicos de resistência em cepas selvagens e padrões (ATCC 12472) de C. violaceum diante dos metais pesados, Ferro, Zinco e Manganês, em diferentes concentrações e interações metálicas; analisar os parâmetros físico-químicos e microbiológicos do reservatório Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves, situado do município de Jucurutu (região semiárida do Rio Grande do Norte - RN); verificar a abordagem da temática biorremediação em livros didáticos do ensino fundamental e médio indicados pelo PNLD 2014 e 2012, respectivamente, assim como desenvolver um produto didático direcionado à contextualização da interface conhecimento técnico-científico e meio ambiente. A revisão sistemática foi limitada a trabalhos publicados entre 2001 e 2014, utilizando-se dos bancos de dados LILACS, PubMed e SciELO. A avaliação da resistência de C. violaceum aos metais pesados ocorreu em concentrações decrescentes de Fe, Mn e Zn, durante intervalos de 24, 48 e 72 horas por planejamento fatorial completo 23; o isolamento e a identificação microbiológica foram realizados conforme metodologia preconizada pelo Standard Methods for Examinations of Water and Wastewater; a avaliação da capacidade biorremediadora de C. violaceum por espectrofotometria de absorção atômica (EAA), enquanto que a análise das unidades de registro a partir da adaptação da metodologia de análise de conteúdo de Bardin (2004). A biolixiviação foi a técnica mais discutida; o ouro o substrato biorremediado mais citado e a cianetação o mecanismo fenotípico prevalente. Mecanismos genéticos foram citados em 29,4% das publicações e entre as proteínas transcritas por C. violaceum 18,3% eram ditas hipotéticas. Ambas as cepas de C. violaceum apresentaram resistência aos metais testes em diferentes escalas de concentrações, interações e intervalos de exposição. No entanto aquelas selvagens apresentaram uma resposta de fase aguda mais eficiente comparadas às padrões, sobretudo para as concentrações de 80 a 480 g/100ml x 10-3.  A análise físico-química da água revelou parâmetros aceitáveis, conforme a resolução vigente, exceto para o ponto 5, no que tange a análise do pH, nesse ponto ocorreu o isolamento da C. violaceum, cuja capacidade biorremediadora aos elementos Fe, Mn e Zn mostrou-se mais eficiente quanto às cepas ATCC. Todos os livros didáticos analisados, embora tenham sido recomendados pelo PNLD, apresentaram carências quanto à temática biorremediação, fazendo-se necessário o desenvolvimento de materiais didáticos que visem suprir tal abordagem. Os dados avaliados demonstram a fundamental importância da C. violaceum como microorganismo biorremediador de metais pesados e evidencia a importância do monitoramento ambiental, desenvolvimento e aplicação da biorremediação em ambientes impactados, bem como destaca a necessidade da reformulação da interface educação ambiental e biotecnologia, com a finalidade de possibilitar ao docente e ao estudante de ensino médio e fundamental uma reflexão mais crítica sobre as relações que envolvem a poluição ambiental e as possíveis ferramentas mitigadoras dessa problemática.

4
  • FLAVIO HILDEMBERG DA SILVA GAMELEIRA
  • EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO ESTRATÉGIA PARA A INSERÇÃO DA SUSTENTABILIDADE NA FORMAÇÃO EM ODONTOLOGIA

  • Orientador : CARLA GIOVANA CABRAL
  • Data: 28/01/2016
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    A presente dissertação propõe a educação ambiental como estratégia para a inserção da sustentabilidade na formação acadêmica de nível superior. O curso de odontologia foi o objeto de estudo, o que se justifica pelo reconhecimento da necessidade de reflexões sobre a temática ambiental no meio acadêmico odontológico, inicialmente baseadas na experiência profissional do autor como cirurgião dentista. O objetivo geral deste trabalho é pesquisar a produção científica da odontologia e seu conteúdo relacionado a temas ambientais, além de expandir discussões e reflexões sobre a necessidade da inserção da educação ambiental como conteúdo acadêmico. Com o objetivo específico de averiguar a quantidade e analisar o conteúdo dos artigos científicos que envolviam temas ligados à sustentabilidade na odontologia, o Capítulo 01 apresenta pesquisa nos principais portais de periódicos disponíveis na internet. Foram pesquisados trabalhos onde a sustentabilidade e temas correlatos estivessem presentes e inseridos em um contexto teórico que analisa a inserção da odontologia no modelo econômico dominante. Tais procedimentos visam comprovar a hipótese de que a classe odontológica não produz expressivo conteúdo científico que relacione a profissão ao meio ambiente e à sustentabilidade. Foi realizada uma revisão bibliográfica, com demonstração das transformações da odontologia desde suas origens até o posicionamento frente ao modelo de desenvolvimento dominante, e exemplificação dos efeitos deletérios deste modelo sobre o meio ambiente. Além disso, fez-se uma pesquisa científica em portais de periódicos disponíveis na internet e averiguada a quantidade e o conteúdo dos artigos científicos que envolvessem temas ligados à sustentabilidade na odontologia. O capítulo 02 tem como objetivo específico fornecer conteúdo para expandir discussões e reflexões sobre a necessidade da inserção da educação ambiental nos cursos de graduação em odontologia, como estratégia de inserção em um novo modelo de desenvolvimento guiado pela sustentabilidade. Neste, é detalhada a pesquisa com alunos do 8º período do curso de odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), para que fosse compreendida a percepção ambiental dos formandos e fossem obtidos subsídios para a comprovação da tese de que a educação ambiental aplicada à odontologia tem o potencial de formar cidadãos conscientes e dispostos a atuar praticando e propagando a sustentabilidade em suas condutas. Os resultados gerais indicam pouca produção científica, quanto a pesquisas e trabalhos que relacionem a odontologia à sustentabilidade e que as questões relativas ao meio ambiente não têm estado expressivamente presentes nos conteúdos programáticos dos cursos de graduação em odontologia, apesar do interesse demonstrado pelos respondentes do questionário quando tais questões são abordadas. Neste contexto, são propostas ações de fomento à educação ambiental, para que profissionais da odontologia estejam engajados na construção de um novo modelo de desenvolvimento pautado na sustentabilidade, visto que apesar da temática ambiental aparentemente ser pouco explorada no meio acadêmico-científico da odontologia, existe interesse por parte dos estudantes e um grande potencial multiplicador para adequadas condutas socioambientais. Após a comprovação da hipótese de que os conteúdos relacionados ao meio ambiente são pouco explorados no meio acadêmico-científico da odontologia, as principais conclusões deste trabalho foram o reconhecimento da importância da educação ambiental como ferramenta interdisciplinar para abordagem da temática ambiental nos cursos de graduação em odontologia, além da aplicação desta nova proposta pedagógica na atuação profissional dos dentistas, tendo em vista o seu potencial multiplicador para conhecimentos socioambientais.

5
  • ANDRE LUIZ BEZERRA FALCAO FREIRE
  • Etnobotânica e percepção ambiental de pescadores e coletoras tradicionais submetidos à escassez de recursos vegetais silvestres

  • Orientador : FRANCISCA DE SOUZA MILLER
  • Data: 29/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • Pescadores tradicionais relacionam-se intensamente com seu ambiente e utilizam
    recursos vegetais, sobretudo os silvestres, para diversos fins. No entanto, os processos de
    urbanização e as ações de desflorestamento tem tornado cada vez mais escassos algumas
    plantas em determinados lugares. A dependência desses recursos para a autonomia cultural
    desses pescadores ameaçada pela carência de recursos, por um lado, e a capacidade de
    adaptação desses grupos humanos às novas circunstâncias, por outro, passaram a ser uma
    problemática cada vez mais presente nos estudos dessas populações tradicionais. Em nosso
    primeiro capítulo registramos a percepção dos pescadores e das coletoras de Patané sobre a
    ausência das matas locais, coletamos uma lista de espécies consideradas localmente como de
    uso estratégico, registramos o etnoconhecimento associado a elas e identificamos quais dessas
    plantas já são percebidas como escassas na região. No segundo capítulo, estudamos as
    espécies de plantas conhecidas pela comunidade de pescadores e coletoras de Patané,
    registrando os saberes associados, os diversos usos dados e relacionando os resultados obtidos
    com o fato de aquela população estar submetida a uma crescente urbanização e um
    escasseamento recente de diversos desses recursos florestais.Para isso realizaramseentrevistas
    individuais,formais e semiestruturadas, aplicadas consecutivamente a
    informantes amostrados não probabilisticamente por bola de neve.Foram coletados dados
    socioeconômicos dos informantes. Um teste de adequação foi realizado a partir da
    concordância dos entrevistados com as interpretações e induções do pesquisador. Passeios
    guiados foram realizados para colher fotografias e amostras testemunhas das plantas, todas
    identificadas pelos métodos usuais da botânica. Trechos das entrevistas sobre percepção são
    apresentados procurando-se evidenciar as informações consensuais. Alguns dados foram
    apresentados por estatística descritiva. Montaram-se duas listas de plantas, uma com as de uso
    estratégico e outra com todas as espécies citadas no estudo. Em ambas constam termos
    etnotaxonômicos, nomenclatura botânica e usos múltiplos locais. Evidenciou-se que o
    conhecimento a respeito das plantas se mantém naquelas pessoas mesmo para os casos de
    recursos florestais os quais já não estão disponíveis, mas que o direito ao uso deve ser
    mantido como forma de manutenção e controle autonômico do etnoconhecimento, e, por
    extensão da cultura daquelas pessoas.

6
  • GLEYSON MORAIS DA SILVA
  • HÁBITOS ALIMENTARES, MISTURA DE FARELOS (MULTIMISTURA) E FARINHA DE FOLHAS DE Moringa oleifera Lam., À MESA DOS BRASILEIROS

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 29/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • Os hábitos alimentares estão na utilização e consumo de alimentos que se encontram disponíveis. Podendo, por vezes, essa utilização e escolha ser consciente ou não, e ainda estar condicionada por mudanças de comportamento alimentar, motivadas por fatores externos como modelos e padrões de vida. Maus hábitos alimentares são responsáveis por diversos problemas de saúde, correlacionados ao consumo de alimentos hipercalóricos e de baixo teor nutricional. No quadro de saúde atual do Brasil tem mostrado uma diminuição nos casos de desnutrição e doenças infecciosas e aumentado os casos de obesidade e doenças crônicas, atingindo em crianças altos índices de sobrepeso, obesidade infantil e diversos prejuízos à saúde. Órgãos não governamentais como a Pastoral da Criança têm, nesse sentido também, buscado mudanças comportamentais sadias, através de programas e projetos pilotos nas comunidades onde atua, na tentativa de nortear a população tanto à ingestão quantitativa quanto qualitativa correta dos alimentos, além de boas práticas de saúde como realização de atividades físicas como mudanças em hábitos alimentares mais saudáveis. A Pastoral da Criança é um organismo de ação social da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) que teve sua fundação na cidade brasileira, Florestópolis/Paraná, pela pediatra e sanitarista, Dra Zilda Arns Neumann e também pelo então Arcerbispo de Londrina Dom Geraldo Majella Agnelo. Hoje se faz presente em todos os estados brasileiros e ainda em cerca de 21 países da África, Ásia, América Latina e Caribe promovendo ações básicas de saúde, educação, nutrição e cidadania, fomentando o desenvolvimento de crianças, famílias e comunidades. Devido aos novos hábitos alimentares inseridos à cultura alimentar das famílias, pela chamada “globalização alimentar” novos estilos de vida e hábitos não saudáveis surgem como novos desafios. A suplementação nutricional é uma forma complementar de suprir deficiências dietéticas. Um exemplo é a “multimistura” um dos grandes marcos da Pastoral da Criança, na década de 80, no combate a mortalidade infantil causada pela desnutrição em crianças, sobretudo na região nordeste do Brasil, no entanto estudos tem questionado seus potenciais nutricionais. O uso de suplementação é comum em muitos países da África, onde outro destaque nutricional é a farinha das folhas de Moringa Oleifera, cujos diversos estudos têm mostrados melhorias de ganhos nutricionais e quadros anêmicos, diminuídos nos casos em que foram administradas dosagens à alimentação. Este trabalho buscou analisar as composições físico-químicas de folhas secas e úmidas de M. oleifera e a mistura de farelos desenvolvida pela Pastoral da Criança em Parnamirim/RN e ainda verificar os hábitos alimentares de líderes e famílias, quanto às escolhas, frequências com as quais consumem certos alimentos, conhecimentos sobre os riscos de uma alimentação não saudável e a forma como a mídia e a indústria alimentícia influenciam nas escolhas, por fim o uso sugestivo de folhas de M. oleifera na alimentação. Foi aplicado um questionário/entrevista de 24 questões, 19 alternativas/escores e cinco discursivas, analisadas pelo teste U de Mann Whitney com 5% de significância, para amostras independentes no software IBM® SPSS® Statístics v.22. Analisaram-se também as composições físico-químicas de folhas secas e úmidas de M. oleifera e a mistura de farelos desenvolvida pela Pastoral da Criança em Parnamirim/RN. Os dados obtidos foram computados em software Microsoft Office Excel 2010® distribuídos segundo a variável envolvida e suas respectivas médias e desvio-padrão, avaliadas pelo teste de T- Student para amostras independentes com significância 5% no software IBM® SPSS® Statístics v.22. Pelo diagnóstico dietético realizado percebeu-se um baixo consumo de alimentos recomendados como fontes de vitaminas e minerais. Em contrapartida a um cosumo considerável por industrializados como sucos, refrigerantes e alimentos gordurosos, ora por influência de propagandas e marketing, gerenciadas pelas empresas alimentícias, ora pela carência informacional. Quanto às análises cujos resultados mostraram que a multimistura mesmo apresentando constituintes proteicos em sua composição, as folhas de M. oleifera apresentam uma maior concentração nutritiva, como 20x mais cálcio em suas folhas secas e 4x mais Vitamina C em suas folhas úmidas que a multimistura da Pastoral da Criança. Novas políticas de reeducação e conscientização alimentar devem ser estimuladas, norteando a população quanto a hábitos alimentares mais saudáveis e, além disso, mais trabalhos devem ser realizados a fim de analisar os valores nutritivos tanto das farinhas da M. oleifera quanto da mistura de farelos, para o consumo humano, no tratamento de desnutrição e anemia, sendo uma possível fonte alimentar nutritiva, aliada às ações desenvolvidas pela Pastoral da Criança.

7
  • KÍVIA SOARES DE OLIVEIRA
  • COMUNIDADES EXTRATIVISTAS E O USO DA BIOTECNOLOGIA VEGETAL COMO ALTERNATIVA A CONSERVAÇÃO DA MANGABEIRA (Hancornia speciosa Gomes)

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 29/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A mangabeira é uma frutífera nativa do nordeste brasileiro e apresenta grande importância socioeconômica, ambiental e cultural. Apesar disso, vem sofrendo forte pressão negativa devido à expansão imobiliária, desmatamento, práticas de monoculturas e a exploração extrativista não sustentável em seus campos nativos, o que tem ocasionado à erosão genética da espécie, ameaçando-a de extinção. Diante disso, é iminente a necessidade de estudos que contribuam para a conservação da espécie tanto in situ como ex situ. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi contribuir para o aprimoramento de estratégias de conservação da Mangabeira utilizando como ferramenta a biotecnologia vegetal e a percepção ambiental. Como objetivos específicos, buscou-se testar se a biotecnologia vegetal mensurada na utilização de reguladores de crescimento, especificamente, BAP, IBA e ANA, pode contribuir para a conservação através da multiplicação in vitro da mangabeira. E sob a perspectiva social, avaliar se a percepção do extrator de mangaba é afetada por características socioeconômicas (renda, idade, sexo, experiência e escolaridade) e ambientais (região que vive o extrator) e investigar se os extratores vegetais percebem a variação de abundância apenas de espécies comerciais. Mediante a aplicação de entrevistas semiestruturadas, foi constatado que os extrativistas vegetais das comunidades de Timbó e Boa Água, do município de Nísia Floresta- RN possuem conhecimentos sobre a espécie e que percebem a diminuição desses recursos, bem como reconhecem a necessidade de conservação da espécie. Em relação à utilização da biotecnologia vegetal, foram obtidos resultados promissores para à multiplicação in vitro da espécie com a formação de brotações bem desenvolvidas, permitindo uma excelente via de propagação, tendo em vista as dificuldades de reprodução natural da espécie.

8
  • LAÍS ARIANE MARTINS BARBOSA CORREIA
  • VULNERABILIDADE SOCIOAMBIENTAL:ANÁLISE DA CIDADE DO NATAL/RN A PARTIR DO ÍNDICE GERAL DE VULNERABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POR BAIRRO

  • Orientador : IONE RODRIGUES DINIZ MORAIS
  • Data: 12/04/2016
  • Mostrar Resumo
  • Inserida no âmbito da relação sociedade-natureza, o estudo da vulnerabilidade socioambiental e das dimensões que ela encerra demanda um esforço teórico metodológico para a articulação de fenômenos multidimensionais que têm a sociedade como sujeito. Nesse contexto, o natural e o social são concebidos como elementos de um mesmo processo e as características socioambientais figuram como relevantes para a análise da capacidade de resposta das populações aos eventos extremos Para riscos e perigos iguais, diferentes grupos sociais podem ter vulnerabilidades distintas, pois a condição de vulnerabilidade socioambiental está intrinsicamente relacionada à localização dos sujeitos na cidade e à sua inserção na dinâmica social urbana. Assim, partindo da premissa de que na cidade capitalista, devido à sua natureza desigual, a vulnerabilidade socioambiental se manifesta de forma distinta e com diferentes intensidades, e que as áreas que apresentam melhores condições socioambientais apresentam menores níveis de vulnerabilidade socioambiental, sendo verdadeira a situação inversa, questionou-se: quais os níveis de vulnerabilidade socioambiental da cidade do Natal/RN? Como esses níveis se encontram espacializados, considerando a escala dos bairros e das regiões administrativas? Como se apresentam, considerando as características socioeconômicas e a localização das populações nas quatro regiões administrativas da cidade? Considerando a problematização apresentada, foi definido como objetivo geral analisar os níveis de vulnerabilidade socioambiental da cidade do Natal/RN, e como objetivos específicos: Identificar as características socioambientais da cidade do Natal; Produzir os Índices de Vulnerabilidade Socioeconômica (IVSB), Ambiental (IVAB) e o Índice Geral de Vulnerabilidade Socioambiental por Bairro (IGVSB); Identificar os assentamentos precários existentes na cidade; espacializar o IVSB, IVAB e o IGVSB na cidade do Natal; analisar os Níveis de Vulnerabilidade Socioambiental, segundo as regiões administrativas da cidade, considerando a espacialização do IVSB, IVAB e do IGVSB, as características socioeconômicas e a localização das populações residentes. Os objetivos foram alcançados a partir de um percurso metodológico que utilizou pesquisa bibliográfica, pesquisa documental e análise quantitativa e qualitativa dos dados. Os resultados obtidos permitiram o conhecimento dos níveis de vulnerabilidade de Natal e da realidade da sua população. Com isso, o trabalho constatou que a vulnerabilidade socioambiental, caracterizada por um panorama complexo, envolve tanto a ocupação irregular de áreas frágeis como a dificuldade do acesso à terra e à moradia em áreas urbanas. E que com vista à identificação e à execução de ações de combate e mitigação dos seus efeitos, o poder público encontra nas metodologias, que fazem uso de indicadores, subsídios à gestão socioambiental urbana. Este trabalho destaca a relevância de conhecer o ordenamento territorial urbano e concluiu, a partir da análise dos Níveis de Vulnerabilidade Socioambiental de Natal, que existe uma distribuição desigual desse processo, culminando na sobreposição das vulnerabilidades socioeconômicas e ambientais em determinadas áreas da cidade como resultado de uma urbanização desigual, seletiva e excludente. Esse panorama contribui para o aprofundamento das desigualdades socioambientais e ratifica os processos históricos de segregação e de direcionamento dos investimentos públicos e privados nas regiões administrativas da cidade.

9
  • SOCRATES DANTAS LOPES
  • SUSTENTABILIDADE ORGANIZACIONAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL: ATIVIDADE FACCIONISTA TÊXTIL NO SERIDÓ POTIGUAR

  • Orientador : IONE RODRIGUES DINIZ MORAIS
  • Data: 29/04/2016
  • Mostrar Resumo
  • As discussões acerca dos temas sustentabilidade e desenvolvimento foram ampliadas na tessitura da crise socioambiental, que se revela por meio da elevada degradação ambiental, do aumento da pobreza e da desigualdade social. Em escala local/regional, a sustentabilidade das estratégias de desenvolvimento é potencializada pelas condições econômicas e recursos humanos e ambientais disponíveis. Nesse contexto, a noção de sustentabilidade adquire proeminência, passando a ser institucionalizada por empresas que atuam em diferentes escalas geográficas, enfatizando a importância da Sustentabilidade Organizacional. O objetivo deste trabalho é analisar a atividade faccionista têxtil do Seridó na perspectiva da sustentabilidade organizacional das empresas que atuam no setor e de sua contribuição para o desenvolvimento local. Para a construção dessa análise, utilizou-se o Método para Avaliação de Indicadores de Sustentabilidade Organizacional (M.A.I.S), seu conjunto de indicadores e a metodologia de pontuação, bem como se levantou o número de empregos gerados, a receita bruta das empresas, os custos com setor pessoal e a arrecadaçãodo dos municípios. Os procedimentos seguiram a sistemática das pesquisas de campo e bibliográfica, utilizando a Triangulação de Dados como forma de atestar os dados coletados. Considerando os resultados da pesquisa quanto ao nível de sustentabilidade organizacional, a pontuação média obtida pelo conjunto da amostra indica que as empresas faccionistas têxteis se enquadram na faixa Sustentável, suas contribuições para o desenvolvimento local são significativas, uma vez que geram empregos, renda e aumentam a arrecadação de impostos para os municípios que sediam as unidades fabris, contribuindo para a economia da região.

10
  • MARCELO GOMES DE LIRA
  • PESCA DE ATUNS E AFINS NO OCEANO ATLÂNTICO: INTERAÇÕES OCEANOGRÁFICAS, IMPLICAÇÕES SOCIOECONÔMICAS E TECNOLÓGICAS

  • Orientador : JORGE EDUARDO LINS OLIVEIRA
  • Data: 27/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • A pesca oceânica gera alimento, emprego e renda e se mostra importante em função da proximidade do Brasil das rotas migratórias dos atuns e afins. Desta forma, estudos que relacionem a distribuição da abundância e estrutura populacional dos recursos pesqueiros com as variáveis ambientais e como essas relações influenciam na distribuição espaço-temporal, assim como um melhor entendimento da dinâmica e composição das capturas da frota que opera com espinhel no Atlântico, são essenciais para o estabelecimento de medidas que visem à exploração sustentável desses recursos. Foram analisados os dados de desembarques da frota sediada no Rio Grande do Norte (RN), principal exportador brasileiro de atuns e afins, durante o período de 2006 a 2016. Cerca de 80% das capturas em peso foram de Thunnus albacares, Thunnus obesus, Xiphias gladius e Prionace glauca. A remuneração da tripulação, combustível, isca e material de pesca representaram 65% dos custos de produção. O RN exportou aproximadamente 77% de T. albacares fresco e 26% congelado, 92% de T. obesus fresco e 90% congelado e 55% de X. gladius fresco e 95% congelados. Ainda foi analisada a distribuição espaço temporal de T. albacares, uma das principais espécies capturadas pela frota espinheleira do RN, e suas relações com as características oceanográficas das águas do Oceano Atlântico. Para este estudo foram utilizados dados de captura da frota espinheleira sediada no Estado do Rio Grande do Norte (Nordeste do Brasil), bem como dados de temperatura da superfície do mar (TSM), de clorofila-a (Chl-a), da área compreendida entre 42,2° e 24,8° W e 5,9° S e 8,8° N, além de dados relativos ao ciclo lunar para o período estudado. A metodologia empregada para modelar o efeito das variáveis sobre a captura por unidade de esforço (CPUE) e o comprimento dos indivíduos capturados foi o método Modelos Lineares Generalizados (GLM). Ao total foram analisados 10.350 exemplares, que corresponderam a 482,95 t, capturados entre dezembro de 2007 e agosto de 2015. Os resultados obtidos indicam que a distribuição, abundância e a estrutura de comprimento de T. albacares estão fortemente relacionadas com variáveis ambientais (fases da lua, TSM e Chl-a), temporais (trimestre e ano) e espaciais (latitude e longitude) e que a baixa proporção de adultos nas capturas totais de T. albacares, indica a necessidade de adoção de medidas de administração pesqueira, visando à conservação deste estoque.

11
  • ISAAC NEWTON LUCENA FERNANDES DE QUEIROZ
  • PERCEPÇÕES NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS EM ENERGIA EÓLICA E CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO MIGUEL DO GOSTOSO

  • Orientador : FRANCISCA DE SOUZA MILLER
  • Data: 09/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Sob o ponto de vista econômico, o aproveitamento do potencial eólico trouxe ao estado do
    Rio Grande do Norte vultosos investimentos de capital nacional e estrangeiro, transformandose
    em interesse político prioritário e representando uma alternativa à dependência do regime
    hidroelétrico que predomina no país. Tal matriz energética tem ainda um viés ambiental, na
    medida em que seus impactos no meio físico são comparativamente menores. Ademais, é
    considerada pelos acordos internacionais do clima, como a principal alternativa sustentável
    para o controle do efeito estufa a partir da redução da queima de combustíveis fósseis.
    Contudo, a implantação de torres eólicas tem gerado questões sociais graves, identificados em
    estudos ao redor do mundo, especialmente no que tange à apropriação de territórios, impactos
    paisagísticos, ruídos, dentre outros. Trata-se de uma questão de injustiça ambiental, onde os
    efeitos nocivos da atividade recaem justamente sobre os mais desamparados. Particularmente,
    seus efeitos também podem ser sentidos no município de São Miguel do Gostoso, localizado
    no litoral setentrional do RN. Na comunidade de Morro dos Martins, onde se desenvolveu a
    pesquisa, essa problemática se repetiu, ainda que em 2011 o empreendimento tenha sido
    objeto de um procedimento de licenciamento ambiental previsto na lei brasileira. A
    problemática surge, então, em verificar se o licenciamento alcança seus objetivos no tocante
    ao lado social da sustentabilidade e, também, se este possui um caráter democrático. Para
    tanto, foi realizada uma observação participante no local, bem como foi analisado o processo
    em questão e obtidos dados diretos da Prefeitura do Município. Durante a observação, foram
    realizadas 20 entrevistas com moradores que venderam suas terras à empresa que construiu o
    parque. Dentre os resultados, observou-se que a população vendeu suas terras à empresa,
    assediados pelo dinheiro e desamparados pelas instituições, e agora não têm mais como
    produzir, bem como fizeram mau uso do produto da venda dos seus bens. Além disso, os
    moradores se queixam da inércia do órgão ambiental na defesa de seus interesses, sendo que
    os regulamentos não concedem poder algum de decisão às pessoas diretamente afetadas pelos
    impactos das obras, o que não se traduz em ferramenta verdadeiramente democrática.
    Conclui-se que somente após a adoção de métodos que contemplem a participação da
    população de maneira efetiva, atendendo aos princípios da justiça ambiental, bem como a
    criação de uma associação que represente os interesses populares e os defenda em face de
    novas arbitrariedades.

2015
Dissertações
1
  • LUIZ CLAUDIO CARDOZO CHAVES
  •  

    INFLUÊNCIA DA RADIAÇÃO IONIZANTE NATURAL NO AÇUDE DO BOQUEIRÃO (RN): AVALIAÇÃO DE RISCO SAÚDE/AMBIENTE


  • Orientador : VIVIANE SOUZA DO AMARAL
  • Data: 04/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A contaminação de corpos hídricos por substâncias tóxicas causa a diminuição da qualidade da água, representando um risco para a saúde pública. Neste contexto, atividades antrópicas são geralmente vistas como as principais fontes de degradação da água. Entretanto, elementos encontrados naturalmente no ambiente também podem comprometer a qualidade da água. Assim, o açude do Boqueirão, localizado no município de Parelhas (RN/Brasil), foi escolhido como a área para o desenvolvimento deste estudo uma vez que está em uma região geologicamente rica em emissão de radiação ionizante natural que gera subprodutos como o chumbo e o radônio. Além disso, é uma área com forte influência humana que aumenta os riscos de descargas de poluentes para este corpo d’água. Assim, os objetivos deste estudo estão centrados (i) na análise da percepção do risco da população do município de Parelhas (RN/Brasil) acerca do consumo da água do açude do Boqueirão; e (ii) na avaliação da qualidade da água do açude empregando várias metodologias que quantifiquem, principalmente, os níveis de metais pesados e radioatividade, assim como, o potencial destes tóxicos induzirem mutações no material genético. A análise da percepção revelou que a população do município percebe um risco na utilização do açude e que conhecem os fatores que influenciam na qualidade de água.  Considerando o segundo objetivo, o conjunto de dados aponta para a contaminação do açude por metais pesados, além de terem sido encontrados altos níveis de partículas radioativas e radônio – também presente em altas concentrações no ar e no solo. Desta forma, podemos inferir que a população que reside nesta localidade está sujeita às injúrias provocadas pela exposição à contaminação natural e antropogênica. Nossos resultados corroboram com a percepção que a população tem em relação ao risco do uso deste açude para diversas finalidades. Espera-se que as informações reunidas neste trabalho fundamentem atividades e pesquisas subsequentes nesta região semiárida do Rio Grande do Norte/Brasil. Que os dados viabilizem uma melhor compreensão do cenário específico de risco toxicológico da população e o efeito da contaminação para a biota, o que auxilia o desenvolvimento de uma futura avaliação do risco e consequente gerenciamento desta problemática local.

2
  • PIATA DE MELO GURGEL
  • AVALIAÇÃO DO IMPACTO SOCIOAMBIENTAL DE INDÚSTRIAS TEXTEIS NO RIO JUNDIAÍ - MACAÍBA/RN/BRASIL

  • Orientador : VIVIANE SOUZA DO AMARAL
  • Data: 04/02/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A contaminação dos ambientes aquáticos é um fenômeno que remonta as origens das civilizações humanas e foi amplificado pelo advento dos processos industriais. A cidade de Macaíba/RN/Brasil tem como principal corpo hídrico o rio Jundiaí que sofre descarga de efluentes de diversas indústrias. O estudo se bifurcou numa frente de percepção socioambiental, realizado por meio de entrevistas semiestruturadas cujo efluente têxtil foi apontado pela população como o principal problema no rio. Observou-se que quase a totalidade dos entrevistados apresentava preocupação com o meio ambiente. Além disso, há uma inclusão dos indivíduos como parte causadora da problemática, pois uma parte significativa reconhece que suas atividades podem causar prejuízos ao ambiente e a saúde da população A partir disto, o monitoramento experimental da qualidade de água foi conduzido por meio de ensaios ecotoxicológicos e analises fisioquímicas que se propuseram a avaliar em Pomacea lineata e em Mysidopsis juniae o efeito isolado do efluente têxtil e sua influência no rio em comparação com os limites estabelecidos pela legislação brasileira.  Apesar da análise fisioquímica demonstrar-se inconclusiva acerca da participação do efluente têxtil na contaminação ambiental do rio, os ensaios ecotoxicológicos demonstraram-se contundentes ao sinalizar que o efluente pode apresentar risco aos organismos aquáticos e consequentemente à saúde humana. Dessa forma, de um modo interdisciplinar, foi possível estudar a causa do problema socioambiental apontado pela população na fase de percepção e o efeito mensurável com análises de qualidade de água no rio por meios dos ensaios mencionados.


3
  • PRISCILA MARIA OLIVEIRA CAMPOS MEDEIROS
  • DESEMPENHO ZOOTÉCNICO DOS CAMARÕES Litopenaeus vannamei E Macrobrachium rosenbergii EM TANQUES REDE E AQUICULTURA FAMILIAR DA COMUNIDADE DE BEBIDA-VELHA, RN

  • Orientador : CIBELE SOARES PONTES
  • Data: 10/02/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A produção aquícola brasileira é desenvolvida principalmente por pequenos produtores que na maioria das vezes ficam incapazes de cultivar camarão em viveiros devido ao elevado custo para a implantação dessas estruturas. O cultivo em tanques rede consiste em uma alternativa mais acessível aos pequenos produtores, é necessário que se busque respostas com relação à espécie que obtêm melhores índices zootécnicos nesse cultivo para que se alcance uma maior produtividade, e consequentemente um maior ganho econômico, além disso, saber qual é a densidade de estocagem ideal para os camarões.  O camarão marinho Litopenaeus vannamei é a espécie mais produzida no Brasil e de grande importância econômica no Rio Grande do Norte. Quanto aos camarões de água doce, a única espécie cultivada comercialmente no Brasil é Macrobrachium rosenbergii. No Rio Grande do Norte, a comunidade de Bebida-Velha é a única comunidade tradicional do Estado que cultiva o camarão de água doce M. rosenbergii. No entanto, o presente estudo visa avaliar o desempenho zootécnico e identificar as lesões das interações agonísticas de M. rosenbergii juvenis em diferentes densidades em tanques rede; comparar o desempenho zootécnico dos camarões juvenis M. rosenbergii e L. vannamei em tanques rede; além de conhecer os saberes e fazeres de uma comunidade tradicional de aquicultores de Bebida-Velha, no município de Pureza/RN, que praticam a aquicultura rural e familiar, bem como traçar o perfil socioeconômico da comunidade e avaliar o manejo que estes aquicultores utilizam no cultivo de camarões Macrobrachium rosenbergii. Dessa forma, a quantidade de lesões aumentou com o aumento da densidade de estocagem. A densidade de 10 camarões de água doce/m² apresentou as melhores condições para obter um melhor desempenho em tanques rede. Pode-se concluir que, em tanques rede, o cultivo da espécie de camarão de água doce M. rosenbergii teve melhores índices zootécnicos do que o cultivo da espécie de camarão marinho L. vannamei. Foi possível verificar que as atividades das quais os entrevistados praticam garantem uma boa qualidade de vida e renda para eles. Constatamos que os entrevistados possuem conhecimento tradicional do saber e fazer. Quanto ao M. rosenbergii, os entrevistados se mostram interessados no cultivo dessa espécie e o acham vantajoso.


4
  • KATHERINE DE SOUSA COSTA OLIVEIRA
  •  

    SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DOS AGRICULTORES FAMILIARES DA ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES E PRODUTORAS ORGÂNICAS DE CEARÁ MIRIM/RN


  • Orientador : CIMONE ROZENDO DE SOUZA
  • Data: 11/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A compreensão do conceito de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) proposta nesta pesquisa está apoiada na definição estabelecida pela II Conferência Nacional de SAN, “A segurança alimentar e nutricional consiste na realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras da saúde que respeitem a diversidade cultural e que sejam social, cultural, econômica e ambientalmente sustentáveis”. Tomando como referência este conceito, o instrumento de pesquisa, buscou analisar as estratégias e ações relacionadas à SAN, desenvolvidas pelos membros da Associação dos Produtores e Produtoras Orgânicas de Ceará Mirim, localizada no estado do Rio Grande do Norte, a partir dos aspectos relacionados à alimentação das famílias, bem como, suas formas de acesso, quantidade e cultura alimentar. Visando responder as seguintes perguntas: as famílias beneficiárias da Associação dos Produtores e Produtoras Orgânicas de Ceará Mirim possuem estratégias que garantam a SAN? Se sim? Essas estratégias originam-se de políticas públicas ou de ações próprias? Essas estratégias incidem sobre a renda das famílias? Nos gastos com alimentos e acesso à alimentação adequada? Como essas estratégias se articulam entre si e quais redes sociais elas formam? Os dados aqui analisados foram obtidos a partir de entrevistas semiestruturadas, realizadas nos locais de produção de cada agricultor e partem de uma abordagem qualitativa. Foram aplicados 21 questionários aos agricultores familiares, em sete projetos de assentamentos de Reforma Agrária: (Carlos Marighella, Nova Esperança II, Aliança, Marcoalhado I, Santa Águeda, Santa Luzia e União. A partir do estudo, concluiu-se que a maior parte das estratégias de SAN identificadas, resultaram do encadeamento de diferentes políticas públicas que potencializaram as estratégias existentes e criaram outras, como no caso da produção orgânica que constitui a motivação principal, inclusive para a organização do grupo pesquisado. Estas estratégias trouxeram melhorias na alimentação, provocaram mudanças em seus hábitos alimentares, em especial, na diversificação da produção de autoconsumo. Isto por sua vez, tem garantido maior autonomia alimentar e ampliado os canais de comercialização, seja por meio de feiras ou dos mercados institucionais. Verificou-se, também, que as relações de reciprocidade (atos de doar, trocar e receber) se ampliaram após a produção orgânica e que estas são imprescindíveis na garantia de alimentos em momentos de dificuldades, além de contribuem para fomentar a produção orgânica, através das trocas de insumos.

5
  • MÁRCIA GABRIELLE LIMA DE SENA
  •  

    EM BUSCA DA CIDADE SUSTENTÁVEL E DE SEUS INDICADORES


  • Orientador : EDMILSON LOPES JUNIOR
  • Data: 11/02/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Pode-se entender que os termos ligados ao Desenvolvimento Sustentável, e sua construção nas Cidades, ou seja, o Desenvolvimento Sustentável Urbano, é uma relação de necessidades, direitos e melhorias. Direito ao atendimento às necessidades comuns, e, melhoria das funções e serviços que promovem qualidade de vida. O tripé sociedade, economia e meio ambiente, sustenta uma das metas de maior destaque nos últimos anos, a Sustentabilidade. Visando esta meta comumente abstrata e dificilmente averiguada na prática, este trabalho tem por objetivo avaliar e mensurar a Sustentabilidade do Desenvolvimento Urbano das Regiões Administrativas da Cidade do Natal/RN, adaptando o modelo metodológico do Índice de Desenvolvimento Sustentável Municipal -  IDSM (MARTINS E CÂNDIDO, 2008) para bairros e zonas pontuais. Por meio da aplicação do IDSM, será possível projetar a realidade em curso do modelo de Desenvolvimento adotado, a partir do agrupamento de Indicadores distribuídos nas dimensões cultural, social, demográfica, ambiental, infraestrutura urbana e econômica. Os resultados obtidos, indicam índices classificados em estado de Alerta para as regiões Norte, Leste e Oeste, enquanto que a área Sul apresenta grau Aceitável de Sustentabilidade.


6
  • EMANUEL ARAUJO DE MACEDO SOUSA
  •  

    EFEITOS DE FUNGICIDAS ATERNATIVOS EM Carthamus tinctorius L. (ASTERACEAE), ESPÉCIE SUGERIDA PARA CULTIVO EM AGRICULTURA FAMILIAR


  • Orientador : JULIANA ESPADA LICHSTON
  • Data: 20/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O atual modelo de desenvolvimento predominante na sociedade global é ditado por uma racionalidade econômica que põe em risco meio ambiente e justiça social. Cada vez mais se tem despertado para os riscos dessa forma de produção e consumo, impulsionando a busca pelo desenvolvimento sustentável, com uma racionalidade ambiental que concilie as atividades humanas com preservação da natureza e bem estar de todas as classes socioeconômicas. Um dos esforços nesse sentido é a alteração da matriz que atende à demanda energética, substituindo combustíveis fósseis por fontes renováveis e mais limpas, como os biocombustíveis. Carthamus tinctorius (cártamo) é uma planta oleaginosa com potencial para produção de biodiesel, com bom rendimento e perfil químico de óleo aliados à boa adaptação a climas como o do semiárido nordestino. Com fomento de políticas públicas, o uso da espécie pode ser alternativa interessante à agricultura familiar. Na agricultura em geral é comum o uso de agrotóxicos para prevenir e combater doenças e pragas, prática não sustentável. Por isso, investiga-se o uso de substâncias alternativas menos danosas. Neste estudo objetivou-se avaliar se o extrato foliar de Azadirachta indica (20% m/v) e a calda bordalesa (sulfato de cobre) exercem efeitos na espécie do cártamo. Esses fungicidas alternativos foram pulverizados em plantas cultivadas em parcelas experimentais em campo, havendo coleta de folhas para análise de anatomia, cutícula foliar e morfologia da cera epicuticular, camada protetora que faz a interface planta-ambiente. Após comparação por análise de variância, constatou-se que não houve diferença entre tratamentos e o grupo controle, também não sendo observadas modificações anatômicas ou morfológicas. Objetivou-se também nesta dissertação verificar a aceitabilidade da cultura do cártamo entre agricultores do município de Apodi-RN, tendo em vista situarem-se na região-alvo para o cultivo da espécie, além da compreensão de que seu conhecimento e disposição para adotar a cultura é fundamental para a introdução da espécie e crescimento socioeconômico associado à sua exploração. 45 agricultores passaram por entrevistas semiestruturadas, abordando também a avaliação das espécies atualmente cultivadas e a percepção do uso de agrotóxicos e alternativas sustentáveis. A aceitação do cártamo foi ampla, com 84% dos entrevistados acreditando na perspectiva de lucratividade. O cenário atual, com pouca diversidade de culturas, frágil ante estiagens e pragas, pode explicar parcialmente essa opinião. Houve amplo reconhecimento da importância dos defensivos alternativos, justificados pela segurança à saúde. Os resultados encorajam o avanço de pesquisas experimentais, sempre em parceria com a sociedade, e apontam necessidade de investimento governamental na região para viabilização.

7
  • THIAGO FARIAS NÓBREGA
  • AVALIAÇÃO ECOTOXICOLÓGICA DE ÁGUA E SEDIMENTO EM UM RESERVATÓRIO DE ÁGUAS SUPERFICIAIS PARA ABASTECIMENTO PÚBLICO NO RN

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 20/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os efeitos deletérios das atividades humanas ao meio ambiente, são temas de vários estudos e consequentemente mudanças de paradigmas. Até pouco tempo acreditava-se em um infinito poder de diluição dos ecossistemas em relação aos agentes tóxicos, e pouco se conhecia dos efeitos dos contaminantes aos organismos. Áreas de intenso crescimento urbano contribuem com o incremento de substancias tóxicas e o desequilíbrio das dinâmicas naturais do ambiente. Dentre estes os lagos são ecossistemas complexos muito importantes para manutenção da vida, por abrigarem espécies, fontes de água superficial e por ter influência em microclimas. A Lagoa de Extremoz/RN, nordeste do Brasil, é um corpo hídrico localizado numa região de rápido crescimento urbano. Está sob influência de atividades rurais, urbanas e industriais, além do regime climático propicio a períodos prolongados de estiagem. O abastecimento de cerca de 300.00 pessoas da zona norte da metrópole depende da estabilidade hídrica desta lagoa. Neste trabalho foi realizado em dois momentos (Capítulo 1 e 2), análises físicas, químicas e ecotoxicológicas de água e sedimento superficial. Buscado descrever as relações entre os teores dos elementos químicos analisados e as respostas observadas nos ensaios ecotoxicológicos. Verificou-se no período de estiagem, ocorrência de toxicidade aguda aos Hyalella azteca e neste mesmo período as concentrações de metais pesados em água e sedimento também foram maiores. Em uma análise espacial percebeu-se que maioria das amostras com efeito tóxico aos organismos-teste e com maiores concentrações foram coletadas na estação T2. Pelo exposto existem indicações de que a qualidade da água da Lagoa de Extremoz esteja diminuindo gradualmente e este processo se agrava pontualmente nos períodos de menor pluviometria e na estação de amostragem T2.

8
  • ÉMILE ROCHA DE LIMA
  • CONSÓRCIO DE CÁRTAMO E FEIJÃO CAUPI: ALTERNATIVA PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NA AGRICULTURA FAMILIAR

  • Orientador : JULIANA ESPADA LICHSTON
  • Data: 20/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • As novas estratégias de desenvolvimento devem atuar principalmente nas áreas de eficiência energética e agricultura sustentável. Desta forma, a substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis, como o biodiesel, está cada vez mais em pauta. O cultivo de plantas oleaginosas para a produção de biodiesel deve acontecer em sistemas integrados que permitam melhores benefícios ambientais e sejam mais significativos economicamente. Assim, os objetivos do presente estudo foram: avaliar as características morfoanatômicas e fisiológicas de plantas de cártamo (Carthamus tinctorius L., oleaginosa promissora para a produção de biodiesel) cultivadas em monocultivo e em consórcio com o feijão caupi (Vigna unguiculata L. Walp.); além de identificar socioeconomicamente agricultores familiares e verificar a aceitação deles acerca do cártamo como cultura energética. A metodologia utilizada para as análises de crescimento do cártamo em monocultivo e consorciado com o feijão, foram análises morfoanatômicas e histoquímicas, feitas com amostras de plantas cultivadas em campo, nos dois sistemas de cultivo, durante todo o intervalo do ciclo de vida dessas plantas. Não houve alterações no crescimento e anatomia das plantas, mesmo em consórcio, o que é satisfatório para indicar o sistema consorciado para essas culturas e pode ser uma boa alternativa para o produtor familiar, que pode ter o cártamo como fonte de renda, sem precisar abdicar de plantar sua fonte de subsistência. Para a verificação da aceitação do cártamo por agricultores, foram feitas entrevistas a agricultores familiares da agrovila Canudos, em Ceará-Mirim/RN. Percebeu-se que boa parte deles aceitam a introdução do cártamo como cultura oleaginosa, apesar de desconhecerem a espécie, além de que, por ser mais resistente à seca, o cártamo auxiliaria na estabilidade das famílias, que dependem das condições do clima para o sucesso de seus cultivos atuais. De maneira geral, conclui-se que o cártamo possui características que o permite ser cultivado em consórcio para a produção de biodiesel aliada à produção de alimentos, como o feijão caupi, e pode ser utilizado possibilitando melhor desenvolvimento para a agricultura familiar.

9
  • LUÊNIA KALINE TAVARES DA SILVA
  • PESCA ARTESANAL ENTRE MUDANÇAS SOCIOAMBIENTAIS: ESTUDO DE CASO NA APA BONFIM-GUARAÍRA/RN-BRASIL

  • Orientador : FRANCISCA DE SOUZA MILLER
  • Data: 24/02/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A pesca artesanal representa uma das mais importantes atividades econômicas do Rio Grande do Norte (RN), constituindo-se na principal forma de sobrevivência e renda para muitas famílias. O litoral sul do RN tem forte tradição pesqueira, tanto na exploração de peixes quanto na coleta de moluscos às margens da Lagoa de Guaraíra (APA Bonfim-Guaraíra). Nos últimos anos as comunidades pesqueiras se tornaram mais vulneráveis às influências externas, uma vez que estão expostas as mudanças socioeconômicas e ambientais. Essas mudanças exigem adaptações dos pescadores às distintas condições do meio, já que os sistemas sociais e naturais são impulsionados por processos de reorganização e readaptação. As condições de vida nas comunidades de pesca são objetivas e necessárias de maneiras diferentes, de acordo com uma seleção que é cultural e logo, adaptável. Assim, este estudo possui o objetivo geral de analisar as principais mudanças socioambientais ocorridas em comunidades pesqueiras, a partir do entendimento dos pescadores e marisqueiras sobre essa problemática. Como objetivos específicos buscaram-se: delinear o perfil socioeconômico, as perspectivas e dificuldades dos pescadores e marisqueiras; investigar as principais mudanças sociais e ambientais ocorridas nas comunidades pesqueiras de Patané e Camocim (Arez/RN); e discutir a importância do espaço da Lagoa de Guaraíra para as comunidades. A metodologia qualitativo-quantitativa utilizou as técnicas de observação em campo e entrevistas abertas e semiestruturadas aplicadas aos representantes da Colônia de Pesca e aos pescadores e marisqueiras, respectivamente. Entre os meses de Janeiro a Julho de 2014 foram aplicadas as entrevistas semiestruturadas com 41 interlocutores de Patané e 23 de Camocim; totalizando 64 pessoas. Os resultados indicaram que os interlocutores têm idade entre 40 a 60 anos; possuem apenas o nível de ensino fundamental incompleto; são casados e têm filhos; sobrevivem com um rendimento mensal menor do que um salário mínimo e não estão recebendo o seguro defeso. O estudo de caso também revelou que os problemas socioeconômicos e ambientais refletem em mudanças na reprodução, organização e divisão social do trabalho, o que gera modificações adaptativas das famílias às influências externas, advindas diretamente de outras atividades econômicas e da pressão do mercado e indiretamente do turismo. Dessa forma, as adaptações ao cenário de mudanças se apresentaram como favoráveis aos aspectos socioeconômicos e desfavoráveis aos aspectos ambientais. Para as comunidades estudadas o espaço da Lagoa de Guaraíra é compreendido como natural e ao mesmo tempo transformado pelo uso dos recursos naturais como fonte de renda, alimentação e lazer. Em suma, a atividade pesqueira se desenvolve em meio a entraves técnicos, burocráticos e financeiros, em que a necessidade cotidiana de homens e mulheres é o fator determinante na disposição de continuar exercendo a pesca e mariscagem na Lagoa de Guaraíra, espaço que representa as relações sociais, práticas e costumes inerentes à atividade da pesca, transmitidas no decorrer da história local através da memória social dos mais velhos para os mais jovens.


10
  • WANDA CAROLINE ALVES DE MELO PAES BARRETTO
  •  

    QUAL A DIREÇÃO DOS VENTOS NA COSTA DO SEMIÁRIDO POTIGUAR? IMPLICAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS DA CONSTRUÇÃO DE UM PARQUE EÓLICO EM GALINHOS RN


  • Orientador : FRANCISCA DE SOUZA MILLER
  • Data: 25/02/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    A expansão das energias renováveis, especialmente da energia eólica representa uma nova característica na matriz energética global. Nas últimas décadas, observa-se o processo de crescimento da indústria eólica no Brasil, muitas dessas indústrias se localizando no litoral do Ceará e Rio Grande do Norte onde já é possível observar discussões a respeito dos impactos ambientais e dos conflitos sociais ocasionados com a instalação de parques eólicos, tanto dos que já estão instalados, como dos que estão em fase de implantação. É inegável a importância do uso de energias alternativas e renováveis na nova característica da matriz energética global, contudo é necessário que o desenvolvimento e utilização dessas novas fontes de energia sejam feito de forma responsável e com atenção, sem causar impactos às áreas de preservação permanente e às comunidades que vivem nesses locais. Este estudo objetivou discutir as implicações socioambientais da construção de parques eólicos no município de Galinhos – RN, através da percepção dos atores locais. O município de Galinhos abriga dois parques eólicos Rei dos Ventos I e Rei dos Ventos III, que ocupam uma extensão de 5 km numa área total de 719 hectares sobre dunas e restinga. Para tanto, se fez necessária uma revisão bibliográfica dos temas em questão, com o intuito de se estabelecer um referencial teórico, e de desenvolveu o trabalho a partir de uma metodologia pautada em pesquisas etnográficas, por meio de observação participante e entrevistas junto às comunidades. A implantação desses parques eólicos causou uma série de impactos para a comunidade do entorno, desde aspectos ambientais até a dificuldade de acesso as dunas pelos moradores, o que levou a população local a questionar o seu papel no processo de instalação do empreendimento, foi possível observar que a população local ainda espera compensações por parte do consorcio administrador do Parque Eólico, como benefícios para a cidade. Esperam também mais transparência por parte da gestão municipal em relação ao uso dos recursos repassados para a prefeitura.


11
  • ADRIANA DE ALMEIDA DAVID
  • A BIOTECNOLOGIA NA PROPAGAÇÃO E CONSERVAÇÃO DO UMBUZEIRO E PERCEPÇÃO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA POR EXTRATIVISTAS

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 27/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O umbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda.) é uma frutífera nativa do nordeste brasileiro de grande importância econômica, social e ecológica para o semiárido nordestino. Apesar disso, o umbuzeiro tem sofrido pressão negativa graças ao extrativismo desordenado e à seleção negativa de seus frutos, que junto ao desmatamento e à dormência de sementes contribuem para a diminuição de sua produção ano a ano, tornando necessários estudos que contribuam não só para o melhoramento dessa espécie como para sua conservação. Dados os riscos para a conservação do umbuzeiro e sua utilidade para a população que a associação entre a biotecnologia vegetal, por ser uma ferramenta que pose ser utilizada para aumentar sua produção e a percepção da comunidade extrativista, por valorizar o olhar e o saber da população, podem favorecer sua conservação. Esse trabalho teve o objetivo de desenvolver métodos de propagação do umbuzeiro bem como contribuir com a sua conservação usando a biotecnologia, com os objetivos específicos de contribuir para a conservação dessa espécie; determinar concentrações de BAP e ANA na formação de brotos; testar a eficiência de diferentes substratos e concentrações de ácido giberélico na germinação in vitro e ex vitro, assim como captar a percepção de famílias em comunidades que praticam o extrativismo de umbu. Para estudar a germinação as sementes foram inoculadas em diferentes substratos (vermiculita, vermiculita + barro, barro, barro + esterco e esterco + vermiculita) e em diferentes concentrações de ácido giberélico (0mg, 250g e 500mg). Para a formação de brotos BAP a 0,1 mg.L-1 foi associado a diferentes concentrações de ANA (0,2; 0,4; 0,8mg.L-1). Para o estudo de percepção foi realizado aplicação de questionário semiestruturado junto à comunidade extrativista de Malhada Vermelha. Os experimentos resultaram em vermiculita e concentração de 500mg de ácido giberélico como os melhores para germinação. A associação de 0,1 mg.L-1 de BAP à 0,2 mg.L-1 de ANA proporcionaram maior formação de brotos. Quanto à aplicação de questionários, estes revelaram que a população percebe a diminuição da quantidade de umbuzeiros e umbua na região, bem coo apresenta preocupação com sua conservação.

12
  • LUDMILA DE MELO ALVES DAMASIO
  • TENDÊNCIAS DA EXPLORAÇÃO PESQUEIRA NA COSTA DO RIO GRANDE DO NORTE

  • Orientador : ADRIANA ROSA CARVALHO
  • Data: 27/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Nas áreas pobres em dados, o conhecimento dos pescadores tem sido útil para complementar lacunas atuais e no passado de dados científicos sobre vários temas da pesca. Aqui foi verificado se as informações dos pescadores costeiros (N = 82), a partir de duas comunidades no NE brasileiro, é apoiada por dados oficiais de desembarque e se o seu conhecimento poderia ser usado de forma confiável para reconstruir as capturas e CPUE (captura por unidade de esforço) para 1993, 2003 e 2013. Os registros de desembarque confirmaram a premissa dos pescadores de que as capturas não se alteraram ao longo de 2003 a 2013, em ambas as comunidades (C1: t = 0,1; p = 0,2; C2: t = 1,6; p = 0,1). Estimativas dos pescadores para a sua captura média por espécies concordaram estatisticamente com os dados de desembarque para três espécies (bonito, bagre mar de coco e tubarões) de um total de 22 espécies. Para outros 13, as informações fornecidas pelos pescadores e pelos dados de desembarque foram semelhantes, embora estatisticamente não significativa. Os pescadores superestimaram a CPUE de espécies capturadas usando linhas ou redes de emalhar (à exceção de Cynoscion jamaicensis, que foi subestimado). Por outro lado, os pescadores deram estimativas precisas da abundância que foram congruentes com os dados de desembarque para as 11 espécies mais importantes (correlação de Spearman: r 2013 = 0,8; r2003 = 0,9; p = 0,000). Por isso, os pescadores eram mais capazes de perceber mudanças na abundância em vez de mudanças em seu esforço, o que sugere que as informações relativas CPUE devem ser mais cuidadosamente interpretadas, como pode haver uma ligeira sobreestimativa para algumas espécies. No futuro, devemos tratar porque os pescadores podem dar informações detalhadas sobre as suas capturas e esforço para algumas espécies, mas não para outros.

13
  • DACIFRAN CAVALCANTI CARVALHO
  • GESTÃO E GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS: O CAMPUS CENTRAL DA UFRN EM ANÁLISE

  • Orientador : IONE RODRIGUES DINIZ MORAIS
  • Data: 18/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • Intensas mudanças socioeconômicas, ocorridas no final da década de 1970, decorrentes do processo de internacionalização da economia, impulsionaram a produção e o consumo de equipamentos eletrônicos em todo o mundo. Como resultado, houve um incremento na demanda por recursos naturais para sua fabricação, e uma maior quantidade e diversidade de resíduos sendo gerados e depositados de forma inadequada sobre o planeta Terra, acarretando a degradação do meio ambiente. Esse contexto impõe um novo desafio às Instituições Educacionais de Ensino Superior (IFES): gerir e gerenciar de modo ambientalmente sustentável os seus Resíduos de Equipamentos Eletrônicos (REEs). Nessa perspectiva este trabalho aborda o tema em dois capítulos. O primeiro traz, por meio de pesquisa exploratória bibliográfica qualitativa com base em livros, artigos, dissertações e legislação a análise comparativa da interação entre a Agenda Ambiental na Administração Pública e a Política Nacional de Resíduos Sólidos, e suas Contribuições para Práticas Sustentáveis na Administração Pública. O estudo fornece, assim, evidências da interação e contribuição de ambos os marcos para a prática de ações sustentáveis na gestão e no gerenciamento dos resíduos sólidos, contemplando a dimensão social, econômica e ambiental, demonstrando que o longo caminho a se percorrer em prol da sustentabilidade do desenvolvimento não desqualifica as contribuições desses instrumentos às instituições que a eles aderirem. No capítulo seguinte este trabalho aborda a Gestão e o Gerenciamento de Resíduos de Equipamentos Eletrônicos no âmbito do Campus Central da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) a fim de analisar o atual sistema de gestão e gerenciamento dos REEs gerados. Para a observação pretendida, a investigação fez uso de estudo de caso e de pesquisa exploratória qualitativa e quantitativa. Trata de um contexto local cuja dimensão tem abrangência global, uma vez que a degradação ambiental decorrente do consumo exacerbado de equipamentos eletrônicos e da destinação inadequada dos REEs representa um fenômeno que afeta significativamente, de modo negativo, a qualidade do ecossistema, a segurança e a saúde dos habitantes da Terra. Os resultados da pesquisa indicam que as condições de armazenamento dos REEs, bem como o processo de coleta nas unidades amostrais são inadequados; e, ainda, há carência de um centro de triagem e recuperação de REEs, de pessoal capacitado e de ferramentas adequadas para a eficácia desse processo; e detectam deficiência na política de incentivo aos processos de redução, reutilização e reciclagem preconizada pela A3P e PNRS. Dessa forma, sugere medidas já aplicadas em caso semelhante em outra Instituição Pública a fim de mitigar os problemas decorrentes da gestão e do gerenciamento inadequados dos REEs.

14
  • DIEGO DA ROCHA FERNANDES
  • GESTÃO E GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: DIRETRIZES JURÍDICO-AMBIENTAIS PARA A SUSTENTABILIDADE

  • Orientador : DANIEL DURANTE PEREIRA ALVES
  • Data: 14/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos 30 anos, a produção dos lixões vem crescendo vertiginosamente nas cidades, a um só tempo em que, na grande parte dos municípios brasileiros, constata-se a inexistência de reflexão teórica sobre políticas públicas, e estratégias em gestão e gerenciamento integrado de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) e rejeitos. A destinação e disposição final inadequada do RSU resultam em graves problemas socioambientais e desperdício de materiais que podem ser usados em reciclagem ou reaproveitamento, além de trazer enormes desafios para a estratégia da Gestão Ambiental Urbana, considerando a edificação da Cidade Sustentável. Diante disso, o presente trabalho procura avaliar a problemática do RSU sob a perspectiva jurídico-ambiental, considerando as políticas públicas ambientais e as tecnologias sociais como táticas para a resolução dessa problemática. Assim, mediante a análise de leis, textos científicos e a doutrina do Direito Ambiental, pertinentes à temática, a proposta apresentada é uma pesquisa de metodologia interdisciplinar, com método bibliográfico, acerca dos aspectos teóricos das diretrizes jurídico-ambientais, das políticas públicas e das tecnologias sociais. Elementos teóricos, pois, essenciais na concepção de um Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS) - modus operandi da Lei federal n. 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS). Tal política normativa é imprescindível à captação de recursos econômicos do Governo Federal (Ministério das Cidades; idem, Decreto federal n. 7.404/10 e Lei federal n. 10.257/2001) para a preservação do meio ambiente, desenvolvimento regional, geração de emprego e renda (art. 6º), além do custeamento de empresas privadas especializadas no gerenciamento do RSU. Consequentemente, a PNRS traz diretrizes às cidades brasileiras, devendo-se ser possível a operacionalização desta política normativa através da teoria das Tecnologias Sociais (TS) por questões de interesses sociais, jurídicos, econômicos e ambientais. Portanto, a pesquisa analisa a possibilidade de gestão ambiental de resíduos sólidos frente ao binômio desenvolvimento e sustentabilidade no espaço urbano.

15
  • LILIANE BARBOSA DOS SANTOS
  • CARACTERIZAÇÃO DAS COMUNIDADES ALGAIS NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL DOS RECIFES DE CORAIS (APARC), RN: SUBSÍDIOS PARA MONITORAMENTO E CONSERVAÇÃO

  • Orientador : ELIANE MARINHO SORIANO
  • Data: 15/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • A zona intertidal das áreas recifais está incluída entre os ecossistemas que mais sofrem pressões antrópicas. Assim, estudos sobre as características das comunidades algais, como por exemplo, riqueza, diversidade e abundância são importantes para avaliar a qualidade ecológica desses ambientes. Esse estudo teve como objetivo caracterizar as comunidades de macroalgas da Área de Preservação Ambiental dos Recifes de Corais (APARC) no Rio Grande do Norte. Além da importância ecológica dessa área recifal grande parte da comunidade, principalmente mulheres, realizam a atividade econômica de extração de algas em períodos de maré baixa e desenvolvem o cultivo de algas em estruturas flutuantes. Essa dissertação é composta de dois capítulos. O capitulo 1, caracteriza e compara a distribuição das macroalgas em relação aos diferentes níveis de hidrodinamismo na área recifal. Para esse estudo 3 estações de coleta foram selecionadas e em cada estação foram demarcados 3 pontos na região intertidal (superior, médio e inferior). Em cada ponto foram realizados 3 transectos (10 m), onde foram posicionados quadrados  de 0,25 m2 para determinação da biomassa. Todo o material contido no quadrado foi coletado e identificado. Nesse estudo foram registradas 56 espécies de macroalgas, das quais 37 pertenciam a divisão Rhodophyta, 8 Heterokonthophyta e 11 Chlorophyta. Os pontos da zona intertidal médio e inferior apresentaram maior biomassa, diversidade e riqueza de espécies, enquanto a zona intertidal superior apresentou a maior dominância.  A partir desses resultados, foi possível estabelecer diferenças na composição das macroalgas entre os pontos da zona intertidal em todas as estações, sendo essas diferenças causadas pelas variações na intensidade do hidrodinamismo. O Capitulo 2 analisou as contribuições da algicultura na conservação dos bancos naturais de algas, e nas questões socioeconômicas que envolvem as maricultoras. Nesse estudo ficou evidenciado que a atividade de cultivo de algas tem contribuído para diminuir a pressão sobre os bancos naturais e tem se tornado um complemento de renda familiar para a associação de maricultoras de Rio do Fogo (AMAR).

2014
Dissertações
1
  • ROBERTO ROSA
  • VINCULANDO A ETNOICTIOLOGIA ÀS EVIDÊNCIAS BIOLÓGICAS PARA EXPLICAR O DECLÍNIO DA RIQUEZA DA ICTIOFAUNA NEOTROPICAL

  • Orientador : RONALDO ANGELINI
  • Data: 31/01/2014
  • Mostrar Resumo
  • A diversidade de espécies de peixes da América do Sul vem sendo afetada por diversas práticas antrópicas. Alguns estudos têm documentado os efeitos resultantes destas transferências ilegais de espécies exóticas. A perda de riqueza da ictiofauna e consequente desarticulação da pesca têm sido evidenciadas nestes casos. O nordeste brasileiro apresenta lagoas para as quais foram transferidas espécies exóticas amazônicas, como a Lagoa de Extremoz. Estes ambientes servem como modelos de estudo para fins de comparação e investigação dos possíveis impactos decorrentes destas introduções. Testamos a hipótese de que a perda de riqueza da ictiofauna e consequente desarticulação da pesca artesanal exibem relação com a inserção do gênero Cichla, comumente documentado como predador de topo em seu ambiente endêmico. Possíveis causas estruturais que interferissem em outros processos, como os de migração, também foram investigadas. Para tanto, o conhecimento ecológico local dos pescadores e um modelo ecotrófico atual foram utilizados. Durante dois ciclos anuais, efetuamos amostragens de fitoplâncton, zooplâncton e peixes. Concomitantemente, efetuamos entrevistas com a comunidade de pescadores. Segundo os resultados obtidos, pode-se inferir que existe um padrão de queda de riqueza das espécies de peixes da lagoa de Extremoz. Porém, Cichla kelberi não foi indicado como fator principal para que este declínio viesse a ocorrer. A construção de pontes, localizadas no Rio Doce, foi apontada pelo conhecimento ecológico local como fator primário para que o número de espécies diminuísse neste ambiente. A migração de peixes de água salgada e/ou provenientes do Oceano Atlântico para a Lagoa de Extremoz parece ter sido impedida com os impactos causados por estas obras cíveis, especialmente no que diz respeito à inadequação das manilhas às necessidades da ictiofauna. Segundo o modelo ecotrófico, Hoplias malabaricus foi considerada espécie-chave e Cichla kelberi predador de topo, tendência similarmente obtida nas análises estomacais e através do conhecimento ecológico local dos pescadores. Simulações de sobre pesca para o tucunaré indicaram inviabilidade em relação ao aumento da captura desta espécie. Em 6 anos, mesmo aumentando a pesca de tucunaré  em 200%, outras espécies  poderiam aumentar sua biomassa somente em 15 e 30%. A influência negativa da inserção de espécies exóticas sem estudo prévio para determinados ambientes e a falta de investimento em estruturas adequadas às necessidades da ictiofauna parecem atuar simultaneamente, causando o declínio da riqueza de espécies e consequente colapso da pesca artesanal local.

2
  • NARA GUIMARAES AZEVEDO
  • BENEFÍCIOS ECONÔMICOS AGREGADOS ÀS PROPRIEDADES URBANAS PELAS PAISAGENS NATURAIS 

  • Orientador : ADRIANA ROSA CARVALHO
  • Data: 17/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • O valor das amenidades fornecidas por áreas verdes, o mar, o rio e a paisagem natural são dificilmente percebidas e incorporadas no planejamento e desenvolvimento urbano. Neste trabalho foram avaliadas como a distância e a vista para áreas verdes urbanas protegidas, não protegidas, para o mar e o rio incrementam o valor de residências em Natal. Foi utilizada a metodologia de preços hedônicos para estimar o valor implícito marginal de atributos ambientais, residenciais e urbanísticos através de modelos lineares. Os resultados do Capítulo 1 demonstram que a vista para o mar e para as áreas naturais protegidas foram amplamente capitalizadas nos preços dos imóveis, enquanto que para as áreas naturais não protegidas este efeito não foi observado. O preço do imóvel também aumenta se está próximo ao mar e a entrada de parques. No entanto, os preços das habitações diminuem quando estão próximas as áreas naturais não protegidas. Quando os imóveis com vista para o mar foram excluídos, tanto a vista para a área natural protegida quanto uma maior distância da área natural não protegida aumentaram o preço da propriedade. Os resultados do Capítulo 2 indicaram que a vista para o mar é uma variável hedônica que contribui muito para o preço de venda do imóvel, embora nem sempre seja a que mais contribui; ainda, a proximidade do imóvel em relação à entrada do Parque das Dunas ou do Parque da Cidade aumenta o seu preço, como também aumenta se está próximo ao Parque das Dunas e se tem vista para o Parque da Cidade ou para o Parque das Dunas. Por outro lado, os preços de venda diminuem se as propriedades estão próximas ao Parque da Cidade ou ao Morro do Careca. Os resultados deste estudo confirmam que a metodologia de preços hedônicos é um instrumento importante capaz de revelar à população a importância das amenidades ambientais e pode ser utilizada por gestores públicos na criação de políticas públicas para projetos de conservação e recuperação do meio ambiente.   

3
  • DEBORAH QUINDERE CARNEIRO
  • CARACTERÍSTICAS ECONÔMICAS DO VALOR DE USO E DE NÃO USO DE PARQUES SOBRE DUNAS

  • Orientador : ADRIANA ROSA CARVALHO
  • Data: 18/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação teve como objetivo estimar os valores de uso, não-uso e o valor econômico total de unidades de conservação que protegem o ecossistema de dunas, através dos métodos de Valoração Contingente e do Custo de Viagem. O método de Valoração Contingente é capaz de estimar o valor de não-uso de um recurso natural através da utilização de um mercado hipotético que consiste em um cenário ambiental fictício em que o bem ambiental sofre variações em suas quantidades e os indivíduos expressam suas preferências declarando quanto estariam dispostos a pagar (ou aceitar) para garantir a continuidade (ou a perda) da provisão do bem. Neste estudo, foram aplicadas duas formas de pagamento para o mercado hipotético da técnica de Disposição a Pagar (coletiva/obrigatória e individual/voluntária) com o objetivo de identificar a demanda da população por investimentos públicos nas unidades de conservação costeiras urbanas, para testar a eficiência de ambas formas de pagamento e para captar os votos de protesto dos entrevistados, na tentativa incorporar nas análises a verdadeira disposição a pagar dos entrevistados pela a manutenção e conservação das unidades de conservação. Os resultados mostraram maiores lances de disposição a pagar para a forma de pagamento coletiva e obrigatória, pois em países em desenvolvimento as pessoas atribuem ao governo o financiamento da conservação de paisagens naturais. A diferença entre os valores de não-uso estimados pelas duas formas de pagamento foi de R$ 8,2 milhões (3,5 milhões) e isso representa a demanda da população local por investimentos públicos na conservação das áreas costeiras. O Método do Custo de Viagem foi utilizado para estimar o valor de uso das dunas, obtido a partir dos gastos incorridos pelos visitantes ao visitar as áreas de dunas e o somatório deste valor ao valor de não-uso representa o valor econômico total agregado pela paisagem de parques dunares. Paisagens dunares geram anualmente um montante de R$ 800.428,46 por hectare (US$ 339.049,67). A maior contribuição para esse montante econômico é do parque visitado por turistas, em que o valor agregado pela recreação é 53 vezes maior que o parque visitado por moradores. Embora turistas e moradores reconheçam os benefícios de alguns serviços proporcionados por este ecossistema, ambos atribuem maior valor à contemplação da paisagem natural e à recreação ao ar livre. A estimativa desse valor para os diferentes tipos de público oferece à gestores um justificativa econômica para direcionar uso e conservação de áreas de dunas, subsidia na tomada de decisão através de análises de custo benefício no processo de formulação, acompanhamento e avaliação de políticas públicas e auxilia a investigar como os benefícios variam de acordo com os tipos de visitantes. Portanto, o uso de estimativas do valor do meio ambiente nesta dissertação, identificou o valor econômico intrínseco das áreas de dunas às áreas naturais e o valor agregado pela sua existência e, portanto, permite que se dimensione a importância dos investimentos em sua conservação e restauração, podendo ser utilizada como indicador para direcionar políticas e distribuição de investimentos para a conservação dos mesmos. Outro aspecto importante na aplicabilidade de metodologias de valoração ambiental é a contribuição que o uso desse instrumento traz para o debate científico sobre os problemas técnicos existentes nas metodologias.

4
  • JESSICA ROBERTS FONSECA
  • AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE TOXICIDADE DE FLORAÇÕES DE CIANOBACTÉRIAS COMO SUBSÍDIO PARA AÇÕES DE GESTÃO AMBIENTAL EM AÇUDES DO SEMIÁRIDO POTIGUAR

  • Orientador : IVANEIDE ALVES SOARES DA COSTA
  • Data: 21/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Açudes que são utilizados para abastecimento da população, pesca, atividades aquicultoras e de lazer do semiárido do RN (Brasil) apresentam constante estado eutrófico com permanentes florações de cianobactérias muitas vezes tóxicas que são responsáveis pela produção de cianotoxinas. As florações comprometem negativamente o meio ambiente aquático, plantas, animais e a saúde dos seres humanos. Quando há a produção de cianotoxinas pelas florações, a contaminação pode ocorrer via oral, através da ingestão da água, via dermal, através do contato com a pele, através do consumo de pescado e plantas, onde as cianotoxinas podem estar bioacumuladas e também pode ocorrer através da hemodiálise. Assim, é recomendado o monitoramento permanente da densidade de cianobactérias juntamente com a quantificação de cianotoxinas. Um dos objetivos com esse trabalho foi realizar o monitoramento da água de quatro açudes do semiárido norteriograndense através da identificação e contagem de cianobactérias e através da identificação e quantificação das cianotoxinas pelo do método ELISA. Outro objetivo foi avaliar a bioacumulação e depuração de microcistinas e saxitonas em tilápias (Oreochromis niloticus) (de quatro açudes e três viveiros) através da identificação e quantificação de microcistinas e saxitoxinas no músculo e fígado das tilápias antes e após o experimento de depuração, que visa averiguar a diminuição de cianotoxinas em tecidos de tilápias através da manutenção dos peixes vivos por alguns dias em água de boa qualidade e sem alimentação. Além disso, pretendeu-se avaliar a percepção ambiental de aquicultores e pescadores em açudes do semiárido do RN através de entrevistas semiestruturadas com questões majoritariamente relacionadas à água e eutrofização. Através desses objetivos visou-se o desenvolvimento de estratégias de manejo para aquicultura e prevenção de riscos à saúde pública. Os resultados demonstraram que os maiores valores de microcistinas foram encontrados no período chuvoso. Os padrões de potabilidade da água, de acordo com a portaria do Ministério da Saúde 2914/2011 e CONAMA 357/05, estabelecem os valores máximos para água bruta de densidade de cianobactérias: 50 mil cel.mL-1; microcistina: 1 µg.L-1 e saxitoxina:  3 µg.L-1. Os valores encontrados de microcistinas variaram entre 0,00227 µg.L-1 e 24,1954 µg.L-1. Das 128 amostras analisadas, 27% estavam acima do permitido. Não foi encontrado um padrão sazonal para saxitoxinas e seus valores variaram entre 0,003 µg.L-1 e 0,766 µg.L-1 com nenhum dos valores acima do permitido. Além disso, 76% dos valores de densidade de cianobactérias estavam acima do permitido. As amostras analisadas de tecidos de peixes não apresentaram toxicidade detectável. Em relação à percepção ambiental, foram realizadas 52 entrevistas e os resultados mostram que os entrevistados reconhecem os principais usos da água dos açudes, reconhecem a importância e enxergam os mesmos de forma positiva. Eles também percebem que a água está com a qualidade ruim e que pode trazer problemas de saúde. Os resultados fornecem dados que demonstram a permanência de cianobactérias e cianotoxinas, muitas vezes acima do limite, reforçando a importância do monitoramento constante. Além disso, mostram que apesar de haver constantes florações de cianobactérias tóxicas e presença de microcistinas e saxitoxinas, elas não estão acumuladas no pescado. A avaliação da percepção ambiental dá embasamento a uma posterior proposta de educação ambiental ligada à gestão pública da saúde inserida no contexto dessa determinada população, tornando-a mais efetiva.

5
  • LUZIMAR PEREIRA DA COSTA
  • ANÁLISE DA MOBILIDADE URBANA DE NATAL/RN A PARTIR DO USO DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE

  • Orientador : IONE RODRIGUES DINIZ MORAIS
  • Data: 24/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Na atualidade, a mobilidade urbana se apresenta como um dos principais desafios das grandes e médias cidades brasileiras, pois apresenta sinais de insustentabilidade, principalmente em decorrência do incremento no sistema de transporte motorizado, especialmente o individual. Diante disso, torna-se evidente que a mobilidade, considerada de especial interesse para o desenvolvimento urbano sustentável, vem enfrentando uma crise que se reflete em externalidades negativas, sobretudo no que se refere aos congestionamentos, aos acidentes, à poluição atmosférica, à exclusão social, entre outros. A complexidade desses problemas exige uma análise integrada alicerçada nos princípios da sustentabilidade. Nesse sentido, buscando compreender tal problemática e na tentativa de minimizar os diversos impactos dela decorrentes,  Costa (2008) propôs o Índice de Mobilidade Urbana Sustentável (IMUS) com o objetivo de oferecer uma metodologia capaz de avaliar aspectos pertinentes à mobilidade, incluindo as dimensões social, política, econômica e ambiental. Diante do exposto, elegeu-se como principal objetivo deste estudo analisar a mobilidade urbana de Natal/RN na perspectiva da sustentabilidade. Como objetivos específicos buscá-se analisar a mobilidade urbana de Natal, utilizando como ferramenta o IMUS tanto para a cidade como um todo, quanto para cada uma das suas quatros Regiões Administrativas; avaliar as condições de acessibilidade urbana em Natal e verificar em que medida o acesso a serviços e equipamentos urbanos é facilitado ou dificultado em virtude da localização e do poder aquisitivo da população. Para tanto, fez-se necessário o uso de pesquisa bibliográfica, documental e de campo. O índice, que varia de 0,00 e 1,00, revelou para Natal o valor Global de 0,510, e no que se refere às suas regiões administrativas demonstrou que há diferenças percentuais muito pequenas em relação ao índice global calculado para a cidade.  O desempenho do IMUS por região administrativa evidenciou que, embora existam diferenças, os resultados ficaram muito próximos, com variações entre 0,494 e 0,537. No que tange particularmente à acessibilidade urbana, verifica-se que Natal apresenta-se como uma cidade desigual e essa iniquidade, que não é apenas de renda, se reflete nas questões relacionadas à acessibilidade e, consequentemente, à mobilidade urbana.

6
  • RAYANA GARCIA DE MACEDO
  • QUILOMBOLAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: ANÁLISE A PARTIR DA COMUNIDADE CAPOEIRA DOS NEGROS (MACAÍBA/RN)

  • Orientador : IONE RODRIGUES DINIZ MORAIS
  • Data: 24/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • As comunidades remanescentes quilombolas são grupos marcados pela insuficiente assistência pública e caracterizados pela vivência no meio rural e realização de atividades econômicas como a agricultura. O desenvolvimento em bases sustentáveis é importante para garantir estratégias de crescimento econômico e preservação ambiental. Este trabalho pretende estudar a comunidade remanescente quilombola Capoeira do Negros, localizada no município de Macaíba, Rio Grande do Norte, considerando os princípios do desenvolvimento sustentável. Procurará responder em que nível a referida comunidade pode ser considerada sustentável a partir da análise de suas práticas sociais. Os procedimentos metodológicos utilizados consistiram em revisão bibliográfica e documental, aplicação de questionários, realização de entrevistas semiestruturadas e observação direta. Os resultados finais mostram que a agricultura familiar possui características que a aproximam dos princípios do desenvolvimento sustentável, entre elas, a diversificação do trabalho, a produção de alimentos com menores danos ambientais e o fortalecimento do meio rural; e indicam que as principais atividades econômicas praticadas na comunidade Capoeira dos Negros são a agricultura, a fabricação de farinha de mandioca e a fabricação de tijolos, que, por sua vez, estão ligadas a impactos ambientais negativos, como assoreamento da lagoa, contaminação do lençol freático, poluição atmosférica e erosão do solo. O que levam a conclusão de que as práticas sociais da comunidade não estão em consonância com as dimensões do desenvolvimento sustentável. Espera-se que os resultados da pesquisa forneçam subsídios a elaboração e implementação de políticas públicas.

7
  • IVANILDO MARTINS FORMIGA JÚNIOR
  • SUSTENTABILIDADE DO CULTIVO DE MELÃO NO ASSENTAMENTO SÃO ROMÃO EM MOSSORÓ/RN

  • Orientador : VIVIANE SOUZA DO AMARAL
  • Data: 26/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A agricultura é um dos temas mais discutidos atualmente dentro do campo conceitual da sustentabilidade. Os debates são cada vez mais recorrentes e colocam em questão, o modelo adotado a partir pós-guerra, denominado de revolução verde, pelo seu potencial de degradação dos recursos naturais. Esse tipo de agricultura colocou o Brasil no topo do agronegócio mundial, aonde se destaca em diversos setores como o de grãos, carne, açúcar e também na fruticultura. As discussões estão voltadas para aspectos relacionados ao uso de agroquímicos, monocultivo, conversão de florestas nativas em extensas áreas agrícolas, dentre outros pontos tidos como deletérios ao equilíbrio ambiental. Por outro lado, encontra-se um modelo, denominado de agricultura familiar, que para muitos pesquisadores, possui atributos mais próximos do entendimento de agricultura sustentável. No estado do Rio Grande do Norte, o potencial agrícola reside principalmente na fruticultura, aonde se destaca o agropolo Açu-Mossoró, como uma das principais regiões produtoras de frutas tropicais do Brasil, sendo o melão o principal fruto produzido. O cultivo desta olerícola desenvolveu-se na região no final da década de 1980, a partir do investimento de grandes empresas agrícolas, cujas técnicas de cultivo eram pautadas pela revolução verde. Atualmente, o cultivo do melão é também desenvolvido em agroecossistemas cuja gestão é caracterizada pela participação familiar, inclusive em assentamentos rurais criados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Diante desta inserção da agricultura familiar num campo em que a pouco era dominado por grandes empresas agropecuárias, surgem questões relativas a manutenção dos atributos que caracterizam essa modalidade de gestão agrícola. O presente trabalho objetivou a avaliação da sustentabilidade de agroecossistemas familiares do assentamento São Romão em Mossoró-RN, cultivados com melão. O estudo foi realizado a partir da utilização da estrutura do Marco para Avaliação de Sistemas de Manejo de Recursos Naturais Incorporando Indicadores de Sustentabilidade (MESMIS), em dez agroecossitemas do assentamento. Os dados foram obtidos a partir da realização de entrevistas semi-estruturadas e observações de campo, de forma que as respostas, considerações e comentários realizados pelos assentados foram amplamente aproveitados para percorrer os seis passos do ciclo avaliativo do MESMIS. Foram determinados sete pontos críticos que afetam a sustentabilidade, sendo: recursos hídricos, solos, dependência de insumos externos, biodiversidade, qualidade de vida, rendimento familiar e organização comunitária, a partir dos quais derivaram vinte e três indicadores que buscaram refletir o real estado de sustentabilidade dos agroecossistemas.

8
  • JULIENNE LOUISE DOS SANTOS GOVINDIN
  •  

    IMPACTO SOCIAL E PESCADORES: DA AGROINDÚSTRIA CANAVIEIRA A UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO EM BAÍA FORMOSA (RN)


  • Orientador : FRANCISCA DE SOUZA MILLER
  • Data: 27/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • As unidades de conservação surgiram em resposta aos danos ambientais. Na mata atlântica do Nordeste brasileiro, os maiores danos são oriundos da agroindústria canavieira, sobretudo através do desmatamento para introdução dos canaviais e instalação do aparato industrial. Além dos danos na biodiversidade, há também sérios problemas sociais que afetam as comunidades que sobrevivem direta ou indiretamente do bioma da mata atlântica. O objetivo dessa pesquisa é analisar os impactos sociais na comunidade de pescadores do município de Baía Formosa/RN, gerados pelas mudanças e transformações socioambientais ocorridas a partir da instalação de uma usina sucroalcooleira e a criação de uma unidade de conservação. A pesquisa fundamenta-se numa abordagem de natureza qualitativa e perspectiva diacrônica, para tanto, empregou-se o método da história oral em conjunto com a pesquisa bibliográfica e algumas técnicas e instrumentos de pesquisa como a observação direta, entrevista, registros de imagens e gravações. Os resultados apontam que as práticas sociais e simbólicas na Mata Estrela no passado se apresentavam mais fortemente. O que se vê hoje na comunidade de pescadores de Baía Formosa em relação a Mata Estrela é que os recursos naturais são menos utilizados, devido a fatores como limite do acesso e desaparecimento de alguns animais pelo desmatamento. Acredita-se que a perda do livre acesso ao espaço pela comunidade é o impacto negativo mais significativo, pois promoveram mudanças na relação da comunidade com a Mata Estrela que contribuíram para o esmaecimento das suas práticas sociais e simbólicas. A perda do livre acesso ocasionou o declínio da prática da agricultura pela comunidade estudada, o que representou na perda de um dos seus meios de reprodução social.

9
  • RAQUEL FRANCISCO DOS SANTOS
  • RUPTURAS E CONTINUIDADES DO SISTEMA DE PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA INTEGRADO E SUSTENTÁVEL-PAIS EM MACAÍBA, RN.

  • Orientador : CIMONE ROZENDO DE SOUZA
  • Data: 31/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • O PAIS é uma tecnologia social criada para desenvolver a agricultura familiar por meio de padrões agroecológicos, integrando em um mesmo sistema a produção de animais, hortaliças, frutas, cereais e adubo orgânico. Agricultores em diversas regiões do país tem recebido unidades do PAIS através da iniciativa do SEBRAE, Fundação banco do Brasil e Ministério da Integração Nacional. Entretanto, existe um impasse que vem sendo observado ao longo do tempo: o fato de haver uma grande disparidade em relação ao desempenho desse sistema entre as unidades implantadas. O presente artigo faz uma análise dos principais fatores que contribuem para o desenvolvimento da tecnologia social PAIS, tendo por base, estudos executados em unidades já implantadas no município de Macaíba, região metropolitana de Natal, RN. Através do método comparativo foi possível observar algumas diferenças e semelhanças entre as situações analisadas, em que, duas delas são comunidades onde houve desistência da produção pelo PAIS e as outras duas são assentamentos em que há uma produção crescente de alimentos através do mesmo sistema. Os resultados da pesquisa demonstram que, os fatores que mais influenciaram na desistência ou permanência dos agricultores na produção com o PAIS foram questões relacionadas a organização comunitária e fatores ligados a suficiência ou insuficiência de água nos períodos de estiagem.

10
  • JESSICA DE PAIVA BEZERRA
  • O PAPEL DOS QUINTAIS URBANOS NA SEGURANÇA ALIMENTAR, BEM ESTAR E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE 

  • Orientador : PRISCILA FABIANA MACEDO LOPES
  • Data: 02/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Os quintais residenciais, exercem papéis ambientais e sociais no ambiente urbano. Estes espaços verdes podem minimizar potencialmente os impactos causados pelo crescimento das cidades, por ser uma alternativa para conectar áreas fragmentadas ou oferecer refúgios à vida silvestre e assim apoiar a conservação da biodiversidade. Além disso, os quintais demonstram u­m papel destacado no aumento do bem estar humano devido às possibilidades de socialização, contato com a natureza, cultura local e melhoria da segurança alimentar que estes ambientes permitem às famílias urbanas e rurais. Apesar disso, ainda não está claro quais características específicas dos quintais podem atuar de maneira efetiva na conservação da biodiversidade, bem como na construção da segurança alimentar e do bem estar dos mantenedores de quintais e de suas famílias. O primeiro capítulo desta dissertação analisou a diversidade de espécies de plantas (nativas e exóticas) e avaliou a contribuição de diferentes tipos de quintais urbanos (ornamentais e agroflorestais) na presença de vida selvagem, como aves, sagüis e lagartos. Já o segundo capítulo avaliou a contribuição desses mesmos quintais para o bem estar e segurança alimentar dos seus proprietários. Para isso, 41 quintais foram visitados em Pium localidade do litoral sul do nordeste do Brasil, uma região periurbana em fase de rápida expansão urbana e pressão imobiliária. Realizou-se um levantamento de toda a biodiversidade planejada, bem como da fauna associada aos quintais. Os dados referentes à segurança alimentar e bem estar foram captados através de uma entrevista aplicada aos mantenedores dos quintais. Estas entrevistas abordaram questões sobre o aporte de alimentos proveniente do quintal e a ausência de insumos químicos, além de aspectos do indicador FIB (Felicidade Interna Bruta). Os resultados mostraram que estes quintais em geral contribuem pouco para a manutenção de espécies de plantas nativas (nativas locais = 29 espécies do total = 187). A partir de suas principais características, os quintais foram classificados em ornamentais, agroflorestais e agroflorestais alimentares, esses grupos apresentaram diferentes efeitos sobre os animais estudados e os dois últimos contém a maioria das espécies nativas amostradas. A diversidade de plantas e de árvores foram bons preditores para a presença de pássaros e sagüis. Assim, a contribuição de hortas para a conservação da biodiversidade depende do tipo de quintal, alguns quintais, inclusive, podem exercer efeitos negativos sobre a conservação. Esses resultados podem direcionar novas abordagens para a compreensão detalhada dos quintais e também políticas públicas diretas aplicadas ao planejamento urbano.  Os resultados do segundo capítulo demonstraram que os dois tipos de quintais agroflorestais contribuíram com a segurança alimentar das famílias, por fornecer alimentos e ervas medicinais, que em sua maioria, não possuíam pesticidas e fertilizantes químicos. Mas os três tipos de quintais são importantes componentes para o bem estar de seus mantenedores, pois além de ajudarem na transmissão do conhecimento sobre agricultura, favorecem a socialização, o contato com a natureza e trazem à tona sentimentos relacionados à paz e harmonia. Dessa forma, os quintais agroflorestais podem ser considerados como importantes meios para projetos e políticas públicas que visem favorecer a biodiversidade em áreas urbanas, assim como para promover a segurança alimentar. Já para o bem estar, os quintais demonstraram ser importantes meios, independentemente do tipo de cultivo realizado neles. 

2013
Dissertações
1
  • JOÃO PAULO DO VALE DE MEDEIROS
  •  

    ECOSSOCIALISMO: A GÊNESE DE UMA ECOLOGIA SOCIAL EM ASSENTAMENTOS DE REFORMA AGRÁRIA A PARTIR DOS MOVIMENTOS SOCIAIS DO CAMPO


  • Orientador : DANIEL DURANTE PEREIRA ALVES
  • Data: 18/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • A crise ecológica mundial tem no sistema de produção capitalista uma de suas possíveis causas. A busca desenfreada pelo lucro, mediante a exploração ilimitada de recursos limitados, operaram transformações de grande porte nas relações do ser humano com a natureza, provocando a devastação ambiental, escassez de recursos e desaparecimento de espécies. Surge então a necessidade de questionarmos o modelo de sociedade em que estamos inseridos e que originou esse estado de crise, no mesmo passo que somos impelidos a buscar um alternativa. A práxis ecossocialista, que funde princípios marxistas e questões ecológicas, traz importante contribuições no que se refere à alternativas a esse modus capital/explorador, advogando por uma sociedade justa socialmente e ambientalmente sustentável. Dessa forma, por meio de revisão bibliográfica, pesquisaremos a respeito dessa teoria que tem crescido nos meio acadêmicos. No mesmo sentido, analisaremos qual o papel dos movimentos sociais do campo na construção dessa realidade. Por meio de entrevistas semi-estruturadas, pesquisas bibliográficas e visitas de campo estudaremos a realidade do Assentamento Moacir Lucena, hoje exemplo de uma ressignificação do rural.

2
  • FRANCKER DUARTE DE CASTRO
  •  

    IMPLICAÇÕES SOCIOECONÔMICAS E AMBIENTAIS DA PESCA ARTESANAL DE LAGOSTA EM TOUROS/RN


  • Orientador : JORGE EDUARDO LINS OLIVEIRA
  • Data: 19/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • As sociedades humanas sempre se utilizaram dos recursos naturais marinhos como aporte seguro para diversas finalidades, dentre elas, a aquisição de alimentos e a geração de renda para garantir sua sobrevivência e reprodução social. Na conjuntura atual, a pesca artesanal de lagostas espinhosas das espécies Panulirus argus (lagosta-vermelha) e Panulirus laevicauda (lagosta-verde) representa uma das principais atividades econômicas do estado Rio Grande do Norte, constituindo-se na principal fonte de renda de muitas comunidades pesqueiras. No estado, o município de Touros desponta como o segundo maior produtor do crustáceo. Contudo, a introdução de instrumentos e de técnicas predatórias de pesca, aliada a adoção da mentalidade capitalista, veem causando transformações que se repercutem diretamente na socioeconomia e no meio ambiente dessas comunidades, a exemplo da sobrepesca dos estoques pesqueiros. Assim, o presente estudo possui como objetivo principal analisar a pesca artesanal de lagosta no município de Touros/RN, considerando os efeitos e as transformações decorrentes do uso das técnicas de captura sobre a socioeconomia e o meio ambiente. Como objetivos específicos buscaram-se: caracterizar socioeconomicamente a pesca e os pescadores artesanais de lagosta da área em estudo; identificar as práticas e técnicas mais utilizadas para a pesca de lagosta correlacionando-as com a sobrepesca e as transformações socioeconômicas; determinar os fatores ou mecanismos que vem impulsionando os pescadores artesanais a utilizarem técnicas predatórias na pesca de lagosta, bem como seus efeitos sobre o meio ambiente; identificar as formas de adaptação dos pescadores artesanais quanto às novas condições ambientais e socioeconômicas. Para tanto, fez-se uso da pesquisa bibliográfica, da observação de campo, do registro fotográfico, da aplicação de 86 instrumentos de entrevistas estruturadas e da análise de conteúdo. Os resultados apontam que os pescadores de lagostas são homens de idade avançada, casados, com baixo grau de escolaridade e de rendimento financeiro, bem como demonstram o caráter instável e predatório dessa modalidade de pesca. Verificou-se também que a marginalização social dos pescadores, aliada às dificuldades de sobrevivência impostas pelo capitalismo e a ineficiente fiscalização governamental, constituem os fatores preponderantes para o uso das técnicas ilegais apontadas. Além disso, os resultados mostram que as adaptações ás novas condições ambientais podem ser positivas no que tange ao aumento da renda e negativas no que se refere ao meio ambiente. Logo, para mitigar os problemas sociais e ambientais é necessário que o Estado priorize o desenvolvimento de políticas direcionadas aos pescadores e a pesca que abarquem tanto as dimensões de assistência financeira e profissional, quanto uma maior rigidez no que concerne ao sistema de fiscalização e gerenciamento.

3
  • GABRIELLE MACEDO PEREIRA
  •  

    Carthamus tinctorius L. : ARMAZENAMENTO DE SEMENTES, VIABILIDADE DO ÓLEO PARA BIODIESEL E DA TORTA PARA ALIMENTAÇÃO ANIMAL


  • Orientador : JULIANA ESPADA LICHSTON
  • Data: 20/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • A crise ambiental que se vivencia hoje tem influenciado uma mudança de paradigmas no desenvolvimento humano. Nesse contexto, uma das principais temáticas é a substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis, como o biodiesel (combustível proveniente da biomassa). Uma potencial oleaginosa a ser utilizada como matriz para produção de biodiesel é Carthamus tinctorius L. (cártamo). Assim, os objetivos desse trabalho foram: investigar a qualidade morfofisiológica e reserva oleífera das sementes de cártamo submetidas a diferentes períodos de armazenamento em duas embalagens (garrafa “pet” e sacos de polietileno), e em temperatura natural; e ainda, avaliar a composição bromatológica do resíduo da extração (torta) para alimentação animal.  As sementes de cártamo foram armazenadas em saco de polietileno e garrafa “pet” transparente. As análises anatômicas e histológicas, os testes de condutividade elétrica, teor de umidade e porcentagem de germinação foram realizados no início do experimento (0 meses) e a cada 30 dias, por seis meses. Não houve diferenças anatômicas e histológicas nas sementes de C. tinctorius armazenadas nas duas embalagens e nos meses de experimento. De modo geral, as sementes armazenadas em garrafa “pet” apresentaram maior qualidade fisiológica do que as armazenadas em saco de polietileno.  Para as análises químicas realizou-se a extração do óleo das sementes de cártamo com n-hexano, que foi analisado em Cromatografia de Camada Delgada e espectrômetro de UV-visível. Além disso, foi feito uma avaliação da composição nutricional do resíduo dessa extração. O rendimento obtido de óleo de cártamo foi condizente com a literatura. Esse óleo apresentou um perfil graxo bastante interessante para produção de biodiesel. A torta de cártamo (resíduo) possui características nutricionais que a qualifica como potencial fonte de proteína em dieta animal. Conclui-se que Carthamus tinctorius L. possui características que favorecem sua utilização para as funções associadas de produção de biodiesel (armazenamento, cultivo e extração de óleo) e suplementação na dieta animal.

4
  • JOSE EMERSON FERNANDES DE OLIVEIRA
  • PERCEPÇÃO E AÇÕES EDUCATIVAS EM AMBIENTES ESCOLARES: ENFOQUES AOS DOCUMENTOS LEGAIS DETERMINANTES EM ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL

  • Orientador : ELINEI ARAÚJO DE ALMEIDA
  • Data: 21/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • O homem, por vislumbrar a necessidade de crescer economicamente, trata a natureza como uma fonte inesgotável de matéria prima, afeta a biodiversidade e, destrói a perspectiva de qualidade de vida das gerações futuras. Como forma de compensar a biodiversidade perdida, foram criadas as Unidades de Conservação (UC). Porém, com a criação de UC´s, sem a inserção de um valor de conhecimento ambiental agregado, principalmente no que diz respeito às questões legais para o uso sustentável do meio, surgiram os primeiros conflitos sociais. Em função desse aspeto, objetivou-se na pesquisa diagnosticar percepções e avaliar os reflexos promovidos por meio de ações educacionais sensibilizadoras, no que tange ao entendimento das leis que regem a implementação de Área de Proteção Ambiental (APA). De forma mais específica, intencionou-se: (i) verificar percepções de professores acerca dos documentos legais que regem a educação nacional conectados à conservação da natureza em APA´s; (ii) averiguar, junto aos pais dos alunos, o interesse sobre aspectos legais referentes à conservação da ambiental; (iii) analisar alternativas de implementação de ações educativas interdisciplinares em espaços formais de ensino em cooperação com professores e alunos sobre os inscritos oficiais de uma UC de uso sustentável. A pesquisa, envolvendo a diagnose referente à percepção ambiental, foi realizada em duas escolas situadas no interior da APA Jenipabu, Rio Grande do Norte, Brasil: Escola Municipal Sérgio de Oliveira Aguiar e a Escola Municipal Vereador Ricardo Afonso de Lima (EMVRAL). Já a aplicação e análise de ação educativa foi efetivada na EMVRAL. Destaca-se na metodologia, a utilização de questionário para coleta de dados, e avaliação segundo a análise de conteúdo, no que se refere ao uso das categorias emergentes. Incluem-se também no processo, elementos da Investigação-Ação, na produção de conteúdos informativos para análise. As informações, pertinentes à dissertação, foram estruturadas em dois capítulos formatados no gênero textual de um artigo científico. O primeiro com o título: “Diagnose acerca de documentos legais em unidades escolares: um ponto de partida para aproximação entre comunidade e gestores de Área de Proteção Ambiental”. Os dados diagnósticos acerca da percepção das comunidades escolares envolvidas na pesquisa explicitaram como se encontra o entendimento sobre documentos determinantes em Área de Proteção Ambiental. Neste aspecto, verificou-se uma carência de ações educativas na Escola Municipal Vereador Ricardo Afonso de Lima. O segundo artigo intitulado: “A eficácia de ações ambientais em instituição escolar: análise sobre propostas educativas realizadas em Unidade de Conservação de uso sustentável”. O enfoque principal encontra-se centrado na importância de se obter dados sobre ações ambientais, envolvendo questões jurídicas, relevantes para uma comunidade escolar da APAJ. No percurso da ação foram inseridas atividades lúdicas voltadas para o estudo de documentos determinantes de UC´s. Foi constatado que houve um aprendizado efetivo dos alunos e, um incremento nas atividades pedagógicas dos docentes. Não obstante, observa-se que, há necessidade de mais ações educativas duradouras voltadas para aprendizagem e sensibilização comunitária em prol de um ambiente ecologicamente equilibrado.

5
  • HENRIQUE ROQUE DANTAS
  •  

    DEGRADAÇÃO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ – RN POR TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO


  • Orientador : FERNANDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 22/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Os processos de ocupação e evolução dos ambientes naturais em decorrência de um processo desordenado de implementação de práticas econômicas agrosilvopastoris, desempenham até hoje um papel determinante de degradação no processo de mudança da paisagem e dos recursos naturais do semiárido Nordestino. A Serra de Santana apresenta elementos naturais importantes para o estado do Rio Grande do Norte como a nascente do rio Potengi. Para tanto, o presente trabalho teve como objetivo analisar o grau de degradação no município de Cerro Corá - RN. Foram utilizadas imagens de satélite Landsat-5 e dados censitários referente ao ano de 2008. Como método fez-se uso de geotecnologias que contempla uso do solo, NDVI, precipitação, pecuária e erodibilidade na avaliação da degradação ambiental, bem como imagens do satélite Landsat TM-5, nos anos de 1984, 1995 e 2008, cartas de NDVI, dados censitário referentes a dos socioeconômicos obtidos no IBGE. Os resultados mostraram que em sua maioria absoluta o município de Cerro Corá apresenta uma susceptibilidade de baixa a média, que juntos representam 63,92% do município, havendo uma regressão das áreas antropizadas e das áreas de agricultura, e uma recuperação das áreas de Caatinga, chegando esta a ocupar atualmente 92% do território municipal. Um sistema de informação Geográfica torna-se indispensável no monitoramento ambiental de Cerro Corá/RN.

6
  • GABRIELLA CYNARA MINORA DA SILVA
  •  

    DIAGNÓSTICO DA DEGRADAÇÃO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE AREIA BRANCA-RN POR GEOTECNOLOGIAS


  • Orientador : FERNANDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 25/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • O município de Areia Branca-RN está inserido na mesorregião Oeste Potiguar e na microrregião de Mossoró, abrangendo uma área de 357,58 km2. Compreende uma área de fragilidade do ponto de vista ambiental, pois abriga, juntamente com o município de Grossos-RN, o estuário do rio Apodi-Mossoró. O município de Areia Branca vem sofrendo historicamente com a falta de planejamento no tocante ao uso e ocupação do solo, uma vez que algumas atividades econômicas, atraídas pelas condições naturais extremamente favoráveis, têm explorado seus os recursos naturais de forma inadequada. O objetivo deste estudo é quantificar e analisar a degradação ambiental no referido município. Para isso, inicialmente foi realizada uma caracterização do uso do solo, utilizando sensoriamento remoto, geoprocessamento e um sistema de informações geográficas - SIG, visando gerar dados e informações na escala municipal, que possam servir de subsídio para o planejamento ambiental e o ordenamento territorial da região. Nessa perspectiva, utilizou-se uma imagem Landsat 5, sensor TM referente ao ano de 2010. No processamento desta imagem foi utilizado o SPRING 5.2 e aplicado uma classificação supervisionada através do classificador por regiões, onde foi empregado o método Bhattacharya Distance com um limiar 30%. Com isso foi obtido o mapa de uso do solo a partir do qual analisou-se a distribuição espacial dos diferentes tipos de uso que ocorrem no município, identificando áreas que estão sendo utilizadas de maneira incorreta e os principais tipos de degradação ambiental. Em prosseguimento, aplicou-se a metodologia proposta por Beltrame (1994), o Diagnóstico Físico-Conservacionista, sob algumas adaptações, para obter a quantificação do nível de degradação ou conservação da área de estudo. Como resultados, foram obtidos os índices para os parâmetros propostos na metodologia, permitindo analisar quantitativamente o potencial de degradação de cada setor. Nessa perspectiva, considerando uma escala de 0 a 100, o setor A e o setor B apresentaram valor – 30,70 unidades de risco de degradação física. E o setor C, demonstrou valor – 34,15 unidades de risco de degradação, devendo ser considerado prioridade no tocante à realização de ações conservacionistas.

7
  • MYCARLA NELY RODRIGUES DOS SANTOS
  • AVALIAÇÃO DO POTENCIAL TÓXICO DE ÁGUAS ORIUNDAS DE IRRIGAÇÃO AGRÍCOLA NO BAIXO-AÇU: UM PROBLEMA SOCIOAMBIENTAL.

  • Orientador : VIVIANE SOUZA DO AMARAL
  • Data: 25/02/2013
  • Mostrar Resumo
  •                 Há décadas a problemática levantada sobre o uso indiscriminado de pesticidas pela agricultura moderna tem despertado o interesse de muitos pesquisadores na busca dos efeitos causados por tais produtos no meio ambiente e, consequentemente na vida tanto daqueles que fazem uso destes produtos (agricultores) quanto aqueles indivíduos que residem em regiões próximas a áreas agrícolas. Diante disto, esta pesquisa teve o objetivo de compreender a percepção ambiental de moradores do Distrito Irrigado do Baixo-Açu (DIBA), localizado no semiárido norteriogradense, frente ao uso de agrotóxicos e seus possíveis efeitos ambientais, bem como avaliar o grau de toxicidade de águas do escoamento agrícola nesta região através de testes ecotoxicolológicos com Ceriodaphnia silvestii. Um total de 86 entrevistas foi realizado com moradores e agricultores do DIBA. Com os resultados obtidos na avaliação das entrevistas foi possível identificar que um dos maiores problemas é o descarte inadequado das embalagens vazias dos pesticidas utilizados no local. Já as amostras coletadas para avaliação ecotoxicológica mostraram variação em sua toxicidade, sendo visto que o ponto de coleta que recebe águas de diferentes culturas apresentou em quatro das cinco amostras toxicidade para a espécie testada. Diante disto conclui-se que a utilização indiscriminada de agrotóxicos pela prática agrícola apresentou potencial poluidor para águas de irrigação, e que a falta de esclarecimento dos agricultores sobre a manipulação destes produtos contribuem para o riso de contaminação ambiental e possível diminuição da qualidade de vida dos moradores da região.

8
  • ANA FLAVIA DE SANTANA RESENDE NAGEM
  • AVALIAÇÃO DO RISCO OCUPACIONAL DE TRABALHADORES EXPOSTOS A AGROTÓXICOS NO MUNICÍPIO DE TOUROS/RIO GRANDE DO NORTE

  • Orientador : VIVIANE SOUZA DO AMARAL
  • Data: 26/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • O uso de agrotóxicos está sendo praticado de maneira intensiva com graves consequências para os agricultores que manipulam estes produtos. Neste contexto, o presente estudo teve como objetivo descrever os perfis de saúde e socioeconômico de 60 agricultores no Município de Touros/RN através do questionário recomendado por: (International Commission for Protection against Environmental Mutagens and Carcinogens (ICPEMC). As análises desses dados permitiu comprovar a importância do conhecimento do perfil socioeconômico e de saúde de agricultores rurais como forma de entender a realidade dessa população, que pela falta de conhecimentos e condições encontram-se vulneráveis a exposição. Adicionalmente, foi aplicado o Teste de micronúcleo (MN) em células da mucosa bucal para a investigação de danos ao material genético, através da análise da frequência de MN e outras anormalidade nucleares, em 54 agricultores que trabalham no Município de Touros/RN. Os nossos resultados mostraram uma frequência aumentada de MN e outras anormalidades nucleares relacionados com a exposição e efeitos dos defensivos agrícolas na saúde. A partir dos resultados obtidos, fica notório que os agricultores estão aplicando os agrotóxicos de maneira errônea e comprometendo a sua saúde. Desta forma este estudo alerta para a necessidade de profundas mudanças sociais, culturais e no âmbito da saúde para diminuir os riscos a saúde tanto para as pessoas quanto para o ambiente.

9
  • MAX VICTOR BEZERRA BARBOSA
  • A CONTRIBUIÇÃO DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ASSENTAMENTO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

  • Orientador : FERNANDO BASTOS COSTA
  • Data: 26/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • As políticas públicas devem ter como objetivo primordial a melhoria da qualidade de vida de determinada população, entretanto, sua execução deve ser constantemente monitorada e avaliada com escopo de averiguar se essas políticas vêm atingindo os objetivos propostos. O presente trabalho consistiu na busca e análise de bibliografias que abordassem a evolução histórica do debate sobre o tema da reforma agrária como política pública no Brasil e sobre a política de assistência técnica e extensão rural, e na coleta de dados in loco, no intuito de avaliar se as ações implementadas no âmbito dessa última contribuem para melhorias no desenvolvimento local de projetos de assentamento (PA) de reforma agrária no estado do Rio Grande do Norte (RN), isto dadas às constantes críticas apresentadas quanto a sua efetividade, considerando que empiricamente é difícil diferenciar assentamentos que receberam daqueles que não receberam os serviços de assistência técnica. Dessa forma, realizou-se coleta de dados para comparação das características (organização social, relação com ambiente local, forma de produzir e avaliação dos serviços de assistência técnica) de dois assentamentos no RN, sendo um que tenha recebido os serviços de assistência técnica e outro que não teve acesso a esses serviços nos últimos cinco anos, pelo menos, para confirmar se aquele que teve acesso aos citados serviços apresenta melhores características de organização social e na relação com o ambiente local, principalmente, o que foi confirmado nos resultados obtidos, que demonstraram ainda a inexistência de diferenças significativas quanto à forma de produzir e de comercializar nos PA estudados. Constatou-se também que os problemas enfrentados pelas famílias assentadas nos PA estudados assemelham-se dos verificados em diversos outros estados brasileiros, especialmente quanto à forma de utilização dos recursos naturais nas áreas de reforma agrária e da instabilidade da disponibilidade dos serviços de assistência técnica. Deve ser garantida a continuidade e universalidade dos serviços de assistência técnica a assentamentos, buscando um foco maior nas questões produtivas, que proporcionam a renda necessária para que as famílias assentadas possam ter uma melhor qualidade de vida.

10
  • BRUNO CÉSAR DIAS DE ALBUQUERQUE
  • MAPEAMENTO  GEOAMBIENTAL  E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS COMO  SUBSÍDIOS PARA O PLANEJAMENTO E GESTÃO SOCIOAMBIENTAL DO ESTUÁRIO DO RIO MAMANGUAPE/PB

  • Orientador : REINALDO ANTONIO PETTA
  • Data: 27/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Os estuários e mangues são importantes áreas de reprodução e alimentação de muitas espécies. O estuário do rio Mamanguape está localizado entre os paralelos 06 ° 48'e 06° 51' de latitude sul, e os meridianos 35 ° 07 'e 34 ° 54' longitude oeste, faz parte de uma Área de Preservação Ambiental (APA), que possui a maior reserva de mangue do estado da Paraíba. Considerando sua importância no contexto socioambiental e econômico, é preciso planejamento e gerenciamento para o desenvolvimento de atividades. Com isso a presente pesquisa tem por objetivo em uma primeira etapa, o Mapeamento Temático em escala de 1:10000, identificando os Ambientes e suas Unidades Geoambientais representando-as de modo individual em mapas, além tratar suas potencialidades, sugerindo aptidões para uso e ocupação. Utilizando como metodologia o Processamento Digital de Imagens  de alta resolução dos satélites Quickbird e Wordview, etapas de campo, vetorização das unidades geoambientais e elementos de interesse, resultando na a estruturação Banco de Dados Ambientais Georreferenciados (BDAG), para armazenar dados multifontes relativos ao mapeamento e possibilitar sua manipulação. Na segunda etapa, levantou-se por meio da percepção in loco, e com base nos estudos de geoprocessamento já efetuados, ocorrências de impactos ambientais na área de estudo e descrevê-las. O método que utilizado  foi uma  matriz de interação em check-list. Com isso, foi descrito cinco ações impactantes mais relevantes na região: desmatamento de vegetação nativa; assoreamento de canais fluviais; contaminação de águas fluviais e sedimentos de fundo; devastação de manguezais; erosão e danos a qualidade do solo. onde concluiu-se que os diversos aspectos tratados podem ser mitigados por meio de programas de manejo do solo e reposição de matas, práticas muitas vezes já existentes que precisam ser priorizadas. Do ponto de vista qualitativo, verificou-se que os impactos mais degradantes são a devastação das matas nativas (resquícios de Mata Atlântica e mata ciliar) visando à instalação da monocultura da cana de açúcar, que apresenta incidência histórica.

11
  • JULIANA DA SILVA IBIAPINA CAVALCANTE
  • PERCEPÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS DE POPULAÇÕES VULNERÁVEIS A INUNDAÇÕES E DESLIZAMENTOS DE DUNAS EM NATAL-RN

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 27/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Em decorrência do processo desordenado de urbanização é notável a existência de inúmeros problemas que contribuem para a geração da insustentabilidade urbana. Nesse cenário prevalece um processo de ocupação e expansão de espaços intra-urbanos em que se encontram baixa qualidade de vida e parcela significativa da população. Nesta problemática o processo de urbanização no Brasil tem se caracterizado por problemas recorrentes que envolvem situações de riscos. No espaço urbano, as inundações e deslizamentos de terra estão entre os problemas que mais trazem prejuízos humanos e materiais. Este estudo objetivou, portanto, realizar uma análise da percepção de riscos de populações residentes em áreas de vulnerabilidade socioambiental a fim de compreender de que forma essas populações percebem os riscos a que estão expostas e quais as estratégias de enfrentamento desenvolvidas por elas. A primeira área analisada foi o Complexo Passo da Pátria com a problemática dos riscos de inundações e em seguida o bairro Cidade Nova, sujeito a riscos de deslizamentos de dunas. As áreas localizam-se, respectivamente, nas zonas oeste e leste de Natal-RN. Com um roteiro de entrevistas adaptado de pesquisas sobre percepção de riscos em diferentes cidades brasileiras, foram coletados dados primários referentes às variáveis: percepção, avaliação e escolha, limiar de segurança, ajustamento, decisão e participação. Devido às características das áreas de estudo, a abordagem qualitativa adequou-se às dificuldades de acessibilidade nas áreas. Os locais estudados se caracterizam por situações de insegurança como venda/uso de drogas, assaltos, homicídios, entre outros. Devido a isso, os indivíduos abordados foram os que se encontravam mais acessíveis e disponíveis no momento e as entrevistas foram realizadas na presença dos líderes comunitários de ambas as áreas. Através da análise do discurso dos entrevistados pôde-se concluir que a população entrevistada está exposta a um alto grau de vulnerabilidade e riscos.  Porém, identificaram-se diferenças significativas entre a percepção de riscos no Complexo Passo da Pátria e no bairro Cidade Nova, haja visto que na primeira área os entrevistados reconhecerem o alto risco à que estão expostos de maneira mais enfática em comparação aos entrevistados do bairro Cidade Nova. Além disso, há uma grande insatisfação da população das duas localidades quanto ao posicionamento da prefeitura em relação aos problemas presentes nas áreas de estudo. Identificou-se, também o desenvolvimento de estratégias de convivência com o risco nos locais de pesquisa, além de um sentimento de pertencimento e afeição entre os moradores e seu espaço; porém com maior evidência no Complexo Passo da Pátria. Através dessa análise foi possível compreender a percepção e o comportamento de indivíduos ou grupos sociais diante dos riscos, como aceitação e rejeição de determinados riscos, além de medidas de adaptação e convivência com a presença constante de riscos. Portanto, pesquisas de natureza qualitativa com ênfase na abordagem perceptiva são de fundamental importância nos estudos sobre riscos, sendo possível oferecer subsídios ao planejamento e gestão urbana na implantação de medidas preventivas eficazes e compatíveis com os anseios da população.

12
  • MIKAELLE KALINE BEZERRA DA COSTA
  •  

    PARTILHA DE ALIMENTOS ENTRE FAMÍLIAS DE PESCADORES DO LITORAL POTIGUAR SOB A PERSPECTIVA DA ECOLOGIA HUMANA.


  • Orientador : PRISCILA FABIANA MACEDO LOPES
  • Data: 01/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • A partilha de alimentos  é uma prática comum em pequenos agrupamentos principalmente entre parentes, comportamento evolutivo humano, abordado na ecologia humana como um redutor dos riscos a segurança alimentar. Dessa forma o estudo objetivou explicar o comportamento de partilha de alimentos entre famílias que vivem em uma vila de pescadores pertencente a Touros, RN, com alta dependência dos recursos pesqueiros para economia, e nutrição familiar,  e que têm as flutuação ambientais como um redutor da capacidade de pesca. Para testar o comportamento de partilha de alimentos entre essas famílias foram testados modelos evolutivos de partilha como: seleção de parentesco, altruísmo recíproco, roubo tolerado e distância, para explicar as estratégias utilizadas pelas famílias da vila para reduzir os riscos nutricionais causados pelo declínio do sucesso de captura. Foram inseridas ao longo do estudo 32 família divididas em 2 grupos com 16 famílias cada: um dependente exclusivamente (DE) e outro não dependente exclusivamente (NDE) da pesca como atividade econômica. Através de um recordatório de 24 foras , durante 7 dias consecutivos ao mês, durante 12 meses consecutivos entre setembro de 2011 à agosto de 2012,  fazendo um registro temporal de toda dieta, partilha e produção pesqueira das famílias. A dieta das famílias apresentou-se sob influência do comercio já inserido na vila, aumentando o consumo de alimentos industrializados de baixa qualidade . Na partilha a entrada e saída de alimentos  que subsidiam a carência proteica principalmente em períodos de declino pesqueiro  no núcleo familiar foi elevado.Dentre os modelos testados a existência do altruísmo recíproco entre as famílias é melhor respondeu as necessidades nutricionais das famílias, e a distância entre famílias influenciou mais que a relação de parentesco na escolha de parceiros para a partilha.

13
  • RAFAELA MARIA DE FRANÇA BEZERRA
  • CONSERVAÇÃO DE ESPÉCIES NATIVAS EM UM ASSENTAMENTO RURAL DO MUNICÍPIO DE APODI-RN: impactos socioambientais e econômicos e o uso da Biotecnologia como uma alternativa promissora.

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 01/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • A Caatinga é o ecossistema predominante do nordeste brasileiro e apesar das particularidades edafoclimáticas da região onde está inserida, destaca-se pela relativa riqueza biológica e endemismos, no entanto, pouca atenção tem sido dada a sua conservação. O Manejo Agroecológico da Caatinga tem sido indicado como uma eficiente técnica de conservação de espécies nativas desse bioma, pois assegura a utilização dos recursos florestais de forma sustentável, permitindo a sua recuperação. O assentamento Moaci Lucena foi um dos pioneiros do RN na implantação de uma Unidade de Manejo da Caatinga, o que gerou impactos de ordem social, ambiental e econômica. Conhecer a percepção desses impactos pelos agricultores constitui-se como um dos objetivos desse trabalho. Mediante a utilização de entrevistas semiestruturadas verificou-se que essa técnica, de acordo com a percepção dos agricultores, permitiu a conservação das espécies nativas no Assentamento e repercutiu diretamente na melhoria na qualidade de vida das famílias do assentamento. A Biotecnologia Vegetal, é considerada uma alternativa promissora à reposição de espécies vegetais em áreas onde essas encontram-se com baixa densidade ou extintas. Essa técnica foi utilizada nesse trabalho objetivando verificar a influência de distintos substratos, bem como de reguladores de crescimento, na germinação e indução de brotações in vitro de Mimosa caesalpiniifolia Benth.

14
  • NEUSIENE MEDEIROS DA SILVA
  •  

    EXPERIÊNCIAS DE INVERNO NO SERIDÓ POTIGUAR


  • Orientador : CIMONE ROZENDO DE SOUZA
  • Data: 04/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • No sertão do Nordeste brasileiro se desenvolveu ao longo dos séculos, entre os sertanejos, uma prática denominada de “experiências de inverno”, que consiste na observação sistemática da natureza. Essa forma de conhecimento é repassada entre gerações de forma oral. A região nordeste do Brasil por ser submetida ao fenômeno natural das secas imprimiu no sertanejo a necessidade de prever o tempo para se prevenir contra os seus efeitos. As experiências estão pautadas na observação do comportamento da fauna, da flora, dos astros e outras ainda de aspectos bem específicos da vida do sertanejo. Quase todo sertanejo que vive na zona rural conhece pelo menos uma experiência, mas são os Profetas da chuva os conhecidos por divulgar as profecias de inverno formuladas a partir da observação das experiências. O profeta é um sertanejo, que por sua estreita relação com a natureza, e por sua reconhecida habilidade nas previsões, é identificado pela comunidade como o profeta da chuva. Embora suas profecias nem sempre se cumpram ele desempenha uma função social importante a medida que sua práticas contribuem para  tranquilizar e animar o sertanejo para que continue produzindo. O presente trabalho tem como objetivo geral analisar o papel das experiências de inverno para o sertanejo do Seridó Potiguar. Nesse sentido, buscou-se compreender até que ponto esta forma de conhecimento ainda orienta as práticas produtivas dos agricultores que habitam a região e identificar quais os fatores que instigam a observação das experiências de inverno nos dias atuais. Foram aplicados 241 questionários aos agricultores em comunidades rurais dos municípios de Acari, Caicó, Parelhas e Lagoa Nova e 15 entrevistas com os Profetas da chuva identificados no Seridó. Na análise dos dados foi empregada a técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin (2010). Na área de estudo, as experiências mostraram exercer grande influência e importância para o sertanejo seridoense, que vê nela uma forma de amenizar suas angústias diante da possibilidade de seca na região. Seu papel fundamental estaria em alimentar a esperança desse seridoense por dias melhores. Mais do que contribuir na organização das atividades produtivas dos mesmos. As previsões de chuva realizadas a partir da observação das experiências de inverno encontram  maior credibilidade entre os entrevistados do que as previsões meteorológicas científicas divulgadas pelos meios de comunicação de massa. Os Profetas da chuva têm na paisagem seridoense um rico conjunto de elementos da natureza utilizados na elaboração de suas profecias. Diversos fatores como a transmissão cultural, a idade, a relação do profeta com a natureza, o nível de escolaridade, a fé, entre outros, mas principalmente as atividades produtivas (agropecuária) e a seca, estimulam a observação das experiências de inverno pelos profetas do Seridó nos dias atuais. O “inverno” é sinônimo de felicidade e abundância para o seridoense, que vive na zona rural e a experiência é uma das formas que o mesmo encontrou para minimizar a ansiedade e, de acordo com as suas possibilidades, se preparar para um ano de seca ou de inverno.

15
  • ANNA JESSICA PINTO DE ANDRADE
  • A AGRICULTURA FAMILIAR DO SERIDÓ POTIGUAR: VULNERABILIDADE, PERCEPÇÃO E ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

  • Orientador : CIMONE ROZENDO DE SOUZA
  • Data: 05/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • Nas regiões semiáridas dos países em desenvolvimento as populações rurais estão vulneráveis às variações climáticas e suas consequências. Aliados à outros fatores – biofísicos, sociais, políticos e econômicos, – os efeitos do clima semiárido prejudicam a produção agrícola, gerando uma situação de insegurança alimentar e pobreza no meio rural. Com o advento das mudanças climáticas, os recursos naturais das regiões semiáridas poderão se tornar ainda mais escassos, o que afetaria diretamente a produção agrícola e os que dela dependem. Nesse contexto, a presente pesquisa buscou estudar uma das áreas mais susceptíveis aos efeitos do clima semiárido e da desertificação do Rio Grande do Norte, o Seridó potiguar. O estudo teve como objetivo analisar os fatores socioeconômicos e ambientais que colocam os agricultores familiares numa situação de vulnerabilidade aos efeitos do clima; avaliar suas percepções sobre as variações climáticas já ocorridas e seus conhecimentos sobre mudanças climáticas e aquecimento global, além de verificar quais as estratégias de adaptação ao clima foram realizadas no âmbito do estabelecimento rural. A pesquisa foi realizada em 29 comunidades de quatro municípios do Seridó potiguar – Caicó, Parelhas, Lagoa Nova e Acari. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com lideranças locais e aplicados 241 questionários com os agricultores familiares. Verificou-se que além dos fatores ambientais, como a escassez dos recursos hídricos e as condições climáticas, outros fatores como degradação ambiental o tamanho reduzido das propriedades, a falta de assistência técnica e de recursos e o baixo nível de escolaridade reduzem a capacidade de resiliência e limitam a produção agrícola na região do Seridó. Com a ocorrência das mudanças climáticas, os desafios para a agricultura familiar do Seridó potiguar irão se intensificar. Caso os agricultores não consigam se adaptar, os impactos na agricultora poderão ocasionar o aumento do êxodo rural e os conflitos sociais entre as comunidades, além de causar graves prejuízos para a segurança alimentar, aumentando ainda mais a situação de vulnerabilidade dessas populações. Apesar de perceberem as alterações no clima, a limitação de recursos e a falta de informações aparecem como principais impedimentos à adoção de estratégias de adaptação. A falta de conhecimento sobre as mudanças climáticas, aquecimento global e sobre os impactos que esses fenômenos podem causar também são fatores limitantes à adaptação. É essencial a identificação dos fatores que influenciam a adoção de estratégias de adaptação e os reais desafios enfrentados pelos agricultores, para assim buscar alternativas de convivência com o semiárido coerentes com a realidade da região, que possam fortalecer a resiliência da agricultura familiar e garantir a produtividade da agricultura mesmo com as mudanças climáticas.

16
  • WELLINGTON SENA LOBATO JUNIOR
  • Protozoários de vida livre em dois trechos da Bacia Hidrográfica do Rio Pirangi (RN): Relações com a educação em ciências e preservação.

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 07/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • A água é um recurso único para o desenvolvimento e evolução de diversas atividades econômicas, sociais e culturais, sendo de extrema importância para manutenção e equilíbrio da vida na Terra. A vasta riqueza hídrica do Brasil deixa suas bacias hidrográficas mais suscetíveis a impactos que comprometam a qualidade da água, afetando a estabilidade ecossistêmica dos ambientes aquáticos. A diminuição da qualidade dos recursos hídricos resulta também na diminuição dos seus usos múltiplos e, consequentemente, reduzindo sua disponibilidade. Em regiões turísticas essa situação é mais preocupante, principalmente no litoral, onde o fluxo contínuo de pessoas a esses locais aumenta ainda mais a probabilidade de comportamentos inadequados tanto dos turistas quanto dos residentes locais. Esse cenário prejudica não apenas a economia e aspectos sociais da região, mas interfere fortemente nas relações tróficas das comunidades biológicas vegetais, animais e de microrganismos presentes nesses ambientes aquáticos naturais. Os estudos a respeito das comunidades microbiológicas ainda são escassas, principalmente as de protozoários de vida livre, que desempenham funções singulares dentro da cadeia alimentar dos ecossistemas aquáticos. São responsáveis pelo controle descendente de algas e bactérias, e destacam-se, dessa maneira, por influenciarem a biodiversidade e biomassa nesses ambientes. No entanto, o conhecimento a respeito desses organismos ainda é restrito, principalmente devido à identificação morfológica das espécies. Devido ao grande papel desempenhado por este grupo de microrganismos nos ambientes aquáticos, o presente estudo teve por objetivo identificar os protozoários de vida livre, em gênero e espécie, presentes em dois trechos do Rio Pium, litoral leste do Rio Grande do Norte, fazendo uma relação entre a ocorrência e as condições tróficas do ambiente em que se encontram, verificando a capacidade bioindicadora desses organismos na qualidade da água. Foi registrado um total de 76 táxons de protozoários de vida livre, destes, sendo 33 ciliados, 19 flagelados e 24 sarcodíneos. Os padrões espaciais e temporais desses organismos nos dois pontos estudados revelaram a potencialidade bioindicadora eficaz de algumas espécies identificadas. Também se objetivou realizar um levantamento das concepções de alunos sobre protozoários de vida livre e doenças de veiculação hídrica em duas escolas públicas próximas ao rio estudado, no distrito de Pium, município de Parnamirim. As concepções foram analisadas através de questionários aplicados em ambas as escolas. Os alunos identificaram diversas atividades desenvolvidas no Rio Pium, destacando sua multifuncionalidade e importância para a região. Porém, o conhecimento sobre os protozoários de vida livre mostrou-se bastante defasado, apresentando concepções alternativas que os evidenciam como organismos exclusivamente patogênicos, desconsiderando totalmente seu papel ecológico primordial. Com o propósito de remediar os equívocos existentes nos alunos em relação ao papel funcional dos protozoários, foram planejadas oficinas didáticas sobre estes microrganismos, abordando também temas relacionados a doenças de veiculação hídrica por meio de palestras, atividades lúdicas e apresentações interativas. Estas atividades práticas de Educação em Ciências tiveram o intuito de aproximar os alunos do contexto dos recursos hídricos locais, almejando-se promover uma transposição didática sobre o verdadeiro papel funcional dos protozoários de vida livre nos ambientes aquáticos.

17
  • ANA PAULA CARDOSO SILVA
  • BIOMONITORAMENTO DA QUALIDADE DA ÁGUA E AÇÕES EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM DOIS AÇUDES DA BACIA HIDROGRÁFICA APODI-MOSSORÓ, RN

  • Orientador : IVANEIDE ALVES SOARES DA COSTA
  • Data: 08/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • A escassez de água é uma realidade para os habitantes da região semiárida brasileira. O problema, em termos quantitativos, é ocasionado em virtude das condições climáticas locais refletindo, principalmente, em um déficit hídrico. Em termos qualitativos, decorre dos múltiplos usos e consequente contaminação pelas atividades humanas. A eutrofização apresenta-se como uma ameaça para o uso sustentável dos recursos hídricos, tendo em vista favorecer a predominância de densas populações de cianobactérias, as quais podem ser potencialmente prejudiciais à saúde humana. O objetivo deste estudo é compreender a dinâmica das populações de cianobactérias e do fitoplâncton utilizando as abordagens dos grupos funcionais fitoplanctônicos e o índice de assembleia (Q) para avaliar a qualidade de água dos reservatórios Santa Cruz do Apodi e Pau dos Ferros pertencentes à bacia hidrográfica do rio Apodi-Mossoró, a qual está totalmente inserida na região semiárida brasileira. Além disso, acredita-se que estudos de percepção ambiental constituem uma etapa inicial e primordial na sensibilização da população para preservação dos recursos hídricos. Amostras de água foram coletadas mensalmente entre outubro de 2011 e maio de 2012 nos reservatório Santa Cruz e Pau dos Ferros, neste último, em jan/12 foi realizado um perfil nictemeral, as coletas ocorriam sempre em um ponto próximo ao talude principal da barragem e foram realizadas durante um período de estiagem atipica. As variáveis abióticas obtidas em campo e no laboratório foram: temperatura da água, oxigênio dissolvido, pH, turbidez, transparência, nitrogênio total e fósforo total. As amostras do fitoplâncton foram coletadas com rede de plâncton e garrafa de Van Dorn e preservadas em formol e lugol acético, respectivamente. Foram realizados: identificação, quantificação, cálculo do biovolume, classificação em grupos funcionais e cálculo do índice de assembleia fitoplanctônico (Q), cianotoxinas foram quantificadas pelo método ELISA. Análises estatísticas deram suporte à avaliação da dinâmica entre fatores bióticos e abióticos. Aplicação de questionário foi realizada para analisar as concepções prévias da população, profissionais de ensino e alunos. O reservatório Pau dos Ferros  considerado raso, turvo e eutrófico apresentou dominância do grupo funcional SN durante todo o período amostral. A biomasa fitoplanctônica variou entre 20 e 70 mm³.l-1, os menores valores coincidiram com o aumento da zona de mistura e transparência, que contribuíram para a ocorrência de alteração na composição de espécies da

     

    comunidade fitoplanctônica. A aplicação do índice Q mostrou-se relevante, o reservatório Pau dos Ferros, em função das espécies presentes, foi categorizado, ecologicamente, como ruim durante quase todo o período amostral. O reservatório Santa Cruz apresentou baixa biomassa (0,04 e 4,31 mm³. l-1) e maior diversidade na composição fitoplanctônica. De acordo com o índice de assembléia (Q), ele apresentou condição moderada, durante a maior parte do período, influenciado por diferentes grupos funcionais típicos de ambientes meso-eutróficos (K, S0, H1,C, F, J, P, D e N). Associações de diatomáceas D e clorofíceas X1 sucederam as populações de cianobactérias em períodos marcados por maior instabilidade no sistema, causadas pelo vento ou chuva. Em síntese, a ocorrência de estiagem tem influência direta sobre as condições hidrológicas dos reservatórios, em geral, nesses eventos, a redução do nível do reservatório está diretamente associada à diminuição da qualidade da água e aumento da densidade fitoplanctônica ocorrendo predominância de cianobactérias, o índice Q refletiu bem às mudanças na composição fitoplanctônica, sendo um bom indicador para o biomonitoramento dos reservatórios avaliados neste estudo e o levantamento das concepções prévias mostrou a necessidade de se trabalhar a sensibilização ambiental para a preservação dos recursos hídricos através da realização de oficinas de Educação Ambiental.

18
  • PRYSCILA CYNARA SOARES VIEIRA
  •  

    Comunidade fitoplanctônica como discriminador ambiental e divulgação científica para reflexão social em açude eutrófico tropical semiárido (Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, RN)


  • Orientador : IVANEIDE ALVES SOARES DA COSTA
  • Data: 08/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • O ambiente aquático apresenta características que é de fundamental importância para que se possa entender a dinâmica das comunidades aquáticas. O conhecimento da comunidade fitoplanctônica, como parte integrante e dinâmica dos processos de eutrofização, fornece informações imprescindíveis para gestão e manejo adequados. É crescente o problema das cianobactérias em reservatórios em todo o mundo como conseqüência dos processos de eutrofização artificial, que favorece a rápida proliferação de cianobactérias no ambiente aquático, conhecida como “floração”. As florações de cianobactérias constituem uma preocupação especial, pelo fato de algumas espécies produzirem cianotoxinas, que podem provocar efeitos adversos na saúde humana. A Educação Ambiental é um dos instrumentos mais importantes para a humanidade superar a crise ambiental em que se encontra, pois se acredita que, a partir da promoção de atividades educativas, os participantes vão internalizando os conceitos e valores necessários à construção de uma nova relação com o ambiente onde vivem. O presente trabalho tem como objetivo geral caracterizar a dinâmica do fitoplâncton por meio do monitoramento da qualidade da água da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves/ RN, a fim de avaliar esse grupo como indicador ecológico do sistema. As coletas da água foram realizadas mensalmente entre 2009 e 2011, em três pontos ao longo da barragem. Em cada amostragem foram medidas variáveis físicoquímicas da água e analisados os componentes biológicos. Além disso, seguiu-se um trabalho de educação ambiental com a comunidade residente no município de Itajá. O reservatório foi considerado eutrófico nos três pontos, levando-se em consideração os valores de clorofila-a e fósforo, adotados para caracterizar ambientes eutróficos de zonas semi-áridas. Elevada densidade de cianobactérias foi registrada nos pontos 1 e 2 durante todo o estudo, ultrapassando os níveis de água potável (50.000 cél.ml-1) estabelecidos na Resolução Conama nº 357, de 17 de março de 2005. Todas as amostras analisadas continham microcistina, e 44% delas apresentaram valores superiores1μg L-1. Foi possível identificar na maior parte do período estudado, um gradiente térmico estratificado, reconhecido pela formação da termoclina, e acompanhado por estratificação química por oxigênio dissolvido. A comunidade fitoplanctônica foi representada por 11 grupos funcionais: S1, M, H1, Lo, P, F, Sn, J, W2 e R. A  avaliação do estado ecológico do sistema pelo índice Q demonstrou má qualidade da água. Os conhecimentos gerados a partir da atividade de educação ambiental atividade foram entendidos como essenciais para a sensibilização da população para alguns dos problemas ambientais da região, como a eutrofização. As variações verticais da comunidade fitoplanctonica foram menos pronunciadas do que as sazonais, sendo a chuva a principal responsável pela reorganização da comunidade fitoplanctonica. A presença de cianotoxinas confirma a necessidade do monitoramento da qualidade da água e tomada de medidas para minimizar a eutrofização em reservatórios de abastecimento de água do semiárido potiguar e demonstra o desafio para gestores de recursos hídricos e autoridades de saúde para garantir qualidade de água e, consequentemente, minimizar riscos a saúde humana. A pesquisa confirma a importância de projetos de educação ambiental na escola, que instiguem os alunos a pesquisarem e relacionarem o que estudam na teoria e sua importância na vida cotidiana, compreendendo melhor o ambiente em que vivem, e sua responsabilidade na transformação deste.

19
  • SOLANGE ALENCAR DE MEDEIROS
  • Apicultura Sustentável: Uma atividade ecologicamente correta na região do Seridó

  • Orientador : FERNANDO BASTOS COSTA
  • Data: 06/09/2013
  • Mostrar Resumo
  • O surgimento da ideia de desenvolvimento sustentável revela a apicultura como uma atividade essencialmente ecológica e comprovadamente rentável. Os agricultores norteriograndenses da Região Seridó, que antes priorizavam apenas a pecuária e as culturas do feijão, algodão, entre outras, passaram a apostar na apicultura como atividade complementar, desenvolvida com a adoção de novas práticas de produção fundamentadas na sustentabilidade econômica e preservação ambiental. Sendo uma das poucas atividades agropecuárias que preenche os requisitos do tripé da sustentabilidade, esse trabalho buscou verificar se a apicultura desenvolvida no Seridó se sustenta diante dos recorrentes períodos de secas e dos impactos provenientes das atividades econômicas que usam a lenha como fonte energética. Uma explicação é que esta atividade vem sendo comprometida pela dificuldade de reprodução do pasto apícola em decorrência das questões climáticas e das atividades econômicas, situação agravada pela ausência de pesquisa, orientação técnica e um bom planejamento para o seu desenvolvimento. Este estudo objetivou analisar os aspectos sociais, econômicos e ambientais da atividade apícola no Seridó, levantando o identificando o perfil socioeconômico dos apicultores e sua relação com o meio ambiente, mapear espécies de plantas visitadas pelas abelhas tanto na estação chuvosa como na seca, produtividade e comercialização do mel e sua dificuldades, verificar a composição da renda familiar e analisar a relação dos apicultores com as instituições públicas e privadas que atuam no segmento. O estudo concluiu que a atividade apícola no Seridó Potiguar depende das chuvas regulares para formação de um bom pasto apícola, situação que é agravada pelo desmatamento, na medida em que reduz os meios de produção do pasto apícola. Isso torna necessário o melhoramento da flora apícola, introduzindo variedades mais adequadas, diversificação dos produtos da colmeia, maiores incentivos e investimentos do poder público e ações estratégias entre as instituições públicas e privadas que atuam nesse segmento.

2012
Dissertações
1
  • LEONARDO OLIVEIRA DA SILVA
  • CONSERVAÇÃO DOS INVERTEBRADOS EM ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL LITORÂNEA NO NORDESTE DO BRASIL: CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE

  • Orientador : ELINEI ARAÚJO DE ALMEIDA
  • Data: 06/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A sociedade atual encontra-se em um verdadeiro colapso de cunho ambiental, as populações vão se perdendo devido a um sonho de desenvolvimento sem pensar nas conseqüências que esse dito desenvolvimento pode trazer para as populações humanas. Para tanto se faz necessário que estratégias sejam desenvolvidas com o propósito de proteger a fauna e a flora que fica em risco com a pressão que sofre para a concretização deste desenvolvimento. Desta forma temas importantes envolvendo a necessidade de se conservar a natureza e a criação de Unidades de Conservação como destas estratégias estão cada vez mais sendo desenvolvidas em pesquisas sejam na área biológica e/ou social. Nesse sentido, objetivou-se nesta pesquisa através da percepção ambiental atores sociais para a formação de elementos significativos para o entendimento da relação homem-natureza, e a partir daí prover ações voltadas para a sensibilização bem como a mudança de atitudes frente às questões ambientais para desta forma prover reflexões baseadas na Educação Ambiental para a produção do conhecimento ambiental como instrumento que proporciona mudança de valores. Esta pesquisa teve como área de estuda a Área de Proteção Ambiental Jenipabu – APA Jenipabu no nordeste do Brasil. Onde a partir da percepção ambiental dos alunos de escolas no interior e no entorno desta Unidade de Conservação poderiam fazer apontamentos quanto ao valor e significado dado pelos discentes e como esta o sentimento de pertencimento destes grupos. Esta dissertação esta composta por dois capítulos o primeiro descreve um diagnóstico de como estes grupos entendem e percebem esta Unidade de conservação e o segundo desenvolvido especificamente na escola do interior da APA Jenipabu com o intuito de promover o sentimento de pertencimento desses alunos afim de que se tornem agentes multiplicadores da importância e da necessidade de se ter esta Unidade de Conservação. Sendo vislumbra-se o grau de importância da Educação Ambiental como instrumento de sensibilização para a conservação seja dos invertebrados e de toda a fauna e flora existente seja em uma Unidade de Conservação ou não.

2
  • RICHELLY DA COSTA DANTAS OLIVEIRA
  • ANÁLISE DA TOXICIDADE GENÉTICA POR CONTAMINAÇÃO DE RADÔNIO NO AÇUDE RIACHO DA CACHOEIRA, LAJES PINTADAS (RN): UM DESAFIO INTERDISCIPLINAR

  • Orientador : VIVIANE SOUZA DO AMARAL
  • Data: 06/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A contaminação por agentes químicos vem sendo explorada e estudada por décadas. O radônio é um contaminante ambiental de origem natural, que provoca efeitos carcinogênicos. Estas emissões podem levar as mutações no tecido do pulmão, que podem iniciar um processo carcinogênico (NAS,1988). Assim o açude Riacho da Cachoeira, localizado no município de Lajes Pintadas, foi escolhido para o desenvolvimento do presente estudo, já que as taxas de câncer na região chegam a 9% da população anualmente, com isso, o objetivo principal do presente estudo foi avaliar a mutagenicidade e toxicidade do açude Riacho da Cachoeira sob a influência do Radônio. Como metodologia, foram realizados ensaios ecotoxicologicos com Ceriodaphinia dúbia, assim como ensaios genotoxicologicos com Tradescantia Pallida e Oreochromis niloticus. Para entender como a população de Lajes Pintadas percebe o meio ambiente, foi realizado um estudo de percepção local. Os resultados dos ensaios indicaram que a água do açude é toxica aos organimos-teste expostos, foram encontrados metais pesados, cloreto, coliformes totais e fecais assim como os níveis de radônio acima dos limites máximos permitidos segundo a legislação brasileira. Os resultados encontrados podem ser justificados por o fato de se tratar de amostras complexas constituídas assim de diferentes compostos que interagem entre só ou entre si causando efeitos antagônicos e/ou sinérgicos (Pavlaki et al., 2011). Concluiu-se que o açude Riacho da Cachoeira, esta contaminado com radônio, assim como por metais pesados, coliformes e cloreto, causando efeitos toxicológicos a comunidade natural. Assim novos estudos devem ser realizados com a população humana da região, para verificar se os altos índices de câncer na população do município podem estar ligados a presença da radiação natural Desta forma espera-se que os órgãos competentes que administram o município de Lajes Pintadas para tomem medidas cabíveis para assegurar e minimizar os riscos a saúde da comunidade que ainda faz uso do açude.

3
  • LUAN GOMES DOS SANTOS DE OLIVEIRA
  • Atores Sociais e Política Ambiental Urbana do município de Mossoró/RN pelo prisma das cartografias sociais analíticas

  • Orientador : CIMONE ROZENDO DE SOUZA
  • Data: 07/02/2012
  • Mostrar Resumo
  •  

    Parte-se da compreensão que a relação sociedade/natureza é largamente problematizada em um contexto de crise socioambiental. Neste contexto, lançamos mão do princípio da esperança para planejarmos e elaboramos novas formas de se entender a realidade social, na articulação entre ciência e saberes alternativos. A pesquisa consiste em investigar, como os atores sociais interferem na construção da política ambiental urbana da cidade de Mossoró/RN tendo como referência os processos de implementação do Plano Diretor, bem como da Agenda 21 do município. A hipótese desta pesquisa é que a Política Ambiental em Mossoró tem um caráter essencialmente normativo que se expressa na criação de um arcabouço político institucional para gerir as questões ambientais envolvendo de maneira acessória e ou funcional a participação da sociedade mossoroense. Desse modo questionou-se quem são os atores que constroem a política ambiental de Mossoró/RN. Como objetivos específicos desta pesquisa são: Identificar a dimensão ambiental do Plano Diretor articulado a Agenda 21 de Mossoró/RN; mapear informações junto aos gestores, coordenadores e membros do Conselho Municipal de Meio Ambiente e o conselho Municipal de Cidades sobre o funcionamento da política ambiental urbana mossoroense e como ela é executada pela Gerência Executiva de Gestão Ambiental em conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento Territorial e Ambiental (SEDETMA) e a Gerência Executiva do Desenvolvimento Urbanístico. Como caminho metodológico, foi utilizado o método da sociologia das ausências e das Emergências em articulação com a ecologia dos saberes e das produtividades. É uma pesquisa qualitativa e documental, onde utilizou-se documentos como o Plano Diretor de Mossoró/RN, atas de reuniões dos conselhos e em complementaridade foram realizadas 12 entrevistas semi-estruturadas com os gestores e conselheiros da Política Ambiental Urbana do Município de Mossoró/RN. Usaram-se também os mapas sociais analíticos ou temáticos para a tradução dos diálogos entre os atores sociais, gestores e conselheiros que fazem a Política Ambiental Municipal. Conclui-se que estes diálogos e experiências, apontam para a construção de uma política ambiental mais participativa e efetiva, comprometida com a transformação individual e coletiva da sociedade mossoroense.

4
  • MARIA LUISA QUININO DE MEDEIROS
  • Protozoários de vida livre em ambientes aquáticos do RN: ocorrência, caracterização e importância para a educação básica

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 07/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A água é considerada um bem imprescindível à vida, além de ser um fator condicionante do desenvolvimento econômico e do bem-estar social, representado tanto pela quantidade disponível, como pela qualidade. No semiárido nordestino, as secas que ocorrem de forma periódica aliada a atividades antrópicas, agravam a situação da conservação dos recursos hídricos nessa localidade. Para amenizar essa condição é comum a construção de reservatórios artificiais, como açudes e barragens. Assim como nos ambientes aquáticos naturais, estes reservatórios são locais propícios para a proliferação, crescimento e desenvolvimento de diversas comunidades biológicas, seja de animais, vegetais e de microrganismos. As pesquisas sobre a composição e ecologia dessas comunidades, sobretudo as microbianas, ainda são restritas. Um dos grupos menos estudados nesses ambientes são os protozoários de vida livre, que ao longo do tempo foram negligenciados e depois de descobertas sobre suas variadas funções no ecossistema aquático começam a receber mais atenção por parte dos estudiosos. Eles são, em termos quantitativos, os mais importantes consumidores de microrganismos (principalmente algas e bactérias) nos ambientes aquáticos, e, por isso controlam a abundância destes. Eles influenciam, portanto, a estrutura da cadeia alimentar aquática em termos de composição de espécies, abundância, biomassa e biodiversidade.  Apesar do reconhecimento da importância dos protozoários no balanço final das transferências tróficas em ambientes aquáticos, existem poucos dados e, de um modo geral, são, ainda, precários os conhecimentos sobre eles. Tendo em vista a importância dos protozoários em ambientes aquáticos e a escassez de pesquisas relacionadas a este grupo, sobretudo no Estado do Rio Grande do Norte, o presente estudo teve ­­­­como objetivo identificar os gêneros e espécies de protozoários de vida livre que estão presentes na Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, bem como relacionar a ocorrência e a dinâmica destes com as condições tróficas do ambiente no qual estão inseridos, com o intuito de corroborar a hipótese de que as espécies que estão nesses ambientes podem servir para indicar a qualidade da água. Registrou-se a presença de 65 táxons de protozoários de vida livre, dos quais 29 foram identificados em nível de espécie. Observou-se uma similaridade espacial na composição taxonômica dos protozoários, sugerindo-se uma possível regulação desse tipo de comunidade por outras variáveis limnológicas diferentes daquelas estudadas nesse trabalho (clorofila-a, pH, temperatura). Ainda objetivou-se analisar as concepções de professores e alunos, das cidades próximas da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, sobre as temáticas relativas à qualidade de água e do papel dos protozoários. Para isso, foi aplicado questionários com professores e alunos de escolas estaduais de São Rafael e Itajá. Concluiu-se que os professores e alunos reconhecem as múltiplas funcionalidades da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, apesar de desconhecerem aspectos importantes da dinâmica e ecologia desse ambiente. As concepções de professores e alunos se igualaram em vários momentos, principalmente no tocante às doenças de veiculação hídrica. Na tentativa de identificar possíveis concepções alternativas sobre o conhecimento dos protozoários, partindo da hipótese que esses organismos têm seu papel ecológico negligenciado, e são vistos como, somente, transmissores de doenças, foi feito um estudo com professores e alunos, seguindo determinada metodologia que permitiu analisar de forma clara e precisa os resultados. Ficou claro que o conhecimento sobre os protozoários de vida livre é, ainda, bastante limitado. As concepções alternativas que foram evidenciadas mostram uma relação direta de protozoários e doenças. A partir dos dados obtidos por todos esses estudos, planejou-se uma série de atividades de divulgação científica, educação ambiental e educação em saúde nas escolas próximas aos ambientes de estudo com o intuito de promover uma transposição didática do conhecimento acumulado sobre esses organismos, favorecendo a formação continuada de professores e o incremento de informações à comunidade local por meio do conhecimento da biodiversidade e ecologia desses organismos. Além disso, os resultados encontrados neste estudo e as reflexões feitas sobre ele levaram a que se propusesse a elaboração de um livro paradidático com ênfase sobre o grupo dos protozoários de vida livre para uso junto às populações de escolas públicas da região semiárida onde foi desenvolvido o trabalho.

5
  • VIVIANE SILVA FELIX
  • Ocorrência de Doenças de Veiculação Hídrica em Trechos da Bacia do Rio Piranhas-Assu: ocorrência de bactérias oportunistas, caracterização epidemiológica e concepções de professores e agentes de saúde

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 07/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A água é essencial à vida e a todos os organismos vivos e o seu suprimento é necessário para o desenvolvimento econômico e para a qualidade de vida das populações humanas. Porém a qualidade da água vem sendo diminuída devido as ações antrópicas humanas. No semiárido nordestino, a situação da água é bastante preocupante, pois existem problemas de qualidade e quantidade hídricas. Por isso nesses locais é comum a construção de reservatórios, que objetivam amenizar essa situação, eles são utilizados população, para diversos fins. Esses fatores são limitantes para o desenvolvimento econômico e social da região, além de contribuir para o aumento das doenças de veiculação hídrica. Cerca de 80% das doenças que ocorrem em países em desenvolvimento são veiculadas pela água contaminada por microrganismos patogênicos. A presença de microrganismos indicadores e patogênicos na água representam importantes problemas de saúde pública. Diante deste cenário este trabalho objetivou determinar, em dois ambientes lóticos que fazem parte da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, Itajá e São Rafael e em um trecho do rio Assu, todos localizados no semi-árido potiguar, a ocorrência de bactérias patogênicas oportunistas; verificar as concepções de professores e agentes de saúde a respeito dos temas “doenças de veiculação hídrica” e “bactérias”, além de realizar um diagnóstico das doenças diarréicas que acometem a população de alguns municípios do semi-árido do RN a partir do levantamento de dados epidemiológicos. Para identificação das bactérias utilizou-se kits de identificação comercial, o diagnóstico das doenças diarréicas foi realizado através da utilização de informações de bancos de dados e as concepções prévias foram obtidas através da aplicação de um questionário. Os resultados confirmam que existem bactérias oportunistas nos ambientes aquáticos sendo necessária uma vigilância da qualidade da água; verificou-se que existem sub-notificações dos casos diarréias apontando uma falha no Monitoramento das Doenças Diarréicas, fazendo-se necessário um aprimoramento do mesmo; e percebe-se a necessidade de implementação de atividades educativas a respeito dos temas abordados, tanto com os professores como com os agentes de saúde, pois os mesmos apresentam algumas concepções equivocadas.

6
  • BEATRIZ CAVALCANTE DA SILVA
  • Usos potenciais de Moringa oleifera Lam., uma matriz para produção de biodiesel e tratamento de água no semiárido nordestino

  • Orientador : JULIANA ESPADA LICHSTON
  • Data: 08/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A crise ambiental que vivenciamos hoje exige que transformemos as relações entre sociedade, natureza e desenvolvimento, considerando a sustentabilidade. Nesse contexto, um dos principais temas é a substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis, como o biodiesel. Uma potencial oleaginosa a ser utilizada como matriz para produção de biodiesel é Moringa oleifera Lam. (moringa), um vegetal de múltiplos usos que também pode ser utilizado para tratamento de água. Assim, os objetivos deste trabalho foram: analisar as adaptações anatômicas de caule e folha e as reservas oleíferas da semente de moringa, investigar características químicas do óleo da semente de moringa, considerando a produção de biodiesel, e avaliar a função coagulante dessas sementes no tratamento de água. Foram confeccionadas lâminas histológicas semipermanentes, nas quais observou-se que o caule apresenta cutícula espessa, estômatos abaixo da linha da epiderme, medula oca, drusas e tricomas tectores como adaptações às condições edafoclimáticas em que a espécie está inserida, enquanto a folha é dorsivental e possui cutícula espessa, tricomas tectores e drusas. A semente, por sua vez, possui reservas oleíferas abundantes. Essas características favorecem o cultivo da moringa como matriz para produção de biodiesel no semiárido nordestino. A avaliação química foi realizada por meio de extração do óleo com solvente via agitação mecânica e análise do óleo em espectrofotômetro UV-Visível. Foi feita a transesterificação do óleo, com análise do biodiesel gerado por cromatografia gasosa. Obteve-se bom rendimento de óleo e biodiesel de boa qualidade. Para avaliação da atividade coagulante das sementes, foram realizados ensaios de coagulação e floculação em jarteste, nos quais foi aplicado um extrato de sementes de moringa na água a ser tratada. As sementes se mostraram eficientes no processo de coagulação para tratamento de água, podendo ser utilizadas diretamente em sistemas rudimentares de tratamento ou servindo como matéria-prima para a extração de proteínas coagulantes a serem utilizadas em larga escala, como alternativas aos coagulantes tradicionais. Conclui-se que M. oleifera possui características que favorecem sua utilização para as funções associadas de produção de biodiesel e tratamento de água.

7
  • ERICA LUANA GALVAO TORRES
  • A incorporação de preceitos ambientais no sistema de gestão de resíduos sólidos do município de João Câmara - RN – Brasil.

  • Orientador : CIMONE ROZENDO DE SOUZA
  • Data: 08/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A realidade ambiental global aponta o desenvolvimento sustentável como única opção viável para o enfrentamento da crise que se apresenta. O caminhar para a sustentabilidade requer a constituição/avaliação de sistemas em sua direção, por meio da incorporação de preceitos ambientais e em consonância com a Política Nacional de resíduos Sólidos. Por isso, a pesquisa proposta defende a importância da visão socioambiental, complementando o olhar técnico, para o sistema de gestão de resíduos sólidos de João Câmara, que consiste num município que apresenta um sistema cujas inadequações se configuram em risco ambiental e a saúde. Portanto, por meio da observação, aplicação do modelo de indicadores de sustentabilidade e análise de conteúdo de entrevistas, esta pesquisa propôs averiguar como os princípios da participação social e da sustentabilidade se apresentam e qual é a percepção de risco sobre as inadequações neste sistema. Os resultados confirmaram as hipóteses da pesquisa e desenham um quadro de preocupantes dados, tais como: indicadores muito desfavoráveis a sustentabilidade, inexistência de canais de participação; descomprometimento da gestão com investimentos no sistema; desvalorização do catador de resíduos e percepção divergentes sobre o risco fazendo os atores agirem de formas isoladas. Esse quadro preocupante é amenizado pelo aparecimento de uma série de elementos de se configuram como oportunidades para a inserção dos princípios ambientais no sistema. E apesar da impossibilidade de participação dos gestores do sistema na pesquisa, ainda assim, ela se porta como oportunidade à implementação de políticas públicas na área de resíduos sólidos tais como: a elaboração do plano municipal de resíduos, a institucionalização da coleta seletiva e a organização de cooperativa com o apoio das empresas presentes no município e das instituições de ensino como o Instituto Federal. Feito isto, para a garantia da qualidade de vida dos moradores, para a inserção socioeconômica dos catadores e para o caminhar rumo a uma sociedade sustentável.

8
  • ANTONIA VILANEIDE LOPES COSTA DE OLIVEIRA
  • Zoneamento geoambiental como subsídio ao planejamento territorial municipal: estudo de caso para Currais Novos/RN

  • Orientador : LUIZ ANTONIO CESTARO
  • Data: 09/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa apresenta o plano diretor e os zoneamentos de cunho ambiental como instrumentos de planejamento e gestão ambiental, levando-se em consideração a discussão acerca do planejamento ambiental territorial orientada por duas direções: as questões ambientais envolvidas no planejamento e a aplicação desses instrumentos no âmbito municipal. Para análise do planejamento voltado à totalidade do território municipal, considerou-se fragmentos deste, o campo e a cidade, analisados a luz do planejamento territorial. É possível perceber que o plano diretor, apresentado no Estatuto da Cidade e os exercícios de zoneamento direcionados ao planejamento ambiental são instrumentos que em seu bojo trazem as questões ambientais territoriais. No que concerne ao plano diretor, o primeiro desafio verificado é com relação ao recorte espacial que o plano deve abarcar, pois é necessária a elaboração de planos diretores que contemplem a totalidade do território. Já os zoneamentos de caráter ambiental são claramente voltados para o território total. Nesse sentido, o zoneamento geoambiental de Currais Novos foi realizado na totalidade do território municipal e orientado pelas variáveis físicas do ambiente. Esse tipo de zoneamento se configura em um instrumento de planejamento e ordenamento do território baseado no estudo das paisangens.  Desse modo, embasado na Teoria de Geossistemas este trabalho teve o objetivo principal de propor um zoneamento geoambiental para o município de Currais Novos - RN. Para tanto, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin (2010) e a caracterização do meio físico de Currais Novos através de trabalho de campo e vetorização de dados cartográficos, além de tratamento de imagem SRTM. As definições dos Sistemas geoambientais se basearam na proposta de Bertrand (1968) apoiado em Cestaro et al. (2007). Assim, foram identificados cinco sistemas geoambientais (Planalto da Borborema, Planalto Residual, Chapada da Serra de Santana, Vale fluvial semiárido e Vale Lagunar) e onze subsistemas geoambientais (Planalto da Borborema Encosta Oriental, Planalto da Borborema Encosta Ocidental, Maciços isolados do Planalto da Borborema, Cristas Residuais, Maciços residuais, Escarpa erosiva da chapada, Chapada de topo plano, Planície de inundação fluvial, Rio temporário do semiárido e Lago artificial ou açude).

9
  • JOSÉ PIO GRANJEIRO BATISTA
  • Dinâmica da paisagem na microbacia do Riacho Cajazeiras no semiárido Potiguar

  • Orientador : FERNANDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 09/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • O semiárido nordestino vem passando por mudanças desde sua formação acarretando transformações na paisagem e aumento da degradação. A dinâmica econômica que se estabeleceu no semiárido potiguar durante muito tempo esteve assentada na pecuária, agricultura de subsistência e algodão, entretanto, essas economias declinam a partir dos anos de 1970. Desse modo, os espaços potiguares estão passando por um processo de reordenamento espacial marcado pelo crescimento das atividades agropecuárias e pelo processo de urbanização. Na região do oeste potiguar tais mudanças fragilizam e transformam significativamente a paisagem. Nessas áreas, o processo de urbanização e a atividade agropecuária têm provocado mudanças na paisagem sertaneja alterando a dinâmica natural do Bioma Caatinga que passou a sofrer interferências negativas com a retirada indiscriminada da vegetação. No caso, específico da área em estudo a microbacia do Riacho Cajazeiras localizada nos municípios de Pau dos Ferros, Água Nova, Encanto e Rafael Fernandes as alterações na paisagem tem provocado a degradação e a fragilidade ambiental. Nessa perspectiva, o objetivo da pesquisa consiste em avaliar a dinâmica da paisagem da microbacia do Riacho Cajazeiras, semiárido potiguar, identificando os fatores degradantes, às áreas mais degradadas e/ou susceptíveis a degradação e as fragilidades ambientais. A pesquisa investigou os fenômenos a luz da teoria geossistêmica que enfatiza a integração dos elementos na formação da paisagem. Para a realização do trabalho foram realizadas as pesquisa exploratória, bibliográfica, o trabalho de campo e técnicas de geoprocessamento para avaliar as condições socioambientais da área de pesquisa e sua fragilidade ambiental. Para tanto, primeiramente, foi feito uma analise multitemporal com base nos anos de 1984, 1996 e 2009 demonstrando que a dinâmicade do uso e da ocupação do solo na microbacia do Riacho Cajazeiras mostrou uma mudança significativa na paisagem, especialmente, na vegetação de caatinga. Esta vem se recuperando em varias areas da microbacia, principalmente, em seu alto curso nas Serras do Bom Sera, do Encanto. A análise mostrou a necessidade de desenvolver políticas e programas voltados para a manutenção, recuperação e preservação da vegetação de caatinga da rede fluvial e dos corpos d água. Além disso, foram identificadas as áreas mais degradadas da microbacia e a fragilidade ambiental potencial e emergente que levam em consideração os componentes da paisagem tais como: clima, relevo, geologia, pedologia, geomorfologia e uso e ocupação do solo de forma integrada. Os resultados mostram que a paisagem da microbacia apresenta fragilidade ambiental média e alta em toda sua área, destacando-se, nas margens da rede fluvial proporcionada pelo o uso e ocupação do solo de forma inadequada com as condições ambientais da microbacia.

10
  • CLARICE SALES MORAES DE SOUZA
  • DIRETRIZES PARA A CONSERVAÇÃO DA ESPÉCIE Mimosa caesalpiniifolia Benth., MACAÍBA-RN

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 10/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • Cerca de 40% do globo terrestre está ocupado pelas florestas tropicais e subtropicais, entre as quais 42% são compreendidas pelas florestas secas, onde se inclui o Bioma Caatinga, contemplando com floresta arbórea ou arbustiva, de características xerofíticas. O estudo e a conservação da diversidade biológica da Caatinga é um dos maiores desafios da ciência brasileira, pois, estas são proporcionalmente as menos estudadas entre as áreas naturais, com grande parte do esforço científico concentrado em alguns poucos pontos em torno das principais cidades da região, e também por ser a região natural brasileira menos protegida. A degradação do meio ambiente vem aumentando cada vez mais, tendo, ao mesmo tempo, seu ritmo acelerado em decorrência da sua apropriação cada vez maior pelo homem, a fim de suprir suas necessidades imediatas ou não. Assim a conservação de espécies deveria basear-se em três princípios: os usos dos recursos naturais pela geração presente, a prevenção de desperdício e o uso dos recursos naturais para benefício da maioria dos cidadãos. Dentre as estratégias para conservação de espécies, podemos citar a “conservação ex situ”, na qual a conservação dos recursos genéticos pode ser realizada fora do ambiente de ocorrência natural das espécies e “conservação in situ”, ou seja, nos locais de ocorrência das espécies. Na conservação ex situ as coleções de germoplasma são mantidas no campo e/ou laboratórios (câmaras de conservação), e esta trata particularmente de conservar diversidade intraespecífica (variabilidade genética), as coleções ex situ são continuamente enriquecidas por atividades de coleta, introdução e intercâmbio de germoplasma, já a conservação in situ conservam-se ecossistemas e habitats, mantendo e recuperando populações nativas de espécies de interesse. Assim, o objetivo desta pesquisa é a busca de estratégias para conservação de Mimosa caesalpiniifolia B. (sabiá) utilizando instrumentos de percepção ambiental e biotecnologia vegetal, como mecanismos de conservação in situ e ex situ. Para a percepção ambiental, realizamos entrevistas abertas, semi-estruturadas e de forma qualitativa. As perguntas eram compostas por dados socioeconômicos e conhecimentos da espécie Sabiá. Para a biotecnologia vegetal, coletas de sementes de Sabiá foram realizadas em distintos locais para a formação de um banco de germoplasma. A micropropagação da espécie foi a partir de segmentos nodais de plantas provindas do matrizeiro. Com relação ao conhecimento das populações rurais ao uso da planta Sabiá ocorreram preferências a partir dos discursos que a planta possui uma madeira firma, não é atacada por cupim, é legalizada para a exploração pelo órgão ambiental federal (IBAMA), e é uma espécie da região. A pesquisa caracterizou que a população rural possui conhecimentos sobre a espécie Sabiá e que percebem que os recursos naturais estão se exaurindo. A proposta que a comunidade rural supôs foi à doação de mudas da espécie Sabiá a partir do período das chuvas, em que as mudas seriam plantadas na divisão entre os lotes, em plantios individuais. Para a formação de um banco de matrizes, a biotecnologia vegetal trouxe respostas favoráveis na produção de mudas da espécie Sabiá, com a formação de brotações e mudas vigorosas.

11
  • DANUTA WERNER GABRIEL
  • ASPECTOS DA ECOLOGIA DO MACACO Alouatta belzebul (LINNAEUS, 1766) EM REMANESCENTE DE MATA ATLÂNTICA NORDESTINA: PERCEPÇÃO AMBIENTAL E IDENTIFICAÇÃO DE INTERFERÊNCIAS ANTRÓPICAS
     

  • Orientador : ELIZA MARIA XAVIER FREIRE
  • Data: 10/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A Mata Atlântica brasileira, um hotspot de biodiversidade com alto nível de endemismo, possui inúmeras espécies animais e vegetais de alto valor ecológico que são consideradas em situação de risco pela IUCN. Dentre as mais de 530 espécies de seres vivos ameaçados, podemos encontrar o macaco guariba (Alouatta belzebul), um mamífero arborícola endêmico do Brasil, segundo maior primata da América latina, que atua como dispersor de sementes de várias espécies vegetais. Considerado em situação Vulnerável pela Red List de 2008, esta espécie de primata é uma das menos estudadas do gênero. Embora processos de extinção tenham sido considerados naturais, durante muitos anos, a maior parte das extinções está relacionada a atividades humanas, que são derivadas de preferências e padrões sociais, políticos, econômicos e intelectuais. A discussão sobre a questão ambiental não é neutra e reflete os interesses sociais, visões de mundo e paradigmas diferenciados, assim como conflitos entre valores, atitudes, percepções, conceitos e estratégias sociais. Considerando a falta de informações concretas sobre a população de A. belzebul do Rio Grande do Norte e a necessidade de se entender como está se estabelecendo a relação homem-natureza, este trabalho teve como objetivo avaliar a ecologia de A. belzebul e possível interferência de atividades antrópicas locais, bem como a percepção da população que mantém relação direta com a reserva onde encontramos esta espécie de macaco. Especificamente objetiva-se: (i) Registrar aspectos da ecologia do macaco A. belzebul, na RPPN Senador Antonio Farias; (ii) Identificar como a população humana, que mantém relação direta com a Mata Estrela, vem utilizando os recursos oferecidos pela reserva; (iii) Avaliar se o uso da população que mantém relação direta com a Mata Estrela pode interferir na ecologia do macaco A. belzebul; e (iv) Descrever qual a percepção da população que mantém relação direta com a Mata Estrela sobre a própria mata e sobre o macaco guariba habitante do local. Este trabalho foi desenvolvido em 4 (quatro) etapas: 1) Análise de aspectos da ecologia do macaco Alouatta belzebul; 2) Identificação de atividades antrópicas na RPPN Senador Antonio Farias; 3) Avaliação do nível de percepção da comunidade que mantém relação direta com a RPPN sobre a área e o macaco guariba; 4) Identificação de possível interferência de atividades antrópicas sobre a ecologia do Alouatta belzebul. Quanto aos aspectos da ecologia de A. belzebul analizados, a dieta se apresentou pouco variada, com altos índices de frugivoria e presença de itens como cascas de árvore e frutos de Ficus sp., espécie vegetal associada a florestas perturbadas e dietas menos diversas. A área de vida dos grupos de guaribas estudados totalizou 27 ha e o estrato florestal mais utilizado foi o superior, com alturas entre 16 e 20 m, predominando o uso dos galhos no dossel. Quanto à relação que a comunidade do entorno da RPPN Senador Antonio Farias mantem com a reserva e com este macaco, ficou claro o conflito de interesses entre as atividades realizadas pela população na Reserva e as necessidades ecológicas de alimento e espaço detectadas para o macaco guariba. Um total de 31,25% dos itens ingeridos pelos guaribas também são utilizados pelos usuários da Mata Estrela, se descosiderarmos as espécies vegetais que não foram perguntadas na entrevista, os usos comuns sobem para 55,55%. Além disso, 13,89% dos casos de caça na Reserva são contra este animal, estando em 7° lugar no ranquing dos animais mais caçados na RPPN, de um total de 17 animais citados.
     

12
  • LILIA SILVA LUZ
  • COMÉRCIO INTERNACIONAL E MEIO AMBIENTE: ESTÍMULO À PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL OU MERO PROTECIONISMO COMERCIAL – A POSIÇÃO DO BRASIL EM DOIS CASOS DE LITÍGIO

  • Orientador : DANIEL DURANTE PEREIRA ALVES
  • Data: 13/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A Organização Mundial do Comércio (OMC) foi criada em 1994, como resultado da Rodada Uruguai, e tem como escopo principal propugnar pela manutenção do livre-comércio entre as nações. O preâmbulo do seu Acordo Constitutivo cita especificamente como sendo um objetivo da instituição o alcance de um desenvolvimento sustentável e a busca pela proteção e preservação do meio ambiente, trazendo para a esfera do comércio mundial a ideia de que a preocupação com a causa ambiental não está restrita apenas ao grupo dos ambientalistas, mas, pelo contrário já adentrou o cenário econômico de uma forma não só ideológica, porém também pragmática. O Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT) de 1947, que integra o GATT de 1994, contém um dispositivo que permite a adoção de medidas restritivas ao comércio, desde que tais medidas visem a proteção do meio ambiente – Artigo XX. O Órgão de Solução de Controvérsias (OSC) integra a OMC e atua na dissolução de controvérsias entre os países motivadas por questões comerciais. Analisam-se dois casos em que países impuseram medidas comerciais restritivas com justificativa ambiental. O primeiro caso foi encerrado em 1996, com ganho de causa dado ao Brasil, relativo à discriminação da legislação ambiental estadunidense imposta à gasolina importada do Brasil – e o segundo, iniciado em 2005 e encerrado em 2007, saindo novamente o Brasil vitorioso, é referente à proibição da importação de pneus reformados para o Brasil. Objetiva-se responder à pergunta: como o meio ambiente é tratado em meio a discussões comerciais – o que se visa é a sua proteção ou a sua utilização com objetivos econômicos disfarçados? Para a confecção deste trabalho, foi empreendida ampla pesquisa documental junto ao sítio virtual da OMC para avaliação de toda a produção jurídica dos casos e posterior análise da questão-chave para o trabalho, além de pesquisa bibliográfica de autores que estudam a tensa relação entre comércio internacional e meio ambiente. Quanto ao primeiro caso, pôde-se perceber que a movimentação política realizada pelos EUA com o fito de alcançar padrões aceitáveis de qualidade do ar foi um esforço institucional para assegurar a qualidade do ar atmosférico, e, assim, seria inapropriado afirmar que o regulamento da gasolina constituiu meramente um entrave comercial disfarçado. Porém, uma análise cuidadosa da implementação e do funcionamento do regulamento da gasolina pode evidenciar intenções comerciais disfarçadas e o argumento ambiental dos EUA não se sustentou. O peso do meio ambiente neste foi relegado, posto que visivelmente existiam interesses estranhos à causa ambiental. Quanto ao segundo caso, percebeu-se que, apesar das claras tentativas das CE de promover o dumping ecológico, quando intentaram enviar para o Brasil, supostamente um país com estrutura fiscalizatória ambiental mais débil, um resíduo que, por força de diretivas internas, já não podia ser enviado para seus próprios aterros, o discurso brasileiro permaneceu centrado na causa ambiental, e desta sorte não se verificou a existência de barreiras comerciais disfarçadas, e sim, de preponderância, pelo menos a priori, de forças estranhas à discussão sobre o meio ambiente, pois que não há como se justificar juridicamente a reversão total do entendimento do primeiro órgão julgador, à vista de todos os argumentos apresentados pelo Brasil e da não apresentação de fatos novos quando da apelação. Ainda, bastante alvissareira a reflexão sobre o papel da liberalização comercial sobre o meio ambiente de forma geral, pois que, ao passo em que não se chega a uma conclusão definitiva, evidenciam-se posições nos dois sentidos, tanto a favor quanto contra, o que só enriquece as discussões e torna este um tema bastante fértil para futuras pesquisas.

13
  • JANE AZEVEDO DE ARAÚJO
  • Alterações ambientais em Parelhas, Rio Grande do Norte: metais pesados em sedimentos de drenagens e percepção de comunidades rurais em relação a mudanças na paisagem

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 01/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • A conservação dos recursos naturais é essencial e constitui o objeto principal de várias pesquisas, que caracterizam aspectos importantes concernentes às alterações ambientais do solo, da água, na paisagem e informações socioeconômicas. Este estudo objetivou investigar o aporte antropogênico de metais pesados para o meio ambiente, na área de influência do lixão do município de Parelhas e em um trecho do Rio Seridó, visando determinar a concentração de metais pesados nos sedimentos, o que pode implicar em risco para o meio ambiente e a saúde humana. Além disso, buscou-se conhecer o perfil socioeconômico dos moradores de comunidades rurais adjacentes ao Rio Seridó e entender a percepção destes moradores com relação a mudanças nos espaços onde vivem. A área do estudo situa-se no município de Parelhas/RN localizado na Porção Centro-sul do Estado, na Microrregião do Seridó Oriental. A área da pesquisa abrangeu o local onde se encontra o lixão do município, situado ao lado da RN 086, o Açude Caldeirão, o Rio Quintos – denominado de Riacho Caldeirão pelos moradores locais – e um trecho do Rio Seridó, importante rio perenizado pela Barragem Boqueirão, que corta o município e compreende às suas margens as comunidades rurais Almas, Domingas, Sussuarana II e Colonos. No que se refere ao estudo com sedimentos das drenagens, as amostras foram coletadas e levadas ao laboratório de geoquímica, onde foram secas, peneiradas, pesadas e submetidas a ataque ácido fraco. A leitura dos metais pesados foi realizada por Espectrofotômetro de Absorção Atômica – AAS-CHAMA. Para coletar os dados das comunidades rurais foram aplicados 23 questionários constituídos de 38 perguntas fixas, voltadas para o perfil socioeconômico e percepção ambiental dos participantes. Os participantes foram distribuídos nas comunidades Almas (1), Domingas (2), Sussuarana II (10) e Colonos (10). A maioria dos entrevistados apresentou perfis socioeconômicos semelhantes, residem no local de 20 a 30 anos, estão na faixa etária de 45 e 60 anos ou mais; as famílias são compostas de 3 a 4 pessoas, sendo a agricultura a atividade principal e a pecuária a secundaria; 48% dos entrevistados ganham um salário mínimo. Com relação à percepção ambiental dos entrevistados, estes conseguem perceber algumas mudanças ocorridas na vegetação, solo, água, na paisagem. As pessoas com maior tempo de moradia na comunidade e com mais anos de vivência da realidade local podem perceber o desgaste do solo, das pastagens, e as mudanças na paisagem que retratam como o local era anteriormente e o que hoje ele representa. A percepção acerca das mudanças, além das ambientais, inclui outras concernentes ao aumento do número de moradores e de residências. Essas mudanças ocorreram através de atividades desenvolvidas pelos residentes ao longo dos anos, as quais incluem práticas de agricultura, pecuária, plantio de capim e até mesmo a cotonicultura. O estudo propiciou a aquisição de novos dados sobre a realidade ambiental da região, os quais podem servir de subsídio à definição de políticas públicas a serem implementadas sob a ótica da conservação dos recursos hídricos, da convivência e sobrevivência do homem no semiárido.

14
  • REJANE BATISTA LOPES
  • Metais pesados no caranguejo Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) e ecotoxicologia de sedimentos do estuário dos Rios Jundiaí e Potengi – RN

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 01/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo é realizado no estuário dos rios Jundiaí e Potengi, um dos mais importantes do Rio Grande do Norte, que sofre uma forte influência antrópica das cidades vizinhas. De acordo com a resolução 344/2005 ambientes que apresentam elevadas concentrações de metais como arsênio, cádmio, chumbo e mercúrio necessitam de testes ecotoxicológicos. Este trabalho tem por objetivo avaliar a contaminação por metais pesados no estuário através de análises de sedimento coletados em quatro pontos distribuídos entre as cidades de Macaíba e Natal e no caranguejo Uçá, Ucides cordatus. Objetiva ainda avaliar os efeitos da toxicidade do sedimento no organismo teste Leptocheirus plumulosus. Para obtenção dos dados acerca das concentrações dos metais pesados no ambiente foram realizadas coletas de sedimentos em janeiro e maio de 2011, e do caranguejo Uçá no mês de junho de 2011. Por sua vez, o monitoramento toxicológico foi realizado através de testes com o sedimento coletado nos meses de julho a outubro de 2011. Durante a amostragem de sedimentos os parâmetros físico-químicos da água (Oxigênio Dissolvido, pH, cloreto, turbidez, condutividade e temperatura), foram medidos em campo utilizando Sonda Multi-paramétrica da marca TROLL, modelo 9500. Foi possível identificar contaminação por metais como chumbo, cádmio, arsênio e cobre tanto no sedimento, como no caranguejo Uçá o que caracteriza que o consumo deste crustáceo pode trazer risco à saúde humana. Uma vez identificadas as concentrações de metais, foram realizados testes toxicológicos, que revelaram efeito tóxico aos organismos em pelo menos um dos quatro meses estudados. Destaque-se o ponto 2, próximo à ponte do rio Guarapes, que foi classificado como tóxico em três dos quatro meses estudados. A contaminação por metais pesados constitui risco ao ambiente, aos organismos aquáticos e à comunidade que sobrevive dos recursos extraídos deste ambiente.

15
  • ALINE ROCHA DE PAIVA COSTA
  • REVITALIZAÇÃO DO RIO GOLANDIM (RN/BRASIL) APÓS DÉCADAS DE CONTAMINAÇÃO POR EFLUENTES INDUSTRIAIS E DOMÉSTICOS: ESTE RIO ESTÁ RECUPERADO?

  • Orientador : VIVIANE SOUZA DO AMARAL
  • Data: 31/05/2012
  • Mostrar Resumo
  •  

    A água é essencial para a manutenção da vida, entretanto, a poluição ambiental vem causando a perda da qualidade dos recursos hídricos, afetando assim a saúde humana. Este estudo avaliou a qualidade da água do Rio Golandim no município de São Gonçalo do Amarante/RN/Brasil após a realização do plano de recuperação através de medições de parâmetros de qualidade de água - análises físico-químicas, de metais pesados e microbiológicos – além de incluir testes que detectem a presença de compostos mutagênicos em Tradescantia pallida (Trad-MCN) e ecotoxicidade com Daphnia dubia. Em conjunto, realizou um estudo de percepção ambiental através de questionários que abordou questões relacionadas ao perfil do entrevistado, conhecimentos sobre o meio ambiente e do rio Golandim com a comunidade que vive nas proximidades do rio para diagnosticar como eles percebem o ambiente em que vivem e seus problemas. Os experimentos foram realizados a partir de amostras coletadas em dezembro de 2010 (estação seca) e em julho de 2011 (estação das chuvas) em três pontos diferentes do rio Golandim. A análise dos dados permitiu observar que a maioria dos moradores são adultos e apresentam uma visão global do que faz parte do meio ambiente, a maioria menciona a poluição do rio como um dos problemas do município, considerando-o grave. Os resultados provenientes do ensaio Trad-MCN para a água bruta mostrou resposta positiva, representada pelo aumento na frequência de micronúcleos, para um dos pontos analisados (P3) em ambas as estações de coleta. Já os dados resultantes do ensaio ecotoxicológico não indicou efeito agudo, entretanto demonstrou toxicidade crônica para a média de reprodução dos cladóceros nas estações seca e chuvosa, em todos os pontos amostrados. As análises químicas detectaram um aumento nos níveis de alguns metais pesados nas diferentes estações e amostras, que podem estar associados ainda à presença de compostos de origem urbana e industrial. Por outro lado, os parâmetros físico-químicos demonstram que o rio Golandim está se recuperando, já que quando se compara os valores observados com a legislação do CONAMA. Contudo, nossos resultados apontam para a presença na água de compostos capazes de induzir mutações, podendo gerar sérios agraves à saúde da população que utiliza e reside nas proximidades do Golandim, a qual ainda se sente insegura quanto a utilização do mesmo. Desta forma, este estudo alerta para a necessidade de realizar ensaios biológicos além de empregar apenas as análises provenientes das medições físico-químicas para atestar a qualidade de um corpo d’água, como também da realização de trabalhos de educação ambiental com a comunidade ribeirinha. 


2011
Dissertações
1
  • ANUSKA CONDE FAGUNDES SOARES GARCIA
  • AVALIAÇÃO DO POTENCIAL MUTAGÊNICO DA ÁGUA DO AÇUDE DE LUCRÉCIA (RN-BRASIL): UM ENFOQUE NA RELAÇÃO SAÚDE E AMBIENTE

  • Orientador : SILVIA REGINA BATISTUZZO DE MEDEIROS
  • Data: 14/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • A qualidade hídrica de diversos mananciais tem sido reduzida devido à percolação de contaminantes, seja de origem antrópica ou natural, aumentando consideravelmente o nível de compostos genotóxicos nos ecossistemas aquáticos. Tal fato vem contribuindo para a redução da qualidade ambiental, bem como para o comprometimento da saúde dos seres vivos que habitam esses ecossistemas, inclusive o homem.  Diante deste cenário, está o açude de Lucrécia, que é um dos principais reservatórios hídricos superficiais, da região semi-árida do Estado do RN, e que tem demonstrado contaminação por metais pesados, cianobactérias tóxicas e a presença natural do Radônio. Aliado a esses problemas, a população deste município vem apresentando elevados índices de câncer associados popularmente ao consumo dessa água, sendo a prevalência cerca de três vezes maior, quando comparada a todo o Estado do Rio Grande do Norte.  Visto isso, o presente estudo teve como objetivo avaliar o potencial mutagênico da água superficial do açude de Lucrécia por meio do teste de micronúcleo em Tradescantia pallida e em cultura de Linfócitos Humanos, assim como identificar as concentrações de metais pesados presentes nesta água. A coleta de água foi realizada em dois pontos amostrais, no período de seca e no período chuvoso. Ademais,  com o intuito de trazer um panorama mais completo da relação homem-saúde-ambiente nesta localidade, através do conhecimento do saber/agir ambiental dos moradores de Lucrécia, assim como o uso e percepções estes têm sobre o açude do seu município, foi realizado um estudo  de Percepção Ambiental com os moradores locais. Os resultados obtidos para o teste de Micronúcleo, para ambos os modelos utilizados, mostraram resultados significantes para os pontos coletados. O período de seca apresentou uma média maior de micronúcleos quando comparado ao período chuvoso. Foi observado também concentrações acima do permitido pela legislação brasileira de alguns metais pesados. Com relação ao estudo de Percepção Ambiental com os moradores locais, a análise dos dados permitiu observar os conhecimentos sobre meio ambiente que os moradores possuem, assim como a forte ligação e as concepções que os mesmos possuem com o açude do município. Assim, a junção dessas duas vertentes (os testes de toxicidade genética realizados no açude desta cidade aliado a análise de percepção ambiental com os moradores de Lucrécia) permitiu traçar um diagnóstico mais completo sobre a situação local.

2
  • JUCICLEIDE GOMES DA SILVA
  • EDUCOMUNICAÇÃO: UMA ESTRATÉGIA PARA PROMOVER O AMBIENTE EM UMA ÁREA DE
    PROTEÇÃO AMBIENTAL COSTEIRA

  • Orientador : ELINEI ARAÚJO DE ALMEIDA
  • Data: 15/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa, em um primeiro momento, analisou as percepções e
    práticas educomunicativas sobre o meio ambiente em duas escolas
    públicas, Escola Municipal Professor José de Andrade Frazão (EMJAF)
    localizada nas proximidades da Área de Proteção Ambiental Jenipabu
    (APAJ), e Escola Municipal Vereador Ricardo Afonso de Lima (EMRAL)
    situada dentro da APAJ, avaliando as potencialidades das mesmas para
    uma atuação mais efetiva e participativa no cuidado e preservação do
    meio. Em um segundo momento, escolheu-se a EMRAL para realizar a ação,
    considerando as interações em classe e extraclasse, como estratégias
    educomunicativas, mediadoras da aprendizagem dos alunos sobre o
    ambiente. Na primeira fase da pesquisa foram elaborados três
    questionários distintos de modo a identificar as ações, experiências e
    vivências de três conjuntos de públicos: professores, alunos e pais da
    Na segunda fase, foram realizadas atividades envolvendo ações
    educomunicativas com aula passeio, desenho de mapas ambientais e
    construção de um jornal mural. Optou-se pela pesquisa exploratória,
    realizando a observação em uma visita prévia para conhecimento das
    escolas, onde foram feitos os primeiros contatos com a equipe gestora,
    professores e alunos, e em seguida a aplicação dos questionários
    semiestruturados. Os alunos que participaram dos dois momentos da
    pesquisa cursavam os 4º e 5º anos do ensino fundamental. Os resultados
    comprovaram o distanciamento desses atores quanto ao conhecimento,
    participação e envolvimento com a área, provocado pela ausência de
    ações comunicativas e educativas, mediáticas e midiáticas presentes na
    Educomunicação, e a importância de práticas pedagógicas que envolvam
    ações educomunicativas para a interação alunos com o meio, tendo como
    ponto de partida o espaço onde vivem.

3
  • MARIA VITÓRIA ÉLIDA DO NASCIMENTO
  • ESTUDO DAS PERCEPÇÕES AMBIENTAIS E DE AÇÕES EDUCATIVAS PROMOTORAS DA BIODIVERSIDADE EM UNIDADE DE CONSERVAÇÃO NO RIO GRANDE DO NORTE.

  • Orientador : ELINEI ARAÚJO DE ALMEIDA
  • Data: 15/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • No intuito de desenvolver esta pesquisa para fundamentar acerca da importância da biodiversidade no contexto da conservação associada às intervenções educacionais como elementos de pesquisa empírica, foram levantados diversos referenciais teóricos e experimentados alguns complementos em campo. Este estudo encontra-se aqui descrito contemplando inicialmente na Introdução, toda a fundamentação teórica explorada na pesquisa. Tratando de temas importantes como o despertar para a necessidade de conservação da biodiversidade e a criação de Unidades de Conservação, como estratégia em busca da defesa do meio ambiente. Encontra-se também, uma reflexão sobre o uso da Educação Ambiental crítica e transformadora como instrumento de conservação, a importância do conhecimento da percepção ambiental dos indivíduos, trazendo elementos significativos para o entendimento da relação homem/natureza, e a efetivação de ações educativas em áreas protegidas, levando sensibilização e mudança de atitudes frente às questões ambientais. Esta pesquisa abrange como campo de estudo, escolas situadas na Área de Proteção Ambiental Jenipabu, uma Unidade de Conservação costeira do Rio Grande do Norte, e tem como principais objetivos caracterizar e analisar as percepções ambientais de alunos e professores de duas escolas situadas na Área de Proteção Ambiental Jenipabu (APAJ), além de avaliar ações educativas promotoras da biodiversidade efetivadas nesta unidade. Abordaremos, dentro da Metodologia Geral, todos os procedimentos utilizados no intuito de alcançar os objetivos propostos. Destacando a utilização de questionários e mapas mentais para obtenção de dados e análise de conteúdo para o tratamento dos dados coletados. Esta dissertação contará também com dois capítulos em formato de artigos científicos, onde o primeiro tem como título: Estudo das percepções e avaliação de interações educativas voltadas ao meio ambiente em escolas de uma Unidade de Conservação do Rio Grande do Norte – Brasil, onde trataremos do estudo das percepções ambientais de alunos e professores de duas escolas situadas na APAJ, sobre questões ambientais e a relação com a unidade. Além de um segundo artigo intitulado: Efetivação e análise de ações educativas promotoras da biodiversidade em uma Área de Proteção Ambiental costeira do Nordeste – Brasil, o qual traz uma análise sobre a utilização de ações educativas como forma de sensibilização para a necessidade de conservação da biodiversidade. Com a realização destes estudos pudemos perceber uma carência na formação em educação ambiental por partes dos professores, e a necessidade de um envolvimento maior dos alunos com a unidade. Porém, a partir da análise das ações educativas realizadas na APAJ, observamos que a efetivação de tais ações atua promovendo sensibilização e transformação nos sujeitos envolvidos. A partir dessa pesquisa entendemos que a Educação Ambiental precisa levar em consideração as diversas percepções encontradas em cada indivíduo, e que não pode ser pautada apenas na transmissão de conhecimentos, para que assim, alcancemos um verdadeiro modelo de conservação.

4
  • LUIZ FERNANDO DAL PIAN NOBRE
  • MÍDIA IMPRESSA E MEIO AMBIENTE: UM ESTUDO DA COBERTURA DA MORTANDADE DE PEIXES NO ESTUÁRIO DO RIO PONTEGI, NATAL/RN

  • Orientador : DANIEL DURANTE PEREIRA ALVES
  • Data: 17/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • Desastres ambientais costumam expor não apenas a degradação do meio ambiente como a limitação da mídia em abordar o tema. A pesquisa analisa a cobertura jornalística da mortandade de peixes ocorrida num estuário do Rio Grande do Norte, em 2007. O fato repercutiu nas diversas esferas da sociedade, principalmente pelo destaque que a imprensa local deu ao caso. A análise de conteúdo de registros jornalísticos sobre o acidente evidenciou o caráter meramente denunciativo, sem a elucidação bem fundamentada dos fatos e sem o aprofundamento dos dados científicos.

5
  • SEBASTIAO COSME JUNIOR
  • ANÁLISE DO USO E DA COBERTURA DO SOLO NO MUNICÍPIO DE PARELHAS/RN

  • Orientador : FERNANDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 18/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • A interferência antrópica na região Semiárida do Seridó Potiguar vem desencadeando o aumento de áreas degradadas. A dinâmica econômica que se estabeleceu no território seridoense, sobretudo após a queda do trinômio gado, algodão e mineração nas décadas de 70 e nas décadas de 80 do século XX, como pilares da economia da região, implicaram num acelerado processo de desgaste dos recursos naturais. Os territórios municipais da região do Seridó vêm sendo reordenado espacialmente por essa nova dinâmica econômica, marcada pelo crescimento dos empreendimentos já existentes, além do desenvolvimento de novas atividades agroindustriais. Um dos municípios do Seridó potiguar que teve seu espaço territorial reestruturado com o surgimento de novas atividades agroindustriais foi o de Parelhas. Com a derrocada do trinômio gado, algodão e mineração, na década de 1980, outras atividades produtivas foram intensificadas a partir da década de 1990, dentre elas a ceramista, responsável pela extração vegetal para utilização como fonte energética. Essa recente reestruturação espacial e econômica regional, refletida no território municipal parelhense, tem requerido novos ingredientes produtivos, responsáveis pela modificação das relações de produção pretéritas que antes eram baseadas na pecuária, no algodão e na mineração. Com isso, desencadeou-se um processo de exploração do meio ambiente, em especial da vegetação nativa, de forma descontrolada. Nesse contexto o objetivo deste trabalho é fazer um levantamento e a detecção do desmatamento das áreas de vegetação de caatinga, usadas indiscriminadamente para o abastecimento energético das novas atividades agroindustriais, utilizando técnicas de sensoriamento remoto a partir da quantificação do Índice de Vegetação Diferença Normalizada/NDVI, do Índice de Vegetação Ajustado ao Solo/SAVI, da temperatura da superfície e de dados pluviométricos nos anos de 1990 e 2010. Os resultados indicaram que os valores de SAVI acima de 0,2 em 1990 e 2010 representam as áreas com maior densidade de vegetação que ocorrem exclusivamente ao longo das drenagens principais do município e nas áreas de maiores elevações. As áreas que estão entre os intervalos de Valores de SAVI de 0,5 até 0,15 são áreas com pouca cobertura vegetal. Já os valores mais altos de temperatura distribuem-se na área oeste e sudeste do município, geralmente em locais onde o solo está exposto ou possui vegetação pouco densa. As áreas de solo exposto diminuíram sua extensão em 2010 em 11, 6% quando relacionada a 1990, isto foi ocasionado por uma intensidade pluviométrica maior no primeiro semestre de 2010, porém não houve regeneração da vegetação em alguns locais nas áreas oeste e Sudeste do município nesta data, devido à extração de lenha para abastecer os fornos das indústrias do município.

    

6
  • ANA CLAUDIA PEREIRA DE OLIVEIRA
  • CARACTERIZAÇÃO E COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DE UM ECOSSISTEMA SAVÂNICO NO RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL: SUBSÍDIOS PARA A CONSERVAÇÃO

  • Orientador : MARIA IRACEMA BEZERRA LOIOLA
  • Data: 21/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • Estudos sobre a biodiversidade brasileira são ainda muito escassos, sendo possível observar uma grande discrepância de conhecimentos entre as várias regiões do país. Esta afirmação está baseada no fato de que foram identificadas para o Brasil 2.256 espécies raras de plantas e 752 áreas-chave para biodiversidade (ACBs), no entanto, o Rio Grande do Norte foi o único estado brasileiro que não apresentou nenhuma espécie rara e nenhuma área-chave para biodiversidade, possivelmente, devido à escassez de levantamentos florísticos nesse estado. O presente estudo foi realizado em um ambiente especial: uma área de tensão ecológica com fisionomia savânica localizada no município de Rio do Fogo, RN. Esse ecossistema savânico está representado na forma de pequenas manchas e imerso entre a caatinga e a restinga.  Foi identificado e descrito apenas com base em imagens de radar, não havendo, até o presente momento, estudos in loco, sendo este um trabalho pioneiro nesse tipo de ambiente. Neste contexto foram elaboradas algumas perguntas sobre essa área de tensão ecológica: 1) A região delimitada e descrita por meio de imagens de radar pelo RADAMBRASIL, pode ser associada ao ecossistema cerrado, do ponto de vista florístico?;  2) Qual é a composição florística dessa área? Esta inclui alguma espécie rara, endêmica ou ameaçada de extinção?; 3) Qual é a distribuição geográfica e fitogeográfica das espécies vegetais registradas nessa área?; 4) Essas espécies são exclusivas ou possuem afinidades com outras províncias fitogeográficas brasileira? e 5) Qual é o significado deste local específico para a flora regional e nacional do Brasil? Visando responder a essas indagações foi realizado um levantamento florístico, no período de agosto/2007 a setembro/2009. Os resultados obtidos são apresentados em forma de dois capítulos (artigos). O capítulo 1, intitulado “Vegetação savânico do Rio Grande do Norte: aspectos fitogeográficos” será submetido à Revista Brasileira de Botânica. Aborda a distribuição fitogeográfica das espécies, através da comparação com estudos florísticos realizados nos cerrados do Planalto Central e do Nordeste, com as restingas do Nordeste e com as caatingas. As análises dos dados obtidos no presente trabalho e através de compilação com outros estudos foi possível verificar que: i) a área de estudo demonstrou uma riqueza de diversidade considerável, tendo em vista que foram registradas 94 espécies em uma área com pequena extensão (400ha); ii) desse total, 63% das espécies de acordo com a Lista de Espécies da Flora do Brasil são consideradas como sendo do cerrado e, segundo bibliografias especializadas corresponde a 61% das espécies. Floristicamente os dados apontaram que o fragmento de vegetação savânica estudada trata-se de um cerrado litorâneo que recebe influência de outras floras podendo o mesmo então ser caracterizado como ecótono de cerrado. O capítulo 2, intitulado “A floristic survey in a cerrado ecosystem of Rio Grande do Norte, Brazil: selecting key areas for conservation” será submetido à Revista Biodiversity and Conservation. Teve como objetivo contribuir para melhorar o conhecimento sobre a flora do Rio Grande do Norte, identificando possíveis espécies raras e, assim, expandir as áreas-chave de biodiversidade no Brasil. Os dados obtidos indicaram que: i) das 94 espécies encontradas na área de estudo, 40 foram registradas pela primeira vez para o Rio Grande do Norte; ii) dessas citações inéditas para o estado, as espécies Stylosanthes montevidensis Vogel (Fabaceae) e Aristida laevis (Nees) Kunth (Poaceae) são indicadas, também, pela primeira vez para a Região Nordeste do Brasil; iii) ocorrem na área 24 espécies endêmicas do Brasil e 63 não endêmicas; iv) Aspilia procumbens Baker (Asteraceae) registrada na área é considerada uma espécie restrita e microendêmica do Rio Grande do Norte, ou seja, espécie rara; v) Aspilia procumbens é também apontada na categoria das espécies criticamente em perigo e Stilpnopappus cearensis Hubber (Asteraceae) uma espécie vulnerável a extinção. O presente estudo aponta um novo ecossistema para o Rio Grande do Norte e apresenta o potencial da área em contribuir com os sítios de significância global para conservação de biodiversidade, seja no âmbito local, regional e nacional. Isso certamente contribuirá para responder alguns dos objetivos fixados pela Estratégia Global para a Conservação de Plantas e da Convenção sobre Diversidade Biológica, tal como, o inventário da diversidade vegetal, em uma região com pouca coleta, que fornecerá dados que contribuem para questões e temas relativos à biodiversidade.

7
  • PRISCILA DANIELE FERNANDES BEZERRA SOUZA
  • VIABILIDADE DA CULTURA Cnidoscolus phyllacanthus PAX & K. HOFFM (FAVELEIRA SEM ESPINHOS) PARA PRODUÇAO DE BIODIESEL NO SEMI-ÁRIDO NORDESTINO

  • Orientador : JULIANA ESPADA LICHSTON
  • Data: 21/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • O desenvolvimento tem sido almejado como uma promessa de futuro que trará a liberdade para as sociedades, sendo baseado na ampliação das riquezas materiais e geração de bem-estar. Uma possível estratégia para o desenvolvimento do semiárido nordestino seria o incentivo da produção de espécies nativas que detenham importante valor econômico, a fim de gerar renda e melhorias sociais para as populações, destacando assim a faveleira como espécie promissora para a região devido aos seus múltiplos usos. Para tanto, o objetivo deste trabalho é avaliar a germinação e desenvolvimento da faveleira sob estresse hídrico e salino, principais estresses aos quais as espécies do semiárido estão submetidas. A germinação das sementes foi realizada em sistema de rolo, utilizando o polietileno glicol 6000 e o cloreto de sódio a fim de simular os estresses hídrico e salino respectivamente. Foi observado que a espécie apresenta uma boa adaptabilidade aos estresses hídrico e salino a níveis moderados, inserendo-a em um importante contexto sócio-econômico no semiárido nordestino.

8
  • WANESSA KALINE DE ARAUJO MOURA
  • HORTICULTURA NO BAIXO CURSO DO RIO DOCE, ZONA NORTE DO NATAL/RN: AVALIAÇÃO DA DEGRADAÇÃO AMBIENTAL POR MEIO DE ENSAIOS ECOTOXICOLÓGICOS

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 22/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho de pesquisa objeto deste projeto é desenvolvido em áreas de horticultura no município de Natal, nos bairros de Lagoa Azul, Pajuçara e Redinha, ao longo do Rio Doce, limite com o município de Extremoz, Rio Grande do Norte. A região da planície fluvial do Rio Doce localiza-se em Zona de Proteção Ambiental (ZPA-9).  Esta ZPA é uma das que ainda não estão regulamentadas e nela são observados diversos problemas ambientais decorrentes do uso e ocupação do solo, caracterizando um flagrante desrespeito à legislação ambiental e cuja proteção é dificultada devido à inexistência de mecanismos legais específicos. Este trabalho tem por objetivos apresentar um panorama sobre o uso de agrotóxicos na região do baixo curso do Rio Doce, em Natal, Rio Grande do Norte, bem como avaliar a degradação ambiental na área por meio de testes de toxicidade crônicos, utilizando o microcrustáceo Ceriodaphnia dubia Richard, 1894 (Crustacea, Cladocera) como organismo teste. Foram realizadas visitas à área em 2009 e 2010. Para obtenção de informações foi feito um diagnóstico da situação local baseado em observação pessoal não participativa e registro fotográfico, com o intuito de averiguar as características do ambiente, diversidade populacional e processo de trabalho dos horticultores. Durante as visitas foram escolhidos quatro pontos distintos do Rio Doce para coleta de água para ensaios ecotoxicológicos e para levantamento de parâmetros físico – químicos (Oxigênio Dissolvido, pH, cloreto, turbidez, condutividade e temperatura), que foram medidos em campo utilizando Sonda Multi-paramétrica (TROLL 9500). Os efeitos adversos da utilização dos agrotóxicos na região do baixo curso do Rio Doce constituem um problema tanto para o meio ambiente quanto para saúde humana, uma vez que muitas das substâncias e princípios ativos que compõem os produtos são moléculas sintetizadas, cujos efeitos somente poderão ser avaliados a partir de estudos variados sobre suas atuações e seu comportamento, de curto, médio ou longo período.

9
  • RODRIGO OTÁVIO FREIRE DE MELO
  • A MINERAÇÃO ARTESANAL E DE PEQUENA ESCALA EM PEGMATITOS E CERÂMICA NO MUNICÍPIO DE PARELHAS, RIO GRANDE DO NORTE

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 23/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • As condições de trabalho, saúde ocupacional, doença dos trabalhadores e qualidade de vida, geralmente remetem a atividades artesanais e a trabalhadores com pouco apoio profissional. Pelo fato de esta realidade ser ainda presente em locais menos abastecidos de infraestrutura digna de atenção social e econômica, há a necessidade de um conhecimento amplo de problemas relacionados a processos produtivos que contemplam características de insalubridade e falta de saúde. Apesar do intenso processo de industrialização promovido pela globalização e pelo crescimento de nações em desenvolvimento como o Brasil, a mineração artesanal e de pequena escala ainda sofre com a marginalização dos seus processos produtivos e de seus trabalhadores. O presente trabalho trata da descrição das atividades de base mineral (ABM), especialmente as relacionadas aos processos produtivos de extração e beneficiamento de cerâmica vermelha e minerais em pegmatitos, no município de Parelhas, no Seridó do Rio Grande do Norte, os quais são conduzidos por pequenas empresas de mineração ou garimpeiros. O estudo do processo de trabalho foi baseado na observação direta, registro fotográfico, análise ergonômica, de saúde e de segurança no trabalho, entrevistas e questionário estruturado com trabalhadores das duas atividades. Os resultados indicam necessidade de melhoria no ambiente de trabalho tanto da cerâmica vermelha como em lavra de pegmatitos, adequação dos trabalhadores às normas de segurança específica para os locais de trabalho, maior atenção e cuidado relacionado à ergonomia e segurança no trabalho, maior importância às relações econômicas e sociais entre as atividades desempenhadas, trabalhadores e as empresas do ramo, e uma melhor e maior integração das políticas sociais, com intervenção dos vários setores da sociedade com vistas à transformação da atual situação social, cultural, laboral e educacional.

10
  • GLAUCIA DE OLIVEIRA FERNANDES
  • CULICÍDEOS VETORES EM UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO DA CAATINGA NA REGIÃO DO SERIDÓ NO RIO GRANDE DO NORTE – ASPECTOS DA TRANSMISSÃO DE DOENÇAS

  • Orientador : MARIA DE FATIMA FREIRE DE MELO XIMENES
  • Data: 24/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • A raridade de registro de ocorrência de espécies de culicídeos, insetos veiculadores de agentes etiológicos de arboviroses, protozooses e filarioses, aliada à inexistência de informações sobre as interações destes com o ambiente silvestre contribui para tornar a Caatinga um dos Biomas mais desconhecidos do Brasil. Este estudo teve como objetivo identificar espécies de culicídeos em uma área preservada de Caatinga, as possíveis associações destes com fatores abióticos locais e a caracterização dos ecótopos naturais e artificiais existentes na Caatinga do Seridó potiguar. A Estação Ecológica do Seridó (ESEC-Seridó) é uma Unidade de Conservação da Caatinga situada em uma área rural no interior do Estado do Rio Grande do Norte. O clima quente e seco com um curto período chuvoso favorece a adaptação de vegetais, resultando em paisagens distintas ao longo do ano. O estudo ocorreu ao longo de um ano, com coletas mensais, nos intervalos entre 8h-10h, 14h-16h e 18h-20h. Os mosquitos adultos foram coletados em área de mata com um sugador manual com atrativo humano nos três horários, uma armadilha Shannon também foi utilizada nas coletas noturnas. Durante o período chuvoso ovitrampas foram distribuídas aleatoriamente em diferentes pontos. Os diferentes locais de captura foram observados e fotografados. Os imaturos e adultos capturados foram levados ao laboratório para identificação. De 5081 fêmeas coletadas em isca-humana e armadilha Shannon, 75% pertencem a espécie Mansonia wilsoni e foram identificados 8 gêneros Aedeomyia, Aedes, Anopheles, Coquillettidia, Culex, Haemagogus, Mansonia e Psorophora. Dos 92 ovos de Haemagogus encontrados, 71 foram à margem do açude. Larvas de mosquitos foram encontradas e fotografadas em criadouro artificial de uma área rural vizinha. O fator que mais influenciou na densidade de culicídeos na Caatinga foi a umidade. A chuva foi importante no aparecimento dos gêneros Haemagogus, Anopheles, Aedes e Psorophora. A temperatura influenciou negativamente Anopheles albitarsis. A ocorrência de importantes espécies vetoras de doenças em uma área preservada e pouco conhecida da Caatinga associada às questões ambientais e socioculturais são fatores que favorecem o aparecimento de insetos transmissores, tornando essas áreas potencialmente sujeitas ao ressurgimento de doenças.

11
  • EDILMA FERNANDES DA SILVA
  • INFLUÊNCIA DO TURISMO SOBRE A ATIVIDADE PESQUEIRA NO MUNICÍPIO DE TIBAU DO SUL - RN

  • Orientador : JORGE EDUARDO LINS OLIVEIRA
  • Data: 25/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • A área da pesquisa localiza-se no município de Tibau do Sul, situado na costa leste do Estado do Rio Grande do Norte, a 80 km ao Sul da capital Natal. O turismo, a pesca esportiva e instalação de empreendimentos vêm aumentando nessa área litorânea, disputando espaços com pescadores artesanais. A dissertação teve como objetivo identificar e analisar os conflitos socioeconômicos e ambientais entre a atividade pesqueira e a atividade turística no Município de Tibau do Sul, para subsidiar órgãos governamentais e entidades ligadas ao setor pesqueiro, com futuras políticas de incentivo e desenvolvimento sustentável local. O presente trabalho está dividido em introdução e dois capítulos. A introdução apresenta proposta e justificativa da pesquisa, com fundamentação teórica, em seguida são apresentados os procedimentos metodológicos. O primeiro capítulo apresenta a caracterização da pesca artesanal e o perfil socioeconômico dos pescadores de Tibau do Sul, identificando os conflitos entre a atividade pesqueira e o turismo. Para alcançar esse propósito, foram realizados levantamentos qualitativos e quantitativos, através da efetivação de 100 questionários semiestruturados com entrevistas, os quais foram aplicados a quatro comunidades pesqueiras. Os resultados constataram a real situação da pesca artesanal local e foram identificados vários conflitos, dentre eles: a falta de investimento no setor, baixo desenvolvimento tecnológico e de infraestrutura, além da ocupação desordenada em área de desembarque da produção. Todos esses fatores têm contribuído para o declínio da atividade pesqueira nesse município. O segundo capítulo apresenta uma análise territorial a partir da elaboração do mapa de ocupação do solo utilizando a metodologia de geoprocessamento. Constatou-se que a ocupação desordenada ocorreu principalmente depois da chegada dos turistas em Tibau do Sul e está concentrada principalmente na praia de Pipa, observou-se também que os empreendimentos construídos na área de estudo interferem no acesso público as praias e área de desembarque da produção dos pescadores. Espera-se que este estudo contribua para elaboração do plano de manejo nas comunidades pesqueiras e possa subsidiar os gestores na implementação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sustentável local.

     
12
  • SUZANA MAIA GIRÃO
  • A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO ASSENTAMENTO CANUDOS – RN: PERSPECTIVAS E LIMITES DA INCLUSÃO SOCIAL

  • Orientador : JULIANA ESPADA LICHSTON
  • Data: 25/02/2011
  • Mostrar Resumo
  • A necessidade de se tornar um país autosuficiente energeticamente fez com que o Brasil buscasse fontes de energia renováveis em face da possibilidade de esgotamento do petróleo nas próximas décadas. O presente trabalho vai analisar sob a ótica da inclusão social o programa energético mais recente desenvolvido pelo Governo Federal: o Programa Nacional de Produção e Uso de biodiesel – PNPB. Objetiva-se com esse trabalho descobrir se os agricultores familiares que participaram do PNPB foram incluídos socialmente e quais os limites dessa inclusão. Secundariamente, objetiva-se analisar a produção brasileira de biodiesel e suas utilizações. A metodologia utilizada para elaboração do presente trabalho foi o exame da literatura, visitas a área de estudo, realização de entrevistas com a liderança do assentamento, aplicação de questionários e entrevistas semi-estruturadas com as famílias produtoras de girassol. Por último a pesquisa tratou estatisticamente os dados obtidos. Após análise dos dados foi verificado que o PNPB é instrumento capaz de promover a inclusão social dos agricultores familiares, mas essa ocorreu de modo incipiente, pois as famílias envolvidas precisam de uma estrutura mínima de organização e infraestrutura para desenvolver as atividades relacionadas ao biodiesel.

13
  • DAISY DO CARMO SOUSA
  • PARTICIPAÇÃO SOCIAL E DESIGNAÇÃO DE ESPÉCIE-BANDEIRA: AÇÕES COMPLEMENTARES À CONSERVAÇÃO DE UM PARQUE ESTADUAL EM ÁREA URBANA.

  • Orientador : ELIZA MARIA XAVIER FREIRE
  • Data: 08/04/2011
  • Mostrar Resumo
  • Diante dos problemas ambientai enfrentados pelo planeta surgem diversas alternativas preventivas e de controle em prol do equacionamento entre o desenvolvimento e a proteção da natureza. Uma das alternativas implementadas, no Brasil, para a conservação da biodiversidade foi a criação de áreas naturais protegidas, regulamentadas pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC). Este é um estudo integrado de Comunicação Social/Conservação Ambiental, que prioriza a participação social como forma complementar no processo de conservação, caso particular do Parque Estadual das Dunas do Natal, primeira Unidade de Conservação no Rio Grande do Norte, de proteção integral. Leva em consideração os papéis ambientais, e científicos do Parque, o qual abriga uma biodiversidade única, incluindo endemismo de espécie bem como o fato de estar situado em uma área urbana. Propõem-se a utilização de dois instrumentos complementares, como estratégias para a conservação. Considerando as várias experiências individuais, foi analisada a percepção da comunidade que se relaciona diretamente com o Parque. A partir desta promoveu-se a democratização da informação sobre o Parque, sua biodiversidade e conservação. Como outro instrumento de conservação, sugeriu-se a utilização de uma espécie-bandeira para o Parque, ou seja, um organismo símbolo escolhido por razões ecológicas ou sociais, com a finalidade de proteger e conservar determinados ambientes naturais, a partir do entendimento e co-participação da comunidade. Nesse caso, propôs como bandeira a espécie Coleodactylus natalensis, o lagarto-do-folhiço, por ser endêmica de remanescentes de Mata Atlântica, ter o Parque como localidade tipo, ser uma das menores espécies do mundo, menor da América do Sul, dependente da sombra da floresta, sensível à ação antrópica e, portanto, muito vulnerável. Essa sugestão encontra respaldo no grau de aceitação da população que interage diretamente com o Parque, conforme resultado da avaliação de suas percepções. Constatou-se ainda nesse estudo que essa simbologia ao ser utilizada como forma de promover a democratização sobre o Parque e sua biodiversidade apresenta um resultado de identificação, curiosidade e provável envolvimento da população com as questões do Parque.

14
  • CLEUBER DIAS PEREIRA
  • POLUENTES ATMOSFÉRICOS: MONÓXIDO E DIÓXIDO DE CARBONO NO NORDESTE DO BRASIL

  • Orientador : FERNANDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 15/07/2011
  • Mostrar Resumo
  • O ar atmosférico recebe interferências da ação antrópica e tem no dióxido de carbono um gás importante nos processos de fotossíntese, respiração das plantas e balanço climático terrestre. Já o monóxido de carbono está associado à queima de combustíveis fósseis como petróleo e o gás. Neste trabalho foram efetuadas medições de CO e CO2 e realizadas respectivas validações por métodos estatísticos com o objetivo de avaliar o comportamento das variações temporais destes contaminantes atmosféricos na camada limite atmosférica no município de Barra de Maxaranguape, litoral do RN para o ano de 2004.
    Os resultados mostraram concentração de CO2 com uma média diária de 334, 64 ppm e desvio padrão de 3,04 ppm. Quanto a concentração de CO, a média diária atingiu 57,23 ppb e desvio padrão de 3,65 ppb. O grau de concentração do CO e CO2 em sua variação diária apresentou relação inversa com a velocidade do vento. O local sofre influência dos ventos Alísios do sudeste e brisas marítimas. Os teores de CO2 estão compatíveis com os padrões estabelecidos pela Organização Mundial de Meteorologia para uma atmosfera seca. A concentração máxima de CO medida atende aos padrões estabelecidos pelo CONAMA, denotando concentrações que são aceitas pela comunidade científica.

15
  • JANAINA FARINA MACHADO
  • TERRITORIALIDADE E PESCA: ATUALIDADES E TRADIÇÕES NO USO DOS RECURSOS PESQUEIROS NA COMUNIDADE LITORÂNEA DA PRAIA DA PIPA – RIO GRANDE DO NORTE.

  • Orientador : JORGE EDUARDO LINS OLIVEIRA
  • Data: 02/08/2011
  • Mostrar Resumo
  • A exploração dos recursos naturais existentes nas áreas litorâneas vem alertando para a necessidade do uso sustentável desses recursos, assim como a sustentabilidade social e cultural das comunidades tradicionais dessas regiões. As zonas costeiras e estuarinas são espaços naturais influenciados direta ou indiretamente por um conjunto de atividades humanas, como a pesca artesanal, onde há uma demanda de concepção de gestão integrada desses espaços e segundo a análise dos desembarques e do estado dos estoques pesqueiros, alvo da pesca artesanal, revela um padrão insustentável de desenvolvimento da atividade pesqueira marinha nacional. O estudo realizado na comunidade litorânea da Praia da Pipa, município de Tibau do Sul, RN, entre junho de 2009 e junho de 2010 objetivou caracterizar a atividade pesqueira praticada, seus aspectos sócio-econômicos, suas estratégias e áreas de pesca, identificar as espécies ictiofaunísticas provenientes da mesma, verificar a sustentabilidade dos principais recursos na região e identificar traços culturais relativos à pesca artesanal, suas dificuldades e perspectivas; relacionando tradição e atualidade na atividade pesqueira realizada na comunidade. Para este estudo foram levantados dados qualitativos e quantitativos através da realização de 67 entrevistas estruturadas, acompanhamento de 133 desembarques pesqueiros e observações diretas no local. Os informantes foram identificados conforme ocupação em ao menos uma das seguintes categorias: pescadores, mestres de embarcação e membros da população com descendência local. Os aplicativos SPSS 10.0, Paint.Ink e Microsoft Office Excel 2007 foram utilizados para tabulação e análises dos resultados. Os pescadores locais estão na atividade em média há 25 anos, possuem 40 anos de idade em média e o ganho mensal é de até 03 salários mínimos. A frota local é composta por 20 embarcações, utiliza diferentes tamanhos de linhas e redes dos tipos boiada e fundada; opera em 21 pesqueiros e diminuiu o número de embarcações em 66% na última década. Foram registradas 76 espécies ictiofaunísticas capturadas pela frota local e analisadas quantativamente as 05 principais: serra (Scomberomorus brasiliensis), bonito (Euthynnus alleteratus), guaiúba (Ocyurus chrysurus), cioba (Lutjanus analis) e camurim (Centropomus undecimalis), responsáveis por 46,5% da produção no período. A captura dessas espécies foi composta em sua maioria por indivíduos adultos. A análise dos dados mostrou uma diminuição significativa da atividade pesqueira local durante a última década em decorrência da fraqueza político-social apresentada pela categoria, da desvalorização do conhecimento local e pelo surgimento de novas fontes de renda com o aumento do turismo. As características da pesca e da comunidade sugerem que a mesma passe por mudanças significativas quanto a valorização de seus aspectos culturais e tradicionais. Foi identificada uma tendência á sustentabilidade dos principais recursos capturados, sugerindo que as políticas públicas a serem adotadas localmente respeitem as características atuais da pesca realizada na comunidade e o conhecimento dos pescadores para com o meio ambiente; possibilitando que a sustentabilidade almejada não preserve apenas o meio ambiente, mas também os aspectos sociais e culturais da comunidade envolvida.

16
  • PATRICIA PEREIRA MATTOS
  • ENTENDENDO AS INTERAÇÕES ENTRE POVOS PESQUEIROS, MANGUEZAL E ÁREA PROTEGIDA: RDS PONTA DO TUBARÃO COMO ESTUDO DE CASO

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 12/08/2011
  • Mostrar Resumo
  • Desde tempos remotos que o ecossistema manguezal tem sido de grande valor para comunidades litorâneas, contudo nos últimos tempos, áreas de manguezais têm sido intensamente devastadas e convertidas para outros usos. São poucos os lugares em que as comunidades conseguem preservar os usos tradicionais dos manguezais. Um bom exemplo da preservação desses costumes tradicionais são as comunidades pesqueiras da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão, localizado no litoral setentrional do Estado do Rio Grande do Norte. A criação da Reserva partiu da própria população e a devastação de quatro hectares de manguezal, ao qual seria destinada à atividade de carcinicultura, foi um dos motivos que levaram a população solicitar às autoridades o estabelecimento de uma área legalmente protegida. Desse modo, esse trabalho objetivou registrar o valor biológico, ecológico e social dos manguezais na percepção dos pescadores, marisqueiras e catadores de caranguejo, bem como avaliar a influência da reserva na conservação do manguezal e qualidade de vida da população. Para atender os objetivos do trabalho fez-se necessária a apropriação de alguns métodos e abordagens das etnociências e percepção ambiental. Os dados foram

    obtidos por meio de observação direta, turnês-guiadas e entrevistas semi-estruturadas.  Através da análise de conteúdo constatou-se que a população apresenta uma forte dependência do ecossistema manguezal, bem como apresenta um bom conhecimento ecológico das funções do ecossistema. Constatou-se também que a reserva apresenta uma boa atuação na conservação do manguezal, entretanto, precisa traçar estratégias, que consiga conciliar a conservação do manguezal com as necessidades das pessoas que mantêm uma forte dependência dos recursos provenientes desse ecossistema.

2010
Dissertações
1
  • DIOGENES FELIX DA SILVA COSTA
  • ANÁLISE FITOECOLÓGICA DO MANGUEZAL E OCUPAÇÃO DAS MARGENS DO ESTUÁRIO HIPERSALINO APODI/MOSSORÓ (RN – BRASIL)

  • Orientador : LUIZ ANTONIO CESTARO
  • Data: 11/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • O manguezal é um ecossistema costeiro de grande importância ecológica, apresentando elevada fragilidade frente aos processos naturais e às intervenções humanas na zona costeira. A pesquisa em questão tem por objetivo analisar a relação entre a distribuição das espécies de mangue com parâmetros geoquímicos da água e do solo no estuário do rio Apodi/Mossoró, localizado no litoral setentrional do Rio Grande do Norte. Os resultados foram obtidos a partir da análise florística e estrutural da vegetação, assim como através da interpretação de imagens do satélite Quick Bird (coletadas no ano de 2006), manipuladas com os softwares Er-Mapper 6.4, e ArcGIS 9.2. Esse estuário foi caracterizado por apresentar um gradiente de salinidade ao longo de 40 quilômetros de extensão, encontrando-se valores entre 50 e 90 g/l-1. Identificou-se a formação de bosques mistos na foz, onde a salinidade da água não varia expressivamente em relação à do mar (36 g/l-1), encontrando-se as seguintes espécies: Rhizophora mangle L., Laguncularia racemosa (L.) C. F. Gaertn, Avicennia schaueriana Stap. & Lechman e Avicennia germinans L. À medida que se adentra no estuário, tem-se a formação de estreitas faixas de vegetação compostas por Avicennia spp. e L. racemosa. No alto estuário, onde os valores de salinidade ficam superiores a 60 g/l-1, apenas A. germinans predomina em forma nanica. Nesse sentido, verifica-se a atuação da salinidade como fator de estresse sobre a vegetação de mangue a medida que se adentra no estuário, devendo esse parâmetro ser levado em consideração quando da elaboração planos de gerenciamento e recuperação ambiental no estuário em análise.

     

    A pesquisa em questão tem por objetivo analisar a ocupação do solo nas margens do estuário do Rio Apodi/Mossoró (RN) no intervalo de 32 anos (1976 a 2008). Esse estuário está localizado no litoral setentrional do Estado do Rio Grande do Norte, nos municípios de Grossos, Areia Branca e Mossoró. Esta área foi escolhida pela grande importância na economia do estado em virtude da sua ocupação pela atividade salineira. O mapeamento foi elaborado por meio de interpretação visual das imagens dos sensores MSS/LANDSAT 1 (1976), TM/LANDSAT 5 (1989) e CCD/CBERS-2B (2008), utilizando-se o software SPRING 5.1.4. Verificou-se uma progressiva substituição da área ocupada por sistemas naturais pelos sistemas antrópicos em toda a área mapeada, principalmente as áreas de manguezal e campo salino por salinas e viveiros de camarão, assim como da vegetação de caatinga por campos de extração de petróleo. A utilização de imagens orbitais dos satélites Landsat e CBERS se mostrou uma ferramenta apta para análise espaço-temporal e detecção de mudanças ocorridas na ocupação do solo no período analisado.

2
  • FRANKLIN ROBERTO DA COSTA
  • INUNDAÇÕES URBANAS NO SEMIARIDO NORDESTINO: O CASO DA CIDADE DE PAU DOS FERROS – RN.

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 11/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • A Bacia Hidrográfica do Rio Apodi, particularmente no trecho que atravessa a cidade de Pau dos Ferros – RN, vem sofrendo ações antrópicas que interferem na dinâmica ambiental, modificando a paisagem local. O reflexo destas ações pode ser visto nas inundações que ocorrem nos períodos chuvosos (fevereiro a maio) praticamente todos os anos na cidade. É importante destacar que o Projeto de Integração das águas da Bacia do São Francisco com as bacias do Nordeste Setentrional perenizará o canal principal da Bacia do Rio Apodi, podendo gerar impactos ainda maiores na região. O presente trabalho buscou definir uma metodologia capaz de delimitar áreas susceptíveis a inundação em cidades do semiarido nordestino tendo como base a cidade de Pau dos Ferros – RN. A dissertação está dividida em introdução e dois capítulos. A introdução apresenta um referencial teórico baseado na discussão a respeito do conceito de risco, suas principais características e subdivisões; inundações; geotecnologias; a bacia hidrográfica do Rio Apodi; dados municipais de Pau dos Ferros – RN e o Projeto de Integração da Bacia do São Francisco com as Bacias do Nordeste Setentrional. O primeiro capítulo avalia o processo de expansão urbana entre 1987 e 2008, delimita as áreas de inundação e analisa a relação entre áreas inundáveis e crescimento urbano. O segundo capítulo identifica as áreas de risco de inundação na cidade de Pau dos Ferros. A metodologia utilizada baseou-se nas ferramentas do Sistema de Informações Geográficas – SIG a partir do software SPRING/INPE 5.1, além de pesquisa bibliográfica, imagens de satélite, fotografias aéreas e atividades em campo. Os resultados obtidos permitiram visualizar a rápida expansão da área urbana de Pau dos Ferros, que duplicou em um período de 22 anos. O adensamento populacional verifica-se com maior intensidade na porção centro-sul da cidade, em áreas inundáveis e não inundáveis (cap.01). Observou-se também que alguns bairros ao longo do Rio Apodi são susceptíveis a maiores ocorrências de inundações variando do grau mínimo ao máximo, enquanto que nos bairros próximos ao Riacho Cajazeiras as inundações ocorrerão em menor grau devido altimetria mais elevada e menor volume d’água. (cap.02). Espera-se que este trabalho contribua na elaboração da carta de risco de inundação municipal, subsidiando os gestores na implementação de políticas públicas voltadas para a amenização dos problemas relacionados a inundação urbana em Pau dos Ferros – RN e sirva como modelo para mapeamento de outras cidades com características semelhantes a analisada neste trabalho.

3
  • MYCARLA MIRIA ARAUJO DE LUCENA
  • PERCEPÇÃO AMBIENTAL E USOS POR UMA COMUNIDADE RURAL DO ENTORNO DE UMA RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL (RPPN), SEMIÁRIDO BRASILEIRO.

  • Orientador : ELIZA MARIA XAVIER FREIRE
  • Data: 19/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • Com o aumento dos problemas ambientais surgiram várias formas de proteção da natureza, como a criação de Unidades de Conservação (UC’s) para preservar a biodiversidade que, por si só, não tem obtido os resultados esperados. Para isso, a Percepção Ambiental (PA) vem sendo utilizada em estudos que tratam da relação homem-ambiente. Uma dessas UC’s é a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Stoessel de Britto, no Estado do Rio Grande do Norte. Este trabalho teve como objetivos analisar a PA da comunidade do entorno dessa RPPN para conhecer os significados e atitudes que regem as relações estabelecidas pela comunidade com os elementos naturais e a UC, e os usos da fauna por essa comunidade, aliados aos conceitos de Etnozoologia. Foi empregado o instrumento da PA, na forma de questionários abertos e fechados aplicados a 90 entrevistados, e os dados foram analisados através do método Análise de Conteúdo. Os resultados da PA mostram que a maioria dos moradores reconhece esta RPPN como uma área de proibições e legalizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis-IBAMA, ou pela própria proprietária. A falta de investimentos e de apoio são considerados grandes empecilhos na proteção e para o desenvolvimento local. Os usos faunísticos pela comunidade mostrou-se um conhecimento rico e que poderia ser considerado e utilizado para definições de estratégias de conservação e como subsídios na elaboração do Plano de Manejo da RPPN Stoessel de Britto.

4
  • HENRIQUE EUFRÁSIO DE SANTANA JÚNIOR
  • ZONEAMENTO AGROECOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE APODI/RN

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 23/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho objetiva apresentar o zoneamento agroecológico do Município de Apodi, compartimentando essa área em regiões homogêneas, a partir de atributos físico-naturais e agrossocioeconômicos, para determinar as possibilidades de utilização econômica ambientalmente equilibrada de seus recursos naturais com a atividade agropecuária. O conjunto de informações necessárias a esse zoneamento foi obtido por diversos meios, como em revisões bibliográficas, visita a sítios da Internet, levantamentos e visitas a campo. A metodologia utilizada para a delimitação das zonas de características semelhantes de interesse ao desenvolvimento rural sustentável baseou-se nos trabalhos da EMBRAPA, no Zoneamento Agroecológico do Nordeste do Brasil – ZANE e no Zoneamento Agroecológico do Estado de Pernambuco – ZAPE, adaptadas ao nível de detalhamento e aos atributos determinados. Foram utilizados recursos técnicos de fotointerpretação e processamento de imagens e os mapas elaborados foram desenvolvidos com a utilização de programas computacionais de informações geográficas. Para cada uma das 4 regiões delimitadas, definidas como “Unidades Geoambientais”, são disponibilizados diagnósticos capazes de direcionar as ações de gestão dos recursos naturais que permitam o desenvolvimento rural local sustentável.

5
  • ALINE DE SOUZA AMORIM
  • SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E QUALIDADE DA ÁGUA DO RESERVATÓRIO ITANS (CAICÓ – RN).

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 24/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • O semi-árido norterriograndense apresenta aspectos físico-climáticos bastante específicos: o clima é muito quente, com uma média pluviométrica de 550 mm/ano, caracterizado por um regimento de escassez e desigual distribuição de chuvas. Isso torna a sobrevivência nessa região um tanto dificultada e devido a isso se torna imprescindível conhecer e preservar os seus corpos d'água por meio de práticas sustentáveis e solidárias com o meio ambiente. É nesse contexto que entra a Educação Ambiental que vêm sendo realizada no sentido de promover um melhor entendimento e aperfeiçoamento das práticas educativas, com o intuito de despertar nos cidadãos a sensibilização diante dos problemas ambientais alterando, dessa forma, comportamentos individuais e coletivos no cotidiano. Este trabalho teve como objetivo avaliar a sustentabilidade do reservatório Itans, situado no município de Caicó-RN. Para isto foi aplicada a ferramenta Barômetro da Sustentabilidade para avaliar o nível de sustentabilidade do município de Caicó e como os resultados obtidos poderiam interferir na qualidade da água do reservatório. Os resultados indicam que Caicó ocupa uma posição potencialmente insustentável de acordo com a metodologia da ferramenta. Também foram realizadas coletas de amostras de água do reservatório para verificar as variáveis bióticas e abióticas durante o ano de 2008 e, assim, caracterizar as comunidades bacterioplanctônica e de nanoflagelados heterotróficos e suas variações sazonais. As densidades bacterianas nos reservatórios estudados variaram de 8,98x106 e 1,62x107 bac.mL-1, enquanto que as biomassas totais variaram de 207 a 262 μgCL-1. Os nanoflagelados apresentaram variação de 1777 e 8229 org.mL-1 na sua densidade e de 3,0 a 9,6 μgCL-1 na sua biomassa. As análises estatísticas apresentaram resultados não padronizados tanto para as variáveis biológicas como para as físico-químicas no decorrer do ano de estudo, revelando a complexidade do reservatório no que diz respeito aos mecanismos controladores das populações microbianas analisadas. Os resultados dos dois trabalhos foram divulgados por meio de palestras de divulgação científica para professores da rede pública no município de Caicó. Também foi feita uma avaliação do uso e dos conceitos que os professores têm sobre jogos na educação ambiental por meio de questionários aplicados durante a realização de seminários de divulgação científica e oficinas de jogos educativos. Os resultados apontam que os professores conhecem atividades lúdicas e fazem uso delas, pois sabem da sua importância para o aprendizado dos alunos.

6
  • RODRIGO DE FREITAS AMORIM
  • POTENCIALIDADE À DEGRADAÇÃO NA MICROBACIA RIACHO PASSAGEM/RN.

  • Orientador : FERNANDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 24/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • A degradação dos recursos naturais é talvez o principal problema da região do semiárido brasileiro e essa degradação é principalmente resultante das perdas de solo através do processo erosivo. Na busca de melhor conhecer essa problemática os modelos empregado nos estudos ambientais apresentam um grande potencial na tentativa de conhecer e propor soluções para degradação dos recursos naturais. Nesse sentido, o trabalho aplica o modelo da Equação Universal de Perda de Solos (EUPS), desenvolvido nos Estados Unidos ao longo da década de 1950, agregado as ferramentas de geoprocessamento, informações de sensoriamento remoto e Sistemas de Informações Geográficas (SIGs). A área de estudo é a Microbacia Riacho Passagem localizada na região oeste do Estado do Rio Grande do Norte, a microbacia tem uma área de 221,7Km² e esta inserida no semiárido, região Nordeste do Brasil. A metodologia utilizada consiste em agrupar as variáveis da EUPS em ambiente SIG utilizando imagens de satélite, levantamentos bibliográficos e trabalhos de campo. Para calibra a EUPS as condições da área de estudo, foram realizados ajuste através de modelos estatísticos aperfeiçoando o trabalho e os resultados gerados pelo modelo. Ao fim do processo foi desenvolvido uma pseudo linguagem no aplicativo Linguagem Espacial para Geoprocessamento Algébrico (LEGAL) disponível no software SPRING versão 5.1.2 servindo de suporte para o processamento das informações contidas no banco de dados, base da EUPS. Os resultados demonstram que é possível delimitar com precisão o período seco e chuvoso, sendo que para utilização da EUPS é necessário apenas os dados do período chuvoso. O comportamento do comprimento de rampa apresentou uma pequena variação na porção leste, maiores comprimentos, área próxima a desembocadura da microbacia. O modelo empregado apresentou-se satisfatório e com elevado potencial de aplicação na determinação dos comprimentos de vertentes utilizando imagens de radar. Após a aplicação do modelo um valor máximo de perda de solo foi 88 ton/ha.ano com núcleos localizados no NEOSSOLOS LITÓLICOS e um mínimo 0,01 ton/ha.ano localizado no domínio dos LATOSSOLOS e NEOSSOLOS FLÚVICOS. A diminuição do perfil de solo, principalmente nos NEOSSOLOS LITÓLICOS, resulta em alteração no seu balanço hídrico e conseqüentemente aumento da temperatura do solo podendo resultar na desertificação. Essas informações são fundamentais na busca pelo desenvolvimento sustentável em uma região carente de estudos voltados a compreensão da dinâmica de uso do solo com as características naturais do terreno.

7
  • ANA KATARINA OLIVEIRA ARAGAO
  • A BIOTECNOLOGIA E A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO RESGUARDE A DUAS ESPÉCIES EM VIAS DE EXTINÇÃO NA FLORA DA MATA ATLÂNTICA BRASILEIRA.

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 25/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • A falta de percepção do homem sobre a importância dos benefícios ambientais proporcionados pela cobertura vegetal e pela biodiversidade da Mata Atlântica geraram impactos que evoluíram ao ponto de, hoje, se tornar urgente o desenvolvimento de alternativas que garantam a continuidade desse ecossistema e a preservação de muitas de suas espécies, em especial, daquelas em vias de extinção. Nesse sentido, o presente trabalho baseou-se na aplicação da Biotecnologia através de técnicas da cultura de tecidos e estudou a aplicação dessa ciência e também da Educação Ambiental no resguarde a exemplares típicos da Mata Atlântica que se encontram ameaçados de extinção. Todavia, como são muitas as espécies ameaçadas na flora desse bioma, a pesquisa deteve-se apenas ao estudo de duas delas: a Myracrodruon urundeuva Engl.  e a   Caesalpinia echinata Lam. Essas, por sua vez, são espécies cujas características da própria fisiologia limitam a aplicação de algumas metodologias da cultura de tecidos, fato que conduziu a pesquisa a estudar a perspectiva de preservação desses exemplares apenas através da micropropagação in vitro. Entretanto, quando os estudos começaram a ser desenvolvidos alguns contratempos ocorreram e, em virtude do tempo destinado a pesquisa, a análise detalhada das fases do processo de micropropagação, assim como da conservação de germoplasma, foram comprometidas. Em decorrência desse fato, a pesquisa aqui desenvolvida trabalhou apenas os seguintes aspectos:

    ·        A produção de mudas de ambas as espécies trabalhadas como banco de matrizes para uso em micropropagação – Capítulos I e II;

    ·        O efeito do BAP sobre a indução de brotações em Aroeira-do-Sertão e em Pau-Brasil – Capítulos III e IV;

    ·        A elaboração de uma proposta de conservação de germoplasma comum aos dois vegetais estudados – Capítulo V;

    Exposto isso, pode-se concluir que o presente trabalho teve como objetivo principal provar que a Biotecnologia e a Educação Ambiental são metodologias eficientes e viáveis na conservação do Pau-Brasil e da Aroeira-do-Sertão.

8
  • JULIANO CESAR PETROVICH BEZERRA
  • DIREITO E ETNOCONSERVAÇÃO: ESTUDO DA PARTICIPAÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL DA RDS ESTADUAL PONTA DO TUBARÃO – RN

  • Orientador : DANIEL DURANTE PEREIRA ALVES
  • Data: 25/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • A Constituição Federal de 1988 previu a necessidade de se estabelecer algumas áreas a serem especialmente protegidas. Para tratar dessa questão, publicou-se a Lei nº 9.985/00, que criou o Sistema Nacional de Unidades de Conservação - SNUC. Diversos aspectos diferem essas unidades entre si, sendo um deles a possibilidade da presença de populações tradicionais no interior da área a ser tutelada. Essa questão divide opiniões, posto que há quem considere que as populações tradicionais são responsáveis pela conservação da biodiversidade, enquanto existe uma corrente que vê a necessidade de se esvaziar áreas para que se possa ter uma real preservação na Unidade. Disso resulta outro ponto: a participação dessa população tradicional na gestão das Unidades de Conservação, com a necessidade de ampliação e democratização da esfera pública. Os conselhos gestores aparecem, então, como uma forma específica de participação sociopolítica. Desse modo, a partir de um apanhado de normas jurídicas e da doutrina pertinente à temática proposta, objetiva-se, com o presente trabalho, fazer um levantamento jurídico e teórico acerca do processo de permanência de populações tradicionais no interior de Unidades de Conservação, com aspectos ligados à etnoconservação e, por conseguinte, à participação na gestão ambiental desses espaços especialmente protegidos.


    Partindo-se do fato de que a criação da RDS Estadual Ponta do Tubarão – RN foi reflexo da organização e mobilização sociais, faz-se necessário verificar como tem ocorrido a sua gestão, com ênfase nos interesses da população tradicional local. Assim, a partir de pesquisas bibliográficas, normativas e documentais, além de visitas à unidade e entrevistas, busca-se entender parte do sistema de gestão desta reserva. Espera-se realizar um trabalho que sirva de incentivo para uma gestão participativa da área.

9
  • ILTON ARAUJO SOARES
  • ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO AMBIENTAL NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE LOCALIZADAS NO ESTUÁRIO DO RIO CEARÁ-MIRIM/RN

     

  • Orientador : JORGE EDUARDO LINS OLIVEIRA
  • Data: 26/02/2010
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo é identificar e analisar os principais impactos ambientais ocorrentes nas áreas de preservação permanente localizadas no estuário do rio Ceará-Mirim/RN, a partir de técnicas de geoprocessamento e pelo sistema de indicadores Pressão-Estado-Resposta, desenvolvida pela Organization for Economic Co-operation and Development – OECD. A adaptação desta metodologia possibilitou uma análise descritiva/qualitativa e a elaboração de um quadro de indicadores ambientais da área de estudo. Nos últimos anos o estuário do Rio Ceará Mirim/RN vem sendo ocupado de forma mais intensa por atividades humanas, com destaque para a carcinicultura, ocupação urbana e turismo, e a agricultura. Desta forma, a partir da metodologia aplicada, foram identificados vários impactos ambientais, como: desmatamento de vegetação de mangue e de mata ciliar para implantação da carcinicultura, a devastação de áreas de dunas provocada pela expansão urbana na faixa litorânea e assoreamento de canal fluvial.

10
  • PAULO SERGIO FAGUNDES ARAUJO
  • OCUPAÇÃO URBANA NO ENTORNO DE ZONAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DE NATAL E A RELAÇÃO COM A OCORRÊNCIA DE INSETOS VETORES

  • Orientador : MARIA DE FATIMA FREIRE DE MELO XIMENES
  • Data: 12/03/2010
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo partiu da hipótese da existência de relação entre a natureza da ocupação urbana no entorno das Zonas de Proteção Ambiental (ZPA) e a ocorrência de espécies de insetos vetores em Natal, Rio Grande do Norte. A pesquisa, realizada com dados disponibilizados pelo Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde e dados da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo do Município, do período 2006 a 2008, procurou caracterizar a área de estudo quanto à ocupação urbana, relacionando-a com seus aspectos urbanísticos e sócio-ambientais e com a ocorrência de insetos vetores. O estudo é apresentado em dois capítulos sob a forma de artigos, o primeiro relacionando a ocorrência de insetos vetores e indicadores de desenvolvimento sustentável e o segundo buscando uma correlação entre casos notificados de Dengue e Febre Hemorrágica da Dengue (FHD) e índices de infecção larvária de Aedes aegypti, ambos em Natal, RN. No primeiro artigo, por meio da análise dos dados obtidos, procurou-se correlacionar a ocorrência de insetos do gênero Aedes e de flebotomíneos com indicadores de desenvolvimento sustentável na dimensão ambiental e social. Estes indicadores foram selecionados a partir do indicador 36 do IDS-Brasil 2008, que relaciona doenças a um saneamento ambiental inadequado, e onde estão listadas zoonoses como a Dengue e as Leishmanioses Visceral e Tegumentar. Por meio de análise fatorial foi obtido um Índice de Desenvolvimento Sustentável por Bairros (ISB), tendo os bairros da Região Administrativa Norte do Município apresentado índices mais baixos de ISB, enquanto que Bairros da Região Administrativa Sul revelaram melhores condições de sustentabilidade. Relacionando estes índices com a ocorrência de insetos vetores nestes locais, observou-se correlação significativa entre o ISB e o Índice de Breteau em Aedes aegypti (p=0,028) e com o índice de infestação domiciliar por flebotomíneos (p=0,01), revelando um padrão que permite associar as condições de sustentabilidade das áreas estudadas com a ocorrência destes insetos. O segundo artigo analisa a ocorrência do principal vetor da Dengue e FHD, o Aedes aegypti, e a relação de índices de infestação larvária deste inseto com casos relatados destas zoonoses. Através da análise estatística é possível observar uma discrepância entre o Índice de Breteau e a incidência de casos de Dengue e FHD, havendo uma tendência a ter maior número de casos de FHD onde há maior ocorrência de criadouros do inseto, fato que não se repete com casos de Dengue clássica.

11
  • ANA CAROLINA TAVARES BEZERRA MENDES
  • O MEIO AMBIENTE SOB O OLHAR DOS MORADORES DO BAIRRO DE REDINHA, NATAL-RN

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 22/06/2010
  • Mostrar Resumo
  • Os problemas ambientais que ocorrem nas cidades são reflexo da interação da sociedade com a natureza. O objetivo desta pesquisa é conhecer a percepção ambiental dos moradores do bairro da Redinha, Natal, RN, em 2009. Com esse intuito, realizou-se uma pesquisa de opinião em 102 domicílios. Análises preliminares apontam para a falta de conhecimento sobre as questões ambientais mais importantes e para os conflitos entre a consciência do indivíduo e suas atitudes perante a problemática ambiental. Justifica-se, dessa forma, a relevância do diagnóstico da percepção ambiental como uma importante arma na definição das características de uma população e seus principais problemas. Estes dados subsidiam a elaboração de abordagens e a busca de formas de comunicação apropriadas, de maneira que programas de educação e intervenção ambientais possam transmitir informações que atinjam efetivamente a população.

12
  • CIRLEIDE MARQUES DANTAS
  • ASPECTOS DA MICROBIOLOGIA DE RESERVATÓRIOS DO SEMI-ÁRIDO NORDESTINO (BRASIL): QUALIDADE DE ÁGUA E CONCEPÇÕES ESPONTÂNEAS DE PROFESSORES DE ESCOLAS PÚBLICAS.

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 28/07/2010
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO Artigo Bactérias 

     

    Este estudo foi desenvolvido no reservatório Boqueirão de Parelhas, situado em região Semi-Árida do Rio Grande do Norte, e teve como objetivo geral quantificar e caracterizar diferentes grupos de microrganismos potencialmente patogênicos, com ênfase na família Enterobacteriaceae. Para identificação bacteriana as amostras foram coletadas em períodos seco e chuvoso às margens do reservatório e semeadas no mesmo dia em meios de crescimento líquido e sólido por 18-24h. Para quantificação de bactérias heterotróficas a amostragem foi realizada em dois pontos extremos do reservatório representados por P1 (próximo à entrada do rio afluente) e P3 (próximo da barragem). As densidades foram determinadas a partir de  subamostras de 5 mL coradas com laranja de acridina (AO) 0,01% (Hobbie et al., 1977) e filtradas em membrana preta de policarbonato (Millipore, GTBP), com 0,2 mm de poro. Foram obtidos 40 isolados bacterianos. As colônias isoladas foram submetidas à técnica de coloração de Gram, seguida dos testes de fermentação de lactose em meio Agar Mac Conckey e da técnica da citocromo-oxidase (fita oxidase). O isolado com características de Enterobactérias foram submetidos ao Painel de Enterobactérias (Probac do Brasil). O resultado dos testes demonstrou predominância de isolados com características de enterobactérias (37,5 %) e 5 espécies foram 100% identificadas pelo painel são elas: Cedecea espécie 5, Klebsiella planticola, Morganella morganii ss morganii, Serratia plymuthica e Enterobacter sakasakii. A densidade das bactérias heterotróficas variou de 1,23 a 3,17 x 107 org.mL-1, corroborando com as elevadas densidades apresentadas em outros estudos feitos na região. Com base nos resultados obtidos, aponta-se para a necessidade de um trabalho intensivo de monitoramento da qualidade da água uma  programação de ações em educação ambiental e educação em saúde para o esclarecimento dos problemas relacionados à água que a população utiliza, com vistas a obter um uso adequado desse bem e a melhor qualidade de vida da população.

     

    Resumo artigo EA

     O objetivo deste trabalho foi analisar a percepção que os professores do ensino público em municípios do Rio Grande do Norte sobre qualidade de água e educação ambiental. Foram aplicados questionários com profissionais do ensino de escolas públicas e o estudo mostrou que os professores reconhecem a existência de problemas relacionados à qualidade da água dos seus municípios e de que eles contribuem como agentes causadores desses problemas. Os resultados mostraram que há a necessidade de implementação de atividades de educação ambiental e de educação em saúde para uma maior sensibilização dos professores e, consequentemente, de seus alunos para as questões que envolvem o tema qualidade da água.

2009
Dissertações
1
  • BRUNO CLAYTTON OLIVEIRA DA SILVA
  • ESTUDO TEÓRICO-BIOCLIMÁTICO DA POTENCIALIDADE DE DESENVOLVIMENTO DO Aedes aegypti NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

  • Orientador : FERNANDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 03/02/2009
  • Mostrar Resumo
  • A dengue, doença infecciosa febril aguda, tem apresentado-se como preocupante enfermidade (re)emergente em escalas diversas – global, regional e local. Inserido nesse contexto, o estado do Rio Grande do Norte (RN) notificou, até o ano de 2005, 180.603 casos da doença. A veiculação do vírus da doença, em áreas urbanas, está relacionada, principalmente, ao mosquito Aedes aegypti. Em face disso, o trabalho objetiva analisar a potencialidade de desenvolvimento do Aedes aegypti no estado do Rio Grande do Norte, frente à influência de variáveis bioclimáticas. Para tanto foram utilizados os seguintes procedimentos metodológicos: revisão de literatura, coleta de dados, séries temporais, medidas de tendência central e dispersão, estatística gráfica, modelo Estima_T, regressão polinomial, interpretação nebulosa, distribuições de Gauss e uniforme, modelagem geoestatística, software Sufer, versão 8.0, correlação de Person, observação participante, questionários semi-estruturados, entrevistas e palestras. Em se tratando dos resultados, observou-se que as variações sazonais das variáveis bioclimáticas conferem significativa heterogeneidade espaço-temporal ao desenvolvimento do Aedes Aegypti no RN. Tal fato conferirá maior potencialidade de desenvolvimento do vetor da dengue entre os meses de fevereiro a abril, para o estado em sua totalidade. Em relação aos prognósticos sobre Mudanças Climáticas Globais, verificou-se que, com a elevação de 1°C e 2°C da temperatura média do ar, haverá diminuição da potencialidade de desenvolvimento do Aedes aegypti no RN. De posse destes resultados, pôde-se desenvolver um trabalho de disseminação do conhecimento pertinente a temática em uma escola do ensino fundamental.

2
  • CLEBIA BEZERRA DA SILVA
  • ANÁLISE DA ATIVIDADE TURÍSTICA DESENVOLVIDA NA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DOS RECIFES DE CORAIS - RN

  • Orientador : RICARDO FARIAS DO AMARAL
  • Data: 19/02/2009
  • Mostrar Resumo
  • As unidades de conservação são criadas para proteger a natureza. A maneira como elas se relacionam com as comunidades vizinhas e com os seus visitantes é imprescindível para que seus objetivos sejam atingidos. O presente trabalho objetiva analisar a forma como é desenvolvida a atividade turística na área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais(APARC), através da identificação da imagem que turistas e moradores têm com relação ao paracho de Maracajaú e do conhecimento dos fatores que contribuem para um visita satisfatória dos turistas. Para isso foi realizado um estudo exploratório-descritivo com abordagem quali-quantitativa, com 236 turistas e 70 moradores do distrito de Maracajaú. Os instrumentos de coleta de dados forma o questionário e o formulário pré-codificado de entrevista padronizada. Para análise dos dados forma utilizadas técnicas de porcentagem e aritmética, análise fatorial e análise de conteúdo. Os resultados mostraram que a importância e o significado atribuídos pelos moradores ao parracho estão relacionados a ganhos econômicos. As informações sobre APARC e sobre suas normas não são feitas de forma eficiente e contribuem para impactar negativamente o local. O perfil dos turistas não é o mais adequado para uma unidade de conservação. As dimensões de satisfação, para os turistas mostram a necessidade de ações a serem desenvolvidas pela administração da APARC. Concluir que a imagem que os moradores e turistas têm da APARC não é condizente para a imagem de uma unidade de conservação. Os turistas mostraram-se satisfeitos com o passeio na APARC, contudo, as dimensões de satisfação encontradas não são condizentes com a conservação do local.

3
  • ELISANGELA MARIA DE LIMA MEDEIROS
  • DOENÇAS RESPIRATÓRIAS ASSOCIADAS À ATIVIDADE DE MINERAÇÃO NO MUNICÍPIO DE PARELHAS, REGIÃO DO SERIDÓ NORTE-RIOGRANDENSE

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 26/02/2009
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem por objetivo a caracterização de trabalhadores em atividades de base mineral expostos aos danos pulmonares, no Município de Parelhas/RN, buscando relacionar as patologias respiratórias que mais se manifestam nesta população a atividades de base mineral. A área estudada (cidade de Parelhas) localiza-se no Seridó oriental norte-riograndense a aproximadamente 232 km de Natal com cerca de 19.700 habitantes. A quantidade de pessoas envolvidas na atividade informal de mineração (garimpo) na região do Seridó norte-riograndense chega a cerca de 5.000. Esses trabalhadores em geral não utilizam equipamentos de proteção individual (EPIs) de qualquer espécie e desenvolvem, na faixa etária de maior produtividade, formas graves da doença, que acabam incapacitando-os para atividades profissionais, vida familiar e social, existindo relatos de mortes por problemas respiratórios (silicose, por exemplo) em adultos muito jovens. Foi realizado estudo observacional do tipo descritivo transversal, a partir de informações sintomatológicas presentes nos prontuários do Hospital Dr. José Augusto Dantas da cidade de Parelhas, entre os anos de 1996-2006. A caracterização ocupacional e socioeconômica da população selecionada através dos prontuários foi feita através de aplicação de formulários, respondidos individualmente e após leitura do termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE). Esta caracterização objetivou vincular a atividade ocupacional com as patologias respiratórias sofridas A etapa seguinte da pesquisa correspondeu a estudo do tipo caso-controle, na proporção 1:1. Os dados obtidos possibilitaram a confirmação da hipótese central da pesquisa, de que os casos de pneumoconioses devem-se à presença de atividades de base mineral na área de estudo. Na fase final do trabalho, buscou-se avaliar o conhecimento da população de familiares de estudantes do ensino fundamental e médio de escolas públicas e privadas do Município de Parelhas/RN referente à silicose. Foram analisadas 15,4% das escolas urbanas, através da aplicação de questionário estruturado. Os resultados mostram distintos níveis socioeconômicos e uma diferença na percepção nos familiares de estudantes das escolas pública e privada, em relação à silicose, permitindo identificar as características das populações economicamente envolvidas com atividades de base mineral e definir o grupo que mereceria atenção preferencial em ações preventivas. O trabalho possibilitou também apontar alguns problemas ambientais deixados pela inadequada exploração mineral existente na região.

4
  • MARIANNE DE MELO ARRUDA CAMARA
  • A CONTRIBUIÇÃO DA BIOTECNOLOGIA VEGETAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA CAJUCULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SERRA DO MEL (RN)

  • Orientador : MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
  • Data: 27/02/2009
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho enfoca a cajucultura no município de Serra do Mel (RN), destacando como as técnicas de Biotecnologia Vegetal podem ser usadas em benefício dos agricultores da cidade. Para isto, foi realizada uma caracterização da cajucultura no referido município e o desenvolvimento de um protocolo para otimização de técnicas de micropropagação de genótipos de cajueiro anão-precoce selecionados. Para a pesquisa de campo, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas, através das quais pôde-se fazer um diagnóstico da cajucultura no município. Em laboratório, sementes dos genótipos CCP 76, CCP 1001, CCP 09 e EMBRAPA-50 de cajueiro anão-precoce selecionados pela EMBRAPA (Agroindústria Tropical) foram germinadas para retirada de segmentos para a indução e propagação in vitro de brotos. As sementes foram germinadas in vitro em substrato contendo vermiculita e água destilada estéril. Para o estabelecimento do protocolo, foram testados como explantes o nó cotiledonar e o ápice caulinar e, como reguladores de crescimento, o BAP e a KIN em diferentes concentrações. O explante que apresentou melhores resultados foi o nó cotiledonar e o genótipo mais responsivo à indução de brotos foi o EMBRAPA-50, com uma média de 17,1 brotos por nó cotiledonar inoculado.

5
  • THAISE SOUSA DA SILVA
  • USOS E PERCEPÇÕES DE COMUNIDADES DO ENTORNO DE UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO DO SEMI-ÁRIDO NORDESTINO: INSTRUMENTOS PARA GESTÃO?

  • Orientador : ELIZA MARIA XAVIER FREIRE
  • Data: 27/02/2009
  • Mostrar Resumo
  • A diversidade biológica vem sendo ameaçada por diversas atividades humanas impactantes ao longo do tempo; por outro lado, alternativas que visam a conservação da biodiversidade vêm sendo implementadas, embora em menor escala. Uma dessas alternativas tem sido a criação de novas Unidades de Conservação (UC’s), que por si só não tem conseguido o êxito esperado. O estabelecimento de parcerias com comunidades locais, através de pesquisas que incluem a percepção das populações humanas que habitam o entorno dessas áreas de proteção da natureza aparece como estratégia para a Conservação. A Percepção Ambiental vem sendo utilizada com o objetivo de conhecer e aperfeiçoar a relação homem-ambiente, além de ser aplicada como instrumento de gestão, junto às mais diversas áreas do conhecimento. Bioma como a Caatinga, que sofre ameaças e perdas devido a ações antrópicas, possui pouco de sua área protegida por UC’s e necessita desta e de outras ações de conservação. Uma dessas Unidades de Conservação da Caatinga é a Estação Ecológica do Seridó (ESEC Seridó), no Estado do Rio Grande do Norte. Com o intuito de conhecer as comunidades que habitam o entorno dessa área de proteção, suas percepções, usos e conceitos acerca de diversos recursos que essa área dispõe, utilizou-se um instrumento de pesquisa baseado na Percepção Ambiental, aliado aos conceitos da Análise de Conteúdo, Etnozoologia e Etnobotância. Foram realizadas entrevistas em 04 comunidades do entorno da ESEC Seridó. Os resultados mostram nos discursos da população, seus conceitos e percepções, os principais problemas enfrentados pela ESEC Seridó, além de estratégias para a resolução dos mesmos. Quanto aos usos e percepções sobre a biodiversidade, obtiveram-se para a fauna, 657 citações de usos, das quais 87 eram de animais diferentes; já a flora recebeu 536 citações, sendo a alimentação humana o uso que mais se destacou. O etnoconhecimento da população mostrou-se rico sendo nele observado a realidade enfrentada pela ESEC e sua possível melhoria por meio de um processo de gestão mais participativa.

6
  • ALAN DE ARAUJO ROQUE
  • POTENCIAL DE USO DOS RECURSOS VEGETAIS EM UMA COMUNIDADE RURAL DO SEMI-ÁRIDO DO RIO GRANDE DO NORTE

  • Orientador : MARIA IRACEMA BEZERRA LOIOLA
  • Data: 02/03/2009
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve como objetivo identificar as principais categorias de uso de plantas nativas do bioma Caatinga, em uma comunidade rural no município de Caicó, Rio Grande do Norte (Nordeste do Brasil). Para isso, utilizaram-se entrevistas semi-estruturadas e estruturadas buscando informações, junto a especialistas locais, sobre o uso das plantas. São descritos os usos de 69 espécies, reportadas por 23 informantes (mateiros, rezadeiras, raizeiros, agricultores e donas-de-casa) com idade superior a 35 anos. Estas espécies foram enquadradas em sete categorias de uso: medicinal, alimentícia, madeireira, mística, combustível, forrageira e uso doméstico. As famílias com maior representatividade na consulta foram Fabaceae (14 spp.), Euphorbiaceae (6 spp.), Cucurbitaceae (3 spp.) e Cactaceae (3 spp.). Através do cálculo do valor de uso, observou-se que o cumaru (Amburana cearensis (Allemão) A. C. Sm.) e a jurema-preta (Mimosa tenuiflora (Willd.) Poir.) destacaram-se como as espécies com o maior número de citações, sendo estas também as que obtiveram o maior número de indicações de usos. Os dados levantados comprovam o potencial de uso que possui a flora da região do Seridó e também reforçam a importância que a biodiversidade tem sobre as comunidades rurais, viabilizando o início do manejo da vegetação local.

7
  • ANA CARLA IORIO PETROVICH
  • USOS E QUALIDADE DA ÁGUA EM REGIÃO SEMI-ÁRIDA DO NORDESTE BRASILEIRO: PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PROFESSORES E ALUNOS

  • Orientador : MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
  • Data: 24/04/2009
  • Mostrar Resumo
  • Apesar da nítida importância que as águas dos reservatórios apresentam nas regiões semi-áridas do nordeste brasileiro em função dos seus múltiplos usos, estas se encontram cada vez mais comprometidas em termos de qualidade. Neste sentido, torna-se eminente a elaboração de estudos tanto ecológicos como de caráter educacional que visem a conservação desses corpos de águas. Com o objetivo de contribuir para o entendimento da ecologia do Açude Marechal Dutra, localizado na cidade de Acari, região semi-árida do Estado do Rio Grande do Norte, foram estudadas a densidade e a biomassa do bacterioplâncton nos períodos seco e chuvoso em dois pontos do Açude Marechal Dutra. As médias das densidades bacterianas totais oscilaram na ordem de 107 organismos por mL de amostra. A biomassa bacteriana total foi considerada elevada, variando de 2.431,82 a 2.739,01 µgC.L-1 . Os altos valores de densidade e biomassa encontrados alertam para a necessidade de um freqüente monitoramento dos ecossistemas aquáticos de região semi-árida onde a qualidade da água é afetada pela ocorrência de extensos períodos de estiagem que influenciam a qualidade de vida de sua população. A água se constitui em um tema muito adequado para a realização de atividades de educação ambiental. No entanto, o conhecimento prévio sobre a concepção dos envolvidos nestas atividades através de pesquisas de percepção ambiental pode ajudar a dinamizar o processo de sensibilização. Visando entender a concepção de vários aspectos relacionados ao tema “qualidade de água” de professores e alunos da rede pública da cidade de Acari - RN foi aplicado um questionário no período de 13 a 14 de novembro de 2008. A análise dos dados permitiu observar que em vários aspectos o grupo estudado percebe e tem consciência sobre os problemas ambientais relacionados à água na sua cidade. Porém, observou-se a necessidade de uma abordagem sistemática para esclarecimento de temas como cianobactérias, esgotos e doenças de veiculação hídrica de forma a esclarecer conceitos e alertar sobre os riscos que estão vinculados ao desconhecimento de vários aspectos sobre este tema e também observou-se que os professores embora afirmem estarem engajados na realização de atividades de educação ambiental, no entanto necessitam de maior participação por parte dos alunos.

8
  • PATRICIA DE PAULA DAMASO
  • VEGETAÇÃO DUNAR: CARACTERIZAÇÃO ESTRUTURAL DE DUNAS DO MUNICÍPIO DE NATAL - RN COMO SUBSÍDIO PARA A IMPLANTAÇÃO DE TÉCNICAS DE REFLORESTAMENTO, RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DO ECOSSISTEMA

  • Orientador : LUIZ ANTONIO CESTARO
  • Data: 24/04/2009
  • Mostrar Resumo
  • No Rio Grande do Norte a vegetação de restinga e os ambientes dunares estendem-se por quase todo o litoral. As dunas se destacam na paisagem litorânea do estado devido à exuberância de suas formas, alturas e revestimentos vegetais. O sistema de dunas é de fundamental importância para a manutenção dos aglomerados urbanos litorâneos, sobretudo para a cidade de Natal, atuando na dinâmica hidrológica do lençol freático e atenuando o efeito dos ventos e o deslocamento dos grãos de areia para o interior e assim evitando o soterramento da cidade. No entanto, o ecossistema de restinga e os ambientes dunares vêm sendo descaracterizados e destruídos em função da intensa urbanização e os conhecimentos sobre a vegetação de restinga instalada sobre as dunas ainda são escassos. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi realizar o levantamento das espécies vegetais estabelecidas sobre uma duna do Parque Estadual Dunas do Natal e determinar a estrutura dessa vegetação para ampliar os conhecimentos sobre a composição e organização estrutural desse ecossistema, a fim de subsidiar a implantação de técnicas de reflorestamento, recuperação e conservação do mesmo. A presente dissertação é composta por 2 capítulos, sendo o primeiro: Estrutura da vegetação de dunas do Parque Estadual Dunas do Natal, RN com o objetivo de descrever a estrutura da vegetação arbustivo-arbórea da restinga dunar do Parque Estadual Dunas do Natal, afim de melhor conhecer as espécies que se estabelecem nesse ambiente e o segundo: Recuperação de áreas degradadas em ambiente dunar, que teve como objetivo revisar os termos e conceitos utilizados na temática da recuperação e as técnicas de recuperação de áreas degradadas com ênfase em ambientes arenosos e pobres em nutrientes, relatando algumas experiências externas ao Brasil e dentro do país e seus aspectos positivos e negativos que devem ser seguidos na construção de um modelo a ser adotado para a recuperação de dunas locais.

9
  • ALEXANDRE DE OLIVEIRA PELAGIO
  • A IMPORTÂNCIA DA REGULAMENTAÇÃO DAS ZONAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL QUANTO À URBANIZAÇÃO DE DOENÇAS EM NATAL, RIO GRANDE DO NORTE

  • Orientador : RAQUEL FRANCO DE SOUZA
  • Data: 28/04/2009
  • Mostrar Resumo
  • Uma Zona de Proteção Ambiental (ZPA) deve possuir uma Regulamentação própria. O governo local, conforme o Estatuto da Cidade, substabelece a propedêutica ambiental destas áreas no Plano Diretor do município. Natal tem dez ZPA’s, nomeadas de 01 a 10. As cinco primeiras estão regulamentadas. Falta, porém, atenção à saúde nas ZPA’s. As condutas para o caso de sua fauna natural possuir reservatórios de doenças infecciosas são limitadas. A esquistossomose é endêmica em Natal, que possui como vetores do S. mansoni, os caramujos; Biomphalaria glabrata e straminea. A administração pública aborda este problema com o Plano de Controle da Esquistossomose (PCE). Ao introduzir a tecnologia de Sistema de Informação Geográfica (SIG), para espacialização destes vetores, é analisada a sua distribuição na cidade e a sua relação com as ZPA’s. É verificado que a ZPA09, apresenta maior concentração dos caramujos, como não tem regulamentação, permite a ocupação irregular, contribuindo para a urbanização de doenças. Palavras-chave: Ambiental, Unidades de Conservação, esquistossomose, SIG, controle de vetores.

2008
Dissertações
1
  • LUIZ SODRE NETO
  • Qualidade de Água como tema para a socialização do conhecimento científico em Região Semi-árida Brasileira
  • Data: 19/02/2008
  • Mostrar Resumo
  • Variações no bacterioplâncton e nos índices de estado trófico em ambientes lótico e lêntico de trechos da bacia hidrográfica do rio Piranhas-Assu foram estudadas nos períodos seco e chuvoso. As médias das densidades bacterianas totais oscilaram na ordem de 107 organismos por mL de amostra, sendo mais elevadas no período de chuva. As células em forma de cocos foram numericamente predominantes em todos os locais, influenciando consideravelmente a abundância total do bacterioplâncton. A biomassa bacteriana total variou de 659 a 1997,3 µgC.L-1 em função dos altos valores de biovolume dos filamentos. O fósforo total atingiu 108 µg.L-1 e teve uma correlação positiva com a clorofila “a” (r = 0,94; p < 0,05) no período de estiagem, quando estas duas variáveis apresentaram concentrações mais elevadas. Não houve variação espacial marcante. A baixa transparência da água e as concentrações de fósforo e clorofila indicaram níveis eutrófico ou hipereutrófico nos pontos estudados no reservatório. Estes fatores, associados aos altos valores de densidade e biomassa encontrados, alertam para a necessidade de um freqüente monitoramento dos ecossistemas aquáticos de região semi-árida onde a qualidade da água é afetada pela ocorrência de seca.
2
  • RAFAELLA ILIANA ALVES ARCILA CORREIA
  • Panorama dos Resíduos Sólidos Urbanos nos Municípios de Pequeno Porte do Brasil.
  • Data: 28/02/2008
  • Mostrar Resumo
  • O panorama dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) no Brasil, de maneira geral deixa a desejar face à imensidão do país. No entanto, é a partir dos dados existentes que o gestor público deve embasar a gestão dos RSU. Visando contribuir para a escolha do modelo de gestão dos RSU em municípios de pequeno porte, o presente estudo revisa a literatura relacionada, mostrando como se dá a disposição final dos RSU em municípios de pequeno porte. São discutidas várias pesquisas, concluindo-se que os dados apresentados, muito embora sejam fornecidos pelos gestores, que muitas vezes minoram o problema, hão de ser considerados para a proposição de políticas de incentivo ao tratamento de resíduos.
3
  • TATIANA DE LIMA CORREA
  • Impactos sócio-ambientais do Estuário do Rio Potengi – Região Metropolitana da Grande Natal
  • Data: 29/02/2008
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho estudou a ocorrência, os níveis de concentração e a toxicologia de metais pesados nos sedimentos de fundo do estuário Potengi, buscando compreender o grau de comprometimento das populações ribeirinhas. Foram definidas 36 estações de amostragem. Os dados foram interpretados a partir da apresentação do sumário numérico; coeficiente de variação; distribuição espacial; comparação com os valores de referência e com outros estudos semelhantes. A concentração dos elementos nos sedimento refletiu as condições naturais da própria geoquímica dos materiais da região e também contribuição das atividades humanas. Este trabalho também visou identificar os problemas enfrentados pelas populações ribeirinhas do estuário Potengi, destacando sua percepção com relação ao ambiente, bem como na avaliação do arranjo institucional que atua no local. Foram aplicados questionários em cinco comunidades ribeirinhas e realizadas entrevistas com os agentes dos órgãos públicos e colônias de pescadores. Há pouca compreensão da necessidade de se preservar o meio ambiente e fragilidade na aplicação dos mecanismos de regulação.
4
  • JOAO BATISTA MACHADO BARBOSA
  • Em busca do Estado participativo: Os desafios da participação social na gestão ambiental

  • Orientador : ELIZA MARIA XAVIER FREIRE
  • Data: 31/03/2008
  • Mostrar Resumo
  • A existência de vários indicadores negativos, como desmatamento, poluição dos rios e crescimento urbano desordenado, aponta um cenário de séria degradação ambiental no Brasil, permitindo-se inferir que o modelo de gestão pública do meio ambiente aqui praticado não é eficiente, a despeito de haver uma legislação ambiental reconhecida como uma das melhores e mais completas do mundo. Um dos fatores que acentuam esse problema é a incipiente participação social na gestão ambiental que, freqüentemente, exis-te apenas no plano formal. Assim, embora definido como Estado Democrá-tico, na prática, ele é apenas um Estado Figurativo. Partindo do estudo so-bre a origem do Estado e da participação social no Estado Brasileiro, em âmbito geral, e da análise de funcionamento de alguns conselhos de meio ambiente e audiências públicas no Rio Grande do Norte, como instrumentos de controle social, em âmbito particular, pode-se concluir que é possível consolidar um verdadeiro Estado Democrático na gestão ambiental, um Es-tado Participativo, em que todos os atores tenham consciência da responsa-bilidade e estejam comprometidos com o dever a eles atribuídos pelo Texto Constitucional com as presentes e futuras gerações.

5
  • DIONE MARIA DE FREITAS
  • A gestão participativa do desenvolvimento rural sustentável: O PRONAF na subzona de Touros/RN
  • Orientador : ALDENOR GOMES DA SILVA
  • Data: 01/04/2008
  • Mostrar Resumo
  • Investigar as possibilidades e limites de mecanismos de gestão participativa no âmbito do Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, e a correspondente eficácia das suas ações na construção de alternativas de desenvolvimento rural sustentável no Litoral Norte do Estado do Rio Grande do Norte, mais especificamente, na Subzona de Touros composta pelos municípios de Touros, Poço Branco, Pureza, São Miguel do Gostoso e Taipu. Para realizar esta análise foram realizadas Pesquisas de Campo com o objetivo de reconstituir a trajetória dos CMDRS, traçar o perfil dos sujeitos que compõem cada um dos cinco conselhos, suas expectativas, interesses e o nível de participação da população local. Palavras Chaves: Liderança comunitária; Conselhos locais; Políticas públicas; Pronaf;Gestão participativa; Participação.
6
  • DIONE MARIA DE FREITAS
  • A gestão participativa do desenvolvimento rural sustentável: O PRONAF na subzona de Touros/RN
  • Orientador : ALDENOR GOMES DA SILVA
  • Data: 01/04/2008
  • Mostrar Resumo
  • Investigar as possibilidades e limites de mecanismos de gestão participativa no âmbito do Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, e a correspondente eficácia das suas ações na construção de alternativas de desenvolvimento rural sustentável no Litoral Norte do Estado do Rio Grande do Norte, mais especificamente, na Subzona de Touros composta pelos municípios de Touros, Poço Branco, Pureza, São Miguel do Gostoso e Taipu. Para realizar esta análise foram realizadas Pesquisas de Campo com o objetivo de reconstituir a trajetória dos CMDRS, traçar o perfil dos sujeitos que compõem cada um dos cinco conselhos, suas expectativas, interesses e o nível de participação da população local. Palavras Chaves: Liderança comunitária; Conselhos locais; Políticas públicas; Pronaf;Gestão participativa; Participação.
7
  • DANIELSON SANTOS DA SILVEIRA
  • Poluição Sonora: Um grave problema na cidade de Mossoró/RN.
  • Data: 02/04/2008
  • Mostrar Resumo
  • Nas últimas décadas constatamos alterações ambientais de grandes proporções em nosso planeta. Poluição sonora, poluição visual, do ar, das águas, dos solos, todos os principais tipos de poluição ambiental se intensificaram no rastro do desenvolvimento econômico. Em Mossoró não foi diferente, o meio ambiente sofreu um longo e contínuo desgaste provocado pelo uso predatório. O rio está poluído, a mata ciliar de carnaúbas foi totalmente alterada e com ela uma parte da fauna local desapareceu. É certo também, que o ambiente urbano foi e continua a ser alterado profundamente, e a poluição sonora é um reflexo das modificações urbanas sofridas pela cidade ao longo do tempo. Através de revisão bibliográfica, aferição do barulho e pesquisas de campo, este trabalho de pesquisa teve como objetivo analisar as principais atividades geradoras de poluição sonora no perímetro urbano da cidade de Mossoró/RN, com ênfase na Avenida Presidente Dutra, e nas causas, efeitos e distribuição espacial dos agentes poluidores. Também tem como objetivo entender a aplicação das leis ambientais que tratam a questão sonora no ambiente urbano da cidade. A Avenida Presidente Dutra foi o local escolhido por ser a via urbana na qual a cidade expressa os principais eventos populares de Mossoró. Ela representa um importante acesso à cidade e por ser possível através do seu desenvolvimento urbano constatar as marcas dos efeitos negativos do crescimento desordenado, dentre esses, a poluição sonora. Percebe-se neste estudo a urgência em alertar a sociedade para o impacto provocado pela poluição sonora no cotidiano das pessoas. E especialmente colocar em evidencia a importância das leis e dos órgãos públicos existentes na cidade de Mossoró – RN, capazes de serem acionados para solucionar ou amenizar problemas relacionados à poluição sonora e conseqüentemente melhorar a qualidade de vida das pessoas da cidade.
8
  • DANIELSON SANTOS DA SILVEIRA
  • Poluição Sonora: Um grave problema na cidade de Mossoró/RN.
  • Data: 02/04/2008
  • Mostrar Resumo
  • Nas últimas décadas constatamos alterações ambientais de grandes proporções em nosso planeta. Poluição sonora, poluição visual, do ar, das águas, dos solos, todos os principais tipos de poluição ambiental se intensificaram no rastro do desenvolvimento econômico. Em Mossoró não foi diferente, o meio ambiente sofreu um longo e contínuo desgaste provocado pelo uso predatório. O rio está poluído, a mata ciliar de carnaúbas foi totalmente alterada e com ela uma parte da fauna local desapareceu. É certo também, que o ambiente urbano foi e continua a ser alterado profundamente, e a poluição sonora é um reflexo das modificações urbanas sofridas pela cidade ao longo do tempo. Através de revisão bibliográfica, aferição do barulho e pesquisas de campo, este trabalho de pesquisa teve como objetivo analisar as principais atividades geradoras de poluição sonora no perímetro urbano da cidade de Mossoró/RN, com ênfase na Avenida Presidente Dutra, e nas causas, efeitos e distribuição espacial dos agentes poluidores. Também tem como objetivo entender a aplicação das leis ambientais que tratam a questão sonora no ambiente urbano da cidade. A Avenida Presidente Dutra foi o local escolhido por ser a via urbana na qual a cidade expressa os principais eventos populares de Mossoró. Ela representa um importante acesso à cidade e por ser possível através do seu desenvolvimento urbano constatar as marcas dos efeitos negativos do crescimento desordenado, dentre esses, a poluição sonora. Percebe-se neste estudo a urgência em alertar a sociedade para o impacto provocado pela poluição sonora no cotidiano das pessoas. E especialmente colocar em evidencia a importância das leis e dos órgãos públicos existentes na cidade de Mossoró – RN, capazes de serem acionados para solucionar ou amenizar problemas relacionados à poluição sonora e conseqüentemente melhorar a qualidade de vida das pessoas da cidade.
9
  • MARIA DE LIMA ALVES
  • A SAÚDE AMBIENTAL E OS RESÍDUOS DE SERVIÇÕS DE SAÚDE NOS TRÊS NÍVEIS DE COMPLEXIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS
  • Orientador : MARIA DE FATIMA FREIRE DE MELO XIMENES
  • Data: 14/04/2008
  • Mostrar Resumo
  • O gerenciamento ambiental nos estabelecimentos de saúde é uma realidade ainda pouco explorada no setor saúde no Brasil, principalmente em relação aos resíduos. O gerenciamento de resíduos de serviços de saúde está estabelecido na legislação vigente através do Conselho Nacional de Meio Ambiente e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (RDC 358/2005 e 304/2004 respectivamente). Esta dissertação trata de um estudo descritivo de caráter qualitativo e quantitativo sobre a saúde ambiental nos serviços de saúde utilizando a metodologia da pesquisa-ação. No capítulo I, é apresentado um diagnóstico sobre os RSS gerados em doze estabelecimentos de saúde da cidade de Mossoró-RN. Foi utilizado o modelo DAES - Modelo para Diagnóstico Ambiental em Estabelecimentos de Saúde para diagnosticar o gerenciamento ambiental e dos RSS nestes estabelecimentos. Este conjunto de procedimentos permitiu compor um banco de dados e a identificação de possíveis inadequações referentes ao processo de gerenciamento ambiental nestes serviços. A análise dos dados revela que 66% dos estabelecimentos obtiveram a classificação ambiental péssima, 17% crítica e 17% adequada, mostrando que os estabelecimentos de saúde nos três níveis de complexidade do SUS necessitam de intervenções estruturais, ambientais e educacionais urgentes. No capítulo II, são apresentadas informações acerca das atividades educacionais em saúde desenvolvidas nestes estabelecimentos durante a pesquisa. Nesta etapa foi possível contribuir, elaborar e construir, atividades educativas voltadas para a temática ambiental em saúde, com ênfase para o gerenciamento de RSS, discutidos e analisados a partir da realidade vivenciada pelos funcionários e de seus questionamentos em cinco estabelecimentos. No capítulo III, é feita uma análise qualitativa a respeito das falas e reflexões feitas pelos trabalhadores destes estabelecimentos, apreendidas durante o desenvolvimento das atividades educativas. Os resultados alertam para a necessidade de realização de atividades educacionais permanentes em saúde ambiental nestes serviços, visto que as realizadas durante esta pesquisa se caracterizaram pela desinformação, desconhecimento e/ou inobservância das questões ambientais intra-estabelecimentos de saúde. Portanto, considera-se imprescindível envolver todos os indivíduos presentes no dia-a-dia destes estabelecimentos para que possam contribuir com atitudes e atividades voltadas para a qualidade ambiental nos serviços de saúde.
10
  • REMO RENE PIMENTEL
  • DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO A ÁGUA NO SEMI-ÁRIDO: o caso da comunidade rural de Pendências dos Emídios no município de Serrinha/RN.
  • Orientador : FERNANDO BASTOS COSTA
  • Data: 08/05/2008
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil vive um momento de experimentação e amadurecimento no que tange a gestão do uso da água, institucionalizando-se cada vez mais a participação social. No Rio Grande do Norte, desde 1997, o governo vem desenvolvendo ações nesse sentido, através da Secretaria Estadual de Recursos Hídricos, que implantou um programa de adutoras no interior do Estado e criou Associações de Usuários de Água com a instalação de dessalinizadores onde a Adutora não era necessária ou ainda não chegara, de forma que fosse gerido pelas comunidades através de associações de usuários. Desde 2003, Organizações da Sociedade Civil – OSCs vem através da ASA – Articulação no Semi-árido Brasileiro, implementando o P1MC – Programa de Formação e Mobilização Social para a Convivência com o Semi-Árido( Um Milhão de Cisternas Rurais), em seu terceiro ano de execução no Rio Grande do Norte, trabalha na perspectiva de convivência com o semi – árido. No município de Serrinha/RN que integra a região do Semi-árido, encontramos na comunidade rural de Pendências dos Emídios a experiência do Estado e da Sociedade civil, o que remeteu a uma reflexão acerca da sustentabilidade ambiental dessas iniciativas. O objetivo geral deste trabalho é analisar as estratégias de gestão participativa no uso e acesso a água na comunidade de Pendências dos Emídios no município de Serrinha/RN, para compreender como essas experiências podem contribuir para a sustentabilidade ambiental. A metodologia utilizada envolveu pesquisa bibliográfica das categorias que envolveram cada artigo; a análise dos termos de referência de cada estratégia como parte da pesquisa documental; a aplicação de formulários abrangendo 40 famílias beneficiadas, e entrevistas baseadas na análise compreensivas do discurso. Este estudo está dividido em 02 artigos, onde no primeiro é realizada uma discussão sobre ação coletiva e sustentabilidade ambiental, e no segundo é realizada uma discussão acerca da sustentabilidade das iniciativas de acesso água em curso. Os resultados da discussão realizada nos 02 artigos que tiveram seu empírico construído a partir da experiência da Comunidade de Pendências dos Emídios revelaram até onde vai a capacidade do Estado em fomentar ação coletiva e as limitações da percepção de sustentabilidade que permeia essas iniciativas na busca de democratizar o acesso à água no Semi-árido.
11
  • ANTONINO DE FREITAS BEZERRA
  • CULTIVO DE ALGAS MARINHAS COMO DESENVOLVIMENTO DE COMUNIDADES COSTEIRAS
  • Orientador : ELIANE MARINHO SORIANO
  • Data: 30/06/2008
  • Mostrar Resumo
  • A utilização de algas marinhas de gênero Gracilaria para a extração de ágar no Nordeste brasileiro tem aumentado consideravelmente nas ultimas décadas. G. birdiae é uma das espécies explorada comercialmente pelas comunidades pesqueiras e a pressão da colheita de algas desse gênero, tem tido conseqüências negativas sobre a sustentabilidade desse recurso natural. Diante do quadro atual de declínio da produção de algas no Estado do Rio Grande do Norte, torna-se necessário á implantação de cultivos que venham auxiliar no desenvolvimento das áreas costeiras. A presente pesquisa teve como objetivo desenvolver estudos sobre o crescimento, produtividade, rendimento e qualidade do ágar de G. birdiae, de maneira a fornecer subsídios para cultivos em escala comercial. O estudo foi realizado na praia de Rio do Fogo, RN em dois períodos (chuvoso e seco), utilizando-se estruturas de cultivo tipo balsas. Quinzenalmente as algas eram removidas das estruturas e a biomassa determinada juntamente com os parâmetros físico-químicos da água. A cada pesagem o excedente da biomassa, resultante do crescimento era transportado ao laboratório para análise do rendimento e qualidade do ágar (força do gel). A taxa de crescimento relativo (TCR) foi determinada através da fórmula: TCR = ln (Peso final / Peso inicial). 100 / Intervalo de tempo da amostragem. Durante o período de estudo os fatores ambientais salinidade e temperatura mantiveram-se relativamente constantes com a média de 35 PSU e 28 ºC, respectivamente. Os valores de biomassa não apresentaram variações significativas (p>0,05). A média da biomassa registrada durante todo o período do experimento foi de 1.952,67 ± 576g (período chuvoso) e 1.925,67 ± 450g (período seco). O valor máximo de crescimento (TCR) foi registrado no período seco (7,45 %.dia-1), com média ao longo do estudo de 4,35 %.dia-1. O rendimento do ágar variou de 22% a 15%. A média mais elevada foi obtida no período chuvoso (19,86%). A força do gel variou de 850 a 650 g cm². A média obtida para os dois períodos foi aproximadamente 750 g cm². Estes resultados demonstram o grande potencial de Gracilaria birdiae para a maricultura podendo ser utilizada como atividade pelas comunidades litorâneas.
2006
Dissertações
1
  • KLEPTURA DE OLIVEIRA E SILVA
  • A BIOTECNOLOGIA VEGETAL COMO ALTERNATIVA PARA A COTONICULTURA FAMILIAR SUSTENTÁVEL

  • Data: 23/08/2006
  • Mostrar Resumo
  • Resumo Capítulo 1 - Este trabalho visa identificar os problemas enfrentados por agricultores familiares que cultivam o algodão herbáceo em dois municípios do Rio Grande do Norte, destacando a percepção destes trabalhadores quanto à cotonicultura e ao interesse de permanecer nessa atividade. Aplicaram-se questionários com os trabalhadores rurais, e foram entrevistados agentes de desenvolvimento local, técnicos de extensão rural e intermediários da cadeia produtiva do algodão. Há carência de investimentos, assistência técnica e uso excessivo de defensivo agrícola.

2
  • ELINEZ DA SILVA ROCHA
  • SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DO CULTIVO INTENSIVO DE TILÁPIAS (Oreochromis niloticus) EM TANQUES-REDE E A CAPACIDADE DE SUPORTE DE QUATRO RESERVATÓRIOS EM UMA REGIÃO SEMI-ÁRIDA TROPICAL

  • Data: 28/08/2006
  • Mostrar Resumo
  • O cultivo intensivo de tilápias, em gaiolas ou tanques-rede, tem sido proposto como uma alternativa para aumentar a produção pesqueira, a geração de renda e a oferta de proteína animal em diversos países tropicais e subtropicais. No entanto, esse sistema de produção enriquece o ambiente aquático com nutrientes, principalmente o nitrogênio e o fósforo, oriundos dos dejetos do metabolismo do alimento e com eventuais sobras de alimentos não consumidos pelos peixes; uma vez que a alimentação dos peixes nessa modalidade de cultivo é extremamente dependente do aporte de ração. A emissão desses nutrientes em níveis acima do limite que o sistema é capaz de metabolizar pode provocar o fenômeno da eutrofização, comprometendo a qualidade da água do manancial para o abastecimento público e para a própria atividade de piscicultura. Diante deste contexto, este trabalho teve como objetivo avaliar o estado trófico de quatro reservatórios em uma região semi-árida tropical e estimar a capacidade de suporte dos reservatórios para o cultivo intensivo de tilápias em tanques-rede, ou seja, a produção máxima de peixes que os reservatórios são capazes de sustentar mantendo as concentrações de nutrientes na água dentro dos limites considerados desejáveis para reservatórios destinados ao abastecimento público.  Os resultados demonstram que dos quatro ecossistemas estudados, apenas no reservatório de Boqueirão de Parelhas é possível o cultivo intensivo de tilápias em tanques-redes, uma vez que neste ambiente a concentração média anual de fósforo, esteve abaixo do limite considerado crítico para deflagrar o processo de eutrofização em reservatórios de regiões semi-áridas. A capacidade de suporte do reservatório Boqueirão de Parelhas depende do fator de conversão alimentar do peixe e do conteúdo de fósforo na ração mas deve variar entre cerca de 100 e 300 toneladas de peixe por ano assumindo uma variação no fator de conversão alimentar de 1,7 a 2,0:1 e uma variação no conteúdo de P na ração de 0,7 a 0,9%. 

3
  • JANDESON BRASIL DIAS
  • IMPACTOS SÓCIO-ECONÕMICOS E AMBIENTAIS DA INTRODUÇÃO DA TILÁPIA DO NILO, Oreochromis niloticus, EM AÇUDES PÚBLICOS DO SEMI-ÁRIDO NORDESTINO, BRASIL

  • Data: 28/08/2006
  • Mostrar Resumo
  • A estocagem de peixes exóticos, principalmente de tilápias tem sido uma prática comum nos açudes públicos da região semi-árida brasileira para melhoria da pesca. Porém os riscos ambientais associados a esta prática podem levar a perda da biodiversidade aquática e deteriorização da qualidade da água, colocando em conflito a atividade da pesca de tilápias com o uso dos açudes para fins de abastecimento público. Com isso, os objetivos deste trabalho foram: verificar os efeitos da tilápia do Nilo sobre a qualidade da água (turbidez, transparência, biomassa algal e de cianobactérias potencialmente tóxicas), avaliar a produção pesqueira total de 100 reservatórios monitorados pelo DNOCS, com ênfase especial no papel desempenhado pela tilápia, analisar os benefícios sócio-econômicos advindos da introdução da tilápia no açude Gargalheiras, verificar os impactos da tilápia sobre as demais espécies de peixes e verificar a percepção dos pescadores com relação aos estoques pesqueiros e à qualidade da água após a introdução da tilápia. Para avaliar o efeito da tilápia sobre a transparência da água foi realizado um experimento no açude da Estação Ecológica do Seridó entre junho e julho de 2004 em 20 mesocosmos distribuídos aleatoriamente entre cinco tratamentos com diferentes densidades de tilápia. Os dados de produção pesqueira e número de pescadores numa escala de tempo de 30 anos foram estimados a partir das estatísticas de pesca do DNOCS. Também foram aplicados questionários com questões abertas e fechadas a 30 pescadores experientes da colônia do açude Gargalheiras. Os resultados mostraram que os mesocosmos com tilápia apresentaram maior turbidez e menor transparência da água os quais devem aumentar os custos para o seu tratamento. Os resultados mostraram que não houve aumento da produção pesqueira total, da renda bruta total e per capita e no número de pescadores após a introdução da tilápia no açude Gargalheiras. Além disso, ocorreu uma redução nas capturas de espécies nativas e da pescada, que era a espécie comercialmente mais importante e mais abundante antes da introdução da tilápia. Mesmo assim, a grande maioria dos pescadores locais afirmou que a tilápia é atualmente a principal espécie para quem sobrevive da pesca e que a mesma não prejudicou outras espécies de peixes nem a qualidade da água no açude. Porém, os resultados deste trabalho indicam que os alegados benefícios sócio-econômicos, utilizados para justificar as políticas de peixamento dos açudes com a tilápia do Nilo, são superestimados enquanto que os impactos ambientais da introdução desta espécie exótica são subestimados.

4
  • MARIA CRISTIANA DA SILVA SOUTO
  • COEFICIENTE DE INCIDÊNCIA DO DENGUE E SUA RELAÇÃO COM OS DIFERENCIAIS INTRA-URBANOS SEGUNDO CONDIÇÕES DE VIDA NO MUNICÍPIO DO NATAL, RIO GRANDE DO NORTE

  • Data: 29/08/2006
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo partiu da hipótese de que as variações espaciais na magnitude da morbidade por dengue em Natal são influenciadas pelas desigualdades intra-urbanas de fatores socioeconômicos e ambientais. Visando identificar as diferenças intrínsecas de cada um deles, no sentido de fornecer subsídios para as decisões dos gestores públicos no que se refere ao controle da dengue, esta dissertação teve como objetivo caracterizar os bairros da cidade do Natal de acordo com as condições de vida. Foram utilizados dados populacionais sobre densidade demográfica, abastecimento de água, coleta de lixo, esgotamento sanitário, renda, escolaridade e incidência da dengue no período de 2001 e 2003. Esses dados foram provenientes do Censo Demográfico 2000 e do Sistema de Informações de Agravos Notificáveis - SINAN. O estudo foi apresentado sob a forma de dois artigos, de acordo com o recorte espacial utilizado: quatro estratos de condição de vida, no primeiro; e incidência da dengue em cada estrato de condição de vida, no segundo. A partir dos indicadores referentes às condições socioeconômicas e ambientais obteve-se, por meio de análise fatorial, um indicador sintético da condição de vida (ICV). Com base no ICV, os bairros foram agrupados, para a constituição de quatro estratos de condição de vida. Na categorização dos bairros segundo condições de vida (artigo 1) identificou-se uma distribuição heterogênea entre os bairros. Nos estratos (artigo 2), o de melhor condição de vida apresentou coeficiente de incidência igual a 15,62 e 15,24 nos períodos de 2001 e 2003, para cada 1000 habitantes, respectivamente; o estrato de pior condição de vida mostrou os coeficientes de incidência de 25,10 e 10,32 para os períodos de 2001 e 2003, respectivamente. Os resultados sugerem que este agravo ocorre em todas as classes sociais, a sua incidência não está relacionada de alguma forma evidente com o ICV.

5
  • ALIDIA HERNANDES RIBEIRO
  • POTENCIAL DE USO DO COMPONENTE VEGETAL E ESTUDO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS MORADORES RESIDENTES ÀS MARGENS DA MATA CILIAR LEGAL DO RIACHO ÁGUAS VERMELHAS, PARNAMIRIM/RN

  • Data: 30/08/2006
  • Mostrar Resumo
  • O ser humano faz uso da flora desde épocas remotas, entretanto, muito desse conhecimento vem se perdendo devido ao modelo de desenvolvimento de sociedades industrializadas. A etnobotânica surge como uma ciência que busca integrar o conhecimento botânico científico à significação cultural, ao manejo e aos usos tradicionais das plantas pelas comunidades. Fundamentado nessa perspectiva teórica, o objetivo geral desse trabalho foi analisar a potencialidade e formas de uso da flora fanerogâmica de fragmentos de floresta ciliar no município de Parnamirim-RN. Constituem os objetivos específicos: 1) proporcionar avanço no conhecimento da flora nativa e introduzida que compõem esta vegetação ciliar, construindo uma lista com as espécies registradas na área para aplicação em projetos de recomposição; 2) verificar o potencial de uso de plantas por comunidades assentadas ao longo do riacho Águas Vermelhas e 3) estudar a percepção das populações ribeirinhas acerca de meio ambiente em geral e verificando sua relação com a vegetação remanescente. Para atingir esses objetivos foi realizado um inventário florístico herbáceo-arbóreo da vegetação ciliar, e aplicadas entrevistas semi-estruturadas junto à população ribeirinha.  Foram registradas 180 espécies vegetais na área, distribuídas em 143 gêneros e 71 famílias.  Deste total, 79 espécies (mais de 43%) possuem referência etnobotânica em literatura, contudo, apenas 10% dos entrevistados utilizam ou reconhecem alguma indicação para as plantas locais. Este constitui um dado importante considerando-se que a maioria afirma fazer uso de plantas medicinais industrializadas (adquiridas em farmácias ou supermercados) e/ou exóticas (cultivadas em canteiros próprios ou de vizinhos), além de possuírem plantas ornamentais. De uma forma geral, verifica-se que a vegetação ciliar do riacho Águas Vermelhas tem diversidade florística menor que outras vegetações ciliares de tamanho equivalente descritas na região sudeste.  Foi também constatado que a população ribeirinha tem interesse por plantas, entretanto, desconhecem a flora local e suas potencialidades.  Essa falta de conhecimento desta população deve-se provavelmente a ausência de trabalhos de educação ambiental que integrem a comunidade local.

     

6
  • SANDRA MARIA DE LIMA BEZERRIL
  • CARACTERIZAÇÃO SÓCIO-AMBIENTAL DO BAIRRO DE FELIPE CAMARÃO – NATAL/RN

  • Data: 30/08/2006
  • Mostrar Resumo
  • O rápido crescimento das cidades brasileiras nos últimos anos trouxe uma série de problemas relacionados com as políticas de habitação e conseqüentemente com a provisão de habitações para as classes de renda baixa.  Seguindo o exemplo de outras capitais, Natal repetiu o modelo de urbanização praticado no país, concentrando as populações de baixa renda em zonas específicas da cidade classificadas como periferias, ou lugar de habitação das classes menos favorecidas como ocorre em Felipe Camarão, um dos dez bairros que integram a zona administrativa oeste, região que historicamente recebeu pouca atenção por parte dos poderes públicos em termos de investimentos em infra-estrutura. Fundamentados nesses aspectos, o objetivo geral deste trabalho é averiguar quais as principais alterações sócio-ambientais decorrentes do processo de urbanização e ocupação na área. Constituem-se os objetivos específicos verificar: o processo de urbanização e parcelamento do solo a partir de 1960; a configuração atual dos espaços públicos do bairro; o processo de descaracterização das Zonas de Proteção Ambiental; as dinâmicas de ocupação predominantes nas áreas de dunas e de manguezal e a destruição da cobertura vegetal com conseqüente alteração do padrão florístico local. A metodologia compreendeu: 1) visitas a campo; 2) aplicação de questionários – pesquisa comunitária; 3) levantamento da bibliografia publicada pelos órgãos e instituições encarregados de executar as políticas de meio ambiente e habitação no município; e 4) estatística descritiva dos dados coletados. No que se refere ao modelo de ocupação predominante no bairro, constatou-se que o tratamento dispensado pelos moradores ao espaço culminou com o aparecimento e consolidação de alterações ambientais distintas de comum ocorrência na área edificada representada pelos conjuntos habitacionais e nas áreas verdes representadas respectivamente pelas dunas e pelo mangue. Os dados demonstram que durante o povoamento, houve predominância do processo de ocupação irregular sobre a política oficial de habitação, colaborando com uma série de problemas freqüentes e previsíveis nas dinâmicas de urbanização da pobreza como: invasões e apropriações de lotes; abertura de arruamentos irregulares; formação de vilas e favelas, repletas de unidades habitacionais auto-construídas e ocupação e degradação de áreas de fragilidade ambiental, como as encostas de dunas e os manguezais.

     

7
  • MARIA CONCEICAO OLIVEIRA AMERICO
  • PROCESSOS SÓCIO-AMBIENTAIS RELACIONADOS ÀS SITUAÇÕES DE DEGRADAÇÃO NA REGIÃO DO RIO DOCE – NATAL/RN

  • Data: 31/08/2006
  • Mostrar Resumo
  • A faixa urbana que se estende do bairro da Redinha ao bairro de Lagoa Azul, concentra cerca de 12% da população do município do Natal/RN (800.000 habitantes), segundo dados do IBGE(2000). Parte dessa extensão é margeada pelo Rio Doce, curso de água que tem sido alvo de graves problemas sócio-ambientais. O estudo foi realizado de forma a identificar/conhecer os processos sócio-ambientais relacionados à expansão urbana, destacando as situações de degradação ambiental naquela região; observar/analisar a percepção do público alvo em relação ao ambiente que ocupa; traçar o perfil sócio-econômico dos agentes antrópicos ali residentes, concomitante ao levantamento das condições de saneamento básico da população local. Através do método quantitativo-qualitativo de investigação desenvolveu-se este trabalho, utilizando-se técnicas de entrevistas com formulários aplicados às comunidades Caiana, Pajussara Sítio, Gramoré Povoado e Gramoré Sítio, além de levantamentos bibliográfico e documental. As condições de saneamento básico nas comunidades ribeirinhas são precárias. Apenas 1% dos bairros supracitados apresenta esgotamento sanitário. Foram constatados altos índices de exploração do Rio Doce pela retirada de areia destinada à construção civil, utilização da água para banho, lavagem de roupas, irrigação de hortas instaladas às margens do rio e lazer. Verificou-se ainda que, cerca de 40% da população aí residente é originária do interior do Estado, um dos fatores que compromete sua inserção no ambiente urbano. Tais informações podem servir de subsídio ao planejamento urbanístico-ambiental daquelas comunidades e ao seu desenvolvimento local sustentável.

     

8
  • AUGUSTO SANTOS MARINHO
  • HÁBITO ALIMENTAR E PERCEPÇÃO AMBIENTAL. UM ESTUDO DE CASO ENTRE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS DA REDE PRIVADA EM NATAL-RN

  • Data: 27/09/2006
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo verificar qual o nível de percepção dos estudantes do ensino médio de duas escolas da rede privada em Natal-RN, sobre a existência de uma relação direta entre o hábito alimentar e seus efeitos sobre o ambiente. A pesquisa foi conduzida com 433 estudantes, que tiveram seus hábitos alimentares no ambiente escolar investigados com base no método “recordatório 24 horas” e apresenta os resultados da coleta de dados de suas opiniões sobre como participam na geração de resíduos sólidos industrializados e seus anseios quanto às melhorias do padrão de oferta de alimentos na escola. Os estudantes apresentam alto índice de nivelamento etário por série, estrutura familiar tradicional (pai e mãe juntos), deslocando-se no trajeto residência-escola-residência, predominantemente, de carro ou de ônibus, fazem, geralmente, as três refeições convencionais em casa, costumam consumir alimentos diariamente na escola, adquirindo-os na própria escola, estes consistem, principalmente, em refrigerantes e salgados fritos ou assados; os entrevistados apresentam relativo conhecimento sobre os coletores seletivos, porém, com grande variação na freqüência do uso correto dos mesmos. Demonstram significativa anuência quanto à existência de conexão entre seus hábitos alimentares e efeitos degradantes sobre o ambiente e consideram que os complexos alimentares em suas escolas poderiam aumentar a oferta de alimentos naturais e/ou saudáveis, diminuindo a oferta, ora elevada, de alimentos industrializados. O estudo sobre o grau de conhecimento e de preocupação dos estudantes com relação à interface hábito alimentar-impacto ambiental permitiu delimitar alguns dos principais componentes envolvidos na determinação dos hábitos alimentares dos mesmos em ambiente escolar, o que poderá ajudar a desenvolver um conjunto de propostas que objetive o estímulo à formação de um padrão de consumo responsável entre os adolescentes e à necessidade de reflexão sobre as conseqüências de suas escolhas.

9
  • RUBIA CARLAS MACEDO DA CUNHA
  • ANÁLISE DE POTENCIALIDADE E RESTRIÇÕES AO ECOTURISMO: O CASO DA RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL ESTADUAL DA PONTA DO TUBARÃO-RN

  • Data: 27/09/2006
  • Mostrar Resumo
  • A Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão, primeira do Rio Grande do Norte, foi criada em 2003, como resultado de reivindicações coletivas contra os efeitos negativos do turismo e da carcinicultura sobre o litoral potiguar. Uma das estratégias encontradas para o desenvolvimento local, associada às práticas tradicionais, é o turismo promovido pela própria comunidade, conhecido também como turismo de base comunitária. O objetivo principal deste trabalho é analisar as potencialidades ecoturísticas, considerando os impactos, restrições e ações mitigadoras aplicáveis a essa atividade dentro de uma unidade de conservação. A dinâmica natural na área é bastante intensa, sendo constituída por dunas móveis e fixas, manguezais e por uma restinga, separando o braço de mar do oceano, além da própria caatinga típica, que compõe o cenário mais interiorano da RDS. Alguns desses caminhos já são utilizados com fins turísticos, assim como as dunas e a própria praia, mas sem fluxo considerável. Detectaram-se como potencialidades para o desenvolvimento do ecoturismo os passeios de barco pelas gamboas existentes, as trilhas pelas dunas e pela caatinga, porém com algumas restrições devido às fragilidades ambientais e infra-estruturais da área. A detecção dos atrativos se deu por meio de análises documentais, de imagens de satélite e mapas temáticos da área, resgate de informações com as comunidades, através de reuniões, idas e acompanhamento de campo, traçando-se as rotas. A implementação das atividades de ecoturismo na RDSEPT deve passar pela análise conjunta dos anseios da comunidade e pela adequação técnica, no sentido de planejar meios de viabilizar, monitorar e minimizar impactos dessas atividades, definindo bem os papéis da comunidade enquanto ator ativo do processo.

10
  • ANALUISA MAIA CORTEZ
  • ASPECTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA DISSEMINAÇÃO DA LEISHMANIOSE VISCERAL EM PARNAMIRIM, REGIÃO METROPOLITANA DE NATAL/RN

    As leishmanioses doenças com alto índice de mortalidade são causadas por protozoários do gênero Leishmania e transmitidas ao homem, cães domésticos e diversos mamíferos silvestres através da picada de um inseto denominado flebotomíneo (Diptera: Psychodidae). As manifestações clínicas se apresentam como lesões cutâneas ou viscerais (LC ou LV). As transformações no meio ambiente, a migração do homem da área rural para a periferia das cidades, em condições precárias de moradia, a criação de animais próximo aos domicílios, atraindo flebotomíneos, são alguns dos fatores que devem ter contribuído para a adaptação de vetores e a expansão da doença. O objetivo desse estudo foi identificar fatores que contribuem com a incidência de casos de LV em Parnamirim, município da região metropolitana de Natal, a partir da abundância e diversidade de espécies em áreas urbana e de fragmento de mata conservada, bem como analisar aspectos sócio-ambientais possivelmente relacionados à LV no município. As capturas foram realizadas entre Março e Novembro de 2005, com armadilhas CDC instaladas entre 17:30 e 6:00h. Nas áreas urbana e periurbana foram aplicados 140 questionários entre os moradores. Cinco espécies de Phlebotominae foram identitificadas. As três espécies mais representativas nas áreas urbanas foram Lutzomyia evandroi (65%), Lutzomyia longipalpis (30%) e Lutzomyia lenti (4,8) e na área de mata foram Lutzomyia evandroi (70,4%), Lutzomyia longipalpis (29%) e Lutzomyia lenti (0,6%) totalizando 1432 flebotomíneos. Na área urbana, no ambiente peridomiciliar, o número de fêmeas de L. longipalpis, espécie envolvida na transmissão da LV foi superior ao de machos. O número de espécimes capturados em setembro foi consideravelmente superior aos demais meses. Dentre as respostas ao questionário destaca-se o desconhecimento da forma de transmissão da LV. Na área periurbana 90% das pessoas desconhece o modo de transmissão da doença e na área urbana 75%. A presença de L. longipalpis, nos diferentes ambientes, demonstra a adaptação dessa espécie às áreas antropizadas, a qual associada ao desconhecimento da forma de transmissão do parasito aumenta as chances do estabelecimento de cadeias epidemiológicas da leishmaniose visceral nessa região.
  • Data: 02/10/2006
  • Mostrar Resumo
  • As leishmanioses doenças com alto índice de mortalidade são causadas por protozoários do gênero Leishmania e transmitidas ao homem, cães domésticos e diversos mamíferos silvestres através da picada de um inseto denominado flebotomíneo (Diptera: Psychodidae). As manifestações clínicas se apresentam como lesões cutâneas ou viscerais (LC ou LV). As transformações no meio ambiente, a migração do homem da área rural para a periferia das cidades, em condições precárias de moradia, a criação de animais próximo aos domicílios, atraindo flebotomíneos, são alguns dos fatores que devem ter contribuído para a adaptação de vetores e a expansão da doença. O objetivo desse estudo foi identificar fatores que contribuem com a incidência de casos de LV em Parnamirim, município da região metropolitana de Natal, a partir da abundância e diversidade de espécies em áreas urbana e de fragmento de mata conservada, bem como analisar aspectos sócio-ambientais possivelmente relacionados à LV no município. As capturas foram realizadas entre Março e Novembro de 2005, com armadilhas CDC instaladas entre 17:30 e 6:00h. Nas áreas urbana e periurbana foram aplicados 140 questionários entre os moradores. Cinco espécies de Phlebotominae foram identitificadas. As três espécies mais representativas nas áreas urbanas foram Lutzomyia evandroi (65%), Lutzomyia longipalpis (30%) e Lutzomyia lenti (4,8) e na área de mata foram Lutzomyia evandroi (70,4%), Lutzomyia longipalpis (29%) e Lutzomyia lenti (0,6%) totalizando 1432 flebotomíneos. Na área urbana, no ambiente peridomiciliar, o número de fêmeas de L. longipalpis, espécie envolvida na transmissão da LV foi superior ao de machos. O número de espécimes capturados em setembro foi consideravelmente superior aos demais meses. Dentre as respostas ao questionário destaca-se o desconhecimento da forma de transmissão da LV. Na área periurbana 90% das pessoas desconhece o modo de transmissão da doença e na área urbana 75%. A presença de L. longipalpis, nos diferentes ambientes, demonstra a adaptação dessa espécie às áreas antropizadas, a qual associada ao desconhecimento da forma de transmissão do parasito aumenta as chances do estabelecimento de cadeias epidemiológicas da leishmaniose visceral nessa região.

11
  • DAVID MAURICE HASSETT
  • A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO MÉDIO BRASILEIRO: FILOSOFIA, DIRETRIZES E REALIDADE – UMA ANÁLISE CRÍTICA JUNTO AOS ALUNOS DO MUNICÍPIO DE TIBAU DO SUL/RN E AOS SEUS PROFESSORES

  • Data: 20/12/2006
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho foi realizado com o objetivo de analisar o quadro atual da Educação Ambiental no Ensino Médio de Tibau do Sul/RN a fim de verificar a sua coerência com os princípios filosóficos consagrados pelos grandes acordos internacionais e a sua consonância com a legislação nacional pertinente.  Trata-se de uma questão ainda não analisada a fundo, mas certamente urgente, visto a crescente gravidade da crise ambiental e a falta de progresso real no sentido de construirmos uma sociedade sustentável.  A Declaração de Tbilisi, a Agenda 21 e os demais tratados globais ratificados pelo Brasil enfatizam o papel fundamental da escola na formação do cidadão consciente que levará a sociedade rumo à sustentabilidade.  No entanto, pesquisas realizadas em diversas regiões do Brasil sobre a Educação Ambiental no Ensino Fundamental mostram que, apesar dos alicerces legais excelentes, existem graves inconsistências na execução desse papel. Assim sendo, no projeto atual, tomou-se como hipótese a ser investigada a asserção de que, no município enfocado, as diretrizes oficiais de Educação Ambiental não estão sendo plenamente cumpridas no Ensino Médio, quer no seu conteúdo temático quer na forma de abordagem metodológica.  O pequeno município litorâneo de Tibau do Sul, no Nordeste do Brasil, foi escolhido porque manifesta de forma contundente os problemas do desenvolvimento apressado numa área de grande expressividade natural.  A Educação Ambiental seria um valioso instrumento para capacitar melhor as novas gerações, evitando a evolução de um quadro cada vez mais sério e irreversível.  Objetivando testar a hipótese, realizou-se um levantamento usando como instrumento principal uma série de questionários escritos aplicados a todos os atores diretamente envolvidos: aos diretores das três escolas relevantes, aos professores das diversas disciplinas e a todos os estudantes de Ensino Médio residentes no município de Tibau do Sul/RN que freqüentavam essas escolas no meio do ano letivo de 2006, inclusive os que estudavam fora do município.  Os questionários visam avaliar a qualidade da formação intelectual e ética proporcionada pelas escolas no cumprimento do seu papel de preparar alunos conscientes e críticos no tocante às questões ambientais.  Não foi feito amostragem, visto que o propósito foi entrevistar toda a população alvo.  O universo atingido (em comparação com o esperado) foi: diretores 3 (3); professores 13 (46) e alunos 267 (cerca de 435).  Os resultados revelam amplas divergências entre o que acontece na prática na escola e o que preconizam a Lei de Diretrizes e Bases, a Política Nacional de Educação Ambiental e outros instrumentos legais brasileiros decorrentes dos pactos internacionais.  Na análise dessas incoerências procura-se distinguir entre as falhas relacionadas especificamente ao tema Meio Ambiente e as atribuíveis ao estado geral do ensino secundário no Brasil, segundo apontam as pesquisas consultadas.  Para superar as deficiências constatadas, o autor propõe algumas medidas que oferecem possibilidades de retomar o processo de reforma do Ensino Médio brasileiro no tocante ao Meio Ambiente, sem que haja necessidade de formular as diretrizes.  Entre as recomendações, incluem-se: 1) flexibilizar o modelo de ensino de Educação Ambiental, possibilitando a sua implantação como disciplina própria ou (melhor) a sua inserção específica em cada disciplina do currículo; 2) readequar os cursos de licenciatura em todas as áreas disciplinares para garantir uma boa formação inicial e continuada de Educação Ambiental para os futuros professores; 3) oferecer incentivos reais à colaboração interdisciplinar na escola; 4) multiplicar e estreitar as relações entre as escolas e as ONG’s ambientalistas e sociais; 5) criar mecanismos para fomentar as aulas de campo, as vivências e os trabalhos práticos, abrangendo as paisagens e os problemas comunitários da região; 6) aproveitar melhor as redes de instituições e as redes temáticas já existentes nas áreas de ensino e de meio ambiente; 7) fazer melhor uso da crescente “cibercultura” para promover colaboração entre grupos de pessoas, instituições, regiões e países, lançando novas teias de relacionamentos através das novas redes interativas de comunicação, fortalecendo o espírito comunitário e criando uma verdadeira “aliança global para cuidar da Terra e da humanidade”.

SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao