Banca de DEFESA: ERNESTO CID BRASIL DE MATOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ERNESTO CID BRASIL DE MATOS
DATA: 14/04/2016
HORA: 13:00
LOCAL: CIVT/IMD - Sala B112
TÍTULO:

BETA: uma Abordagem de Testes Baseada em B


PALAVRAS-CHAVES:

Métodos Formais; Teste de Software; Método B; Testes Baseados em Modelos.


PÁGINAS: 148
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Ciência da Computação
SUBÁREA: Metodologia e Técnicas da Computação
ESPECIALIDADE: Engenharia de Software
RESUMO:

Sistemas de software estão presentes em grande parte das nossas vidas atualmente e, mais do que nunca, eles requerem um alto nível de confiabilidade. Existem várias técnicas de Ver- ificação e Validação (V&V) de software que se preocupam com controle de qualidade, segu- rança, robustez e confiabilidade; as mais conhecidas são Testes de Software e Métodos For- mais. Métodos formais e testes são técnicas que podem se complementar. Enquanto méto- dos formais provêem mecanismos confiáveis para raciocinar sobre o sistema em um nível mais abstrato, técnicas de teste ainda são necessárias para uma validação mais profunda e são frenquentemente requeridas por orgãos de certificação. Levando isto em consideração, BETA provê uma abordagem de testes baseada em modelos para o Método B, suportada por uma ferramenta, que é capaz de gerar testes de unidade a partir de máquinas abstratas B. Nesta tese de doutorado apresentamos melhorias realizadas em BETA e novos estudos de caso realizados para avaliá-la. Dentre as melhorias, integramos critérios de cobertura lógicos à abordagem, revisamos os critérios de cobertura baseados em espaço de entrada que já eram suportados e aperfeiçoamos as últimas etapas do processo de geração de testes. A abordagem agora suporta a geração automática de dados para os oráculos e preâmbulos para os casos de teste; ela também possui uma funcionalidade para concretização dos da- dos de teste e um módulo para gerar scripts de teste executáveis automaticamente. Outro objetivo desta tese foi realizar estudos de caso mais complexos utilizando BETA e avaliar a qualidade dos casos de teste que a abordagem produz. Estes estudos de caso foram os primeiros a avaliar o processo de geração de testes por completo, desde a especificação dos casos de teste até a sua implementação e execução. Em nossos últimos experimentos, analisamos a qualidade dos casos de teste gerados por BETA, considerando cada critério de cobertura suportado, utilizando métricas de cobertuda de código como cobertura de in- struções e ramificações. Também utilizamos testes de mutação para avaliar a capacidade dos casos de teste de detectar faltas na implementação dos modelos. O resultados obtidos foram promissores mostrando que BETA é capaz de detectar faltas introduzidas por progra- madores ou geradores de código e que a abordagem pode obter bons resultados de cobertura para a implementação de um sistema baseado em modelos B.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1258224 - ANAMARIA MARTINS MOREIRA
Interno - 1639701 - MARCEL VINÍCIUS MEDEIROS OLIVEIRA
Externo à Instituição - ALEXANDRE CABRAL MOTA - UFPE
Externo à Instituição - MICHAEL LEUSCHEL - HHU
Externo à Instituição - PATRICIA DUARTE DE LIMA MACHADO - UFCG
Notícia cadastrada em: 09/03/2016 09:11
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao