Banca de DEFESA: CIBELE SIEBRA SOARES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CIBELE SIEBRA SOARES
DATA: 10/06/2013
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório de Psicologia
TÍTULO:

Sono e percepção visuoespacial em trabalhadores de uma empresa petroquímica submetidos a esquemas de trabalho em turnos alternantes



PALAVRAS-CHAVES:

sono; visuoespacialidade; trabalhadores em turno; atenção; qualidade de sono.


PÁGINAS: 139
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

O trabalho em turnos consiste em um arranjo de horas de trabalho não usuais, como a noite e nos finais de semana, e com carga horária cada vez maior, com o intuito de atender a produção ininterrupta, que acarreta alterações na qualidade, duração e regularidade do sono. Pesquisas indicam que alterações do sono fazem com que os processos cognitivos tornem-se mais lentos, instáveis e propensos a erros, levando a prejuízos no desempenho cognitivo de funções como a percepção visuoespacial. Neste sentido, esta pesquisa teve como objetivo avaliar a qualidade do sono e sua relação com a percepção visuoespacial em trabalhadores em turnos alternantes. Participaram da pesquisa 21 operadores paineleiros de uma empresa petroquímica, do sexo masculino, na faixa etária de 19 a 53 anos. Todos os participantes estavam submetidos a esquemas de turnos alternantes (diurno e noturno) de 12 horas ininterruptas e os dados foram coletados em 10 trabalhadores que estavam alocados no turno diurno e 11 trabalhadores alocados no turno noturno. Para a avaliação do sono foram utilizados o Diário de Sono, o Questionário de Hábitos de Sono, o Questionário de Identificação de Cronotipo e o Índice da Qualidade do Sono de Pittsburgh (IQSP). A visuoespacialidade foi avaliada por meio do Teste de Figuras Complexas de Rey e a atenção foi avaliada através de uma versão portátil do Teste de Vigilância Psicomotora (PVT). Os resultados demonstraram que a amostra geral dos trabalhadores obteve qualidade do sono ruim nos dias de trabalho e qualidade do sono boa na folga. Houve duração do sono encurtada na semana de trabalho e duração adequada no período da folga. Não foram encontrados prejuízos nas habilidades visuoespaciais dos trabalhadores, mas a qualidade do sono boa no período da folga foi correlacionada ao desempenho visuoespacial adequado, para os trabalhadores do turno diurno. O desempenho da atenção sofreu oscilação no decorrer das horas trabalhadas, principalmente no turno noturno. Conclui-se que o esquema de trabalho em turnos alternantes pode ser prejudicial para tarefas de natureza predominantemente visuoespaciais e que uma boa qualidade de sono pode contribuir para um melhor desempenho visuoespacial.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1199136 - CAROLINA VIRGINIA MACEDO DE AZEVEDO
Presidente - 1665448 - KATIE MORAES DE ALMONDES
Externo à Instituição - NELSON TORRO ALVES - UFPB
Notícia cadastrada em: 28/05/2013 10:56
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao