Banca de DEFESA: LUANA ISABELLE CABRAL DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUANA ISABELLE CABRAL DOS SANTOS
DATA: 17/05/2013
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório de Psicologia
TÍTULO:

Juventude em foco: a relação juventude-trabalho no ProJovem Integrado do Município de Natal/RN



PALAVRAS-CHAVES:

projovem urbano; juventude; trabalho; política pública


PÁGINAS: 184
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Com base em um diagnóstico nacional sobre a situação juvenil – organizado por um grupo interministerial, em 2004 – algumas problemáticas da juventude passaram a repercutir de forma mais preocupante, exigindo ações mais efetivas do governo. Em 2005, é criado o Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem), que é o principal programa da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) para operacionalização da política pública voltada para esse segmento. Tendo em vista que o ProJovem surge como principal programa da SNJ, com o objetivo de romper com o ciclo de reprodução da desigualdade, por meio da melhoria na formação básica, da reflexão acerca da comunidade na qual o jovem se insere e da qualificação profissional, o  objetivo deste trabalho é discutir como a relação juventude-trabalho se insere e é operacionalizada no Projovem Integrado do município de Natal/RN. Em 2008, o ProJovem passa a ser executado a partir de quatro modalidades: Adolescente – serviço socioeducativo, Urbano, Trabalhador e Campo – saberes da terra, dentro da perspectiva de atender uma população de 15 a 29 anos que até então era pouco contemplada pelas políticas específicas. Para a realização do trabalho, foram realizadas três entrevistas semiestruturadas com os gestores das modalidades; observações nos núcleos e análise dos documentos oficiais. Em Natal, as modalidades em funcionamento são: o Projovem Urbano, que conta com três núcleos divididos por dois distritos da cidade; O ProJovem adolescente, que possui dez núcleos, nas diferentes regiões administrativas e; o ProJovem Trabalhador que, até o início da coleta, ainda estava estruturado seus cursos. Os dados foram analisados qualitativamente à luz da Teoria Marxiana, com o auxílio do Método Comparativo Constante que, baseado na Teoria Fundamentada, possibilita compreender o significado dos fenômenos sob a perspectiva dos participantes. Os resultados foram agrupados da seguinte forma: No primeiro momento fizemos uma caracterização dos bairros, nos quais os núcleos das modalidades visitadas estão inseridos e uma breve caracterização do público atendido; em seguida, dividimos a apresentação dos resultados em três blocos: a) estrutura da modalidade, que compreende a implementação, funcionamento e operacionalização das atividades; b) Gestão da modalidade – principais dificuldades, expectativas e funções; e, c) a relação juventude-trabalho nas modalidades. Refletimos que há muitas dificuldades na execução das modalidades, provenientes de um momento em que, estado e município, passam por um desmantelamento das políticas públicas, refletindo na atenção que é dada ao público jovem. Além dessa questão macropolítica, há ainda, a questão da operacionalização das modalidades, que carecem de estratégias para atrair os jovens e fazê-los permanecerem. Em parte, essas dificuldades podem ser resultado da situação “caótica” das políticas e, em parte, da falta de adequação das modalidades à realidade da juventude. Sobre os objetivos e metas de qualificação e inserção, respectivamente, há incongruências na oferta dos arcos ocupacionais. Vimos que as ocupações oferecidas são, historicamente, subalternizadas e precárias, de modo que não promovem grandes mudanças e alterações nas trajetórias dos jovens, inserido-os, muitas vezes, em trabalhos sem carteira assinada, caracterizados como informais ou subempregos. Além de que a qualificação profissional é muito incipiente e, portanto, não atende os requisitos necessários para que o jovem seja considerado “apto” para “ingressar” no mercado de trabalho. Consideramos que outras pesquisas são necessárias para que possamos compreender melhor os demais aspectos da relação juventude-trabalho.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1720819 - ILANA LEMOS DE PAIVA
Externo à Instituição - JUAREZ TARCISIO DAYRELL - UFMG
Interno - 347578 - OSWALDO HAJIME YAMAMOTO
Notícia cadastrada em: 02/05/2013 13:58
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao