Banca de DEFESA: CYNTHIA DE FREITAS MELO LINS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CYNTHIA DE FREITAS MELO LINS
DATA: 12/04/2013
HORA: 10:00
LOCAL: SALA A - do Lab Psicologia
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NA CAPITAL POTIGUAR


PALAVRAS-CHAVES:

Estratégia Saúde da Família; avaliação; crenças; multimétodos.


PÁGINAS: 257
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A Estratégia Saúde da Família (ESF) configura-se como a principal porta de entrada no Sistema Único de Saúde (SUS) e deve ser constantemente avaliada. Tendo como suporte a Teoria das Crenças e a Teoria Cognitivo-comportamental, esta pesquisa multimétodos, dividida em três subestudos, objetivou avaliar a ESF em Natal-RN, através de seus gestores, profissionais e usuários. No primeiro estudo, nove gestores responderam um questionário de caracterização e uma entrevista semiestruturada, para verificar o conhecimento e as crenças sobre o SUS, sendo os dados analisados com o auxílio de softwares. No segundo estudo, temos uma pesquisa descritiva correlacional na qual as variáveis antecedentes referem-se às condições de trabalho nas unidades de saúde da família (USFs) e ao perfil dos profissionais; as variáveis correspondentes referem-se às avaliações da ESF por meio de uma amostra probabilística estratificada com 475 profissionais, que responderam duas escalas, ambas compostas por três fatores: Infraestrutura física, Recursos materiais e Eficiência no atendimento. O terceiro estudo é uma pesquisa descritiva correlacional na qual as variáveis antecedentes referem-se às condições de atendimento nas USFs e ao perfil dos usuários, e as variáveis correspondentes referem-se às avaliações da ESF, com uma amostra não probabilística estratificada com 390 usuários, que contribuíram para a construção de uma nova escala com um fator, eficiência no atendimento, analisado por meio de software. Os resultados mostraram problemas que começam com a gestão, sob a forma de admissão por indicação política e falta de conhecimento sobre o SUS e a ESF; passam pela baixa permanência dos profissionais e quantidade insuficiente para a demanda dos usuários; e eles acabam disseminando-se por todos os itens analisados: infraestrutura das USFs, recursos materiais, capacitação dos profissionais, acessibilidade, sistema de referência e quantidade de profissionais. Conclui-se que, apesar de seguir um modelo ideal, a ESF necessita de mudanças em relação aos entraves de sua realidade operacional.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA ALAYDE SALDANHA - UFPB
Externo à Instituição - FRANCISCO JOSÉ B. ALBUQUERQUE - UFPB
Externo ao Programa - 1161810 - GILSON DE VASCONCELOS TORRES
Presidente - 1323908 - JOAO CARLOS ALCHIERI
Interno - 1759676 - PEDRO FERNANDO BENDASSOLLI
Notícia cadastrada em: 21/03/2013 13:14
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao