Banca de DEFESA: SHYRLEY BISPO GUIMARÃES - (Retificação)

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: SHYRLEY BISPO GUIMARÃES

DATA: 08/04/2011

HORA: 15:00

LOCAL: auditório A do CCHLA

TÍTULO:

A ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NO CONTEXTO DAS REFERÊNCIAS AMBULATORIAIS EM SAÚDE MENTAL DE ARACAJU-SE.


PALAVRAS-CHAVES:

prática profissional do psicólogo; ambulatórios de saúde mental; reforma sanitária; reforma psiquiátrica; saúde mental.


PÁGINAS: 226

GRANDE ÁREA: Ciências Humanas

ÁREA: Psicologia

RESUMO:

A inserção do psicólogo nos ambulatórios de saúde mental ocorreu na década de 1980, no contexto das reivindicações propagadas pela reforma sanitária e psiquiátrica, da formação de equipes mínimas de saúde mental e da retração da clínica privada. Historicamente, essa migração foi acompanhada da importação de práticas tradicionalmente aplicadas no consultório. Ademais, a falta de diretrizes claras por parte do Ministério da Saúde ocasionou a abertura de ambulatórios com estruturas diversificadas em cada município. O objetivo desta dissertação foi estudar a atuação do psicólogo nas referências ambulatoriais em saúde mental de Aracaju-SE. Foram entrevistados psicólogos desses serviços e gestores da secretaria municipal de saúde a partir de roteiro semiestruturado, além da análise de relatórios de gestão.  Observou-se que as referências em saúde mental sofreram transformações substanciais quanto à sua estrutura e funcionamento, levando a um quadro atual de expansão e de readequação. Percebeu-se um esforço por parte dos psicólogos em manter os atendimentos individuais e de grupo, a partir de ajustes na frequência nas sessões e no foco das atividades. Os grupos de Teatro do Oprimido e de artesanato são alguns indicativos de promoção de autonomia do usuário. Não obstante tais progressos, a relação com o psiquiatra ainda se processa basicamente pelo prontuário, impedindo de avançar na discussão conjunta dos casos. São notáveis alguns avanços em direção à clínica ampliada, como a superação do uso do diagnóstico psiquiátrico de forma isolada e da substituição do critério “fila” pelo de urgência. O acolhimento tornou-se uma estratégia interessante de ordenação do fluxo, porém o descompasso entre oferta e demanda parece ser uma questão que extrapola o âmbito dos psicólogos das referências. Por essa razão, o estreitamento da relação com as unidades de saúde da família parece ser o maior desafio a ser enfrentado pelos psicólogos das referências ambulatoriais em saúde mental.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347578 - OSWALDO HAJIME YAMAMOTO
Externo ao Programa - 1674041 - ANA KARENINA DE MELO ARRAES AMORIM
Externo à Instituição - MARIA LUCIA BOARINI - UEM
Notícia cadastrada em: 08/04/2011 07:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao