Banca de DEFESA: EMANUELLA CAJADO JOCA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EMANUELLA CAJADO JOCA
DATA : 25/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/hjr-tbgs-kqd
TÍTULO:

A ESTÉTICA DO OPRIMIDO NA ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL NO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Teatro do Oprimido; Estética do Oprimido; Arte; Atenção à Saúde; Saúde Mental.


PÁGINAS: 165
RESUMO:

A Estética do Oprimido é uma elaboração de Augusto Boal (1931-2009), teatrólogo brasileiro que sistematizou esta proposta artístico-política a partir das formulações com o Teatro do Oprimido, que consiste em uma metodologia de diálogo cênico problematizadora das relações sociais opressivas. A peculiaridade deste método consiste em três transgressões: 1- a divisão entre palco e plateia; 2- entre espetáculo e vida real; e 3- entre artistas e não-artistas. Nos anos 2000, na efetivação da Política Nacional de Saúde Mental brasileira (PNSM) o Ministério da Saúde (MS) estabeleceu parceria com o Centro de Teatro do Oprimido do Rio de Janeiro (CTO-RJ) para formar trabalhadores da saúde no uso dessa metodologia. A pesquisa aqui proposta tem como objetivo geral analisar os usos da Estética do Oprimido na Atenção à Saúde Mental no Brasil. Tendo os seguintes objetivos específicos: a) identificar os atores sociais que utilizam ou utilizaram o Teatro do Oprimido como instrumento de atenção à saúde mental; b) descrever atividades desenvolvidas nas Políticas de Saúde Mental com esta perspectiva estética; c) compreender as produções subjetivas do trabalho em saúde a partir do pensamento teórico-prático de Augusto Boal; d) promover a reflexão crítica do uso da Estética/Teatro do Oprimido para o cuidado em saúde; e) construir referencial teórico-prático acerca da Estética no Oprimido no campo da Saúde Mental. Tem como referencial epistemológico o pensamento de Augusto Boal, que busca o fortalecimento cultural dos grupos e povos oprimidos, manipulados ou excluídos, construindo uma proposição para o desenvolvimento humano focado na análise dos conflitos sociais a partir dos atravessamentos e fluxos de intensidades produzidos na arte. Os procedimentos metodológicos adotados constam de intervenções através do uso de questionários on-line autoaplicáveis, disponibilizado nas redes sociais, e entrevistas individuais com profissionais da rede de saúde que utilizam ou utilizaram o Teatro do Oprimido como ferramenta de trabalho, além de gestores do projeto e ligados ao CTO-RJ, quando em parceria com MS. Os questionários autoaplicáveis foram analisados de forma descritiva e as entrevistas individuais propuseram uma conversação/relação dialógica entre pesquisadora-pesquisadas/os. A partir desses instrumentos foi possível delinear quatro temas geradores de análises: 1) Projeto Teatro do Oprimido na Saúde Mental; 2) CAPS e a Reforma Psiquiátrica; 3) Arte e Saúde Mental; 4) Percursos profissionais e o Teatro do Oprimido. Atuações com esta metodologia teatral foi observada na promoção e atenção à saúde mental e o que o processo de formação em Teatro do Oprimido na Saúde Mental favoreceu processos de criação do cuidado em liberdade preconizado na Reforma Psiquiátrica. O apoio ao trabalhador, através de supervisão, subsídios de materiais, suporte teórico-prático mostrou-se fundamental para a criação de práticas em saúde mental baseadas nos princípios e fundamentos da luta antimanicomial e da PNSM. A partir desta investigação foi possível compreender a Estético do Oprimido como precursora da Luta Antimanicomial, pensando uma analogia com suas transgressões ao teatro tradicional e com isso, verificando seus princípios antimanicomais, libertários e focados nos direitos humanos, para outra sociedade onde não cabem os manicômios, não cabe o modo manicomial.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1674041 - ANA KARENINA DE MELO ARRAES AMORIM
Externo à Instituição - ANTÔNIO VLADIMIR FÉLIX DA SILVA
Externa à Instituição - FLÁVIA HELENA MIRANDA DE ARAÚJO FREIRE - UFF
Interna - 1720819 - ILANA LEMOS DE PAIVA
Presidente - 426721 - MARIA TERESA LISBOA NOBRE PEREIRA
Notícia cadastrada em: 12/08/2022 13:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao