Banca de DEFESA: WELISON DE LIMA SOUSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WELISON DE LIMA SOUSA
DATA : 13/05/2022
HORA: 08:30
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

A POPULAÇÃO DE RUA EM SEUS MODOS DE VIDA, MULTIPLICIDADES E SINGULARIDADES NO CARIRI CEARENSE


PALAVRAS-CHAVES:

População de rua; Etnografia; Cidade; Cariri; Covid-19.


PÁGINAS: 153
RESUMO:

Nesta pesquisa, interessa-nos pensar como um fenômeno global, a população de rua, se singulariza na região do Cariri Cearense. Temos o objetivo geral de analisar as singularidades e multiplicidades dos modos de vida da população em situação de rua do Cariri Cearense; e, de modo específico: Descrever os elementos históricos que estão presentes na produção da população de rua nessa região e como eles se atualizam numa história do presente; Conhecer modos de vida da população de rua do Cariri no processo de produzir e ser produzida pela cidade; Identificar os impactos da pandemia da covid-19 junto à população em situação de rua do Cariri. Do ponto de vista metodológico, realizamos um trabalho de orientação etnográfica, no qual nos utilizamos da observação participante e itinerante, conversas no cotidiano e registros em diário de campo, que resultaram na construção de dois eixos de análise: o que há de comum na população de rua no Cariri e em outros lugares, na condição de trabalhadores(as), desempregados(as), migrantes e usuários de drogas; o que há de singular nessa população, própria da região, que são as figuras dos beatos, romeiros e remanescentes do Hospital Psiquiátrico Casa de Santa Teresa. Diante da pandemia do coronavírus, fizemos uma pesquisa com reportagens, em que buscamos traçar um panorama das ações feitas em relação à população de rua e covid-19 na região do Cariri. Encontramos no Cariri figuras singulares da população de rua que existem por sua relação com a cidade, num duplo movimento de produzi-la e de serem produzidas por ela. Quanto à pandemia, identificamos que muitas ações voltadas para a população de rua foram realizadas pela sociedade civil, e não por políticas públicas. O Estado foi negligente nas suas ações ou no modo como as executou, mas tivemos uma rede de solidariedade, que produziu outros modos de cuidar. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS EDUARDO ESMERALDO FILHO - UniFanor
Interno - 1744558 - JADER FERREIRA LEITE
Externo à Instituição - LÁZARO BATISTA DA FONSECA - UFAL
Presidente - 426721 - MARIA TERESA LISBOA NOBRE PEREIRA
Externa ao Programa - 2306271 - VERONICA MARIA FERNANDES DE LIMA
Notícia cadastrada em: 28/04/2022 13:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao