Banca de DEFESA: MATEUS ESTEVAM MEDEIROS COSTA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MATEUS ESTEVAM MEDEIROS COSTA
DATA : 24/03/2022
HORA: 08:30
LOCAL: Meio virtual
TÍTULO:

Trabalho e riscos de adoecimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): contribuições da ergonomia da atividade


PALAVRAS-CHAVES:

SAMU. Saúde do trabalhador. Psicologia do trabalho. Ergonomia da atividade. Covid-19.


PÁGINAS: 151
RESUMO:

O Serviço de atendimento do Móvel de Urgência (SAMU) é uma importante porta de entrada no Sistema Único de Saúde (SUS) e o principal componente da Política Nacional de Atenção às Urgências (PNAU). Diante da pandemia de COVID-19, o atendimento nas urgências vem aumentado, repercutindo, diretamente, no trabalho realizado pelo SAMU. O presente estudo avaliou o trabalho e os riscos de adoecimento do SAMU durante a pandemia de COVID-19, alicerçado no arcabouço teórico da ergonomia da atividade. Para tanto, esta tese ficou estruturada em três estudos, sendo duas revisões de literatura e um estudo empírico quantitativo. O primeiro estudo de revisão objetivou caracterizar a produção científica sobre a ergonomia da atividade brasileira, enfocando e sistematizando os locais onde os estudos foram realizados, os construtos explorados, os métodos adotados e os principais resultados encontrados. A base de dados consultada foi o Periódicos Capes, via a Comunidade Acadêmica Federada (CAFe) e após o processo de inclusão e exclusão, foram selecionados 42 artigos para a revisão de literatura. Geralmente, os estudos são intervenções de natureza qualitativa, que ocorreram na região sudeste e centro-oeste, a categoria profissional mais estudada são os docentes. O principal meio de divulgação é a revista Laboreal e a Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. Na síntese temática de similaridade emergiram categorias que exploram os aspectos referentes ao trabalho e saúde, a qualidade de vida, as ergodisciplinas e os dispositivos metodológicos em ergonomia da atividade, evidenciando, assim, a diversidade e, paralelamente, as peculiaridades da ergonomia da atividade brasileira. Por sua vez, a segunda revisão literatura desta tese (PROSPERO: CRD42019125250), teve como objetivo analisar a produção científica sobre o trabalho do SAMU. As bases de dados consultadas no primeiro momento foram SciELO, PePSIC e o Periódico CAPES. Em seguida, foi consultada a BVS que congrega as bases de BDENF; IBECS; Index-Psi; LILACS e MEDLINE. Os descritores empregados foram SAMU e atendimento pré-hospitalar (Emergency Medical Services) e Trabalho (Work). A amostra desta revisão foi 49 artigos. A produção científica analisada caracteriza-se por averiguar a relação entre saúde e trabalho do SAMU, mas, ainda ancorados na perspectiva biomédica hegemônica. Boa parte dos estudos foi realizada no nordeste e sudeste. A maioria das pesquisas foi publicada no ano de 2017 e em periódicos de enfermagem. São estudos descritivos e/ou exploratórios, que tomaram os profissionais de enfermagem como amostra, em que averiguaram o estresse ocupacional através da aplicação de questionários. Na síntese temática de similaridade foram emergidas quatro categorias: Trabalho da equipe de enfermagem; Percepção do processo de trabalho e relações de poder; Condições de trabalho e risco de adoecimento; e, Métodos e intervenção. Para efetivação dos componentes do serviço pré-hospitalar do SUS, se faz necessário potencializar a integração e articulação tão fragilizada entre o SAMU e demais estabelecimentos de saúde. Os trabalhadores do pré-hospitalar móvel, são constantemente afrontados com a falta de materiais e o número insuficiente de ambulâncias, o que compromete a qualidade do serviço. Sendo, de fundamental importância, a elaboração de estratégias e novos protocolos que venham a condizer com a realidade de trabalho. Por fim, o terceiro estudo avaliou o contexto de trabalho e os riscos de adoecimento do SAMU durante a pandemia de COVID-19. A amostra foi constituída por 169 trabalhadores, distribuídos em 16 estados brasileiros. Foram aplicadas, neste estudo, a Escala de Avaliação do Contexto de Trabalho, Escala de Custo Humano no Trabalho e Escala de Avaliação de Danos Relacionados ao Trabalho. Os resultados encontrados apresentam níveis críticos a graves. As relações socioprofissionais, as condições de trabalho e custo cognitivo são os fatores que mais influem sobre o trabalho. Os resultados obtidos sugerem providências imediatas a curto e médio prazo, que visem eliminar ou diminuir os riscos de adoecimento presentes nesse ofício profissional.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1134517 - JORGE TARCISIO DA ROCHA FALCAO
Interno - 1033183 - FELLIPE COELHO LIMA
Externo ao Programa - 3010599 - FLAVIO FERNANDES FONTES
Externo à Instituição - MÁRIO CÉSAR FERREIRA - UnB
Externo à Instituição - REGINA HELOISA MATTEI DE OLIVEIRA MACIEL - UNIFOR
Notícia cadastrada em: 22/03/2022 15:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao