Banca de QUALIFICAÇÃO: ÉLIDA FURTADO DO NASCIMENTO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ÉLIDA FURTADO DO NASCIMENTO
DATA : 31/01/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/dgx-jtzz-xxr
TÍTULO:

EDUCAÇÃO E ADOLESCÊNCIA EXCLUÍDA NA ESCOLA NO CONTEXTO DO CAPITALISMO


PALAVRAS-CHAVES:

Adolescência; Exclusão escolar; Educação compensatória; Aceleração da Aprendizagem.


PÁGINAS: 346
RESUMO:

Esta pesquisa parte da necessidade de contribuir com as discussões a respeito do fenômeno da escolarização de adolescentes excluídos na escola via programa de aceleração da aprendizagem - Poronga. Trata-se da materialização do Programa Telecurso 2000 da Fundação Roberto Marinho implementado no Acre no período de 2002 a 2019. Toma-se o Projeto como expressão de educação compensatória para adolescentes, no contexto das reformas educacionais sob as características do neoliberalismo de Terceira Via e de mercadificação da educação. A partir de estudiosos da Psicologia Histórico-Cultural entende-se que educação formal é essencial ao processo de formação do humano, porquanto espera-se que um programa educativo com vista ao enfrentamento do insucesso escolar proporcione condições de ensino e de aprendizagem promotoras de desenvolvimento de adolescentes, caso não o faça contribui para promover uma dupla exclusão disfarçada de inclusão. Objetivou-se identificar e analisar as contribuições, limites e impedimentos relativos à educação de adolescentes, via educação compensatória, no contexto do capitalismo. Delineou-se como objetivos específicos: 1) investigar, a partir da realidade social dos estudantes, possíveis aspectos definidores da exclusão escolar; 2) apreender os sentidos atribuídos ao processo educativo no Poronga, analisando as expectativas dos diferentes atores escolares em relação ao programa e a realidade vivida; 3) identificar se o Poronga, como programa de educação compensatória, atendeu, ou não, os pressupostos de educação de adolescentes. A pesquisa foi realizada em Cruzeiro do Sul-AC, a partir dos procedimentos de investigação empírica: a) questionário respondido por 37 estudantes a respeito da vida escolar e alguns dados socioeconômicos; b) entrevista semiestruturada individual realizada com sete estudantes de duas turmas do Poronga; seis familiares (mães e irmã); duas professoras do Poronga e duas coordenadoras pedagógicas. A partir da organização e análise prévia dos dados constatou-se que a unidade ensino-aprendizagem não é o elemento nucelar do processo educativo no
Programa, o que por si só limita as condições de aprendizagem-desenvolvimento dos adolescentes. Logo, defende-se a tese de que, em que pese o Programa Telecurso ser apresentado como um programa de sucesso e que tem as ferramentas necessárias para compensar o déficit dos estudantes em termos de aprendizagem, ele, na verdade, se presta muito mais a compensar o déficit em termos de anos perdidos, mas não em termos de aprendizagem, consequentemente, promove uma segunda exclusão escolar de adolescentes já excluídos socialmente.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - MARLI LÚCIA TONATTO ZIBETTI - UNIR
Externa à Instituição - ANGELINA PANDITA PEREIRA - UFBA
Presidente - 214.475.274-53 - HERCULANO RICARDO CAMPOS - UFRN
Externa ao Programa - 1723488 - MARIA DA APRESENTACAO BARRETO
Externa à Instituição - ZAIRA FÁTIMA DE REZENDE GONZALEZ LEAL - UEM
Notícia cadastrada em: 20/12/2021 16:25
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao