Banca de QUALIFICAÇÃO: ERICKALINE BEZERRA DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ERICKALINE BEZERRA DE LIMA
DATA : 17/12/2021
HORA: 09:00
LOCAL: https://meet.google.com/cmw-vcpc-xkv
TÍTULO:

AUTOCRÍTICA DO ARTISTA: ALIENAÇÃO E VIVÊNCIA DA ARTE COMO TRABALHO


PALAVRAS-CHAVES:

 Alienação; Emancipação; Vivência;Artistas-trabalhadores; Autocrítica dirigida.


PÁGINAS: 164
RESUMO:

Nesta pesquisa, damos foco ao artista-trabalhador que situado em meio a lógica capitalista se encontra no dilema de produzir a arte seguindo princípios criativos própriose/ou uma arte de consumo, que seja possível garantir sua sobrevivência e a continuidade material de sua atividade. Assim, o sujeito ao tratar continuamente sua força produtiva apenas como mercadoria, torna-se alheio a si mesmo, às ações geridas sobre o meio e ao produto de sua atividade em um processo que Marx e Lukács definem como Alienação. Na seara artística esse descompasso pode acarretar diversas limitações na construção da obra de arte e, consequentemente, comprometer a permanência no ofício. Por outro lado, segundo os autores de referência uma eventual emancipação dessa condição pode advir da realização do próprio trabalho reestabelecendo sobre a consciência, ações autênticas e a dialética entre o individual-social. Para interagir mediante essa problemática nos aproximamos da unidade de análise sistêmica conhecida por Vivência (Perejivânie), à luz de Lev Vigotski, conceito que se refere aos impactos das experiências que formam um campo de referência no desenvolvimento, ao interligar sujeito-meio. Diante disso pretende-se, nesta Tese, analisar na vivência do artista-trabalhador os processos de alienação-emancipação e sua relação com a tríade artista-obra-sociedade. Como objetivos específicos, assumimos: I) Relacionar os constructos de Alienação-emancipação e Vivência (Perejivânie); II) Desenvolver método que permita a identificação da alienação-emancipação, no âmbito da vivência do(a) artista-trabalhador; III) Analisar a partir de categorias oriundas da intersecção teórica, entre alienação-emancipação-vivência, as articulações singulares sob os artistas-trabalhadores. Verificamos que da relação entre Vivência e o binômio alienação-emancipação, compreendemos a estratificação dos estados alienantes em seus estranhamentos por meio do trabalho, por ambos conceitos se darem na formação cotidiana do sujeito. Pelo qual foi possível, pela intersecção teórica, extrair as seguintes categorias de análise que constituem opostos em unidade: continuidade/descontinuidade, produção/reprodução e individualidade/coletividade. Desenvolvemos, então, o método da Autocrítica dirigida, partindo do pressuposto de que a relação do(a) artista-trabalhador com a materialidade da obra de arte, indica marcos do desenvolvimento da atividade e os atravessamentos para continuar exercendo-a. Esta pesquisa teve a participação de cinco artistas-trabalhadores(as), ativos(as) e com extensa carreira no ramo das artes cênicas, submetidos às duas etapas da Autocrítica dirigida que consistem em: I) Entrevista semi-estruturada breve; e II) Confronto artista-obra(s), este voltado a reconstituir o percurso profissional a partir de elementos da criação e/ou obra(s), evidenciando repertório artístico como processo dialético de vivências. Esse percurso permitiu não somente localizar os processos de alienação-emancipação, mas reconhecer no interior da vivência de cada artista-trabalhador(a) participante, as mudanças, permanência e consequências das escolhas sobre si e os outros em relação direta com a realidade de seu trabalho. Compreende-se que há ocorrência do que chamamos de processos de emancipação – ainda que estes se configurem como transitórios, apresentam deslocamentos do estado alienante inicial permitindo novas experiências. Constata-se ainda, o caráter interventivo do método, enquanto vivência, ao suscitar processos de consciência sobre o trabalho, permitindo o vislumbre de potenciais ações criativas.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - BETANIA MOREIRA DE MORAES - UECE
Presidente - 1033183 - FELLIPE COELHO LIMA
Interno - 214.475.274-53 - HERCULANO RICARDO CAMPOS - UFRN
Externa ao Programa - 1672505 - NAIRA NEIDE CIOTTI
Notícia cadastrada em: 03/12/2021 13:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao