Banca de QUALIFICAÇÃO: WELISON DE LIMA SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WELISON DE LIMA SOUSA
DATA : 16/12/2021
HORA: 14:30
LOCAL: https://meet.google.com/nqw-mdwn-mru
TÍTULO:

 A POPULAÇÃO DE RUA EM SEUS MODOS DE VIDA E RESISTÊNCIA NO CARIRI CEARENSE


PALAVRAS-CHAVES:

População de rua; Etnografia; Covid-19; Cidade; Cariri.


PÁGINAS: 122
RESUMO:

Nesta pesquisa nos interessa pensar como um fenômeno global, que é a população de rua, se singulariza na região do Cariri Cearense. Tivemos por objetivo geral: analisar a produção do fenômeno de uma população de rua local em seus modos de vida e resistência; e como objetivos específicos: a) Descrever os elementos históricos que estão presentes na produção da população de rua nesta região e como eles se atualizam numa história do presente; b) Conhecer narrativas de pessoas que vivem das/nas ruas na região do Cariri Cearense sobre o cotidiano; e c) Identificar trajetórias e modos de vida entre as adversidades e resistências a vida nas ruas. Do ponto de vista metodológico esta pesquisa aconteceu em dois momentos: inicialmente um trabalho de orientação etnográfica, onde utilizamos da observação participante e itinerante, conversas no cotidiano e registros em diário de campo, que resultarem na construção de narrativas sobre modos de vida nas ruas. Encontramos como singularidades da população de rua no Cariri, figuras como beatos, romeiros e remanescentes do Hospital Psiquiátrico. Posteriormente, durante a pandemia do novo coronavírus, fizemos uma pesquisa documental, através de reportagens escritas em veículos de comunicação, disponíveis em formato online, onde buscamos traçar um retrato das ações feitas em relação à população de rua e COVID-19 na região do Cariri cearense. As diferentes figuras e contextos não se esgotam no que diz respeito a pensar a constituição da população de rua no Cariri. São pistas para acompanhar e afirmar a pluralidade da população de rua. Marcada por elementos históricos, sociais e econômicos da cidade ela se constitui com características locais, o que não permite ou traz muita dificuldade para pensá-la em termos homogêneos e isso não se manifesta enquanto problema, mas como potência a ser encarada em nossos modos de produzir pesquisas e políticas. A pandemia escancarou as dificuldades para efetivarmos as políticas públicas. Identificamos que muitas ações voltadas para a população de rua no Cariri foram realizadas pela sociedade civil e não por políticas públicas. O Estado foi negligente nas suas ações ou no modo como executou as mesmas, tivemos uma rede de solidariedade, que produziu outros modos de cuidar. Encontramos no Cariri figuras singulares da população de rua que existem por sua relação com a cidade, num duplo movimento de produzi-la e de serem produzidos por esta.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS EDUARDO ESMERALDO FILHO - UniFanor
Externo à Instituição - LÁZARO BATISTA DA FONSECA - UFAL
Presidente - 426721 - MARIA TERESA LISBOA NOBRE PEREIRA
Notícia cadastrada em: 01/12/2021 15:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao