Banca de DEFESA: LEILANI DE SOUSA E SILVA FOSSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LEILANI DE SOUSA E SILVA FOSSA
DATA : 12/08/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

Galperin e o processo de leitura e escrita: proposta de modelo de intervenção para contexto de dificuldades de aprendizagem


PALAVRAS-CHAVES:

Intervenção neuropsicológica;Galperin;Teoria da Formação das Ações Mentais por Etapas;Alfabetização.


PÁGINAS: 142
RESUMO:

O Desenvolvimento da linguagem escrita e da leitura são a evidência primeira do desenvolvimento cultural da criança, uma vez que estão relacionadas com o domínio de um sistema externo, elaborado e aprimorado no processo de desenvolvimento cultural da humanidade. Porém, para que tais processos sejam internalizados, para que se convertam em uma função mental da própria criança, para que a linguagem escrita da humanidade se converta em linguagem escrita da criança faz-se necessário um complexo processo de desenvolvimento.   A perspectiva Histórico-Cultural muito tem contribuído para o entendimento de tais processos de desenvolvimento, notadamente em termos das contribuições oriundas de Vigotski e Luria, que investigaram, dentre tantas temáticas, o desenvolvimento da linguagem escrita. Destaca-se aqui a contribuição de Galperin, colaborador de Vigotski, que deu sequência aos seus trabalhos, elaborando sua teoria das ações mentais, na qual argumenta que as crianças são capazes de assimilar conceitos abstratos desde os primeiros anos escolares. O presente projeto tem como objetivo sistematizar um modelo de intervenção para crianças que apresentam dificuldades de leitura-escrita tendo como base a Teoria da Formação das Ações Mentais por Estágios desenvolvida por Galperin. Para isso, esta dissertação foi organizada em duas partes. A primeira consiste em uma revisão teórica dedicada a revisitar conceitos e ideias sistematizadas por Galperin que fundamentam a Teoria das Ações Mentais por Etapas, bem como contribuições da Psicologia Soviética desenvolvidas por Vigotski, Luria e Leontiev. A segunda parte consiste na sistematização do modelo avaliativo-interventivo, bem como na proposição de atividades. O processo avaliativo foi sistematizado nas seguintes etapas: análise qualitativa do sintoma, avaliação quantitativa, análise qualitativa da atividade e planejamento da intervenção neuropsicológica. Por sua vez, a proposta de intervenção foi estruturada de acordo com as etapas propostas por Galperin: elaboração da BOA, material, linguagem externa, linguagem interna e mental. Por fim, as atividades foram organizadas em dois módulos referentes às habilidades específicas e gerais para aquisição da leitura e escrita. Espera-se que o presente trabalho possa contribuir com as práticas de diferentes profissionais que se dedicam a construir rotas alternativas de aprendizagem, rotas que transformam o negativo da deficiência no positivo da compensação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1321136 - IZABEL AUGUSTA HAZIN PIRES
Interna - 2143029 - CINTIA ALVES SALGADO AZONI
Externo à Instituição - MARILENE PROENÇA REBELLO DE SOUZA - USP
Notícia cadastrada em: 11/08/2021 12:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao