Banca de DEFESA: FLORA SANTOS NÜSSLE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FLORA SANTOS NÜSSLE
DATA : 23/08/2021
HORA: 14:30
LOCAL: https://meet.google.com/gtz-thvo-cov
TÍTULO:

COMO AS PROFESSORAS DE ESCOLA PRIVADA VIVENCIAM O SEU TRABALHO DURANTE A PANDEMIA DO COVID-19?


PALAVRAS-CHAVES:

ENSINO REMOTO; ESCOLA PRIVADA; PANDEMIA; PROFESSORAS; VIVÊNCIA.



PÁGINAS: 203
RESUMO:

Em 2020 o novo coronavírus trouxe uma dinâmica completamente nova para os profissionais de todas as áreas, como o professor de escola privada. Esta ocupação conta com uma força de trabalho majoritariamente feminina, chegando a ocupar 82% dos cargos de no Ensino Fundamental. Desse modo, o objetivo desta dissertação é analisar como as professoras de escola privada vivenciam o seu trabalho durante a pandemia do covid-19. A pesquisa se embasa teoricamente na perspectiva Histórico-Cultural de Vygotsky e conta com a participação de 12 professoras que lecionam no ensino fundamental de escolas privadas da cidade de Natal/RN. A metodologia escolhida foi a aplicação de uma entrevista em profundidade realizada de forma online através da plataforma do Google Meet. Esta foi dividida em quatro eixos, sendo eles: dados socioeconômicos, história de vida no trabalho, contexto do trabalho e dramas no trabalho. Os dados coletados foram categorizados com ajuda da plataforma QDA Miner e para analisá-los foi realizada as três etapas do Núcleo de Significação. Na primeira etapa, a partir da leitura flutuante das entrevistas foram elencados 58 pré-indicadores que posteriormente foram aglutinados em 19 indicadores e, por fim, esses indicadores formaram cinco núcleos de significação. Os núcleos são: as significações produzidas pelas mulheres sobre o trabalho de professora; as dificuldades do dia a dia da professora; as consequências da chegada pandemia; os agravamentos gerados pela pandemia; e os enfrentamentos diante dos desafios. Diante desses achados nós compreendemos que a pandemia atuou como catalisadora das dificuldades de trabalho já existentes no cotidiano das professoras de escolas privadas. E que as distintas formas que elas vivenciam essas dificuldades, bem como as enfrentam é consequência de um sistema social e histórico implicado pelo capitalismo neoliberal, pelos processos de precarização, terceirização, bem como pela formação da escola e da divisão sexual do trabalho.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CASSIO ADRIANO BRAZ DE AQUINO - UFC
Presidente - 1033183 - FELLIPE COELHO LIMA
Externa ao Programa - 1723488 - MARIA DA APRESENTACAO BARRETO
Notícia cadastrada em: 09/08/2021 15:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao