Banca de DEFESA: INDIANARA MARIA FERNANDES FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : INDIANARA MARIA FERNANDES FERREIRA
DATA : 12/12/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala F4 - Setor II
TÍTULO:

Gestão Autônoma de Medicação (GAM) e Redução de Danos no Contexto Potiguar: uma composição possível?


PALAVRAS-CHAVES:

Gestão Autônoma de Medicação, Redução de Danos, Drogas, Saúde Mental.


PÁGINAS: 204
RESUMO:

No Brasil, políticas e leis proibicionistas estão em constantes conflitos com a política de Redução de Danos
(RD) e o modelo de atenção psicossocial, construído com a Reforma Psiquiátrica, que visam cuidar de pessoas
em sofrimento decorrente do consumo de drogas. Nesse campo de tensões, encontramos vários problemas para
garantir o cuidado humanizado e em liberdade. Dentre eles, o elevado consumo de medicamentos psiquiátricos e
a terapêutica farmacológica como principal estratégia de tratamento, cuja participação das pessoas nas decisões
sobre seu tratamento e o acesso às informações sobre prescrições é mínima. Para enfrentar esta problemática, foi
desenvolvida no Canadá a estratégia Gestão Autônoma da Medicação (GAM). Embora traduzida e adaptada ao
contexto brasileiro, ainda há o desafio de compreender e avaliar sua pertinência e potencialidade no campo de
álcool e outras drogas em suas especificidades. Com o intuito de ampliar a discussão para substancias lícitas e
ilícitas, prescritas e não prescritas, considerando o norte ético da RD, a pesquisa objetivou acompanhar a
experiência GAM em um CAPSad do município de Natal-RN, mapeando seus limites e potencialidades. A
partir de uma pesquisa-intervenção de inspiração cartográfica, foi possível acompanhar a experiência e produzir
três planos de composição analítica: 1) Das experiências cotidianas e micropolíticas de cuidado, apontando para
uma diluição nas fronteiras entre essas substâncias na perspectiva de uma “gestão autônoma de múltiplas
substâncias”; 2) Da GAM como dispositivo grupal, que permite operar a ética da RD no âmbito coletivo e
cogestivo, a partir da transversalidade entre diferentes saberes e práticas e 3) GAM como estratégia de
promoção de autonomia coletiva com a configuração de redes de apoio entre os participantes. Concluindo, o
encontro entre GAM e RD nos convoca ao compromisso ético-político com a questão das drogas, com as lutas
antimanicomiais e antiproibicionistas e, sobretudo, com a vida das pessoas.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 3060449 - ANA CAROLINA RIOS SIMONI
Presidente - 1674041 - ANA KARENINA DE MELO ARRAES AMORIM
Externa à Instituição - MARISTELA DE MELO MORAES - UFCG
Externa à Instituição - ROSSANA CARLA RAMEH DE ALBUQUERQUE - IFPE
Notícia cadastrada em: 20/11/2019 09:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao