Banca de DEFESA: ANA FLÁVIA FRANÇA BEZERRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA FLÁVIA FRANÇA BEZERRA
DATA : 13/09/2019
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório D do CCHLA
TÍTULO:

A CLÍNICA INFANTIL TRANSPESSOAL: UM OLHAR A PARTIR DOS PROFISSIONAIS


PALAVRAS-CHAVES:

Psicoterapia infantil; Psicologia Transpessoal; Psicoterapia.


PÁGINAS: 127
RESUMO:

A clínica se constitui como uma tradicional prática na psicologia, em que na atualidade vai se diversificando, seja na prática privada, operacionalizado nas políticas públicas ou nas instituições do terceiro setor. A psicoterapia infantil é uma parcela significativa dessa prática, desafiando os psicólogos a sempre se reinventarem para adentrar o mundo da criança. O brincar e um olhar para a criança começou a ser inserido na clínica e a psicoterapia infantil se estrutura referenciando em uma visão de humano e de mundo particular de cada teoria. Na presente pesquisa, foi discutido o olhar para o ser humano a partir de três teóricos da Psicologia Transpessoal, dois no âmbito internacional Ken Wilber e Stanislav Grof; e Vera Saldanha no âmbito nacional e como suas teorias contribuem para o atendimento infantil nessa abordagem. Para conhecer como é realizado o atendimento infantil na abordagem transpessoal, foram entrevistadas seis psicólogas que estavam realizando atendimento infantil no momento da pesquisa dentro da abordagem transpessoal utilizando da entrevista narrativa. O presente estudo se propôs a ser uma pesquisa de cunho qualitativo, em que utilizei a Investigação Intuitiva, método/abordagem de pesquisa desenvolvido por Anderson & Braud, caracterizado por ser um método de pesquisa transpessoal. Para compreender o que emergiu nas entrevistas, utilizer a análise temática dos dados, desenvolvida por Jovchelovitch e Bauer. Emergiram sete categorias de análise a partir das entrevistas, se relacionando com os objetivos do estudo, sendo elas: 1) O que é a Psicologia Transpessoal; 2) Teóricos e bibliografia utilizada; 3) Conceitos aplicados; 4) Recursos utilizados; 5) Olhar para a criança em terapia; 6) Desenvolvimento infantil; 7) Diferencial da Psicologia Transpessoal. Com a criação dessas categorias, possibilitou compreender melhor como se organiza o campo da psicoterapia infantil na transpessoal. A maioria das obras dos autores citados são mais voltados para a teoria como um todo, abordando os processos psíquicos, não havendo uma discussão sobre infância na clínica nem ferramentas criadas especificamente para esse público. Nesse contexto, os profissionais realizam uma prática clínica com crianças pautada na psicologia transpessoal, entretanto não de forma sistematizada, por não haver essa sistematização teórica, sendo uma construção particular de cada profissional. Espera-se contribuir para o campo da clínica transpessoal, explicitando a prática clínica em torno da criança e avançando em trabalhos que ajudem a referenciar estudantes e profissionais a esse respeito, ressaltando a necessidade de mais estudos sobre a criança, a infância e o atendimento infantil na transpessoal.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - AURINO LIMA FERREIRA - UFPE
Presidente - 1149551 - GEORGIA SIBELE NOGUEIRA DA SILVA
Externa ao Programa - 6350812 - SYMONE FERNANDES DE MELO
Notícia cadastrada em: 09/09/2019 11:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao